Timber by EMSIEN-3 LTD
  • semeadura
  • Dnews Whats
Redação Douranews

Redação Douranews

A Secretaria estadual de Saúde distribuiu doses da vacina contra HPV, como parte da Campanha de Mobilização e Comunicação para a Vacinação do Adolescente contra HPV, para as secretarias municipais de saúde dos 79 municípios de Mato Grosso do Sul.

A expectativa é de vacinar em todo o Brasil 9,7 milhões de meninas de 9 a 14 anos e 10,8 milhões de meninos de 11 a 14 anos. Para garantir a vacinação deste público, o Ministério da Saúde investiu R$ 567 milhões na aquisição de 14 milhões de vacinas. A vacina HPV é eficaz e protege contra vários tipos de cânceres em mulheres e homens.

Em Mato Grosso do Sul tomaram a primeira dose da vacina em 2018, 7,86% das meninas de 9 a 14 anos e 9,85% dos meninos de 11 a 14 anos.

Segundo estudo realizado pelo projeto POP-Brasil em 2017, a prevalência estimada do HPV no Brasil é de 54,3 %. O estudo entrevistou 7.586 pessoas nas capitais brasileiras. Os dados da pesquisa mostram que 37,6 % dos participantes apresentaram HPV de alto risco para o desenvolvimento de câncer.

O estudo indica ainda que 16,1% dos jovens tem uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) prévia ou apresentaram resultado positivo no teste rápido para HIV ou sífilis. Os dados finais deste projeto serão disponibilizados no relatório a ser apresentado ao Ministério da Saúde até o fim do ano.

Comentário

O candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) foi transferido na manhã deste domingo (16) para uma unidade de cuidados semi-intensivos, segundo boletim divulgado pelo Hospital Israelita Albert Einstein. Ele recebeu alta da UTI (Unidade de Terapia Intensiva), onde estava desde quarta-feira (12), quando foi submetido a uma cirurgia de emergência para tratar uma aderência que obstruía o intestino delgado.

De acordo com o comunicado, a evolução de Bolsonaro é boa e ele continua sem febre. A alimentação ainda está sendo feita por via endovenosa. O candidato está sendo submetido a medidas de prevenção de trombose e fisioterapia respiratória e motora.

Bolsonaro sofreu uma facada durante ato de campanha no último dia 6, em Juiz de Fora (MG). Após ter sido atendido na Santa Casa da cidade, onde chegou a passar por uma primeira cirurgia, ele foi transferido, a pedido da família, para o Hospital Albert Einstein, na capital paulista, na manhã do dia 7, como relembra a Agência Brasil de notícias.

Comentário

Santos e São Paulo se enfrentam neste domingo (16), às 15 horas (de MS), na Vila Belmiro, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro. E os rivais paulistas chegam cheios de confiança para o confronto, conforme acompanha o Globoesporte.com.

O Santos vive o melhor momento na temporada – não perde há oito jogos e não toma gol em sete, somando todas as competições – e sonha em cavar uma vaga na Libertadores de 2019. O Peixe, no momento, tem 31 pontos. Esse, inclusive, será o primeiro clássico de Cuca desde o retorno ao Santos.

Para o tradicional clássico San-São, Cuca recebeu boas notícias: Carlos Sánchez, um dos principais jogadores do elenco, está recuperado de distensão muscular e vai para o jogo, e Felippe Cardoso, reforço mais recente, fica à disposição pela primeira vez. Lucas Veríssimo segue como baixa, com dores na coxa.

Já o São Paulo trava disputa acirrada pela liderança com o Internacional. Os dois times estão empatados com 49 pontos, mas os gaúchos levam a melhor no saldo de gols: 18 a 17.

SIGA O BRASILEIRÃO

Para o San-São, o Tricolor terá a volta do quarteto "NERD" (iniciais dos nomes) Nenê, Everton, Reinaldo e Diego Souza. Eles são responsáveis por 32 dos 64 gols do São Paulo na temporada. Reinaldo cumpriu suspensão diante do Bahia, e Everton se recuperou de um estiramento na coxa esquerda. Após ficar três partidas fora, o meia é o grande reforço para o clássico, de acordo com o portal esportivo.

Comentário

O ministro Sérgio Banhos, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), rejeitou neste sábado (15) um pedido do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva para gravar áudios e vídeos para a propaganda eleitoral de dentro da prisão. Em julho, a juíza Carolina Lebbos, responsável pela execução da pena dele na Operação Lava Jato, já havia negado o pedido de Lula para gravar áudios e vídeos na cadeia.

A defesa de Lula pediu, então, para que o TSE declarasse o direito de Lula de fazer as gravações. Mas o ministro Sérgio Banhos determinou que a decisão não cabe à Justiça Eleitoral, por entender que o assunto tem que ser decidido pelo juízo responsável pela execução da pena do ex-presidente

"O que pretendem os requerentes escapa à competência da Justiça Eleitoral, que estaria se imiscuindo em assunto de competência do Juízo da Execução, responsável pela administração de todas as questões pertinentes ao cumprimento pena", decidiu Sérgio Banhos, conforme repercute o portal G1.

Comentário

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) divulgou nova parcial da prestação de contas dos candidatos à Presidência da República neste sábado (15) e, conforme a Agência Brasil de notícias, Geraldo Alckmin (PSDB) foi o que obteve maior arrecadação até o momento.

O tucano levantou R$ 46,4 milhões. Do montante, R$ 46,26 milhões (97,8%) foram oriundos do Fundo Eleitoral. O financiamento coletivo do candidato representou 0,08% das verbas arrecadadas. Todas as informações podem ser conferidas no portal do Tribunal, pelo sistema de divulgação de candidaturas e contas eleitorais.

A segunda maior arrecadação foi a do candidato Henrique Meirelles (MDB), que declarou R$ 45 milhões em receitas até o momento. Todo o recurso veio de fontes próprias, ou seja, do próprio candidato, segundo a publicação.

A terceira maior declaração foi a do PT, cuja candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva foi substituída por Fernando Haddad. Foram movimentados R$ 20,6 milhões em receitas. A quase totalidade, R$ 20 milhões (97,1%), veio do Fundo Eleitoral. Por meio de financiamento coletivo foram arrecadados R$ 598 mil.

Ciro Gomes (PDT) vem na quarta posição, com R$ 16,1 milhões recebidos, todo do Fundo Eleitoral. Marina Silva arrecadou R$ 7,2 milhões. Da soma de verbas, R$ 6,1 milhões vieram de doações do Fundo Eleitoral; R$ 260 mil foram de financiamento coletivo e o restante de 21 doadores.

Álvaro Dias (Podemos) declarou ter recebido R$ 5,2 milhões. Deste total, R$ 3,2 milhões (62,5%) foram oriundos do Fundo Eleitoral e 37,9% de doações diversas. A iniciativa de financiamento coletivo do candidato representou apenas 0,63% do total.

Guilherme Boulos (PSOL) recebeu até agora R$ 5,99 milhões, sendo R$ 5,97 milhões provenientes do Fundo Eleitoral. O restante foi arrecadado por meio de financiamento coletivo. João Amoêdo (Novo) recebeu até o momento R$, 2,6 milhões. Deste total, R$ 1,2 milhão foi recebido do Fundo Eleitoral; R$ 308 mil de financiamento coletivo e o restante de doadores.

José Maria Eymael (PSDC) levantou R$ 849 mil do Fundo Eleitoral e Jair Bolsonaro (PSL) arrecadou R$ 688,7 mil. Desse total, quase a metade foi proveniente do Fundo Eleitoral (R$ 334,75 mil). Outra parcela de R$ 332,8 mil foi obtida por meio de financiamento coletivo.

Vera Lúcia (PSTU) declarou receitas no valor de R$ 401 mil, praticamente toda oriunda do Fundo Eleitoral. A candidatura levantou apenas R$ 1,8 mil por meio de financiamento coletivo. João Goulart Filho (PPL) levantou R$ 231,8 mil, sendo R$ 230 mil do Fundo Eleitoral e o restante R$ 1,8 mil de financiamento coletivo.

Comentário

Os trabalhadores com direito ao abono salarial do ano-base 2017, data de nascimento no mês de setembro e final de inscrição 2 (na categoria servidores públicos), já podem sacar o valor do Pis-Pasep, conforme calendário divulgado pelo Ministério do Trabalho.

No total, 279,5 mil pessoas têm direito ao benefício e os dois primeiros lotes de 2018 totalizaram um pagamento de R$ 40 milhões para 55,2 mil trabalhadores sul-mato-grossenses. Este valor representa 16,4% dos beneficiários identificados.

O terceiro lote do Abono Salarial ano-base 2017 prevê o pagamento de R$ 1,4 bilhão para 1,9 milhão de trabalhadores em todo o País. Até o final deste ano, serão liberados os pagamentos para nascidos entre julho e dezembro. O saque para quem nasceu de janeiro a junho será feito no ano que vem.

O prazo final para todos os trabalhadores é 28 de junho de 2019. No total, podem ser pagos R$ 18,1 bilhões a 23,5 milhões de trabalhadores. Tem direito ao abono salarial ano-base 2017 quem estava inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos, trabalhou formalmente por pelo menos 30 dias em 2017 – com remuneração mensal média de até dois salários mínimos – e teve seus dados informados corretamente pelo empregador na Rais (Relação Anual de Informações Sociais).

Comentário

A Caixa Econômica Federal realizou neste sábado (15) o concurso 2.078 da Mega-Sena. Os números sorteados foram: 02 - 11 - 15 - 30 - 36 – 39 e ninguém acertou as seis dezenas.

O prêmio ficou acumulado para o próximo sorteio, de quarta-feira (19), em cerca de R$ 5 milhões.

A Quina teve 26 apostas ganhadoras e cada uma levou R$ 58.827,22.1. Outras 2.715 pessoas acertaram a Quadra, com prêmio de R$ R$ 804,79 para cada.

Comentário

Um carregamento com 3.500 quilos de maconha foi apreendido pela PM (Polícia Militar) na madrugada deste sábado (15), na saída de Ponta Porã sentido a Antônio João.

A droga estava sendo levada em um caminhão baú que seguia pelo lado paraguaio da rodovia MS 164 e foi abordado assim que adentrou o território brasileiro, por Ponta Porã.

O motorista desceu do veículo e fugiu para o Paraguai assim que percebeu a presença da Polícia.

Comentário

O Juiz de Direito Marcus Vinícius de Oliveira Elias, da 2ª Vara Criminal da Comarca de Dourados, acatou pedido do MPE (Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul) e condenou mais oito pessoas denunciadas pela Operação Uragano, desencadeada pela Polícia Federal entre os anos de 2009 e 2010, e que atingiu o núcleo central da gestão do então prefeito Ari Artuzi e o vice-prefeito Carlinhos Cantor, resultando ainda na prisão de nove vereadores à época.

No total, 60 pessoas foram denunciadas, incluindo o então prefeito, que morreu em agosto de 2013 em consequência de câncer no estômago, vereadores, secretários municipais, servidores de empresas e prestadores de serviços do Município, ganhando volume tal que a ação penal originária foi desmembrada em outros oito processos. Essa é a terceira decisão no caso da Operação Uragano, segundo informa a assessoria do MPE.

Em relação à denúncia de corrupção na gestão do Hospital Evangélico, uma das partes da ação desmembrada. Eliézer Soares Branquinho e Marco Aurélio de Camargo Areias, diretores da unidade hospitalar na época em Dourados, foram condenados às penas de 19 anos, 9 meses de reclusão e 355 dias-multa.

Já ao empreiteiro de obras Geraldo Alves de Assis, arrolado no caso Planacon, foi proferida pena de 22 anos, nove meses e 10 dias de reclusão e 435 dias-multa; Márcio José Pereira, do caso Tecno Byte, foi condenado a seis anos de reclusão e 60 dias-multa; a Gilberto de Andrade, do caso Central Armas, também coube seis anos de reclusão e 60 dias-multa; o empreiteiro José Antônio Soares foi condenado, no caso MS Construtora, a 17 anos, seis meses e 20 dias de reclusão e 287 dias-multa; e os diretores da empresa de transporte coletivo de Dourados, Paulo Roberto Saccol e Marcelo Minbacas Saccol, arrolados no caso Medianeira, foram condenados a 19 anos, nove meses de reclusão e 355 dias-multa.

O engenheiro Paulo Roberto Nogueira, relacionado no caso do Hospital Evangélico, e que era o superintendente da unidade no período inicial das investigações, foi absolvido.

De acordo com a sentença, as penas que ultrapassam a 127 anos de reclusão, deverão ser cumpridas inicialmente em regime fechado, conforme consta dos Autos 0200078-48.2010.8.12.0002 da ação que provocou grande repercussão à época em todo o País.

Mais condenados

Em agosto deste ano o juiz Luiz Alberto de Moura Filho, da 1ª Vara Criminal de Dourados, já havia acatado pedido do MPMS e condenado outros quatro denunciados pelos crimes de falsidade ideológica, corrupção ativa, peculato, e tráfico de influência. Todas as condenações foram em regime semiaberto. Em junho de 2016 a primeira condenação foi proferida pela 1ª Vara Criminal de Dourados, os pedidos de condenação foram parcialmente atendidos, condenando-se sete dos réus pela prática de crimes de corrupção ativa e/ou passiva) e absolvidos da acusação de associação criminosa.

Foram sentenciados os empresários Nerone Maiolino Júnior, condenado a cinco anos de prisão e mais 66 dias-multa; Celso Dal Lago Rodrigues, a quatro anos e oito meses de reclusão, além de 61 dias-multa; Edson Freitas da Silva, cuja pena somou três anos e seis meses de reclusão, e 46 dias-multa; Eduardo Uemura, a três anos de reclusão e 40 dias-multa; Marcelo Marques Caldeira, três anos de reclusão e 40 dias-multa. Além desses, o advogado Áureo Garcia Ribeiro Filho, condenado a três anos de prisão e 40 dias-multa e o ex-assessor parlamentar Rodrigo Ribas Terra, cuja pena totalizou oito anos e 20 dias de reclusão, além do pagamento de 63 dias-multa.

A Uragano

A Operação Uragano (Furacão, em italiano) foi deflagrada entre os anos de 2009 e 2010, e teve por objetivo desmantelar organização composta por agentes políticos, funcionários públicos e empresários, com ramificação nos Poderes Executivo e Legislativo de Dourados, que – conforme o relato do MPE – “se uniram de forma organizada, sistemática e reiterada para o cometimento de diversos crimes contra a Administração Pública, dentre eles, os de corrupção ativa, passiva e fraude à licitação, com o pagamento de vantagens indevidas a agentes públicos associados ao esquema, além do favorecimento de pessoas e empresas mediante direcionamento e fraudes em licitações para aquisição de bens ou serviços, execução de obras para o Município, ou mediante oferecimento de outras formas de vantagens indevidas em benefício de interesses puramente privados”.

Atuaram no processo os Promotores de Justiça Amilcar Araujo Carneiro Junior, Cláudia Loureiro Ocariz Almirão, Cristiane Amaral Cavalcante, Izonildo Gonçalves de Assunção Júnior, Luiz Gustavo Camacho Terçariol, Paulo César Zeni e Ricardo Rotunno.

Comentário

O Cones (Conselho Nacional de Educação Superior) do Paraguai aprovou, nesta semana, a inserção de 81 novos cursos no Registro Nacional de Ofertas Acadêmicas, Cadastro de Carreiras de Graduação, Programas de Graduação e Pós-Graduação de Instituições de Ensino Superior, abrangendo seis instituições do País, entre elas a UCP (Universidad Central Del Paraguay). A sessão foi comandada pelo presidente do Conselho, Hildergardo Gonzales Irala.

Os 81 cursos que ingressaram no Cadastro Nacional de Ofertas Acadêmicas receberam o parecer favorável do meio acadêmico, jurídico, econômico e de infraestrutura do Conselho, após terem cumpridos todas as exigências necessárias para suas implementações.

De acordo com o diretor UCP, Karlos Bernardo, este reconhecimento vem coroar todo o trabalho que a instituição vem realizando ao longo dos últimos anos. “Estamos levando a educação superior à sério e este reconhecimento do CONES mostra que estávamos certos quando optando por este caminho e a meta agora é continuar prestando um ensino superior de qualidade para nossos acadêmicos e para a sociedade paraguaia”, disse ele.

CONES ucp

Membros do Conselho Nacional de Educação Superior paraguaio, em Assunção

Outras

Também tiveram reconhecimentos a Universidad Nacional de Asunción (UNA), Universidad Metropolitana de Asunción (UMA), Universidad del Norte (UNINORTE), Universidad Católica “Nuestra Señora de la Asunción” (UCA) e a Universidad San Lorenzo (UNISAL).

Comentário

Página 8 de 1060
  • Unimed 38
  • kikao esquenta

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014
E-mail: douranews@douranews.com.br

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus