Imprimir esta página
Terça, 18 Junho 2019 08:05

Espaço Living realça pelo despertar da musicalidade na Unigran Decor Destaque

Escrito por
Mostra de Arquitetura e Urbanismo apresenta inovações e criatividade até domingo em Dourados Mostra de Arquitetura e Urbanismo apresenta inovações e criatividade até domingo em Dourados Divulgação/Assessoria

Equilibrando formidavelmente o clássico com o moderno, o ‘Living’ da Unigran Decor rouba com muita naturalidade a atenção dos visitantes logo quando entram na casa, anunciando com muito esplendor o que a mansão Garcete tem a lhes oferecer de arquitetura, design e paisagismo. A Mostra vai até domingo (23) em Dourados.

O ambiente foi projetado e montado pelos professores Cláudia Torraca, Júlio Benatti e Rosane Lima, com o apoio dos alunos de Arquitetura e Urbanismo, e foi decorado pelo Espaço Ziy, trabalho conjunto que o tornou um dos mais cobiçados da mostra.

Com uma composição ousada e cheia de personalidades, o Living tem o tema ‘Musicalidades’ e busca transmitir as melhores sensações de se sentir em casa e a arte de viver bem, desfrutando da boa música em seus diversos estilos, o contemporâneo, o natural e o urbano. Segundo os criadores, esse perfeito equilíbrio é o que todos buscam alcançar em casa quando se almeja desligar da vida agitada do dia a dia, sendo o lugar ideal para se viver, inspirar e sonhar.

“O ambiente é uma sala de estar e tem anexo a ele uma sala de jantar. Como está na entrada da casa, nós quisemos passar esse ar de boas vindas com a narrativa da música. Considerando que o tema deste ano é ‘sua casa sua história’, pensamos em contar essa história através da música, que está presente na vida das pessoas, e em traduzir isso nesta sala, transformando-a em um ambiente onde as pessoas se encontram, convivem, ouvem música, tocam instrumentos, conversam, sendo propício para escutar uma boa música, tomar café, almoçar, jantar”, explicou Júlio Benatti.

A mesa de Dj é um dos destaques do ambiente, que somada à sonorização embutida, conecta os visitantes ao universo que o Living propõe. Cláudia Torraca destacou a presença do urbano e da natureza que traz o ambiente. “Trouxemos a fusão da vida urbana com a natureza. Temos aqui muitas vegetações, o cimento queimado, que remete o urbano, a geometria, que tem se utilizado bastante, os apliques, os espelhos que dão amplitude ao espaço, a iluminação que é toda sobreposta em trilhos e remete-se ao industrial, ou seja, uma mistura harmônica de contrastes”, falou.

Já Rosane Lima destacou uma das peças que decoram o Living e materializa todo o conceito do ambiente. “O quadro, que é o grande destaque do ambiente, é da fotógrafa australiana Nicole Wells e passa toda a sensação que nós quisemos trazer para os visitantes, representando muito bem esse lance de escutar música e se conectar com esse universo. Com todos esses elementos, aqui, além de fazer música, as pessoas conseguem fugir da vida agitada que levam, podendo relaxar e desfrutar de um momento paralelo a nossa rotina”, disse.

Todas as peças misturaram elementos contemporâneos e clássicos, alcançando um equilíbrio ideal. Além do mobiliário moderno, altamente sofisticado que utiliza muito o vidro, possui ainda poltronas clássicas com uma releitura atual, por serem metalizadas.

A parede principal, de cimento queimado, conta com quadros geométricos que remetem ao movimento da música, deixando um lado da sala monocromático. Anexo ao Living, a sala de jantar garante que todos usufruam da música enquanto fazem as refeições. Ainda, a geometrização do lustre atrai os olhares para um design que apresenta simultaneamente o moderno, o ousado e luxo.

O espaço dispõe ainda de uma estante desenhada por Benatti e criada exclusivamente para a mostra, mesclando o moderno com o rústico, apresentando diversos terrários, que introduzem exuberantes jardins em cada prateleira, de uma forma pequena e delicada.

Três equipes formadas por acadêmicos do primeiro ao oitavo semestre de Arquitetura e Urbanismo tiveram uma participação fundamental na elaboração do ambiente. Uma atuando na criação do projeto, outra na montagem, e a terceira que será responsável pela desmontagem, demonstrando um verdadeiro trabalho sincronizado.

“Foi um grande desfaio montar o Living por ele ser o primeiro e um dos principais ambientes da casa. Entretanto, com o apoio de todos conseguimos transformá-lo inovador e capaz de surpreender os visitantes. A cor verde foi muito importante para chegarmos nesse resultado. Durante o projeto, queríamos uma cor que tivesse personalidade e chegamos na ‘night wash’, eleita a cor do ano de 2019 pela PPG internacional. Quem entrou aqui não sai igual. A experiência sensorial que o Living proporciona deixa os visitantes prontos para sentir cada ambiente da mostra de maneira única, com todos os sentidos despertados”, concluiu Benatti.

Redação Douranews

Mais recentes de Redação Douranews