Timber by EMSIEN-3 LTD
  • Cassems vota
Manoel Afonso

Manoel Afonso

NA CAVERNA Após o desastre eleitoral de 2018 os dirigentes do PT e MDB daqui hibernaram talvez para reflexão da humildade. Haja chinelos! A redução das gordas mesadas do Fundo Partidário seria um dos motivos para cortar despesas e demitir funcionários de suas sedes. Os dois partidos vão demorar para se acostumarem sem as tetas que mamaram como sócios do Governo.

ESTRANHO Perguntei ao deputado Marcio Fernandes se ele teria pretensão de assumir o diretório do MDB. Evasivo, optou por uma resposta fragmentada passando a impressão de que o assunto não estaria na pauta ou a decisão passaria por outras lideranças. Pensando bem – MDB e PT – sofrem hoje o processo de rejeição pelo estigma de envolvimento na corrupção. Como diria o sábio televisivo ‘Sinhozinho Malta’: “Tô certo ou tô errado?”

MULETA O anúncio do eventual convite a senadora Simone Tebet (MDB) para sair candidata à prefeita da capital não é o antídoto contra o desânimo reinante. O fato dela presidir a CCJ do Senado não influi na recuperação do MDB no MS. A prioridade dela seria tentar compensar a palidez de seus primeiros 4 anos de mandato, cuja decepção foi proporcional à nossa expectativa (do colunista e eleitores). E mudar de partido não irá garantir-lhe a reeleição. E mais: a situação do ex-governador Puccinelli (MDB) – seu padrinho político - mais atrapalha do que ajuda.

PELAS BEIRADAS Nos corredores do poder comenta-se as próximas ações políticas de quem tem o governo nas mãos. Vários prefeitos estão sendo sondados para a troca de sigla partidária em direção ao PSDB. Aliás, no 2º turno em 2018 o candidato Reinaldo (PSDB) teve o apoio público de 9 prefeitos do MDB. No fundo, os prefeitos querem mais é resgatar suas promessas e para isso a ajuda do Governo do Estado é essencial. Sempre foi assim. Sem ilusões.

O RETRATO sem retoques. Os prefeitos contam com as emendas parlamentares para cumprir a agenda de governo. Com apenas 3 deputados estaduais, nenhum na Câmara Federal e só uma representante no Senado, os prefeitos do MDB sabem que terão pela frente um longo período de vacas magras. Argumento convincente para a troca de ‘camisa’.

AVISO aos ilustres que estão iniciando o mandato. O poder pode ser comparado àquela fatia quentinha do bolo da mamãe que saia do forno - que de tão gostoso comiamos rapidinho e quando menos se esperava tinha acabado. Ficavam apenas os ‘farelinhos’ no prato e na mesa, além daquele cheirinho no ar de quero mais.

O CENÁRIO político no início de legislatura é mesclado pela ansiedade daqueles que estão chegando ao poder e tristeza daqueles que foram embora. Contrariando a lógica, o desafio maior não é necessariamente o exercício do poder, mas sim reunir motivação gratificante de verdade para seguir em frente após ficar sem o poder. Eis a questão.

CONFISSÃO Nem sempre o que a mídia mostra é real. No poder há o bom caráter, o oportunista, o idealista, o escroto, o generoso, o mesquinho e outros tipos que se revelam longe da tribuna, holofotes e gabinetes. As fotos das imagens maquiadas nem sempre retratam a realidade. De alguma forma a comparação lembra os personagens do mundo artístico. Nem sempre o que parece é! Diz o ditado que devemos tratar bem as pessoas quando estamos na fase ascendente da vida, pois poderemos reencontrá-las quando estivermos escada abaixo.

ANONIMATO É o terror para quem se acostumou com a generosidade da mídia, fotos e as deferências de quem está no poder. Aquele ritmo estressante acabou. Acostumar-se com a bermuda, chinelo, camiseta e ir à padaria todas as tardes é angustiante. A falta de convites para eventos e a caixa vazia de correspondência incomodam personagens que foram influentes. A ficha demora a cair e às vezes vem o inconformismo raivoso.

CRUEL! Apesar da gorda conta bancária, o cérebro de muitos corre sério risco de se tornar um porão vazio. Nem sempre há quem se dispõe a ouvi-los sobre o passado e falta-lhes espaço ou ambiente favorável. Políticos sem poder, despreparados, lembram os ex-atletas e artistas que já tiveram seus momentos de glória e hoje poucos lembrados na mídia e reconhecidos na rua.

HENRY SOBEL: “Na vida, cada um leva sua carga de vícios e virtudes, de afetos e desafetos, até que se resolva por desfazer-se do que julgar necessário. A vida é feita de partidas e chegadas. De idas e vindas. Assim, o que para uns parece ser a partida, para outros é a chegada”. (da parábola contada pelo rabino Sobel por ocasião da morte do ex-governador de São Paulo Mario Covas)

COVARDE? Qual a justificativa da fama de solidário do brasileiro? O cotidiano mostra cidadãos omissos em acidentes e tragédias. Prefere-se fotografar e filmar cenas de desgraças a iniciativas de ajuda. Essa realidade está sendo focada pelo deputado federal Fabio Trad (PSD) no seu projeto penalizando mais forte o crime de omissão de socorro. (“Haverá tanta maldade que o amor de muitos vai esfriar” - Mateus 24:12).

NA MÍDIA A guerra pelo poder no PSL Estadual vai ficando interessante e ganhando espaço no noticiário. No centro a senadora Soraya Thronicke e ao redor os deputados Luiz Ovando (PSL) e coronel Davi (PSL). Cada qual com seus argumentos. Acho que essas diferenças internas podem revigorar o partido, mas sem provocar fissuras irreparáveis. O PT, por exemplo, soube conviver com suas diferenças internas. Mas, no caso do PSL, há muita ansiedade e a pressão sobe.

PUCCINELLI Começa o ano com péssimas notícias. Essa decisão da 3ª. Vara Federal de Campo Grande ampliando o bloqueio judicial de seus bens para R$ 76,711 milhões redimensiona a situação do ex-governador (MDB) no escabroso escândalo ‘Lama Asfáltica’ em sua 5ª. fase. O total atualizado do bloqueio de bens das empresas e cidadãos denunciados nesse processo atinge a R$ 101,767 milhões. Muito ou pouco?

MEMÓRIA Confira os valores de bens bloqueados dos outros 7 denunciados no mesmo processo: João R. Baird - R$ 5,501 milhões, Antonio Celso Cortez - R$ 4,968 milhões, João M. Cance - R$ 3,963 milhões, Itel Informática - R$ 4,930 milhões, Mil Tec tecnologia - R$ 570 mil, PSG Tecnologia - R$ 1,158 milhão e Congeo Construções - R$ 3,963 milhões. Imagine essa grana convertida em remédios!

REAÇÕES Em 2018 o Governo Estadual conseguiu o bloqueio de R$ 78,1 milhões de 18 réus da Operação Lama Asfáltica, quebra de sigilo bancário e repatriação de dinheiro desviado referente a obras mal feitas e superfaturamento na rodovia MS 430. Agora o Governo prepara outra ação para reaver o dinheiro aplicado na rodovia Juti-Iguatemi (MS 180) que derreteu na primeira chuva. Portanto, o chumbo é grosso.

REFLEXÃO Perder a Copa do Mundo para Cuiabá acabou sendo um bom negócio para nós. Deixamos de endividar o Estado com obras questionáveis. Até hoje Mato Grosso sente os efeitos negativos daquela aventura. O episódio, somado a outros casos de corrupção, jogaram o Estado na vala dos endividados. A situação é tal que o Tribunal de Justiça estuda o fechamento das comarcas de Nortelândia, Poxoréu, Arenápolis, Pedra Preta, Dom Aquino, Jucimeire e Itiquira.

MANCADA! Vamos perder a ligação cultural e um pouco afetiva com as placas de nossos carros com o advento das placas horrorosas do Mercosul. Ora, o nome da cidade é uma referência informativa insubstituível em qualquer situação! Esse vazio deverá dar espaço a iniciativa de identificar a cidade e Estado com adesivos próximos a placa ou no vidro traseiro do veículo. Anote: sentiremos saudades das placas com o nome da cidade. Em pouco tempo as placas vão virar ‘souvenir’ como já ocorre em outros países.

JOGADA CERTA Michel Temer (MDB) bem que poderia ter aprovado a reforma da previdência, mas faltou-lhe tato para adotar uma estratégia vitoriosa. Não usou a mídia para angariar o apoio dos brasileiros, que por sua vez poderiam ter pressionado os congressistas para aprovação. Agora Bolsonaro (PSL) joga certo e promete ir fundo na divulgação da necessidade de aprovação da reforma. Apesar dos entraves, a aprovação virá!

FACADA! O assunto nas rodas sociais é a tarifa de energia. Tema que se renova. No passado o então deputado Marcos Trad acabou se consagrando no comando de uma CPI exitosa. A Assembleia Legislativa sob o comando do deputado Paulo Correa (PSDB) cumpre suas atribuições convocando o pessoal da Energisa para o debate. Quanto aos resultados a gente sabe: dependerão de vários favores. E o país é Brasil!

“O país econômico está quase parado à espera da Previdência” (Vinicius T. Freire)

Comentário

BOM NEGÓCIO! Existem excelentes nichos de se ganhar dinheiro fácil. Melhor que comércio e profissões liberais. Um deles é tomar conta de índio. Dica usual: crie uma Igreja ou Organização Não Governamental (ONG) para cuidar de índios, ‘molhe a mão’ de um cacique, arrume um padrinho político em Brasília para aprovação do pedido e o dinheiro será liberado. Aliás, os petistas são profissionais na matéria.

A JOGADA Manter a tutela dos indígenas tem sido um baita negócio aos longo da República, sob desculpas esfarrapadas do pessoal dos ‘direito$ humano$’ e das ONG$ ‘ambientalistas’ brasileiras ou não. Ora, emancipando o índio ele irá cuidar de sua própria vida e assim integrando-se à sociedade. O que tem de branco sabido mamando nas terras das reservas indígenas não é brincadeira, inclusive no MS.

1-CORPORATIVISMO Advogados criminalistas não podem reclamar. Ganham muito defendendo políticos e empresários corruptos. Agora, ancorados na OAB chiam contra o ‘pacote’ de mudanças do Governo Federal. A OAB perdeu o pudor! Precisa ouvir as ruas onde o povo aplaude o ministro Moro da Justiça e está puto com a violência e impunidade. A OAB, sob pretexto de defender a democracia virou sucursal do PT e da esquerda. Ela precisa respeitar os profissionais com outra tendência política e de outras áreas jurídicas. Ora, a OAB não é feita apenas de criminalistas!

2-CORPORATIVISMO Idêntico absurdo da OAB ocorre em relação a tão esperada (pela sociedade produtiva) reforma trabalhista. Alheia à opinião da grande maioria da população, o seu presidente (do atraso) Cláudio Lamachia investe numa aventura junto ao STF contestando a reforma. Evidente, advogado não gera emprego; a empregada doméstica e a secretária, talvez. Enfim, a OAB aposta na reserva de mercado dos criminalistas e joga contra a modernidade do país. Como diria o locutor Galvão Bueno: “pode isso Arnaldo!?”

 

mapa TRIPÉ Observadores apontam a importância estratégica de 3 secretários nesta segunda gestão do governador Reinaldo (PSDB): Eduardo Ridel no núcleo do governo ou seja na SEGOV; o economista Jaime Verruck (oriundo do sistema FIEMS) na SEMAGRO e o vice governador e engenheiro Murilo Zauith (DEM) pilotando a poderosa máquina da Secretaria de Infraestrutura. Todos conscientes das cobranças futuras. Outra aposta do Governo é na melhora da comunicação social com a presença de Sergio Luiz Carvalho na relação com a mídia.

COMPARANDO Um empresário que atua aqui e no Mato Grosso é otimista quanto ao Governo de Reinaldo lembrando: “Embora tenha 141 municípios e com área superior a 9 milhões de hectares plantados em soja, contra menos de 3 milhões de hectares de Mato Grosso do Sul, a situação financeira do Estado vizinho é surpreendentemente muito pior do que a nossa e sem esperança de se recuperar a curto prazo”.

AFINADA Existem coisas que dão certo. Outras não. Na primeira situação coloco a Cassems que, se superando ano a ano sob a batuta de Ricardo Ayache, candidato único na eleição de 1º março. São mais de 50 mil associados no Estado com uma estrutura sólida: 5 hospitais, 14 centros odontológicos, 7 centros de diagnósticos, 4 centros de prevenção, 4 academias com parceiros e um centro integrado de Atenção Psicossocial. Não será por acaso a terceira reeleição com chapa única.

FATOR RENAN Ele é do MDB (velho e novo) que manda no Senado desde 2001 e dividiu poderes com PSDB e PT. Quem está no partido é produto do esquema que mandou no país, inclusive aqui. Sem inocentes! Ele perdeu - mas tem o PT, PSOL e a Rede ao seu lado na oposição, além de eventuais senadores que votaram com o Governo e que podem não acompanhá-lo nas reformas. O vencedor no Senado obteve só 42 votos e isso pode ser pouco em algumas votações. Infelizmente ele ainda dará trabalho.

SURPRESA? A votação do capitão Contar (PSL) surpreendeu, mas na Assembleia Legislativa ele já mostra talento, embora iniciante. No embate com o deputado Pedro Kemp (PT), passou a impressão de preparado para debater e que os discursos contra o Governo Federal serão contestados. Aliás na legislatura passada os petistas usaram e abusaram da tribuna para criticas sem apartes. Essa polarização acabará com a mesmice letárgica das sessões. Aleluia!

‘PARLAMENTO’ Sua etimologia vem do francês ‘parlement’ (falar – dialogar) e do latim ‘parole’ – derivado de parábola. Portanto, é no parlamento onde devem ser tratados sim de todos os assuntos que dizem respeito à sociedade. Daí que a abordagem de temas nacionais ou internacionais em debates do Legislativo estadual deve ser considerada bem-vinda. É melhor falar e opinar do que se omitir. E mais: afere a cultura, o preparo dos parlamentares.

CAFÉ AMIGO Não conhecia pessoalmente o deputado Marçal Filho (PSDB). Ignorei os seus predicados vocais de sucesso no rádio para analisar sua personalidade e bagagem política. De visão equilibrada na política, avesso a espetacularização de fatos, ele admite que essa experiência no legislativo estadual será benéfica, já que até aqui sua atuação ficou centrada praticamente na região da ‘Grande Dourados’. Sinal verde!

BAGAGEM Na política também é a somatória de qualidades. Vai da formação moral passando pelo preparo no exercício de cargos. Aí gostei da escolha do advogado e deputado Lídio Lopes para presidir a CCJ da Assembleia Legislativa, por onde passam obrigatoriamente todos os projetos. Outra escolha elogiosa é a do deputado José Carlos Barbosa (DEM) para a liderança do Governo na Casa. Atento e preparado no parlamento, repetiu o desempenho na Sejusp. Dois bons nomes em missões estratégicas.

CALMA!!! Evidente que em todo início de legislatura, principalmente quando os novatos são em bom número, ocorram reclamações pontuais. Também sobre isso os experientes deputados Londres Machado (PSD) e Paulo Corrêa (PSDB) tem visões idênticas, equilibradas. Ambos enxergam isso como fato natural e passageiro com a tendência de acomodação destes ou daqueles interesses dos parlamentares. Vida que segue.

ESTREANTES Em qualquer parlamento eles almejam imediata visibilidade na mídia. Natural que queiram mostrar serviço. Aliás, com o advento do celular-câmera, isso virou obsessão, como ficou evidenciado na eleição do presidente do Senado. Sempre digo nestas ocasiões que eles não conseguirão reformar o mundo e acabar com os vícios da política. Deve-se primeiro observar para integrar a ‘grande família’.

EXEMPLO O radialista Jorge Kajuru (PRT) eleito senador por Goiás com mais de 1 milhão e meio de votos, derrotando inclusive o ex-governador Marconi Pirillo (PSDB), tentou fazer estreia emblemática na eleição para a presidência do Senado. Ora, não era o momento adequado! Inconveniente, insistiu em discursar frente a mesa. Parlamentar tem que manter o padrão. Tudo bem que havia senador até com calça jeans, mas isso é outro problema – é de falta de classe.

CARNAVAL E CIA Com tanta exigência do Ministério Público Estadual, já se fala que o carnaval na capital seria pelo sistema ‘libras’. Silêncio total, para surdos e mudos. Aqui nada pode! Mas seria oportuno que o MPE já tivesse se atentado para os perigos que possam representar as barragens de resíduos aqui no Estado. Até aqui o direito ao sono se sobrepõe ao direito a vida e ao meio ambiente nas regiões destas barragens. Inverte-se as preocupações.

O DEPUTADO Fábio Trad ( PSD) – há algum tempo – abordou com propriedade e sutileza essa polêmica sobre o que pode e não pode principalmente pelo comércio em Campo Grande. Lembrou do aspecto social através de empregos e renda com a venda de produtos diversos. E fica a pergunta: porque em Corumbá e Cuiabá as coisas funcionam sem problemas? Pô, estamos vivendo num sistema radical, onde nada é permitido!

LEMBRETE Erra o presidente Bolnaro (PSL) em atritar com o vice presidente Gal. Mourão de Melo (PRTB). Isso costuma dar um azar danado. Lembra de Collor de Melo (PTC) que brigou com Itamar Franco (PSDB)? Deu no que deu. Outro caso foi de Dilma Roussef (PT) rompendo com Michel Temer (MDB) e pagando caro por isso. Essas duas coincidências soam como alerta. Mourão fala muito, mas, para sorte do Planalto, ele não tem articulação política. Ficará só no nhenhenhém?

O MESMO O Conselheiro da Itaipu Binacional Carlos Marun não se atém nas entrevistas da sua condição de mero pretérito no quadro político. Para a opinião pública o exercício do cargo de ministro do Governo Federal não apagou da memória sua trajetória na Câmara Federal em defesa do deputado Eduardo Cunha (MDB) preso por corrupção e do próprio ex-presidente Temer (MDB). Essa fidelidade gerou uma espécie de estigma ao conselheiro. Conseguirá se livrar dela?

CIRO GOMES: “... O Lula está preso babaca... ele aceitou recursos de má origem... Eu avisei que, se a direita ganhasse as eleições, o Lula ia ficar encarcerado por muito tempo. Todo mundo pode vomitar a paixão que quiser, mas enquanto a gente ficar assim, acreditando em minorias ínfimas, esmagadoramente derrotados que fomos... Companheiros, nós fomos humilhantemente derrotados por essa estratégia. Insistir nela afunda o Brasil...” (trecho de discurso na última 4ª. feira em Salvador – Bahia)

“Os políticos que me perdoem, mas caixa 2 é trapaça” (ministro Sérgio Moro)

Comentário

‘ESCONDIDINHO’ Por trás da eleição das mesas da Câmara e Senado há uma camada ‘saborosa’ que atrai os políticos (obesos ou não) de todos os partidos. Os eleitos nas duas mesas tem à sua disposição um número expressivo de vagas para indicar aos seus aliados. Na Câmara são 485 cargos e no Senado nada menos que 197 vagas com salários variando entre R$ 2.500 a R$ 19.900. É assim que funciona.

DEFINIÇÃO A sintonia entre as lideranças resultou na indicação do deputado Paulo Correa (PSDB) para a presidência do Legislativo Estadual, tendo como 1º Secretário outro experiente parlamentar – Zé Teixeira (DEM). A distribuição de outros cargos da mesa obedeceu aos critérios já adotados em outras ocasiões. A liderança do Governo naquela Casa de Leis será do preparado e combativo deputado José Carlos Barbosa (DEM), advogado de bom calibre.

POVO ARMADO Ouço e leio conceitos diversos sobre o acesso da população civil às armas de fogo. Acho genial o conceito de Leon Tróstski - ex-ministro da Defesa da União Soviética após a chegada do comunismo ao Kremlin. Vejamos: “...é imperativo, para que o socialismo chegue ao poder, desarmar a população. A história nos ensina que não se pode tomar o poder onde o povo está fortemente armado. Um povo armado é um povo livre”.

BASTIDORES A desistência da candidatura da senadora Simone Tebet (MDB) ainda não foi digerida pelo ex-governador Puccinelli (MDB). Dizem que se depender dele, ela não se reelegerá. Outra notícia que rolava antes mesmo da derrota para Renan Calheiros (MDB) é que ela poderia até mudar de partido. Neste caso caberia uma pergunta: quem perderia mais? O MDB já sem representação de peso ou a própria senadora? É na tempestade que se conhece o marinheiro.

O CANHÃO A mídia focada na tragédia de Brumadinho (MG) e nas eleições para o Senado e Câmara. Mas enquanto isso as delações do ex-ministro Pallocci (PT) são checadas, atingindo em cheio também o MDB. Quem pensa que acabou a água da ‘Lava Jato’ pode ir tirando o cavalo da chuva. Não custa lembrar: até as mutretas do Aquário do Pantanal – via Lama Asfaltica – caíram na Lava Jato.

EXPECTATIVA Como se comportará o PSL agora no poder? Um ex-nanico como tantos outros no cenário político mudou ao receber 15 mil novos filiados e eleger 4 senadores, 52 deputados federais, 3 governadores (Santa Catarina, Roraima e Rondônia), além do presidente da República. Seus representantes agirão com calma e em bloco ou se dispersarão tentando ganhar a preferência dos holofotes?

ESPAÇO OCUPADO! O dinamismo da política é certo. Aqui não foge a regra pelos escândalos, pelas urnas e competência política de alguns. Com a ida do senador Nelsinho Trad para o PSD, cristaliza o cenário onde os 3 principais representantes da ‘Família Trad’ ocupam papel importante numa só sigla. O que era mero exercício da utopia foi transformado em realidade: Assim o futuro político de MS passa também pelo prefeito Marcos Trad, deputado federal Fabio Trad e o senador Nelsinho.

VITAMINADO Nem mesmo o ódio do ex-presidente Lula (PT) conseguiu derrotar, como prometera, o PFL (Partido da Frente Liberal) que deu lugar ao Democratas. Num passe de mágica aqui no Estado o partido em boa situação. Tem dois ministros – da Agricultura e da Saúde, o vice-governador Murilo Zauith, o 1º secretário da Assembleia Legislativa deputado Zé Teixeira e o líder do Governo naquela casa – deputado José Carlos Barbosa. Não pode ser ignorado no cenário e tende a expandir suas fronteiras.

O PERDEDOR neste cenário é o MDB vendendo imagem de insolvência após demitir seus funcionários da sede na capital. Com apenas 3 deputados estaduais e apenas uma representante em Brasília, o MDB paga pelos seus erros e excesso de concentração de poderes do ex-governador Puccinelli. Com o crescimento previsível do PSD e do DEM a tendência e que perca mais espaços ainda.

SINAL VERDE Em 2015 eram apenas 17 cidades de MS. fazendo a disposição correta de resíduos. Atualmente o número subiu para 45. Quem comemora o crescimento desta pratica é o advogado e conselheiro Iran Coelho das Neves – presidente do Tribunal de Contas do Estado, órgão que disponibilizou aos prefeitos assessoria técnica especializada. Um bom trabalho com planejamento envolve inclusive a comunidade, cada vez mais consciente. Parabéns.

INTERESSANTE Emprego esse termo bem leve para definir o quadro das próximas eleições municipais da capital. À primeira vista é comparável a um enxame de abelhas rondando a ‘casa’. ‘Salvadores da Pátria’ – com certeza não faltarão. Imagino que o pessoal emergente do PSL e de partidos aliados esteja lustrando suas botas. Mas, recomenda-se calma nestas horas.

REFLEXÃO: “Os destroços que restaram da disputa entre a esquerda (PT) e a extrema-direita (PSL) deveriam servir para que o grupo derrotado fizesse, de uma vez por todas, a tão repetida autocrítica pelos diversos erros cometidos no poder. Mas não como uma autoflagelação para o deleite dos vencedores, mas para melhorar e, em suma, por respeito aos eleitores” (Jornalista Fábio Gois)

OPORTUNISMO Sempre aflora em momentos de tragédia de grande repercussão. Há quem queira apagar fogo com gasolina. Vários políticos querem pegar carona na catástrofe de Brumadinho (MG) para sair na mídia e pedem CPI, mas esquecem dos problemas como prisões lotadas, hospitais sem recursos, favelas armadas e narcotráfico. Aliás, a ex-ministra Marina Silva reapareceu neste episódio. Continua a mesma!

NA INTERNET Início de ano letivo aqui. Faz sucesso o vídeo com imagens no interior de um avião da Turquia, onde o piloto descobre a presença de seu ex-professor dentre os passageiros. Solenemente o piloto saúda a sua presença sob aplausos dos presentes com direito a ramalhete de rosas e pedidos de ‘benção’ (beijando a mão) da tripulação. Lá fora professor é reconhecido; aqui leva porrada de alunos. Essa é a diferença.

CONFIRA: A proposta do Governo é isentar de Imposto de Renda quem ganha até 5 salários (R$ 4.770,00) e cobrar 15% de quem ganha acima de 5 salários. Hoje a isenção é só para quem ganha até R$ 1.903,98 e quem ganha mais de R$ 4.664,68 paga 27,5%. Se aprovada a proposta do Ministro da Fazenda Paulo Guedes já terá valido a pena ter votado em Bolsonaro para presidente. Concorda?

VALE TUDO! Enquanto não sai a segunda sentença condenando o ex-presidente Lula (PT) seus órfãos tentam de tudo para reintroduzi-lo no cenário. A última foi a tentativa de fazer do velório do corpo do irmão Vavá um grande palanque onde ele (Lula) não perderia a chance de um longo e raivoso discurso ao estilo do presidente Nicolas Maduro da Venezuela. Fica para a missa de 7º dia? Talvez – quem sabe!

APLAUSOS ao senador Pedro Chaves (PSC) pelo seu trabalho nestes mil dias de mandato. Fez bem mais do que colegas seus há mais tempo no Senado. Sua atuação impecável, com visibilidade nacional que dispensa comentários. Registro seu projeto de lei impedindo os assassinos de pai e mãe terem direito de saídas da prisão exatamente nestas datas comemorativas. Imoral e socialmente inaceitável esse benefício. Vamos acompanhar a tramitação do projeto muito oportuno.

‘CAROS AMIGOS’ Logo após a tragédia de Mariana (MG) a presidente Dilma (PT) baixou decreto autorizando que as vítimas de tragédias ‘naturais’ pudessem sacar o FGTS. Enfim o caso foi considerado simples desastre natural. Assim, a Samarco e a Vale usaram o decreto (13/11/2015) para se isentarem de responsabilidade por indenização. Ora! O mesmo argumento se aplicará ao caso de Brumadinho? Enfim é o PT beneficiando empresários e ferrando os trabalhadores.

FIEL RETRATO Foram mais de 14 mil inscritos, mas só 73 (isso mesmo!) foram aprovados no concurso para ingresso do magistério aqui no Estado. Menos de 1% deles conseguiram desempenho para a etapa seguinte do certame, o que mostra o nível ruim dos candidatos. Diante das reclamações o Governo convocará os aprovados e fará novo concurso. Que os candidatos se preparem – por favor!

BOM EXEMPLO O jovem Felipe Rigoni – engenheiro mecânico, será o primeiro deputado federal cego. Perdeu a visão aos 15 anos após 17 cirurgias e foi eleito com 84 mil votos pelo PSB do Espírito Santo. Ele fez especialização em Oxford e diz que seu mandato será bem próximo da população. Como se diz: para representar bem o povo é preciso bem mais que a dádiva de enxergar visualmente. Um vencedor!

“POLÍTICA É A ARTE DO POSSÍVEL” (DEPUTADO PAULO CORREA)

"

Comentário

CASOS IGUAIS O senador eleito Flavio Bolsonaro (PSL) e o vereador da capital Eduardo Romero vivem o drama de ‘fugitivos da imprensa’. O primeiro é suspeito de atos ilícitos amplamente divulgados na mídia. O segundo é suspeito de ter cometido estupro contra um menor de idade ainda no ano de 2017 com o processo correndo em segredo de justiça.

MEU GAROTO! Flavio Bolsonaro tenta um contorcionismo sem sucesso, colocando inclusive em risco o discurso de seu pai - de combater a corrupção sem tréguas e exceções.O vexame havido agora nesta recente viagem presidencial mostra o potencial da crise instalada que tende a crescer ainda mais nos próximos dias. Banquete para a oposição.

QUANTO ao vereador campo-grandense, parece não ter aferido corretamente a gravidade da suspeita que pode se transformar em denúncia pelo Ministério Público. O caso merece bem mais do que uma simples nota de defesa onde tentou politizar o fato estupidamente desproporcional aos riscos de ser condenado e ainda com reflexos em sua carreira política e mandato.

ENFIM... Tanto o senador eleito como o vereador suspeito poderão – usando de meios e artimanhas previsíveis – driblar os repórteres, fotógrafos e cinegrafistas. Mas pode-se afirmar com plena certeza de que ambos – na solidão frente ao espelho implacável – não conseguirão fugir da própria imagem de preocupação ou culpa refletida. Sem atropelos ou julgamentos precipitados, a opinião pública aguarda os próximos capítulos dos dois episódios.

PARA PENSAR Mesmo antes do novo Congresso se reunir o Palácio do Planalto não demonstra a articulação política necessária para enfrentar situações previsíveis. Vejam que o próprio PSL fala línguas diferentes nas bases para o desafio de aprovar as reformas prometidas em palanque. Ainda não há oposição definida ou estruturada, mas ela pode ganhar corpo e fôlego se as lideranças do Planalto se mostrarem frágeis ou dúbias. Vamos aguardar, pois faltam poucos dias.

ASSOMASSUL Na sede da entidade que congrega os prefeitos de nosso Estado conversamos com vários deles sobre política e administração, além das mudanças que tem havido no conceito de gestão pública junto a população. Todos eles entendem que a mídia tem exercido um papel influente para informar melhor a opinião pública sobre os parâmetros do binômio ‘política-gestão’.

PEDRO GARAVINA (PSDB) prefeito de Bataguassu e presidente reeleito da entidade inseriu o seu próprio exemplo para mostrar mudanças ou reações dos seus munícipes. Sem os vícios da velha política, optou pelos benefícios à sociedade e deixando a questão política em segundo plano, não se importando inclusive com eventuais desgastes pessoais que ele admite ter havido.

‘O DELEGADO’ Conta o prefeito – que antes era delegado de polícia da cidade, que o eleitorado sentia por ele – ao mesmo tempo – grande respeito e temor pela sua postura no exercício do cargo policial. Eleito, teve a coragem de impor um novo estilo de gestão com transparência total para convencimento geral de que as promessas de palanque estavam sendo materializadas. Garavina admite que políticos e eleitores ligados à velha política interiorana tentaram se aproveitar com críticas, mas sem sucesso.

TAMBÉM servem como exemplos bem atuais de nova visão administrativa os casos dos prefeitos do nosso interior que reavaliaram a conveniência de se gastar nos festejos de carnaval e priorizando gastos em outras áreas sensíveis como saúde. Sobre esses casos todos os prefeitos com quem conversei na Assomassul deram total apoio aos seus colegas. A maioria deles resumiu: ‘responsabilidade e maturidade administrativa’.

‘OUTROS OLHOS’ Um dos prefeitos (pediu para não se identificar) lembrou que além dos olhos da imprensa, existem os olhos da população cada vez mais vigilante e do Ministério Público (Federal e Estadual). Deu para concluir nesta rodada de opiniões de quem vive os problemas de gerenciamento, de que caminhamos para uma melhora de nível de gestão pública municipal. Bom assim!

PERGUNTA-SE: Com a tendência da lei trabalhista ser mais enxuta com negociações entre patrão e empregado, qual a justificativa de se manter a onerosa máquina da justiça trabalhista? Ela conta com 1,5 mil varas, 24 tribunais regionais e tribunal superior com 27 ministros, tendo consumido em 2017 R$ 18,2 bilhões dos cofres públicos, dos quais 94% gastos com recursos humanos. Haja grana!

DE VOLTA O nosso comentário “De Leve” voltando a ser exibido no programa Balanço Geral da Televisão Record MS – comandado por Guto Dobes - que vai ao ar de segunda a sexta feira a partir das 11 horas. É a abordagem de temas políticos, econômicos e sociais, com seriedade e a sutileza habitual.

REPETECO? Em 2001 o senador Ramez Tebet (MDB) viabilizou sua candidatura dentro do partido e por uma série de circunstâncias favoráveis acabou eleito presidente do Senado. Agora a senadora Simone Tebet (MDB) pode estar caminhando para o êxito na mesma empreitada. Pode sim ser a vencedora, mas o fator Renan Calheiros (curiosamente poupado pela Globo) não pode ser menosprezado.

RENAN CALHEIROS Macaco velho do MDB que já foi presidente do Senado por 3 vezes, anda meio desgastado por ter o nome citado em várias fases da Operação Lava Jato. Mas nem por isso deixou de caprichar no próprio visual e cortejar companheiros e adversários com seu estilo nordestino. Hoje sua arma pode ser decisiva a seu favor: as críticas ao ministro Sergio Moro - visto como inimigo da classe política. Um discurso simpático aos políticos.

SALVAÇÃO? Nos bastidores políticos comenta-se que a eleição da senadora Simone para a presidência do Senado seria praticamente a salvação ou garantia de sua reeleição – até aqui ameaçada por vários fatores. Seu mandato não tem sido expressivo e poderá ter que enfrentar concorrentes de peso – entre eles o atual governador Reinaldo (PSDB). Portanto...

CICLISMO Quem viu o então prefeito Alcides Bernal (PP) praticando esse esporte na Av. Afonso Pena ou no Parque dos Poderes?. Mas, a conta continua chegando pela sua administração conturbada. A suplementação de recurso no valor de R$ 175 milhões sem autorização da Câmara (as ‘pedaladas’) é objeto de denúncia do Ministério Público Estadual e já aceita pela Justiça. Perderá o restante dos cabelos?

REGISTRO: O elogio deve ter a mesma proporção da crítica. Daí o reconhecimento público à Polícia Civil de MS que em 40 municípios mais de 60% dos homicídios foram elucidados em 2018. Em 32 municípios todos eles foram esclarecidos. Já na capital foi de 65%, Três Lagoas 94,1%, Dourados 71,7% e Corumbá 62,1%. Anote-se: em 2018 foram nomeados 72 novos Delegados e o Governo investiu R$ 120 milhões em viaturas e equipamentos diversos.

TUDO EM PAZ O grupo de 10 deputados estaduais jogou certo e no acerto final acabou mesmo levando a 2ª. Secretaria, além da 2ª. e 3ª. Vice Presidência. Com isso desistiu de tentar a 1ª. Secretaria que ficará mesmo com o deputado Zé Teixeira (DEM). Quem saiu sorrindo foi o deputado Paulo Correa (PSDB) que terá um ambiente favorável para comandar a Assembleia Legislativa. Segue a galopeira.

LIXO & LUXO Prefeitura, Câmara da capital e Ministério Público Estadual no centro da questão envolvendo os grandes geradores de lixo. São quase 400 deles além da cota diária permitida. A lei federal é de 2012, mas depois de regulamentada sua aplicação é imperiosa. Vai custar dinheiro ao pessoal dos supermercados, shoppings, hospitais e outros. E logo agora em tempos de vacas magras!

VERGONHA A recente operação pente fina mostrou a cara dura de dezenas de funcionários públicos municipais da capital recebendo dinheiro do ‘Bolsa Família’, além de mais de 100 de pessoas beneficiárias embora sendo proprietárias de veículos avaliados em mais de R$ 20 mil cada. Mas a sequência desta ação da CGU deve comprovar outras barbaridades no programa que o PT transformou em mero instrumento eleitoral. Imagine só pelo Brasil afora!

NA INTERNET: “Comparando os governos Temer e Bolsonaro vem a conclusão: o Michelzinho dava muito menos trabalho”

Comentário

LAMENTÁVEL! Observando o exercício da política ao longo dos anos chega-se a triste conclusão de que para a maioria dos políticos o bem comum é apenas o de cada um – e ponto final! (Justo Veríssimo?) A ação de grandeza é rara no ‘habito cidadã’. Impressiona a falta de senso de grandeza no exercício de cargo público em prol de uma causa maior.

OS ESCÂNDALOS que tem pipocado no país ultimamente, reflexo direto desta falta de grandeza, inclusive. Os casos escabrosos envolvendo políticos e agentes públicos da ‘Lama Asfáltica’, ‘Lava Jato’ e tantas operações deflagradas revelam a estatura moral anã dos personagens envolvidos; os tais espertos competentes no ato de levar vantagem financeira (roubar). E pensar que com o voto assinamos o cheque em branco pra eles!

A ESPERTEZA se revela no vereador que recebe diárias imorais, do parlamentar que leva comissão da empreiteira de obras com suas emendas e daqueles que vendem suas passagens aéreas da cota pessoal. A propósito: já causara surpresa em Brasília em 2012 quando o deputado federal Fabio Trad (PSD) renunciou ao 14º e 15º salário (CR$ 53.000,00). Cada gesto mostra o perfil moral do político, como o ex-governador Wilson B. Martins (MDB) que renunciou ao direito de receber aposentadoria do cargo.

A PERGUNTA que não se cala: como o leitor vê a postura dos ‘3 deputados de verão’ Carla Stephanini (MDB), Coringa (PDS) e Izaias Bitteencourt (PRB) beneficiados sem exercer efetivamente o mandato de deputado federal durante o mês de janeiro em pleno recesso? A nomeação de assessores é a ‘sobremesa’ deste banquete imoral com respaldo em lei corporativista da própria casa. O futuro dirá se a opinião pública tem ou não memória para – se for o caso – avaliar os 3 personagens nas urnas. É esperar.

UNAMIDADE O bom senso acabou vencendo as habituais vaidades. O presidente Pedro Caravina (prefeito de Bataguassu) será reeleito na Assomassul no próximo dia 24 tendo como tesoureiro Eraldo Jorge – prefeito de Jatei. Caravina vem conseguindo liderar a classe numa fase difícil para as cidades do nossas carentes de recursos principalmente do Governo Federal. ‘Fuerza, Caravina’.

INEXPERIÊNCIA ou simplesmente sede de poder? O imbróglio que se formou pelo comando do PSL no Estado seria por causa de uma das hipóteses ou de ambas. O bom desempenho eleitoral nas últimas eleições não é passaporte que garanta a repetição do feito nas eleições municipais de 2020. Política exige habilidade. Para piorar, a viagem dos parlamentares do partido à China provocou um terremoto no partido. Novos capítulos virão.

INTERNET Faz sucesso a paródia de ‘Eu nasci há 10 mil anos atrás’ do Raul Seixas com a seguinte versão: “Eu vi o PT deixar de ser vermelho / Vi Manoela cair na igreja de joelho / Vi Haddad negar Lula por 3 vezes diante do espelho, eu vi / Fui testemunha da conversa do infiel / Eu vi a estrela do PT subir ao céu / E pra aquele que provar que estou mentindo eu tiro meu chapéu.”

‘FATALIDADE’ O advogado Silva Jardim foi um abolicionista e republicano notável. Nome certo para integrar o novo Governo foi antes à Europa com a família. Mas ao visitar o vulcão Vesúvio (Pompéia) aproximou-se demais e foi tragado por uma fenda e acabou morto. O fato causou comoção em todo o país. Em dezenas de cidades há ruas batizadas com seu nome. No Estado do Rio de Janeiro, uma cidade próxima ao local onde nasceu leva seu nome. A vida como ela é!

MUSCULATURA Ledo engano imaginar o Senai restrito aos segmentos comercial e industrial. Na abertura da Showtec 2019 em Maracaju, o presidente da FIEMS Sergio Longen pontuou a estrutura do Senai para atender também a agroindústria com cursos para manutenção de máquinas agrícolas. Na feira o Senai mostrou produtos inovadores: o programa de energia fotovoltaica e os serviços de análise de qualidade dos grãos.

# ELE NÃO # Pois é – muitos artistas que se posicionaram contra a candidatura de Bolsonaro estariam na longa lista dos beneficiados com a Lei Rouanet, onde o dinheiro público (via abatimento de impostos de empresas) é gasto em seus projetos. Daniela Mercuri uma delas. Já quanto ao apresentador Luciano Hulk, além do jatinho financiado pelo BNDES, teria levado R$ 19,5 milhões pela Lei Rouanet em seu projeto CRIAR. Essa petezada não brinca.

‘FESTANÇA’ Com o advento das famosas ou controvertidas Organizações Não Governamentais (ONGs) criou-se um terreno fértil para picaretagens de todas as espécies nas mais diferentes áreas; da educação, saúde e meio ambiente. Muita gente levando dinheiro dos cofres públicos sem realizar obra ou ação alguma. Apurar quem é quem é dever do Governo. O mesmo remédio está sendo usado na questão das aposentadorias irregularidades. O tempo dirá quem tem razão.

MUDANÇAS As mexidas no Governo Estadual são vistas como positivas. A presença de Carlos Alberto de Assis junto ao Executivo como elo com a Câmara, Prefeitura da capital e lideranças diversas tem motivação política. Já a identificação de Sergio de Paula com lideranças interioranas facilitará sua missão de assessoria. Quanto a Eduardo Ridel, sua posição fica ainda mais fortalecida ali na Casa Civil. Quanto ao senador Pedro Chaves (PSC) para chefiar o escritório de representação em Brasília caindo como uma luva. Aprovação total.

ALERTA A lição dos resultados das eleições municipais de Campo Grande em 2012 não pode ser esquecida pelos políticos. Na política é assim; quando você imagina já ter visto tudo – vem outra surpresa. E agora vivemos numa época sem igual em matéria de relações humanas com a comunicação via internet. Faz sentido o lembrete aos ‘senhores do poder’ em relação ao pleito de 2020. Combinar com o eleitor é preciso!

PLIM... PLIM As propagandas de estatais (Petrobras/B. do Brasil etc) que povoavam os intervalos desapareceram da programação da Globo que abocanhava mais da metade das verbas do Governo. Agora é outra realidade com novos critérios para prestigiar outros canais e empresas. A atual postura crítica do jornalismo global nada mais é do que uma consequência disso.

MEMÓRIA Ao se eleger presidente em 2012, Lula (PT) foi recebido por Willian Bonner nos estúdios da emissora em São Paulo. Estava selada a aliança PT-Globo que duraria durante todo reinado petista no Planalto. Além das verbas, a Globo tinha a exclusividade das informações em todos os setores do Governo. Um exemplo: as operações da Polícia Federal acompanhadas pelos repórteres e mostradas no JN.

SAIA JUSTA Aquela entrevista do então candidato Jair Bolsonaro ( PSL) mostrou bem a orientação da Globo quanto a sua postura relacionada ao militar vitorioso. Tanto Willian Bonner como Renata Vasconcelos despreparados, escorregaram nas suas cascas de bananas, aliás, também jogadas na véspera ao candidato Ciro Gomes (PDT). Um fiasco. O eleitor enxergou além das imagens da entrevista.

‘CHAPA BRANCA’ Esse tipo de jornalismo que só bajula o poder, sem espaço para críticas e observações menospreza o senso crítico da população. Foi assim com a Rede Globo durante o ‘reinado petista’ e nestas eleições participando do conluio que envolvia até as pesquisas manipuladas. Enfim, o jornalismo dela em associação com os próprios funcionários (artistas) acabou tendo o efeito ‘bumerangue’. E deu no que deu!

CESARE BATTISTI Por essas ironias do destino coube ao presidente Evo Morales da Bolívia – afinado politicamente com o Governo Petista protetor do assassino italiano – devolvê-lo à Itália. No episódio saíram desgastados o ex-presidente Lula (PT), seu obediente ex-ministro da justiça Tarso Genro e o STF que interpretou o caso fora do contexto da Lei de Extradição. O atual Governo é quem acabou colhendo dividendos.

PACIÊNCIA A torcida é que o STF julgue agora em fevereiro o mérito da ação de inconstitucionalidade promovida pela Advocacia Geral da União para Petrobras fechar a venda a UFN-3 de Três Lagoas á Acron (Russia). O prefeito Ângelo Guerreiro (PSDB) conta com a geração de empregos (mais de 500) e o aumento de arrecadação do ICMS com as importações do gás boliviano. É o progresso refém da ‘gloriosa’ justiça. Um bom trabalho de bastidores no STF costuma funcionar e bem.

TUDO DOMINADO As últimas notícias mostram até onde a máfia do cigarro tem influência no meios policiais. Primeiro veio a notícia de que o pessoal do Serviço Reservado da Polícia Militar tinha sido cooptado (comprado) para facilitar a ação dos contrabandistas. Para piorar, agora vem a nota do Campo Grande News apontando policiais rodoviários federais também envolvidos na bandidagem. Se quem é pago por nós passou para o lado de lá – estamos literalmente perdidos.

Não é triste mudar de ideias, triste é não ter ideias para mudar (Barão de Itararé)

Comentário

DILMA ROUSSEFF: “Nós vamos colocar uma meta. Nós vamos deixar uma meta aberta. Quando nós atingirmos a meta, nós dobramos a meta. O meio ambiente é uma ameaça ao desenvolvimento sustentável. O dia das crianças é o dia do pai, da mãe e dos professores. Mas também é o dia dos animais. Sempre que você olha uma criança há uma figura oculta – que é um cachorro atrás – que é algo muito importante. Eu disse pro presidente Obama, que depois que a pasta de dente sai do dentifrício dificilmente ela volta pra dentro do dentifrício. A questão da ciência e da tecnologia e da inovação: ela transforma o mundo e é isso que a ciência faz desde a Arca de Noé.”

FÉRIAS Velho projeto concretizado: ir de carro até Montevidéu e curtir o Pampa Gaúcho. 6.300 kms em companhia do colega Francisco Brito e seu filho Rafael. De passado rico, o povo vive outra realidade sem grandes perspectivas. A expectativa de vida é de 77 anos e sua população não cresce há 30 anos. O asfalto excelente das ruas e das rodovias é de concreto. Nas rodovias o preço do pedágio não tem centavos - facilita o troco. A economia gravita no agronegócio e a sua indústria é incipiente. Nos mercados os produtos do dia a dia são do Chile, Argentina, Brasil e México. O salário mínimo é de R$ 1.550,00, mas uma cerveja vale Cr$ 15,00 e saco de arroz de 5 quilos R$ 30,00. Vale a pena esse salário?

COMPARAÇÃO: Com 3.460.000 habitantes o Uruguai registrou 382 homicídios em 2018, ou seja 11,2 para cada grupo de 100.mil habitantes. Em 2017 foram só 283 crimes. Com 2.750.000 habitantes nosso Estado registrou 671 homicídios em 2016 (números mais recentes) ou seja 25 mortes para cada 100 mil pessoas. No Brasil o índice em 2016 foi de 30,2 mortes por 100 mil). Na Argentina – 5,2 homicídios para cada grupo de 100 mil pessoas e o Chile com 3,6 homicídios para cada grupo de 100 mil pessoas em 2017.

OBSERVAÇÕES Há torcida para o Brasil dar certo. Cresce o prestígio de Edgardo Novick – líder do ‘Partido da Gente’ contra o marxismo. Seus ‘outdors’ denunciam a delinquência juvenil e prega a linha dura Numa banca central da capital a venda do jornal ‘El País’ não passa de 4 exemplares diários. Dos 5 diários de Montevidéu restam 3 e o jornaleiro prevê o fim da sua profissão. Nas periferias urbanas casas minúsculas cobertas de zinco (“Minha sauna minha vida”) inspiradas no projeto do PT. Os jovens, sem perspectivas, deixando o país. O divórcio foi aprovado ainda em 1.907, pioneiro na America do Sul.

DROGAS Várias lojas com vendas exclusivas da ‘cannabis sativa’ em Montevidéu. Não há associação do aumento do número de homicídios (283 em 2017 para 382 em 2018) com a liberação da maconha. Com quem conversei essa teoria foi descartada. Presenciei dezenas de jovens fazendo uso da droga nas praças da capital mas sem causar perturbação. Tudo muito pacífico. Como se diz: cada qual no seu quadrado curtindo os efeitos da ‘erva’. Mas ainda é muito cedo para uma avaliação mais consistente sobre o fato, mas vale o registro de um simples observador.

CONFIRA: Você já se perguntou por que razão você nunca viu um americano (sem nenhuma proteção trabalhista) tentando entrar ilegalmente no Brasil? Se a “proteção do trabalhador” é tão essencial, por que razão você nunca viu casos de americanos vivendo aqui ilegalmente pra poder ter essa tal “proteção trabalhista”? A razão é simples: porque é melhor ter um mercado cheio de empregos do que um mercado cheio de passivo trabalhista. (Luis Felipe Pondé)

NO FACEBOOK: O glorioso Senado gasta R$ 32 milhões mensais para pagar pensão as filhas solteiras de senadores e 14 delas recebem o teto de R$ 33.700 mil. O gasto anual com essa excrescência é de R$ 32 milhões e 400 mil. A mais antiga ‘barbada’ paga a 64 anos chega a casa dos R$ 28.800 mil. Aí vem a pergunta: casar pra que? Aproveitando a ocasião pergunto: algum senador teria coragem de abrir a caixa preta daquela casa? A sugestão está no ar e endereçada especialmente aos dois novos representantes de MS no Senado.

‘FANTÁSTICO’ Impossível ignorar a reportagem sobre a corrupção em MS no último programa da Rede Globo. Conclusão: a tampa do caixão de eventual aspiração política do ex-governador Puccinelli (MDB) foi lacrada de vez. As imagens das obras do aquário do pantanal, das prisões ocorridas associadas aos depoimentos de autoridades federais e a narrativa sobre o dinheiro surrupiado tiveram efeito devastador na opinião pública. Como era de esperar, nenhum político do MDB veio a público para contestar o conteúdo da extensa reportagem. Será que todos eles estariam viajando ou na praia? Mas o estigma partidário vai continuar perseguindo-os. A baixa votação deles na última eleição já mostrou isso: o eleitor associou o partido a corrupção praticada por vários de seus caciques.

CARLOS MARUN Bem que achei estranho o anunciado projeto de advogar do ex-deputado e ex-ministro. Afinal, entrar neste concorrido mercado de trabalho não é fácil. Daí que sua nomeação para o Conselho da Hidrelétrica de Itaipu correspondeu ao que se esperava em termos do usual cabide político. Afinal o ex-presidente Temer (MDB) não é de deixar os companheiros desamparados. Mas justiça seja feita - Marum ajudou o MS, mas isso não melhora sua imagem política em termos eleitorais. Saiu desgastado e com poucas chances de se eleger a cargos eletivos. Ele sabe disso.

MURILO ZAUTH (DEM) Sua tranquilidade deve ser interpretada como segurança de conduta e decisões. Aliás, seu sucesso empresarial prova sua competência. Participando de entrevista na FM Cidade da capital senti sua disposição de aproveitar bem esse espaço no comando da Secretaria de Infraestrutura. Diferentemente de quando foi vice governador de Puccinelli, onde foi boicotado na administração e nas eleições ao Senado – quando a máquina estadual foi direcionada para a candidatura de Moka (MDB) que acabou eleito. Aliás, hoje sem mandato, Moka curte o sereno, mas sonha em ocupar algum cargo no Governo Federal. Sei não!

ANOTEM para conferir no futuro. Caso o projeto do Governo Federal consiga sucesso, crescerá a motivação política no país, atraindo pessoas capazes e de bem. Por extensão o fenômeno atingirá também nosso Estado e isso deve ocorrer já nas eleições municipais de 2020. As redes sociais já mostraram sua força neste último pleito e tendem a ganhar espaço na comunicação. Não é por acaso que muitos políticos já perceberam que aqueles votos de cabrestos ou dos compadres de antigamente tendem a desaparecer do mapa.

‘VISTA CANSADA’ Uma criança vê o que um adulto não vê. Tem olhos atentos e limpos para o espetáculo do mundo. O poeta é capaz de ver pela primeira vez o que de tão visto ninguém vê. Há pai que nunca viu o próprio filho. Marido que nunca viu a própria mulher. Isso existe às pampas. Nossos olhos se gastam no dia-a-dia, opacos. É por aí que se instala no coração o monstro da indiferença. (Otto Lara Resende)

FACÃO Em edição anterior abordei a questão dos funcionários comissionados, inclusive os militares cedidos a vários órgãos públicos, gerando despesas fantásticas ao Estado de Mato Grosso do Sul. Disse que esse seria um dos grandes desafios deste mandato do governador Reinaldo (PSDB). Consciente de que não teria para onde correr, ele começou a efetuar os cortes ou desmama como queiram. Mas ainda há muito por fazer. Como dizia o ex-presidente John Kennedy (USA): “os governantes devem ter a coragem de tomar medidas amargas”.

BAIXO ASTRAL Não podia ser diferente o clima na prisão que abriga o ex-deputado Edson Girotto (PR) e outros implicados na Operação Lama Asfaltica. Presos desde o início de março do ano passado, o conteúdo processual não é nada animador para quem esperava liberdade a curto prazo. De alguma forma essa reportagem do ‘Fantástico’ ajudou a piorar a situação fomentando a opinião pública. Lamentavelmente tudo isso também causa estragos familiares irrecuperáveis. Liberdade e honra: binômio imprescindível ao homem!

DISPUTA Vários interesses em jogo: a curto, médio e a longo prazo. Portanto essa disputa pela 1ª. Secretaria da Assembleia Legislativa não pode ser avaliada apenas pelas declarações deste ou daquele parlamentar. Nos subterrâneos ou bastidores do poder a conversa é outra e a moeda de troca idem. Com tudo que se propaga na mídia, mesmo pela falta de assunto na pauta política, ainda acredito no poder de fogo do deputado Zé Teixeira (DEM). Sua eleição interessa a muitos cardeais políticos.

INÉDITA a postura do deputado estadual João Catan (PR) em exigir o sorteio para escolha dos gabinetes na Assembleia Legislativa. Um costume antigo: Presidente e Secretário – pelas suas atribuições tem privilégios na escolha. A acomodação é melhor com maiores espaços. Depois vem os deputados mais antigos que usam de argumentos diversos para se manterem onde estavam no mandato anterior. Normalmente os novatos acabam se conformando com os espaços que lhe são oferecidos. O que é preciso saber é se a pretensão do parlamentar terá respaldo na justiça, que poderá alegar inclusive que se trata de mera formalidade interna da Assembleia. Mas vale o ato de rebeldia.

MANOEL DE BARROS A maior riqueza do homem é a sua incompletude. Nesse ponto sou abastado. Palavras que me aceitam como sou – eu não aceito. Não aguento ser apenas um sujeito que abre portas, que puxa válvulas, que olha o relógio, que compra pão às 6 horas da tarde, que vai lá fora, que aponta lápis, que vê a uva etc etc. Perdoai. Mas eu preciso ser outros. Eu penso em renovar o homem usando borboletas (Abastado de incompletude)

Gente, eu engasguei comigo ‘mesma’ (Ex-presidente Dilma Roussef)

Comentário

ANO NOVO Embora o dinheiro circulante não tenha aumentado, embora as placas de vende-se e aluga-se não tenham diminuído, embora os empregos continuem sumidos, há um clima de otimismo para o ano novo. É o que sentimos nas conversas com pessoas de classes sociais e atividades econômicas diferentes. Um país deste tamanho não pode continuar estagnado como está. Nosso potencial é maior do que os desafios.

CONTRA Sempre existirá a turma inconformada do PT e Cia torcendo contra o sucesso da nova administração. A sede pelo poder supera os sentimentos patrióticos, ao contrário do que acontece nos países do Primeiro Mundo. Não é difícil detectar esse ódio nas declarações de várias lideranças do PT inconformadas até agora com a derrota.

ENCOLHIDO No governo do MDB eram 15 secretarias. De cara o governador Reinaldo (PSDB) enxugou para 10 e cortou nada menos que 3.900 cargos em comissão. Agora ele extinguiu a pasta da Cultura e Cidadania, tornando o Estado com menor número de Secretarias (9). A intenção é válida: gastar mais com as pessoas e menos com a estrutura do Governo.

PEDIDOS O futuro presidente da Assembleia Legislativa – deputado Paulo Correa (PSDB) precisa urgentemente fazer aquilo que os presidentes anteriores não conseguiram: viabilizar sinais de qualidade da internet e do telefone celular. Até parece que as comunicações não seriam tão importantes nesta época em que vivemos. Fica o registro.

ELEFANTES A sensibilidade da maioria dos políticos lembra esse animal vegetariano passeando na loja de cristais. Cada suplente de deputado federal poderá custar até R$ 72 mil em janeiro com a Câmara em recesso. Reembolso de passagens, ‘auxílio moradia’ e outros penduricalhos. Daqui o sortudo é o suplente Coringa que obteve 15.738 votos no pleito de 2014, mas sem chance de ocupar a tribuna para uma foto - como é seu desejo.

AS EXCEÇÕES mostram que ainda há esperança. O bom exemplo solitário vem do deputado Fabio Trad (PSD) que endereçou a presidência da Câmara Federal ofício onde renuncia expressamente ao direito do recebimento da quantia referente a verba de R$ 32 mil (indenização de despesas com mudança e transporte) por não fazer uso de apartamento funcional. Quanto aos demais parlamentares (7) não há notícias de gesto idêntico.

ESSE MDB... Lá atrás acolheu gente de todas as tendências e desde o famoso Plano Cruzado em 1986 (leia-se estelionato eleitoral) montou uma maquina formidável no país. Daí prá cá seus espertos se deram bem usando aquele discurso do deputado Ulysses Guimarães que tinha a ‘busca da democracia como objetivo maior e único’ da nação brasileira. E todo mundo se deu bem nas tetas oficiais.

A MÁSCARA do partido caiu definitivamente na ‘Lava Jato’, onde figuras exponenciais foram indiciadas, condenadas e presas por corrupção em vários Estados. O ‘interessante’: ao longo das operações da Polícia Federal, não se ouviu um só discurso de parlamentares do partido aplaudindo a ação da justiça. O medo de ser investigado calou os emedebistas na Câmara, Senado e Assembleias Legislativas. Rabos presos!

ENFIM... O MDB – antes guardião da democracia – caiu na vala comum da corrupção, como sócio do PT (Dilma-Temer) O resultado que derrotou a maioria dos candidatos do partido em 2018 mostrou isso. Como o candidato do MDB ao Governo do Estado poderia pregar o combate a corrupção com seu líder maior – ex-governador Puccinelli (MDB) na cadeia - suspeito de praticas ilícitas? Ora, o povo intolerante fez essa leitura nas urnas!

COMENTÁRIOS não faltam a respeito da iniciativa de Puccinelli em cumprimentar a população através de vídeo (boas festas) nas redes sociais e na mídia impressa. Para a maioria seria apenas uma forma de tentar suavizar junto a opinião pública o impacto negativo devastador de sua prisão com o filho. Ora, não se pode duvidar da inteligência da opinião pública. Não é? De leve...

CRUZ CREDO! “Mercado da pistolagem superaquecido na Grande Dourados. Quanto mais poderoso o contratante e mais insubordinada a vítima...” Essa frase de autoria do colega jornalista Valfrido Silva (de Dourados) retrata bem o clima ou ambiente daquela cidade atualmente. Daí eu pergunto: será que a política de segurança do novo Governo Federal diminuirá essa violência crescente?

FIM DA FARRA O novo Governo tem mandado recados diretos de que vai fechar a torneira da propaganda oficial e de alguns órgãos como o Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. Só o Flamengo recebeu R$ 25 milhões da Caixa em 2018. Mas, seria mesmo preciso fazer propaganda de um banco oficial? Esse dinheiro devia ter outras prioridades. E tem outras mutretas petistas sob vigilância como a ‘Lei Ruanet’.

ATENÇÃO: “O futuro governo, não tem sido contestado sobre sua estratégia quanto aos riscos de ingovernabilidade – com potencial abuso de autoritarismo – que acarreta. Pelo contrário tem recebido apoio e estímulo. Entretanto, quando assumir irá perceber o quanto o processo decisório é complexo, podendo se frustrar com a ausência de efetividade de suas ações, especialmente se negligenciar a relação com os partidos no Congresso. Da forma como reagirá a isso depende o futuro da democracia no Brasil”. (Antonio Augusto de Queiróz)

‘BARBARIE CRISTÃ’ Todos os anos as tragédias se repetem nos lares que em tese acolhem parentes e amigos para celebrar o nascimento de Jesus. As discussões que envolvem principalmente problemas familiares acabam desaguando em violência, transformando o ambiente de alegria em dor sem limites. Estamos vivendo numa época de intolerância em todos os ambientes. Isso é péssimo sinal. Se é!

‘FARSA’ Essa iniciativa da petezada em coletar assinaturas para reivindicar o Prêmio Nobel ao ex-presidente Lula (PT) é mais um lance de puro marketing de vitimização para considerá-lo preso político. Com tantos outros companheiros condenados por corrupção e outros a caminho, apesar da lentidão judicial, o PT tenta de tudo, como o atacante que faz gol de mão aos 44 minutos do segundo tempo.

A PERGUNTA? Como confiar no STF se o ministro Gilmar Mendes recebeu em 2016 através do seu Instituto Brasiliense de Direito Público R$ 4,3 milhões de patrocinadores com processos na corte? Só a Souza Cruz doou R$ 2,46 milhões e teve o voto à favor do ministro numa ação milionária promovida pela Vigilância Sanitária. Outros parceiros em eventos do IBDP: Bradesco R$ 200 mil, J&F ((Irmãos Batista) R$ 500 mil, Caixa Econômica Federal R$ 190 mil.

FLERTE Ex-candidato ao senado, o engenheiro Marcelo Miglioli (PSDB) parece encantado com o mundo da política e sonha em participar do processo sucessório da capital. Vários outdoors de mensagens de final de ano - com a foto dele e da esposa Adriana (médica) - foram espalhados em Campo Grande. Como se diz: começou cedo.

CONSEGUIRÃO? A lei exige 101 assinaturas de eleitores de 9 Estados, diretórios estaduais e 486 mil assinaturas. Mesmo assim fala-se em 72 novas agremiações, entre eles o Partido da Nação Corinthiana, Partido das Sete Causas, Partido dos Servidores Públicos, Partido dos Conservadores, Partido da Educação Brasil, União Democrática Nacional. Todos querem morder esse ‘osso’.

REGISTRO: A equipe de Bolsonaro está segmentada em 5 núcleos: familiar, que tem exagerado no seu protagonismo e criado problemas graves; o núcleo militar, de experientes e preparados generais e oficiais; o núcleo econômico liberal de Paulo Guedes; o núcleo da Lava Jato, do ex-juiz Sergio Moro, e o núcleo dos fundamentalistas conservadores em que se destacam os futuros ministros da Educação, das Relações Exteriores e dos Direitos Humanos”. (Marcus Pestana)

DITADOS DE PORTUGAL: O salário mínimo deveria se chamar gorjeta máxima. Existe um mundo melhor, mas é caríssimo. Duas palavras abrem qualquer porta: puxe e empurre. Mal por mal, antes a cadeia do que o hospital. O importante não é saber, mas ter o telefone de quem sabe. Não sou um completo inútil. Ao menos sirvo de mau exemplo. No avião o medo é passageiro. A prática leva a perfeição, exceto na roleta russa.

O mal do mundo é que Deus e o Diabo envelheceram, mas o Diabo fez plástica. (Millôr Fernandes)

Comentário

‘COFFEE BREAK” O pesadelo continua, inclusive, para o ex-governador Puccinelli (MDB) após a decisão do STJ. A decisão do desembargador Sergio Martins Sobrinho (TJMS) excluindo Puccinelli do rol dos denunciados, foi rejeitada com o acatamento dos termos do recurso interposto pelo Ministério Público Estadual. Além do aspecto criminal tem o aspecto cível com o pedido de indenização de R$ 25 milhões por danos morais coletivos. Convenhamos: não é pouca grana.

LIBERDADE É comparada à honra e saúde. Só temos a dimensão exata de sua importância quando a perdemos. Por analogia presume-se que aos 70 anos de idade, Puccinelli fez ou fará profunda reflexão de tudo que vem ocorrendo em sua vida. Evidente, isso passa por um conjunto de conceitos ou valores morais e familiares. O delicado desafio: como justificar essa ausência aos netos? “Mas sempre há tempo para o repensar” – dizia o poeta.

POR UM FIO A petezada já combinava nas redes sociais ações comemorativas pela libertação do ex-presidente Lula. Mas, sob os olhares estupefatos da opinião pública, o ministro Dias Tóffoli (STF) fez o que recomenda a lei e o bom senso. Agora só em Abril para a matéria voltar a ser discutida. Será o primeiro Natal com Lula na cadeia. Aleluia!

BELEZA! Ficha limpa, não responde qualquer processo, uso de poucos recursos indenizatórios e sempre presente nos embates de temas significativos com presença 100%. Esses os principais fatores que pesaram na escolha de Fabio Trad (PSD) pelo ‘Políticos.Org’ e nas premiações do DIAP e Congresso em Foco – como o melhor parlamentar de 2018. MS. orgulhoso!

DR. ODILON (PDT) Qual seria a lição desta experiência eleitoral? Apenas tirou todas as suas dúvidas a respeito do intrigado universo político ou serviu de estímulo para novos desafios? Há quem pense: o afastamento do ex-juiz da política poderia implicar no futuro de seu filho Odilon Jr. que perderia assim sua maior referência eleitoral.

LIÇÕES Temos 2 casos de personagens sem grupo político que não sobreviveram apenas no lastro do carisma pessoal ou prestígio sazonal: ex-senador Delcídio Amaral (PTC) e ex-prefeito Alcides Bernal (PP). Ambos naufragaram por falta de companheiros políticos fortes e realmente comprometidos com o projeto deles. A menos que tenhamos um terremoto no cenário, tanto Delcídio como Bernal tem poucas chances de retorno.

CAGADA Assim é definida a decisão do ex-presidente Lula (PT) – no último dia de governo – ao vetar a extradição do assassino e terrorista italiano Cesare Battisti. O ato do presidente Temer (MDB) concedendo a extradição, caiu no gosto da opinião pública. As fotos de Lula, Battisti e lideres da esquerda na mídia fortalece ainda mais o novo governo pró-extradição.

DOURADOS Os desdobramentos dos escândalos na Câmara e Prefeitura Municipal podem ser bem mais profundos ou graves do que como se imaginou inicialmente. Coisas do ‘arco da velha’ podem ser desenterradas pelo Ministério Público atingindo medalhões do cenário político. Como pode uma cidade com 3 universidades ser tão ingênua ou ignorante na hora de escolher seus representantes? Boa pergunta.

LEI ROUANET No programa do Faustão (Globo) a atriz Fernanda Montenegro defendeu a classe dizendo: “...não somos corruptos...é preciso que busquem as gangues onde elas estão...” A turma do ‘#elenão’ babou e o pessoal do ‘#Lulalivre’ amou. Mas faltou à atriz explicar quem ela acusou de corruptos. O ator Zé de Abreu, por exemplo, não deve ter gostado desta colocação da nobre colega. De leve...

FILÉ MIGNON Os vereadores da nossa capital não se intimidaram com a reação da opinião pública quanto ao aumento salarial ( 47%) deles próprios. O prefeito Marcos Trad (PSD) vetará, sancionará ou optará pelo silêncio? A bronca nas redes sociais é a primeira e a segunda pode ser nas urnas. Lei da ação e da reação, como ocorreu com o pessoal do ‘Coffee Break’ nas eleições.

AFRONTA Os políticos não podem ignorar a força crescente das redes sociais. Quem não tem um celular? Na pausa do almoço, o gari da limpeza, o comerciário, o servente de pedreiro e o empresário estão ligados nelas. As renovações havidas na Assembleia Legislativa, Câmara Federal, Câmara Municipal e no Senado são creditadas em sua maioria à internet. Quem avisa...

A VITÓRIA de Bolsonaro (PSL) não foi obra do acaso. Foi a reação indignada da população que paga a conta salgada da corrupção, dos penduricalhos dos políticos e do funcionalismo público. Tudo é legal, mas imoral. Aliás é preciso reaver o percentual dos duodécimos repassados aos poderes. Os marajás surfam no conforto, se tratam no Hospital Sírio Libanês; já a maioria sofre nos corredores das UPAs. As discrepâncias nas aposentadorias também são cruéis.

A POLÍCIA continua sendo um ‘caso de polícia’. É aqui, em São Paulo e no Rio de Janeiro – por exemplo. Em nosso Estado tem policiais envolvidos em várias frentes de mutretas como mostra o noticiário. Gente de alta patente dando péssimo exemplo ao resto da tropa. Esse corporativismo é vergonhoso e às vezes deixa o cidadão de bem numa sinuca de bico: “peço ou não peço socorro à Polícia?” Aonde chegamos!

REGISTRO-1 Com a reforma trabalhista os sindicatos perderam força para investir nas eleições. Comparando: até o pleito de 2015 a bancada sindical tinha 81 deputados federais e caíu para 51. Em 2018 foi reduzida para 33 representantes. Teremos um novo tempo, a exemplo do que ocorre no exterior, onde o liberalismo ganha força contra a social democracia.

REGISTRO-2 A ideia de esquerda, direita e centro oriunda da Revolução Francesa é superada. A vitória de Donald Trump nos ‘States’, o caso Brexit e o fenômeno Bolsonaro aceleraram a crise da social democracia. Restaram as capengas Cuba e Venezuela, além da Coreia do Norte e China para enfeitar o bloco comunista. É o mundo em evolução – mais pragmático – sem espaço para utopia.

LUIZ F. PONDÉ “...Somos seres preguiçosos, a menos que nossos pecados nos estimulem a algo. Suspeito que João de Deus desaparecerá e as mesmas pessoas que o adoravam vão procurar outros para adorar... A vida não tem um sentido maior, e esse fato se materializa em elementos concretos como perdas, sofrimentos, frustrações diversas. Sei que tem gente que não precisa disso. Mas aos ateus também se deve prescrever uma certa dose de humildade. Sei que você pode deixar de acreditar em Deus, mas cuidado para não passar a acreditar em qualquer bobagem do tipo ciência, natureza, política, história – ou, pior, crer em você mesmo ou crer no desejo. Eita coisa ridícula (...)”

A DERROTADA No passado a Rede Globo ficou contra Leonel Brizola na eleição para o governo carioca. Depois bancou Collor de Mello contra Lula na eleição ao Palácio do Planalto. Agora, mostra-se inconformada com a vitória de Bolsonaro (PSL) nos textos e imagens do seu noticiário. Essa visita do presidente eleito ao empresário e apresentador Silvio Santos (SBT) foi a gota de água. O povo não é bobo – já percebeu.

FERNANDO GABEIRA: “...As religiões podem melhorar nossa vida porque ajudam a carregar o fardo da mortalidade. Mas os seres humanos continuam frágeis e limitados. Por isso, com o olhar de hoje, vejo como charlatanismo a proposta de Che Guevara de criar um novo homem. Na verdade, somos e seremos muito menos importantes do que julgamos ser. Creio que morreria de tédio num mundo perfeito. Por isso, dispenso a crença na vida eterna e procuro me ajeitar com minha condição de simples mortal (...)”

BARBARIDADE Só no Brasil! Condenado pela justiça e em liberdade graças a outro grande brasileiro - ministro Gilmar Mendes (STF), o ex-ministro Zé Dirceu (PT) circulando por aí todo pomposo e lançando seu livro de memórias. Aqui em nossa capital o deputado Vander Loubet (PT) tecendo loas a ‘importância’ da obra de fundo político. Zé Dirceu é o mesmo que afirmou: “a corrupção no Brasil acabou”. Lembra?

O CAMINHO DA VIDA (Charles Chaplin) O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém nos extraviamos. A cobiça envenenou a alma dos homens...levantou no mundo as muralhas do ódio...e tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e morticínios. Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela. A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria. Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis. Pensamos em demasia e sentimos bem pouco. Mais do que máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que inteligência, precisamos de afeição e doçura. Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo será perdido.

Feliz Natal – 2019, um novo Brasil que precisamos e queremos!

Comentário

A ESCOLHA Para os deputados estreantes na Câmara 2 modelos a seguir: o primeiro de Carlos Marun (MDB) que adotou a fidelidade partidária (e se deu bem) dando as costas à opinião pública. O segundo de Fábio Trad (PSD) sintonizado com o texto legal e o clamor social, além de seu preparo. Estilos opostos: Marum: volume e barulho; Trad: conteúdo e discrição.

O NOVELO Os casos de Ladário e Dourados não seriam os únicos em matéria de safadeza. Se puxar o fio deste novelo vai aparecer ‘mágicas cavernosas’ nas relações entre prefeitos e vereadores em muitos municípios. Ao que parece o Ministério Público deve estender essas investigações sobre diárias, verbas de representação e assuntos relacionados a licitações tipo ‘carta marcada’.

AS RELAÇÕES entre Executivo e Legislativo por aí seguem o mesmo roteiro: os vereadores dificultam a vida do prefeito para colher facilidades. Com o dinheiro do duodécimo repassado pontualmente os vereadores tratam logo de gastá-lo custe o que custar. E tem mais: vereadores exigem um mensalinho do Executivo através de mecanismos diversos.

O GOLPE Segundo ouvi no saguão da Assembleia Legislativa, o Ministério Público Estadual estaria colhendo material para apurar eventos promovidos por uma entidade representativa de vereadores do Estado. Tais eventos de duvidoso proveito técnico teria como objetivo maior justificar o recebimento de diárias dos vereadores participantes. Seria a chamada indústria de diárias com direito a diplomas e certificados.

LIGEIROS Muitos vereadores interioranos de primeiro mandato podem até continuar tendo dificuldades em dar o nó perfeito na gravata. Só na gravata - repito - porque em matéria de esperteza surpreendem com o aprendizado rápido apesar da pouca cultura. A grande maioria abandona a profissão original para a dedicação exclusiva à vereança. Mas esquecem: a suculenta teta é temporária.

JARDIM Com 11 vereadores, a Câmara Municipal é beneficiária do repasse mensal do Executivo da quantia de R$ 240 mil. Cada um deles ao custo mensal de R$ 22 mil. Muito ou pouco diante do potencial do município e das atribuições de suas ‘excelências’? Conta-nos o presidente do legislativo Fernando Ramos (PSDB) que neste ano devolverá R$ 240 mil ao Executivo.

LEGAL x MORAL Esse confronto nasceu com os princípios da ética de Aristóteles e pelo que se vê o direito absorveu a concorrente. Os governantes estabelecem suas leis em proveito próprio. Dane-se moral, ética e cia. O exemplo do STF como referência para todos - de todos os poderes em níveis diferentes. O raciocínio dos vereadores é simples: se eles podem, porque não posso? É a aposta na memória fraca da sociedade.

CAGÕES Quando foi que a sociedade brasileira, sem bandeira partidária, saiu às ruas para protestar? Foi em 2013 contra a corrupção. Quando se vê os franceses fazendo o enfrentamento com gana e coragem, passa pela gente um sentimento de covardia e falta de patriotismo. Nem mesmo o ufanismo pelo futebol (hoje medíocre do Tite) consegue sacudir nosso povo. Quem sabe o futuro presidente Bolsonaro consiga reverter.

‘RED BULL’ Agora energizado, o deputado eleito Londres Machado (PSD) centra suas observações no ‘Planalto’. Acha que o presidente Bolsonaro (PSL) deve mesmo conversar com as agremiações partidárias – afinal, elas ‘irrigam’ os parlamentares com o fundo partidário. De nada adiantam bons projetos sem apoio parlamentar para a necessária aprovação. Sobre a política da terra evitou manifestar. Não insisti.

EU SABIA! Claro, tudo dependerá do futuro carcerário do ex-governador Puccinelli (MDB). Mas o futuro presidente do diretório do partido deverá ter o perfil ou estilo de Puccinelli. Daí que essa deverá ser a missão de Carlos Marun, deputado licenciado e que a partir de 2019 não terá mandato parlamentar. No saguão da Assembleia Legislativa a opinião: ‘André e Marum se parecem, logo se complementam’.

QUESTÕES As últimas derrotadas consecutivas do MDB no Estado e capital são sinais de que além do desgaste em nível nacional, o partido envelheceu e se desgastou. Há muitos anos que todas decisões partem de Puccinelli ou do atual senador Moka. Com maioria no diretório eles ditam as normas e sufocam tentativas de renovação. Aliás, lembra o que vem ocorrendo no PT Guaicuru.

RENOVAR? Se a senadora Simone Tebet (MDB) e o próprio deputado Jr. Mochi (MDB) não conseguem impor suas ideias, o que esperar dos 4 deputados estaduais, vistos como simples pupilos do ‘tio André’. Convenhamos: a derrota do ex-deputado Edson Giroto (PR) na vitória de Alcides Bernal (PP) parece não ter servido de lição a cúpula do MDB. Os tempos, definitivamente mudaram. Cuidado com os celulares!

APOSTA do MDB Guaicuru seria a eleição de Simone Tebet a presidência do Senado. Uma aposta que até pode ocorrer por força da conjuntura nacional. Mas se isso não ocorrer, seria mais um fator agravante contra o partido no Estado e inclusive colocando em risco a reeleição da senadora, até aqui com atuação opaca. Seu desgaste respingou na votação (2.846 votos – 6º lugar) de seu marido – deputado Eduardo Rocha (MDB) em Três Lagoas.

FIM DE FEIRA O que não faltam são discursos lamurientos de deputados que não se elegeram na Assembleia Legislativa. Sabe como é: o osso é saboroso. Na outra ponta o deputado Zé Teixeira (DEM) consolida sua costura para continuar na 1ª. Secretaria. Já o deputado Picarelli (PSDB) batalha para conseguir uma boquinha na Assembleia Legislativa ou no próprio Governo. Deve conseguir.

PERA LÁ! Engenheiro civil e empresário, o vice-governador eleito Murilo Zauith (DEM) ocupará a poderosa Secretaria de Infra Estrutura. Terá 2 anos para mostrar serviço. Se o governador Reinando (PSDB) deixar o cargo para tentar o Senado, Murilo assume e pela lei pode ser candidato a reeleição. É bom levar a sério essa hipótese.

MANDETTA Nosso futuro ministro da Saúde – apesar do tiroteio feroz da imprensa esquerdopata – vai se saindo muito bem nas entrevistas abordando vários aspectos que envolvem a nossa saúde. Ao ‘Globonews’ foi feliz dizendo que a presença de políticos no ministério impediu a continuidade dos projetos. Sem mandato em 2019, estará livre e solto para um bom trabalho.

BOLSONARO Provoca arrepios na petezada colada nas tetas oficiais. Imaginem que existem dezenas deles ganhando altos salários na estatal do ‘Trem Bala’ que não existiu e não vai existir. Acabar com a Infraero através da privatização dos aeroportos será outra medida que já incomoda o ‘Lulopetismo’. A aceitação de suas propostas de governo por 75% da população é fruto desta coragem de virar a mesa.

ALELUIA!!! A estrada é longa. Sua aprovação depende de 308 votos a favor nos 2 turnos. Mas só em 2019. Após um ano de espera, a aprovação pela comissão especial, da Proposta de Emenda a Constituição é uma luz para acabar com o foro privilegiado de 55 mil ‘autoridades’. Ficariam beneficiados só o presidente da República e o vice; e os presidentes da Câmara, do Senado e do STF.

PEPINOS Ônibus lotados sem ar e terminais deteriorados – seguidos de insegurança e drogados nas ruas, além de taxa de lixo, IPTU, UPAs lotados e carência de médicos pediatras são os maiores problemas da capital pelos números da Ranking Pesquisas. Mesmo assim a aprovação do prefeito Marquinhos (PSD) é de 77,79%.

AVALIAÇÕES Na mesma pesquisa o governador Azambuja (PSDB) obteve 40,16% de ótimo/bom – 18,33% de regular – 15,16% ruim/péssimo e 9,10% não sabem/não responderam. Pior foi o presidente Temer (MDB): 7,25% ótimo/bom – 20,41% regular, 64,08 ruim/péssimo e 8,26% não sabem/não responderam. Câmara da capital levou 36,16% ótimo/bom – 33,41% regular – 19,75% ruim/péssimo - 10,68% não sabem/não responderam.

ARREMATE O que o contribuinte acha do festival do aumento de salários dos nossos gloriosos servidores dos 3 poderes? Com mais de 10 milhões de desempregados essa não é a hora disso. Justo Veríssimo e a Lei de Gerson imperam. O questionamento vale para os nobres vereadores de Campo Grande e todos os integrantes da administração municipal. Não convém brincar com a nossa memória.

A vingança é uma espécie de justiça selvagem. (Francis Bacon)

Comentário

‘BOA PRAÇA’ O livro ‘Uma Vida Pra Valer’ do colega Oscar R. Gaspar biógrafo de Nelson Trad, é mais que uma simples obra literária; é um poço rico em referências da história política da nossa terra antes mesmo da criação do Estado. Sem dúvida, o título da obra caiu como uma luva e coloca o ‘ Nelsão’ no panteão das personalidades políticas do MS. Merecido!

É PRAGA? Com exceção de Murilo Zauith, há uma lista longa de administrações municipais de Dourados com marcas da incompetência ou corrupção. Como pode a cidade superar tantas barbaridades? O episódio do ex-prefeito Ari Artuzi, infelizmente, não significou o fim deste ciclo tenebroso. Escândalos, prisões e denúncias continuaram ocorrendo no cenário político.

SUJOU A prefeita Délia Razuk (PR) de saia justa com as prisões de seu Secretário de Fazenda e do diretor de licitação por suspeita de fraude em licitação e outros crimes. Para engrossar o caldo, ‘respeitáveis’ figuras do legislativo municipal douradense também em cana por suspeitas de corrupção. Já os políticos presos de Ladário – de cabeças raspadas - devem comer o panetone natalino na cadeia. Sabor indigesto.

O Natal tá aí e pergunta-se no saguão da Assembleia Legislativa: ‘o ex-governador Puccinelli (MDB) sai antes ou terá o pior Natal da vida?’ O TRF-3 já negou o seu pedido para liberar R$ 18 mil reais mensais. Aliás, segundo a denúncia, o rombo pela ‘farra’ da ‘tchurma’ supera R$ 235 milhões. Na lista: compras ilícitas, documentos falsos, desvios, superfaturamento de obras, licitações direcionadas, propinas para agentes públicos e concessão de créditos tributários direcionados.

É PENA que o mandato do senador Pedro Chaves (PSC) esteja no final. Em tão pouco tempo contribuiu com seu conhecimento, notadamente nas questões educacionais. Agora está nos representando na Assembleia Geral da ONU em debate da situação dos países de renda média e desenvolvimento sustentável. O senador é membro titular da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado. A robustez de seu mandato aumenta a responsabilidade dos dois futuros senadores.

DESAFIOS Falta professor na sala de aula! Um dos maiores desafios para o Governo Estadual em 2019 será acabar com a farra de funcionários por desvio de função. O funcionário é aprovado para uma função e exerce outra em órgão diferente por influencia política. Assusta o número de policiais – inclusive de oficiais – lotados no Tribunal de Justiça, Assembleia Legislativa, Ministério Público, Tribunal de Contas e Secretaria da Fazenda.

O CUSTO financeiro desta deformação funcional é altíssimo para os cofres públicos. Como todos os políticos tem culpa no cartório, o assunto simplesmente é ignorado na Assembleia Legislativa em favor de temas mais amenos - que vão de homenagens à escolha da fruta silvestre ‘Guavira’ como símbolo do Estado. “Nada como viver num Estado sem problemas”, já dizia o poeta.

LAMENTÁVEL Nosso Estado nasceu sob o signo do apadrinhamento político como se as tetas jamais fossem secar. Cada político com sua turma numerosa de parceiros afilhados a espera de uma boquinha. A tal Constituição foi uma mão na roda: deu estabilidade para quem estava no serviço público. Há muita gente aposentada, ganhando bem, sem nunca ter trabalhado.

PERGUNTO aos meus botões: será que os nobres futuros deputados estariam preocupados e preparados para abordar e questionar temas delicados como esse? O mandato parlamentar não se afere pelas proposituras de amenidades, nomenclaturas de prédios e logradouros públicos e votos de pesar. Sem preparo pessoal e assessoria efetivamente competente não se vai a lugar algum. É a dica.

O CORPORATIVISMO em todos os legislativos é muito forte em ‘defesa da honra dos nobres pares’. Como se diz: Mexeu com um – mexeu com todos! O que se vê no ‘glorioso’ Congresso Nacional repete-se em todos os níveis. Pena que os colegas jornalistas locais não se unam para escolher os melhores e os piores parlamentares. Entendo essa postura inerte, mas não concordo. Lamento.

FANTASMA As prestações de contas afligem o sono de ex-administradores públicos em tempos de ‘viva a moralidade’. Quando menos se espera vem uma intimação da justiça ou do Tribunal de Contas da União para informações ou juntada de documentos. Como o trâmite dos casos é lento por conta da burocracia, a novela demora anos e anos.

EXEMPLO atual é o da senadora Simone Tebet (MDB) que continua com os seus bens indisponíveis pela Justiça Federal, o que pesou na sua breve candidatura ao Governo Estadual e inibe sua postulação a presidência do Senado. A denúncia do MPF fala em desvios de recursos públicos para custear campanha eleitoral. A ação foi proposta em 2014. Combustível para a concorrência nordestina esperta.

INCÓGNITA Embora eleito para a Câmara Federal com 56.339 votos, dos quais 29.028 votos na capital, o candidato Loester Carlos Gomes de Souza ( PSL), o Tio Truts pouco aparece na mídia para expor suas ideias às vésperas de assumir o mandato. Sabe-se que ele aos 36 anos de idade é comerciante, nascido em Campo Grande, anti-PT e defensor ferrenho do combate a corrupção e do presidente Bolsonaro. Vamos aguardar.

TEM JEITO? Daqui só o deputado Fabio Trad (PSD) votou contra o escabroso projeto de lei que autoriza os municípios a estourarem o teto de gastos. Com isso a Lei de Responsabilidade Fiscal caiu por terra. O pior é que a matéria já havia sido aprovada no Senado e tudo leva a crer que o Governo Federal deva sancioná-la. Fim da picada!

DISPUTA Com as bênçãos do governador Reinaldo (PSDB) o deputado Paulo Correia (PSDB) agiu rápido e viabilizou sua candidatura à presidência do legislativo estadual. O velho filme: os deputados novatos não sentam na poltrona da janela. Os cargos da mesa diretora e das 16 comissões entram nas negociações. Enfim: todos querem ficar perto do guichê - mas só os privilegiados conseguem.

NA ELEIÇÃO da Assembleia Legislativa conta menos o carisma e mais a capacidade de agregar – a qualquer custo no sistema toma lá dá cá e da máxima pregada por São Francisco de Assis. Muitos interesses em jogo: contratação de empresas diversas, nomeação de funcionários, relações com a imprensa e um talão de cheque generoso. Não é por acaso que os deputados do PT esquecem as divergências com os neoliberais do Bolsonaro para conseguirem boquinhas no esquema.

MARUM (MDB) O nosso ministro da Secretaria de Governo que parecia influente no Palácio do Planalto demonstra mais pose do que poder. Após anunciar em com muita pompa recursos para manutenção do asfalto da BR 262, o que se vê é uma rodovia em estado de calamidade. O pessoal de Três Lagoas tem motivos de sobra para reclamar da promessa não cumprida.

NOVIDADE? Claro que não! Tudo que o ex-ministro Antonio Pallocci (PT) contou agora na delação premiada todo mundo já sabia. O nascimento e a multiplicação da riqueza de familiares do ex-presidente Lula é um milagre típico do ‘lulapetismo’; prega uma coisa e faz exatamente o inverso. Quanta hipocrisia desta esquerda que adora caviar.

DESAFIOS Como acomodar aliados de primeira hora e forças políticas importantes do Congresso Nacional no poder? O futuro presidente Bolsonaro vai tentando acomodar interesses sabendo de que corre risco de desgastes antes mesmo da posse. Seu projeto de diminuir o número de ministérios – por exemplo – já foi água abaixo. Haja tetas!

BONITO Onde está a política de previsão contra a ação dos fazendeiros no cultivo de soja ou mesmo na reforma das pastagens. Curvas em nível é uma pratica indispensável para se evitar erosões e enxurrada em direção aos córregos e rios. Neste caso repete-se aquela velha máxima da administração pública: depois da porta arrombada é que se providencia os cadeados ou fechaduras.

“Com essa bolinha que a seleção está jogando, Tite precisa opinar menos sobre política” (na internet)

Comentário

Página 1 de 19
  • mistura
  • unimed

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014
E-mail: douranews@douranews.com.br

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus