Timber by EMSIEN-3 LTD
Redação Douranews

Redação Douranews

Vereadores de Dourados aprovaram, em 2ª e 3ª discussão, na sessão extraordinária realizada na tarde desta quinta-feira (13), o Projeto de Lei 113/2018, de autoria do Poder Executivo, que dispõe sobre a LOA (Lei Orçamentária Anual) para exercício financeiro de 2019.

A votação ocorreu durante a 10ª e 11ª sessões extraordinárias, realizadas na tarde desta quinta, no Plenário da Casa de Leis, sucedendo à rápida e decisiva nona sessão extra, que escolheu o vereador Alan Guedes (DEM) como novo presidente da Câmara o biênio 2019/20.

Foram votadas e aprovadas, em bloco, mais de 250 emendas, entre indicativas, impositivas e modificativas. Elas atendem as áreas da Saúde, Educação e Assistência Social. As emendas impositivas apresentadas podem somar R$ 60 mil para cada vereador, e são de cumprimento obrigatório por parte da Prefeitura.

Comentário

O médico-cirurgião Antônio Luiz Macedo, do Hospital Israelita Albert Einstein, afirmou à Agência Brasil de notícias nesta quinta-feira (13) que a cirurgia para a retirada da bolsa de colostomia do presidente eleito, Jair Bolsonaro, foi remarcada para o dia 28 de janeiro. Mais cedo, Bolsonaro esteve no hospital, na capital paulista, para uma consulta de rotina, que durou cerca de um hora.

Inicialmente marcada para a quarta (12), a cirurgia foi adiada em novembro após uma série de exames que apontaram uma inflamação do peritônio e processo de aderência entre as alças intestinais. A nova data também é uma adequação à agenda do próximo presidente, que participará do Fórum Econômico de Davos, na Suíça, entre os dias 22 e 25 de janeiro, um dos primeiros compromissos internacionais após tomar posse no cargo.

"É a disponibilidade dele [Bolsonaro]. Agora não dá por causa da posse do dia 1º de janeiro, depois ele tem um compromisso fora do Brasil [Fórum de Davos], que ele não pode deixar de ir. Quando ele voltar desse compromisso, ele será operado", afirmou Macedo, um dos maiores especialistas em cirurgia do aparelho digestivo no país.

Antônio Macedo acompanha Bolsonaro desde o ataque sofrido pelo então candidato à presidente, no dia 6 de setembro, em Juiz de Fora (MG), durante a campanha eleitoral. Bolsonaro foi esfaqueado no abdômen por Adélio Bispo de Oliveira, de 40 anos. O autor do ataque segue preso na penitenciária federal de Campo Grande.

Almoço com Silvio Santos

Após a consulta em São Paulo, Jair Bolsonaro almoçou com o apresentador Sílvio Santos, do SBT, na zona sul da cidade. O apresentador completou 88 anos de idade, e o almoço foi organizado como uma confraternização. O presidente eleito estava acompanhado da esposa, Michelle Bolsonaro, do futuro ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, além de outros assessores, sob um forte esquema de segurança.

Bolsonaro deixou a casa de Sílvio Santos por volta das 14 horas e foi direito para o aeroporto de Congonhas, onde embarcou para o Rio de Janeiro. A expectativa é que ele permaneça na cidade pelos próximos dias, de acordo com a agência de notícias.

Comentário

O comerciante Benjamim Ximenes, pai do presidente do Clube Indaiá e diretor do Crea-MS (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia), Angelo Ximenes, morreu na tarde desta quinta-feira (13), aos 88 anos, em Dourados. Segundo a família, ele estava com a saúde bastante debilitada e necessitando de cuidados especiais.

Benjamim Ximenes chegou em Dourados em 1967. Trabalhou com gerente em diversas lojas da cidade, entre elas a Riachuelo e a Douralar. Em 1974 implantou o Restaurante Panela Preta, tradicional ponto de encontro da sociedade e a melhor feijoada da cidade na época. Também foi dirigente do Clube Social de Dourados e do Dragão Esporte Clube, e contribuiu com a fundação da Colônia Paraguaia no Município.

O empresário deixa a esposa Dalmira, e os filhos Ângelo, Sandra e Sergio, além de noras e netos.

Comentário

Com 10 votos a favor, oito contrários e uma abstenção (do vereador Ramim), o vereador Alan Guedes (DEM) foi eleito novo presidente da Câmara de Dourados até 2020.

Guedes encabeçou a chamada chapa 2, que acabou se transformando em chapa única, tendo como candidato a vice o vereador Elias Ishy (PT), primeiro secretário Sergio Nogueira (PSDB) e segundo secretário, Daniela Hall (PSD).

A eleição só aconteceu após nove sessõex extraordinárias, e queda de braço que começou dia 5, na semana passada, quando duas chapas foram inscritas. No dia seguinte, dois membros de uma chapa foram presos e o imbróglio se sucedeu até que a Justiça determinasse o afastamento dos vereadores presos, abrindo caminho para os suplentes proporcionarem a decisão final.

 

Comentário

O vereador Marçal Filho (PSDB), convocado pela presidente Daniela Hall (PSD) para presidir a sessão de eleição da futura Mesa diretora, porque ela é parte interessada no processo, como integrante da chapa encabeçada pelo vereador Alan Guedes (DEM), abriu os trabalhos de votação anunciando que apenas uma chapa estava apta a disputar os votos.

Ao protesto do líder da prefeita, Junior Rodrigues (PR), integrante da chapa que era encabeçada pelo vereador Pedro Pepa (DEM), foi lido documento informando que a chapa de Pepa deixou de existir na Casa ao serem tornados sem mandato, além de Pepa e Cirilo, substituídos por Toninho Cruz e Marcelo Mourão, o presidente da eleição disse que o voto terá que ser plebiscitário (sim ou não) à única chapa participante do processo.

O vereador Romualdo Ramim (PDT) voltou a dizer que não pretende votar em nenhuma das chapas, como já havia se manifestado. Marçal o recomendou a votar não ou a se abster.

Comentário

A exemplo do que já ocorreu no ofício em que pediam a suspensão das eleições, rejeitado por 10 votos a 9, agora com a nova composição da Câmara, os vereadores de Dourados também rejeitaram, pela mesma maioria de 10x9, o pedido formulado pelos membros da chapa chamada ‘Legislativo forte’, para a substituição de nomes.

Os vereadores Alberto Alves dos Santos, Junior Rodrigues e Janio Miguel, todos do PR e Silas Zanata, do PPS, pediram que fosse permitida a troca dos nomes de dois membros da chapa, Pedro Pepa (DEM) e Cirilo Ramão (MDB), presos na operação do MPE (Ministério Público Estadual) que investiga fraudes em licitações e denúncias de pagamento de propina.

De acordo com o pedido, os dois presos seriam substituídos na chapa pelo próprio Alberto Alves, o Bebeto, como presidente e Janio Miguel no lugar de Cirilo. A próxima fase dessa votação deve ser a escolha dos membros da futura Mesa, também pelo voto aberto.

Com parecer contrário da nova Comissão de Justiça [formada, extemporaneamente, nessa sessão, pelos vereadores Marçal Filho, do PSDB, Madson Valente, do DEM e Lia Nogueira, do PR], considerando que os membros legais, Idenor Machado e Pedro Pepa estão presos e Alan Guedes tem interesse direto no resultado da votação, o pedido também foi rejeitado.

2 a 1 decisivo

Os suplentes Toninho Cruz, substituindo o preso Pedro Pepa e Marcelo Mourão, ao preso Cirilo Ramão, tomaram posse na sessão extraordinária da Câmara de Dourados, convocada para a tarde desta quinta-feira (13), em função de liminar que afastou dos mandatos os envolvidos na operação ‘Cifra negra’, investigados por conta de denúncias de corrupção, prática de desvios de dinheiro público e fraudes em licitações, envolvendo outros servidores e agentes políticos.

Os votos deles dois, mas o de outro suplente, Mauricio Lemes, empossado domingo (9) passado, por força de liminar judicial, na vaga do preso Idenor, decidiram as questões que vinham se arrastando já desde o dia 7. Toninho e Mourão votam com o grupo pró-Alan Guedes e Mauricio pelo grupo que é encabeçado por Pedro Pepa.

Comentário

Agentes da Divisão de Homicídios da Polícia Civil do Rio de Janeiro cumprem nesta quinta-feira (13) na capital e em outros municípios os primeiros mandados de prisão e apreensão contra suspeitos de envolvimento na morte da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. O delegado Giniton Lages, responsável pelas investigações, informou à Agência Brasil que a operação se estende a bairros do município do Rio e em Angra dos Reis, Nova Iguaçu, Petrópolis, e fora do estado, na cidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais.

Segundo o delegado, a operação deriva de inquéritos policiais paralelos às investigações do caso Marielle e Anderson. Desde que começaram as investigações, que apuram a autoria dos crimes, a Delegacia de Homicídios vem realizando várias operações policiais para a checagem de informações anônimas.

O delegado defende "a manutenção do absoluto sigilo das apurações realizadas, sendo esta a maior garantia para o alcance dos autores e mandantes dos crimes investigados”.

Crime

A vereadora Marielle Franco foi assassinada junto com o motorista Anderson Gomes, na noite de 14 de março deste ano, no bairro do Estácio, na região central do Rio. Eles foram mortos a tiros, quando voltavam para casa, na Tijuca, após participar de evento na Casa das Pretas, na Lapa. A vereadora estava dentro de um carro acompanhada do motorista, que também foi morto, e de uma assessora. Os tiros foram disparados de outro veículo.

Eleita com 46.500 votos, a quinta maior votação para vereadora nas eleições de 2016, Marielle Franco estava no primeiro mandato como parlamentar. Oriunda da favela da Maré, zona norte do Rio, Marielle tinha 38 anos, era socióloga, com mestrado em Administração Pública e militava no tema de direitos humanos.

Comentário

Os suplentes Toninho Cruz, substituindo o preso Pedro Pepa e Marcelo Mourão, ao preso Cirilo Ramão, tomaram posse na sessão extraordinária da Câmara de Dourados, convocada para a tarde desta quinta-feira (13), em função de liminar que afastou dos mandatos os envolvidos na operação ‘Cifra negra’, investigados por conta de denúncias de corrupção, prática de desvios de dinheiro público e fraudes em licitações, envolvendo outros servidores e agentes políticos.

Toninho é filiado ao DEM, por onde obteve 1902 votos e ficou como suplente do eleito Pedro Pepa. Marcelo Mourão, atualmente também no DEM, concorreu nas eleições de 2016 pelo MDB e, após colher pouco mais de mil votos ficou na suplência de Cirilo Ramão. Os dois já exerceram mandatos em Dourados

Com a Câmara recomposta, os vereadores deverão analisar, em seguida, a proposta dos vereadores Bebeto e Janio Miguel, ambos do PR, que pedem para substituir aos dois presos na chapa que vai disputar a eleição para a futura Mesa diretora. Em seguida serão eleitos os membros da Mesa.

Comentário

O presidente Michel Temer e o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, entregaram nesta quarta-feira (12), em Brasília, mil caminhonetes, como força efetiva no combate às doenças transmitidas no atual cenário de risco, dos municípios, em relação ao mosquito Aedes aegypti. Durante solenidade, foram entregues 600 caminhonetes, que serão destinadas às regiões Centro-Oeste e Sudeste. Outros 400 veículos também já estão disponíveis para as demais regiões.

O secretário municipal de Saúde de Dourados, Renato Vidigal, presente na solenidade, representou a prefeita Délia Razuk e recebeu chaves de uma das camionetes onde serão acoplados os equipamentos de fumacê para ações locais. Ao todo, o Ministério da Saúde investiu R$ 109,4 milhões na aquisição dos veículos. Na ocasião, Vidigal foi cumprimentado por Dourados ter sido um dos municípios do Centro-Oeste que atingiram os melhores índices de controle do Aedes aegypti.

O ministro da Saúde apresentou, durante o ato, os dados do LIRAa (o Levantamento Rápido de índices de Infestação pelo Aedes aegypti) e lançou o Sistema Integrado de Controle de Vetores (o SIVector), uma nova ferramenta com informações georreferenciadas para o controle do Aedes aegypti e Aedes albopictus, mosquitos transmissores das doenças dengue, zika e chikungunya nos municípios.

Dados do LIRAa indicam que 504 municípios brasileiros apresentam alto índice de infestação, com risco de surto para doenças transmitidas pelo mosquito. Ao todo, nos 5.358 municípios de todo o país, 96,2% da totalidade de cidades realizaram algum tipo de monitoramento do mosquito, sendo 5.013 por levantamento de infestação (LIRAa/LIA) e 345 por armadilha. A metodologia armadilha é utilizada quando a infestação do mosquito é muito baixa ou inexistente.

Comentário

A sessão da Câmara de Vereadores, convocada pela nona vez em caráter extraordinário neste ano para as 14 horas desta quinta-feira (13), terá dois novos ocupantes, a partir da liminar judicial que mandou afastar dos mandatos, além de Idenor Machado (PSDB) que já havia se licenciado depois de preso na operação ‘Cifra negra’, agora também Cirilo Ramão (MDB) e Pedro Pepa (DEM) tiveram os mandatos interrompidos.

Em tese, e matematicamente, a posse de Marcelo Mourão, suplente de Cirilo e de Toninho Cruz, do vereador Pepa, garante maioria ao grupo liderado por Alan Guedes (DEM), na disputa para a presidência da Câmara. Mesmo que seja aprovada a substituição dos nomes de Pepa e Cirilo, como desejam integrantes da base da prefeita Délia Razuk na Casa, por Bebeto na presidência e Janio Miguel na vaga de Cirilo, o resultado presumível da votação para a nova Mesa seria favorável a Guedes.

Comentário

Página 1 de 1148

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014
E-mail: douranews@douranews.com.br

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus