Timber by EMSIEN-3 LTD
  • cmd outubro rosa
Redação Douranews

Redação Douranews

O cosmonauta russo Alexei Leonov, o primeiro humano a caminhar no espaço em 1965, morreu nesta sexta-feira (11) aos 85 anos de idade após enfrentar uma longa doença, informou a agência de notícias russa TASS. O enterro deverá ser em Moscou na terça-feira (15), informou o Centro de Preparação de Cosmonautas.

Em 1965, Leonov foi o cosmonauta que caminhou do lado de fora da espaçonave. Ele fez um deslocamento de dois a três metros de distância ao longo 12 minutos e 9 segundos, de acordo com a agência de notícias Reuters. Leonov foi também o comandante da primeira missão espacial conjunta entre Rússia e Estados Unidos.

Comentário

A líder do governo no Congresso Nacional, deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), conversa com a cúpula nacional do Democratas sobre a possibilidade de se filiar ao partido. Um integrante do DEM ouvido pelo site Congresso em Foco disse que "essa hipótese existe".

O movimento acontece em meio à crise entre o PSL e o presidente Jair Bolsonaro. Joice não fez parte do grupo de 20 deputados que foram ao Palácio do Planalto na quarta-feira (9) entregar uma carta de apoio ao presidente da República e cobrar mudanças na sigla. A deputada de São Paulo busca viabilizar candidatura ao comando da capital paulista e enfrenta resistência no PSL.

"Ora, vou apoiar quem o PR [presidente da República] indicar, qualquer um que diga ter o apoio dele nesse momento está mentindo!", escreveu no Twitter o deputado estadual Gil Diniz (PSL-SP), que também quer ser candidato. O dirigente do DEM afirma que uma candidatura de Joice à Prefeitura de São Paulo pelo partido ainda precisaria passar pela condução do diretório paulista do DEM.

O DEM-SP é presidido pelo vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia. O governador João Doria (PSDB) apoia a reeleição de Bruno Covas (PSDB) na Prefeitura em 2020, de acordo com a publicação.

Comentário

O presidente Jair Bolsonaro informou nesta sexta-feira (11), através da conta pessoal que mantém no microblog Twitter, que o Governo vai dobrar o limite atual para compras em free shops. “Os brasileiros que voltam de viagens do exterior poderão comprar US$ 1 mil em produtos nos aeroportos – hoje, o limite é de US$ 500”, escreveu ele.

Os free shops ou duty free shops são lojas geralmente localizadas em salas de embarque e desembarque de aeroportos onde os produtos são vendidos sem encargos e tributos. De acordo com o presidente, o Ministério da Economia prepara decreto com a medida, a ser publicado nos próximos dias.

Ainda pelo Twitter, Bolsonaro também informou que a cota permitida para compras no Paraguai, via terrestre, vai mudar. Nesse caso, o governo vai ampliar de US$ 300 para US$ 500 o valor máximo por pessoa que cruza a fronteira em busca dos atrativos comercializados à título de exportação.

Comentário

Fernando Pires Malvino, de 48 anos, foi morto com golpe de enxada na cabeça após dizer a Delvizio Mendes Flores, de 21 anos, que queria ter relações sexuais com a irmã dele. O fato aconteceu no meio da madrugada desta sexta-feira (11) em um bar perto da casa dos dois, em um bairro de Corumbá. Flores foi preso em flagrante.

De acordo com a PM (Polícia Militar), o irmão de Delvizio ligou para o 190 informando sobre o crime e dizendo que o rapaz estava no local. Testemunhas contaram que viram quando a dupla estava bebendo momentos antes do ocorrido e depois só perceberam que Delvizio estava sentado em cima da vítima, e que o rapaz no solo tinha o rosto ensanguentado.

Delvízio Flores contou aos policiais, ao ser abordado, que estava bebendo perto de casa quando conheceu Fernando e o convidou para beber. Em determinado momento o homem teria perguntado sobre a irmã dele, dizendo que queria ter relações sexuais com ela. O autor disse que ficou nervoso com essa revelação e que pegou uma enxada e deu um golpe na cabeça de Fernando, que morreu no local.

Comentário

O trabalho realizado pelo Mestre Guerreiro, como é chamado o criador da Associação de Capoeira Baiana, em Dourados, Mario Alves dos Santos, será reconhecido, mais uma vez ao longo da trajetória de vida, com uma homenagem a ser prestada no evento que o clube Capoeira Cultura Quilombo vai realizar, dias 25 e 26 deste mês, durante o 1º. Encontro Estadual em Campo Grande.

Reconhecido nacionalmente como o mais antigo instrutor da modalidade em Mato Grosso do Sul, Mestre Guerreiro já detém, além de outros trinta títulos de valorização do trabalho profissional, o prêmio “Viva meu mestre”, oferecido durante evento do qual participou em Brasília, realizado pelo Iphan, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

Na Academia de Capoeira Baiana, que criou assim que chegou a Dourados, nos anos 80, Mestre Guerreiro dá aulas a pessoas de todas as idades, e atende ainda crianças e jovens carentes. Ele ensina técnicas de flexibilidade, coordenação motora, reflexo e equilíbrio, com aulas ministradas de segunda a quarta-feira, das 19h30 às 21 horas, na avenida Independência, 285, onde funciona a escola.

Comentário

Renato Gaúcho viu o Grêmio colar no G-6 do Brasileirão com a vitória por 2 a 1 sobre o Ceará, na última quarta-feira (9), no estádio Centenário, mas, o técnico desceu a Serra Gaúcha com um olhar de preocupação sobre o elenco que dispõe para a sequência do campeonato. Em alerta para evitar lesões, o treinador vai preservar peças pontuais contra o Atlético-MG no jogo de domingo (13), às 18 horas (de MS), no estádio Independência, pela 25ª rodada.

Dois atletas despertam atenção especial: Diego Tardelli e Léo Moura, ambos substituídos no segundo tempo em Caxias do Sul. Maicon também pode ser alvo de um descanso preventivo de olho também na decisão com o Flamengo pela semifinal da Libertadores. As preservações somadas às convocações de Everton, Matheus Henrique e do argentino Kannemann podem fazer o Tricolor ter time misto no Horto, sem seis titulares, conforme repercute o Globoesporte.com.

“Estamos preocupados com o jogo do fim de semana. (Eles) Sentiram a perna pesada, mas não têm lesão nenhuma. Léo está voltando, Tardelli correu bastante, a perna direita ele vem se queixando, é melhor tirar o jogador porque para ele ter um estiramento é muito rápido. É arriscado, por isso tirei”, disse Renato após a partida.

Comentário

Um artista plástico de 69 anos que foi condenado injustamente por estupro e chegou a ficar preso por 18 anos vai receber uma indenização de R$ 3 milhões do Estado. Eugênio Fiuza Queiroz ficou preso enquanto o verdadeiro estuprador, Pedro Meyer Ferreira Guimarães, estava solto. Somente em 2012, Pedro Meyer foi preso ao ser reconhecido pelas vítimas como verdadeiro autor dos crimes, em Minas Gerais.

O Estado terá de pagar uma indenização de R$ 2 milhões como indenização por dano moral e mais R$ 1 milhão por danos existenciais. Os valores deverão ser corrigidos monetariamente e os juros contados desde a data em que foi preso injustamente, em agosto de 1995. O artista plástico também receberá cinco salários mínimos mensais, como complementação de renda, publica o Correio Braziliense.

Eugênio foi preso e algemado em agosto de 1995, quando conversava com a namorada em uma praça do bairro Colégio Batista, em Belo Horizonte, sem mandado de prisão, sob a alegação de ter sido reconhecido por uma das vítimas de uma série de estupros ocorridos naquela época. Levado à delegacia, outras vítimas o apontaram como autor de outros estupros. Isso motivou o indiciamento e posterior condenação em cinco processos. Ele alegou ainda que confessou os crimes mediante tortura física e psicológica.

O homem condenado injustamente disse que chegou a pensar em se suicidar por ter sido submetido a diversas situações que o levaram à perda da honra, imagem e dignidade. Ele contou que perdeu o contato com a família, em especial com o filho. Descobriu, também, depois que saiu da prisão, que sua mãe e cinco de seus irmãos haviam morrido. Somente em 2012, após a prisão e o reconhecimento pelas vítimas do verdadeiro autor dos crimes, Pedro Meyer Ferreira Guimarães, é que o condenado injustamente conseguiu pedir a revisão criminal de suas cinco condenações e ver reconhecida sua inocência, conforme a publicação.

Comentário

Depois de ser nomeado para comandar a Superintendência do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) em Mato Grosso do Sul e ter a indicação revogada 24 horas depois, o historiador Eldo Elcídio Moro foi confirmado pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, para desempenhar a função de coordenador distrital de Saúde Indígena no Estado.

Moro era lotado no gabinete da ex-vice-governadora Rose Modesto, eleita a deputada federal mais votada de Mato Grosso do Sul pelo PSDB no período em ela comandou a Sedhast (Secretaria de Direitos Humanos e Ação Social) do Estado e vai substituir o indígena Fernando da Silva Souza, que ocupou a chefia da Sesai sob as bênçãos do deputado federal derrotado Geraldo Resende.

Reação

Após a escolha de Elcidio Moro para a pasta, o Movimento Indígena de Mato Grosso do Sul encaminhou carta aberta ao ministro Mandetta, onde considera que “o Sr. Élcio não tem em seu currículo nenhuma formação na área de saúde ou experiência com os povos indígenas” e cita que o ato de nomeação dele para substituir Fernando “traz grande prejuízo a população do estado, que hoje somam aproximadamente 80.000 indígenas”.

“Mandetta nomeou um historiador ligado ao governo de Bolsonaro, para gestar a saúde indígena em Mato Grosso do Sul, cargo que é do nosso grande companheiro de caminhada e de luta em defesa de uma saúde mais humana Fernando de Sousa. O movimento indígena de Mulheres Guarani e Kaiowá repudia a nomeação de um Bolsonarista para gestar a saúde indígena em MS. O ministro e o presidente soltou a raposa no galinheiro. Você não nos representa!”, reagiram também lideranças do movimento pelas redes sociais.

Comentário

O governo anunciou as regras para a emissão da carteira de trabalho digital. Esse documento substitui a carteira de papel. Entretanto, é recomendado que o trabalhador guarde o documento físico para comprovação dos vínculos empregatícios.

Os trabalhadores podem habilitar o documento pela internet, e, para as empresas que usam o eSocial, o registro de informações passa a ser feito digitalmente. No eSocial, as informações relativas aos trabalhadores, como vínculos, contribuições previdenciárias, folha de pagamento, comunicações de acidente de trabalho, aviso prévio e informações sobre o FGTS são comunicadas ao governo de forma unificada.

De acordo com o Ministério da Economia, ao ser contratado, o novo empregado não precisará mais apresentar a carteira em papel. Bastará informar o número do CPF ao empregador e o registro será realizado diretamente de forma digital. Com a habilitação da carteira digital, todas as informações sobre a contratação do trabalhador passarão a ser lançadas no documento digital. Segundo o Ministério, com a publicação das regras, as empresas que usam o eSocial não precisarão mais fazer anotações na carteira de papel nem mesmo preencher a carteira digital. Isso porque as informações lançadas no sistema do eSocial migrarão automaticamente para a carteira digital.

Quando contratar um novo funcionário, o empregador vai precisar lançar os dados no eSocial. Antes de o trabalhador começar no novo emprego, a empresa deverá enviar pelo eSocial o evento S-2200 (Cadastramento Inicial do Vínculo e Admissão/Ingresso de Trabalhador). Se ainda não tiver todos os dados, poderá enviar imediatamente o evento S-2190 (Admissão Preliminar), que possui informações simplificadas. Mas, depois, será preciso complementar os demais dados com o evento S-2200. Segundo o governo, o envio dessas informações ao eSocial terá valor de assinatura de carteira.

O trabalhador poderá acompanhar todas as anotações pelo aplicativo Carteira de Trabalho Digital (CTPS Digital) ou pelo site www.gov.br/trabalho. A carteira de trabalho digital não será aceita para identificação civil, ela terá validade apenas como documento para fins de acompanhamento do contrato de trabalho.

Comentário

O primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed Ali, ganhou o Nobel da Paz 2019 pela iniciativa decisiva para resolver o conflito de fronteira com a vizinha Eritreia, no leste da África. O anúncio do 100º Prêmio Nobel da Paz foi feito na manhã desta sexta-feira (11), em Oslo, na Noruega. Em estreita cooperação com o presidente da Eritreia, Isaias Afwerki, o premiê de 43 anos rapidamente elaborou os princípios de um acordo para acabar com o longo impasse "sem paz, sem guerra" entre a Etiópia e a Eritreia. O tratado colocou fim a 20 anos de conflito entre os dois países.

"O Comitê Nobel espera que o prêmio da Paz reforce o primeiro-ministro Abiy em seu trabalho a favor da paz e da reconciliação. É um reconhecimento e também um estímulo a seus esforços. Somos conscientes de que resta muito por fazer", afirmou a presidente do Comitê Norueguês do Nobel, Berit Reiss-Andersen.

Como primeiro-ministro, Abiy Ahmed "procurou promover a reconciliação, a solidariedade e a justiça social". Ele iniciou importantes reformas que "dão a muitos cidadãos a esperança de uma vida melhor e de um futuro melhor".

O Comitê do Nobel também reconhece com esse prêmio todos que trabalham pela paz e reconciliação na Etiópia e nas regiões leste e nordeste da África. O trabalho do presidente da Eritreia, Issaias Afworki, foi destacado. "A paz não é alcançada apenas com as ações de uma única pessoa. Quando o primeiro-ministro Abiy estendeu a mão, o presidente Afwerki aceitou e ajudou a dar forma ao processo de paz entre os dois países", afirmou o comitê.

Comentário

Página 11 de 1463

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus