Timber by EMSIEN-3 LTD
  • 10 anos
  • 10 anos1
Redação Douranews

Redação Douranews

O estudante Gustavo Haddad conquistou para o Brasil a primeira medalha de ouro em uma Olimpíada Internacional de Física. A conquista também é a primeira de um país ibero-americano na competição, que desta vez ocorreu em Bangcoc, na Tailândia.

Gustavo Haddad Braga, aluno do Colégio Objetivo de São Paulo, foi responsável pelo feito inédito. Ivan Tadeu (também do Colégio Objetivo de São Paulo), Lucas Hernandes (Colégio Etapa de São Paulo) e os cearenses José Guilherme Alves (Colégio Ari de Sá) e Ricardo Duarte Lima (Colégio Farias Brito) ficaram com o bronze.

A Olimpíada Internacional de Física é uma competição anual voltada a estudantes de todo o mundo que estejam cursando o equivalente ao ensino médio brasileiro. Os brasileiros concorreram com 394 alunos de 84 nacionalidades.

"Apenas 8% dos alunos do torneio recebem a medalha de ouro. Isso significa que o Gustavo faz parte de um grupo seleto, onde estão os melhores alunos do mundo na área da física, para o mesmo nível que o dele", disse Euclydes Marega Júnior, professor do Instituto de Física de São Carlos da Universidade de São Paulo (USP) e coordenador-geral da Olimpíada Brasileira de Física (OBF), à Agência FAPESP .

A seleção para participar da IPhO, da qual o Brasil participa desde 2000, ocorre por meio da OBF. Organizada pela Sociedade Brasileira de Física, a olimpíada nacional tem como objetivos estimular o interesse pela disciplina, aproximar o ensino médio das universidades e descobrir novos talentos para representar o país em torneios ao redor do mundo.

Na OBF participam cerca de 600 mil jovens. Desse total, cinco são selecionados para representar o Brasil na IPhO. O processo de preparação para a competição internacional leva dois anos e meio.

Além da IPhO, os brasileiros são preparados para concorrer à Olimpíada Ibero-Americana de Física. Segundo a SBF, nas duas competições, nenhum país da América Latina conquistou tantas medalhas quanto o Brasil.

A olimpíada internacional consiste em duas provas, sendo uma delas de conteúdo experimental. Marega salienta a dificuldade dos estudantes brasileiros de executar na prática o que aprendem nas salas de aula.

Embora o desempenho do Brasil na 42ª IPhO tenha sido de destaque, Marega ressalta a carência de talentos e a necessidade de melhorias no sistema educacional do país. "Uma competição como essa pode servir como estímulo aos professores para que se dediquem mais ao preparo dos estudantes", disse.

Com informações da Agência Fapesp

Comentário

A empreiteira Engevix pagou R$ 2,5 milhões ao escritório de advocacia de Erenice Guerra, ex-ministra da Casa Civil no governo Luiz Inácio Lula da Silva e ex-secretária executiva da então ministra Dilma Rousseff. A informação consta de laudo da Polícia Federal sobre movimentações financeiras da empresa investigada na Operação Lava Jato por envolvimento no esquema de cartel e corrupção na Petrobras. Os pagamentos foram feitos em 2013, quando Erenice já não era mais ministra.

O documento mapeou os principais órgãos do poder público e empresas estatais que assinaram contratos com a empreiteira nos anos de 2008 e 2013, os repasses da construtora para políticos e partidos e os contratos com consultorias e prestadores de serviços nesse período, no qual há o registro da empresa de Erenice. O laudo é assinado pelo perito Ricardo Andres Reveco Hurtado.

Segundo o relatório, é preciso cruzar os pagamentos ao escritório de Erenice com outros dados da investigação. O sócio da empreiteira José Antunes Sobrinho já havia informado, em delação premiada revelada pela revista Época, ter contratado a equipe da ex-ministra.

Os serviços foram requisitados após o Tribunal de Contas da União (TCU) recomendar que a Eletronorte executasse, em 2013, uma garantia de R$ 10 milhões da Engevix por obras na Usina de Tucuruí, no Pará. No fim daquele ano, a corte de contas reverteu a decisão, beneficiando a empreiteira.

Em nota, o escritório Guerra&Advogados Associados informou que, sobre "um suposto pagamento da empresa Engevix, tem a esclarecer que toda e qualquer relação comercial foram estabelecidas legalmente, por meio de contrato, com todas as comprovações de serviços prestados" à empreiteira.

Citações

Não é a primeira vez que o nome da ex-ministra aparece na Lava Jato. Ela já foi apontada em delações de executivos da Andrade Gutierrez como uma das responsáveis por acertar a propina de 1% nas obras da Usina de Belo Monte, no Pará, que teria sido dividida entre PT e PMDB. O leilão da usina durou sete minutos e foi vencido com deságio de 6,02% sobre o preço inicial de R$ 83 por MWh, no dia 20 de abril de 2010.

Erenice ficou no comando da Casa Civil de abril a setembro de 2010, quando deixou o cargo em meio a denúncias de que fazia lobby para empresas no ministério. Antes de assumir a pasta na gestão Lula, ela havia sido secretária executiva. Chegou à função em 2005, quando Dilma trocou o Ministério de Minas e Energia pela Casa Civil em substituição a José Dirceu.

Os executivos da Engevix negociam um acordo de delação premiada e colaboram com as investigações.
milhoes-a-erenice-guerra-aponta-laudo-da-pf.html

Comentário

As pessoas introvertidas são poderosas. São grandes pensadoras, têm fortes pontos de vista e po-dem chegar longe. Apesar do que a mídia diz - geralmente estereotipando essas pessoas como "tímidas" ou "socialmente desajeitadas" - os introvertidos podem ser grandes líderes e empreen-dedores e ganhar dinheiro. De fato, muitos dos líderes mais bem sucedidos que conhecemos são introvertidos: Bill Gates, Mark Zuckermerg e Warren Buffett são apenas alguns nomes.

Se você se identifica como uma pessoa introvertida e está interessada em abrir uma startup para ganhar dinheiro, você pode ser um candidato ideal para lançar seu próprio negócio. O site Entre-preneur fez uma lista com 10 ideias de negócios que não demandam grandes investimentos para sair do papel.

1. Designer gráfico

Ser um designer gráfico é uma boa opção para os introvertidos visuais e altamente criativos ganharem a vida. Com o crescimento de negócios digitais, a demanda por esse tipo de profissional está maior que nunca. Eles costumam cuidar da comunicação visual de suas empresas clientes, e por isso, se encarregam de criar logotipos, websites, além de vários outros serviços. O designer gráfico precisa conhecer programação e, principalmente, entender as necessidades - não necessariamente os desejos - de seus clientes.

2. Programador

Detalhistas e meticulosos, os introvertidos são ótimos programadores. A combinação de paciência e foco faz da programação uma atividade perfeita para quem deseja trabalhar para si próprio. Como para fazer programação é necessário ter uma grande gama de habilidades bem específicas, a demanda por programadores é grande, e muitos deles desfrutam do privilégio de trabalhar em casa. Existem várias ferramentas e recursos online, aos quais qualquer um pode ter acesso.

3. Vendedor online

Você é apaixonado por moda? Ou tem muitas roupas que não usa ou não precisa mais? Melhor que deixar as peças acumularem no guarda-roupa é vendê-las pela internet. Essa opção oferece aos introvertidos uma grande oportunidade de fazer dinheiro por meio de um processo totalmente virtual. Há inúmeras plataformas online disponíveis e que são voltadas especialmente para essa finalidade.

Linda Lightman, vendedora do eBay há quinze anos, construiu um império dessa modalidade de negócio, Linda's stuff, que fatura quase US$25 milhões por ano. Ela começou sua carreira online vendendo os antigos video games do filho e aos poucos foi vendendo itens do seu closet. O ne-gócio hoje emprega 20 pessoas e ocupa um espaço de 464 metros quadrados na Pensilvânia.

O que você precisa para chegar lá? A princípio, um computador e uma câmera para fotografar as roupas. O resto é fácil. Faça uma pesquisa, dê um belo nome para a sua loja, use imagens com alta resolução e faça descrições detalhadas dos itens que deseja vender. Forneça o melhor serviço possível para seus clientes.

4. Consultor de Instagram

Muitos empreendedores abandonaram métodos tradicionais de marketing e se renderam Às redes sociais, como o popular Instagram, para promover seus produtos e serviços. A questão é que a maioria das empresas ainda não sabe exatamente como explorar essa ferramenta como técnica de marketing, razão pela qual a terceirização de um consultor de Instagram é, muitas vezes, uma ótima opção.

Se você tem paixão por essa rede social, conhecimento básico em marketing e motivação, esse pode ser um caminho para você. Faça o marketing e a promoção do seu trabalho nas redes, escreva em sites relacionados para dar algumas dicas (sem contar todos os segredos, é claro) e, ironicamente, usando as redes sociais, busque e alcance empresas e indivíduos.

5. Escritor

Você não precisa ser um autor de best-sellers para esboçar uma história interessante. Embora para escrever não seja necessário uma educação formal, a atividade requer um certo nível de motivação. Networking e marketing são a chave para que seu nome se torne conhecido e você conquiste projetos.

6. Blogger

Você tem um interesse específico, mas não sabe como ganhar dinheiro com isso? Escreva sobre isso! Muitos empreendedores se tornaram bem sucedidos escrevendo em blogs. Escrever bem e conhecer ferramentas de marketing podem ajudar sua carreira a deslanchar. Também é importante saber como criar conteúdo de modo que ele cause engajamento entre os leitores e alcance os objetivos do cliente.

Tudo o que você realmente precisa é um computador e uma boa conexão de internet. Hoje, há várias plataformas (a maioria gratuita) que vão praticamente construir o blog para você. Tudo o que você precisa fazer é adicionar informações sobre você e seu blog, e começar a escrever.

Para construir uma forte lista de clientes, no início, você pode escrever de graça para pessoas e empresas. Assim que você tiver desenvolvido profundas conexões com indivíduos ou marcas, seu networking vai aumentar e você poderá começar a cobrar pelo trabalho de colaboração para os sites dos outros.

7. Escritor técnico

Naturalmente, introvertidos que tem conhecimento em tecnologia tornam-se ótimos escritores/ redatores técnicos. Eles escrevem entre outros documentos, manuais de usuário, tutoriais e textos de ajuda.

Se você pode escrever, entrevistar experts, ser organizado e ter flexibilidade, então pode ter potencial para ser um redator técnico. Não existe uma maneira de se preparar para desenvolver as habilidades necessárias a um redator técnico. Você deve apenas saber escrever e ter a habilidade de entender informações sobre tecnologia e softwares com rapidez. Escritores técnicos são procurados por uma infinidade de empresas, que estão dispostos a pagar muito bem pelos seus serviços.

8. Fotógrafo de paisagens

Fotografar paisagens exige foco e observação. As oportunidades para um fotógrafo de paisagens podem ser enormes, e há um espaço enorme para aprendizado. Existem várias maneiras de ganhar dinheiro como fotógrafo: fotografar para sites e publicações, vender cópias ou direitos de uso das suas imagens, e até mesmo dar aulas para fotógrafos iniciantes. A internet torna a venda dos seus serviços muito mais fácil, especialmente com as redes sociais à disposição de todos.

9. Professor de música

Às vezes, passamos anos das nossas vidas desenvolvendo habilidades para tocar um instrumento. Então por que não ganhar dinheiro com isso? Criatividade e habilidade para ensinar são as principais exigências para ser um excelente professor. Crie planos de estudo individuais para os seus alunos e pergunte a cada um deles quais são seus objetivos. Ajude-os a alcançar o nível de musicalidade que eles estão buscando.

Como músico, é provável que você já tenha os instrumentos e os equipamentos para dar o primeiro passo em direção a sua carreira como professor. Na maioria dos casos, você só vai gastar com combustível para se deslocar até a casa dos alunos, ou você pode simplesmente ensiná-los na sua própria casa.

10. Tutor online

Criar seu próprio negócio de tutoria online é uma ótima maneira de explorar sua inteligência, ajudar os outros e ganhar dinheiro. Você pode também aprimorar-se em suas especialidades acadêmicas e usá-las para orientar seus alunos. As aulas podem ser realizadas por Skype, sem que haja gastos com combustível ou materiais.

Comentário

Já imaginou aprender a construir robôs na escola? Muitos pensam que é caro, contudo, um professor da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) teve a ideia de usar o chamado lixo eletrônico, ou seja, peças velhas de computadores, celulares, baterias e eletrodomésticos, para ensinar alunos a construírem robôs.

O trabalho é feito pelo professor Dalton Pedroso de Queiroz, do curso de Ciência da Computação, que leva educação ambiental para escolas e de forma multidisciplinar e inovadora utiliza o Lixo Eletrônico para ensinar robótica. Segundo ele, esse tipo de lixo é bastante nocivo à saúde humana, mas a grande maioria da população em geral não sabe disso.

Nas aulas também é apresentada a Robótica Educacional Livre, “é uma área que vem sendo desenvolvida no campo da educação, em que se busca levar experimentos de robótica para enriquecer o aprendizado dos alunos, sendo que estes robôs são feitos a partir do reuso do lixo eletrônico. Dessa forma conseguimos unir educação ambiental, tecnologia e educação”, explicou.

De acordo com o docente, a robótica tem se mostrado uma grande aliada no desenvolvimento intelectual dos alunos, principalmente na área das exatas, em que muitos apresentam dificuldades. Entretanto, um dos problemas da aplicação da robótica nas escolas públicas é que a sua implantação é bastante cara, bem como sua manutenção e nem sempre os gestores públicos estão dispostos a investir uma soma elevada em metodologias desse tipo.

“Mas, com a Robótica Pedagógica Livre, o custo se reduz extremamente, pois os kits para montagem dos robôs e os sistemas computacionais necessários são todos reaproveitados de equipamentos eletroeletrônicos obsoletos que foram descartados e geralmente são doados, ou seja, o custo com peças e montagens cai praticamente a zero. Dessa forma é possível levar uma tecnologia de ponta (robótica) na escola pública, com a mesma qualidade dos kits de Robótica vendidos no mercado (Lego, Modelix, etc)”, disse.

O projeto foi realizado pela primeira vez em Dourados na Escola Estadual Antônia da Silveira Capilé. Neste ano está sendo executado em uma escola de Dourados e outra em Fátima do Sul.

O aluno do 3° ano do Ensino Médio, William Matheus Michel Braucks, que participou da primeira edição do projeto, disse que aprendeu muito e obteve uma nova perspectiva a respeito das colaborações entre diferentes ciências. “Esse projeto acabou sendo muito interessante, em especial pela parte da pesquisa. Ter ido à busca de diversas informações a respeito, principalmente, de física, mas, claro, também das questões ambientais foi bastante interessante para mim. Desenvolvi diversas noções dentro de física que eu não tinha antes, assimilei novos conceitos e por aí vai; era exatamente o que eu esperava quando topei participar do projeto: aprender”, relatou Braucks.

Desmontando as máquinas, os alunos foram descobrindo as peças que poderiam ser reutilizadas para o curso de robótica. Com isso foi possível montar um kit mecânico usando parafusos, porcas, molas e apoios metálicos reaproveitados do lixo eletrônico. Os alunos foram incentivados a pesquisar na internet robôs simples e tentarem reproduzi-los usando o kit.

"As partes perfuradas de plástico são excelentes para as conexões mecânicas e estruturais, pois os furos são usados para fixação de parafusos, unindo uma parte na outra de maneira fácil e prática. Também as tampas de gabinetes podem ser usadas como estruturas reforçadas através do corte emoldurado", disse o professor.

Comentário

Entrar na faculdade não é exclusividade de quem acabou de concluir o ensino médio. O mais recente Censo da Educação Superior do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) revelou que em apenas dois anos, entre 2011 e 2013, o número de alunos com mais de 40 anos nas instituições de ensino superior aumentou 27,7%.

VEJA TEXTO ORIGINAL SOBRE O TEMA AQUI

Dos cerca de 7,1 milhões de universitários brasileiros, mais de 641 mil têm entre 40 e 59 anos. A maioria desses estudantes mais maduros - 505 mil, aproximadamente - está matriculada em faculdades privadas

“Tenho percebido que os estudos ganharam um lugar mais importante na vida das pessoas, principalmente dos ditos 'maduros' ou com mais de 40 anos”, diz Elisabete Monteiro de Aguiar Pereira, coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Superior (GEPES) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Elisabete, que também é professora de graduação e pós-graduação, classifica os alunos dessa faixa etária como “um grupo extremamente interessado e participativo” e cita alguns aspectos que motivam a entrada (ou retorno) de alunos com mais de 40 anos à universidade:

Buscar conhecimento

A ideia de que vivemos a “sociedade do conhecimento” faz com que muitas pessoas voltem a estudar, fazendo cursos para complementar a formação inicial, buscando uma nova área de conhecimento ou de profissionalização.

A pesquisadora sinaliza que isso pode ser notado no crescente número de pessoas que entram nas instituições de ensino superior para fazer uma nova graduação, principalmente em cursos noturnos. “Há faculdades hoje que só funcionam à noite, pois é nesse período que está a demanda dos estudantes e, via de regra, são alunos com mais de 40 anos.”

Melhorar a empregabilidade

Um diploma de nível superior pode aumentar substancialmente a empregabilidade e o salário de um profissional. No caso da população maior de 40 anos, Elisabete destaca que muitos adiaram o projeto de maior qualificação por terem enfrentado dificuldades quando mais jovens. Um exemplo disso são pais e mães que entram na faculdade depois que os filhos crescem, uma vez que a situação de vida está mais equilibrada.

Realizar sonhos antigos

Há ainda quem faça uma faculdade depois dos 40 anos para realizar um sonho antigo, que pode significar o primeiro diploma de nível superior ou uma segunda faculdade.

Elisabete destaca que esses estudantes costumam ser muito comprometidos com o curso e valorizam a oportunidade de finalmente fazer a faculdade dos sonhos.

Poder estudar a distância

A variedade de opções, o reconhecimento desses cursos pelo MEC e o aumento da aceitação pelo mercado de trabalho dos diplomas obtidos por meio da EAD são alguns dos motivos citados pela pesquisadora para o aumento da procura dos alunos por essa modalidade, sobretudo estudantes com mais de 40 anos.

Onde estudar

A grande maioria dos estudantes universitários com mais de 40 anos estuda em universidades privadas. Independentemente do motivo para entrar na faculdade - especializar-se em uma área, melhorar a empregabilidade ou realizar um sonho antigo - é importante escolher uma universidade de qualidade, que tenha o reconhecimento do Ministério da Educação (MEC).

Comentário

ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP-PR), voltou a afirmar nesta quinta-feira (19) em visita à Feira Hospitalar, em São Paulo, que não mexerá na estrutura do Sistema Único de Saúde (SUS) e manterá o acesso universal a tratamentos. No início da semana, ele havia dito, em entrevista ao jornal "Folha de S.Paulo" que não há recursos para "sustentar o nível de direitos que a Constituição determina".

Em visita à Feira Hospitalar, ele negou que vá reduzir o tamanho do sistema público. "Eu não falei sobre o tamanho do SUS, eu falei sobre Previdência. Essa é uma polêmica desnecessária. O SUS é um direito do cidadão, garantia absoluta", disse ele.

Barros afirmou que pretende buscar a eficiência em sua gestão a frente do ministério para poder "fazer mais com menos recursos".

"Vim aqui visitar à Hospitalar porque quero tratar a saúde pública com gestão de qualidade, com as melhores marcas, buscar alcançar, na saúde pública, o mais próximo dos índices de desempenho que temos na rede privada", declarou.

Irritado com as questões sobre uma possível redução do SUS, Barros finalizou rapidamente a entrevista coletiva e se negou a responder perguntas sobre estrutura do ministério e chamada "pílula do câncer".

Comentário

Os aeroportos de Congonhas, em São Paulo; Santos Dumont, no Rio de Janeiro; e Juscelino Kubitschek, em Brasília, voltaram a registrar filas no setor de embarque, no começo da manhã desta terça-feira (19). O transtorno é consequência de medidas adotadas, desde ontem (18), pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) em todos os aeroportos do país, com objetivo de aumentar a segurança dos passageiros.

De acordo com a Anac, no primeiro dia de adoção dos novos procedimentos de inspeção para voos domésticos, o tempo médio de espera variou entre 10 e 45 minutos, com horários de picos específicos. “Em alguns deles, não houve registro de tempo adicional de fila. Na maior parte do tempo não foram registrados tempos de espera significativos”, informou também a Agência.

Para evitar transtornos, a agência recomenda que os viajantes cheguem aos aeroportos com duas horas de antecedência. Também orienta que, enquanto aguardam na fila, os passageiros podem retirar cintos e demais objetos metálicos, antes de passar pelo detector de metais.

Além disso, segundo a Anac, é importante que o computador portátil (notebook) seja colocado em uma bandeja separada ao passar a bagagem de mão pelo raio-x. A norma prevê ainda que qualquer passageiro poderá ser submetido à revista física aleatória e ter sua bagagem de mão vistoriada.

Comentário

A pizza, um dos pratos mais queridos do brasileiro, está presente no 4º Festival Gastronômico Sabores de Dourados. Entre os sabores estão a Pizza Douradense, a Filé de Bacon e a Especiaria do Chef, que contém ingredientes à base de carnes e que cai muito bem neste período de inverno. O festival, que segue até 25 de agosto, tem 39 pratos servidos em 41 restantes, bares e pizzarias nas categorias ‘a la carte’, self service, lanche, pizza, porções e sobremesa.

A Pizza Douradense é servida na Pizzaria Paulistana, que fica na Rua Floriano Peixoto, 591 e funciona todos os dias, das 18h às 00h. O telefone é (67) 3421-1616 e (67) 99624-1463. Os ingredientes da pizza são molho, muçarela, brócolis, filé bovino, palmito, bacon, alho, orégano e azeitona.

A pizza Filé de Bacon, da Pizzaria D’Itália tem como ingredientes molho, muçarela, filé, tomate, bacon, cebola, orégano e azeitona. O horário de funcionamento é todos os dias, das 18h às 00h. A pizzaria fica na Rua Monte Alegre, 5690, com telefone (67) 3424-8190.

Outra opção é a pizza Especiaria do Chef, da Pizzaria Pizzayolo, que se localiza na Rua Olinda Pires de Almeida, 2720, no BNH II Plano, com horário de funcionamento de terça-feira a domingo, das 18h às 23h e telefones (67) 3421-0908 e (67) 99204-8012. Os ingredientes são molho, carne moída com especiarias, muçarela, tiras de parmesão, tomate cereja, alho poro, orégano e azeitona verde.

O festival é promovido pela Prefeitura de Dourados, através do Núcleo de Turismo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico sustentável. Criado pelo prefeito Murilo em 2013 o festival é um sucesso de crítica e público.

Ao degustar esses pratos nos restaurantes e preencher o formulário a pessoa concorre a uma viagem, com acompanhante, para João Pessoa (PB).

Os 100 primeiros consumidores a preencherem o passaporte com o carimbo de consumação de cinco pratos diferentes recebem um ‘kit vinho’.

Mais informações sobre os pratos no site: http://www.dourados.ms.gov.br/sabores/

Comentário

Candidatos em lista de espera do ProUni (Programa Universidade para Todos) têm até hoje (19) para comparecer às respectivas instituições de ensino para a qual se candidataram e apresentar a documentação que comprova as informações prestadas na inscrição.

O ProUni seleciona estudantes para receber bolsas de estudo em instituições particulades de ensino superior com base na nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). São ofertadas, neste segundo semestre, 125.442 bolsas – 57.092 integrais e 68.350 parciais de 50% – em 22.967 cursos de 901 instituições de ensino superior.

A lista de espera do Prouni estará à disposição das instituições com a classificação dos estudantes por curso e turno, segundo as notas obtidas no Enem de 2015. A lista será usada na convocação de candidatos para preenchimento de bolsas eventualmente não ocupadas nas duas chamadas regulares.

Para integrar a lista de espera, os candidatos tiveram que confirmar a inscrição até o último dia 11. A relação dos candidatos participantes da lista foi divulgada no dia 14. Agora, independente de terem sido chamados, todos os candidatos em espera deverão comparecer às instituições. A documentação necessária está disponível no site do Prouni.

Comentário

Segunda, 18 Julho 2016 15:43

165,9 mil infecções por zika em 2016

Foram registrados no Brasil 165.932 casos prováveis de febre pelo vírus da zika no Brasil em 2016, até o dia 11 de junho, segundo novo boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde. Em duas semanas, desde a divulgação do último boletim, foram 4.691 novos casos de zika registrados no país, apurou o site 94 FM.

Não houve novas mortes de adultos pelo vírus da zika desde o último boletim: há apenas uma morte registrada em 2016 no Rio de Janeiro. Três outras mortes pelo vírus tinham ocorrido em 2015.

O estado com maior número infecções pelo vírus da zika até o momento é a Bahia, com 46.427 casos, seguido pelo Rio de Janeiro, com 46.027 casos.

Já a região com maior taxa de incidência de zika é o Centro-Oeste, com 163,5 casos a cada 100 mil habitatnes. Os estados com maior taxa de incidência são Mato Grosso, Bahia, Rio de Janeiro e Tocantins.

Desde outubro de 2015, o país já resgistrou 1.687 casos de microcefalia provavelmente relacionados ao vírus da zika.

Dengue
Até 11 de junho, o país tinha registrado 1.345.286 casos prováveis de dengue. Foram 50.703 novos casos em duas semanas, desde a divulgação do último boletim. O número é ligeiramente menor do que o registrado na mesma época no ano passado: 1.379.124. O ano de 2015 foi recordista de dengue: ao todo, foram 1.649.008 casos, maior número registrado na série histórica, iniciada em 1990.

As regiões Centro-Oeste e Sudeste têm as maiores taxas de incidência de dengue: 949,9 casos por 100 mil habitantes e 940,6 casos por 100 mil habitantes respectivamente.

Em 2016, foram confirmadas 318 mortes por dengue e 511 casos de dengue grave. Apesar de o número de casos da doença estar quase tão alto quanto no ano passado, o número de mortes diminuiu 57,7% em relação a 2015.

Chikungunya
Foram 137.808 casos prováveis de chikungunya no país até o dia 11 de junho. Em duas semanas, desde o último boletim, foram registrados 15.046 novos casos.

A região com maior taxa de incidência da infecção foi o Nordeste, com 213,2 casos por 100 mil habitantes. Só este ano, foram confirmadas 17 mortes por chikungunya, principalmente entre idosos. A mediana da idade das vítimas foi de 69 anos.

Em 2015, o país tinha registrado 38.332 casos prováveis de febre de chikungunya.

Comentário

Página 1679 de 1743

O Tempo Agora

  • unigran novo
  • live full house

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis