Timber by EMSIEN-3 LTD
Redação Douranews

Redação Douranews

Parlamentar é autor do Projeto de Lei que obriga hospitais e maternidades a realizaram o exame em até 24 horas após o nascimento do bebê

Está pronto para ser votado na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados o relatório do Projeto de Lei (PL) 5.701/2013, de autoria do deputado federal Geraldo Resende (PSDB-MS), que obriga hospitais e maternidades a realizarem o exame de Oximetria de Pulso, mais conhecido como teste do coraçãozinho em recém-nascidos.

Igualmente aos testes do pezinho e da orelhinha que já são obrigatórios, na avaliação do deputado Geraldo Resende, o teste do coraçãozinho é um procedimento simples, rápido e indolor que pode sugerir a existência de malformações cardiovasculares por indicar saturação de oxigênio deficiente no organismo da criança. “O exame é importante para diagnosticar já nas primeiras 24 horas doenças cardíacas. Ele é feito por um aparelho de pressão chamado oxímetro, que é colocado no bebê para avaliar a oxigenação no sangue. Se o equipamento apontar diferença, a criança pode ter algum problema cardíaco”, explicou Geraldo Resende.

O parlamentar que também é médico de formação, salientou a importância de instituir o tratamento com precocidade. “Muitos destes problemas podem levar à morte, se não corrigidos, e quanto antes, melhor”, alertou Geraldo Resende.

Embora algumas capitais brasileiras e outras cidades já possuem leis municipais que dispõem sobre o assunto, o projeto de lei do deputado federal visa instituir uma legislação nacional, principalmente para atender a pacientes do Sistema Único de Saúde. “O exame não custa nem R$ 5 e é feito no máximo cinco minutos. O diagnóstico em pouco tempo pode salvar o bebê”, frisou Geraldo Resende.

O Projeto de Lei 5.701/2015 está sujeito a apreciação conclusiva dos deputados. Em caso de aprovação, ele será remetido diretamente ao Senado, sem a necessidade de ser votado no plenário da Câmara dos Deputados.

Comentário

A enorme cratera que causou estragos e dividiu dois bairros em Naviraí recebeu investimento de R$ 14 milhões do Governo do Estado. Hoje, com o fim da ameaça, os cerca de seis mil moradores da região começam a retomar o ritmo normal de suas vidas. O ‘buracão’ – como é conhecido na cidade, surgiu entre os bairros Paraíso IV e Vila Alta durante as fortes chuvas que arrasam mais de 30 cidades em MS no final de 2015 e chegou a atingir 15 metros de profundidade.

A primeira obra realizada custou cerca de R$ 6 milhões. Foi feita uma barreira de contenção, para que a erosão não aumentasse com a chuva, depois colocados os tubos das galerias pluviométricas e por fim o aterramento total. Na época em que a erosão se formou, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) sobrevoou o local, acompanhado do então ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi. O caso foi tão grave que ganhou repercussão na mídia nacional.

A outra parte do investimento começa hoje (12). Reinaldo assina a ordem de serviço para construir 87,5 mil metros quadrados de asfalto, que custarão R$ 8,29 milhões. “Temos uma parceria importante com Naviraí. O governo investiu R$ 6 milhões para tapar o buraco, com drenagem, galeria de águas pluviais, aterramento e agora vamos aplicar outros R$ 8 milhões para fazer o asfalto. Esse é o papel do gestor público: aplicar o recurso público de forma eficiente para poder atender os municípios e suas prioridades. Economizar com a máquina pública para poder gastar mais com as pessoas”, disse o governador.

Catia Tomaz Vicente, 24 anos, moradora do Jardim Paraíso há cinco anos, conta que quando a rua desmoronou ela e a família chegaram a ficar uma semana ilhados dentro de casa. “Nossa casa ficou no meio do buracão na avenida e da outra cratera que se formou na rua de cima, que também foi tampada. Para você ter uma ideia, meu marido precisava pular o muro para conseguir sair e trabalhar. Carro, moto, táxi, barco, nada entrava aqui. Uma vez eu levei um tombo com minha filha e se eu não fosse rápida a enxurrada tinha levado ela. Agora, com essa obra nova vai ficar bom. O asfalto muda a vida da gente né?!”, frisou Catia.

O comerciante, Vaderson Ferreira de Souza, 30 anos, é proprietário do único mercado na avenida em que a cratera se formou. Ele relatou que teve que colocar lonas para impedir que seu comércio desabasse. “O buraco veio aqui na nossa porta. Até uns 30 dias atrás ainda tinha duas represas. Nesse quase um ano nós tivemos que ter muita paciência. Perdemos muitas vendas, um prejuízo de quase R$ 100 mil. Agora é bola pra frente. Espero que esse asfalto que vem ai traga melhoria pra todos nós”, ponderou Vaderson.

Moradora da região há 15 anos, dona Ilda Paiva de Oliveira, 59 anos, disse que a cratera foi se formando de pouco e no fim estava engolindo casas e expulsando moradores. “Todo mundo daqui estava em desespero. Começou um desmoronamento lá embaixo, no final da rua. Até que começou a vir rua por rua e a ficar cada vez mais fundo. Caiu postes de luz dentro, engoliu casas. A gente nunca tinha visto uma coisa daquelas. Muitos moradores estão traumatizados até hoje. Graças a Deus está eliminado. E o asfalto que vai passar por aqui vai melhorar porque diminui o poeirão que invade as casas. Vai ficar bem melhor”, falou Ilda.

Obras

Além da ordem de serviço para o asfaltamento, o governador anuncia outras melhorias para o município e faz entregas. Reinaldo autoriza o início das obras de duplicação na rodovia MS-141, que inicia no trevo dos Tucanos e segue até o campus da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), numa extensão de 2,38 quilômetros. O investimento é de R$ 4,6 milhões e atende um antigo pedido dos universitários e moradores.

Naviraí também recebe outros R$ 140 mil provenientes de uma emenda do então deputado federal Reinaldo Azambuja. Serão entregues para a Secretaria Municipal de Saúde dois veículos, 15 aparelhos de ar condicionado, cinco computadores e quatro autoclaves horizontais com mesa. Eles serão distribuídos para as unidades básicas de saúde dos bairros Sol Nascente, Boa Vista, Carlos Vidoto, Paraíso e o Centro de Saúde de Naviraí. A solenidade está marcada para as 14h30 na Escola Municipal José Carlos da Silva, que fica na rua Tim Maia, n º 555, no Jardim Paraíso.

Receberão troféus os vencedores das edições 2015 e 2016, Odila Lange e Luis Carlos Luciano; demais indicados receberão menções honrosas -

A mesa diretora da Câmara de Dourados marcou para segunda-feira, dia 15, a solenidade de entrega do Prêmio Ildefonso Ribeiro da Silva. Será no intervalo da sessão ordinária, que inicia às 18h30.

Receberão troféus os vencedores das edições 2015 e 2016, respectivamente, a escritora e poetisa Odila Lange e o jornalista e escritor Luis Carlos Luciano. Os demais indicados, das duas edições, receberão placas de menção honrosa em agradecimento à dedicação literária.

O Prêmio Ildefonso Ribeiro da Silva foi criado por meio de decreto legislativo de proposição do então vereador José Carlos Cimatti e coautoria da vereadora Delia Razuk, com objetivo de agraciar escritores do município que tenham se destacado na produção literária regional sul-mato-grossense.

Os trabalhos são avaliados de acordo com a abrangência temática das obras dos indicados, importância temática, cunho regionalista e comprovação dos currículos vitae.

Vencedora da edição 2015, Odila Lange foi indicada com os livros “Dourados – Cidade de Todos os Povos e de Todas as Corres” e “Folclore ou folclore?” e várias obras em forma de literatura de cordel.

Neste ano, também foram indicados os escritores Marcos Coelho, Ivone Macieski, Wilson Biasotto, Paulo Baungart Neto, Rose Prado e Rogério Fernandes Lemes.

Luis Carlos Luciano, vencedor deste ano, foi indicado com as obras “Aced 70 Anos”, “Betânia”, “Ribeiro: Arquitetura, Urbanismo e Meio Ambiente, Exercício da Cidadania”, “Tereré, poeira e raízes douradenses” e “Legislativo de Dourados, 1935/2006”.

Também foram indicados para concorrer ao prêmio este ano, Marcos Coelho, Ivone Macieski, Antony Magalhães Silva, José Alberto Vasconcellos, Rogério Fernandes Lemes, Rozeli Dolor Galego, Marise Andreatta e Emmanuel Marinho.

ODILA

Odila Lange é advogada e professora, mestra em História pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). É fundadora da Academia Douradense de Letras, entidade da qual já exerceu a presidência por quatro vezes. É membro da Academia de Letras do Brasil, Seção de MS, ocupante da cadeira nº 2, como representante de Dourados.

É autora de várias obras, entre elas os livros “Folclore ou Folclore (1996), reeditado em 2014, “PrOestando (1998); “Kit Cordel (2006); “Mulheres (2008); “Rodeio de Versos (2014); “Sicredi Centro Sul MS – Uma História de Sucesso – 25 Anos”; “Dourados – Cidade de todos os povos e de todas as corres”.

Odila é estudiosa das questões de gênero e pesquisadora do folclore brasileiro. Sua índole atuante e combativa levou-a a receber dos confrades da Academia Douradense de Letras, o codinome de “a poetisa guerreira”.

LUCIANO

Luis Carlos Luciano começou como repórter em 1982 e trabalhou nos dois jornais diários de Dourados; cursou Letras com ênfase em Jornalismo na Unigran. Na década de 90 começou a escrever no jornal O Progresso, crônica semanal com o título “Rodando o Lero”, assinado com o pseudônimo “Fuscachambó”. Por alguns meses manteve crônica semanal no diário MS com o título “Coçando o Verbo”, apresentando, como ele próprio define “uma fase mais madura em relação ao ensaio literário”. Também passou pelas redações da Folha de Dourados, rádio Grande FM e site Douradoinforma.

Em 2003 escreveu “O Fenômeno Diário MS: dez anos de um sonho”, seu primeiro livro. Em 2004 e 2005 escreveu a biografia do coronel José Alves Marcondes, como título “Triunfo e glória de um Guerreiro”. Em 2006 relatou a história da Câmara de Dourados com um breve currículo dos prefeitos até aquele ano, com o título “71 anos do Legislativo de Dourados”. Em 2007 trabalhou na obra “Ribeiro: Arquitetura, Urbanismo e Meio Ambiente – Exercício de Cidadania”, lançado em 2008.

Em 2014, Luciano lançou “Betânia”, seu primeiro romance. Em maio de 2015 lançou “Aced 70 anos, história da Associação Comercial e Empresarial de Dourados” e, em dezembro do mesmo ano, “Tereré, poeira e outras raízes douradenses”, com crônicas editadas.

É membro da Academia Douradense de Letras, jornalista do quadro permanente da prefeitura e atual presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais da Grande Dourados e diretor da Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas).

O HOMENAGEADO

Ildefonso Ribeiro foi membro fundador e presidiu a Academia Douradense de Letras; professor aposentado, foi classificado em diversos concursos literários, escreveu romances, livros de poesias, compôs canções, adaptou peças para o teatro e foi redator de jornal. Também colaborou com poemas, crônicas e artigos publicados em diversos jornais de Dourados, do Estado e do País.

Comentário

O governador Reinaldo Azambuja considerou, ontem, como positivo o acordo de renegociação da dívida dos estados aprovado pela Câmara dos Deputados, na madrugada de quarta-feira. Na prática, Mato Grosso do Sul deixará de pagar R$ 120 milhões por mês, o que significa uma economia de quase R$ 670 milhões até o fim do ano, possibilitando que o governo termine o ano de 2016 sem deficit, equilibrando receitas e despesas, apurou o Correio do Estado.

A renegociação da dívida do Estado traz mais fôlego e uma salvação para as finanças estaduais, que já foram engordadas em R$ 1,4 bilhão no ano passado com recursos dos depósitos judiciais. Para o futuro, o governo ainda espera por cerca de R$ 100 milhões de desbloqueio de recursos do Banco Rural e R$ 350 milhões que podem vir com a aprovação da chamada securitização da dívida ativa de contribuintes, cujo projeto está no Senado.

Comentário

O agente da Força Nacional Hélio Andrade, baleado durante um ataque a um carro da corporação no complexo de favelas da Maré, na Zona Norte do Rio de Janeiro, morreu na noite desta quinta-feira (11), informou o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, em mensagem postada em seu perfil no Facebook.

O ataque à Força Nacional aconteceu na quarta (10), depois que três agentes da corporação entraram por engano na favela. Após ser baleado na cabeça e socorrido em estado grave no Hospital Salgado Filho, Hélio foi operado por uma equipe de três neurocirurgiões durante 4 horas e meia. Ao ser ferido, o soldado perdeu muita massa encefálica. Ele, porém, não resistiu ao ferimento.

e acordo com o comandante da PM de Roraima, coronel Dagoberto Gonçalves, o soldado morava no Rio de Janeiro desde 2015 e estava atuando na Força Nacional durante as Olimpíadas. Ele ingressou na PM de Roraima em 2003 e integra a Força Nacional desde 2014.

Além de Hélio, os outro agente da Força Nacional ficou ferido no ataque. O capitão Alen Marcos Rodrigues Ferreira, que atua em Cruzeiro do Sul, no Acre, teve ferimentos leves. O soldado Rafael Pereira, do Piauí, que também estava no veículo, escapou ileso.

De acordo com o comandante da PM de Roraima, coronel Dagoberto Gonçalves, o soldado morava no Rio de Janeiro desde 2015 e estava atuando na Força Nacional durante as Olimpíadas. Ele ingressou na PM de Roraima em 2003 e integra a Força Nacional desde 2014.

Além de Hélio, os outro agente da Força Nacional ficou ferido no ataque. O capitão Alen Marcos Rodrigues Ferreira, que atua em Cruzeiro do Sul, no Acre, teve ferimentos leves. O soldado Rafael Pereira, do Piauí, que também estava no veículo, escapou ileso.

A irmã do soldado, Edilene Andrade, disse, antes de saber que Hélio morreu, que um outro irmão e o marido dela embarcaram para o Rio na tarde desta quinta.

O ministro da Justiça expressou solidariedade à família no Facebook: "Quero expressar meus sentimentos aos familiares do soldado, que sofreu um ataque covarde e, infelizmente, morreu hoje em decorrência dos ferimentos. É um verdadeiro herói do nosso país. Nosso presidente, Michel Temer, decretará luto oficial pela morte de nosso herói. Honra e dignidade aos nossos policiais", postou Alexandre de Moraes.

REFORÇO

Cerca de 6 mil agentes da Força Nacional, de vários estados, foram enviados ao Rio para reforçar a segurança durante os Jogos Olímpicos.

Comentário

As sucessivas quedas do valor do dólar frente ao real já provocaram reflexo positivo nas vendas do comércio na fronteira, entre Ponta Porã e Pedro Juan Caballero, com aumento de até 25% em agosto deste ano em comparação com agosto do ano passado. A projeção é da Câmara de Comércio e Indústria de Pedro Juan Caballero e da Associação Comercial e Empresarial de Ponta Porã. 

Ainda de acordo com as duas instituições, desde o início do mês de agosto, a moeda norte americana vem registrando redução, variando entre R$ 3,40 e R$ 3,30 na região fronteiriça, onde há um ágio de 5% sobre o valor do dólar no Brasil. “Em algumas casas de câmbio aqui da região, já é possível encontrar a moeda norte-americana valendo R$ 3,25. Essa queda salvou o nosso agosto, que tradicionalmente é um mês de vendas ruins, mas, agora, estamos tendo elevação nas vendas e até os turistas estão voltando, coisa impensável no mesmo período do ano passado”, recordou o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Ponta Porã (ACEPP), Amauri Osório.

Comentário

Transformar dor em solidariedade. Foi isso que Henrique e Luciana Andrade, ambos de 57 anos, fizeram para homenagear a filha e a neta, mortas em um acidente de carro em 2013. O casal conta com a ajuda de amigos e familiares para realizar, pela terceira vez, a campanha Doando vida em nome de um amor eterno — Rafa e Clara. Em parceria com o Hemocentro, o objetivo é estimular a doação de sangue e de brinquedos pedagógicos. Estes serão direcionados às crianças do Centro Social Santa Clara, em construção na Chácara Santa Luzia, na Estrutural (leia Para saber mais), em homenagem às vítimas.
 
A tragédia que mudaria a vida da família aconteceu no Canadá, na capital da Província de Saskatchewan, no fim de agosto daquele ano. A filha de Henrique e Luciana, Rafaela Andrade Ramos, 26, não resistiu. A neta, Clara, 2, chegou a ser atendida no Hospital Universitário Real, em Saskatoon, com ferimentos graves, mas morreu pouco tempo depois. “Essa campanha, para nós, é transformar a dor em doação”, emociona-se Henrique.
 
A ideia da campanha surgiu quando o casal voltou ao Brasil e recebeu o apoio dos amigos. “A nossa pequena Clara não faleceu de imediato. Ela precisou passar por cirurgias e por transfusões de sangue. Sentimos na pele toda a dificuldade da doação de sangue e, logo em seguida, começou um questionamento lá no Canadá sobre a doação de órgãos, já que Clarinha estava com morte cerebral”, comenta Luciana. A menina doou os dois rins, um para cada criança. “À época, isso foi um feito inédito, já que fazia cinco anos que ninguém doava um órgão em Saskatchewan. Fizemos a doação e amenizamos o nosso sofrimento”, completa.
 
A campanha ocorre há três anos, sempre em agosto. Neste ano, a data da iniciativa precisou ser adiantada, pois os dias 24 e 26 — data em que as vítimas morreram — cairiam no meio da semana. A mobilização começou ontem e segue até 13 de agosto, próximo sábado, quando a família estará no Hemocentro. Nesta sexta-feira, o instituto trabalha em horário especial por causa das Olimpíadas, apenas até as 12h. No sábado, das 8h às 18h. Aqueles com alguma limitação para doação de sangue poderão entregar brinquedos pedagógicos e alimentos para crianças de 2 a 5 anos. A programação de sábado prevê músicas, bençãos e revoada de balões, às 17h.
 
Expectativa
No Hemocentro de Brasília, a história de Rafaela e Clara é famosa. “Ficamos muito felizes com a chegada da campanha, que está no terceiro ano. Sabemos a importância que ela tem para amigos e familiares. A mobilização é enorme, envolve muitas pessoas. Em um único dia de campanha, como no ano passado, recebemos mais de 70 doações de sangue, e isso é muito especial para a instituição”, conta a Chefe do Núcleo de Captação de Doadores, Kelly Borges.
 
Henrique e Luciana estão animados para 2016. “Acreditamos que, como a ação ocorrerá em três dias seguidos, as doações serão bem maiores do que no ano passado”, afirma Henrique. “Esperamos números muito positivos. A causa é muito próxima a nós, pois foi vivenciada e transformada em solidariedade por essa família. Isso sensibiliza as pessoas”, diz Kelly ao Correio Braziliense.

Comentário

Depois de duas vitórias, a seleção brasileira masculina de vôlei perdeu hoje (12) o primeiro jogo nas Olimpíadas Rio 2016 para os Estados Unidos, por 3 a 1. Mesmo sem jogar mal, o Brasil acabou não conseguindo superar a excelente performance dos norte-americanos, que vinham de duas derrotas e estavam em situação delicada no grupo.

Partindo para o tudo ou nada, já que uma derrota praticamente acabava com as chances de passar para a próxima fase, os americanos apresentaram bom volume de jogo e poucos erros. Os tricampeões olímpicos fecharam os dois primeiros sets – 25 a 20 e 25 a 23 – em 54 minutos. No terceiro set, o Brasil esboçou uma reação e conseguiu vencer por 25 a 20.

A reação, no entanto, parou por aí. No quarto set os norte-americanos voltaram a acertar quase todos os lances enquanto os brasileiros desperdiçavam várias jogadas. Com 30 minutos, os americanos fecharam o set e a partida com um novo 25 a 20. Alguns jogadores da seleção dos Estados Unidos provocaram a torcida presente no Maracanazinho pedindo silêncio após a vitória.

O Brasil enfrenta agora os italianos, no sábado (13), e depois os franceses, na segunda (15). Os dois jogos estão marcados para as 22h35.

Comentário

As tardes de domingo ficarão mais divertidas no Shopping Avenida Center, em Dourados, pois o projeto “Biblioteca Viva”, desenvolvido por alunas do Curso de Pedagogia, da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) e do “Grupo Abayomi”, promoverão brincadeiras, jogos, apresentações de peças de teatros e muito mais, a partir deste mês.

De acordo com a professora Giana Amaral Yamin, o Projeto visa oferecer às crianças atividades que contemplem múltiplas linguagens, “movimento, leitura, brincadeiras, jogos e artes visuais, de forma a ampliar o seu repertório cultural e literário e contribuir para a formação do sujeito leitor”, enfatizou.

Em parceria com o Shopping Avenida Center, a programação da UEMS, ocorrerá aos domingos, aberta para crianças de três a dez anos de idade.

O evento será organizado em turmas de até 25 crianças, com programação especial:

21 de agosto: O mundo das cores (15h30 às 16h30 e 16h30 às 17h30).

28 de agosto: Monstros na sacola (15h30 às 16h30 e 16h30 às 17h30).

04 de setembro: Circuito de Pinturas (15h30 às 16h30 e 16h30 às 17h30).

11 de setembro: Teatro: O casamento da Bruxa Onilda: O musical (16h- sem convites).

Os convites, gratuitos, serão retirados no local meia hora antes do início de cada grupo (15h e 16 h). O evento estará organizado no piso superior, espaço das lojas, próximo ao corredor do Supermercado ABV.

Comentário

Para manter vivo o sonho do ouro olímpico e chegar às semifinais do torneio de futebol feminino, a seleção brasileira precisará exorcizar um fantasma. Era junho de 2015 quando um gol da atacante australiana Khan Simon, aos 35 minutos do segundo tempo, eliminou o Brasil da Copa do Mundo do Canadá. Nesta sexta-feira, às 22h, no Mineirão, o time do técnico Vadão ficará de novo frente a frente com as algozes.
Desta vez, o Brasil não terá Cristiane. A atacante convive com uma lesão no músculo posterior da coxa direita e, depois de fazer exames, na quinta-feira, foi descartada para o confronto desta noite.
A comissão técnica trabalha com otimismo para tê-la em condições de disputar uma eventual final ou — se tudo correr melhor do que o previsto — já na semifinal. Assim, cresce a responsabilidade sobre a craque Marta e a experiente Formiga.
Na atividade comandada, já em Belo Horizonte, o coordenador técnico Fabrício Maia deu ênfase a corrigir a colocação das jogadoras. Também houve treino de cobranças de pênalti, já que qualquer igualdade no tempo normal ou na prorrogação levará o confronto a ser decidido nas penalidades máximas. Os melhores índices de aproveitamento vieram justamente de Marta e Formiga. Já Bia deixou a desejar.
Outras partidas desta quinta-feira: às 13h, os Estados Unidos enfrentam a Suécia no Mané Garrincha; às 16h, a China pega a Alemanha na Fonte Nova; e, às 19h, o Canadá mede forças com a França na Arena Corinthians.Da redaçao do portal extra .

Comentário

Página 1253 de 1342

Brasileirão - Rodada

Classificação

  • PMRV

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014
E-mail: douranews@douranews.com.br

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus