Imprimir esta página
Sexta, 01 Março 2019 08:11

Com Carnaval reduzido, forças policiais se concentram às margens dos rios

Escrito por
Secretário Antônio Carlos Videira explica funcionamento da operação Carnaval que começa nesta sexta Secretário Antônio Carlos Videira explica funcionamento da operação Carnaval que começa nesta sexta Assessoria/Edemir Rodrigues

A operação Carnaval 2019 começa oficialmente nesta sexta-feira (1) com 2.397 servidores da Sejusp (Secretaria estadual de Justiça e Segurança Pública) envolvidos em garantir a segurança da população de Mato Grosso do Sul em 14 municípios e um distrito nos dias de folia e na volta para a casa.

Serão usados mais de mil policiais militares, 930 bombeiros militares, 350 policiais civis e 12 equipes do DOF (Departamento de Operações de Fronteira) trabalhando durante o Carnaval. Apesar do cancelamento de festas em vários municípios do interior, por conta da crise financeira, o reforço do efetivo será mantido pelas forças policiais.

A operação Carnaval será realizada nos municípios de Campo Grande, Bataguassu, Bonito, Bodoquena, Corumbá, Ladário, Costa Rica, Inocência, Miranda, Nioaque, Paranaíba, Sonora, Selvíria e Três Lagoas, além do distrito de Piraputanga. Nem mesmo o cancelamento pela prefeitura de Campo Grande da festa programada para a avenida Interlagos, que seria realizada no período de 1 a 5 de março, vai reduzir o efetivo programado para trabalhar durante a época de festividade na Capital.

“Optamos por manter em Campo Grande o mesmo efetivo que havíamos planejado. São mais de 500 policiais militares e 360 bombeiros militares, entre outros. O folião que ia para a Interlagos vai passar o Carnaval em outro lugar e precisamos estar atentos”, explicou o secretário da Sejusp, Antonio Carlos Videira, que concedeu coletiva para falar sobre o assunto.

Para algumas forças de segurança, a operação Carnaval já teve início. É o caso do Corpo de Bombeiros Militar que fez a fiscalização dos ambientes para prevenir acidentes e incidentes nos locais de festas.

Nova cota de pesca

A operação Carnaval também já teve início para a PMA (Polícia Militar Ambiental) que está trabalhando com 354 homens e mulheres para combater a pesca predatória nas Bacias dos rios Paraguai e Paraná.

A preocupação é redobrada desde a madrugada já que terminou à meia-noite de quinta-feira (28) o período da Piracema e os rios serão reabertos para pescadores em todo o Estado, mas com mudanças nas regras, porque passa a valer a cota de pescado reduzida pela metade.

Para este ano, uma novidade está no reforço de 17 barcos e nove lanchas entregues pelo governador Reinaldo Azambuja à PMA no dia 8 de fevereiro. Foram entregues R$ 1,274 milhão em equipamentos, incluindo também 28 motores de popa, cinco reboques e quatro rebocadores, que foram adquiridos por meio de compensação ambiental paga pela Cesp, a Companhia Energética de São Paulo.

Redação Douranews

Mais recentes de Redação Douranews