Timber by EMSIEN-3 LTD
Redação Douranews

Redação Douranews

Doze sul-mato-grossenses vão disputar os Jogos Paralímpicos Rio 2016, que serão realizados de 7 a 18 de setembro na cidade do Rio de Janeiro . Os paraesportistas de Mato Grosso do Sul engrossam a delegação brasileira no torneio, que é formada por 285 paratletas. Ao todo, cerca de 4.350 pessoas de 160 países são esperadas para disputar as 528 medalhas em jogo.

A maior representatividade de Mato Grosso do Sul é no Futebol de 7. Dos 14 paratletas convocados, oito são sul-mato-grossenses, nascidos em Campo Grande. A Seleção Brasileira de Futebol de 7 foi ouro nos jogos de Sydney em 2000 e prata em Atlanta em 2004.

Dois paratletas do Estado vão competir no Atletismo: Silvana Oliveira (Três Lagoas) e Yeltsin Jacques (Campo Grande), ambos com deficiência visual. Além deles, Guilherme Ademilson dos Anjos Santos (Campo Grande) vai competir como atleta guia. A delegação brasileira ainda tem a participação de mais duas sul-mato-grossenses: Débora Benevides (deficiência física) na Canoagem e de Michele Aparecida no Judô (deficiência visual). As duas são da Capital.

Comentário

Filipi Silveira já é um nome conhecido do cenário cinematográfico de Campo Grande e de Mato Grosso do Sul, principalmente pelo filme "O Florista", que ele dirigiu e protagonizou em 2013, e que chegou a ser exibido durante o Festival de Cannes naquele ano, em uma mostra especial de curtas dentro do evento. O mais novo trabalho do cineasta é "Cartilha da Vida", um curta-metragem de dois minutos que foi gravado em parceria com amigos e alunos da Escola de Atores Wolf Maya. "É uma grande homenagem ao professor mostrando de uma forma bem delicada o poder da educação", explica o cineasta. 

O filme possui cenas gravadas em locais bastante conhecidos como a Livraria Cultura, em São Paulo. Segundo Filipi, conta a história de um menino de rua, que está decidido a matar sua fome. Com algumas reviravoltas no roteiro, o curta faz uma crítica social. Pode ser assistido na página oficial da Escola Wolf Maya e participa do Mobile Festival promovido por lá.

Um dos pontos interessantes é que o filme foi todo gravado utilizando apenas um aparelho celular do modelo IPhone. Segundo Filipi, que também dirigiu e atuou no filme, Kaique Rocha cuidou da fotografia e edição, Beto Perocini realizou o tratamento do som e Raphael Aguirra cuidou da trilha sonora. O curta também conta com os atores Stella Abreu, Cauã Carvalho e Maria Clara Rosis, todos atores da Escola Wolf Maya. 

"O poético filme possui uma mensagem de esperança que o mundo precisa e merece ser compartilhado, internet é para entreter e informar, mas também pode ser um instrumento de reflexão e emoção", descreveu Filipi. Clique aqui para ver o curta.

Comentário

Higor Abdala Costa Attene, Maykon Coutinho Coelho e Simão Raul receberiam R$ 10 mil cada pelo transporte de três toneladas de maconha para Campinas (SP). Os cabos sul-mato-grossenses foram presos, hoje, e podem ser expulsos do Exército Brasileiro.

O valor, conforme o jornal Folha de S. Paulo, seria pago de forma individual na entrega da carga, transportada em veículo militar. Esta estava distribuída em malas de viagem.

“Diante da gravidade do fato, que desonra a Instituição e atinge a nossa sociedade, os militares encontram-se presos e serão expulsos do Exército”, pontuou nota do Centro de Comunicação do Exército. Inquérito para apurar outras responsabilidades foi aberto.

Lotados no 20º Regimento de Cavalaria Blindado (20º RCB), em Campo Grande, os militares fardados surpreenderam investigadores da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) de São Paulo. Outras duas pessoas foram presas, além de quatro veículos e armas de fogo.

FLAGRANTE

Policiais faziam campana em estacionamento de empresa desativada na rodovia SP-101, entre Campinas e Monte Mor, quando foram surpreendidos pela saída de caminhão militar em alta velocidade. A investigação, de três meses, monitorava o tráfico de drogas na região de Campinas.

Houve troca de tiros, por volta da 1h40, antes de Higor Abdala e Maykon Coutinho se entregarem confessando transporte de maconha proveniente de Campo Grande. Já Simão Raul foi localizado ferido na paulista Cordeirópolis, de onde seguiu para a Santa Casa de Limeira e depois São Paulo.

Os cabos se utilizaram de pistola calibre 380, com numeração raspada, para atingir os policiais. Outros dois homens, responsáveis por buscar a droga, foram presos tentando fugir em uma Fiorino. Uma van também foi apreendida e a polícia ainda busca outros dois homens envolvidos no caso.

Comentário

As inscrições para as vagas remanescentes da edição deste segundo semestre do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) terminam amanhã (28).

O prazo vale para estudantes graduados e não-graduados que tenham sido pré–selecionados no processo regular e não tenham firmado o contrato de financiamento pelo Fies.

Os prazos de inscrição vão até 2 dezembro e variam de acordo com a condição do estudante. Confira abaixo:

- De 22 a 28 de agosto — Estudante não graduado, pré–selecionado no processo seletivo regular do Fies 2º/2016 e que não tenha firmado contrato de financiamento;
- De 26 a 28 de agosto — Estudante graduado, pré–selecionado no processo seletivo regular do Fies 2º/2016 e que não tenha firmado o contrato de financiamento;
- De 29 de agosto a 5 de setembro — Estudante não graduado e que ainda não está matriculado;
- De 2 a 5 de setembro — Estudante graduado e que ainda não está matriculado;
- De 29 de agosto a 2 de dezembro — Estudante não graduado e que já está matriculado;
- De 2 de setembro a 2 de dezembro — Estudante graduado e que já está matriculado.

Segundo o Ministério da Educação, a iniciativa de oferecer as vagas remanescentes é inédita e visa a preencher 28 mil vagas que não foram ocupadas no processo regular.

A inscrição é gratuita e feita exclusivamente pela internet, na página do FiesSeleção. Em seguida, o estudante deve acessar o Sistema Informatizado do Fies e concluir sua inscrição em dois dias úteis subsequentes.

Podem concorrer às vagas remanescentes os estudantes que tenham feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2010, com média geral mínima de 450 pontos e nota na redação que não seja zero. É necessário comprovar ainda renda familiar mensal bruta de até três salários mínimos.

O Fies é o programa do Ministério da Educação que financia cursos superiores em instituições privadas com avaliação positiva no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes). No total, nesta edição, foram ofertadas 75 mil vagas.

O programa oferece financiamento a uma taxa efetiva de juros de 6,5% ao ano. O percentual do custeio é definido de acordo com o comprometimento da renda familiar mensal bruta per capita do estudante.

Comentário

Começou com meia hora de atraso o terceiro dia de julgamento da presidenta afastada, Dilma Rousseff.

O sábado será dedicado a ouvir os dois últimos indicados pela defesa da presidente afastada, o ex-ministro da Fazenda Nelson Barbosa e o professor de direito da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) Ricardo Lodi Ribeiro.

Lodi Ribeiro será ouvido na condição de informante, a pedido do advogado de Dilma, José Eduardo Cardozo. Ele atuou assistente de perícia no processo e por isso foi relacionado pelo defensor.

Barbosa, que deve protagonizar a participação mais longa do dia, já começou a responder as perguntas de senadores, sendo o primeiro deles o senador Paulo Paim (PT-RS).

Apesar do acordo firmado ontem (26), para que parlamentares favoráveis ao impeachment não se inscrevam para inquirir as testemunhas da defesa, alguns deles constam na lista, como os tucanos Ricardo Ferraço (ES) e Lúcia Vânia (GO).

Como hoje haverá apenas duas oitivas, os senadores acreditam que a sessão será mais rápida, com término previsto para no máximo, até o fim da tarde.

Já os contrários ao afastamento definitivo de Dilma devem se inscrever em peso para fazer perguntas com objetivo de reforçar argumentos de que ela não cometeu crime de responsabilidade.

TESTEMUNHAS

Nos dois primeiros dias de julgamento – quinta e sexta-feira – cinco dos sete nomes indicados pela defesa e acusação foram ouvidos.

Só ontem (26) foram quase 14 horas de sessão e por sugestão de José Eduardo Cardozo o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, que preside a sessão, decidiu finalizar a fase de oitivas neste sábado.

DILMA

A segunda-feira (29) promete ser um dia movimentado, já que será todo dedicado a ouvir a presidenta afastada Dilma Rousseff, que virá pessoalmente ao Senado. Além de apresentar sua defesa, ela responderá a perguntas dos senadores.

ASSISTA AO VIVO

Comentário

“Um profissional não se forma apenas para uma sociedade, e sim para um mundo inteiro”. É o que afirma Jimmy Pierre, de 34 anos, aluno do Mestrado em Educação, oferecido pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), na unidade de Paranaíba. Ele é o primeiro aluno estrangeiro a ingressar na universidade por meio de um programa da Organização dos Estados Americanos (OEA) e a defender uma dissertação de Mestrado.

O estudante, que é de Porto Príncipe, no Haiti, ingressou no Programa de Pós-graduação em agosto de 2014. Em seu trabalho, Jimmy estuda o desenvolvimento humano na proposta educacional do Haiti, analisada a partir do enfoque Histórico-Cultural. A defesa está marcada para as 9h deste sábado, na unidade da UEMS em Paranaíba.

“Por meio desse Mestrado, dessa oportunidade que eu tive de fazer aqui na UEMS, eu consegui outra visão a respeito do desenvolvimento humano, da educação, dos valores morais, sociais e políticos”, afirma.

A professora doutora Maria Silvia Rosa Santana, orientadora de Jimmy, afirma que o trabalho foi um grande desafio, tanto para ela, quanto para o aluno. “Para mim por ser um objeto de estudo que diz respeito a outro país, para Jimmy pela questão da língua. A dissertação dele foi escrita toda em português”, conta.

Jimmy lembra que quando chegou em Paranaíba falava apenas francês, inglês e espanhol. “Eu tive que aprender português. Foi um pouco difícil no início, mas depois recebi muita ajuda de professores e colegas”.

Para a orientadora, a experiência com o acadêmico haitiano foi muita rica. “A vinda do Jimmy para a UEMS foi muito boa, em todos os sentidos. Um estrangeiro, com outra experiência de vida, de formação, de aprendizado. Foi uma partilha muito importante para todos nós, alunos e acadêmicos de Paranaíba”, afirma Maria.

Jimmy formou-se na graduação na Escola Internacional de Educação Física e Esporte, localizada em San José de las Lajas, em Cuba. No Brasil, conheceu universidades em diversas cidades como São Paulo, Brasília, além das cidades de Mato Grosso do Sul, como Campo Grande e Dourados. 

A assessora de relações internacionais da UEMS (ARELIN), Silvana Moretti, lembra que Jimmy conseguiu a vaga em um processo seletivo com 157 candidatos. “Ele se esforçou muito. Durante o mestrado, ensinou francês e inglês para a comunidade. Jimmy é o exemplo de que esse convênio com países da América Central e América do Sul, além do México, é extremamente positivo”.

Ainda segundo a assessora, atualmente, outros dois alunos que ingressaram na UEMS por meio desse programa, um da Guatemala e outro da Colômbia, estudam nas unidades de Dourados e de Campo Grande.

“Esses alunos levam o nome da UEMS para fora do Brasil e fortalecem o processo de internacionalização. Por meio destes programas, a universidade começa a ter visibilidade. A internacionalização é um processo novo dentro das universidades, é um processo que não tem volta”, explica Silvana.

"Eu agradeço muito a UEMS, a Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundect) que também me ajudou, a OEA e ao grupo Coimbra. Tudo o que eu aprendi foi graças a essa oportunidade, que vou levar por toda a vida", diz o estudante. Sobre o futuro, Jimmy conta que pretende fazer Doutorado em um país da América do Norte, como o Canadá, ou da Europa.

Convênios

Atualmente, a UEMS participa de dois programas para receber alunos estrangeiros no Brasil, o Programa de Estudantes - Convênio de Pós-Graduação (PEC-PG) e o Programa de Alianças para a Educação e a Capacitação (PAEC), oferecido por meio da OEA e do Grupo Coimbra.

O PEC-PG é uma ação do Ministério das Relações Internacionais, em parceria com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) que oferece bolsas de Doutorado pleno, em universidades brasileiras, a professores universitários, pesquisadores, profissionais e graduados do ensino superior dos países em desenvolvimento com os quais o Brasil mantém Acordo de Cooperação Educacional, Cultural ou de Ciência e Tecnologia.

O PAEC, oferecido pela OEA e pelo Grupo Coimbra, oferece bolsas para realização de cursos completos de pós-graduação stricto sensu, mestrados e doutorados. Seu principal objetivo é contribuir com a integração e o fortalecimento regional das Américas, por meio da qualificação de profissionais, principalmente daqueles oriundos de países de baixo nível de desenvolvimento humano.

Comentário

O Sindicato Rural de Três Lagoas em parceria com o SENAR/MS, quinta-feira, 25 de agosto, o Curso de Fabricação Caseira de Derivados do Leite. A qualificação teve carga horária de 24 horas e participação de 12 alunas, sobre a instrução de Vera Lúcia Almeida.

Os objetivos do curso foram para apresentar técnicas para a obtenção, processamento e aproveitamento do leite, desde as suas características até a produção de alimentos com o soro.

De acordo com a instrutora, as participantes aprenderam a trabalhar com o leite de todas as formas, aproveitando inclusive o soro. “ Produzimos ricota, suco do soro, queijo minas e frescal, queijo mussarela, iogurte, doce de leite cremoso e de corte, entre outras coisas” explica Vera.

Apesar do leite estar presente na alimentação diária da maioria da população, muita gente ainda não sabe das inúmeras receitas que se pode fazer com um produto tão acessível.

“Fiquei surpreendida ao descobrir que existem tantas possibilidades de receitas com o leite. O queijo mesmo. Eu não sabia fazer, mas agora eu não vou comprar mais, eu mesmo vou produzir”, disse a participante Ione Lima.

Além da troca de conhecimentos, os cursos oferecidos pelo Sindicato conseguem ir além. Muitas das participantes criam vínculos de amizades com as companheiras dos cursos. Nesse por exemplo, a interação instrutor e aluno foi tão agradável, que a alunas fizeram uma festa surpresa para comemorar mais um ano de vida da professora.

Esses resultados e momentos agradáveis, que fazem da parceria entre o Sindicato Rural e SENAR/MS, uma contribuição social que gera frutos não só para as participantes, mas para toda a comunidade de Três Lagoas e região. O nosso agradecimento, e parabéns alunas e em especial Instrutora Vera Lúcia.

Começa ontem (26) a propaganda eleitoral gratuita dos candidatos que concorrem aos cargos de prefeito e vereador nas eleições 2016 em todo o país, e se estende até o dia 29 de setembro.

Neste ano a propaganda do rádio e televisão será mais curta, reduzida para 35 dias, dez a menos do que no passado. Para as Eleições de 2016, os blocos serão transmitidos em dois períodos diários de 10 minutos cada, de segunda-feira a sábado, somente para candidatos a prefeito. No rádio, das 7h às 7h10 e 12h às 12h10. Na TV, de 13h às 13h10 e de 20h30 às 20h40. Já as inserções serão veiculadas em tempos de 30 e 60 segundos para prefeito e vereador, todos os dias da semana, distribuídos ao longo da programação, das 5h à 0h, em um total de 70 minutos diários. 

Se tiver segundo turno, as emissoras divulgarão a propaganda eleitoral gratuita todos os dias da semana, em dois períodos diários de 20 minutos, da seguinte forma: no rádio, às 07h00 e às 12h00; na televisão, às 13h00 e às 20h30. 

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), para a divisão do tempo, é observado o seguinte critério: 90% são distribuídos proporcionalmente ao número de representantes que o partido tenha na Câmara dos Deputados no dia 15 de agosto de 2016; os outros 10% devem ser distribuídos igualitariamente.

Ainda de acordo com o TSE, é vedada a propaganda eleitoral por meio de outdoors, independentemente do local, sujeitando-se a empresa responsável, os partidos, as coligações e os candidatos às penalidades cabíveis (retirada imediata e pagamento de multa). Incluem-se na vedação os outdoors eletrônicos e demais engenhos, equipamentos publicitários ou conjunto de peças de propaganda que justapostas se assemelhem ou causem efeito visual de outdoor.

São 263 candidatos a vereador em Dourados, apurou o site (94 FM de Dourados.

Comentário

Após ouvir cinco depoimentos, o julgamento final do processo de impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff entra no seu terceiro dia com os depoimentos do ex-ministro da Fazenda Nelson Barbosa e do professor de direito da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) Ricardo Lodi Ribeiro.

Os dois falarão em defesa de Dilma; Barbosa como testemunha e Lodi Ribeiro como informante. Os depoimentos tem início previsto para as 10h. O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, que preside o julgamento, acatou pedido de senadores contrários ao impeachment e aceitou o horário com a condição de que não haja pausa nos depoimentos para almoço, como ocorreu nos dias anteriores.

Ontem (25), foram ouvidos o economista Luiz Gonzaga Belluzzo, o professor de direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Geraldo Luiz Mascarenhas Prado e o ex-secretário-executivo do Ministério da Educação Luiz Cláudio Costa. Antes, na quinta-feira, foram colhidos os depoimentos do procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Júlio Marcelo de Oliveira e o auditor do Tribunal de Contas da União (TCU) Antônio Carlos Costa D'Ávila Carvalho.

Uma das testemunhas de defesa, a ex-secretária de Orçamento Esther Dweck, foi dispensada pela defesa, após polêmica em torno da suspeição do procurador Júlio Marcelo, que de testemunha depôs como informante, depois que o advogado de defesa, José Eduardo Cardozo questionou a participação de Júlio Marcelo em uma manifestação pela rejeição das contas de Dilma, logo no primeiro dia.

No segundo dia do julgamento, a advogada de acusação Janaína Paschoal, que também é uma das autoras da denúncia que motivou o processo contra Dilma Rousseff, colocou em suspeição a ex-secretária de Orçamento sob o argumento de que a mesma foi nomeada assessora “por uma parlamentar que é uma das mais ferrenhas defensoras de Dilma”, no caso, a senadora Gleisi Hoffmann.

Bate boca

Os dois primeiros dias foram marcados por bate bocas e acusações entre senadores. Logo no início da sessão, a confusão começou quando a senadora Gleisi Hoffman (PT-PR) afirmou que nenhum senador ali presente tinha condições morais para julgar o afastamento permanente de Dilma.

“Aqui não tem ninguém com condições para julgar ninguém. Qual a moral do Senado para julgar uma presidente da República?”, disse. A declaração foi interrompida pela manifestação indignada de outros senadores longe do microfone, entre eles, Ronaldo Caiado (DEM-GO), que rebateu dizendo que a senadora é investigada pela Polícia Federal. Gleisi respondeu acusando: “o senhor é do trabalho escravo”, disse ao microfone. O bate-boca fez com que Lewandowski suspendesse a sessão.

As discussões se repretiram no segundo dia. O primeiro bate-boca começou quando o senador petista Lindbergh Farias (RJ) pediu a palavra e atacou o democrata Ronaldo Caiado (GO) que lhe antecedeceu. "Esse senador que me antecedeu é um desqualificado. O que ele fez com a senadora Gleisi é de covardia impressionante, dizer que tentou aliciar testemunha", afirmou o petista

Em seguida foi a vez do presidente do senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). O peemedebista começou pedindo para que os senadores reduzissem as questões de ordem repetidas, mas esquentou o clima ao lembrar da declaração de ontem, feita pela senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) que provocou o primeiro grande tumulto do dia. “Esta sessão é uma demonstração de que a burrice é infinita. A senadora Gleisi chegou ao cúmulo de dizer que o Senado não tem condição moral de julgar a presidente”, afirmou.

Esquentando ainda mais o ambiente e provocando a reação imediata de petistas, Renan lembrou que Gleisi e o marido, o ex-ministro das Comunicações do governo Dilma, Paulo Bernardo, foram indiciados por corrupção passiva na Operação Lava Jato e disse ter intercedido a favor deles. Os dois são acusados de receber propina de contratos oriundos da Petrobras.

"Como uma senadora pode fazer uma declaração dessa? Exatamente, senhor Presidente, uma senadora que, há 30 dias, o Presidente do Senado Federal conseguiu, no Supremo Tribunal Federal, desfazer o seu indiciamento e do seu esposo", disse Renan.

Gleisi foi em direção a Renan afirmando ser mentira, apoiada pelo senador Lindbergh que gritava "baixaria" e que acabou sendo empurrado por Renan.

Dilma e Lula

Após o encerramento das oitivas das testemunhas, o julgamento final do impeachment terá, na segunda-feira (29), o dia mais aguardado com a presença da presidenta afastada, Dilma Rousseff que enfrentará as perguntas dos senadores.

Dilma chegará acompanhada de ex-ministros, presidentes de partidos aliados, assessores diretos e pessoas próximas a ela, como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Devem comparecer, por exemplo, os ex-ministros Aloízio Mercadante, Jaques Wagner, Patrus Ananias e Miguel Rosseto, dentre outros. Também estarão presentes os presidentes do PT, Rui Falcão, do PCdoB, Luciana Santos, e do PDT, Carlos Lupi.

Para acomodar o grupo, Renan reservou a sala de audiências da presidência do Senado e uma sala anexa com banheiro. Segundo Renan, dentro do plenário, a presidenta terá o direito de ser acompanhada por 20 pessoas e o mesmo número deverá ser garantido aos advogados de acusação, que também deverão levar convidados.

“Serão 20 pessoas. Nós vamos comprimir os jornalistas, que servirão, na prática, de separação [entre os dois grupos] e garantiremos ao outro lado o mesmo número de vagas que já garantimos para a presidenta”, informou o senador.

As restrições de espaço no plenário preocupam a direção da Casa. Os convidados de Dilma e da acusação não serão os únicos. Deputados, ex-parlamentares e assessores parlamentares também têm acesso ao plenário, o que pode provocar a superlotação do local. A imprensa, inclusive internacional, também ocupa espaço em tribuna reservada. Profissionais de imagem têm ocupado as galerias.

Comentário

Recurso vai ampliar o acesso a atendimentos e qualificar serviços oferecidos em duas unidades de Campo Grande e Dourados. Neste ano, em todo o País, o Ministério da Saúde já disponibilizou R$ 305 milhões aos hospitais de ensino

O Ministério da Saúde liberou nesta semana R$ 3,2 milhões para os atendimentos realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em dois hospitais universitários federais de Campo Grande (MS) e Dourados (MS). Os recursos já estão disponíveis e podem ser utilizados para qualificação da assistência e aumento do acesso da população aos serviços oferecidos.

O recurso federal foi liberado por meio do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (REHUF). Desenvolvido desde 2010 em parceria com o Ministério da Educação e com a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), o REHUF já possibilitou investimento de aproximadamente R$ 3,5 bilhões nos hospitais universitários, somente por parte do Ministério da Saúde. Com isso, as universidades mantenedoras desses estabelecimentos ganham maior capacidade orçamentária para estimular a oferta de ensino, pesquisa e atendimento de qualidade. Neste ano, incluindo os recursos liberados nesta semana, já foram repassados R$ 305 milhões de REHUF aos hospitais universitários federais.

Aprovados em lei orçamentária, os valores são pagos pelo Ministério da Saúde, em parcela única, para as instituições universitárias que comprovaram o cumprimento das metas de qualidade relacionadas a porte e perfil de atendimento, capacidade de gestão, desenvolvimento de pesquisa e ensino e integração à rede do SUS. O crédito para as universidades foi garantido pela portaria 1.506/16, que consta no Diário Oficial da União. Os pagamentos são efetuados pelo Fundo Nacional de Saúde conforme a comprovação dos gastos.

De acordo com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, o montante vai permitir à população maior acesso aos serviços oferecidos pelas unidades, além da estruturação das atividades. “Hospitais universitários são locais de ensino e também realizam procedimentos hospitalares e ambulatoriais, ou seja, os recursos beneficiarão estudantes de saúde e fortalecerão o atendimento das populações locais”, destacou.

Em 2015, foram realizados mais de 23 milhões de atendimentos ambulatoriais e internações pelos hospitais universitários do país, resultando em um investimento de R$ 828,3 milhões do Ministério da Saúde para o custeio desses serviços.

REHUF – De 2010 a 2015, o Ministério da Saúde repassou mais de R$ 2,6 bilhões aos 51 hospitais universitários de todo o país inscritos no REHUF. No ano passado, foram mais R$ 344 milhões a esses estabelecimentos, além de outros R$ 1,4 bilhão de incentivos a essas unidades. Além de ser aplicado em pesquisas e na melhoria da qualidade da gestão e do atendimento, o REHUF também pode ser utilizado para reformas e aquisição de materiais médico-hospitalares, entre outras ações, conforme a necessidade e o planejamento da instituição. Os repasses liberados este ano já superam R$ 305 milhões.

LISTA REHUF

UF

MUNICÍPIO

UNIVERSIDADE

ESTABELECIMENTO

RECURSO R$

MS

Campo Grande

UFMS

Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian

2.198.493,85

MS

Dourados

UFGD

Hospital Universitário

1.071.937,36

TOTAL

 

 

 

3.270.431,21

Comentário

Página 1326 de 1432
  • unimed nova

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus