Timber by EMSIEN-3 LTD
Redação Douranews

Redação Douranews

Depois de ser um dos primeiros a registrar candidatura a reeleição para o Senado pelo PRB, o empresário da Educação Pedro Chaves, que virou titular na vaga após a cassação do senador Delcidio do Amaral, envolvido em denúncias de obstrução de Justiça investigada pela Polícia Federal, decidiu renunciar à candidatura.

Em comunicado à direção regional do PDT, com quem havia decidido se coligar em apoio à chapa majoritária encabeçada pelo juiz federal aposentado Odilon de Oliveira, Chaves afirma que quando seu partido topou compor a aliança encabeçada pelo PDT, do candidato Odilon, a “condição ‘sine-qua-non’ era ter candidato único” para o Senado Federal. Porém, ainda nas palavras do senador, “infelizmente o PDT fez uma aliança espúria e silenciosa com o Podemos, lançando, sem meu conhecimento, mais um candidato ao Senado”.

O candidato, cujo nome não é citado na carta, é o advogado Humberto Figueiró. Com ele na disputa, Chaves afirma que sua candidatura ficou invibializada. Conforme a carta endereçada ao PRB, foi dado prazo de 12 dias para o PDT “resolver esta situação e cumprir a palavra empenhada”, o que não ocorreu. “Lamentavelmente até esta data todas as tentativas foram em vão”, cita Chaves.

“Saio de cena”, diz Pedro Chaves na carta, “renunciando, em caráter irrevogável e irretratável a minha candidatura". O PRB participava do Governo Reinaldo Azambuja ocupando espaços na Funtrab (a Fundação do trabalhador) e durante as negociações para formação das chapas nessas eleições decidiu apoiar a candidatura de Odilon de Oliveira.

Comentário

A Fundect (Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado do Mato Grosso do Sul) publicou nas páginas 13, 13 e 14 do Diário Oficial do Estado desta terça-feira (14) o resultado final da 2ª chamada do PAE (o Programa de Apoio a Eventos) 2018.

Nesta etapa do edital, foram aprovados 33 projetos de pesquisadores de diversas instituições de fomento à pesquisa do Estado. O PAE tem como objetivo garantir recursos para financiar a realização de eventos de cunho científico e tecnológico em Mato Grosso do Sul.

Comentário

A Câmara de Dourados aprovou, na sessão ordinária desta terça-feira (14), por unanimidade de votos dos presentes, o Projeto de Lei 071/2018, de autoria do vereador Pedro Pepa (DEM), que institui em Dourados o Dia do Farmacêutico, a ser comemorado anualmente no dia 20 de janeiro.

Segundo o vereador, a demanda atende os anseios da categoria, relatando que foi procurado pela conselheira do CFF (Conselho Federal de Farmácia)em Mato Grosso do Sul, Márcia Saldanha, e Cristina Franco, farmacêutica da rede pública de Dourados, onde solicitaram dele a produção de uma lei que instituísse no calendário municipal um dia específico em homenagem aos profissionais do setor.

“Atendi prontamente as profissionais de saúde por entender a relevância do trabalho que os mesmos prestam, principalmente na formação das políticas públicas em saúde, pois orientam sobre o uso correto de medicamentos, realizam a prescrição de determinados medicamentos e certos tipos de consulta dentro do projeto Farmácia Clínica, que vem sendo gradativamente implantado”, explicou Pedro Pepa.

O vereador, no uso da tribuna, disse que não será apenas uma data a ser lembrada, mas um dia dedicado a eles, onde poderão se reunir, confraternizar, discutir ideias, fazer palestras, fomentar a representatividade da categoria, entre outros assuntos que tem “por condão aperfeiçoar a profissão e evoluí-la pensado sempre em zelar pela saúde e bem estar da população”.

Após a aprovação do projeto, Pedro Pepa recebeu os cumprimentos de integrantes da categoria, entre eles de Dendry Rios (Conselho Regional de Farmácia de MS), Olívaldo Nogueira (Assessor Jurídico do CRF), Elenir Santos Correa (Farmacêutica) e Fausi Padilha (Farmacêutico do Hospital do Câncer de Dourados). Agora, o Projeto de Lei aprovado segue para sanção da prefeita Délia Razuk (PR). (Com assessoria)

Comentário

Ao tomar posse nesta quarta-feira (15) o novo presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, ratificou o compromisso de combater a impunidade com base em uma Justiça independente. Segundo ele, as opiniões divergentes serão ouvidas em busca do enriquecimento da nação e do país, assim como haverá abertura para a diversidade e a proposição de ideias distintas.

"Dou boas-vindas ao dissenso, porque o dissenso nos enriquecerá como nação. Vamos abrir as portas para o valor de cada ideia, para a diversidade de pensamentos de cada setor e encontros, pontos comuns que unirão para avançarmos", afirmou.

O presidente Michel Temer foi a Assunção para participar da cerimônia de posse de Abdo, que substitui o presidente Horário Cartes, que deixa o governo sob desgastes.

No discurso, Abdo ressaltou que uma democracia madura reúne opiniões divergentes, instituições fortes, autonomia entre os poderes, sem intromissões e uma "Justiça valente". “Vamos construir uma Justiça independente para que se acabe com a impunidade”, anunciou.

“Prometemos um Paraguai para as pessoas. Um Paraguai onde o cidadão seja o principal motor de transformação carregada de amor à pátria e ao próximo e às ideias. Um Paraguai que seja mais inclusivo, com reconciliação das instituições e da gestão do governo com o povo. Teremos a oportunidade e a obrigação de recuperar essa confiança das pessoas".

Brasil x Paraguai

O ministro das Relações Exteriores brasileiro, Aloysio Nunes Ferreira, assinou nesta terça (14) um acordo com autoridades paraguaias para a construção de uma ponte sobre o Rio Apa. A medida vai permitir a integração rodoviária entre o município de Porto Murtinho (em Mato Grosso do Sul) e o distrito de San Lázaro (Paraguai). Com a construção, será possível unir o Centro-Oeste brasileiro e o porto fluvial de Concepción.

Para dar início às obras, foi criada uma comissão mista entre brasileiros e paraguaios. No caso do Brasil, o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) vai supervisionar a construção, que deverá ser custeada pelo governo do Paraguai. A data de início e a conclusão do projeto, assim como custo total, ainda será definido pela comissão. Com informações da Agência Brasil e da agência de notícia paraguaia

Comentário

O preço do boi gordo em Mato Grosso do Sul registra um cenário positivo. A informação é do Boletim Técnico divulgado nesta terça-feira (14) pela Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de MS).

O valor da arroba atingiu R$ 136,28 (à vista, sem descontar Funrural) na segunda-feira (13), com alta de 1,42% frente à cotação do dia 1º, de R$ 134,37. “Durante esse período, conhecido como entressafra, quando há redução na oferta do boi gordo, é comum acontecer a valorização”, afirma a analista técnica da Famasul, Eliamar Oliveira.

De acordo com a Unidade Técnica da Famasul, a cotação do dia 13 de agosto supera em 12% a média anotada no mesmo período do ano passado, quando a arroba do boi foi cotada a R$ 121,78.

“A elevação é resultado do desempenho positivo da demanda, tanto interna, como no mercado internacional, permitindo preços expressivos para a carne no atacado e possibilitando às indústrias uma maior capacidade de pagamento para remunerar melhor a arroba”, explica.

O aquecimento nas exportações é explicado nos dados da Secex (Secretaria de Comércio Exterior) que mostram que, no mês de julho de 2018, os embarques internacionais de carne bovina in natura por Mato Grosso do Sul registraram recuperação, totalizaram 11,1 mil toneladas em julho/2018 com alta de 18,1% em relação ao igual período de 2017.

Por mais que se tenha um preço remunerando melhor a arroba, o setor ainda enfrenta alguns desafios, como afirma Eliamar: “O custo de produção continua elevado, os animais de reposição estão com os valores superiores em relação ao mesmo período do ano passado e o preço do milho em ascensão, um dos componentes da alimentação bovina. Além disso, é importante observar que a demanda desse ano tem subido pontualmente e não de forma consistente, como era esperado”.

Comentário

Novo candidato a governador pelo MDB, o deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa, Junior Mochi, afirmou nesta terça-feira (14) que aceitou a indicação por ela ter partido do ex-governador André Puccinelli que, mesmo preso, segue como liderança maior da legenda. O candidato a vice só deve ser confirmado às 14 horas desta quarta (15), antes do registro da chapa, conforme anunciou o deputado.

Mochi foi alçado ao posto em meio a uma segunda turbulência na formação da chapa emedebista. Depois da prisão de Puccinelli durante as investigações da operação Lama Asfáltica, a senadora Simone Tebet (MDB) assumiu a indicação. Porém, no domingo (12), abdicou da disputa alegando questões pessoais e reforçando que havia aceitado o projeto pela “emoção”, já que também fora indicada pelo ex-governador.

“A decisão (pela candidatura) ocorreu depois de muita discussão diante dos fatos que a antecederam, levando em conta a importância de ter outra opção aos que já foram colocados”, disse Mochi a jornalistas, referindo-se à sucessão de fatos após a prisão de Puccinelli e aos concorrentes ao governo. “Coube a mim enfrentar esse desafio. Talvez esta seja a mais importante decisão tomada na minha vida”, prosseguiu, ressaltando que “eleição tem de ter coração e pé no chão”.

Sobre a senadora, Mochi afirmou que a desistência está relacionada ao fato de a candidatura ser “provisória”, já que ainda havia expectativas de Puccinelli ser liberado e assumir a candidatura –na segunda-feira (13) o pedido de reconsideração de habeas corpus impetrado pela defesa voltou a ser rejeitado pelo desembargador federal Paulo Fontes, do TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região). Com informações do Campo Grande News

Comentário

Os deputados estaduais de Mato Grosso do Sul mantiveram encontro, nesta terça-feira (14), na Assembleia Legislativa, com a diretoria da Assomasul (a Associação dos Municípios do Estado) para debater a proposta de alteração na Lei Complementar 160/2012, a lei orgânica que dispõe sobre regras aplicadas pelo TCE, o Tribunal de Contas do Estado.

O presidente Junior Mochi relatou que a diretoria da Assomasul veio buscar o apoio dos parlamentares para a mudança na legislação. “Devido a relação harmônica que nós temos com os Poderes, saímos deste encontro com o compromisso de solicitar uma audiência com o presidente do TCE/MS e demais conselheiros, e expor esta solicitação, esta angústia dos prefeitos. A partir daí, construiremos juntos como fazer a alteração na legislação, seja através de emenda constitucional, ou alteração da lei orgânica do Tribunal de Contas, para alterar o sistema de penalização, já que os prefeitos entendem que todas as questões e ações relacionadas aos procedimentos administrativos públicos nos municípios devem atender ao princípio do contraditório e da ampla defesa, e em determinadas situações isto não tem ocorrido. São propostas de alterações que vêm de encontro ao aprimoramento apenas da ação de fiscalização do Tribunal de Contas do Estado”, reiterou.

O presidente da Assomasul, Pedro Arlei Caravina (PSDB), explicou o interesse dos gestores dos municípios do Estado. O poder ou dever de fiscalização do Tribunal de Contas não deve ser alterado, “não é isso que querem os prefeitos, viemos apenas pedir o apoio da Assembleia Legislativa para conseguirmos fazer alterações que venham trazer tranquilidade ao trabalho dos gestores, tudo dentro do que manda nossa legislação constitucional, assegurando o direito de ampla defesa, e do contraditório”, disse Caravina.

A lei orgânica do próprio Tribunal de Contas, e a própria Constituição Estadual, contém artigos antigos que precisam ser adaptados e organizados à realidade atual. Infelizmente por erro de um servidor público que deixa de enviar um documento no prazo, ou publicar um documento em edital, o Tribunal de Contas aplica multa muitas vezes em torno de R$ 300 mil, e nem o município, nem o prefeito pode cobrar o erro do servidor. “Se o ato que não gerou nenhum prejuízo ao erário, e o gestor não agiu com dolo, ele não deve ser responsabilizado, nem punido de forma austera e drástica. Já, se ele gerar prejuízo ao erário, ao poder público, ou ao município, ou atrapalhar o trabalho executado pelo Tribunal de Contas do Estado, deve ressarcir o prejuízo”, explicou o dirigente.

Participaram da reunião os deputados Junior Mochi (MDB), presidente da Casa de Leis, Mara Caseiro (PSDB), Enelvo Felini e Professor Rinaldo, ambos do PSDB, Barbosinha (DEM), João Grandão (PT), Amarildo Cruz (PT), 2º secretário do Legislativo Estadual, Felipe Orro e Paulo Corrêa, também do PSDB. Também estavam presentes na reunião Eraldo Jorge Leite (PSB), prefeito de Jateí, Rogério Rosalin (PSDB), prefeito de Figueirão, Cacildo Dagno (PSDB), prefeito de Santa Rita do Pardo, Dr. Fernando (PSB), prefeito de Selvíria, Dr. Marcelo (PSL), prefeito de Sidrolândia, acompanhado do assessor jurídico Guilherme Novaes e do procurador Luiz Cláudio Neto Palermo, da Prefeitura de Sidrolândia.

Comentário

Os partidos e coligações políticas têm até às 19 horas desta quarta-feira (15) para apresentar os pedidos de registro das candidaturas. Dos 13 candidatos que tiveram os nomes aprovados em convenções partidárias, cinco ainda não apresentaram as solicitações de registro.

Ainda não apresentaram os pedidos, oficialmente os candidatos Marina Silva (Rede), Henrique Meirelles (MDB), João Vicente Goulart (PPL), José Maria Eymael (DC) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso em Curitiba desde o dia 7 de abril depois de condenado em segunda instância pelo crime de corrupção passiva.

Até o começo da manhã desta quarta-feira oito candidatos haviam se registrado: Alvaro Dias (Podemos), Cabo Daciolo (Patriota), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), Guilherme Boulos (PSOL), Jair Bolsonaro (PSL), João Amoêdo (Novo) e Vera Lúcia (PSTU).

No total, foram confirmadas nas convenções 14 candidaturas. Porém, há um impasse em torno do nome de Manuela D'Ávila (PCdoB), que indicou a disposição de sair como vice em uma eventual chapa liderada pelo PT, e que deve ser encabeçada pelo ex-prefeito paulista Fernando Haddad, o plano ‘B’ na inviabilidade de Lula vir a concorrer.

O registro da candidatura do ex-presidente é aguardado para esta tarde, porém, como ele está preso em Curitiba, há dúvidas se deve ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa, que o tornaria inelegível, conforme observa divulgação da Agência Brasil de notícias.

Propaganda

Nesta quinta-feira (16) começa o período permitido para a propaganda eleitoral em forma de comícios, carreatas, distribuição de material impresso e propaganda na internet, desde que não paga, como sites próprios. Pela legislação, o uso de auto-falantes e equipamentos de som só pode ocorrer das 8 às 20 horas.

A propaganda no rádio e na TV, começa dia 31 de agosto, após a elaboração de plano de mídia por parte dos partidos, da Justiça Eleitoral e das emissoras de TV, de acordo com a legislação eleitoral.

Comentário

O HU (Hospital Universitário) da Universidade Federal da Grande Dourados recebe, até nesta quarta-feira (15), inscrições para a Seleção Pública de Vagas de Estágio, visando a formação de cadastro de reserva, para candidatos de diversos cursos de graduação.

Para participar da seleção, o acadêmico deve estar devidamente matriculado em instituição de ensino superior e apresentar frequência ativa no curso de graduação ao qual estiver vinculado. A carga horária do estágio é de 20 horas semanais, divididas em quatro horas diárias, pelas quais o estagiário receberá uma bolsa mensal de R$ 364, mais auxílio transporte no valor de R$ 132.

CONFIRA DETALHES AQUI

Após completa e assinada, a ficha de inscrição deve ser entregue na Divisão de Gestão de Pessoas do HU, no horário das 7h30 às 10h30 ou das 13h30 às 16h30. Junto da ficha, devem constar cópias do RG e do atestado de matrícula do semestre vigente ou documento que comprove vínculo com a instituição de ensino superior e o curso de graduação. É assegurado o direito de inscrição à pessoa portadora de necessidade especial.

Provas

Aos candidatos inscritos será aplicada prova escrita, de caráter eliminatório e obrigatório, no dia 30 de agosto. Para cada curso de graduação, foi estabelecido um conteúdo programático, de acordo com o anexo III do edital de abertura.

Depois da homologação e divulgação do resultado das provas, serão convocados para o início das atividades de estágio os candidatos classificados, obedecendo-se: à ordem de classificação; à oferta de vagas de estágios disponíveis e à disponibilidade do candidato selecionado/credenciado para estagiar.

O HU está localizado na rua Ivo Alves da Rocha, 558, no bairro Altos do Indaiá e outras informações podem ser obtidas também pelo telefone 67 3410-3154.

Comentário

Acadêmicos do curso de odontologia da Unigran participaram de uma mesa redonda com profissionais de áreas distintas. O evento com a temática “Vou ser dentista, e agora?” foi uma prévia do que vai ser a Jogran – Jornada Acadêmica do curso, que será realizada em outubro. Profissionais de várias áreas de atuação da Odontologia expuseram a realidade das várias vertentes e ramos de atuação no mercado de trabalho para os acadêmicos de todos os semestres.

De acordo com a professora Thaís Imada Pivetta, coordenadora da Jogran, a atividade prepara o aluno para o próximo passo que é a Jornada Acadêmica. “Nós fizemos um bate-papo informal sobre a carreira do cirurgião-dentista em diversas áreas como na docência, no Exército Brasileiro, na saúde pública, no consultório particular e no voluntariado. Todas as explanações foram passadas aos estudantes com os prós e os contras da carreira. No meu caso, como professora, enalteço a carreira docente com o constante aprendizado, através dela eu tenho contato com as mais diversas personalidades, sempre me atualizando e transformando”, afirma.

Com essa roda de conversa realizada durante o Pré-Jogran, muitas informações e atividades relacionadas com a odontologia foram repassadas aos acadêmicos. Uma das palestrantes da noite foi à cirurgiã dentista Naira Santana, de Umuarama, no Paraná. Formada há 13 anos, Santana coordena na cidade a ONG ‘Turma do Bem’, composta por mais de 16 mil dentistas que atuam em 12 países da América Latina, além de Portugal. Atualmente, mais de 70 mil pacientes já foram atendidos pela ONG.

“Logo que conheci os idealizadores e comecei a trabalhar para a ‘Turma do Bem’ eu me encantei com o projeto e pude ver o quanto o bem faz a diferença na vida das pessoas. Você vê nos olhos do dentista voluntário a vontade de ajudar e transformar vidas através do sorriso. O trabalho do dentista do bem é ajudar as pessoas a entrar no mercado de trabalho, serem inseridas na sociedade através do sorriso”, afirma Santana.

“Pode não parecer, mas a área de atuação do cirurgião-dentista é muito abrangente. São várias vertentes e diferentes carreiras que podem ser seguidas. Muitos, após formados, podem ter dúvidas de que caminho seguir e por isso organizamos a Pré-Jogran para sanar dúvidas, trazendo profissionais de cada área para falar um pouquinho mais das experiências pessoal e profissional”, enfatiza a professora Thaís Imada Pivetta.

Com o tema “Integração odontológica: compartilhando conhecimento”, a Jornada Acadêmica de Odontologia será realizada entre os dias 24 a 27 de outubro. Mais informações sobre inscrições e programação da Jogran, podem ser obtidas na coordenação do curso, através do telefone 67 3411-4144.

Comentário

Página 3 de 1020
  • Unimed 38

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014
E-mail: douranews@douranews.com.br

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus