Timber by EMSIEN-3 LTD
Redação Douranews

Redação Douranews

A CCJ (Comissão de Constituição de Justiça) do Senado aprovou, nesta quarta-feira (12), proposta para suspender o decreto que flexibilizou e ampliou o porte de armas no país. Foram 15 votos a favor contra nove, conforme reproduziu a Agência Brasil de notícias.

Os senadores favoráveis à suspensão do decreto argumentam que as mudanças só poderiam ser realizadas por projeto de lei e não por decreto do Executivo o que, em tese, invadiria a competência do poder Legislativo. Para derrubar o decreto, o projeto ainda precisa ser analisado pelo plenário do Senado e pela Câmara dos Deputados.

Apesar do debate sobre a forma usada para flexibilização do porte de armas de fogo, os parlamentares também debateram o mérito do decreto. O senador Alessandro Vieira, do Cidadania de Sergipe, criticou a medida. Já o senador Major Olímpio, líder do PSL na Casa, defendeu que o decreto promove o direito à legítima defesa.

O líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho, do MDB, disse que espera reverter a situação no plenário do Senado, mas não descartou a apresentação de um projeto de lei sobre o assunto, caso o decreto presidencial seja derrubado.

Assinado do dia 7 de maio pelo presidente Jair Bolsonaro, o decreto amplia o porte de armas para uma série de categorias, como caminhoneiros, advogados e conselheiros tutelares. Além disso, amplia o número de cartuchos que podem ser comprados por ano de 50 para 5 mil munições, segundo a agência de notícias.

Comentário

Um hacker invadiu um grupo do aplicativo Telegram formado por conselheiros do CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público) e afirmou que acessa "quem quiser e quando quiser". A conversa ocorreu na noite de terça-feira (11), quando mensagens do perfil do conselheiro Marcelo Weitzel, do Ministério Público Militar, questionaram a atuação de procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato.

Um dos integrantes questionou: "Marcelo essas mensagens são suas? Não está parecendo seu estilo. Checa teu celular aí". E ele respondeu: "Hacker aqui. Adiantando alguns assuntos que vocês terão de lidar na semana, nada contra vocês que estão aqui, mas ninguém melhor que eu para ter acesso a tudo né".

As informações foram publicadas pelo jornal OGlobo e as conversas também foram obtidas pela TV Globo. Depois, o suposto hacker diz que podem avisar o conselheiro Marcelo que o perfil dele foi liberado.

"Eu acessei ontem aqui apenas para mostrar que não sou como a mídia diz, que liga para o telefone com número internacional e tampouco com o mesmo número (vide fake news do moro) eu acesso quem eu quiser, quando eu quiser e pode ter verificado em 10 etapas. Ele já pode resgatar a conta dele, e que vocês saibam que eu apenas acessei a lava jato pois havia irregularidades que a população incluindo vocês deveriam saber", afirmou, conforme repercutiu o portal G1.

Veja trecho da conversa:

hacker

 

Comentário

Profissionais formados em comunicação, publicidade ou marketing interessados em integrar a Subcomissão Técnica que será responsável pela análise e julgamento das propostas técnicas da Concorrência 02/2019, que trata da contratação de uma agência de propaganda para prestação de serviços de publicidade da Prefeitura de Dourados, têm até às 13 horas desta sexta-feira (14) para fazer as inscrições.

A Subcomissão deverá ser composta por, no mínimo, três membros formados em comunicação, publicidade ou marketing ou que atuem em uma dessas áreas, sorteados entre os previamente inscritos, sendo que pelo menos um terço deles não poderá manter nenhum vínculo funcional ou contratual, direto ou indireto, com a Prefeitura de Dourados.

Para efetivar a inscrição, os interessados deverão comparecer, pessoalmente, na Assecom (Assessoria Especial de Comunicação e Cerimonial), localizada no bloco superior do CAM (Centro Administrativo Municipal), na rua Coronel Ponciano, nº 1700, Parque dos Jequitibás, no horário das 7h30 às 13h30, munidos de documentos (cédula de identidade ou documento equivalente com foto; CPF; diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação na área de comunicação, publicidade ou marketing e ficha de inscrição contendo declaração de que mantém ou não mantém vínculo funcional ou contratual com a prefeitura).

A relação dos profissionais inscritos, bem como a data da sessão pública para sorteio dos nomes, será publicada, oportunamente, na Imprensa Oficial. A abertura dos envelopes das empresas interessadas em gerir a conta publicitária do Município está previamente marcada para o dia 8 do mês que vem.

Comentário

O empresário Ademir Belarmino da Silva, sócio de uma loja de móveis em Dourados, foi preso nesta quarta-feira (12) em operação que investiga suspeita de fraude em licitações na Prefeitura de Rio Brilhante. A operação é coordenada pela Polícia Civil em Rio Brilhante, onde mandados estão sendo cumpridos em vários endereços, inclusive na sede da prefeitura.

Em Dourados, além do mandado de prisão temporária do empresário (válida por cinco dias), seis mandados de busca estão sendo cumpridos pelo SIG (Serviço de Investigações Gerais), coordenado pelo delegado Rodolfo Daltro.

Conforme o site Campo Grande News, a empresa de móveis de Ademir Belarmino, a Tradição Móveis, localizada na avenida Hayel Bon Faker, participou de licitações da Prefeitura de Rio Brilhante em 2017 e 2018. A polícia investiga suspeita de fraude nesses processos.

O prefeito de Rio Brilhante, Donato Lopes da Silva (PSDB), disse, em nota divulgada pela assessoria de comunicação do Município, que ele é o maior interessado em esclarecer todos os fatos. “Ainda não há informações sobre quais investigações estão em curso, mas o prefeito determinou que todos os setores colaborem prontamente com o Ministério Público e a polícia”, afirma a nota. Através da assessoria, Donato informou que sua gestão sempre prezou pela lisura e seriedade em todos os atos e espera que as investigações esclareçam o mais rápido possível todas as questões.

De acordo com as informações do site Rio Brilhante em Tempo Real, dois empresários da cidade, um do ramo de oficina e outro do setor gráfico, foram conduzidos para a delegacia de Polícia Civil.

A operação conta com o apoio de policiais civis de Dourados, Nova Alvorada do Sul, Caarapó e Maracaju. Documentos e computadores foram recolhidos na sede da prefeitura de Rio Brilhante.

Comentário

O capitão indígena Francisco Gonçalves, de 46 anos, morreu após o carro que ele conduzia cair em um barranco às margens da rodovia MS 156, no município de Juti. A vítima estava a bordo de um Fiat Uno, cor azul, com placas de Juti, e teria perdido o controle da direção ao passar por uma curva.

Segundo informações apuradas pelo Caaraponews, Francisco voltava para a casa dele, na Aldeia Taquara, onde exercia o título de capitão, na noite desta terça-feira (11), na via que também é conhecida como estrada de Porto Cambira.

Ao passar por uma curva, o motorista perdeu o controle, saiu da pista e caiu em uma ribanceira. O Corpo de Bombeiros de Caarapó foi acionado e ao chegar no local já encontrou Francisco sem vida. A Polícia Civil começou a investigar as causas do acidente.

Comentário

‘Psicologia Unigran 20 anos: trajetos e conquistas’. Com esta temática, o curso de Psicologia da Unigran realizou a XVII Jornada Acadêmica e a VII Mostra Científica 2019. Dentre as diversas atividades, o evento contou com a palestra ‘Jovens Indígenas: uma questão de pertencimento’, ministrada pela professora Adriana Rita Sordi.

O tema foi pesquisa do doutorado da professora, que é egressa da primeira turma da Instituição e hoje atua como coordenadora do curso de Psicologia da Unigran Capital. Adriana buscou o entendimento sobre os motivos da violência e das questões do suicídio entre jovens indígenas.

“Com a pesquisa, foi possível entender que a criança indígena é muito diferente da não indígena. Ela é muito mais tranquila, principalmente na escola, muito dócil, mais disciplinada, menos ansiosa, isso porque ela tem uma mãe que está sempre por perto, uma mamãe que cuida e não cerceia, se a mãe indígena vai no açude, por exemplo, a criança vai junto, se ela vai na roça ou na cidade, a criança vai junto, isso dá uma estabilidade emocional”, afirma a psicóloga.

O principal questionamento apontado por Sordi é com relação aos motivos de questões como o suicídio e a violência serem tão fortes na realidade de um jovem indígena. “O jovem precisa se sentir pertencente à comunidade”, enfatiza. “Quando ele não se sente pertencente, ele não tem lugar. Na cidade ele sofre preconceito e, por vezes, entra em conflito dentro da própria comunidade indígena, por não saber o lugar que ocupa. Então, ele quer ser branco, mas não é, ele briga com os pais porque não quer participar dos rituais, de forma que não será aceito. Há um não pertencimento muito forte. E, quando eu não pertenço a lugar nenhum, eu entro em conflito”, ressalta.

Adriana menciona que a ocorrência do não pertencimento também é diferente entre as etnias. “Na etnia terena não ocorre tantos casos de alcoolismo e suicídio, assim como ocorre com os guarani-kaiowa, que sempre foram mais reclusos, com muito mais dificuldade de inserção”, destaca.

Sobre o papel da sociedade e, em especial, dos psicólogos, Adriana Rita Sordi enfatiza: “precisamos valorizar a cultura indígena”. “Quando, a partir deste tipo de pesquisa, entendemos o jovem indígena em valorização à sua cultura, nosso objetivo é tentar fazer com que essa população e esse conhecimento se propaguem, e todos saibam da importância da cultura tradicional, de valorizar as questões culturais, que as pessoas do senso comum também consigam compreender, que é apenas uma cultura diferente, que as pessoas possam conseguir conviver com o diferente, pois o diferente está por todos os lados. Enquanto psicólogos, não temos respostas, mas levantamos questionamentos e tentamos fazer uma reflexão”, finaliza.

Comentário

Sob a proposição do vereador Alan Guedes (DEM), a Câmara de Dourados vai realizar, nesta quinta-feira (13), às 19 horas, uma Audiência Pública para discutir o tema ‘Plano Diretor – Estratégias e Desafios’, evento que tem como parceiro o CAU/MS (Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Mato Grosso do Sul).

A comissão organizadora da Audiência, da qual faz parte também o suplente ao Conselho Federal do CAU, e ex-presidente do Imam (Instituto municipal do Meio Ambiente) de Dourados, arquiteto Fábio Luis, definiu como pauta básica a apresentação da importância de um Plano Diretor para o ordenamento municipal, e os efeitos dessa legislação na comunidade.

Alan Guedes convidou para debater essa questão, além do secretário municipal de Planejamento de Dourados, Carlos Francisco Dobes Vieira, a diretora-presidente da Planurb (Agência Municipal de Meio Ambiente e Planejamento Urbano) de Campo Grande, Berenice Maria Jacob Domingues, juntamente com o diretor de Planejamento, Rodrigo Giansante e a arquiteta e urbanista Vera Cristina Galvão.

O Plano Diretor de Dourados foi instituído pela LC (Lei Complementar) 72, de 30 de dezembro de 2003, como parte integrante do planejamento municipal, ajustado ao plano plurianual, as diretrizes orçamentárias e o orçamento anual, para incorporar as diretrizes e as prioridades da política de desenvolvimento urbano do município, e em 2018 passou por um processo de revisão, a cargo da empresa Edson Marchioro Arquitetura, Urbanismo e Engenharia Ltda, contratada para elaborar o Plano de Mobilidade Urbana.

Segundo o vereador Alan Guedes, é importante discutir o Plano Diretor vigente e buscar os ajustes que se fizerem necessários, “aproveitando, inclusive, experiências de outras iniciativas, como da nossa capital, Campo Grande, para aperfeiçoarmos a nossa legislação com as demandas que se impõem, diante da expansão do Município, o surgimento de novos gargalos decorrentes desse crescimento; tudo isso será explorado nessa Audiência”.

Comentário

O médico José Centurion morreu ao ser atingido com vários disparos de arma de fogo em Pedro Juan Caballero, na divisa com Ponta Porã, no meio da tarde desta terça-feira (11), após deixar o trabalho.

De acordo com o site Poranews, o médico havia acabado de entrar no veículo branco de sua propriedade quando os criminosos passaram e efetuaram os disparos. A polícia paraguaia investiga mais esse assassinato.

Comentário

Quarta, 12 Junho 2019 08:13

Presidente da Funai é demitido do cargo

O presidente da Funai (Fundação Nacional do Índio), Franklimberg Ribeiro de Freitas, foi demitido do cargo nesta terça-feira (11) por determinação da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves. Na quinta-feira (6), após encontro a portas fechadas com o ministro da Justiça, Sergio Moro, Franklimberg chegou a dizer que ficaria no cargo. A informação da demissão foi adiantada pelo jornal "O Estado de S.Paulo" e confirmada pelo OGlobo.

Atualmente, a estrutura da Funai está na pasta comandada por Damares, mas em breve, por decisão do Congresso, será devolvida ao ministério de Moro. De acordo com parlamentares que compõem a FPA (Frente Parlamentar da Agropecuária), a queda do presidente da Funai aconteceu devido à pressão de deputados que estavam insatisfeitos com a forma como Franklimberg estava conduzindo o órgão.

O deputado Evair Vieira de Melo (PP-ES), que compõe a bancada da Agropecuária, explicou ao jornal carioca que essa insatisfação foi levada ao presidente Frente, Alceu Moreira (MDB-RS) que por sua vez levou a questão ao secretário de Assuntos Fundiários do Mapa (o Ministério da Agricultura e Pecuária), Luiz Antonio Nabhan Garcia, amigo de longa data do presidente Jair Bolsonaro. Nabhan então ficou com incumbência de pressionar por uma "solução" nos impasses da Funai.

Comentário

O julgamento do pedido de anulação de Botafogo 0 x 1 Palmeiras, pelo Campeonato Brasileiro, realizado no dia 25 de maio, em Brasília, foi agendado pelo Pleno do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) para o dia 18, incluindo na pauta da sessão itinerante que será realizada em Salvador, a partir das 10h30 locais.

O agendamento ocorreu após o auditor Decio Neuhaus, relator do processo, ter recebido relatório do árbitro de vídeo (VAR), em documentação solicitada para a CBF (Confederação Brasileira de Futebol), juntamente com áudios e imagens do jogo.

O auditor abriu vista para Botafogo, Palmeiras e a Procuradoria terem acesso ao material. Por enquanto, não será permitido efetuar qualquer tipo de cópia dos documentos, áudio e vídeo, publica o Globoesporte.

O Botafogo se baseou na regra 5 da Fifa e no protocolo 8.12 do VAR para entrar com a ação, alegando que a decisão do árbitro não pode ser alterada após o reinício da partida. O clube entende que o VAR foi utilizado de forma indevida no lance que definiu o jogo.

Comentário

Página 6 de 1335
  • PMRV

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014
E-mail: douranews@douranews.com.br

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus