Timber by EMSIEN-3 LTD
Editais
Na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Fake News nas Eleições de 2018 aprovou na quinta-feira, 3, relatório final das atividades do órgão. Por 5 votos a 2, os parlamentares rejeitaram parecer apresentado pelo relator da comissão, o deputado Sargento Neri (Avante), que havia indicado serem inconclusivos os trabalhos realizados. No lugar, foi aprovado parecer alternativo elaborado pelos deputados Paulo Fiorilo (PT) e Monica da Bancada Ativista (PSOL). O texto aprovado destaca, entre as conclusões, "o enraizamento de notícias falsas como forma de atacar pessoas e instituições" e a propagação de notícias falsas para outras áreas além da política, como por exemplo a saúde. Segundo o texto, ainda é necessário discutir se a adoção de criptografia pode inviabilizar o acesso ao conteúdo de conversas, ainda que judicialmente autorizado, e se as plataformas digitais são isentas de responsabilidade pelas mensagens e mídias enviadas pelos usuários. "Infelizmente, a conclusão dos trabalhos da CPI mostrou que ela não foi capaz de ouvir os responsáveis pela produção, disseminação e pelo financiamento das fake news", disse ao Broadcast Político (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) o deputado Paulo Fiorilo. "É uma pena. Perdemos uma oportunidade ímpar, mas não devemos desistir de apurar as responsabilidades. A Assembleia pode, com certeza, no próximo ano retomar esse debate e aprofundá-lo com questões concretas para que se possa buscar os responsáveis", afirmou. Dos 81 requerimentos apresentados à comissão para o convite de depoentes e realização de audiências, 70 foram aprovados e destes apenas 27 foram cumpridos - 38,6% dos aprovados. Conforme destaca o relatório, "houve uma clara postergação das oitivas que gerariam impacto político", como a dos deputados federais Alexandre Frota (PSDB-SP) e Joice Hasselmann (PSL-SP), bem como de "pessoas suspeitas de integrar o Gabinete do Ódio da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo".

Comentário

O Governo do Estado encaminhou à Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) um pacote de seis projetos de lei, entre eles o chamado Refis Pandemia, que trata do pagamento e parcelamento de débitos relativos ao ICMS, ao ITCD e multas aplicadas pelo Procon, Iagro e Imasul. O Refis que está em vigor até o final deste mês é relativo a fatos geradores de ICMS ocorridos até dezembro de 2018. Já este que foi encaminhado agora abrange os créditos tributários vencidos até 31 de julho de 2020.

Na justificativa ao projeto do Refis Pandemia, o governador Reinaldo Azambuja assinala que “existe uma grande quantidade de devedores, que continuam com os seus débitos pendentes perante a Fazenda Pública Estadual, por razões entre as quais certamente se inclui a dificuldade financeira decorrente da situação de emergência em saúde causada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19), que impactou negativamente na situação econômico-financeira das empresas”.

De acordo com o projeto o contribuinte poderá regularizar a situação com a Fazenda Estadual pagando o débito à vista, com redução de 95% nas multas e juros. Para quem optar em dividir entre duas a 20 parcelas, o desconto é de 75%; entre 21 a 60 parcelas, redução de 60%. Para quem foi punido por descumprimento de obrigações acessórias de ICMS, será concedida redução de 90% da multa; 70% para as opções entre duas a 20 parcelas e entre 21 a 60 cotas mensais, desconto de 50%. A adesão ao Refis Pandemia deve ser feita até o dia 23 deste mês.

Para os créditos tributários relativos a ITCD, o desconto das multas no caso de pagamento à vista é de 95%; de duas a 20 parcelas 75% de redução e entre 21 e 48 parcelas, desconto de 60%. O projeto trata também de descontos no pagamento das multas aplicadas pelo Procon, Imasul e Iagro.

Os outros projetos de lei encaminhados à Alems são:

A que institui a Declaração Estadual de Direitos de Liberdade Econômica e institui o Comitê para Implantação da Lei de Liberdade Econômica em Mato Grosso do Sul. Na mensagem enviada ao Legislativo, o governador Reinaldo Azambuja explica que o objetivo é “adequar a legislação sul-mato-grossense ao modelo de desburocratização e simplificação das relações entre os empreendedores e o Estado”, seguindo os parâmetros da lei federal que trata do tema.
“No bojo do referido projeto de lei, apresentam-se normas que facilitam e agilizam o desenvolvimento de atividade econômica de baixo risco – em cujo conceito, via de regra, enquadram-se as startups -, para permitir que o cidadão possa desempenhá-la sem a necessidade de atos públicos de liberação da referida atividade, com a dispensa de alvarás e autorizações de funcionamento”, destacou Reinaldo Azambuja na mensagem aos deputados.

Outro projeto colocado à apreciação dos deputados estaduais é a que altera e acrescenta dispositivo à lei do Fundersul, cujo objetivo é aprimorar a legislação sobre o Fundo. Entre as novidades é a alteração que permite a aquisição de equipamentos de tecnologia mais moderna, como os drones, e a utilização de recursos do Fundersul para obtenção de licenças ambientais e estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental.

No pacote consta ainda projeto que trata do aprimoramento e reformulação das normas do ITCD (Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação de quaisquer Bens ou Direitos). Uma das novidades é que o texto do projeto explicita que no caso de doação com reserva de usufruto, a base de cálculo é o valor venal do imóvel, e neste caso o pagamento do tributo poderá ser dividido em duas parcelas, sendo 2/3 na doação e 1/3 na extinção do usufruto.

Outros dois projetos fixam os efetivos do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar para 2021 e 2022, que tratam de cumprimento de mera formalidade, já que são medidas que não implicam no aumento do quadro e nem de despesas.

Comentário

O deputado Barbosinha intercedeu junto à Sanesul (Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul) para dar fim a problemática da falta de água na sitioca Campo Belo, em Dourados, situação que dura cerca de 20 anos, e que ainda não havia sido encaminhada por conta de impedimentos entre o empreendedor da área e a companhia.

Nesta quinta-feira (3) o deputado recebeu a informação de que os moradores da sitioca Campo Belo III tiveram uma excelente notícia. Cerca de 90 famílias já podem dar entrada, na Sanesul, ao pedido para a empresa fazer as ligações domiciliares.

O deputado douradense considera inaceitável que nos dias atuais as pessoas não tenham água na torneira de suas casas. “A atuação da equipe da Sanesul em nos atender com rapidez reforça, mesmo sem ser responsável por todo esse processo, a importância do diálogo constante entre as partes envolvidas que fez com que esse bem tão precioso pudesse, de fato, chegar às casas dos moradores dessas sitiocas. Eu pude ajudar porque conheço os caminhos, fui presidente da Sanesul e sei bem como fazer. Vou continuar empenhado para que todos sejam atendidos, mas também é preciso que tenhamos uma união de esforços nesse momento tão crítico pelo qual essas pessoas têm passado”, relatou Barbosinha.

Ao mesmo tempo em que alguns celebram a boa notícia, outros moradores lamentam profundamente a falta de água para as outras 230 famílias, residentes nas sitiocas Campo Belo I e II, que convivem diariamente com a falta de água. Nesses locais o processo para que as ligações nas residências aconteçam permanece parado.

Atualmente as sitiocas são abastecidas por caminhões pipa e o problema está mais intenso há quatro meses no Campo Belo I e II, assim como para a maioria dos moradores das sitiocas Alvorada e Ouro Fino, próximas da BR 163, que também recebem a água por esse sistema, mas possuem encanamento, e ainda não têm ligações domiciliares.

Chegada da água

A chegada da água traz junto o progresso para a população na avaliação do morador do Campo Belo III, Artur de Freitas. “Tudo vai melhorar para nós, e pra região isso é vindouro. As pessoas não conseguem ficar aqui sem água. Se essa falta de água persistir posso ver até o fim desse assentamento. Metade deve voltar para cidade. Não tem como morar aqui. É assustador viver nesse estado, além de ser sub-humano, é inaceitável. Temos visto nossos filhos pedir e clamar por água, sem isso não dá para viver”, conta Artur que ainda é líder comunitário do Campo Belo I, II e III.

A intervenção positiva em favor do abastecimento no local, feita pelo deputado Barbosinha, veio em boa hora na avaliação de Artur. “Ele ajudou muito a gente neste processo. Nos reunimos com o Barbosinha em junho deste ano e ele pediu agilidade na vinda dessa água. Ele sempre nos atendeu e deu respostas às nossas solicitações. A água, aqui hoje, é artigo de luxo pra nós e neste ano tivemos a maior crise da história em 20 anos. Nosso estado é de calamidade, nossos poços secaram geral. Ainda temos que trazer a água para o Campo Belo I e II e o Barbosinha, como deputado, vai continuar sendo um grande companheiro como tem sido até aqui”, desabafou o líder da região.

Principal motivo

O gerente regional da Sanesul, Madson Valente, explicou que todas as três sitiocas – Campo Belo I,II e II - devem receber o benefício. “Por se tratar de loteamento particular, as obras físicas – de todo encanamento - para levar água aos moradores, acabam sendo de responsabilidade do empreendedor e posteriormente a operação do saneamento básico e das ligações fica a cargo da Sanesul”, explica. Essa situação justifica o atraso nas providências.

Comentário

No próximo domingo (6), 15.498 médicos formados fora do Brasil farão a primeira etapa do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira (Revalida) 2020. As provas serão aplicadas em 13 capitais: Belém (PA), Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Campo Grande (MS), Curitiba (PR), Fortaleza (CE), Manaus (AM), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Rio Branco (AC), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e São Paulo (SP).

Locais de prova

Para saber o local da prova, é necessário conferir o Cartão de Confirmação da Inscrição. Entre outras informações, o documento, que pode ser acessado na Página do Participante, contém número de inscrição, data, hora e local do exame. Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela aplicação do Revalida, a prova teórica é dividida em duas partes aplicadas no mesmo dia. Pela manhã, devem ser resolvidos 100 itens objetivos. Na parte da tarde, os participantes precisam responder a cinco questões discursivas.

Portões

A abertura dos portões ocorrerá das 7h às 7h45 (manhã) e às 14h30 às 15h15 (tarde). As provas terão início às 8h (manhã) e às 15h30 (tarde). O término será às 13h (manhã) e 19h30 (tarde).

Segunda etapa

Somente os aprovados na primeira etapa poderão participar da segunda etapa. Uma novidade desta edição é que se o médico formado no exterior for reprovado na segunda etapa, poderá se reinscrever diretamente nessa fase, nas duas edições consecutivas. Em edições anteriores, era necessário fazer todo o processo desde o início. Cronograma, diretrizes e procedimentos da segunda etapa serão publicados posteriormente, em edital próprio.

Revalida

O Revalida tem o objetivo de aferir a aquisição de conhecimentos, habilidades e competências requeridos para o exercício profissional, adequados aos princípios e necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS), em nível equivalente ao exigido dos médicos formados no país. A revalidação do diploma é responsabilidade das universidades públicas que aderirem ao Revalida.

Cronograma

Prova teórica: 6 de dezembro

Divulgação dos gabaritos: 8 de dezembro;

Recurso dos gabaritos: 8 a 14 de dezembro;

Resultado da prova escrita: 8 de fevereiro.

Comentário

Entre os dias cinco e sete, 31 dos melhores atletas de tênis em cadeira de rodas do país estarão na capital federal para a disputa da etapa 2 do Circuito Brasília da modalidade. Os jogos vão ocorrer na Associação Médica de Brasília, no Distrito Federal.

Estarão na briga pelos títulos, na chave principal de cada categoria, os oito mais bem colocados no ranking nacional. São esperadas as participações dos campeões da etapa anterior, como Daniel Rodrigues (Open masculino - deficientes de membros inferiores), Meirycoll Duval (Open feminino) e Ymanitu Silva (Quad - deficientes em três ou mais membros). No torneio de duplas da primeira etapa, Daniel Rodrigues e Adalberto Rodrigues ficaram com o título no masculino, e Meirycoll Duval e Ana Caldeira foram as melhores no feminino.

Estarão na briga pelos títulos os oito mais bem colocados no ranking nacional.Estarão na briga pelos títulos os oito mais bem colocados no ranking nacional.
Estarão na briga pelos títulos os oito mais bem colocados no ranking nacional. - Alexandre Schneider/Exemplus/CPB/Direitos Reservados

Rafael Medeiros, terceiro colocado no ranking nacional da classe Open, voltou recentemente da Europa e vai estrear no circuito. "Voltei na semana passada da Turquia. Fiz bons jogos de simples. Em duplas, consegui ser vice-campeão ao lado de um parceiro chileno. Sai de lá com uma sensação boa. Foi o encerramento da temporada internacional nesse ano difícil de pandemia e tudo. Agora vou partir com tudo para esses torneios lá em Brasília. Acho que vai ser legal. Jogar com amigos em alto nível", diz o tenista que esteve nas Paralimpíadas de Londres e do Rio de Janeiro.

Na próxima semana, entre os dias 8 e 10, vai ocorrer a etapa 3. Já a Supercopa será disputada logo em seguida, de 11 a 13 de dezembro. As premiações (R$ 30 mil por etapa e R$ 60 mil para a Supercopa) serão divididas igualmente entre as três categorias.

Comentário

Neste sábado (5), será lançada a edição 2021 da prova Brasil Ride Espinhaço de mountain bike. O evento é parte do calendário da União Ciclística Internacional (UCI) e terá provas entre os dias 2 e 6 de março em Minas Gerais. O Brasil Ride será disputado no formato Stage Race (corrida por etapas) e ofertará 150 pontos no ranking mundial aos campeões das elites. 

Serão duas cidades-sedes. Conceição do Mato Dentro, na região metropolitana de Belo Horizonte, e Congonhas do Norte. "Após três anos procurando por todo o Brasil, Conceição do Mato Dentro foi eleita para receber a versão 2.0 da Brasil Ride. Para a realização da etapa do XCO já está sendo construída uma pista na cidade, que será nosso primeiro legado para esta região", comenta Mario Roma, fundador da Brasil Ride.

Conceição do Mato Dentro e Congonhas do Norte serão as duas cidades-sede, em Minas Gerais.Conceição do Mato Dentro e Congonhas do Norte serão as duas cidades-sede, em Minas Gerais.
Conceição do Mato Dentro e Congonhas do Norte serão as duas cidades-sede, em Minas Gerais. - Fabio Piva/Divulgação/Brasil Ride

Os amantes do mountain bike terão 12 categorias para participar: Open, Feminina, Mista, Master, Grandmaster, Corporativa, American Jersey Masculina, American Jersey Feminina, Nelore, Iron Rider, Guarini e E-MTB. "Depois de dez anos, a Brasil Ride precisava de um novo desafio. Uma nova fase, uma nova era das ultramaratonas de mountain bike no país. O Espinhaço é uma reserva da Biosfera pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), e conta com uma quantidade enorme de trilhas em toda região, que nos fez ter a certeza que poderíamos proporcionar a todos atletas uma Brasil Ride única", completa Mario Roma.

No evento de lançamento deste sábado, às 19h30, que terá transmissão pelo Facebook e pelo Youtube. O idealizador do evento, Mario Roma, vai estar presente, assim como Henrique Avancini, número 1 do ranking mundial, Tiago Ferreira, campeão mundial e europeu, e José Luiz Vasconcellos, presidente da CBC.

Comentário

O governo federal criou o Comitê Interministerial de Doenças Raras, que funcionará no âmbito do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos até 1º de janeiro de 2027. O decreto, assinado ontem (3) pelo presidente Jair Bolsonaro, foi publicado hoje (4) no Diário Oficial da União.

Segundo o texto, o órgão é consultivo, de estudos e articulação e será destinado a estimular o desenvolvimento de políticas públicas intersetoriais para pessoas com doenças raras, incentivar o intercâmbio de experiências e práticas relevantes entre a administração pública, instituições de pesquisa e entidades representativas e incentivar a atuação em rede dos centros especializados e hospitais de referência e dos demais locais de atendimento às pessoas com doenças raras da rede pública.

Além disso, o grupo deverá apresentar uma proposta de definição para doenças raras, a ser adotada em âmbito nacional e formular estratégias para coleta, processamento, sistematização e disseminação de informações sobre doenças raras.

Como funcionará

O Comitê Interministerial de Doenças Raras será composto por representantes das secretarias nacionais dos Direitos da Pessoa com Deficiência, a quem caberá a coordenação, e dos Direitos da Criança e do Adolescente, ambas do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. 

Também contará com representantes da Casa Civil, do Ministério da Educação, da Subsecretaria da Perícia Médica Federal do Ministério da Economia, das secretarias nacionais de Assistência Social e de Atenção à Primeira Infância, ambas do Ministério da Cidadania, das secretarias de Atenção Especializada à Saúde e de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde do Ministério da Saúde, e das secretarias de Empreendedorismo e Inovação e de Pesquisa e Formação Científica do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações.

O decreto proíbe a divulgação de discussões em andamento no comitê sem a prévia anuência do coordenador. Os membros do grupo se reunirão, em caráter ordinário, a cada três meses. O presidente do comitê poderá ainda convidar especialistas, membros da comunidade acadêmica e representantes de outros órgãos e entidades, públicos e privados, para participar de reuniões, sem direito a voto.

Comentário

O governo publicou nesta sexta-feira, 4, no Diário Oficial da União, decreto que aprova o Programa de Dispêndios Globais para 2021 das estatais federais. O texto, assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, define resultados e metas que as estatais deverão gerar em 2021 e contempla empresas em que a União, direta ou indiretamente, detém a maioria do capital social com direito a voto, com exceção das dependentes do Tesouro Nacional. De acordo com a secretaria-geral da Presidência da República, a aprovação do PDG 2021 ainda neste exercício "justifica-se pela necessidade de as empresas estatais efetuarem os seus planejamentos para os investimentos de 2021".

Comentário

O número de pedidos de falência por empresas cresceu 10,1% em novembro ante outubro, informou nesta sexta-feira a Boa Vista. É o segundo aumento seguido na margem, depois de três meses de quedas, de julho a setembro. Na comparação com novembro de 2019, os pedidos de falência cresceram 61,4% e, no acumulado de 2020, avançam 10,5% em relação a igual período do ano anterior. Na outra ponta, as falências decretadas caíram 39,6% em novembro ante outubro, mas, apesar da redução na margem, ainda sobem 13,4% na comparação com igual mês de 2019 e 0,3% no acumulado de 2020. "As falências decretadas apontam desaceleração em seu ritmo de queda na análise acumulada, sugerindo que as empresas ainda estão encontrando dificuldades em seus indicadores de solvência neste final de ano", diz, em nota, a Boa Vista. A empresa apurou queda de 16,9% dos pedidos de recuperação judicial em novembro ante outubro, equivalente a um crescimento de 30,2% na comparação com novembro de 2019 e de 19,9% no acumulado de 2020. As recuperações judiciais conferidas cederam 16,7% na margem, mas subiram 2,7% na comparação interanual e 16,9% no ano. O indicador de falências e recuperações judiciais da Boa Vista é construído com base na apuração de dados mensais de fóruns, varas de falências, Diários Oficiais e do Poder Judiciário de Estados registrados na base do SCPC.

Comentário

BALANÇO: Culpar a pandemia pelo fracasso nas urnas é fácil, mas não cola. Eleição não é cobrança de pênaltis, onde a sorte e os detalhes contam. Eleição é o vertedouro dos sonhos e frustrações da sociedade. Mas poucos derrotados fazem a leitura correta do recado das urnas. O derrotado sempre procura um culpado (que nunca é ele).

CONSELHO: Quem está no poder precisa respeitar a oposição. Por mais incoerente que seja ela sempre oferece algo de útil ao exercício do mandato. Para a oposição 4 anos é uma eternidade, para a situação é um piscar de olhos. Portanto, a crítica pode ser um bom conselho gratuito e quem ignorá-la poderá ser punido na guilhotina das urnas.

SONHOS: Fantasia, ilusão, ambição e utopia; sinônimos para se questionar os desejos dos vencedores (e dos perdedores) nestas eleições. Assembleia Legislativa, Câmara e Senado no rol das aspirações. Mas lembro aos vitoriosos a título de advertência e de consolo aos derrotados que ‘na política o fundo do poço (às vezes) tem mola’.

PORTEIRA ABERTA: O interior mais oxigenado. A ‘oligarquia Câmara’ fraturada em Ivinhema. Nelito Câmara foi prefeito duas vezes e deputado estadual. O seu filho Renato também foi prefeito e se elegeu deputado. Mas nestas eleições Rogério Câmara (MDB) - irmão de Renato – perdeu a disputa para Juliano Ferro (DEM). Fim do ciclo.

1-ASSEMBLEIA: Deputado Lucas de Lima (Sol): Autor da ‘Campanha Dezembro Verde alerta para os riscos pelo aumento do abandono de animais durante a pandemia. Deputada Mara Caseiro (PSDB) pede a reforma e ampliação da Escola Estadual de Eldorado. Deputado Marçal Filho (PSDB): aprovado projeto de identificação de autistas no RG. Deputado Antônio Vaz (PR): é lei seu projeto criando a Olimpíada Estadual da Saúde. Deputado Neno Razuk (PTB): pede melhorias na infraestrutura e segurança para 5 bairros da capital.

POLÍTICA & POLÍCIA: Caminhando juntos. Na ‘devassa’ à casa do deputado Jamilson Name a estrela da ação foi a máquina de contar cédulas levada pela Polícia. Patética mesmo a declaração do ilustre parlamentar: “a polícia levou pouca coisa”. Portanto, de novo no conhecido ‘zoológico dos Name’ o bicho da vez foi a zebra.

CONTRADIÇÃO: Voto obrigatório com multa barata?! Aí o ‘não voto’ foi o grande vitorioso nas eleições. Em São Paulo 40,6% se abstiveram, votaram nulo ou branco no 2º turno. No Rio 40,6%; em Campinas 53,09% e em Porto Alegre 37,03% optaram pelo ‘não voto’ A cada pleito aumenta o desinteresse do eleitor. Há algo errado no cenário.

A REGRA é flexível, dependente de detalhes e fatos no intervalo das eleições. Nem sempre o resultado da eleição é atrelada à anterior. A repetição das tentativas pode até causar ojeriza se os postulantes não evoluírem na sua postura, fazendo das derrotas um aprendizado. Como protagonistas ou coadjuvantes fazem parte do cenário político.

FADIGARAM? Marcelo Bluma (PV) 2016 - 10.707 votos p/ prefeito; 2018 – 12.905 votos na capital ao Governo e agora só 2.057 votos para prefeito. Em 2018 o vereador Chiquinho Teles (PSD) chegou aos 14.102 votos na capital para deputado estadual e nesta tentativa da reeleição só 2.018 votos. Deixo ao eleitor a conclusão sobre ambos.

SORTUDOS? Insistentes também! Em 2018 o cel Alírio Villasanti conquistou apenas 3.326 votos em Campo Grande para deputado estadual. Agora, no PSL teve 1.954 votos para vereador e se elegeu. O médico Sandro Benites (Patriota) em 2018 conquistou 3.502 votos na capital para deputado federal e agora com 2.873 votos virou vereador.

ESCADA? Fazem do pleito da capital um degrau. João Catan (PL) obteve 4.943 votos na capital e se elegeu deputado estadual. Agora com 10.123 votos para prefeito adubou o terreno eleitoral para 2022. Pedro Kemp (PT): 10.428 votos para deputado estadual na capital (2018) e agora 34.546 para prefeito fortalecendo-se inclusive no próprio partido.

DÚVIDAS: Diferentes os casos de Dagoberto e Marcio Fernandes. O deputado federal obteve 8.423 votos na capital em 2018, agora só 6.507 votos (10º lugar – 1,57%) para prefeito (PDT). O deputado estadual do MDB, com o ex-governador Puccinelli à tiracolo, ficou no pelotão dos nanicos: 12.522 votos. Pesou o estigma do apoiador.

2-ASSEMBLEIA: Deputado Gerson Claro (PP): autor de PEC para vincular o rateio do ICMS ao índice do IDEB dos municípios. Deputado Lídio Lopes ( PATRI) na chefia da CCJ-Redação, contabiliza os lucros do seu partido nas urnas. Deputado José Teixeira (DEM): pedindo à bancada federal viabilização de aparelho de raio X para Caarapó. Deputado Vendramini (PP): comemora a eleição de 3 prefeitos, 2 vices e 28 vereadores ‘pepistas’ nas eleições.

PESQUISAS: Os grandes institutos com números tendenciosos nestas eleições e na maioria das vezes beneficiando os postulantes da esquerda. Mais uma vez, apuradas as urnas, lemos na mídia as mesmas desculpas esfarrapadas destes ‘profissionais em futurologia’ e desta vez acrescidas das ‘influências da pandemia’ junto ao eleitorado.

DISFARCES: Eleitores ‘setentões’ são conservadores. Aí a esquerda através da mídia até incentivou para eles ficassem em casa devido ao Covid. Outra tese difundida é que a ideologia era questão menos importante numa eleição municipal. Mas como ocorreu em Porto Alegre e outras cidades os ‘coroas’ saíram de casa para marcar posição.

MUTRETAS: É bom ir se preparando para os absurdos na escolha das pessoas a serem vacinadas contra o Covid-19. Teremos exceções: políticos, autoridades e privilegiados da sociedade. E por acaso os promotores de justiça paulistas, (que querem ser os primeiros a serem vacinados), seriam mais imprescindíveis do que os lixeiros jovens?

3- ASSEMBLEIA: Deputado Contar (PSL): pede recursos para o turismo em 2021 e maior divulgação do ‘Decola MS’ incentivando o segmento. Deputado João Catan (PL): seu projeto protetor dos derivados de leite no comercio recebeu aval da CCJR e agora seguirá o rito normal. Deputado José C. Barbosa (DEM): Atendidos seus pedidos estendendo até 2022 o prazo de validade do concurso da Agepen e autorizada a revitalização do quadrilátero central de Dourados através da Agesul.

LYA LUFT: “( - ) escrevo para dizer que o medo se justifica, é digno e necessário, precioso conselheiro, e por favor, amados leitores, amigos meus, cuidem-se. Perdoe-me, mas estes tempos de festas vão ser difíceis, intrigantes, incômodos... perigosos. Vamos inventar jeitos de amar, celebrar, sem perigo. A gente merece viver. E viver direito...”

FÁBIO TRAD: “( - ) Encaro com a alma ajoelhada de gratidão a Deus. Estou em casa iniciando a recuperação de minha saúde pulmonar. Gratidão infinita a Ele por ter me amparado nestes dias difíceis. Ainda está sendo um período muito fértil de aprendizado e evolução espiritual. Estou me esforçando para continuar a decifrar tudo o que ocorreu nestes dias de riscos e provações...”

“Argentinos: chega de realidades! Agora nós queremos promessas” (num muro de Buenos Aires)

“O silêncio do isolamento hospitalar é um professor implacável” (Dep. Fábio Trad)

 

Na Internet:

“O meu maior temor é uma segunda onda de ‘lives’”

“Moro na assessoria para empresas quebradas pela Lava Jato lembra o cara que fura o pneu de seu carro e depois se oferece como borracheiro”

“Feminista - fala sobre sexo, mas não transa. Socialista - fala sobre renda, mas nada produz. Sindicalista – fala sobre emprego, mas não trabalha”

Comentário

Página 9 de 9017

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis