Timber by EMSIEN-3 LTD
Quinta, 13 Janeiro 2011 08:56

Banco Mundial prevê que América Latina crescerá 4% em 2011

Escrito por Redação Douranews/ com ig

O BM (Banco Mundial) divulgou nesta quarta-feira (12) a previsão de que o crescimento na América Latina rondará os 4% em 2011 e 2012, e alertou que apesar das boas perspectivas da região existem riscos, como o da valorização das divisas.

O BM, que publicou nesta quarta o relatório atualizado "Perspectivas Econômicas Globais" com suas últimas previsões de crescimento para a economia mundial, previra em junho que a América Latina cresceria 4,1% este ano e 4,2% em 2012.

O estudo destaca que a região da América Latina e Caribe saiu da crise "mais rápido que o esperado", demonstrando que sua capacidade para superar percalços econômicos temporários é muito superior à do passado.

Ainda assim, a zona não está isenta de riscos.

Um dos desafios "primordiais" é fazer frente ao desembarque de fluxos de capitais e ao efeito "desestabilizador" que estes podem ter sobre as taxas de câmbio, competitividade externa e valor dos ativos.

O BM destaca que no caso dos países exportadores de matérias-primas, as medidas de estímulo nos países desenvolvidos podem de fato traduzir-se em fluxos de capital ainda maiores.

"Embora para muitos países os fluxos tenham sido positivos, ajudando a estimular investimentos produtivos, em outros, sobretudo no Brasil, contribuíram para o auge do crédito, que aumentou rapidamente as importações e o valor dos ativos", destaca a análise.

O organismo multilateral aponta, por outro lado, que os atrasos no momento de retirar as medidas de estímulo poderiam estar contribuindo para respaldar um crescimento "insustentável".

O estudo ressalta que os elevados preços das matérias-primas impulsionaram as exportações, o que, somado ao fácil acesso ao crédito, alimentou a demanda doméstica.

O risco em uma situação deste tipo é que o crescimento global seja inferior ao previsto e que os lucros acumulados na região se revertam rapidamente, indicou o BM.

O México e os países importadores de matérias-primas da América Central e Caribe, fortemente dependentes do turismo e das remessas, seguem "particularmente vulneráveis".

Por outro lado, o relatório lembra que a preocupação pela dívida soberana europeia voltou a intensificar-se, o que poderia afetar a região.

"A América Latina tem estreitos vínculos financeiros e comerciais tanto com a Espanha como com Portugal e poderia se ver exposta a repercussões significativas se as condições seguirem deteriorando-se de forma acentuada", destacou o BM.

O relatório especifica que, por enquanto, esses riscos não se materializaram, e aponta que de fato os bancos espanhóis e portugueses expandiram seus negócios na região atraídos por suas boas previsões de crescimento.

Na América Latina, Chile e Peru se destacam com taxas de crescimento que devem ser superiores a 5% em 2011 e 2012.

Brasil, Argentina e Uruguai também estão entre os países com bom desempenho, com crescimento previsto para mais de 4%.

O relatório apresentado nesta quarta prevê que a economia mundial crescerá 3,3% este ano e 3,6% em 2012, impulsionada pelos países em desenvolvimento.

Segundo as projeções do organismo, os países em desenvolvimento crescerão 6% este ano e 6,1% em 2012, contra 2,4% e 2,7% dos países desenvolvidos, respectivamente.

"É a história de dois mundos diferentes", afirmou o economista do BM Hans Timmer durante a entrevista coletiva para a apresentação do relatório.

O Tempo Agora

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus