Timber by EMSIEN-3 LTD
Manoel Afonso

Manoel Afonso

GORDINHOS...e diabéticos! Deputado Marcio Fernandes (PMDB) falou comigo da esperança em ver a Assembleia Legislativa derrubar o veto do Executivo ao seu projeto de lei proibindo a venda de refrigerantes nas escolas de educação básica do Estado. Diz Marcio: “saúde é mais importante que impostos”.

PAULO SIUF Na conta do consumidor a Energisa debita mais 7% do valor para se ressarcir dos ‘gatos’ do ano anterior. Pelo projeto do deputado do PMDB, o desconto cairia para 5% e todo dinheiro iria para entidades assistenciais como Apaes e asilos. Siufi quer também a especificação dos débitos na conta. Gostei!

‘BELEZA’ Mais uma lei para combater o machismo nas escolas. Nossos deputados estaduais desconhecem o Código Penal e da Lei Maria da Pena sobre o assunto? É matéria de competência federal. Engraçado, o autor deputado Pedro Kemp (PT) votou contra a Lei Harfouche. Esses petistas...

INSISTO Vereadores, deputados e senadores, jogam para a torcida com leis inócuas para inchar o currículo. Que tal a lei hilária do ex-deputado Digo Tita (PPS) dando aos gagos desconto de 50% na tarifa telefônica? Virou piada nacional - ele entrou para o folclore político. Não será esquecido jamais.

FÁBIO TRAD Toca a vida, olha o cenário para avaliar se participa do pleito em 2018. Na Câmara Federal destacou-se pela qualificação profissional e postura discreta; estilo oposto – por exemplo - do deputado Carlos Marum (PMDB) na mídia por relações com personagens e fatos desgastantes.

‘FACADA’ Após denúncia liderada pela FIEMS, através do presidente Sergio Longen, falou-se em reavaliações. Mas o cartório do 2º Ofício da capital cobrou R$ 39,15 por uma certidão de óbito. Do valor, R$10,15 destinados a Fujecc, Funda-PGE, FEADMP, Fanadep, ISSQN. Deputados não usam cartórios?

ALELUIA Opinião pública aplaude a decisão do TJMS que mandou de volta para a Justiça comum o processo contra o policial rodoviário federal Ricardo Hyum Su Moom, matador do empresário Adriano C. do Nascimento aqui na capital. Um caso gravíssimo que não pode ficar impune. Basta de sangue e lágrimas!

VITRINE CPI da Assembleia Legislativa quer vender na mídia a imagem de bandido de Joesley Batista e atrair holofotes. Mas seus integrantes correm o risco inverso por eventuais fatos ao longo do processo; seu presidente – deputado Paulo Correia (PR) - ficou estigmatizado ao ser gravado ensinando um colega a fraudar a lista de presença.

A GUERRA O governador Reinaldo não fugiu a luta, mas 7 dos ministros do STF já decidiram pela validade da delação premiada do JBS e a manutenção da relatoria com o ministro Fachin. Consultei advogados e eles criticaram vários aspectos que envolveram a tal delação estranha. Fachin ficou com toda a boiada.

‘ESTRANHO’ No vídeo, Joesley Batista diz que depositou 150 milhões de dólares em contas de Lula e Dilma no exterior. A sua dúvida era se na conta do ex-presidente teria sido 70 ou 80 milhões de dólares. Na sua volta dos ‘States’ ele não falou mais sobre isso. Nem à Polícia Federal e nem à revista Época. Ninguém vai perguntar?

INDIGNADO Visível o sentimento atual de justiça do eleitor nas pesquisas. Os nomes emergentes e o alto percentual de indecisos indicam que as mudanças na cabeça do eleitorado estão só começando e continuarão influenciadas pelos novos fatos que devem acontecer até as eleições. Que viver verá.

OS INDICATIVOS constam de amostragem na capital e 16 cidades realizada de 8 a 18 de junho pela ‘Ranking Comunicação e Pesquisa’. Se a avaliação de ótima e boa do governador Reinaldo supera 25%, a do presidente Temer é de apenas 4.83%. Na capital o prefeito Marquinhos surfa com 36.10%.

PLANALTO Na estimulada, Lula tem 23,13% contra 18,26% de Bolsonaro, 10,20% de Dória, 4,13% de Marina, 3,30% de Alckmim, 2,93% de Ciro, 1,83% de Caiado, O,70 de Eymael, 0,43% de Randolfe e 0,36% de Temer. Dos 3.000 entrevistados, 34,73% não sabem e não responderam.

ESQUISITA a presença do PSD ao lado do PSB, PDT, PC do B e PT nas previsões do deputado federal Zeca do PT, novo presidente regional do partido no MS. O prefeito Marcos Trad (PSD) tem se desviado do assunto eleição, mas seu jogo de cintura não deve chegar a tanto. Teria fratura exposta de coluna.

ALCIDES ‘ALADIM’ Fim de mandato. No passado um prefeito comprou café em pó para os 4 anos seguintes. Agora o Tribunal de Contas do Estado não engoliu o golpe do ex-prefeito Bernal na compra de lâmpadas de LED no valor de ‘apenas’ R$ 33,8 milhões. A decisão tem o condão de reparar a fraude e alertar os ‘espertos de plantão’.
A CÂMARA Municipal já se posiciona sobre eventual abertura de CPI para apurar o caso. Como lembra o presidente João Rocha (PSDB): “é no legislativo que chegam os pedidos por substituição e instalação de lâmpadas nas vias públicas- e quando não atendidos - os vereadores acabam sofrendo desgastes”.

NO ASILO São João Bosco. É lá que a ex-vereadora do PT na capital Thais Helena prestará serviços por 7 meses, conforme decisão do TSE. É a pena por gastos ilegais nas eleições de 2012. Inelegível até 2015, Thais certamente aproveitará esses 7 meses para reflexões existenciais. PT saudações.

FATOR NOVO Alguns lideres políticos, principalmente do interior, ainda se fiam nas velhas práticas do favor e do poder financeiro para angariar votos. Quando questionados ironizam a internet, as redes sociais e até o whatsapp em crescimento constante. Acham que são ‘novidades passageiras’, como a TV foi vista um dia.

REALIDADE Ora! Em qualquer vila interiorana o celular está presente. Nas ruas, nos portões dos colégios, supermercados e praças, deparamos com pessoas utilizando o aparelho ou curtindo os serviços oferecidos. Os papos de gente sentada nas calçadas em frente às casas pertencem ao passado.

OS NÚMEROS de pesquisa recente do IBOPE mostram a nova realidade. Para 56% dos eleitores em condições de voto em 2018, as mídias sociais terão algum tipo de influência na escolha de seu candidato à presidência da república. Para 36%, as redes sociais terão muita influência.

CONFIRA o grau de influências no eleitor na hora de escolher: internet/redes sociais 36%; a mídia 35%; papo com amigos 29%; movimentos sociais 28%, parentes 27%: partidos políticos 24%; políticos influentes 21%; igrejas e lideranças cristãs 21%; artistas e celebridades 16%.

ALERTA A internet é uma espécie de batalha sem tréguas, onde perder um dia pode significar perder a ocasião. A vida está cada vez mais virtual. Olhe ao seu redor para perceber como tudo mudou por força da inovação tecnológica. A internet é um campo democrático; todos são iguais. Taí a diferença dos currais eleitorais em apodrecimento.

Lembrando: “O PT acabou com a corrupção no Brasil” (Zé Dirceu – 2004)

Comentário

100 ANOS Ex-governador Wilson Barbosa Martins completando 100 anos de idade. Probo, adotou o discurso moralista (sem eco) da UDN, mas, sem gente competente no seu entorno, cometeu equívocos e erros administrativos que custaram caro ao cofres do Estado. O final do 2º mandato foi pífio.

ENERSUL Patrimônio sólido, rentável, privatizado para tornar o Estado ‘mais leve’ (e mais pobre). Os deputados estaduais aprovaram, a exemplo da venda da Sanesul da capital - pelo ex-governador Puccinelli. Ficamos a chupar dedos. Ora! ‘Dobrar’ os deputados é mais prático.

OS NEGÓCIOS da administração pública deveriam ser monitorados pela sociedade. Os parlamentares, em todos os níveis, costumam fazer o jogo do Executivo em manobras espúrias - como essas que a ‘Lava Jato’ revelou. Maracutaias das grandes campeiam pelo país afora.

‘PEGADINHAS’ Viram só! Bastava mudar um simples parágrafo de uma lei para o ex-poderoso Eduardo Cunha (PMDB) ganhar milhões das empresas beneficiadas. O mesmo expediente, nas devidas proporções, de gestores públicos que fazem do discurso ético o passaporte para vantagens pessoais.

NA PRÁTICA sabe-se como funciona em Brasília. Parlamentares espertalhões que tem poder de fogo na influência da bancada ou partido acabam levando parte do dízimo dado pela empresa interessada nesta ou naquela lei – de incentivos fiscais por exemplo. E isso não vai parar nunca?

A SITUAÇÃO chegou a tal ponto de que ao passarmos perto de uma obra pública, ou ao lermos a notícia sobre um futuro projeto governamental – vem o questionamento automático: “quanto será que o fulano, o sicrano,estarão levando por fora?” É a generalização da culpa.

INDIGNAÇÃO “Como os nossos políticos enriquecem tão rápido e mantém padrão de vida tão alto?” As manobras salariais e as vantagens reveladas por exemplo no caso do senador Aécio Neves (PSDB) passa ao leitor a ideia do ‘expediente legal’ que há – do Senado às Câmaras Municipais.

‘APRENDIZES’ O temor nas revelações da Lava Jato, é que truques mostrados para ‘Cunha e cia’ ganhar dinheiro, sejam assimilados por vereadores. É igualzinho aquelas reportagens sobre assaltos e golpes que incentivam e ensinam gente mal intencionada a se iniciar no mundo do crime.

‘NOITES TRAIÇOEIRAS’ O ex-governador Puccinelli (PMDB) repetia seus projetos: os netos e o instituto para incentivar os jovens na iniciação profissional. Quanto ao primeiro item nada sei; já o segundo é pura abstração. Os ‘ventos’ mudaram, a prioridade é ‘outra’. A sua candidatura apregoada por escudeiros passará pelos crivos da justiça e da opinião pública.

BASTIDORES Sem nomes competitivos, e com o desgaste no cenário nacional, o PMDB deve cooptar um nome para viabilizar a eleição dos candidatos na proporcional. Lembra? Em 1998 apoiou o tucano Ricardo Bacha. Fala-se no prefeito Waldeli de Costa Rica e na ex-vereadora Carla Stefanini (PMDB), candidata a vice governadora.

NÃO FUJA! Desvie dos shoppings da capital e passe lá pela antiga rodoviária para conferir o outro lado da ‘Morena mais bonita do Brasil’. É de estarrecer, de dar um nó na alma o estado em que vivem dezenas de pessoas drogadas. A sociedade não pode ser covarde e hipócrita. O desafio há de ser enfrentado.

OBSERVO Poucos na sociedade topam encarar essa parada. Algumas igrejas e raros políticos. O deputado estadual Lídio Lopes (PEN) é um exemplo. Numa chácara na região das ‘3 Barras’ mantém estrutura que cuida de 28 jovens. Iniciativas como essa devem ser divulgadas para chamar a atenção de quem vira o rosto para o problema.

‘AVESTRUZES’ Adotar a postura dessa ave não vale. Utopia pensar que sua família esteja livre do vício. A sociedade precisa se encorajar. Os governos preferem investir em outros nichos por votos ou lucros. Festas, festivais, Copa do Mundo e Olimpíadas são exemplos. Inversão de prioridades.

‘LEI HARFOUCHE’ Professores e diretores desrespeitados, ameaçados e agredidos, quebram móveis, depredam as instalações. Essa a rotina nas escolas onde os ‘alunos’ tudo podem. Quem for contra é porque não conhece nossas escolas. É preciso frear, corrigir e punir alunos que não recebem educação em casa.

NO LIMITE Adotamos norma rígida ou tudo estará perdido. O deputado Lídio Lopes (PEN) lembra: “é preciso resgatar a disciplina e a autoridade na escola, sob pena de incentivo a violência nestes jovens. Professor passou a ser profissão de risco”. Ora! Ora! Quem não respeita a escola não se educa para a vida.

ARREMATE Com os pais trabalhando fora os filhos ficaram soltos. Valores como respeito, consideração e verdade esquecidos na escola, que é no fundo um agente do Estado, com poderes de ensinar e punir. E mais: os pais dos bons alunos são a favor de corrigir os indisciplinados. Portanto, tolerância zero!

NA CAPITAL Os incentivos fiscais questionados. A Câmara Municipal, por exemplo, deve reformular a lei do PRODES, que na visão do presidente Sergio Longen (FIEMS) está superada, vulnerável, carecendo de maior transparência e equidade na concessão de benefícios às empresas. Bom começo.

DOIS OLHARES Um em direção a Assembleia Legislativa onde nasce uma CPI; outro, rumo ao STF que indeferiu, via ministro Celso de Mello, o pedido do governador Reinaldo (PSDB) para anular a delação de Joesley Batista. Mas é mais fácil prever o resultado final na Assembleia do que no STF.

INCOMODA? Inegável diante do mar de incertezas e as reivindicações salariais que já manifestam. Até aqui Reinaldo continua com as mangas da camisa arregaçadas, cumprindo agendas positivas e passando imagem de confiança. A pontualidade no pagamento dos salários e a geração de empregos formam binômio positivo.

‘OBRA PETISTA’ Mais de 1 bilhão de reais do Banco do Brasil e BNDES que o ex-presidente Lula mandou emprestar ao amigo José Carlos Bumlai para investir na Usina São Fernando em Dourados. Agora com a falência da usina decretada, aflora mais uma obra prima do PT. Será que os petistas locais vão criticar a decisão judicial? Aguardo.

RUAS VAZIAS pessoal do ‘Vem Pra Rua’ decepcionado; os petistas desmoralizados com as prisões de vários caciques. No fundo a população já fez a leitura do quadro; quer Lula e Aécio em cana e um nome novo no Planalto. O desafio é aguentar o sangramento até o pleito de 2018.

A REPRESENTAÇÃO política faliu, uma farsa; os partidos parecem canteiros produzindo corruptos. Por comodismo ou vantagem financeira o brasileiro delegou o poder e abriu mão do protagonismo da participação efetiva. Se os probos se omitirem, os ‘siameses de Eduardo Cunha’ sobreviverão.

“Já disse a el-rei, que este mundo é covil de ladrões, porque tudo vive nele de rapinas – até nas árvores há ladrões”. (Pe. Manoel da Costa – Arte de Furtar, cap. III, 1.652)

.

Comentário

OS ESTRAGOS eleitorais por aqui não distinguiram partidos e lideranças. É bom saber: um mês antes de estourar o caso da delação de Joesley Batista, a Polícia Federal já havia remetido à Justiça Federal planilhas da JBS sobre o pagamento de propinas no valor de R$34 milhões endereçados a políticos e ao PMDB local.

DETALHES Os documentos foram apreendidos pela Polícia Federal na ‘Operação Lama Asfáltica’. Mas ainda em 2016, a mesma PF apreendeu na casa de um secretário adjunto da Fazenda Estadual, planilhas com datas, nomes, valores e cópias de três acordos de incentivos fiscais da JBS e Governo estadual.

AUDITORIA das planilhas mostrou: os benefícios tributários obtidos pela JBS correspondiam exatamente aos valores anotados como pagamentos à proporção de 20%; R$ 5 milhões ao PMDB, R$ 9,2 milhões para uma empreiteira e R$ 2 milhões a uma gráfica, entre outros. Joesley foi categórico: “começou na época do governador e atual deputado Zeca do PT”.

VERDADE? Valdir Boni, delator no acordo fechado com a Procuradoria Geral da República, diz que a JBS pagou R$ 150 milhões como remuneração pelos decretos, tanto na gestão de Puccinelli (PMDB) quanto na do atual governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

AS REAÇÕES dos políticos locais não podiam ser diferentes, como aliás, tem sido nos casos de todos personagens envolvidos na ‘Lava Jato’. Destaco a iniciativa do governador Reinaldo em pedir ao Supremo Tribunal Federal a anulação da delação premiada e que o ministro Fachin não seja o relator da ação aberta. Não há prazo para a decisão do ministro Celso de Melo.

MAIS FOGO! Além disso, o caso daquela gravação mostrada no ‘Fantástico’ acabou por estremecer ainda mais os pilares do Governo estadual. Tanto que o ex-deputado Paulo Duarte tem grandes chances de ser convidado para o cargo de Secretário da Fazenda, pois é do quadro e tem bom trânsito.

A NOTÍCIA é do conhecimento público e teria gerado prejuízos aos cofres públicos. Daí que a intervenção do Ministério Público Estadual deve se fazer presente, mostrando sua independência. O órgão é diferente da Assembleia Legislativa, uma casa que se pauta pela conveniência política.

NOTAS FISCAIS Como estão as investigações para se saber se os emitentes tinham lastro para tais emissões? A Polícia Rodoviária Federal comprovaria que os ‘caminhões fantasmas’ dos tais bois não teriam sido detectados nos radares das rodovias que demandam às fazendas citadas. Saíram de helicóptero?

NOS PORÕES do poder há muita sujeira. A delação da JBS mostrou os‘operadores’ das mutretas: Ivanildo da Cunha Miranda, João Baird e André Luiz Cance. Aliás, Ivanildo também participou do comitê de arrecadação na campanha eleitoral de Reinaldo ao governo. Alguma dúvida?

OS DEPUTADOS estaduais fingem não ler os jornais ou que não frequentam a mídia. Não tratam das denúncias como deviam pelas implicações partidárias. Mas o que não se pode é desprezar a inteligência da população, indignada e sofrendo as consequências da corrupção generalizada.

AGRAVANTE Enquanto se discute a pesca do dourado na Assembleia Legislativa as manifestações por aumento salarial vão aparecendo. Cansados de tentar uma negociação através do poder legislativo, os policiais civis acenam com greve. O acampamento em frente a governadoria prova isso.

E AGORA? Por motivos óbvios há mais dúvida do que certeza quanto aos resultados da Comissão Parlamentar de Inquérito criada para investigar as denúncias de corrupção no Governo estadual entre 2010 e 2017. Os 5 deputados terão até 180 dias para apresentar sua conclusão. CPI, sabe-se apenas como começa. O final é incerto.

A TRADIÇÃO leva-nos a acreditar que o tempo acabará por minimizar a importância desta comissão. O presidente dela, deputado Paulo Correa (PR), não foi beneficiado por doações da JBS, mas foi flagrado ensinando um colega a fraudar a lista de presença de funcionários. Convenhamos: um péssimo precedente.

CENÁRIO Pelo que ouço nas ruas, a classe política pode se preparar para uma reação sem precedentes em 2018. A opinião pública que já se sentia indignada com os escândalos a nível nacional, está simplesmente enfurecida com os escândalos revelados ultimamente aqui no Estado.

FIGURAS públicas atingidas pelas denúncias – comprovadas ou não – passaram a ser estigmatizadas no imaginário popular. Injustiças à parte, está aberto um grande espaço para novos pretendentes a vida pública, sem vícios e com propostas confiáveis. O povo está enojado com tamanha corrupção.

EVIDENTE que é difícil encontrar cidadãos competentes da iniciativa privada disposto a assumir tamanho risco de desgaste num embate eleitoral. O mau cheiro que exala do fosso político espanta qualquer mortal. Mas a mídia tem que acreditar que outros bons nomes surjam.

NOMES Menos pelas pesquisas, mais pelo que ouço por aí, vão ganhando manifestações crescentes de simpatia o senador Pedro Chaves, o médico Ricardo Ayache (Cassems) e o Juiz Federal Odilon de Oliveira que ensaia aposentadoria do cargo. Lembro: teremos duas vagas ao Senado e uma a governador.

O SENADOR Pedro Chaves (PSC) é professor que se transformou em empresário da educação por méritos pessoais indiscutíveis. Em pouco tempo de mandato tem conseguido se destacar nacionalmente como mostra a mídia. Sua experiência de vida e sua visão moderna de administração se entrelaçam.

O MÉDICO Ricardo Ayache (PSB) revelou-se um bom administrador no comando da Cassems. Sua incursão inicial na política como candidato suplente do senador Delcídio do Amaral deu-lhe maior visão do cenário político. Tem evitado manifestar-se, mas há sinais de que poderia aceitar o desafio.

DR. ODILON Claro! Sua função jurisdicional não lhe permite agradar a todos. Mas, seu estilo e formação manifestados ao longo da sua carreira, o habilitam a ingressar na política pela porta da frente. Quando se discute tanto direito e justiça, ele seria um bom paladino no Senado, por exemplo.

“TALVEZ” Sobre sua eventual candidatura à Assembleia Legislativa em 2018, o presidente da Assomassul, Pedro Arlei Caravina (PSDB), prefeito de Bataguassu, confessou que o atual cenário turbulento não permite projetos a longo prazo. É claro, tudo dependerá dos ventos que estiveram soprando na época. Ajuizado ele!

Eu prefiro o anonimato. Um juiz dedicado aos seus processos que não tem nenhum glamour” (Desembargador Herman Benjamin - TSE)

Comentário

AGONIA Onde não tem escândalo por dinheiro? Ouvi de um sábio de plantão que come abelhas no café matinal – “neste ritmo o Silvio Santos acabaria ganhando as eleições para presidente”. O motivo: todos os brasileiros querem dinheiro. E culpar a herança portuguesa pela nossa conduta não vale.

US$ 5 MILHÕES Foi o que Joesley Batista (JBS) emprestou a Leonardo Mantega, filho do ex-ministro Guido Mantega, que aliás esqueceu de declarar US$ 600 mil depositados num banco no exterior. O mais surrealista; Joesley perdoou a dívida porque o ‘negócio’ de Leonardo não prosperou. E os portugueses têm culpa disso?

‘CHORUMELAS’ Aqui quem trabalha não tem tempo para fazer política. Antônio Ermírio de Moraes levou pau. Brasília tem a maior renda ‘per capita’ do país, 36,4% superior à de São Paulo e seis vezes à do Maranhão, que nos deu presidentes de estatais, do Senado, da República, além de ministros diversos.

SINAIS da crise: Demissão de domésticas e frentistas de postos de combustíveis; troca do óleo do motor do carro com o dobro da quilometragem; ônibus intermunicipais quase vazios; fuga dos planos de saúde; clubes sociais perdendo associados, sapatarias faturando com os fregueses da ‘meia sola’, corte de cabelo masculino a R$ 10,00.

RECADO “Sou político ficha limpa, que trabalha incansavelmente a favor de conquistas e melhorias para MS. No Conselho de Ética adotarei a mesma postura que sempre marcou minha vida pessoal e profissional. Vou agir com dignidade, justiça, bom senso e transparência...”

A DECLARAÇÃO do senador Pedro Chaves (PSC), indicado membro titular do Conselho de Ética (15 membros) do Senado, soa como a reafirmação de princípios e projeto político para 2018. Já ocupou espaço neste cenário árido e sequioso por gente qualificada, de currículo notável.

O DESAFIO do nosso Tribunal de Contas será estabelecer parâmetros justos para normatizar a concessão do pagamento de diárias dos vereadores em viagens. A corte reconhece: existem viagens justificáveis - mas existem aquelas com o objetivo único de ‘levar’ o dinheiro do contribuinte.

O TEMA é velho, motivou condenações judiciais em ações do Ministério Público Estadual. Mais cautelosos, vereadores interioranos tem vindo menos à Assembleia Legislativa para o ‘café amigo’. Dalí saem alegres com a certidão garantidora da verba extra. Ora! Aprendizes desta ‘feitiçaria’.

DÚVIDAS A simples emissão de nota fiscal de animais bovinos para abate, segundo os especialistas na área, não garantiria a lisura da iniciativa ou ato mercantil. Para um contador: “a nota pode estar incompleta propositadamente para ser recusada pelo frigorífico, sem penalidades fiscais ao produtor”. Venda fictícia segundo a nota.

A QUESTÃO das notas fiscais emitidas por vários personagens que gravitam o poder, travestidos de ruralistas, tem sido criticada nas mídias sociais. Afinal, sempre há o amigo ou vizinho íntimo das lides rurais distinguindo a esperteza neste episódio acobertado, mas não sepultado. Falta o romaneio, documento do frigorífico.

DESGASTE Como evitá-lo diante da situação constrangedora do senador afastado Aécio Neves, ex-presidente nacional do PSDB e de Sergio de Paula, que agora gerencia o partido (PSDB) no Estado? Ambos estigmatizados, complicando o discurso tucano e os projetos para 2018.

EM BAIXA Foi uma semana onde os deputados estaduais do PSDB e PMDB se sentiram pouco à vontade para abordagem de alguns temas. Não tinha visto nada igual nesta legislatura. Alguns - estrategicamente – evitaram a imprensa ou pouco ficaram no plenário. Clima de funeral. E será que melhora?

‘FANTÁSTICO’ Expectativa quanto ao trabalho da comissão de parlamentares estaduais para investigar o governador Reinaldo Azambuja na delação de Wesley Batista, da JBS. Lembro: deu ‘pizza’ no caso envolvendo o deputado Paulo Corrêa (PR) ensinando o colega Felipe Orro (PSDB) a fraudar a lista de ponto. Por analogia...

SEMPRE falo dos observadores de plantão no saguão da Assembleia Legislativa. De ‘etnias’ diversas, cada qual olhando o cenário de ângulo diferente. Devem ser ouvidos sim para uma avaliação mais próxima da voz das ruas. Num ponto eles são unânimes: PT, PMDB e PSDB viraram trigêmeos em apuros.

IMAGENS convencem os mais céticos e com áudio são unanimidade. As cenas do tal encontro do pessoal do frigorífico entregando maços de dinheiro ao ‘Polaco’ seriam irrelevantes na análise do contexto geral da crise do governo estadual? O que a população pensa sobre o caso? É a pergunta.

NA TELEVISÃO vimos muitas cenas de flagrantes de entrega de dinheiro produto de corrupção. A primeira no episódio do Mensalão, uma mixaria perto dos milhões das propinas nos incentivos fiscais, estádios, obras das Olimpíadas, Copa e JBS. Fica difícil acreditar que esse dinheiro dos empresários dos frigoríficos seria destinado ao Asilo São João Bosco ou Hospital do Câncer.

‘PELEANDO’ A situação nacional reflete aqui. O Governo estadual lida em duas frentes: cortar gastos e negociar com mais de 15 categorias de funcionários clamando por aumento salarial e acenando com greve inclusive. A queda do ICMS do gás e das atividades que geram renda pesaram violentamente.

PREVISÕES Os funcionários vão intensificar as manifestações indo para as ruas e pressionando o Governo estadual. Um velho filme dirigido pelos dirigentes sindicais, craques em desgastar a imagem dos governantes. É aquela história: nunca se perde a oportunidade para levar vantagem política.

SEM RODEIOS Para o Secretário da Administração Carlos Alberto. de Assis os números do Governo não deixam dúvidas quanto as causas da crise econômica. Ele planeja montar, a partir de julho, uma equipe de monitoramento da arrecadação com a presença de representantes do funcionalismo inclusive. O secretário reafirmou a disposição de não fugir ao diálogo com os funcionários. Isso é bom.

O HOMEM? Foi difícil o papo de minutinhos com o Juiz Federal Odilon de Oliveira num supermercado da capital. Menos pelos agentes de segurança e mais pela insistência de pessoas em cumprimentá-lo efusivamente, como se ele fosse o aniversariante do domingo. Já os políticos - passaram por lá sem serem notados.

NA ÚLTIMA edição falamos que o prefeito Waldeli, de Costa Rica, pretenso candidato a governador pertence ao PR. Questionado sobre o fato, o deputado Eduardo Rocha (PMDB) retrucou sorrindo: “Ele é do PMDB – está só emprestado ao PR”. Esses partidos lembram Eduardo Cunha, Michel Temer, Sergio Cabral, Edson Giroto e Valdemar Costa Neto.

POLÊMICA na maioria das cidades, a taxa de iluminação pública ganha espaço na Câmara Municipal da capital. Ouvi do vereador Carlão (PSB) argumentos interessantes que envolvem o episódio iniciado lá atrás na gestão de Alcides Bernal (PP), que embora tivesse dinheiro em caixa, não executou a troca de lâmpadas.

“Ser chamado de “doutor” é uma das utopias mais fascinantes do brasileiro” (Nelson Rodrigues)

Comentário

LISTA SUSPEITA Assisti, li as defesas de vários políticos locais inseridos na famosa lista da delação dos irmãos Joesley e Wesley Batista. Como a mídia divulgou o teor destes argumentos, cabe ao eleitor sensato analisar os personagens citados, os fatos e tirar suas conclusões. Respeito a inteligência do leitor.

OPINIÃO PÚBLICA É o conceito formado. Passional ou implacável. Exemplos: Na falta de documento cartorial do sítio atribuído ao ex-presidente Lula vale o conjunto de informações relacionadas ao caso. Como não admitir a barbárie do policial rodoviário federal Ricardo Hyun Su Moon matando Adriano Nascimento com vários tiros de pistola aqui na capital?

E AGORA? A procuradora Jacequara Dantas, durante a visita do governador Reinaldo Azambuja ao Ministério Público, fez um declaração forte que acusa e compromete os ex-governadores André (PMDB) e Zeca do PT. Disse ela: “O que vimos em outros governos era a tentativa de silenciar os promotores”.

ATÉ TU PEDRO? O deputado petista Pedro Kemp no rol de beneficiados, vai representar o PT na comissão legislativa para investigar o governador. Logo ele, crítico mordaz do atual quadro político. Os R$ 30 mil recebidos seriam por boa fé dele ou falta de orientação da assessoria? A conferir.

PODEROSA Destaque para a quantia de R$ 102 mil destinada à deputada Antonieta Amorim (PMDB) pelo fato dela ser irmã do empresário João Amorim, citado, inclusive, nominalmente na delação de Joesley Batista como intermediário e influente na cúpula da política local. Entenda como quiser.

RUSGAS Perguntei ao deputado Beto Pereira (PSDB) sobre as duras críticas do Chico Maia (ex-presidente da Acrissul) ao governador Reinaldo em vídeo no Youtube. Na lata ele respondeu: “Ele não tem DNA de pecuarista. Não pode ser levado em conta”. E será que essa polêmica prospera?

SUGESTÃO Na delação do Friboi vários nomes foram citados como emitentes de notas frias para abate de gado. Até aqui apenas o deputado José Teixeira (DEM), o presidente da Fundação de Turismo Nelson Cintra e o secretário da fazenda Marcio Monteiro exibiram as notas fiscais.

O CORRETO é que as pessoas citadas tomassem a iniciativa de convocar a imprensa para explicar e exibir seus documentos. Quanto mais tempo pior. Já se comenta que poucos deles imitarão o governador Reinaldo. E aí terão dificuldades de reverter o estigma de corruptos. Quem avisa...

CASOS GRAVES Entre janeiro/fevereiro de 2016 Ivanildo da Cunha Miranda emitiu R$ 5 milhões de notas. O ex-prefeito de Dois Irmãos do Buriti, Osvane Ramos emitiu notas de R$ 847 milhões. Elvio Rodrigues emitiu R$7.600 milhões entre agosto/dezembro de 2017. E tinham cacife para isso?

‘FIGURINHAS’ Impressiona a desenvoltura de alguns personagens ao longo das últimas administrações estaduais. São as chamadas iminências pardas, que agem nos bastidores no tráfico de influência nas mais diferentes áreas. Entre elas, João Roberto Baird, João Amorim e Ivanildo da Cunha Miranda. Até quando?

A ENXURRADA de denúncias envolvendo agentes públicos é diária, com prisões, inclusive. Nas filas das lotéricas, nos cafés e bancos não se fala em outra coisa. Aí o brasileiro associa as dificuldades financeiras pelas quais passa às sacanagens dos políticos. E nem podia ser diferente.

DE LEVE ‘Quanto mais tem, mais querem’; a filosofia de grande parte dos políticos. Quando vejo-os em situação humilhantes, levados pela Polícia inclusive, questiono: será que vale a pena isso? Nem saúde ou idade tem mais para usufruir da grana. O que dizer aos amigos, familiares e vizinhos? Valeu a pena? Nada paga a tranquilidade, a honra e o direito de ir e vir de cabeça erguida. Vão levar o que no caixão?

BASTIDORES O Fundo Partidário chegará as 819 milhões em 2017 e isso atiça as velhas raposas da política nacional. Lembro que o manda chuva nacional do PSB, deputado Carlos Siqueira destituiu a deputada federal Tereza Cristina do comando local. Sem padrinho e sem cofre ela terá dificuldades em 2017.

FARTURA PTB de MS é fiel a Roberto Jefferson, participa com força do diretório nacional e morde na gorda fatia do Fundo Partidário. Lembro a frase antológica do presidente Ivan Louzada: “Ser político não é fácil, principalmente quando se trabalha com sinceridade como trabalhamos”. Aí doeu. ‘Menos Ivan – please’.

POLICIA FEDERAL As eleições de 2017 – em todo país – passam sim pela atuação desta instituição, criticada pelos políticos, mas aplaudida pela imensa maioria da população. Ela faz seu trabalho, mas as vezes ingerências estranhas atuam contra, soltando culpados, inclusive. Mas o povo já entendeu isso.

ASSUSTADOS é que não faltam por aí. A lista deles passíveis de embarcar no camburão preto/dourado da Federal não é pequena. Tudo pode acontecer. Esse papo de que tudo estaria sob controle é falácia. Para isso ‘primeiro seria preciso combinar com a Polícia Federal”. E isso felizmente é impossível.

AO SACRIFÍCIO? Ouvi no saguão da Assembleia Legislativa que o PMDB, diante do quadro ruim, poderia optar pela candidatura a governador do prefeito de Costa Rica Waldeli (PR) ligadíssimo ao ex-deputado Edson Giroto. Os senadores peemedebistas Waldemir Moka e Simone Tebet veriam o nome como boa opção.

COMPLICADO Os deputados do PMDB querem e precisam de uma candidatura majoritária sob pena de acabarem fritos como naquela eleição em que a ex-deputada Celina Jalad saiu candidata a vice governadora de Gandi Jamil. Cá entre nós: só de se falar em PR e Giroto o pretenso candidato estará estigmatizado.

NA TEVÊ? Para compensar o fim das propagandas com a Fatima Bernardes e Toni Ramos, o Friboi investe em alguns de seus 44 produtos - Margarina Doriana, Swift e Sandálias Havaianas. Bem, há chances do consumidor boicotar seus outros produtos, PMDB, PSDB, PT, PP, PR.

ESSES JUIZES... A mídia foca no Planalto e ignora o diálogo do senador Aécio Neves (PSDB) e o ministro do STF Gilmar Mendes pedindo favores, inclusive. Juiz suspeito. Juiz é pago pra julgar e não dar palpites. O pessoal da toga quer aparecer, como faz o ex-ministro Joaquim Barbosa. Quando devia, se acovardou com ‘dor nas costas’.

TEM JEITO? Conta Sergio Longen, presidente da FIEMS, das dificuldades que encontra para colocar em pratica vários cursos profissionalizantes aqui na capital. Após a euforia do período das inscrições, o pessoal começa a faltar nas noites em que há futebol na TV.. Futuros clientes do Bolsa Família.

‘BELEZA’ O que pensa o leitor que assistiu as cenas do bate-boca envolvendo os senadores PMDB, Moka e Renan, nesta quarta feira? O que falar então das referências jocosas de Renan quanto a figura do deputado Carlos Marun, chamado de ‘enviado de Curitiba’? Pois é: o PMDB também apodreceu.

“Comparadas a Brasília, Sodoma e Gomorra são conventos de carmelitas descalças” (Rogério Distéfano)

Comentário

‘VALE TUDO’ Nesta novela, de 1988, o personagem sacana vivido por Reginaldo Farias foge com a mulher e na cabine do jatinho dá uma ‘banana’ debochada. Após 29 anos a ficção vira realidade: os irmãos Batista dão no pé e enviam carta infame pedindo desculpas. Aí lembro Cazuza cantando: “Brasil – Mostra a sua cara – Quero ver quem paga pra gente ficar assim – Brasil – Qual é o seu negócio?”

‘MAGIA’ A história da Friboi é pública. Sacou dinheiro do BNDES e nos Governos Lula e Dilma cresceu 17 vezes. Aliás, essa relação promete revelações sensacionais. Mas interessa aqui os estragos que a Friboi fez na economia estadual, onde acertou com os políticos, comprou frigoríficos e imperou absoluto ditando preços e condições aos produtores. Hoje, ao contrário dos alemães na época de Bismarck, nós sabemos como as linguiças e as leis são feitas.

SEM SAÍDA Vender pra quem senão para a Friboi? Sem concorrência, a Friboi nadou de braçadas, depreciando inclusive o mercado do bezerro/garrote. Ferrou literalmente os criadores e invernistas, mas ajudou os políticos – cúmplices - que fazem vistas grossas a essa política de cartel vergonhosa.

‘MIGALHAS’ Pelo que fatura aqui, inclusive por conta dos incentivos fiscais estaduais com a ‘Celulose Eldorado’ em Três Lagoas, ‘foi pouco’ o que investiu nas eleições para o Senado e Governo em 2014 [R$ 10,5 milhões ao PSDB; R$ 5 milhões ao PMDB; R$ 400 mil ao PP e R$ 154 mil ao PT. Detalhe: só cachê de Andrea Boccelli para cantar na inauguração da Eldorado foi de R$1 milhão.

VENDO essa aliança esdrúxula dos políticos, alguns deles pecuaristas, com a JBS e Friboi – não há como deixar de citar o Nelson Rodrigues em sua genial definição: “Eu me nego a acreditar que um político, mesmo o mais doce político, tenha senso moral”. A imprensa local tem sim o dever de levar esses fatos ao conhecimento da população.

O NOVO? Evidente que o quadro nacional poderá influenciar o eleitor local na sua análise das possibilidades ou perspectivas do pleito de 2018. Ora! A sucessão nacional – pelo calendário – ocorrerá junto com a sucessão estadual. Daí - tudo poderá ocorrer dependendo dos protagonistas e do quadro à época.

O ESTIGMA que colou na classe política que ‘habita’ Brasília, contamina por analogia grande parte dos políticos regionais. Salvo as exceções, aqui a imagem da classe política por conta dos currículos e escândalos, leva o eleitor a repensar, liberto de velhas paixões, partidos e lideranças.

A RAPIDEZ dos fatos do cenário político associada à situação econômica enseja a reflexão sobre conceitos administrativos e seus líderes. Não é por acaso, por exemplo, que o prefeito paulistano João Dória Jr. ganha força, passando a ser visto como nova opção ao Planalto em 2018. Mas advirto: o Brasil ainda não chegou ao fundo do poço.

EVIDENTE que estereótipo do novo político diz mais de suas atitudes comportamentais e exemplos de vida do que sua idade. Vale sim o seu preparo, comprometimento com ideias modernas, transparentes e de acordo com as necessidades do povo. Já ouço por aí algumas reflexões neste sentido.

EXEMPLO local que ganha chances é o do senador Pedro Chaves (PSC) com disposição de ocupar o espaço da candidatura majoritária. A estrada é longa, mas há ambiente para costuras, agregando lideranças e partidos para duas vagas ao senado e a vice governador. É pra pensar, sim!

TORNOZELEIRA Com ou sem ela, o ex-governador André Puccinelli saiu ainda mais fragilizado. Como no episódio da prisão do ex-deputado Edson Giroto (PR), adotou a postura passiva – estranha a sua personalidade – não se defendendo na imprensa das graves imputações contra sua honra.

ALEGAÇÕES de abuso de autoridade de nada adiantam; os estragos são irrecuperáveis. As prisões de pessoas ligadas ao ex-governador funcionam como combustível inflamável na fogueira da imaginação popular, onde as versões populares se sobrepõem às provas processuais, inclusive. A casa caiu junto com o mito?

OS ÓRFÃOS de André fazem o que podem para minimizar os estragos. O choro é grande. Sem outro nome à altura, o caminho inicial seria o PSDB. Mas no saguão da Assembleia Legislativa ouvi a tese de que tudo dependeria da performance da atual gestão tucana e até dos reflexos de Brasília.

CIRO GOMES Aos 60 anos, o mesmo crítico com soluções para todos os males. Perguntei-lhe sobre sua derrota nas eleições de 2002 e ele confessou na lata: “perdi pelas bobagens pessoais”. Tenta postar-se como alternativa da esquerda, aposta na imprevisibilidade na política. Tá na área, tenta o gol que perdeu lá atrás.

DR. ODILON O flerte do Juiz Federal com o PDT é interessante, mas o partido dependeria da força da coligação. Poderia integrar uma coligação sendo candidato ao Senado, ao lado de Ricardo Ayache ou Murilo Zauith (ambos do PSB) junto Pedro Chaves (PSC) ao Governo.

O JUIZ FEDERAL Odilon participa na manhã deste domingo, às 9h30, do programa ‘Diálogo Aberto’ na TV Record-MS, comandado pelo colega Ogg Ibrahim, falando inclusive sobre política. Além do colunista, participa a jornalista Carmem Cestari. Convém assistir!

PURA VERDADE! “Nós erramos no julgamento do desempenho parlamentar: do vereador ao senador. Temos por parâmetro verificar quantas leis ele criou, sem levarmos em conta que elas podem ter complicado ainda mais nossa vida, com mais entraves e às vezes outros impostos”.

A OBSERVAÇÃO, de Sérgio Longen - presidente da Federação das Industrias de MS. – durante o debate havido na entidade com a presença do jornalista Ricardo Amorim (Globo News), retrata essa cultura sedenta por leis. Esse excesso de legislação encarece e inviabiliza o país, afastando os empreendedores. O país dos carimbos e certidões.

SEM MOLEZA Se depender do presidente João Rocha (PSDB) da Câmara da capital, a CCR MS Vias não terá vida fácil. Na reunião desta quinta feira com vereadores de 21 cidades servidas pela BR 163, ele mostrou as incoerências da empresa para justificar o abandono das obras e a cobrança do pedágio.

JOÃO ROCHA lembrou: só 136 km dos 845 foram duplicados – menos de 17%. O fluxo diário de 46 mil veículos garante a continuidade da obra; a empresa obteve empréstimo de R$ 2,9 bilhões junto ao BNDES. Documento foi elaborado e enviado a Agencia Nacional de Transportes Terrestres mostrando o quadro desolador. É esperar.

“O Brasil é um prato cheio para o sarcasmo e a avacalhação” (Diogo Mainardi)

Comentário

DEGRADAÇÃO Também aqui as notícias sobre as atividades dos políticos cada vez mais inseridas no contexto policial. As diferenças apenas no ‘modus operandi’ e nas classes sociais dos protagonistas. Além da Lava Jato, os escândalos locais aumentam a ojeriza do eleitor pela classe política.

CENAS horríveis. Lá atrás o ‘setentão’ José Carlos Bumlai era visto na TV pelos seus netinhos ao ser conduzido preso. “Olha lá o vovô!” Uma suposta frase de efeitos devastadores na cabeçinha deles. Depois, a vez do ex-senador Delcídio do Amaral e do ex-deputado Edson Giroto (PR) amargarem a prisão mostrada na televisão.

LEMBREI destes casos mais recentes em nosso imaginário ao deparar com a imagem do ex-governador André Puccinelli (PMDB) caminhando ao lado de vários policiais. Sem discutir a culpabilidade, fiquei imaginando a reação de seus netinhos, aos quais ele prometera presença constante fiel. Lembra?

O ELEITOR antenado! Tirou suas conclusões das declarações pró André feitas pelo deputado federal Carlos Marun, deputado estadual Eduardo Rocha e o vereador Loester Nunes, todos do PMDB. Também entendeu a opinião moderada do deputado federal Zeca do PT, já condenado pelo TJ-MS por improbidade administrativa.

UTOPIA neste instante exigir que o eleitor separe com precisão cirúrgica esses casos – daqueles praticados pelo então governador Sergio Cabral (PMDB), ex-ministro Antonio Palocci (PT) e outros implicados e presos na Lava Jato. A lógica induz a generalização, justa ou injusta. Funciona assim.

CÉREBRO humano é um computador, armazena os dados e encaixa as peças. Se você, por exemplo, analisar os depoimentos dos delatores da Odebrecht e confrontá-los com as circunstâncias, a postura dos denunciados e o conteúdo de documentos, concluirá pela procedência da acusação.

EXEMPLOS não faltam na história política. Se Fortunato Gregório era o homem de confiança do ex-presidente Getúlio Vargas, improvável que esse último não soubesse de sua conduta imprópria. Se Zé Dirceu e Palocci eram ‘carne-unha’ do ex-presidente Lula, impossível que ele não soubesse das irregularidades.

O MESMO raciocínio a opinião pública poderá ter quanto ao ex-governador André em relação as irregularidades denunciadas e que motivaram inclusive o uso da tornozeleira. Afinal, na escolha de seus auxiliares na administração, sempre pesaram os itens confiança ou lealdade.

INSISTO Essas acusações são graves. Verdadeiras ou não só tempo dirá. Enquanto isso haverá a batalha judicial dentro daquele cenário que o brasileiro conhece. Mas há de se contar o desgaste político pela continua exposição na mídia, um campo fértil da imaginação crítica.

E AGORA? André jogará a toalha? Repensará verdadeiramente as prioridades de sua vida? Deixará órfãos seus companheiros do PMDB que imploram pela sua volta? Imitará Lula adotando o ataque como defesa, insistindo nas pretensões de disputar o poder em 2018? Tem saúde e idade pra isso?

SAÚDE Volta e meia vemos políticos ‘baixando hospital’ após postergarem a ida ao médico. Aí convivem com problemas silenciosamente. Foi assim com o ex-presidente Tancredo Neves. Lembra? No caso de André, perto de completar 69 anos, precisa fazer uma releitura de suas prioridades.

PENA... Em alguma situações de luta pelo poder, os políticos ouvem primeiro os companheiros e só depois os familiares. Pela análise da sequencia comportamental de André nos últimos meses de sua gestão, a conclusão é que de fato ele curtiria os netos. Mas a decisão pelo anonimato é opção rara.

PERGUNTO: Como manter uma pré-candidatura ao Governo e ao mesmo tempo tendo que se defender de denúncias gravíssimas do ponto de vista jurídico? Uma posição delicada que municia os adversários mesmo antes da campanha. Mas cabe a André decidir se essa luta vale a pena.

O PODER é bom, massageia o ego, mas cria arestas e desgasta os protagonistas. Aí vem a chamada fadiga que já ocorreu lá atrás quando o ex-deputado Edson Giroto (PR) foi imposto candidato à prefeito da capital. Foi um recado claro do eleitorado que o ex-governador não entendeu ou ignorou.

FADIGA Tudo que é novo um dia envelhece. Pedrossian encantava Cuiabá quando governador do velho Mato Grosso. Mas o tempo passou. Ao disputar pela última vez o Governo de nosso Estado já estava fora do compasso e dos padrões exigidos. Na ânsia pelo poder ignorou os sinais da fadiga.

TAMBÉM atrás de André, como ocorrera com Pedrossian, há políticos interessados na candidatura dele. Evidente, almejam aproveitar dessa candidatura majoritária para se elegerem em sua sombra. Enfim, são vários interesses que afloram na vida partidária. Não há ingênuos e nem inocentes no cenário.

O QUADRO sem André facilitaria a união PMDB-PSDB. A relação do Governo com os deputados estaduais flui fácil. Mas a ausência de André complicaria a vida política dos peemedebistas Moka (senador) e dos deputados Carlos Marun e Eduardo Rocha devidos aos laços que os unem.

MEMÓRIA A vitória de Carlos Marun – em prejuízo ao concorrente Fábio Trad – ocorreu graças a mão forte de André na campanha. O senadorr Moka foi outro candidato beneficiado pelo empenho do então governador derrotando Dagoberto Nogueira (PDT|) por menos de 60 mil votos.

ASCENSÃO Enquanto o PMDB de André tenta se desvencilhar dos problemas, outro grupo político é forte protagonista no cenário. Trata-se da Família Trad que comanda a prefeitura da capital e com boas relações com o Parque dos Poderes. Com tamanho cacife eleitoral estará presente nas negociações.

EVIDENTE A reeleição do governador Reinaldo ficaria mais tranquilo tendo também a composição fechada com o ‘clã Trad’, já que o ex-prefeito Nelsinho traria o PTB. Há ainda a real possibilidade do senador Pedro Chaves (PSC) se juntar ao grupo em busca da sua reeleição. Política é a arte de agregar.

ALELUIA! O projeto ‘Reviva Centro’ saindo do papel com assinatura do empréstimo de R$ 175 milhões do BID à prefeitura da capital. O prefeito Marcos Trad (PSD) tem a dimensão exata da sua importância. Entusiasta pelo evento, o senador Pedro Chaves (PSC) lembra que haverá o renascimento do velho centro comercial.

INSISTO Será que o pessoal da Receita Federal dormiu durante os longos anos dos governos do PT e não viu as falcatruas desse monte de dinheiro desviado no caixa 2 mostrado na Lava Jato? Enquanto isso, o cidadão mortal é autuado para prestar contas com o Leão devido merreca de valores. Assim não dá!

Atire a primeira pedra a mulher que nunca comprou uma blusa, uma joia, um par de sapatos... um triplex no Guarujá. (na internet)

Comentário

“SUTIÃ DE ITU” Só ele para abrigar essas tetas. São 304 sindicatos de empregados no MS. – 15.007 no país. Se o parâmetro para aferir o progresso do país fosse o número de sindicatos, a Dinamarca com 164 sindicatos e o Reino Unido com 168, estariam no

ENFIM... Neste ritmo e com tantos encargos vamos nos limitar ao agronegócio e a venda de minérios, importando o que nossas fábricas não produzem mais por falta de competitividade. Pergunto: já notou quantos itens industriais de seu consumo são produzidos no país? “Olha a China aí gente!!!”

A PROPÓSITO Estou convidado para participar como debatedor no dia 16 de maio do evento promovido pela FIEMS para apreciar as questões pertinentes as Reformas Trabalhista e Previdência. Economistas, empresários, juristas e diretores de sindicatos patronais também marcarão presença.

DEFINIDO Ao colunista o vereador Carlão (PSDB) já se posicionou que apoia a decisão da direção nacional em destituir a deputada federal Tereza Cristina da presidência regional do PSB. Planejando uma eventual candidatura ao Senado, o médico Ricardo Ayache assumiria o posto.

MILLÔR FERNANDES Sua antiga frase “As leis foram criadas para burlar a justiça” serve como uma luva no episódio do Senado em aprovar a “Lei do Abuso de Autoridade”. O cidadão de mediana inteligência sabe que é uma lei de encomenda para proteger os políticos corruptos.

PERGUNTO: O PMDB de Mato Grosso do Sul sobreviverá com o ex-governador Puccinelli fora de qualquer disputa? Há duas vertentes. A primeira, o PMDB é forte no interior com prefeito e vereadores e que tiraria bom proveito da natural divisão partidária em qualquer cidade.

A SEGUNDA vertente é que sem a disputa majoritária o partido se desintegraria não só pela carência de outra figura interna de sua estatura e também pelo desgaste devido ao envolvimento do PMDB nos casos da ‘Lava Jato’. Virou partido corrupto, tal qual o PT, PP, PR e tantos outros.

DETALHE Vivemos o período de ‘caça as bruxas’ que pode contaminar ainda mais a imagem de André. Após o caso do ex-deputado Edson Giroto( PR) , veio a denuncia de cobrança de propina (por um diretor da Odebresch), envolvendo André, Giroto e João Amorim junto a uma empreiteira de rodovia.

A MÍDIA mostra os fatos em notícias diversas. O leitor vai juntando os detalhes e acaba formando sua convicção sobre a eventual culpabilidade ou inocência deste ou daquele personagem. É assim que funciona em qualquer circunstância, onde busca-se entender um fato como um todo.

A DÚVIDA é se essas notícias comprometedoras desgastarão André a ponto de inviabilizar sua candidatura. Ele se posta defensivamente fomentando a vitimização e longe de estar acuado, age nos bastidores usando seu prestígio em Brasília para nomear titulares dos cargos federais no Estado.

DESAFIOS São muitos. Além de ficar incólume ao estigma do PMDB na corrupção nacional, André não teria como força de apoio fundamental a prefeitura da capital. O prefeito Marcos Trad (PSD) descarta apoiá-lo e se juntaria ao PSDB do Governador Reinaldo e ao PTB de Nelsinho Trad.

DESASTRE... Em 1990 o PMDB optou em indicar a deputada Celina Jallad candidata a vice-governadora de Gandi Jamil. Elegeu só Valter Pereira para a Câmara Federal e André Puccinelli, Valdenir Machado, Waldemir Moka e Franklin Masruha para a Assembleia Legislativa. Um vexame.

RENOVAÇÃO Muitos acham que Wilson Barbosa Martins e Pedro Pedrossian não deveriam ter disputado as eleições de 1994 e 1998 respectivamente. O primeiro se elegeu, mas teve desempenho pífio. O segundo não se olhou no espelho, fiou-se apenas no passado e ficou em 3º lugar.

COMPARAÇÕES Ouço algumas delas ligando as trajetórias de Pedrossian e de Puccinelli. Concordo apenas na incomensurável sede pelo poder de ambos. Os tempos são outros e as exigências do eleitor são infinitamente maiores. Mas não se pode esquecer o ‘espírito latino’ de André.

PARAQUEDAS Há mais dúvida do que certeza quanto a unidade do PMDB aqui no Estado. Claro que o desgaste das lideranças nacionais pesa contra, criando uma espécie de estigma, a exemplo do PT. Cada deputado preocupa-se em se reeleger, deixando o nome da majoritária em segundo plano.

VEJA BEM: O PMDB tem só um deputado federal, Carlos Marun e seu senador Moka terá concorrentes de peso em 2018. Já na Assembleia Legislativa- Antonieta Amorim, Eduardo Rocha, Jr. Mochi, Marcio Fernandes, Paulo Siufi e Renato Câmara. E mais: o partido perdeu as últimas eleições municipais nas principais cidades. Isso pesa sim!

A POLÍTICA ensina que é preciso conviver com os adversários. Isso os deputados do PMDB vem fazendo com precisão na Assembleia Legislativa. No fundo uma mão lava a outra. O Governo atende aos pleitos dos parlamentares, inclusive com emendas, e eles são parceiros nos seus projetos.

TERCEIRA VIA É possível que devido ao cenário, a tal surpresa reapareça em 2018? Deputados não admitem a hipótese e indagam: Quem? E de onde viria o dinheiro para a campanha? Mas já tem eleitor dizendo que não votará de graça. Aí será preciso ‘combustível’ para motivá-lo.

JUNTOS? Qual a reação do eleitor de um eventual casamento PMDB-PSDB ? Haveria espaço para outra candidatura tida como ‘nova’ - tipo João Dória? As pesquisas estão aí, mas podem ficar superadas dependendo dos desdobramentos dos escândalos das empreiteiras - via Lava Jato. O eleitor é incrível; costuma ligar uma coisa a outra. Aí castiga sem só.

CANDIDATA? Fala-se na senadora Simone Tebet como alternativa para o PMDB, Ela trocaria o paraíso para a dureza de uma campanha desgastante e sem tantos recursos para gastar? E mais, seu marido – deputado Eduardo Rocha (PMDB) tem planos de tentar a Câmara Federal.

LEMBRETE do presidente do TCE-MS, conselheiro Waldir Neves: “O combate a corrupção só será possível se a sociedade participar. Desde a hora do voto, com denúncia, acompanhando no seu município. Aqui no TCE temos a ouvidoria para receber denúncias. Qualquer cidadão pode ligar para cá ou entrar no nosso site e fazer uma denúncia que pode ser anônima.”

ALMA LAVADA Estive com o deputado estadual Lídio Lopes (PEN) tão logo o Tribunal de Justiça decidiu pelo desbloqueio de seus bens na ação de improbidade do Ministério Público Estadual. Emocionado, disse que a decisão judicial é um argumento convincente de sua conduta para seus eleitores.

“Está morrendo o nosso passado e insisto: - um dia acordaremos sem passado” (Nelson Rodrigues)

Comentário

1-REFLEXÃO Mês de Abril – 10 dias de final de semana, 3 dias de feriados e 1 de greve. Total: 14 dias de pouca ou nenhuma receita. Mas no final do mês o empregador tem que arcar com o mês completo de salário. Como ter coragem de empreender neste país. Aí, brasileiros adiam os planos ou optam investir no Paraguai. Não é?

2-REFLEXÃO Por quais razões as centrais sindicais não convocam greve em protesto contra a corrupção descarada no país? Como dizia Roberto Campos: “Nossas esquerdas não gostam dos pobres. Gostam mesmo dos funcionários públicos, que gozam de estabilidade e pagam contribuição para a CUT”.

NO FUNDO é visível a marca do PT nesta greve com a finalidade de inviabilizar o Governo que administra os escombros desta massa falida originária dos 3 mandatos petistas. Quem está desempregado (são 14 milhões) ou quer mostrar serviço dentro da empresa não compactua com isso. Já vimos esse filme.

O DESAFIO é viabilizar o país para o futuro governo mesmo com a Lava Jato e a incerteza reinando na economia. Mas no Congresso Nacional ignora-se a realidade e cada qual olha o próprio umbigo. O brasileiro de um modo geral está descrente das ações políticas e dos próprios políticos.

ALELUIA O fim do imposto sindical enfezou o pessoal que mama nas tetas dos 11 mil sindicatos dos empregados. A mamata ocorre também na classe patronal. Dirigentes da Confederação Nacional da Agricultura, por exemplo, levam ‘vidão’, curtindo a maior mordomia em ‘defesa da classe’.

A PROPÓSITO Os sindicatos rurais fazem parte dos 5 mil sindicatos patronais vorazes em faturar – na maioria dos casos – em cima dos pequenos proprietários rurais. Se necessário, executam as dívidas, penhorando tratores, implementos e animais. Mas essa fonte há de secar.

“SERIA bacana se a turma que rejeita ‘in limine’ a proposta do governo apresentasse um projeto alternativo que pare em pé, mas não creio que isso ocorrerá. Sua motivação é mais política do que técnica. A dificuldade da sociedade em resolver um problema que no fundo é aritmético pode soar exasperante, mas faz parte das atribulações do jogo democrático”. (Helio Schwartsman)

REGISTRO Nossos senadores Pedro Chaves (PSC), Simone Tebet (PMDB) e Waldemir Moka (PMDB) votaram contra o projeto de Abuso de Autoridade. Já na Câmara, só os deputados Dagoberto Nogueira (PDT), Vander Loubet (PT) e Zeca do PT votaram contra a Reforma Trabalhista. Contra a direção do PSB, a deputada Tereza Cristina votou a favor, o que lhe custou a perda da presidência do diretório estadual da sigla.

‘O DESENTERRADOR’ Essa denominação cai bem ao vereador Vinicius Siqueira (DEM) que investiga casos ‘cabeludos’ na prefeitura da capital. O primeiro é sobre as permissões (de compadrio ) de alvarás de taxis. Apenas o crime prescreve e o ato administrativo é sujeito a nulidade. Ora! Só 10 pessoas detém 15,5% das permissões. Com a CPI aprovada, a Câmara mostra que não quer decepcionar. Isso é bom.

O VEREADOR Vinicius lembra que seus eleitores são os indignados pela corrupção que foram as ruas protestar. Sem rabo preso, quer ir fundo em outros casos como dos super salários e das concessões de serviços públicos. A CPI do táxi presidida pelo vereador será um bom teste para sua musculatura.

RETALIAÇÃO Naquela famosa gravação o senador Romero Jucá (PMDB) pedia ao Sergio Machado (Transpetro ) “um acordo nacional para estancar a sangria”. Lembra? Aí o Senado fez sua parte para frear a Lava Jato com o projeto de Abuso de Autoridade. Mais uma vez o ‘glorioso’ Senado legislou em causa própria. E reclamar pra quem? Ao Baianinho Pipoqueiro?

EM BAIXA O PT encolheu 27% no país ao não conseguir organizar chapa de 20 filiados para compor diretórios em 1.120 cidades. Um dos casos é Uberlândia, o 2º colégio eleitoral mineiro. O seu ex-prefeito petista que não obteve 10% dos votos nas últimas eleições tem a justificativa óbvia: “O povo está odiando o PT por causa dos escândalos da Lava Jato.”

ACABOU? Após o desastre de 2016, fala-se que uma das opções do PT para tentar eleger deputados em 2018 seria coligar com PP do ex-prefeito Bernal. Quanto a situação do deputado federal Zeca do PT, condenado no Tribunal de Justiça local, caiu na Lei da Ficha Limpa. Seria a mesma situação agoniante do deputado estadual João Grandão (PT) condenado pelo TRF de São Paulo no caso ‘Sanguesssuga’.

‘PESADELOS’ Após as delações na Lava Jato tem muita gente que não consegue dormir por esse país afora. O som da sirene dos Bombeiros é confundido com o barulho das viaturas policiais. As imagens do ex-governador Sergio Cabral (PMDB) e a digna esposa, por exemplo, nas barras da justiça incomodam.

NA CADEIRA Vale esclarecer que a prefeita Hilda Machado, apesar do resultado desfavorável no Tribunal Regional Eleitoral, continua administrando Fátima do Sul. A lei permite esse direito até que o Tribunal Superior Eleitoral aprecie seu recurso cabível até 3 dias após a publicação do acórdão. Quando o TSE julgará o caso, ninguém sabe.

SURREALISTA a situação. O Ministério Público Estadual, que investiga a denúncia de ‘fraude do ponto’ de funcionários fantasmas envolvendo os deputados Paulo Corrêa (PR) e Felipe Orro (PSDB), bateu recentemente às portas da Assembleia Legislativa em busca de benefícios para o órgão e procuradores. Essa dependência não influenciaria na postura e decisões do MPE? Eu só queria entender.

ELEIÇÕES 2018 Quais dos 8 deputados federais conseguirão conservar o mandato? Vários aspectos devem ser considerados numa avaliação inicial; desde a questão partidária até ao desempenho real dos mesmos. Dentre os possíveis postulantes o advogado Fábio Trad (PTB) já é considerado um dos favoritos. Tem currículo.

A TECLA que se bate é repetitiva, mas sempre atual. O deputado federal serviria apenas como mero despachante à serviço das cidades e Estado junto aos Ministérios e órgãos federais? Só isso bastaria? Não é por acaso que a maioria deles que passaram pela Câmara não deixaram sua marca. O argumento da grande concorrência é relativo.

ALÍVIO Mais um mês. O Governo Estadual consegue pagar em dia os salários dos servidores. Há gente frustrada que torcia pela impontualidade e o caos como ocorreu no Governo Marcelo Miranda. Sabe como é: quanto pior melhor. Esse pessoal ‘do contra’ finge ignorar a situação do Rio de Janeiro. PT. Saudações.

PELA VIDA Tenho recebido notícias do estado de saúde do ex-governador Marcelo Miranda. O quadro seria estável com ele submetendo-se as sessões de hemodiálise. Justifica-se o registro neste espaço pela figura humana dele e nossas relações desde a época do Mato Grosso uno.

“A gente sempre ficava no pé do Lula porque, no fundo, quem tinha metido a gente nesse enrosco era ele”. (Marcelo Odebrecht)

Comentário

INCOERÊNCIA A questão indígena foi abordada pelos deputados do PT na Assembleia Legislativa. Mas nos 3 mandatos petistas no Planalto nada foi feito para resolver o conflito local das terras com os brancos em nosso Estado. Priorizou-se a Copa do Mundo e Olimpíadas, onde o esquema das empreiteiras dava lucro ao PT e aos ‘nobres companheiros’.

AS VISITAS do ministro da Justiça Eduardo Cardoso eram encenação. Só com parte do dinheiro gasto na arena de futebol de Manaus, por exemplo, compraria todas as terras reivindicadas pelos índios e estaria resolvida a questão. Mas, sabe como é: o jogo teria que ser limpo, sem propinas. Aí não deu mesmo.

ORA BOLAS Ao PT é mais rentável politicamente não resolver a demarcação dos territórios indígenas. Se resolvida, a nação indígena conquistaria sua carta de alforria e teria vida própria. Como está, os índios ficam reféns e continuam usados pelo PT nas campanhas eleitorais. Os índios precisam acordar.

‘MUY AMIGA’ A pretensão da CCR em parar a duplicação da BR 163 e mantendo a cobrança de pedágio, recebida com indignação pela classe política. Na Assembleia Legislativa o deputado Marcio Fernandes (PSDB) já se manifestou pedindo esclarecimentos. Já o senador Pedro Chaves (PSC) promete reunir a bancada federal para questionar o caso na presidência da Agência Nacional de Transportes Terrestres. É o caminho.

SEM SURPRESA Em sintonia com o Planalto, a PEC que limita os gastos públicos do nosso Estado por 10 anos foi aprovada na Assembleia Legislativa. A oposição alegou ser ‘camisa de força’, Mas, é a arma que o Governo dispõe neste quadro ruim e não há clima para delírios. Afinal, o PT quebrou o país.

CONVENHAMOS! Pelas declarações do ministro Meirelles, da Fazenda, a economia irá melhorar lentamente – como mostram os indicativos econômicos. Não há espaço para demagogia, greves e atos por melhoria salarial. O governador Reinaldo não tem a varinha mágica e lembra o ex-prefeito Lúdio Coelho: não se gasta além do ganho.

‘RECUERDOS’ Faz falta ao país a grana que o BNDES emprestou a juros baixos para os países amigos do Lula. Resolvemos o problema do Metrô de Caracas – por exemplo - e nossa BR 163 continua matando. Prevaleceu o esquema da propina onde os petistas levaram por fora.

INDICATIVO Quando se especula o futuro quadro eleitoral, especialmente quanto a posição do PMDB em relação ao PSDB, fato recente chama a atenção. O advogado Youssif Domingos, ex-deputado do PMDB, foi reconduzido ao comando da Agepan sob as bênçãos do governador Reinaldo (PSDB). Entenda como quiser.

LÍDIO LOPES O deputado do PTN foi à tribuna para reclamar do Ministério Público Estadual que pediu a indisponibilidade de bens seus por conta de denúncia contra uma funcionária de seu gabinete. Explicou o caso e lembrou de seu zelo como funcionário do Tribunal de Contas do Estado. E arrematou: um abuso de autoridade buscando os holofotes.

MUTRETA Para Fausto Matto Grosso, já vigora o sistema de votação pelas listas partidárias. É que o eleitor ao escolher os 2 dígitos iniciais do seu candidato a deputado automaticamente define o partido. Apenas os números seguintes revelam a preferência individual. Daí que o mandato não é um direito pessoal, pois pertence ao partido.

FAUSTO lembra; no pleito de 2014 só o deputado federal Zeca do PT elegeu-se com seus próprios votos. Os demais foram beneficiados com os votos obtidos pelos outros postulantes da lista do partido. Em resumo: foram puxados como ocorreu com os companheiros de partido do candidato a deputado federal Tiririca. Lembrou?

PERFIL Bacharel em Direito e policial federal, o vereador André Salineiro (PSDB) chega a Câmara da capital com 8.776 votos. Consciente que o fato de ser o mais votado aumenta sua responsabilidade, está se dedicando de corpo e alma ao mandato. Tem boa inserção e credibilidade na sociedade. Vai indo bem. Tem projeto político.

A PROPÓSITO Finalmente descobre-se a importância da zona rural de Campo Grande, que constitui mais de 95% da área de seu município. Executivo e Legislativo unidos com o Sindicato Rural e a Acrissul para implementar políticas de ações voltadas ao campo. Essas parcerias devem funcionar bem.

ESSA É BOA! A Previdência fica pegando no pé dos pequenos contribuintes, vítimas do sistema cruel, e ‘esquece’ os outros devedores gigantes como JBS, Caixa Econômica Federal, Bradesco, Mendes Jr., Banco do Brasil e Lojas Americanas. O critério de cobrança passa pelo apadrinhamento político infelizmente. Esse é o nosso país!

O DEBOCHE de Emílio Odebrecht causa indignação. Mostrou como o Brasil vem sendo assaltado e fatiado pelas empreiteiras e políticos desde ao anos 70. Mas só o juiz Sergio Moro não dará conta de melhorar o país. É preciso que o eleitor não vote nos candidatos acusados que vão se esconder nas listas fechadas do partidos.

MEMÓRIA Deputados Federais eleitos em 1962 no Mato Grosso: João Ponce de Arruda (PSD), Wilson Fadul (PTB), Wilson Barbosa Martins (UDN), Rachid Saldanha Derzi (UDN), Itrio Correa da Costa (UDN), Filadelfo Garcia (PSD), Rachid Mamed (PSD) e Edson de Brito (UDN). Eleitos para o Senado: Filinto Muller (PSD) 86.098 votos e Vicente Bezerra Neto (PTB) 69.396 votos. Derrotados: João Villas Boas (UDN) 67.3123 votos e Júlio Castro Pinto (UDN) 63.998 votos.
CALMA! Devagar com o andor. As eleições de 2018 passam pela Lava Jato em todos os Estados. Aqui já começamos a sentir os efeitos. Ainda não é possível avaliar os estragos eleitorais. Novas investigações podem atingir muita gente por tabela. É igual aos estilhaços de copo quebrado.

LISTA dos personagens locais citados nas delações da Odebrecht: ex-senador Delcídio do Amaral, ex-governador André Puccinelli, ex-deputado federal Edson Giroto, João Amorim (empresário), deputado federal Zeca do PT, deputado federal Vander Loubet (PT), fiscal tributário José Miguel Milet de Freitas, fiscal de rendas Fadel Tajher Iunes Jr e Aurélio Cance Jr.

NO RETROVISOR Acusado de falcatruas, preso inclusive, o deputado federal Paulo Maluf foi aprovado nas urnas. O eleitor chancelou o estílo ‘rouba mas faz’. Em 2018, pela Justiça lenta na análise dos denunciados na Lava Jato e pelo sistema de listas partidárias que se pretende adotar, é possível que muitos deles sejam reeleitos.

DIFERENTE? Pela cultura da acomodação, da conivência e devido a boa situação do país, o brasileiro agiu assim. Mas agora o quadro é outro; os roubos escancarados na mídia e o cidadão empobrecido sentindo na pele a desonestidade dos governantes.

MANOEL DE BARROS Amei a sua escultura pelo nosso artista Ique. Mas temo que se repitam aqui as ações de vândalos como na estátua de Carlos Drummond de Andrade no Rio de Janeiro. O lugar mais seguro para ela seria na Praça Rui Barbosa, fechada no período noturno. Já na Avenida Afonso Pena seria presa fácil. É a sugestão.

DO LEITOR “Que se faça justiça. Acompanhamos o caso do policial rodoviário federal Ricardo Moon, assassino do jovem Adriano aqui na capital. A sanha de matador é evidente, pelas circunstâncias, número de disparos e sua postura após a barbárie. O Juiz que preside o processo sabe: os olhos da população, amigos e pais da vítima o acompanham”.

SUBINDO... Com 86.267 fãs, o prefeito Marcos Trad (PSD) é o terceiro prefeito do país que mais conquistou simpatizantes no facebook em 100 dias de gestão. Segundo a amostra publicada na revista Exame, o campeão é João Dória (PSDB) de São Paulo, com 2 milhões de fãs. O segundo colocado é dr. Hildo, prefeito de Porto Velho, pelo PSDB, com 156 mil fãs.

“Nunca ganhei um centavo durante o governo dos militares” (Emílio Odebrecht)

Comentário

Página 1 de 11

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014
E-mail: douranews@douranews.com.br

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus