Timber by EMSIEN-3 LTD
Redação Douranews

Redação Douranews

O MPT (Ministério Público do Trabalho) em Mato Grosso do Sul abriu nesta terça-feira (27) as inscrições para processo seletivo de acadêmicos dos cursos de Direito, Administração, Biblioteconomia, Comunicação Social, Tecnologia da Informação e de Técnico em Segurança do Trabalho. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até o dia 6 de outubro.

O certame terá validade de seis meses, podendo ser prorrogado por igual período no interesse da Administração. A jornada de estágio é de 4 horas diárias/20h semanais, mediante o pagamento de bolsa de R$ 850 (nível superior) e de R$ 590 (para o nível técnico), acrescido do auxílio transporte de R$ 7,00 por dia estagiado e de seguro contra acidentes pessoais. O estágio terá duração mínima de seis meses e máxima de 24 meses.

As vagas são destinadas a estudantes de instituições de ensino conveniadas com o MPT no Estado, que tenham cumprido, pelo menos, 40% da carga horária ou dos créditos necessários para conclusão do curso superior, independente do semestre em que estejam formalmente matriculados. Já para os candidatos da área de Técnico em Segurança do Trabalho, é necessário ter concluído, pelo menos, o primeiro ano do ensino médio.

Os candidatos inscritos serão submetidos a provas objetiva e/ou discursiva, previstas para ocorrerem no dia 16 de outubro, das 8 às 12 horas, em local a ser divulgado no site www.prt24.mpt.mp.br.

Comentário

O escritor Marcos Coelho assumiu sexta-feira (23) a presidência da ADL (Academia Douradense de Letras). Durante o ato, proferiu discurso recheado de citações poéticas e homenagens às personalidades literárias que fizeram a história dos 25 anos da entidade.

Confira aqui:

“Estou aqui para saudar a todos que nos prestigiam nesta memorável noite, no afã da comemoração dos 25 anos de fundação da Academia Douradense de Letras, o nosso Jubileu de Prata. Saúdo também a todos os membros ativos e os saudosos na imortalidade de nossa Confraria Acadêmica. E, saúdo com ternura e reconhecimento aos meus confrades da Academia de Letras de Teófilo Otoni-MG, da qual sou membro correspondente. É com grande honra que represento e tenho a incumbência de apresentar nessa noite, o cumprimento e o abraço fraterno dos mui dignos escritores: Mosar da Costa – Centro de Integração Latino-Americana / Santa Maria/ RS; Jefferson Dieckmann - Membro do Escritibas / Curitiba/ PR; ambos os parceiros no fomento à produção cultural e literária na integração dos países do MERCOSUL.

Ao preparar o meu discurso oficial de posse para essa solenidade, rememorei toda minha vida, todos os desafios dela, as lutas, as superações, as lágrimas, as alegrias, todo esse combustível vivido que até hoje me inspira e me traduz como poeta, escritor, contista, romancista, literato que sou. Um verdadeiro e significativo desafio, esse o de tecer a gestão e a administração de uma entidade como a ADL, tão respeitável e importante no cenário de Mato Grosso do Sul e, hoje também latino americano. Para isso, bebi em varias fontes do saber literário, sobretudo aquelas que admiro pela arte e por sua preciosa contribuição no campo do saber literário, da produção crítica, nesse desejo e intuito de se fazer sonhar, delirar, sentir, viver, o de trazer um sentimento genuíno de liberdade através das Belas Letras.

Uma entre tantas escritoras de valor que se reconhece na atualidade brasileira, destaco aqui alguns trechos do discurso da célebre escritora Nélida Piñon, quando fazia seu discurso com o título Memória da viagem para ao tomar posse na presidência da Academia Brasileira de Letras, em 12 de dezembro de 1996:

“A viagem é longa e não faz falta que eu lhes diga como começou. Afinal, os percalços de qualquer trajetória humana fazem parte de um enredo eminentemente secreto. De uma experiência pronta a desfazer-se, ou a naufragar no anonimato ― sem a luminosa proteção da fina tessitura da arte.

Para anunciar os vestígios, pois, de uma vida, ainda que seja da tribuna, do púlpito, há que harmonizá-los com a vertigem da arte narrativa, que tem recursos suficientes para revelar os traços biográficos sem apagá-los ou banalizá-los. Para extrair enfim da alma aqueles fios que favorecem as regiões esquecidas, negligenciadas.”

Creio, desse modo, no poder da palavra, das letras como verdadeiras propulsoras de um saber que vai além do seu significado por escrito, acredito no discurso que seja libertador, que tenha o poder de libertar a consciência aprisionada em palavras de negação e de estrutura doentes e malsinadas, palavras aprisionadoras pronunciadas por pessoas arraigadas em sentimentos doentes, sem luz, sem paz, sem amor. Acredito que as letras tem esse poder de vida e de morte, esse poder de traduzir toda e qualquer sorte, tem esse poder de prisão, tem esse poder de perdição, tem esse poder de salvação, que as letras libertadoras não podem morrer.

O compromisso está lançado, AD INFINITUM PER ANGUSTA, AO INFINITO POR CAMINHOS ÁRDUOS, difícil e desafiador esse compromisso, porém precioso por propor um lapidar do coração literário e também do joalheiro de palavras, na produção e composição de suas joias.

Retomo o discurso de Nélida Piñon, assumindo o mesmo compromisso acadêmico:
“Esta arte que, cúmplice do desejo coletivo, mobiliza cada ser humano. E revestida da condição de escritora para melhor combinar a arte literária com a apologia da consciência individual e coletiva. São os reclamos humanos que concedem à literatura a proteção do saber, o arrimo da compaixão e da piedade.

Assim, onde esteja, em especial desta tribuna, confesso acreditar na aventura humana, no direito que nos assiste de exaltar, através da narrativa, esta enigmática viagem que encetamos todos em direção ao centro de nós mesmos. Na busca permanente da residência dos nossos alentos.

Uma narrativa que se ampara, e apura-se, no ato, ou no ofício de revelar os homens e a sociedade em que habitamos. Delicado e incerto ofício que conta apenas com a palavra, arma que fere, decepciona, exalta, pensa, surpreende ― com a palavra, repito, para iluminar os desvãos da realidade. Graças à palavra, contudo, costuramos os atos humanos e acreditamos na força restauradora do espírito, tão presentes, e sempre reabilitados, nesta Casa de Machado de Assis.”

Assumo esse desafio, sonhando, buscando, crescendo, como meu patrono Marechal Candido Rondon, aquele que foi destemido, que acreditou e que venceu, com a Paz em seu coração e em seu Espírito, sacrificando interesses pessoais e mesquinhos por valores humanos reais, em defesa do coletivo, do real valor cidadão, sendo justo, honesto e leal aos valores e atributos imperecíveis que o imortalizaram com mais vida, numa herança que jamais o fará esquecido. Suas sábias palavras jamais perecerão: “MORRER SE PRECISO FOR, MATAR NUNCA”, ato contínuo, estabeleceu-se num viver digno e honroso que o fez respeitável e poupou centenas de milhares de vidas, num viver que o fez amigo de sua gente e dos nativos, que o fez imortal, que fez a nossa história e o nosso desenvolvimento em comunicação, que nos trouxe progresso, conhecimento, comunicação, imortalidade, um verdadeiro Patrono da Comunicação. Saúdo, pois ao meu estimado Patrono Rondon.

Saúdo com respeito ao meu antecessor na Cadeira nº 06, o escritor Joaquim Lourenço Filho, honrado médico e escritor e lidador das letras aqui e além, com seu jornal o Rolo e suas viagens inesquecíveis, assim como a todos os saudosos acadêmicos e aos atuais membros de nossa Confraria, a ADL, e nossos correspondentes.

Desejo nessa gestão trazer honra a nossa ADL, a Dourados, a Fátima do Sul, minha cidade natal, ao Mato Grosso do Sul, ao Brasil, ao continente americano. Hoje é uma noite de alegria indizível a mim, pois o menino, acorda adulto, trazendo honra aos Poetas de Sua Família Coelhina, a sua doce mãezinha, a Poetisa Dona Eli Coelho, sua Doce Irmã, Artista Plástica Léya Coelho Cardoso, ao cunhado Jorge e sobrinhos Igor e Yasmin, aos seus saudosos avós Elvira Maria Pereira, Bibiano Coelho, Joaquim Sabino Coelho Pereira, Manoel Cardoso Filho, sua avó viva Maria da Paz Cardoso.

Agradeço a todos dessa diretoria e gestão da ADL que me acompanhará na gestão que se inicia, a minha querida madrinha Literária, a Eterna Conselheira Ruth Hellmann e Minhas adoráveis Conselheiras Pessoais Heleninha de Oliveira e Maria A. Pontes. A minha antecessora no comando da ADL Ivone Macieski.

Com Alegria, brindo ao Jubileu de Prata da Academia Douradense de Letras, com votos de muito mais Letras e Cultura e êxitos na alcunha de escrever e de se libertar nesse eterno AD INFINITUM PER ANGUSTA!”.

Comentário

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), composta por cinco ministros, aceitou por unanimidade nesta terça-feira (27) denúncia apresentada pela Procuradoria Geral da República (PGR) contra a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e o marido dela, o ex-ministro e ex-secretário de fazenda do Mato Grosso do Sul (entre janeiro de 1999 e dezembro de 2000) Paulo Bernardo, na Operação Lava Jato.

O STF também aceitou a denúncia contra o empresário Ernesto Kugler Rodrigues, ligado ao casal. Com isso, os três passam à condição de réus no processo. Eles são acusados pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Como o processo não foi desmembrado, todos os três responderão ao processo no Supremo.

Gleisi é a primeira senadora a se tornar ré na Lava Jato. Após a decisão, ela disse que a denúncia se baseia em delações contraditórias.

O relator da Lava Jato no STF, ministro Teori Zavascki, foi o primeiro a votar pelo recebimento da denúncia. Ele foi acompanhado pelos ministros Dias Toffoli, Celso de Mello,Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes.

Com a denúncia aceita pelo STF, inicia-se a fase de coleta de provas e depoimentos de testemunhas de defesa e acusação.

Segundo a acusação, os três, "agindo de modo livre, consciente e voluntário”, pediram e receberam R$ 1 milhão desviados do esquema de corrupção que atuava na Petrobras.

O dinheiro teria sido direcionado para campanha eleitoral de Gleisi em quatro parcelas de R$ 250 mil.

O repasse teria sido realizado, segundo a PGR, através de empresas de fachada do doleiro Alberto Youssef contratadas pela Petrobras a firmas de Rodrigues.

Ainda segundo a PGR, os recursos foram liberados pelo ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa, cujo objetivo seria obter apoio político de Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo para se manter no cargo.

DEFESAS

Na sessão, o advogado de Gleisi, Rodrigo Mudrovitch, negou os crimes e apontou supostas divergências entre as declarações de Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef nas delações premiadas, especialmente em relação ao modo como o dinheiro teria sido repassado.

“O colaborador premiado não só fala algo discrepante do que outro colaborador diz, mas também se dá ao luxo de mudar de ideia. E pode mudar de ideia novamente ao longo do processo”, disse o advogado.

Defensora de Paulo Bernardo, Verônica Sterman também rebateu a acusação, alegando que não teria sido provada interferência de Paulo Bernardo para manter Paulo Roberto no cargo de diretor na Petrobras.

“Os dois colaboradores negam terem recebido qualquer solicitação. Se Paulo Bernardo não falou nem com um nem com outro, como pode a PGR tê-lo denunciado por corrupção?”, disse a advogada na tribuna.

Em nome de Rodrigues, o advogado José Carlos Garcia negou participação do empresário nos crimes. “Não há descrição de participação do fato do autor. Não traz uma linha no sentido de dizer que interferiu no recebimento de propinas na Petrobras”, afirmou.

Comentário

Criado pela Senasp (a Secretaria Nacional de Segurança Pública) do Ministério da Justiça e Cidadania, o aplicativo Sinesp Cidadão ajudou a recuperar 323.684 veículos roubados ou furtados em todo o Brasil. Também foram cumpridos 69.496 mandados de prisão de pessoas foragidas.

“Com base em registros criminais, a ferramenta permite que a população identifique motos, carros e caminhões que tenham sido alvos de bandidos e avise à polícia imediatamente, sem se identificar”, explica o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes.

Além de checar placas de veículos, o Sinesp Cidadão também oferece outros serviços. “Existe a possibilidade de descobrir se há alguma ordem judicial de prisão em nome de uma pessoa. Basta digitar dados básicos, como nome e números de documentos”, explica o ministro.

Fácil de instalar e de usar

O aplicativo é gratuito para download em celulares e tablets e também pode ser acessado por computador, 24 horas, em qualquer lugar com acesso à Internet. Está disponível para as plataformas Android, IOS e Windows Phone.

Depois de instalado, basta digitar a placa de qualquer veículo. São 8.840.139 downloads e 523.854.779 de consultas ao aplicativo em pouco mais de dois anos e meio de lançado. Durante a consulta, o aplicativo informa se os dados digitados conferem com os do veículo ou mesmo se há denúncia de que ele foi roubado.

O mesmo vale para um mandado de prisão de alguém cujo nome foi digitado no aplicativo. Nesses casos, a pessoa deve avisar sobre a situação à polícia, para que profissionais treinados apurem o caso. Não é preciso se identificar.

Comentário

Residência localizada no Bairro Santa Fé pegou fogo, na tarde de hoje, em Campo Grande. Na casa, havia apenas uma menina de 7 anos, que ao se deparar com as chamas, pegou uma boneca, algumas peças de roupa e deixou o local para pedir socorro.

Os vizinhos ouviram os gritos e acionaram o Corpo de Bombeiros.

As chamas começaram na cozinha e se alastraram para a sala do imóvel. Segundo o tenente Vilamaior, a menina ateou fogo em um amontoado de roupas e lixos. Quando o incêndio tomou proporções maiores, a criança se assustou e decidiu pedir ajuda aos vizinhos.

A mãe da menina, que não quis se identificar, disse à reportagem do Portal Correio do Estado que deixou a filha sozinha em casa, pois hoje não haveria aula. “Foi a primeira vez”, declarou a mulher, que tem outros dois filhos que estão na escola no período da tarde.

O Conselho Tutelar e a Polícia Militar foram acionados e a mãe pode perder a guarda da criança.​

Comentário

O site do TJ-MS divulgou sentença proferida pelo juiz David de Oliveira Gomes Filho, da 2ª Vara dos Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos de Campo Grande, condenou um hipermercado ao pagamento de R$ 1.000.000,00, a título de danos morais coletivos, por descumprir a oferta de produtos comercializados em seu estabelecimento. O valor será revertido ao Fundo Estadual de Defesa dos Direitos do Consumidor. A sentença determinou também que a empresa tem a obrigação de não ofertar produtos expostos nas prateleiras com divergência entre o preço da gôndola/etiqueta e o da barra de leitura/caixa, sob pena de multa de R$100,00 por unidade de produto exposto na prateleira, a ser destinada ao consumidor lesado.

Caberá aos consumidores a comprovação de que se enquadram na sentença, mediante a apresentação de nota fiscal de compra em comparação com um panfleto ou fotografia do preço do produto a menor.

A ação foi proposta pelo Ministério Público Estadual, após relato de um consumidor que na loja havia muitos produtos com divergências de preços. Posteriormente, a pedido do MP, o Procon realizou no dia 22 de abril de 2013 uma fiscalização na loja e constatou as irregularidades mencionadas pelo consumidor, o que ocasionou o auto de infração.

Em contestação, a loja reclamou da abusividade quanto ao pedido de imposição de multa, pois não houve dolo e nem má-fé nas pequenas diferenças entre o preço anunciado de determinados produtos e aqueles registrados no caixa. Alega ainda que não existiu o dano moral e que o valor da indenização é exorbitante. Por fim, a ré pediu pela improcedência da ação, porém, caso condenada, que a extensão do dano ficasse limitado apenas a Campo Grande.

Ao analisar os autos, o juiz observou que são constantes os erros de publicações de ofertas, havendo muitas divergências entre os preços anunciados e o preço cobrado do consumidor na hora de efetuar o pagamento. O magistrado afirma também que caberia à loja verificar os erros e tentar solucionar o mais rápido possível, o que não ocorreu. “O próprio hipermercado confessa que existe a divergência, conforme se denota da defesa apresentada, contudo, afirma que não há dolo ou má-fé nesta conduta”, frisou o juiz.

Dessa forma, o magistrado concluiu que os argumentos da ré não merecem prosperar. “Se o erro ou fraude é percebido apenas depois, o desconforto e incômodo é ainda maior, pois além dos sentimentos já mencionados, os consumidores sentem-se traídos na sua confiança. E para aqueles que sequer percebem o erro consuma-se, em benefício da empresa, uma vantagem ilegal em detrimento daqueles consumidores e dos próprios concorrentes que zelam pela regularidade de suas ações negociais ao cobrarem apenas o preço anunciado. Trata-se, neste caso, de concorrência desleal”.

Comentário

Com atividades realizadas durante todo o mês de setembro, o Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados (HU-UFGD) chega hoje (27) ao “dia D” de sua campanha pela conscientização para a doação de órgãos. A data – 27 de setembro – é marcada como o Dia Nacional da Doação de Órgãos e encerra as ações do Setembro Verde na instituição.

Desde o início do mês, a equipe da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT) vem se empenhando na execução de ações de divulgação e capacitação em torno do tema. A primeira delas foi o lançamento do curso “Capacitação sobre o Processo de Doação e Captação de Órgãos e Tecidos para Transplante)”, que teve sua aula inaugural no dia 8 de setembro.

A iniciativa é voltada a colaboradores de todas as áreas da assistência à saúde, com ênfase aos que atuam nas equipes multiprofissionais das Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) e do Centro Cirúrgico, sendo que atingiu a marca de 52 participantes. No total, são 10 horas de curso, divididas em cinco encontros teóricos, ministrados por profissionais que integram a comissão, com base no Manual da CIHDOTT do Hospital Albert Einstein, de São Paulo.

De acordo com a presidente da CIHDOTT do HU-UFGD, a médica Mirna Matsui, a ação atende a uma demanda antiga dos trabalhadores, tanto no que tange a captação de órgãos e tecidos quanto para esclarecer dúvidas a respeito do assunto.

“O curso esclarece pontos como a organização do Sistema Nacional de Transplantes, o trabalho das comissões nos hospitais e todo o fluxo do processo, desde a identificação do possível doador até a captação no Centro Cirúrgico. Espera-se, com o curso, que o profissional seja capaz de sanar as dúvidas das pessoas que de se declaram não doadoras, com a finalidade de aumentar o grupo de doadores”, explica Mirna.

Atuando diretamente com pacientes que são potenciais doadores, a psicóloga da UTI Adulto, Francyelle Marques de Lima, afirma que desde que começou a trabalhar no HU-UFGD, há cerca de dois anos, o panorama da doação de órgãos vem se aprimorando, principalmente em função do trabalho da CIHDOTT.

“Os colaboradores passaram a se interessar mais pelo tema, buscam entender o assunto. E o curso, do qual estou participando, colabora para isso, pois oferece conhecimentos fundamentais para os profissionais atuarem com mais segurança, conhecimento técnico sistematizado”, declara a Francyelle.

A capacitação termina no mês de outubro e tem previsão de abrir novas turmas em breve. Além da CIHDOTT, participam da organização a Divisão de Gestão de Pessoas e a Comissão de Educação Permanente.

Redes sociais e panfletagem

Também desde o início do mês, colaboradores e pessoas da comunidade externa podem demonstrar seu apoio à causa da doação de órgãos aderindo à campanha realizada por meio do aplicativo Twibbon. Por ele, o apoiador pode alterar sua foto de perfil nas redes sociais Facebook e Twitter, inserindo junto a ela, a imagem elaborada pelo HU-UFGD com as hashtags “#DoeÓgãosDoeVida” e “#FaleComSuaFamília”.

Além da ação virtual, os integrantes da CIHDOTT organizaram para hoje (27) um cronograma de panfletagem voltada os colaboradores, nos principais horários de movimento no hall dos relógios de ponto. Pela manhã e no início da tarde, os trabalhadores que saíam e chegavam puderam tirar suas dúvidas sobre doação de órgãos e assistir aos vídeos temáticos veiculados no local. A última atividade do grupo está prevista para o período da noite informou a assessoria do HU-UFGD.

Comentário

A campanha de vacinação antirrábica, realizada pela Prefeitura de Dourados, se concentra essa semana em mais cinco bairros (na região do estádio Douradão) e na aldeia indígena Bororó. A vacinação segue por tempo indeterminado até alcançar a meta de 53 mil animais imunizados, entre cães e gatos. Até agora foram imunizados algo em torno de 35 mil animais, desde quando começou a vacinação, em junho.

De acordo com o cronograma do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) a vacinação itinerante começou esta semana pelo Jardim Canaã III, Colibri e Parque dos Jequitibás. Nesta terça-feira (27), as equipes do CCZ estão percorrendo os bairros, Jardim Colibri e Parque dos Jequitibás; na quarta-feira (28), novamente no Colibri e Residencial Oliveira; na quinta-feira (29), no Oliveira, Vila Martins e Vila Santa Catarina; e na sexta-feira (30), no Residencial Oliveira, Vila Marins e Vila Santa Catarina.

A vacinação itinerante é realizada das 7 às 11 e das 13 às 17 horas. Os moradores que não se encontram na residência, durante a passagem dos agentes de vacinação do CCZ, podem aproveitar o ponto fixo, que será montado no sábado (1), no Residencial Oliveira, das 7h30 às 17 horas.

Aldeias

Na aldeia Jaguapiru a vacinação já foi concluída, passando agora para a Bororó, onde permanece até sexta-feira. De acordo com o CCZ, nas aldeias a vacinação foi alterada devido à notificação de ocorrência de casos positivos de raiva bovina em uma propriedade localizada entre os limites dos municípios de Itaporã e Dourados, próximo a reserva Indígena Jaguapiru. Nas aldeias a imunização é feira somente de forma itinerante.

Comentário

O diretor-presidente da Sanesul, Luiz Rocha, vistoriou obras e se reuniu com equipes das unidades da Gerencia Regional de Nova Andradina (Nova Casa Verde, Nova Andradina, Batayporã, Ipezal, Angélica e Deodápolis) na última quinta-feira (22) e de Dourados na sexta-feira (23) passada.

Em Dourados, Rocha vistoriou o local de captação no Rio Dourados, e as obras de ampliação dos sistemas de abastecimento de água e esgotamento sanitário. Atenta ao crescimento populacional da segunda maior cidade do Estado, a Sanesul está investindo R$ 93,2 milhões, com recursos próprios da empresa, via Caixa Econômica Federal, na ampliação do sistema de abastecimento de água. Estão sendo perfurados dois super poços, cada um com profundidade de 600 metros e previsão de vazão de 250 mil litros de água por hora.

Também estão sendo construídos um reservatório enterrado, com capacidade para reservar 4 milhões de litros de água, a estação elevatória com capacidade de 500 litros por segundo e dois módulos da ETA (Estação de Tratamento de Água), perfazendo um total de oito módulos, com capacidade para tratar 250 mil litros de água por hora cada uma.

Ao todo, o sistema de abastecimento em Dourados será incrementado em cerca de 1,2 milhão de litros de água por hora, que aumentarão em 50% a produção do líquido na cidade ao final das obras, que está dividida em etapas. Algumas já em execução e outras que ainda serão licitadas.

Em Dourados, o diretor Comercial e de Operações, Onofre Assis, os gerentes de Obras, José Carlos Queiroz e de Sistemas de Abastecimento de Água, Elthon Teixeira e o assessor Edgar Bento, além do gerente regional de Dourados, Paulo Nepomuceno, acompanharam a visita do diretor-presidente Luiz Rocha.

Comentário

O presidente da Petrobras, Pedro Parente, elogiou nesta terça-feira (27) o projeto de lei, em tramitação no Congresso Nacional, que retira da empresa a obrigação de ser operadora única dos campos do pré-sal. Na avaliação dele, a medida é importante porque “substitui a obrigação por uma opção” para a estatal.

“A empresa como um todo só tem a ganhar com isso. Em vez de ter obrigação, passa a ter uma opção por fazer. Isso é um benefício muito grande por a empresa viver um momento de restrição financeira. Se formos obrigados a participar de todos os campos, não teremos recursos. Isso faria com que a exploração desses campos levasse um tempo muito mais longo”, explicou.

Parente afirmou, ainda, que o País também será beneficiado com a aprovação do texto, uma vez que impulsionaria a atração de “investimentos importantes para o crescimento e para a geração de riqueza e de empregos no País”.

“É importante que o País possa ter outras empresas que se interessem em fazer esses investimentos. É importante para o País que a Petrobras não seja obrigada a participar de todos os campos, e que, mesmo nos que ela não queira, ela tenha opção em primeiro lugar. E é importante que outras empresas que se interessem [por esses campos] possam fazer os investimentos”, reforçou.

As afirmações de Parente foram feitas no Palácio do Planalto, após uma reunião com o presidente da República, Michel Temer. No encontro, ele apresentou o Plano de Negócios e Gestão 2017-2021 da companhia. A previsão da empresa é aplicar US$ 74,1 bilhões em investimentos no período.

Comentário

Página 1334 de 1510

O Tempo Agora

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus