Timber by EMSIEN-3 LTD
  • 10 anos
  • 10 anos1
×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 63
×

Aviso

There is no category chosen or category doesn't contain any items

Estão abertas desde o dia 3 de fevereiro as inscrições para o concurso público do Ministério da Fazenda em 2014, o qual oferta 1.026 vagas no cargo de Assistente Técnico-Administrativo para lotação em todo o país. A função exige nível médio completo e oferece salário inicial de R$ 3.050,82 mensais.

As vagas estão distribuídas entre os estados do Acre (18 vagas), Alagoas (14), Amazonas (28), Amapá (6), Bahia (80), Ceará (53), Espírito Santo (14), Goiás (31), Maranhão (30), Minas Gerais (101), Mato Grosso do Sul (34), Mato Grosso (27), Pará (55), Paraíba (20), Pernambuco (52), Piauí (17), Paraná (97), Rio de Janeiro (61), Rio Grande do Norte (17), Rondônia (13) Roraima (8), Rio Grande do Sul (155), Santa Catarina (74), Sergipe (9) e Tocantins (12).

O salário do cargo de Assistente Técnico-Administrativo é de R$ 3.050,82 mensais, já incluídas as gratificações, sendo que todos os nomeados deverão cumprir jornada de trabalho de 40 horas semanais - Veja o edital completo. Além da exigência de nível médio completo, o candidato interessado em ingressar no órgão deve estar quite com as obrigações eleitorais e do Serviço Militar (sexo masculino) e não ter sido condenado em processo criminal nos últimos cinco anos.

seleção está a cargo da Escola de Administração Fazendária (ESAF), a qual será responsável por aplicar as etapas de provas. Os nomeados seguem o regime jurídico único dos servidores civis da União.

As inscrições vão até o dia 16 de fevereiro de 2014 (horário de Brasília-DF), exclusivamente via internet, através do endereço eletrônico da ESAF, sendo que as mesmas só serão efetivadas mediante pagamento da taxa de inscrição, fixada no valor de R$ 62,00. No ato da inscrição o candidato deverá optar pelo local de lotação e cidade de realização da prova escrita objetiva.

As provas objetivas ocorrerão em todas as capitais dos estados da federação na data provável de 27 de abril de 2014. A avaliação terá 70 questões sobre conhecimentos básicos e específicos sobre disciplinas de Língua Portuguesa, Matemática e Raciocínio Lógico, Conhecimentos de Informática, Atualidades, Gestão de Pessoas e do Atendimento ao Público, Ética do servidor na Administração Pública, Administração Pública Brasileira e Regime Jurídico dos Agentes Públicos.

A validade do concurso para nomeação dos aprovados será de um ano, prorrogável por igual período, contado a partir da data de homologação do resultado final do concurso, a critério do Ministério da Fazenda. Podem ser nomeados mais candidatos do que o número de vagas oferecidas, caso houver necessidade.

 

Comentário

A Fundação Cesgranrio divulgou nesta segunda-feira (10) os gabaritos preliminares e os cadernos de prova da seleção externa do Banco do Brasil para 8.630 vagas em formação de cadastro de reserva. As provas foram aplicadas neste domingo (9) para 636.386 candidatos inscritos.

 


 

Os gabaritos e os cadernos podem ser acessados diretamente na página da organizadora .

Os recursos quanto aos conteúdos das questões objetivas e/ou aos gabaritos divulgados podem ser apresentados, desde que devidamente fundamentados e encaminhados, nos dias 10 e 11 de fevereiro na página da seleção. Não serão aceitos recursos via postal, via correio eletrônico, via fax ou fora do prazo preestabelecido.

As decisões dos recursos, apenas dos deferidos, serão divulgadas juntamente com os resultados das provas objetivas e das notas preliminares de redação, em 27 de março.

O pedido de revisão da nota da redação poderá ser feito nos dias 28 e 29 de março no site da seleção.

A prova objetiva teve 70 questões, sendo 25 de conhecimentos básicos das disciplinas de língua portuguesa, raciocínio lógico-matemático e atualidades do mercado financeiro, e 45 de conhecimentos específicos das disciplinas de cultura organizacional, técnicas de vendas, atendimento, informática e conhecimentos bancários. Ainda foi aplicada uma prova de redação. Serão avaliadas as provas discursivas apenas dos candidatos habilitados e mais bem classificados na prova objetiva, no limite estabelecido pelo edital.

Concurso

As oportunidades são para os estados de Alagoas, Bahia, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pará, São Paulo, Tocantins e para o Distrito Federal. Do total das oportunidades, 456 são reservadas para pessoas com deficiência. O salário é de R$ 2.043,36 para jornada de 30 horas semanais.

O número total de inscritos representa um aumento de 22,2%, se comparado aos mesmos locais que realizaram concurso no início de 2012. Alagoas registrou o maior crescimento: 126% a mais de inscrições. Já em São Paulo, está a maior quantidade de inscritos: 201 mil.

As vagas para o Distrito Federal (microrregião 20) têm o maior número de candidatos, com 52.006. Em seguida está Belo Horizonte (microrregião 35), com 29.084 inscritos.

O candidato deve ter nível médio e idade mínima de 18 anos completos até a data da contratação.

O escriturário faz a comercialização de produtos e serviços do banco, atendimento ao público, atuação no caixa (quando necessário), contatos com clientes, prestação de informações aos clientes e usuários; redação de correspondências em geral; conferência de relatórios e documentos; controles estatísticos; atualização/manutenção de dados em sistemas operacionais informatizados; execução de outras tarefas inerentes ao conteúdo ocupacional do cargo, compatíveis com as peculiaridades.

O candidato classificado será convocado, em função das necessidades do banco, a assinar contrato individual pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), obedecidas as ordens de classificação, de acordo com a sua opção no ato da inscrição, por microrregião. O candidato poderá ser convocado, uma única vez, para macrorregião diferente daquela em que se inscreveu, desde que exista vaga e não haja candidato classificado para preenchê-la. Nesse caso, o Banco do Brasil utilizará a ordem de classificação na UF. Se o candidato não aceitar tomar posse na dependência fora da macrorregião em que se inscreveu, será excluído da classificação estadual, mantendo, porém, a classificação na macrorregião em que se inscreveu.

Ficam asseguradas as admissões, conforme necessidade de provimento, dos candidatos classificados nas Seleções Externas 2012/0012012/003 e 2013/001 até o termino de suas vigências (07/05/14, 15/04/14 e 26/09/14, respectivamente) ou o esgotamento da reserva de candidatos aprovados, prevalecendo o que ocorrer primeiro.

Comentário

Após denúncia do MPF (Ministério Público Federal) em Mato Grosso do Sul, a Justiça determinou que beneficiários da reforma agrária, que ocupavam irregularmente dezenas de lotes em nove assentamentos de vários municípios de Mato Grosso do Sul, restituam as áreas ao Incra (Instituto de Colonização e Reforma Agrária).

Os primeiros intimados a devolver as propriedades rurais são 42 pessoas, entre elas empresários, bancários e dirigentes sindicais, que deverão ser excluídas do cadastro do Incra e impedidas de obter crédito de instalação rural e do Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar).

A investigação do MPF embasou a Operação Tellus, que teve início no fim de 2009 e, por meio de escutas telefônicas, chegou até envolvidos em transações de diferentes cidades.

Entre as irregularidades apuradas, estão beneficiários com vínculo empregatício e venda de lotes. Uma das áreas chegou inclusive a ser concedida e registrada em nome de uma criança de 10 anos, filha de donos de duas empresas no Estado. Os acusados foram denunciados pelos crimes de estelionato e falsidade ideológica.

R$ 200 milhões desviados

As investigações do MPF tiveram início em 2008 e, a princípio, apuraram irregularidades em quatro assentamentos que foram implementados na área da antiga fazenda Santo Antônio, em Itaquiraí, na região sul do Estado. A fazenda, de 16.926 hectares, havia sido desapropriada pelo Incra por R$ 130 milhões, e desmembrada em 1.236 lotes. Esta primeira investigação deu origem às demais, verificadas em outros municípios.


Durante os trabalhos em Itaquiraí, o MPF constatou que, para se fazer a distribuição dos lotes, não houve sorteio entre os inscritos, que seria o procedimento legal. Na verdade, havia ocorrido contemplação dirigida. Uma das vistorias comprovou que, dos 1.236 lotes, 497 eram ocupados por pessoas que não constavam na relação do Incra. O instituto apenas acatou as indicações dos movimentos sociais, homologando o resultado do
“sorteio”.

Foi constatada ainda participação ativa de funcionários do Incra, à época, na venda e regularização de lotes ocupados ilegalmente, através da emissão de documentos falsos. Há indícios de que assentamentos eram criados apenas para que houvesse a possibilidade de fraudes.

Houve também desvio da verba que seria utilizada inicialmente pelos assentados. Somente em cinco anos (2005 a 2010), foram liberados R$198.129.576,87 em créditos para assentados em Mato Grosso do Sul. O dinheiro obtido ilicitamente era “lavado” na compra de imóveis, carros e outros bens, de acordo com o inquérito do MPF.

Comentário

A primeira pesquisa de preços de 2014, realizada pelo Procon em Dourados, em dez supermercados da cidade, apontou queda geral nos valores praticados em produtos da cesta básica, fechando com 1,7% a menos do que o último levantamento do ano passado. 28 itens foram pesquisados terça-feira (7) na rede de mercados da cidade.

De acordo com diretor do órgão, Rozemar Mattos Souza, os produtos apresentaram variação significativa de um estabelecimento para outro, sendo que o alho 200 gramas foi encontrado com menor preço de R$ 1,58 e maior preço de R$ 6,69, uma diferença de 323,42%.

Outros exemplos são do macarrão pacote de um quilo, encontrado com diferença de 328,57% e a carne bovina (paleta) que apresentou diferença de 116,19% entre o estabelecimento com menor e o de maior preço.

Confira os resultados apurados

Rozemar informa também que foram detectados 13 produtos com diferença superior a cem por cento entre o estabelecimento com menor preço para o de maior preço.

No caso da cesta completa, a diferença entre o estabelecimento com preço mais barato (R$ 83,53) e com preço mais caro (R$ 112,42) foi de 35,00%, segundo o Procon.

O valor médio da cesta básica foi de R$ 93,19, representando 1,7% a menos que o valor médio obtido na pesquisa realizada em dezembro de 2013.

O consumidor deve ficar atento às especificações contidas na embalagem, como prazo de validade, composição e peso líquido do produto, alerta o diretor do órgão.

Para maiores informações, o cidadão pode ligar para o Procon nos números 3411-7754 ou 151 ou, ainda, através do e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Comentário

A família do líder comunitário Aliomar Oliveira Ribeiro espera há quase um ano e meio por uma resposta da Ouvidoria Municipal do SUS (Sistema Único de Saúde) sobre o pedido de providências requerido contra maus tratos sofridos pela neta dele no posto de atendimento do ESF (Estratégia de Saúde da Família) 16, que funciona no Jardim Novo Horizonte, em Dourados.

O caso chegou a gerar o BO (Boletim de Ocorrência) 457/2012, registrado no dia 4 de junho do ano passado na DAM (Delegacia de Atendimento à Mulher) de Dourados. Aliomar alega que a situação se agravou depois que ele foi eleito para o Conselho Gestor do ESF-16 e passou a denunciar algumas irregularidades no sistema de atendimento ao público.

BO aliomar

Boletim de Ocorrência registrado dia 4 de junho de 2012 pedindo ação

A filha do líder comunitário, Débora Laiz, já teve problemas com a filhinha, Rebeca, desde antes do nascimento da criança. Ainda gestante, de acordo com o BO, ela chegou a sofrer constrangimentos para ser atendida na unidade de saúde e, no caso mais recente, ainda assim ocorrido há seis meses, relatou que um servidor do posto chegou a provocar machucaduras na filha que ela levou para ser vacinada.

BO aliomar parecer

Pedido de 'parecer conclusivo' solicitado pela Ouvidoria não teve resposta

Débora relata, no pedido de providências protocolado na Ouvidora do SUS no dia 11 de junho deste ano, negligência de servidores em relação ao atendimento da filha dela. Apesar do pedido de “parecer conclusivo das providências”, solicitado pela funcionária Ivonete Thomaz, para ser repassado à reclamante, “até hoje não tivemos conhecimento de nenhuma solução”, relata o pai de Débora.

Comentário

Por meio de indicação ao prefeito Murilo Zauith (PSB), com cópia ao secretário de Saúde Sebastião Nogueira, o vereador Cido Medeiros (DEM) está solicitando providências visando o cumprimento da Lei 2.869, de 3 de julho de 2006, que dispõe sobre a afixação de placas com informações sobre os procedimentos a serem adotados em caso de óbitos de pacientes e dá outras providencias.

“Nos tempos atuais, a informação se reveste de um dos principais meios de divulgação das ações de interesse da população, notadamente dos mais carentes, principalmente quando buscam atendimento na área de saúde. E no caso de óbito dos pacientes, encontramos muita deficiência no que se refere a informações para as famílias, que normalmente já estão muito abaladas com a perda de seus entes queridos, aí então as preocupações são imensas”, justifica o vereador.

Para Cido Medeiros, a divulgação pelas instituições públicas ou privadas de saúde, de conteúdo básico sobre as providências a serem adotadas pelos responsáveis pelo ente falecido, reveste-se da maior importância em hora tão dolorosa.

O vereador diz ainda que informações como o que fazer para a liberação do corpo, serviços gratuitos disponíveis para o sepultamento, translado do corpo e no caso de acidente veicular o recebimento do Dpvat [Seguro Obrigatório de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre] se revestem de suma importância e de relevante prestação de serviços, principalmente para os mais carentes.

“Este vereador verificou e constatou que a lei que dispõe sobre a afixação de placas com informações sobre os procedimentos a serem adotados em caso de óbitos de pacientes nunca foi colocada em prática, diante de tal situação é que solicito o cumprimento da lei”, encerra Cido Medeiros na justificativa da indicação. Com assessoria

Comentário

Encontro testemunhado pelo Douranews na manhã desta quarta-feira (20), no gabinete do vereador Marcelo Mourão (PSD), revela o clima de otimismo da nova geração eleita em 2012 para a Câmara do Município em relação às próximas eleições. “Pode registrar aí, porque daqui vai sair o próximo deputado federal e estadual em 2014”, informou o vereador Sérgio Nogueira.

Líder do prefeito Murilo Zauith (PSB) na Câmara e filiado ao mesmo partido dele, Sérgio Nogueira foi ao gabinete de Mourão para discutir alguns pontos da peça orçamentária encaminhada pelo chefe do Executivo e que a partir desta semana começa a receber emendas, oportunidade que os vereadores têm para contemplar as bases com reivindicações de obras e serviços para a criação de rubrica orçamentária para o próximo triênio.

“Desta Câmara ainda pode sair muito mais, mas, com certeza, um deputado federal já temos como grata promessa, pelo trabalho que vem produzindo”, destacou Sérgio Nogueira, ao apontar o colega Marcelo Mourão. “Pra mim, da mesma forma, será muito bom poder trabalhar em sintonia com o deputado estadual Sérgio Nogueira, que vem despontando aqui como nosso líder”, devolveu Mourão.

Orçamento impositivo

No encontro do gabinete, os dois vereadores apontaram a necessidade de aprofundar o debate com os demais colegas do Legislativo quanto à forma de aprovação do Orçamento municipal para o ano que vem. “Eu defendo que tenhamos um Orçamento impositivo, para que não seja apenas mais uma peça de retórica”, afirmou ao Douranews o vereador Marcelo Mourão, disposto a encabeçar essa campanha de convencimento junto aos parlamentares municipais para assegurar o cumprimento dos valores alocados na proposta a ser aprovada pela Câmara.

Comentário

Por iniciativa do vereador Marcelo Mourão (PSD), a Câmara de Vereadores de Dourados vai realizar amanhã (19), um debate com a participação de autoridades e da sociedade convocada para discutir a adequação de locais para o consumo de bebidas alcóolicas no Município. A medida visa reforçar o projeto de lei protocolado pelo vereador na secretaria da casa, que restringe o consumo e a comercialização de bebidas em áreas próximas aos postos de combustíveis.

Dentre os convidados do vereador, já confirmaram presença no debate o padre Crispim Guimarães, da comunidade católica, o promotor de Justiça Ricardo de Melo Alves, o vice-presidente do Sindipetro (Sindicato dos revendedores de produtos combustíveis de MS) José Tarso Moro da Rosa e o presidente da Aced (Associação Comercial e Empresarial de Dourados), Antônio Nogueira.

“A proposta deste debate é simples, queremos ouvir as opiniões das pessoas, trocas idéias, esclarecer dúvidas, construir e encaminhar uma proposta de Projeto de Lei que atenda e assegure o direito da maioria”, explica o vereador Marcelo Mourão. Uma minuta do projeto de lei está sendo encaminhada aos segmentos organizados da cidade, justificando a importância de limitar essa prática, que tem sido bastante questionada pelas famílias de Dourados.

De acordo com o vereador Marcelo Mourão, a proposta de adequar os locais disponíveis para o consumo de bebidas, restringindo esse tipo de atividade em relação aos postos de revenda de combustíveis, tem como objetivo básico diminuir os números de acidentes causados por motoristas alcoolizados ou em estado de embriaguez. “Um lugar que foi projetado para vender combustível e abastecer veículos está se tornando em ponto de venda de bebidas e palco para bebedeiras, gerando a insegurança para as pessoas que querem transitar livremente pela cidade”, argumenta.

O debate, no plenário da Câmara de Vereadores, será realizado entre às 14h30 e 16 horas desta terça-feira e terá como medidor o próprio vereador autor da proposta.

Comentário

O governador André Puccinelli defendeu durante encontro com o setor produtivo para discussão de projetos de logística que é preciso convalidar e manter os benefícios e incentivos fiscais de ICMS para os estados da região Centro-Oeste, bem como o ressarcimento das perdas com a desoneração tributária nas exportações estipuladas na Lei Kandir. Para ele, estes são requisitos importantes para que seja colocado em prática o Projeto Centro-Oeste Competitivo, apresentado nesta terça-feira (29), em Brasília, pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) e CNA (Confederação Nacional da Agricultura).

Falando em nome dos demais governadores, André destacou as potencialidades da região. Lembrou que os Estados que compõem o Centro-Oeste formam a segunda maior região do Brasil - que com pouco mais de 15 milhões de pessoas é responsável pela produção de 41% de toda produção de grãos do país. São 78 milhões de toneladas na última safra, de acordo com os dados da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), de um total brasileiro de 185 milhões de toneladas. “Temos ainda o maior rebanho bovino de todas as outras regiões”, citou. Mato Grosso tem 28 milhões, Mato Grosso do Sul com 22 milhões e Goiás tem em torno de 21 milhões de cabeças de gado. “O Centro-Oeste ainda possui a maior capacidade de abate, é o segundo maior produtor de carne, possui a segunda maior mina de minério, mas a produção é incipiente justamente por falta de logística”, disse o governador, elencando algumas potencialidades da região.

Em meio à discussão sobre os investimentos em logística, André lembrou que é preciso também respaldar a política de atração de investimentos praticada pelos estados da região. Os governos da região Centro-Oeste têm proporcionado atrativos tributários para as empresas que se instalarem nos quatro Estados. “Por isso que nós, ao longo deste tempo, procuramos defender e fizemos os incentivos fiscais e tributários. Venham à nossa região. Venham para Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás e terão os maiores incentivos fiscais e tributários de todos os estados brasileiros”, declarou o governador.

André elencou também os incentivos fiscais e tributários para os empreendimentos já conquistados para essas regiões. Citou a fábrica de fertilizantes da Petrobras, duas fábricas de celulose (Fibria e Eldorado Brasil), empresas instaladas no município de Três Lagoas, bem como uma fábrica de medicamentos e sua primeira montadora de automóveis no estado de Goiás e uma fábrica da Seara em Lucas do Rio Verde, em Mato Grosso. “Longe dos centros consumidores precisamos ter competitividade para vender nossos produtos, por isso os incentivos são maiores para compensar os fretes”, afirmou.

Crescendo acima da média

O governador levantou a discussão sobre o que é preciso para que o Centro-Oeste cresça ainda mais, já que tem se desenvolvido num ritmo superior ao do Brasil. André mostrou que o PIB (Produto Interno Bruto) dos últimos seis anos cresceu seis vezes, se equiparando ao número do crescimento do PIB da China. “Este crescimento se deu às expensas e às custas principalmente do esforço dos governos estaduais, mas é importante destacar que tivemos, sim, apoio do governo federal”, comentou Puccinelli, referindo-se à pavimentação de rodovias entre as obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

De acordo o novo aporte de recursos do Governo federal, serão feitas a pavimentação da BR 419, (279 quilômetros do entroncamento da rodovia com a BR 163, em Rio Verde e a BR 262, no município de Aquidauana) e a conclusão da rodovia Sul Fronteria Integração, a MS 165. “Em 2007 elencamos estes projetos que hoje estão inclusos nas obras do PAC”, lembrou o governador.

Na defesa de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás e o Distrito Federal, que estão no centro geodésico da América do Sul, o governador André Puccinelli ressaltou que em breve estes estados terão a oportunidade, pela logística que ainda não existe, mas que começa a ser construída, com o corredor interoceânico, de exportar toda a produção do Centro-Oeste pelo Oceano Pacífico. “Veremos que a competitividade para os países asiáticos se fará muito maior para o nosso Centro-Oeste, por isso é preciso estudar a logística de saída pelos portos do Pacífico”, explicou, ao citar que dados da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) apontam que dentro de um intervalo pequeno, de cinco anos, o centro econômico mundial será voltado para os países asiáticos.

Para exemplificar, Puccinelli ressaltou que 22 % do minério produzido por Mato Grosso do Sul é consumido pela China, além de outros produtos. “A soja e o milho vêm do Centro- Oeste. A maioria dos produtos que a China consome, in natura e semielaborados, são do Centro-Oeste”, completou o governador.

Lei Kandir e incentivos

O ressarcimento dos estados que produzem e não lucram com os impostos da Lei Kandir também foi motivo de questionamento pelo governador André Puccinelli. “Nós produzimos nosso ICMS e não nos é dado o retorno de todos aqueles produtos que são exportados. O Governo federal fez essa lei para viger em quatro anos e depois postergou. Hoje tem 382 bilhões de dólares no Tesouro nacional, às custas de, nesse período, 58 bilhões de dólares de produtos exportados que não nos são ressarcidos”, contabilizou o governador. “O Centro-Oeste é o celeiro do Brasil. É o futuro celeiro do mundo e hoje não temos ressarcimento dos produtos semielaborados e vendidos de forma primária”, comentou André.

Uma das normas da Lei Kandir é a isenção do pagamento de ICMS sobre as exportações de produtos primários e semielaborados ou serviços. Por esse motivo, a lei sempre provocou polêmica entre os governadores de estados exportadores, que alegam perda de arrecadação devido à isenção do imposto nos produtos. Mais uma vez, o governador de Mato Grosso do Sul cobrou que a União faça a compensação das perdas.

Puccinelli falou que o grande desafio da região Centro-Oeste é produzir mais. “Precisamos produzir cada vez mais, com melhor competitividade, com o know how [conhecimento prático] que os nossos governos têm feito em parceria com a iniciativa privada. Só assim poderemos dizer: o Brasil é nosso. É do Nordeste competitivo, do Norte competitivo, do Centro-Oeste competitivo”.

Atrativos

A solução para que os estados se mantenham competitivos, segundo defendeu André Puccinelli, é a logística. “O frete rodoviário é quatro vezes mais custoso que o frete hidroviário, duas vezes mais custoso que o ferroviário. Portanto, as ferrovias elencadas para a região Centro-Oeste como a Norte-Sul, chamada de EF-Pantanal e as hidrovias que chegariam até os portos no médio Chile e do Norte do Chile são alternativas para a nossa região”, completou André. “Hidrovias e Portos hidroviários são também uma solução muito importante para o nosso Estado, já que mais de 90% do minério de Corumbá sai pelo Rio Paraguai”.

É preciso União, de acordo com o governador André Puccinelli. “Atentem para o Centro-Oeste, que já é o futuro do Brasil. Essa região já progrediu mais que o dobro da média brasileira e será o futuro celeiro do mundo. Esta intermodalidade e estes 308 projetos elencados no Centro-Oeste Competitivo podem ser a solução do Brasil e da nossa região”, finalizou o governador de Mato Grosso do Sul.

    

Comentário

O secretário municipal de Fazenda de Dourados, Walter Carneiro Júnior, acompanhado pelo secretário de Governo José Jorge Filho, entregou na manhã desta quinta-feira (10), aos vereadores da Câmara de Dourados, a proposta orçamentária que estima a receita e fixa a despesa do Município para o exercício financeiro de 2014, além do PPA (Plano Plurianual) previsto para o quadriênio 2014/2017.

A estimativa do prefeito Murilo Zauith (PSB), conforme mensagem encaminhando o pedido de análise do documento orçamentário, é que as despesas e receitas sejam de R$ 708.6 milhões. Entre as prioridades, mais uma vez, os recursos estão concentrados nas áreas de Saúde e Educação.

Walter Carneiro fez uma breve explicação da gestão tributária realizada na administração do prefeito Murilo desde 2012 e apresentou as prioridades para 2014. “As metas estão divididas em macro objetivos que constituem as grandes linhas da ação do governo a serem priorizadas para a consecução dos programas, indicando o que deve ser feito para que a administração alcance os resultados desejados”, disse.

O presidente da Câmara, vereador Idenor Machado (DEM), ressaltou a importância em analisar a peça orçamentária e disse que ela será amplamente debatida e avaliada antes de ser colocada em votação. “Vamos encaminhar a proposta às comissões permanentes para que façam suas considerações por meio de emendas e, até o final do ano, vamos submete-la para votação em plenário”,  afirmou o vereador.

Além de Idenor Machado, acompanharam a entrega da proposta de Orçamento para 2014 os vereadores Pedro Pepa, Cido Medeiros e Alan Guedes (DEM), Raphael Matos (PTB), Maurício Lemes e Sérgio Nogueira (PSB), Cirilo Ramão (PTC), Virginia Magrini (PP) e Aguilera de Souza (PSDC).

Sessão

Em razão do ponto facultativo decretado no Município para a terça-feira (15), data em que se comemora o dia do professor, a próxima sessão da Câmara foi marcada para quinta-feira (17) em Dourados.

Comentário

Página 1 de 65
  • unigran novo
  • live full house

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis