Timber by EMSIEN-3 LTD
Redação Douranews

Redação Douranews

Ao tentar forçar a convocação do diretor-presidente da Funsaud (Fundação de Serviços de Saúde de Dourados), Luiz Carlos Fernandes de Mattos Filho, para prestar esclarecimentos à Casa de Leis, a presidente da Câmara, vereadora Daniela Hall (PSD), desconsiderou o aspecto legal de funcionamento das Comissões Permanentes, conforme entendimento da maioria que integra a base aliada da prefeita Délia Razuk na casa.

Durante a sessão ordinária da Câmara, realizada na noite de terça-feira (24), os vereadores Júnior Rodrigues, Bebeto e Jânio Miguel (do PR), Cirilo Ramão e Juarez de Oliveira (MDB), Romualdo Ramim (PDT), Carlito do Gás (PEN), Idenor Machado e Sérgio Nogueira (ambos do PSDB), Cido Medeiros e Pedro Pepa (do DEM) e Silas Zanatta (PPS), rejeitaram o pedido.

Ao adotar essa linha, o grupo majoritário apenas reforçou o entendimento, predominante nas ações legislativas, de que caberia à respectiva Comissão [no caso, a de Higiene e Saúde, composta pelo presidente Cirilo Ramão e os membros Juarez e Pepa] deliberar sobre o assunto em questão.

Pior que isso, segundo os vereadores, é quando se tenta utilizar do mandato parlamentar para incitar grupos de servidores a ‘invadir’ a Câmara em caso de aprovação da convocação de autoridades. "Ninguém barrou a vinda de ninguém, o que existe é um entendimento de que essas questões devem passar pelas Comissões. Foi assim no caso do secretário Upiran Gonçalves, da Educação, onde a Comissão decidiu pelo chamamento e o Plenário aprovou por unanimidade. Isso é sinal de respeito", reagiu, nesta quinta-feira (26), o líder da prefeita no Leislativo local, Júnior Rodrigues, do PR.

De acordo com a maioria na Câmara, foi ‘no mínimo’, deselegante a postura da vereadora Daniela Hall (PSD), em não respeitar o colegiado "que sempre foi o norte para as boas decisões dos presidentes desta casa". Daniela tentou fazer predominar o peso da função que exerce como presidente com o exercício do mandato parlamentar, conforme repercutiu o jornal Folha de Dourados. "Isso é preocupante, porque ao se misturar as atribuições, apequena-se (a presidente) no comando da Casa de Leis", raciocinaram os membros da base aliada.

Para os vereadores, o fato da proximidade com o período da campanha eleitoral deste ano poderá levar a situações em que "teremos que conviver provavelmente mais vezes com essas demonstrações de ‘zelo parlamentar’, o que deveria ser uma constante na nossa atividade, porque, afinal, a responsabilidade dos homens e mulheres que atuam como agentes públicos é a de trabalhar todo o tempo para ajudar a melhorar a cidade, em todos os sentidos, não apenas em questões pontuais, a serviço de grupos".

Daniela Hall pretende usar a mesma estratégia para tentar convocar o secretário municipal de Saúde, Renato Vidigal, conforme aúdio que vazou para a imprensa (reproduzido pelo jornal) onde a presidente da Câmara passa instruções ao representante dos funcionários do Hospital da Vida de Dourados, Robinson Adriani Roque Dauzacker nesse sentido. 

Ouça aqui

Vidigal já esteve na Câmara no mês passado prestando contas das ações da pasta aos vereadores. Daniela e outros oposicionistas não participaram da audiência. A legislação preconiza que o titular da pasta da Saúde preste contas a cada quatro meses ao Legislativo. A próxima prestação de contas com a presença de Renato Vidigal está prevista para acontecer em junho.

Comentário

O ministro Og Fernandes, do STJ (Superior Tribunal de Justiça), determinou nesta quinta-feira (26) o envio da investigação aberta a partir da Operação Lava Jato sobre o ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB-PR) para a Justiça Eleitoral do Paraná e para o juiz Sérgio Moro, da Justiça Federal em Curitiba. O caso corre em segredo de Justiça, segundo o portal G1.

Beto Richa foi citado nas delações premiadas do ex-executivo da empresa na região Sul, Valter Lana, e do ex-presidente da Odebrecht infraestrutura, Benedicto Júnior, divulgadas no ano passado. Eles disseram que Richa recebeu pelo menos R$ 2,5 milhões como caixa dois para a campanha eleitoral em 2014 porque consideravam que se tratava de um político promissor, mas que não houve uma contrapartida específica.

Conforme Benedito Júnior, os valores foram lançados internamente como despesas no projeto de duplicação da PR-323, na qual a Odebrecht atuou. Segundo a decisão, tanto Moro quanto a Justiça Eleitoral poderão, dentro de suas esferas, dar andamento às investigações em relação às citações de ex-executivos da Odebrecht ao ex-governador.

Og Fernandes atendeu pedido da PGR (Procuradoria Geral da República) que fez o pedido depois que Beto Richa deixou o cargo de governador para disputar o Senado. Como ele perdeu o foro privilegiado de governador no STJ, o processo segue na primeira instância. A Procuradoria apontou, conforme o STJ, indícios de crime comum e também crime eleitoral, o que justificou o envio do caso tanto para a Justiça Eleitoral quanto para a Federal.

Nota

Após a decisão, a assessoria do ex-governador divulgou nota em que observa que a A decisão do ministro Og Fernandes, determinando a remessa do caso à Justiça Eleitoral e à Justiça Federal, atende requerimento do Ministério Público Federal, “que muito estranhamente diverge totalmente do posicionamento adotado em casos similares”. Por isso, afirma, “a defesa de Beto Richa buscará a observância do princípio da isonomia de tratamento em investigações que muito se assemelham”.

Comentário

A ex-presidente Dilma Rousseff afirmou que o ex-ministro Antonio Palocci mentiu em depoimentos antes de conseguir ter a delação premiada aceita pela PF (Polícia Federal), conforme publica OGlobo. Em nota enviada por meio da assessoria de imprensa, Dilma diz que o ex-ministro produziu "peças de ficção" ao mencionar reuniões que ele teria presenciado em que foram discutidas propinas.

Em setembro do ano passado, Palocci disse ao juiz Sergio Moro que participou de um encontro no Palácio do Alvorada em 2010 no qual também estavam Dilma, o ex-presidente Lula e o ex-presidente da Petrobras Sergio Gabrielli. Na reunião teria sido discutido financiamento de campanha. "Essa reunião nunca existiu", disse Dilma.

Segundo a ex-presidente, Palocci tenta "agradar aos investigadores" com a delação para que consiga sair da prisão. O ex-ministro está preso em Curitiba desde setembro de 2016. "A submissão da verdade ao capricho de investigadores obedece à mesma lógica dos inquisidores que cometiam abusos, sobretudo físicos, nos presos, em outros tristes tempos, para arrancar confissões", diz a nota.

Comentário

O presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Adalclever Lopes (PMDB), acatou nesta quinta-feira (26) o pedido de impeachment do governador do estado, Fernando Pimentel (PT). O pedido foi feito por um cidadão, o advogado Mariel Marley Marra, que acusa o governador de ter cometido crime de responsabilidade.

Adalclever Lopes também determinou a formação de uma Comissão Especial para analisar o pedido. A comissão será formada por deputados indicados pelos líderes da casa e vai debater as acusações contra Pimentel para, então, decidir se o processo será apresentado e votado no plenário da casa. De acordo com a assessoria de imprensa da Assembleia, não há prazo definido para a instalação da Comissão.

No pedido de impeachment, o advogado Mariel Marley Marra argumenta que o governador petista teria cometido crime de responsabilidade pelo atraso e parcelamento de repasses do governo estadual para pagar salários de servidores estaduais, prefeituras, Assembleia e Judiciário. Caso o processo seja aprovado pelo Plenário, Pimentel pode ser afastado do cargo.

Defesa

Procurada, a assessoria de imprensa do governo de Fernando Pimentel informou que o governador está se posicionando por meio do deputado Durval Ângelo (PT), líder do governo na Assembleia. “Ele tem por hábito que assuntos da Assembleia sejam tratados pela liderança do governo na Casa”, informou a assessoria.

Em entrevista à imprensa, o deputado Durval Ângelo disse que não vai ter “golpe” em Minas Gerais e que o governo recebeu a notícia “com muita surpresa, porque o estado herdou uma herança terrível, com um déficit de quase R$ 8 bilhões” e sempre houve um bom relacionamento entre o PT e o MDB no estado. O deputado também alegou que os pagamentos do governo estão sendo honrados. Com informações da Agência Brasil

Comentário

A cada começo de ano, os novos alunos da professora tailandesa Patcharamon Sawana costumam se surpreender em sala de aula. Ela não tem braços e escreve no quadro negro com os dedos do pé. Mas não é só isso que impressiona.

Patcharamon só começou a cursar a escola quando tinha 20 anos depois que, durante a infância, nenhum colégio da província em que habitava queria aceitá-la como aluna. Ela só pôde estudar após uma lei permitir o acesso de pessoas com deficiência a escolas comuns.

"Ainda me lembro do meu primeiro dia de trabalho. Meus alunos ficaram espantados em me ver usando o pé para escrever no quadro negro", diz ela, em reportagem da rede BBC Brasil.

Ambiciosa, Patcharamon não parou de estudar - ela acabou de se formar em Direito. "Hoje, estou fazendo um exame de habilitação que me permitirá trabalhar na profissão", diz ela.

"Quero poder pagar minhas contas sendo advogada para sustentar minha família e ensinar os outros", acrescenta. Os estudos permitiram expandir os horizontes de Patcharamon. "Não queria que os outros ditassem o que eu poderia ou não poderia fazer porque sou deficiente", diz.

"Quero romper com a norma social que os outros criaram para quem tem algum tipo de deficiência", conclui.

Comentário

O Banco24Horas acaba de lançar uma nova versão do aplicativo gratuito, que já está disponível para download nos sistemas Android e iOS. A atualização traz visual e usabilidade aprimorados, que tornam ainda mais fácil a localização dos caixas eletrônicos da Rede Banco24Horas e melhoram ainda mais a experiência do cliente com a marca.

Para encontrar os caixas em tempo real no mapa, basta habilitar a localização do aparelho. O app identifica o tipo de comércio em que os caixas eletrônicos estão instalados (supermercados, postos de gasolina, shoppings, etc) e informa os horários de funcionamento. Se preferir, o cliente pode realizar uma busca por endereço, em qualquer cidade do Brasil.

Graças à conexão com o Waze, Google Maps e Apple Maps, o aplicativo permite ao usuário selecionar o caixa eletrônico de destino e traçar uma rota até o local. Além disso, os caixas eletrônicos mais utilizados podem ser incluídos em uma lista de favoritos. O cliente também pode traçar sua rota normal e pedir para o aplicativo indicar os terminais da Rede Banco24Horas disponíveis no caminho.

O usuário também pode adicionar lembretes para não se esquecer de realizar saques importantes. Vinculados ao calendário do celular, esses avisos podem ser únicos ou possuir recorrência semanal e mensal. Os alertas também podem ser programados para o dia do vencimento, o dia anterior ou até uma semana antes.

No primeiro acesso, o app disponibiliza uma lista de mais de 30 instituições financeiras e solicita ao usuário que informe o seu banco. Assim, o cliente consegue verificar todos os serviços disponíveis na Rede Banco24Horas e receber notificações quando novos serviços forem adicionados.

O aplicativo também possibilita compartilhar o endereço dos caixas eletrônicos com os amigos, via SMS, email, WhatsApp, Messenger e mais. Além disso, o cliente pode usar o app para acessar os canais de atendimento da Rede Banco24Horas, incluindo formulário online e atendimento telefônico, até mesmo para pessoas com deficiência auditiva e de fala.

"O Banco24Horas já faz parte do dia a dia dos brasileiros. Como se trata de um serviço de utilidade pública, nosso intuito é proporcionar uma experiência aprimorada para o cliente, por meio da nova versão do app, mais moderna, com novas funções e melhor usabilidade", afirma Luiz Stefani, diretor de autoatendimento da TecBan, empresa que administra o Banco24Horas.

Comentário

Em despacho expedido nesta quinta-feira (26), o juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, disse que a ação penal em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é acusado de receber vantagens indevidas por meio da reforma de um sítio em Atibaia/SP tem mais provas, além das delações de executivos da Odebrecht. O caso permanece, por ora, em Curitiba, decidiu o magistrado.

“Oportuno lembrar que a presente investigação penal iniciou-se muito antes da disponibilização a este Juízo dos termos de depoimentos dos executivos da Odebrecht em acordos de colaboração, que ela tem por base outras provas além dos referidos depoimentos”, escreveu Moro no despacho, com o qual negou pedido da defesa para que o caso fosse remetido à Justiça Federal em São Paulo ou em Brasília.

O pedido da defesa foi feito após a Segunda Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) ter determinado, terça-feira (24), o envio de acusações feitas por executivos da Odebrecht contra Lula, que estavam sob a responsabilidade de Moro, para a Justiça Federal em São Paulo, onde os supostos crimes teriam ocorrido.

Em decorrência da decisão, os advogados de Lula entraram com uma petição para que não só as delações como também todo o processo fosse remetido à Justiça em SP ou em Brasília, onde Lula exerceu a Presidência da República à época dos fatos. Isso porque o ex-presidente não poderia ser julgado em duas jurisdições pelo mesmo caso, que não teria relação com desvios na Petrobras, afastando-se assim a competência de Moro, alegou a defesa.

No mesmo dia, o MPF (Ministério Público Federal) manifestou-se no processo, afirmando que a decisão do STF tem caráter “superficial”, não afetando a competência de Moro para julgar tanto o caso do sitio em Atibaia como um outro, no qual o ex-presidente é acusado de receber propina por meio da compra de uma nova sede para o Instituto Lula.

Para Moro, há “precipitação” de ambas as partes, pois a decisão do STF sequer foi publicada. “É certo que a decisão deverá ser considerada para a avaliação da competência deste Juízo para a presente ação penal, mas isso não é algo automático”, afirmou o juiz. Ele acrescentou que a questão da competência, de fato, pode ter sido afetada, mas será julgada no momento adequado em outro tipo de processo, já aberto pela defesa, chamado exceção de competência.

As ações sobre o sitio em Atibaia e a sede do Instituto Lula, em São Paulo, tramitam em separado da ação sobre o triplex no Guarujá, no litoral paulista, em decorrência da qual Lula foi preso no dia 7 deste mês. Com informações da Agência Brasil

Comentário

Para alertar a população dos riscos da pressão alta, a Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH) inicia nesta quinta (26), Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão, a campanha Meça sua Pressão. A iniciativa visa a informar e orientar sobre a importância de fazer a aferição regular da pressão arterial e de como prevenir a doença.

São consideradas hipertensas pessoas com pressão arterial maior que 140/90 mmHg, mas, de acordo com a nova diretriz americana, esse parâmetro já baixou para 130/80 mmHg.

“A hipertensão arterial é uma doença silenciosa, pois não causa sintomas e é progressiva. Atinge homens e mulheres e 32,5% dos brasileiros sofrem com ela”, explica a enfermeira Grazia Guerra, coordenadora da campanha, que contará com programação extensiva na capital paulista.

A programação prevê, ainda, uma ação conjunta com o Departamento de Hipertensão Arterial da Sociedade Brasileira de Cardiologia, representante brasileiro para a ação MMM-18 da Sociedade Internacional de Hipertensão. Em termos globais, a campanha visa a medir a pressão arterial de cerca de 25 milhões de pessoas durante o mês de maio, dedicado mundialmente à hipertensão arterial.

Comentário

Pelo menos 640 acadêmicos de Engenharia Civil da Unigran participam, nesta semana, da VIII Semana Acadêmica do curso. Nos sete dias de atividades voltadas para temáticas aplicadas dentro e fora da sala de aula, os estudantes participam de oficinas, minicursos, entre outras atividades acadêmicas.

A palestra de abertura da Semana Acadêmica foi ministrada pela engenheira paranaense Line Meireles, certificada pela PMP (Project Management Professional), título reconhecido em mais de 150 países. Com especialização nos Estados Unidos, foi uma das responsáveis pelo gerenciamento de projetos e execução da usina hidrelétrica de Belo Monte, a terceira maior do mundo, localizada na bacia do rio Xingu, próximo da cidade de Altamira, no sudoeste do Pará.

O tema principal da palestra foi ‘Gerenciamento de Projetos: aplicação na Usina Hidrelétrica de Belo Monte’, porém o ensinamento foi além de mostrar o que é a gestão de projetos dentro da engenharia civil. A profissional, com vasta experiência em 12 anos de carreira, falou com os acadêmicos, também, sobre o quão importante é ir em busca de sonhos e de como é possível alcançá-los.

“Quando me formei, saí de uma escola do interior de São Paulo e fui atrás de grandes sonhos, inclusive internacionais. Trabalhei até chegar onde estou, em nove indústrias diferentes e nos mais variados setores, não só da construção, inclusive na área de perfumes. O que eu quis mostrar para os alunos é que não devemos ficar acomodados e que as pequenas oportunidades são muito valiosas para se buscar sonhos. Para o engenheiro civil, o mundo não está limitado apenas à construção civil”, diz.

Ainda segundo Line, o importante mesmo é o profissional recém-formado ter mesmo é a audácia e “cara de pau” para se colocar na frente das situações e consequentemente sair à frente no mercado de trabalho. “O estudante precisa aproveitar as oportunidades ainda na academia, mas também saber como usufruir delas lá fora, no início da inserção no mercado de trabalho, esse é o diferencial que eu tive e que eu gostaria que todos tivessem e, para isso, é importante estagiar em diversas áreas, até chegar ao ponto em que você se encontra e diz ‘é isso que eu quero para minha vida’, isso tudo sem ter medo de errar”, enfatiza.

“Todo esse diferencial da palestra ministrada pela Line foi primordial”, de acordo com o professor Luiz Henrique Carvalho, coordenador do curso. Segundo ele, é importante para mostrar ao acadêmico a importância de buscar sempre informações e qualificações dentro da área de atuação. “Quando nós fazemos uma semana acadêmica, a ideia é ligar a teoria com a prática e para dar início ao ciclo de palestras trouxemos a Line, uma engenheira de know-how que faz interligação das empresas com os gestores e é importante falar sobre isso, porque atualmente no Brasil, o planejamento de obras muitas vezes é deixado de lado”, afirma Carvalho.

Ainda conforme o coordenador, quando o planejamento é bem feito a execução também será bem realizada. “Para se ter uma ideia, atualmente temos no mínimo 28 ações de planejamento e apenas oito execuções, então nas grandes obras temos que pensar muito, planejar muito para depois executá-las”, finaliza.

A programação da VIII Semana Acadêmica de Engenharia Civil conta ainda com minicursos e oficinas com as temáticas: Planilha orçamentária da CEF; Leitura de Plantas e Projetos; Aprovação de Projetos e Acessibilidade; Corrosão do Concreto Aramado; Segurança do Trabalho na Obra; Licenciamento Ambiental; além da apresentação de trabalhos científicos.

Comentário

Preso desde setembro de 2016, o ex-ministro Antonio Palocci assinou acordo de delação premiada com a Polícia Federal. Fontes vinculadas ao caso confirmaram ao OGlobo que a colaboração avançou com rapidez nos últimos dias.

Em sigilo, além de terem fixado as bases dos benefícios que serão concedidos a Palocci, os investigadores inclusive já teriam concluído a fase de depoimentos. A colaboração de Palocci, no entanto, ainda não foi homologada pela Justiça, segundo o jornal.

Comentário

Página 1 de 896

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014
E-mail: douranews@douranews.com.br

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus