Quarta, 21 Agosto 2019 14:45

O que é uma Startup? Destaque

Escrito por Thiarlei Macedo
Avalie este item
(0 votos)

Nos últimos anos, o termo Startup vem ganhando cada vez mais força no mercado. Neste artigo abordo de forma clara e objetiva o tema Startup, contextualizando o mesmo em relação a realidade do mercado Brasileiro. Em inglês, “start” significa “iniciar” e “up” pode ser traduzido como “para cima”. A sua tradução literal não faz tanto sentido assim na língua portuguesa, e por isso, vamos usar a palavra original da língua inglesa da forma que vem sendo utilizada no ambiente empreendedor.

Uma Startup é um grupo de pessoas em busca da validação de um modelo de negócio escalável e repetível sob condições de risco e incerteza.

A primeira coisa é saber que o termo não é sinônimo de uma empresa pequena, ou empresa iniciante, como muitos acreditam. Pode ter certeza de que montar uma startup é bem diferente de abrir uma empresa da aluguel de impressoras, lanchonete, padaria ou qualquer outro negócio tradicional. As startups apresentam um modelo de negócios inovador, que se encontra em estágio inicial (de validação) e é altamente escalável, ou seja, o seu crescimento acelerado não tem influencia direta e proporcionalmente nos custos da operação.

É possível criar uma startup para concorrer em um mercado tradicional, porém é necessário que ela trabalhe de forma inovadora, com um novo modelo de negócio, que possa ser escalável e gerar muito mais valor para seus clientes.

Ser escalável é a chave do sucesso: crescer em receita fazendo com que as despesas permaneçam as mesmas ou cresçam lentamente vai possibilitar o acúmulo de lucros e o aumento da riqueza. Por conter essas características, geralmente as startups são negócios de alto risco, já que, a maioria das vezes, a ideia e o conceito são novos e ainda não foram testados.

As startups podem estar inseridas em qualquer tipo de mercado, mas a tendência é que este tipo de empreendedorismo ocorra, principalmente, na área de tecnologia, pois os investimentos iniciais mais baixos se comparados a outros tipos de segmento.

Para um dos maiores especialistas mundiais nas áreas de Tecnologia e Marketing, o americano Guy Kawasaky, uma startup pode possuir um número ilimitado de metas, porém há sete pontos nos quais toda empresa deve se concentrar:
Comprovar a concepção da ideia;
Gerar especificações completas de projeto;
Concluir um protótipo;
Levantar capital;
Levar aos consumidores uma versão que possa ser testada;
Levar aos consumidores uma versão final;
Equilibrar receita e despesa.
Esses passos podem separar as startups que alcançam o sucesso no mercado daquelas que não conseguem decolar e sustentar o voo.

No Brasil, o empreendedorismo de alto impacto, ou empreendedorismo startup, começou a se popularizar na década de 90, mas as startups só iniciaram a surgir no início dos anos 2000, quando o conceito chegou ao país junto com a grande expansão das empresas de internet. No início, os empreendedores brasileiros atuavam com muita dificuldade, com pouco ou nenhum apoio de instituições de ensino, governamentais ou privadas. Investidores então, nem pensar! Mas aos poucos, a realidade está melhorando para os que decidem colocar a sua ideia em prática e as possibilidades de investimentos por parte de terceiros já existem.
Se você tem uma ideia inovadora, escalável, que pode impactar o mercado em escala global e tem capacidade de montar uma equipe que possa realiza-la, talvez esteja na hora de pensar em montar a sua startup.

* O autor é consultor de empreendedorismo

Lido 2112 vezes Última modificação em Quarta, 21 Agosto 2019 15:31
Mais nesta categoria: « A Estrada do Potreirito: esbulho e usurpação Décadas desastrosas que abalaram a Europa »

1 Comentário