Timber by EMSIEN-3 LTD
Quarta, 12 Janeiro 2011 15:54

Palocci pede a aliados que manifestem apoio a mínimo de R$ 540

Escrito por Redação Douranews/ com Estadão

Nos últimos dias os ministros da Casa Civil, Antônio Palocci, e das Relações Institucionais, Luiz Sérgio, entraram em campo para pedir que a base aliada se manifeste publicamente a favor do reajuste do salário mínimo definido pelo governo, relatou uma fonte.

Palocci, por exemplo, falou com o PP e pediu que o partido se manifestasse a favor da proposta do governo e afirmou que a equipe econômica trabalha para conceder um aumento maior que os R$ 540 estipulados na medida provisória assinada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

No dia 30 de dezembro, a MP assinada por Lula usava como reajuste 5,88% para o salário mínimo, elevando seu valor de R$ 510 para R$ 540. Contudo, o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) de 2010, usado no cálculo para o aumento, ainda não estava completamente apurado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O INPC fechado ficou em 6,47%, o que elevaria o salário mínimo para R$ 543. Com isso, a presidente Dilma Rousseff teria a possibilidade de arredondar o valor para R$ 550, segundo adiantou na semana passada um ministro que pediu para não ser identificada.

Nas conversas com os aliados, os ministros não citam valores para o reajuste final do salário mínimo, mas pedem apoio político para a presidente que está começando o mandato. Os pedidos de Palocci ao PP resultaram numa nota divulgada nesta quarta-feira pelo partido.

"Historicamente, os aumentos concedidos ao salário mínimo recebem críticas, pois são considerados insuficientes por quem ganha e prejudiciais às contas públicas por quem concede. O Partido Progressista confia na condução da presidenta Dilma Rousseff e na decisão da equipe econômica do governo sobre o aumento do salário mínimo", diz a nota do PP, assinada pelo deputado João Pizzolatti (SC).

O PP acrescentou ainda que a bancada "votará unida o valor estipulado pelo governo".

"Considero normal essas conversas, porque somos da base aliada e temos que demonstrar claramente o apoio ao governo. É importante que a presidente Dilma tenha o apoio de todos os aliados," disse Pizzolatti.

Nesta quarta-feira, Luiz Sérgio reuniu-se com o líder do PDT, deputado Paulo Pereira da Silva (SP), o Paulinho da Força, e sentiu pressão em sentido contrário.

O parlamentar, que também preside a Força Sindical, disse que o governo precisa negociar. As centrais sindicais querem que o mínimo seja reajustado para R$ 580.

"O governo está se fazendo de morto para pegar o coveiro. Sem negociação, o ônus político do veto fica com a Dilma", disse.

  • Vitoria

O Tempo Agora

  • mascaras
  • unigran novo

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis