Timber by EMSIEN-3 LTD
  • unigran 2018
Redação Douranews

Redação Douranews

Continua em vigor o período de vazio sanitário da soja, quando fica proibido o cultivo da leguminosa em Mato Grosso do Sul. O objetivo é reduzir a quantidade de esporos da ferrugem durante a entressafra diminuindo a possibilidade de incidência da doença.

Além de não plantar o grão, os produtores devem eliminar todas as plantas voluntárias – conhecidas como guaxas ou tigueras – nas propriedades, seja por meio de processos mecânicos ou químicos, e antes de plantar, ficar atento ao prazo de cadastramento das áreas onde será feito o cultivo da soja.

Esse cadastro é obrigatório e os dados recebidos são mantidos no banco de informações da Iagro, a Aência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal, servindo de base para identificar o total de área plantada, prevenir os agricultores vizinhos quando houver foco da ferrugem por meio de alerta sanitário, além de facilitar as atividades da equipe da Iagro.

A medida preventiva é uma estratégia de manejo para reduzir o inóculo nos primeiros plantios, diminuindo a possibilidade de incidência de ferrugem asiática no período vegetativo e, consequentemente, reduzindo o número de aplicações de fungicidas e o custo de produção. O período de 90 dias foi estabelecido considerando que o tempo máximo de sobrevivência dos esporos no ar, de 55 dias, vai fazer vigorar o vazio sanitário em MS até o dia 15 de setembro.

O descumprimento das normas nesse período, de acordo com a lei, pode implicar em autuação da Iagro e multa de até mil UFERMS, a Unidade Fiscal Estadual de Referência de Mato Grosso do Sul. A unidade teve seu valor estabelecido para o mês de junho em R$ 24,66. Para sanar quaisquer dúvidas e prestar maiores esclarecimentos a Agência coloca à disposição do produtor o telefone 0800 647 2788.

Comentário

Uma mulher de 28 anos e um homem de 33 foram rendidos por três bandidos na noite desta quarta-feira (18), em Campo Grande. Os assaltantes roubaram um televisor, um computador, documentos e o carro da vítima.

Segundo informações do boletim de ocorrência, o casal se despedia na frente da residência localizada no bairro Vilas Boas quando foi rendido. Os assaltantes entraram com as vítimas na casa e dois deles fizeram o homem ficar deitado na grama, enquanto que o terceiro revistou a bolsa da mulher e depois a trancou no banheiro e a amarrou com fitas.

Os bandidos apontaram arma para a cabeça do homem e perguntaram se havia um cofre e armas na casa. Ele respondeu que não tinha e nisso o alarme da casa e do carro dispararam porque um dos assaltantes apertou botões errados. A vítima desarmou o alarme, a pedido dos suspeitos, enquanto um deles pedia para que outro agisse com calma, conforme relato do homem.

Ainda conforme relatos das vítimas à polícia, ambas foram levadas à área de serviço, onde foram trancadas. Os bandidos fugiram e a mulher, que havia escondido o celular e a chave do carro no corpo, conseguiu ligar para outro morador da casa, e este avisou um vizinho, que ajudou a libertar o casal. A Polícia procura pelos assaltantes

Comentário

Um evento que já faz parte do calendário oficial do município tem aumentando o número de participantes. A 4ª Expofest Car, que aconteceu no domingo (15), no Parque de Exposição de Dourados, um projeto do vereador Jânio Miguel (PR), aprovado pela Câmara de Dourados, tem se tornado um tradicional evento beneficente no município que envolve exposição de carros rebaixados.

De acordo com o vereador, a grande festa tem contribuído diretamente com entidades filantrópicas que recebem a doação de toneladas de alimentos que são arrecadados todos os anos. “O evento tem ganhado força não somente pelas atrações, mas sim, pela possibilidade de ajudar ao próximo através de doações de alimentos”, explica.

Segundo o organizador Cézar Leal, conhecido como Cézinha Expofest Car, o evento tem como objetivo reunir famílias e amantes de carros rebaixados em prol à solidariedade. Esse ano participaram cerca de 1.700 pessoas e foram arrecadados mais de 1.600 quilos de alimentos não perecíveis e doados à Associação de Reabilitação Novo Olhar, entidade filantrópica presidida pelo pastor Manoel Aparecido Pereira, que há mais de 10 anos desenvolve um forte trabalho social com a ressocialização de pessoas egressas do sistema prisional, a recuperação de pessoas retiradas das ruas em estado de vulnerabilidade e miserabilidade, auxiliando-as em moradia, alimentação, saúde, recolocação no mercado de trabalho e reinserção na sociedade.

Atualmente estão inseridas no programa 40 pessoas que diariamente cumprem com um rigoroso cronograma de convivência por meio de laborterapia, estudos bíblicos e acompanhamento psicológico com acadêmicos da Universidade Anhanguera.

Leal ainda explica, que além do objetivo filantrópico, o evento é bem organizado: “não há venda de bebidas alcoólicas, som alto ou manobras radicais, o intuito é a solidariedade por meio da paixão e curiosidade das pessoas pelos carros modificados, onde os entusiastas investem mais de R$ 15 mil reais em personalização e modificação de peças em seus veículos”.

O vereador Jânio afirma que a 4º edição teve um saldo positivo e que para 2019 o alvo é aumentar o número de participantes e, consequentemente, a quantidade de alimentos doados. (Com assessoria)

Comentário

A polícia do Estado procura por uma quarta pessoa que estaria ernvolvida na tentativa de roubo a uma aeronave, na madrugada desta quarta-feira (18), na fazenda Pesqueiro Santo Antônio, em Aquidauana, em ação que resultou na morte de dois suspeitos durante troca de tiros. De acordo com o comandante do Batalhão de Choque da Polícia Militar, Marcus Pollet, o meio usado pela dupla indica que mais uma pessoa chegaria ao local para pilotar o avião.

"Os meios usados são bem parecidos com os que uma quadrilha praticou durante o roubo de uma aeronave em Coxim, ou seja, tudo indica que eles renderiam o funcionário ou até o dono da fazenda, até a chegada do piloto", afirmou o comandante ao jornal Campo Grande News.

O terceiro suspeito de integrar a quadrilha responsável pela ação, José Carlos Neto Cabreira, foi preso em um hostel do bairro Universitário, na Capital, e confessou ter articulado o crime. Segundo ele, os suspeitos mortos haviam sido contratados por ele para a realização do trabalho.

Já quanto ao piloto, as investigações irão apontar como seria a participação dele na ação. "É preciso esclarecer a participação de um piloto para entender se ele sabia que se tratava de um crime", complementa Pollet. Ainda segundo o comandante, a dupla suspeita já manuseava a aeronave no momento da abordagem policial.

De acordo com denúncia anonima recebida pela Polícia, um homem identificado como “Zé Paulo” (possivelmente José Carlos Cabreira) estaria simulando a negociação e, de acordo com a PM, chegou a oferecer R$ 500 mil pelo avião. De posse dessa informação, policiais passaram a monitorar o caseiro da fazenda e o sobrinho dele e viram quando, por volta das 6h20 desta quarta um automóvel Gol (cor prata) chegou ao local. Dois indivíduos desceram e começaram a verificar os aviões.

Foi quando os policiais militares se aproximaram e, ao perceberem o flagrante, os suspeitos começaram a atirar. A equipe do Choque revidou, ferindo Donizeti e Rosival, que foram socorridos, mas faleceram no Hospital Regional. Cada um deles tinha um revólver calibre .38.

Comentário

As equipes da Semop (Secretaria municipal de Obras Públicas) mantém os trabalhos de recuperação das ruas no Jardim Vitória I e II, e na região do bairro Laranja Doce, proporcionando outro aspecto nas vias que há mais de uma década e meia carecem desse serviço, motivo de muita reclamação por parte dos moradores.

Depois das ações de patrolamento das ruas, com a eliminação das crateras e adequação das vias para receber o material, foi iniciada a fase da aplicação de fresa de asfalto. Os bairros da região nordeste de Dourados são a primeira área a ser contemplada com as ações de cascalhamento que devem se estender para outras regiões da cidade.

O Jardim Vitória, localizado aos fundos do bairro Canaã I, nas imediações do Seminário Batista e da Unei, tem sido constantemente mencionado pela prefeita Délia Razuk como prioridade para ações de recuperação das ruas. “Estamos contentes de poder recuperar estas áreas que sofrem há tantos anos. Temos trabalhado para que os caminhos se abram e muita coisa tem sido melhorada”, disse a prefeita.

Nesta quarta-feira (18), o secretário Tahan Sales Mustafa vistoriou as obras e destacou a melhoria nas ruas com a aplicação da fresa de asfalto e disse que o trabalho segue por todo o bairro. A obra é realizada pela Terpav, com recursos do município. “Depois de tanta espera, a recuperação acontece com pouco mais de 1 ano e meio da atual administração. Tem muito mais para fazer e estamos empenhados”, disse.

Depois de 16 anos, segundo moradores, as intervenções que também eram cobradas no ano passado, entraram no cronograma de recuperação e foram iniciadas até que sejam conquistadas verbas para a drenagem e a pavimentação do local.

Recentemente, em conversa da prefeita com membros do Congresso Nacional, foi encaminhada parceria para que haja interlocução junto ao Ministério das Cidades, por onde tramitam projetos de captação de recursos da ordem de R$ 30 milhões, pleiteados por Dourados para implementar o programa Avançar Cidades, que vai permitir a realização de ações de drenagem e pavimentação asfáltica em várias localidades, entre elas o Jardim Vitória I e II.

Segundo o secretário, esta é a primeira ação de recuperação das ruas dentro do perímetro urbano. Como amplamente divulgado, a Semop tem recuperado as estradas vicinais nas regiões de área rural e feito um trabalho em locais que não recebiam intervenções há muito tempo, de acordo com a assessoria de comunicação do Município.

Comentário

Dourados já atingiu 98% da titulação em nível superior aos profissionais que participam dos últimos concursos para o grupo Magistério, em cumprimento às metas de 15 a 18 do PME (Plano Municipal de Educação). Estão fora desses índices apenas os docentes que atuam nas escolas da Reserva Indígena, amparados por dispositivos da LDB (Lei de Diretrizes e Bases) da Educação, que ainda permite o nível médio em casos específicos.

“Nós trabalhamos em regime de colaboração”, com as instituições de ensino superior, principalmente, no cumprimento da meta que visa à capacitação de professores, defende a professora Ivanete Alves Nunes, coordenadora da CMMA (Comissão Municipal de Monitoramento e Avaliação) do PME no âmbito da Semed (Secretaria de Educação).

Nesse aspecto, da universalização da educação, o PME visa o atendimento de um conjunto de 20 metas e mais de 300 estratégias definidas para o cumprimento de exigências sintonizadas com o PNE (Plano Nacional de Educação), supervisionado pelo Ministério da Educação.

O principal obstáculo para que o conjunto de metas seja atendido, dentro do prazo decenal até 2024, é a EC (Emenda Constitucional) 95, de dezembro de 2016, promulgada pelo Congresso Nacional, que congela a aplicação de recursos orçamentários da União pelos próximos 20 anos, atingindo diretamente a Educação.

“Isso exige criatividade, capacidade de remanejamento de dotações e disposição dos gestores municipais, e até do Estado, uma vez que, com essa restrição do Governo, as Prefeituras, especialmente, precisam recorrer aos recursos da Fonte Zero, dentro da dotação orçamentária adequada às realidades locais, para manter os desafios”, considera a coordenadora da CMMA.

Ações

Entre as ações já executadas pelo Município, o PME leva em conta aspectos diferenciais como a formação continuada aos profissionais, estímulo à oferta do ensino fundamental, reforma e manutenção das escolas, promoção do acesso e permanência da escola, entre outras.

A preocupação da prefeita Délia Razuk, atualmente, é em atingir os 50% do objetivo proposto [até 2024] para a inserção do público-alvo de 0 a 3 anos de idade, nos Ceims (Centros de Educação Infantil); hoje, o Município contempla 32% dessa meta. A exigência de colocação nas escolas das crianças de 4 anos, estabelecida em 2016 para a Educação Infantil, atende atualmente 85% dessa população.

De acordo com o secretário municipal de Educação, Upiran Jorge Gonçalves da Silva, a prefeita Délia Razuk tem dado o suporte necessário para que sejam atendidas as especificações estabelecidas pelo PME. “A administração tem feito gestão para garantir o ensino de melhor qualidade, especialmente empossando os professores aprovados no concurso de 2016, com critérios de responsabilidade fiscal, mas, essencialmente, trabalhando para oferecer o Ensino Fundamental e das Séries Iniciais de alto nível”, diz. O Plano monitora a execução de prazos e metas até o Ensino Superior.

Comentário

Duelo entre o líder e o terceiro colocado do Brasileiro marca o retorno da competição nesta quarta-feira (18), quando os times prometem também apresentar estreias de reforços sul-americanos.

Após a pausa para a Copa do Mundo da Rússia, o Brasileirão retorna com importante clássico, envolvendo o líder Flamengo que recebe, às 20h45 (de MS), no Maracanã, o São Paulo, terceiro colocado.

A diferença é de apenas quatro pontos entre os times, que jogam pela 13ª rodada da competição. Outros quatro jogos animam a rodada: Vitória x Paraná, Corinthians x Botafogo, Grêmio x Atlético-MG eCeará x Sport Recife

Comentário

Considerada uma das mais belas espécies do Brasil, o Ipê-Amarelo (Handroanthus chrysotrichus) passa a ser árvore símbolo do Estado de Mato Grosso do Sul. É o que determina a Lei 5.228, publicada na edição do Diário Oficial desta terça-feira (17), de autoria do deputado estadual Renato Câmara (MDB).

Conforme a nova norma, a imagem da árvore Ipê-Amarelo deverá ser empregada em documentos oficiais, imagens publicitárias e peças de comunicação visual, quando o Governo do Estado tiver o propósito de divulgar as belezas e as características botânicas de Mato Grosso do Sul.

“O Ipê-Amarelo está presente em todos os municípios do Estado, sendo representado na arte e na vida de nossa população. A designação para representar o MS representa um estímulo à sua preservação”, destacou Câmara. Outra espécie histórica e valorizada é o Ipê Roxo.

Comentário

A Prefeitura de Dourados concluiu a construção da via paralela em frente ao portão de saída da loja do Assaí Atacadista, pela rua Coronel Ponciano. A ação atendeu solicitação do vereador Romualdo Ramim (PDT), apresentada no início do ano, durante sessão da Câmara.

O projeto foi estruturado pela Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), juntamente com as Secretarias de Obras Públicas e de Planejamento Urbano, e acordado pela equipe da rede atacadista.

Pouco antes da inauguração da loja, em novembro de 2016, na entrada do empreendimento foi implantada uma sinalização improvisada que confundia, mas direcionava os motoristas. Também foram colocadas placas de sinalização vertical, porém, apenas como medida paliativa.

No início de maio, Ramim esteve no local acompanhado do secretário de Obras Públicas, Tahan Sales Mustafa, e do diretor-presidente da Agetran, Carlos Fábio Selhorst dos Santos, que apresentaram o projeto técnico da obra, resultado da parceria firmada entre o Município e o empreendimento.

“Milhares de veículos trafegam diariamente pela Rua Coronel Ponciano e cada um estava sujeito a uma colisão naquele trecho. Ciente de que não era necessário esperar que mais acidentes acontecessem para tomarmos providências, solicitei as melhorias no local e agradeço a Prefeitura e ao Assaí pela parceria que resultou nesta importante obra”, disse Ramim.

O vereador também comemorou a celeridade do atendimento da solicitação. “Eu não tinha dúvida de que esta indicação feita pelo nosso mandato seria atendida. Dada a gravidade do problema, prontamente a prefeita Délia Razuk (PR) reuniu as pastas competentes com a direção do Assaí, firmou a parceria e a obra foi executada. Isso demonstra sensibilidade e preocupação com a segurança e a qualidade de vida dos douradenses”, disse.

A via paralela à rua Coronel Ponciano conta com 150 metros e junto com a nova sinalização, garante a segurança do tráfego tanto no acesso, quanto na saída da loja. (Com assessoria)

Comentário

Duas pessoas foram assassinadas por volta das 21 horas desta terça-feira (17) na região das Sitiocas Campo Belo e Ouro Fino, às margens da BR 163, próximo da Embrapa, em Dourados. Uma das vítimas foi identificada como Getúlio Vargas da Silva, de 38 anos. O crime é reivindicado por integrantes do PCC (o Primeiro comando da Capital), que tem fortes bases estabelecidas na cidade.

Conforme repercute o portal da rádio FM94, a Polícia apurou que um veículo Sedan de cor branca chegou no local e as pessoas que estavam nele entraram na casa onde estavam as vítimas. Logo em seguida, Getúlio foi atingido com dois tiros nas costas e dois perto da boca. Ele foi encontrado em cima de uma cama.

A outra pessoa morta, que ainda não foi identificada, foi atingida na barriga, no braço, na cabeça e pescoço. Logo após os disparos, segundo testemunhas, os suspeitos fugiram pelo fundo da residência onde ocorreu o homicídio. Antes de entrar no veículo, os autores disseram "Aqui é PCC, aqui é PCC", segundo o relato de testemunhas dos crimes.

Comentário

Página 1 de 987
  • mistura

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014
E-mail: douranews@douranews.com.br

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus