Timber by EMSIEN-3 LTD
Redação Douranews

Redação Douranews

Para quem busca uma oportunidade de trabalho, nesta segunda-feira (31), a Fundação de Mato Grosso do Sul (Funtrab) disponibiliza vagas para diversas funções. Para concorrer às vagas é preciso estar de acordo com as exigências do empregador, que são específicas de cada profissão. Seguem algumas vagas com descrição das exigências e salário:

  • Açougueiro desossador: exige experiência e o ensino fundamental incompleto, salário R$ 990,00 + hora extra.
  • Confeiteiro: exige experiência e o ensino fundamental incompleto, salário R$ 966,00.
  • Contador: exige experiência e o ensino superior, salário 1.400,00.
  • Encanador industrial (2 vagas) exige experiência e o ensino fundamental incompleto, salário R$ 1.298,00.
  • Encarregado de pintura (tratamento de superfícies) exige experiência e o ensino fundamental, salário R$ 1.500,00.
  • Esteticista facial: exige experiência e ensino fundamental, salário R$ 900,00.
  • Faxineiro: exige experiência e o ensino fundamental incompleto, salário R$ 880,00 + ticket alimentação.
  • Mecânico eletricista de automóveis: exige experiência e o ensino médio, salário R$ 880,00 + almoço + adicional de produtividade.
  • Operador de máquina de bordar: exige experiência e o ensino fundamental, salário R$ 1.300,00 + hora extra.
  • Podador de árvores na conservação de vias permanentes: exige experiência e o ensino fundamental, salário R$ 1.400,00 + R$500,00 de Vale alimentação + R$3.000,00 de aluguel do veículo.
  • Técnico de enfermagem: exige experiência e o ensino médio, salário R$ 1.383,00 + 20% de adicional de insalubridade + assistência médica e seguro de vida.

Os interessados em preencher alguma das oportunidades ofertadas, devem comparecer à Rua 13 de maio, 2773 – Centro, com RG, CPF e Carteira de Trabalho. A Funtrab atende de segunda a sexta-feira, das 7 às 13 horas. As vagas de empregos são rotativas, podem ser preenchidas a qualquer momento, sem prévio aviso prévio.

Comentário

Foi aberto às 10 horas desta segunda-feira leilão de bens do Conselho Estadual Antidrogas (CEAD-MS) com 82 lotes que ficarão disponível para lances até o dia 16 de novembro.

A Secretaria de Justiça e Segurança Pública do Estado (Sejusp) é responsável pelo leilão que conta com carros, veículos de passeio e utilitários.

Entre os lotes há Hyundai I30 ano 2010 com lance inicial de R$ 2 mil e mais R$ 6,7 mil de débitos e um utilitário Captiva ano 2010 com lance de R$ 2 mil e R$ 5,9 mil de débitos.

Todos os lotes podem ser conferidos neste link. O leilão é totalmente online, ou seja, os lances só podem ser feitos pela internet.

Comentário

Fugitivo, latrocida e assaltante de joalheria foi preso em flagrante com 670 gramas de joias roubadas na Bolívia. Ele também estava com pistola, carregadores e munições. Prisão aconteceu na última semana durante fiscalização da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no km 5 da BR-158, na cidade de Cassilândia.

Agentes faziam vistoria em ônibus com itinerário Campo Grande / Goiânia, quando surpreenderam passageiro com joias sem documentação legal, uma pistola calibre .9 milímetros, dois carregadores e cinco munições intactas do mesmo calibre.

Durante abordagem, passageiro apresentou documento falso. Depois de confirmar a identificação do homem, policiais descobriram que ele estava foragido da comarca de Goianésia (GO), é latrocida e responsável por assalto em joalheria em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia.

Assaltante foi levado para a Delegacia de Cassilândia, onde foi autuado pelos crimes de porte ilegal de armas de fogo e transporte de mercadoria nacional sem nota fiscal. 

Comentário

Ponte de madeira não suportou o peso e caminhão carregado com aproximadamente 100 toneladas de cana-de-açúcar caiu no Rio Baía. Fato aconteceu hoje de madrugada, na MS-134, no município de Batayporã e equipe da Polícia Militar Ambiental esteve no local para avaliar os danos causados ao meio ambiente.

De acordo com o site Nova News, motorista tentou passar pela ponte de madeira, mas a estrutura não suportou o peso. Veículo que pertence a usina de álcool no Paraná, caiu na água.

Motorista, que saiu ileso do acidente, carregou veículo em Taquarussu e, na ocasião, seguia com a carga para o Paraná.

Entra ano, sai ano, e os anseios da população seguem apontando para melhorias nas áreas garantidas pela Constituição Federal como direitos sociais: saúde e educação. Em enquete realizada pela reportagem do Correio do Estado nas saídas de zonas eleitorais de Campo Grande, os setores são os que mais precisam de avanço na opinião das pessoas que foram votar para prefeito no segundo turno das eleições municipais.

Não à toa, as áreas são as que demandam maiores fatias do orçamento da Capital para 2017. Do total de R$ 3,5 bilhões estimados em receita, a maior parcela é reservada à saúde, com projeção de 35,30% — porcentagem equivalente a R$ 1,2 bilhão. A educação aparece na sequência, para onde serão destinados 21,64% da soma, ou, R$ 776 milhões. Setor que também costuma ser alvo de expectativa de melhora, a segurança pública terá 1,20% dos recursos (R$ 43,1 milhões).

O estudante Allan Kelvin Mansano de Almeida, 18 anos, se enquadra no grupo que projeta mudanças positivas. Em seu caso, ele mesmo está inserido no setor em que pede progressos. “Estou bastante decepcionado, mas vivemos em uma democracia e precisamos pensar no coletivo. Creio que falta conscientização. A educação é uma área que merece uma atenção maior no ano que vem”, revela.

 Já para o psicólogo José Magno Macedo Brasil, 52, é necessário um aperfeiçoamento no modelo de gestão para que se promovam avanços nos direitos sociais. “Espero que melhore a saúde, a educação e a segurança, mas os governantes precisam entender o que é gestão para investirem em políticas públicas. Faltam liderança e parcerias para governar”, acredita.

Uma das expectativas de parte da população campo-grandense é a diminuição do déficit de vagas nos Centros de Educação Infantil (Ceinfs). Segundo a Secretaria Municipal de Educação (Semed), 11,8 mil crianças carecem de atendimento nas unidades.

Comentário

Sérgio Plantz, de 36 anos, e Amarildo Bortoloso, de 32 anos, foram presos ontem ao serem flagrados por equipe da Polícia Civil com 220 quilos de maconha. Prisões aconteceram na Avenida Mato Grosso, em Naviraí.

Conforme site TáNaMídia Naviraí, investigadores abordaram o condutor de veículo Santana, placas de Loanda (PR) e durante vistoria encontraram no porta-malas do carro vários tabletes de maconha.

Diante do flagrante, a dupla então confessou que pegou a droga no Assentamento Itamarati, em Ponta Porã, e levariam até o Porto Caiuá, na divida dos Estados de Mato Grosso do Sul e Paraná, onde entregariam o entorpecente para um desconhecido.

Pelo transporte, Sérgio e Amarildo receberiam R$ 5 mil. Ambos foram levados para a 1ª Delegacia de Polícia Civil, onde foram autuados por tráfico de drogas.

Comentário

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, afirmou, na tarde de ontem, que o modelo do foro privilegiado para políticos não atende mais à realidade brasileira. Segundo ele, é preciso “encontrar uma fórmula”. “Esse modelo...  ele foi pensado, não foi para resolver um máxime de casos”, disse o ministro ao Correio ao chegar ao TSE, em Brasília, para acompanhar a apuração do segundo turno das eleições municipais. “É para uma situação ou outra. Quando você tem um terço, às vezes quase metade do Congresso ou investigado ou denunciado, realmente o tribunal não tem condições de dar resposta adequada.”
 
Segundo ele, o foro privilegiado “vai ter que ser discutido porque não é uma solução fácil”. “Ao mesmo tempo em que o Supremo está sobrecarregado, você tem que levar em conta que passar essa competência para o juiz de primeiro grau também vai ser um estresse.” No Rio de Janeiro, onde acompanhou as votações mais cedo, Gilmar Mendes também citou a sobrecarga de trabalho do tribunal. “O Supremo Tribunal Federal (STF) não tem capacidade de dar a resposta a tantas denúncias, porque houve uma criminalização endêmica (de políticos)”, afirmou ele, de acordo com a Agência Estado.
 
O foro privilegiado permite que políticos e uma série de autoridades — cerca de 22 mil no Brasil — só sejam julgados criminalmente em tribunais superiores. No STF, ficam os processos contra o presidente da República, parlamentares, ministros de Estado e de tribunais superiores.
 

Comentário

É comum entre os servidores a afirmação de que não são os funcionários concursados que incham a máquina. Os cargos são criados por lei, com critérios específicos, e a ocupação é a partir de rigorosa seleção em concursos públicos.

Nas pautas de todas as categorias — da base ou da elite —, a reivindicação histórica é de aumento do quadro de pessoal. O deficit pode passar de 44 mil servidores.

No entanto, diante da necessidade de ajuste das contas públicas, o governo, desde 2015, suspendeu os concursos públicos para os três Poderes. O preenchimento de mais de 40 mil vagas foi interrompido. Mais que isso: várias outras medidas, certamente contribuirão para a baixa dos recursos humanos, como o fim do abono permanência e a aprovação da Proposto de Emenda Constitucional (PEC) nº 241, que estabelece o teto dos gastos públicos.

Levantamento do Gran Cursos Online aponta que áreas importantes enfrentam falta de pessoal superior a 44 mil vagas. Apenas no Banco Central, de acordo com os dados, a carência é de 2.283 pessoas. Na Câmara dos Deputados, faltam preencher 417 funções.

No Senado, a lacuna chega a 1.090. Na Polícia Federal, 6 mil. Na Polícia Rodoviária Federal, são 3 mil. Na Agência Brasileira de Inteligência (Abin), faltam mil pessoas. Nos Correios, 20 mil. Na Polícia Militar do Distrito Federal, 2 mil.

Na Secretaria de Educação do Distrito Federal, 7.911 servidores. E na Câmara Legislativa do DF, 389, para citar alguns casos.

Comentário

Por mais de quatro horas os presidentes dos três Poderes da República, Michel Temer, do Executivo, Cármen Lúcia, do Judiciário, e Renan Calheiros, do Legislativo, estiveram reunidos nesta sexta-feira (28) no Palácio do Itamarati, sede do Ministério das Relações Exteriores, onde ouviram um diagnóstico da segurança pública do país e discutiram soluções.

Ficou decidido que um novo Plano Nacional de Segurança Pública focará na redução dos assassinatos e da violência contra a mulher, na modernização do sistema penitenciário e no combate aos tráficos de pessoas, drogas e armas, além do contrabando nas fronteiras. O plano será anunciado após o aval dos governadores, com quem o ministro da Justiça deverá se reunir.

O presidente do Senado, Renan Calheiros, defendeu a investigação de denúncias de que o crime organizado teria financiado campanhas de políticos. Para ele, a reunião sobre segurança foi exitosa e deve ser parte de um esforço permanente.

- A reunião foi muito boa, produtiva e precisa ser repetida - disse Renan.

Além de Renan Calheiros, participaram da reunião os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Claudio Lamachia, o ministro da Justiça, Alexandre Moraes, o diretor da Polícia Federal, Leandro Daiello, além dos ministros das Forças Armadas.

O presidente Michel Temer anunciou a criação de um grupo de trabalho com representantes dos três Poderes e do Ministério Público. A cooperação, segundo ele, evitará o desperdício de recursos públicos em momentos de crise.

Baseado em decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), Temer anunciou liberação de recursos para o sistema carcerário.

- Já liberamos R$ 780 milhões. E o Fundo de Segurança Pública será usado para o aprimoramento e a construção de penitenciárias. - afirmou Temer.

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse que a segurança pública passa agora a ser prioridade de todos os Poderes.

- Temos propostas no âmbito do Legislativo, do Judiciário, do Executivo e da Procuradoria-Geral da República abrangendo temas como drogas, armas, fronteiras, crimes, processos e Código Penal. - afirmou Jungmann.

Homenagem

Ao final da reunião, o presidente do Senado, Renan Calheiros, rendeu homenagens à presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia. Elas ocorreram para dar fim a uma troca de declarações intensas entre eles em consequência da Operação Métis da Polícia Federal, que apurou denúncia de que a Polícia do Senado supostamente teria agido para atrapalhar a operação Lava Jato.

Ao explicar que são rotineiras e estão dentro da lei as varreduras contra grampos feitas por policiais legislativos nas residências de senadores, Renan Calheiros alegou que qualquer investigação relacionada ao Senado ou a parlamentares precisa de autorização do Supremo devido ao foro privilegiado. Tanto que o ministro Teori Zavascki suspendeu a Operação Métis até uma palavra final do Plenário da Corte. Na ocasião da detenção de quatro policiais já soltos, Renan Calheiros criticou o juiz Vallisney Oliveira, que autorizou a Operação Métis. Em resposta, Cármen Lúcia pediu respeito ao Judiciário e disse que uma ofensa dirigida a qualquer magistrado é uma ofensa contra ela.

Após o encontro dos dois, Renan Calheiros destacou o caráter da presidente do Supremo Tribunal Federal.

- Aproveitei a oportunidade para dizer que tenho muito orgulho e um orgulho que levarei para a minha vida de ser presidente do Congresso Nacional no exato momento em que a ministra Cármen Lúcia é presidente do Supremo Tribunal Federal. Ela é, sem dúvida nenhuma, o exemplo do caráter que precisamos e que identifica o povo brasileiro.

O presidente Michel Temer, que manifestou apoio à reclamação de Renan Calheiros quanto à competência do Supremo e não da Justiça de primeira instância para autorizar investigação relacionada a senadores, declarou que os três Poderes manterão a convivência harmônica.

- O clima é de harmonia absoluta e de responsabilidade. Todos nós, aliás, voltados para esse tema que preocupa o Estado brasileiro - disse Temer.

Comentário

Festa de emissora de rádio acabou de maneira trágica, ontem, na cidade de Paranaíba. Depois de agredir convidada que se quer conhecia, Osmair Geanderson Santos Machado, 27 anos, foi assassinado a facadas. Irmão da mulher, identificado como Marcos Martins do Nascimento, também de 27 anos, é apontado como autor do crime.

O Portal Correio do Estado publicou que a informação inicial apurada por investigadores é que Osmair estava embriagado e há algum tempo procurava confusão. Em determinado momento, ele teria xingado e agredido convidada da festa quando ela seguia ao banheiro.

Para policiais, a mulher disse que não conhecia Osmair e que a agressão foi praticada sem motivo. Ainda de acordo com informações, ao ver a irmã sendo atacada, Marcos partiu para cima de Osmair com golpes de faca.

O rapaz chegou a ser levado para a Santa Casa da cidade, contudo não resistiu aos ferimentos. O autor do assassinato fugiu.

Página 979 de 1253
  • roze

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014
E-mail: douranews@douranews.com.br

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus