Timber by EMSIEN-3 LTD
Manoel Afonso

Manoel Afonso

PREFEITOS Gosto de conversar com eles. São iguais no relato dos percalços que enfrentam em 2 pontos: a falta de dinheiro e a dificuldade de atender as exigências do Ministério Público Estadual que até paralisa a gestão com ações judiciais. Lenga lenga de se confundir dolo, má fé ou improbidade do prefeito com simples equívoco por motivo justificável. Promete repercutir a iniciativa da Ordem dos Advogados do Brasil em postar no Supremo Tribunal Federal ação direta de inconstitucionalidade justamente para limitar os poderes dos Promotores de Justiça na proposição de ação de improbidade administrativa contra prefeitos e governadores. E quem será a ‘estrela da vez’ no STF?

‘DATA VENIA’ o exercício do cargo de prefeito é espinhoso por fatores diversos. As lamúrias de ex-prefeitos e de atuais gestores comprovam que as dores são infinitamente maiores que os prazeres. Mas por vaidade, camuflada no falso argumento do ‘sacrifício pessoal’ em benefício do povo ou em atendimento ao chamado de ‘companheiros ou do grupo’, eles assumem essa operação de risco. Alguns deles reclamam da intromissão exagerada dos Promotores de Justiça que ignoram a realidade do município e atentam apenas para o texto frio da lei. Recentemente um prefeito do interior lamentou ao cronista: “desse jeito terei que colocar uma mesa para o promotor na minha sala”.

OPINIÃO do leitor sobre o pacote anticrime: “...Limitando em 6 anos a permanência dos líderes das ‘facções’ no mesmo presídio e vigorando o sistema de rodízio deles entre prisões federais, enfraqueceria essas organizações....Os condenados no tribunal do júri começariam a cumprir a pena de imediato como ocorre nos ‘States’....As audiências criminais seriam mais rápidas, menos burocráticas, diminuindo a análise de processos por anos a fio....Os criminosos habituais, condenados várias vezes por roubo, furto e tráfico de drogas começariam a cumprir a pena em regime fechado, ao contrário de hoje em liberdade porque não foram condenados em todas as instâncias...”

A MISSÃO Como a família está despedaçada, desestruturada, a função do Conselheiro Tutelar é importante, exigindo dele boa formação moral e cultural, além de afinidade, vocação no trato de situações delicadas que envolvem seres humanos. O cargo também exige disponibilidade. Após ler o regulamento de seleção dos candidatos, entendo que os mesmos deveriam também passar por um vestibular em substituição ao sistema atual de eleições diretas. Há o envolvimento de políticos a favor de candidatos no pleito. Isso é ruim; não se confunde popularidade com qualificação. Conselheiro Tutelar não pode ficar devendo favores a políticos para depois retribuir como seu cabo eleitoral.

FIM DA PICADA Engraçado como a política interfere em tudo. Até na escolha do Premio Nobel de Literatura e da Paz. Até ontem o indicado seria o ex-presidente Lula (PT) porque ‘ele acabou com a fome’ no Brasil. Agora é o cacique Raoni. Outro nome ventilado é da garota sueca Greta Thunbeg que criticou as queimadas da Amazônia. Só para lembrar (e espantar!) de outras figuras que chegaram a ser indicadas ao Nobel da Paz: Hitler, Lenin e Mussolini. Enquanto isso os vizinhos argentinos ganharam 2 Nobel da Paz (1936 e 1980), e Nobel da Medicina em 1947 e 1984, além de Nobel de Química em 1970. Os argentinos são pedantes até, mas nesta área ficamos nanicos perto deles.

METAMORFOSE Ouço e gosto das opiniões da minha empregada doméstica sobre certos assuntos. Ao longo de 15 anos percebo como ela aprimorou pensamento e sua postura. Traduz com fidelidade aquilo que capta no universo que frequenta, no bairro, na vizinhança, salão de beleza, no rádio, no celular e na TV. Engana-se quem imaginar que pessoas de extrato social mais baixo não tenham o senso de observação, análise dos personagens e fatos do dia a dia, independentemente da posição social. As conclusões simplistas; calcadas no bom senso e na moral. Enfim, não há mais inocentes. Todos sabem de tudo! A internet desnudou o mundo. É o fim do monopólio da notícia.

‘MAIORIA SILENCIOSA’ Em Abril de 2018 falei aqui dos perigos deste fenômeno constatado nas pesquisas eleitorais. As previsões acertaram na mosca! Aliás, esse fenômeno continua existindo como percebo na cabeça de minha funcionária. Aí cito o crítico Luciano Meira: “ Estamos vivendo dias de grandes controvérsias. A cada momento somos surpreendidos por algo maléfico que nos deixam indignados num primeiro momento e depois nos escandalizam pela falta de punição. Os escândalos de corrupção dos políticos são presenças diárias nos meios de comunicação. A banalização dessas cenas mostra como o ser político tornou-se vulgar devido a desonestidade”.

1-LAMENTOS Sobre a criação do nosso Estado, todos os anos, ouço críticas. Uma delas é que não fomos bons negociadores também na questão dos limites. Sedentos pelo poder do futuro Estado nossos políticos, afobados, não insistiram numa área maior. A proposta inicial junto ao Planalto era ter o rio São Lourenço como o principal marco divisório. Se isso tivesse ocorrido as terras de Alto Taquari, Alto Garças, Alto Araguaia, Itiquira, Pedra Preta e São José do Povo estariam no MS. Mas nossas lideranças fracas, não conseguiram benefícios com as compensações fiscais. Consolo: “Ficamos com o tereré, a chipa e o chamamé”. Tido como ‘patinho feio’, Mato Grosso virou ‘cisne’.

2-LAMENTOS Mesmo antes da criação do Estado a disputa pelo núcleo do poder era notória. A vaidade oceânica não poupou nenhuma liderança. O ranço dos dois velhos grupos oriundos da UDN (União Democrática Nacional) e do PSD (Partido Social Democrático) aflorou. A nomeação de Harry Amorim para o Governo foi um balde de água fria. Mas a fritura dele foi rápida e desastrosa sob o ponto de vista administrativo. Os políticos passaram a guerrear em Brasília em episódios desgastantes. Passados tantos anos é preciso reconhecer que cada grupo político teve sua parcela de culpa pelos resultados. Agora, adequar o Estado à realidade econômica é o único caminho.

RABOS PRESOS As barbaridades que o ex-ministro Antonio Palocci está contando em sua delação e que envolvem o presidente Lula (PT) e tanta gente graúda que mamou nas tetas do Governo Petista, simplesmente estão sendo ignoradas pela chamada grande imprensa (vingando o corte de verbas do Governo Federal). O mais grave é a postura sacana, parcial, da Ordem dos Advogados do Brasil (que não me representa há tempos), do Senado, Câmara Federal, Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e outras entidades ligados a esquerda. A Globo por exemplo, passa longe do assunto. Até o papudo e machão ex-ministro Ciro Gomes (PDT) continua na moita. Ah! - já entendi!

PODE ISSO, ARNALDO? Confidente de Lula, Palocci revelou à Polícia Federal que Guido Mantega (ex-ministro) articulou em 2009 a demissão de Henrique Meireles da presidência do Banco Central para que ele não atrapalhasse a venda de informações privilegiadas. Dizia que para “viabilizar” a campanha de Dilma precisaria de alguém na chefia do BC “ajudando” o PT. O nome - Luiz Gonzaga Belluzzo e o BTG, que era o banco destinatário das informações preciosas. O ‘melhor’, Lula levaria 10% dos lucros do BTG, como a alta da Taxa Selic. ‘Nosso’ José Carlos Bumlai participando dessa tramoia. Daí que o roubo do PT foi além do faqueiro e de outros objetos do Palácio do Planalto.

SÉRGIO HARFOUCHE Falamos de tudo um pouco na FM Cidade. O Promotor de Justiça defende o ‘Pacote Anticrime’ e mudanças na eleição dos Conselheiros Tutelares; criticou a ideia de se criar um período de quarentena aos ex-integrantes do Ministério Público para disputa de cargos eletivos. Com base no parecer favorável da Procuradoria Geral de Justiça ele entende reunir condições de disputar as eleições de 2020 porque ingressou no Ministério Público Estadual em 1992, enquanto a lei que dispõe sobre isso é posterior a essa data. Apesar de convite do ‘Avante’ para se filiar - está em fase de reflexão embora tenha tido mais de 163 mil votos ao Senado em Campo Grande.

PREOCUPA! Estamos em Outubro e pouca coisa relevante tem acontecido que pudesse destravar a economia do país. Nossos congressistas primam pela ironia, como se vivessem na Califórnia. Cada uma de suas excelências cuidando de seu quadrado (leia-se curral eleitoral 2020). Não é difícil avaliar a quantas anda a situação econômica em sua rua, bairro e cidade. As placas de aluguel e venda nem atraem mais a atenção. Cada cidadão cortando até onde pode em nome da sobrevivência. Em poucos dias veremos o Papai Noel com aquele sorriso (sorrindo de nós) e aí teremos engolido mais um ano de apenas esperança no país de ‘eterno futuro’.

INCOERÊNCIA Embora única, a chapa eleita do MDB nacional é a ‘Renovação Democrática’. Mas vejam: O deputado Baleia Rossi é filho do ex-ministro Wagner Rossi; o deputado Daniel Vilela é filho do ex-senador Maguito Vilela; o deputado Newton Cardoso Filho é primogênito do ex-governador Newton Cardoso. Já o deputado Confuncio Moura está no 7º mandato; o deputado Washington Reis tem mandato desde 1998; o senador Marcelo Castro tem mandato desde 1991 e o deputado Raul Henry é parlamentar desde 2002. Seus ex-presidentes: Romero Jucá e Michel Temer. Um partido que mesmo sofrendo do ‘Mal de Parkinson’ não quer largar o osso!

SORTE CONTA Também na vida pública conta o fator sorte. Às vezes a competência perde para a inabilidade e falta de vocação. Acompanho a trajetória do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) desde a Assembleia Legislativa. Sua marca registrada é a timidez, mas superada pela coragem e pragmatismo. Eleito e reeleito contra a vontade de velhos caciques - surfa nas ondas bravias da recessão e da instabilidade política. Impressionante: em todas as crises sempre aparece uma boia salva vidas. A última é essa notícia do dinheiro do ‘Pré Sal’ que virá para o Estado em boa hora. Pelo visto quem andou apostando em desgraças ou algo semelhante cairá literalmente do cavalo.

Comentário

POLÍTICA & POLÍCIA Operação policial lembra campanha eleitoral: sabe-se como começa, mas não se sabe como termina. O recente episódio com prisões e o explosivo material divulgado pela mídia proporciona ao cidadão comum a oportunidade de um mergulho (de média profundidade) no universo social, econômico e político da cidade de quase 1 milhão de habitantes. Dele resulta em sua grande maioria, conclusões homogêneas, independentemente do perfil do observador. Os respingos notórios, mas só o tempo dirá as outras consequências eleitorais do episódio ‘made in Chicago’. Como no trânsito – respeitar os sinais é preciso. Eu paro logo no amarelo.

VERGONHA! A Federação dos Trabalhadores em Educação do MS continua rançosa e à serviço do PT. Apesar dos moradores do Jardim Anache e Los Ângeles apoiarem maçicamente a adesão de suas duas escolas ao Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares, a entidade incentiva e apoia greve dos professores em prejuízo aos alunos como protesto a essa medida salutar. Ora, são duas regiões carentes e vulneráveis à violência! Escolas com gestão mais disciplinadoras serão benéficas na formação cultural e social dos alunos. Mas, a população sabe qual o lado político da Fetems e na última eleição na capital o partido (PT) da entidade elegeu só um vereador na capital.

REGISTRO O Instituto Brasileiro de Pesquisa fez, a pedido do jornal Correio do MS, em Campo Grande – entre 12 e 22 de setembro – pesquisa eleitoral para a prefeitura da capital com os resultados já divulgados. Paralelamente realizou pesquisa para saber quais os 10 jornalistas e colunistas de maior credibilidade na nossa capital. Nosso nome aparece na liderança com 40,07% dos 1.400 entrevistados acima de 16 anos de idade nas 7 regiões urbanas. 21,35% dos pesquisados não responderam, não souberam ou citaram outros profissionais. Consciente do nível do nosso trabalho há vários anos em mais de 40 sites na capital e interior – na TVMS Record e FM Cidade de Campo Grande – estamos honrados com essa distinção. Incentivo gratificante.

À ESQUERDA Depois da ‘Carta de Puebla’ a Igreja Católica fez ‘opção pelos pobres’ e pelas doutrinas socialistas. Mas os escândalos de pedofilia não foram suficientes para uma mudança de postura. Ela insiste em ser a guardiã exclusiva da entrada do Paraíso. Ainda há pouco o Vaticano emitiu sinais de apoio as críticas europeias sobre a questão da Amazônia. Século novo e a ‘Santa Madre’ é a mesma; ‘avermelhou’. No Brasil, a exemplo do resto da América Latina ela vai perdendo espaço para outras seitas que inclusive aumentaram a representação política. O atual Sumo Pontífice – após um início esperançoso, aquietou-se. Apenas mais um! As suas igrejas cada vez mais vazias.

AH! O PODER! Seduz, encanta. Errou quem apostou que o ex-secretário de Governo Marcelo Miglioli tivesse dado adeus à política após sua experiência como candidato ao Senado em 2018. Sua votação na capital também surpreendeu. Apesar de neófito em eleições obteve 96.483 votos (11,92%) – apenas 2.756 votos menos que os 99.239 votos de Waldemir Moka (MDB) com longa carreira como vereador, deputado estadual, deputado federal e senador. Foi superior a Zeca do PT, que na capital obteve 76.465 votos e Delcídio do Amaral (PTB) - 23.989 votos (2,96%). Enfim, Miglioli – como revelou-me: quer disputar a prefeitura pelo Solidariedade em 2020. Vida que segue.

RETROSPECTIVA Cada eleição é fato distinto do anterior. Todo mundo sabe disso. Mas, apenas para embasar o exercício de comentarista de cada leitor, vamos lembrar o desempenho de candidatos ao Senado em Campo Grande. Sergio Harfouche (PSC) surfou na onda da moralidade com 163.314 votos (20,17%); Soraya Thronicke juntou-se a imagem de Bolsonaro e chegou aos 156.697 votos (19,35%); Nelsinho Trad (PSD) pontuou com 153.613 votos (l8,97%). Aliás, tanto Miglioli como Harfouche, levam em conta a votação recebida em 2018 como plataforma para alçar voos mais altos. A democracia é boa; proporciona a todos os mesmos sonhos e pesadelos – é claro!

INSISTO na tese – baseada nos resultados das pesquisas – de que a sucessão da capital caminha inexoravelmente para o 2º turno. O prefeito Marcos Trad (PSD) é hoje o líder nas pesquisas. Mas, teremos pelo menos 6 candidatos com bom desempenho no 1º turno e com potencial de transferir parte destes votos para os dois postulantes no turno final. Esse contexto exigirá muita habilidade dos candidatos durante a campanha em sua primeira fase, evitando confrontos graves que não possam ser recompostos na articulação para o 2º turno. Sem essa habilidade imprescindível, poderemos ter surpresas e o favoritismo inicial correrá riscos.

A MISSÃO Em recente evento do MDB o ex-governador Puccinelli (MDB) tentou reanimar os companheiros conclamando que eles façam uma campanha de atração de eleitores e lideranças ao partido. Convenhamos: não será tão fácil se levarmos em conta os escândalos e prisões de políticos emedebistas em todos os níveis. Na última eleição municipal em Campo Grande o MDB elegeu apenas o dr. Loester Nunes e só depois o suplente dr. Sami Ibrahim assumiu na vaga de Paulo Siufi. A situação do MDB é igual a do PT, cheio de escândalos, e que também elegeu só um vereador nas últimas eleições municipais da capital. Indaga-se: qual a motivação para se filiar ao MDB ou ao PT?

ALTERNATIVA Impera nas conversas no saguão da Assembleia Legislativa a tese de que a sucessão estadual está em aberto. Os observadores de plantão levam em conta que o governador Reinaldo (PSDB) passará o cargo ao vice Murilo Zauith (DEM) para postular o Senado. As notícias mostram um movimento discreto mas contínuo no sentido de atrair prefeitos e lideranças para o partido de Zauith – que após sentar no poder terá todas as condições para naturalmente candidatar-se à reeleição. Indo bem o Governo Bolsonaro, os nossos dois ministros do DEM – da Saúde e Agricultura – por tabela ganharão ainda maior visibilidade no campo político-eleitoral. É o jogo.

DEPREDADA Assim ficou a Reforma da Previdência com a perda de economia de quase R$ 80 bilhões na votação no Senado. Vários fatores colaboraram para a derrota do projeto: excesso de confiança do Governo, falta de articulação do Planalto, falta de prioridade dada pelo Governo em contraste com a energia que dispensou na indicação de Flávio Bolsonaro para a Embaixada dos Estados Unidos. E mais: não mobilizou os senadores e muitos deles viajaram. Compensar essa perda é o grande desafio para o Ministro Paulo Guedes da Economia. Mas ele não pode contar com os Estados e municípios para esse sacrifício. Como se diz no interior: “aqui não, Geralda!”

DOURADOS: 36,03% dos 900 eleitores pesquisados pelo Instituto Ranking entre os dias 27 e 30 de setembro ainda não sabem em quem votar ou não responderam. Na estimulada o quadro atual seria esse: Marçal Filho 24,77% - Rodolfo Nogueira 9,33% - Renato Câmara 8,22% - Délia Razuk 6,11% - Geraldo Resende 4,66% - José Carlos Barbosa 4,11% - Alan Guedes 3,55% - Murilo Zauith 3,22%.

REJEIÇÃO: Geraldo Resende 26,11% - Délia Razuk 20,22% - Murilo Zauith 13,33% - José Carlos Barbosa 12,72% - Renato Câmara 5,11% - Marçal Filho 4,22% - Alan Guedes 3,33% - Rodolfo Nogueira 2,88. O instituto responsável pela amostra comunica que os trabalhos foram efetivados de acordo com as instruções contidas no artigo 33 da Lei 9.504/1997 e TSE 23.549/2017. Se não elege, a pesquisa cria o clima eleitoral.

INCOERÊNCIA Repercutiu (mas não resolverá nada) a carta da advogada Lilian Soares à ministra Rosa Weber, do STF, onde anexa a certidão de óbito de seu cliente de 80 anos que aguardava uma decisão naquela corte há 11 anos, onde ironicamente “parabeniza” a ministra “pela demora”. Sofrendo de Mal Parkinson, seu cliente sem recursos para tratamento faleceu. “A sociedade está cansada de um Judiciário caríssimo e que, encastelado, desconsidera o que esperam pela ‘efetividade’ e pelo cumprimento das promessas constitucionais”. E informou: “que as pompas fúnebres foram singelas, sem as lagostas e os vinhos finos que os impostos suportam “ – referindo-se a licitação em abril de R$ 1,1 milhão do STF para suas refeições que mais parecem banquetes.

‘MERCI’ Inspirados pelo presidente da república Emanuel Macron, os vereadores de Paris outorgaram título de cidadão honorário ao ex-presidente Lula. É uma vingança contra Bolsonaro devido ao episódio da Amazônia. O argumento do título deve ser aquela lenga lenga de ter tirado (temporariamente) milhões de brasileiros da pobreza. Mas esquecem que ele institucionalizou a corrupção jogando o país numa situação jamais vista. Mas isso é coisa de francês. Um amigo ironizou: “já imaginou a Dilma falando de improviso na cerimônia!”.

SEM RODEIOS O deputado federal dr. Ovando (PSL) é boa praça. Experiente, comedido, mas muito franco em algumas situações. Sabe como é; como todo político evangélico adora citar alguns personagens bíblicos pertinentes aos assuntos abordados nas entrevistas. Sobre seu salário como parlamentar revelou de pronto. Perguntei depois qual era a opinião dele sobre esse desgastante episódio envolvendo o deputado coronel David e a senador Soraya Tronicke – ambos de seu partido, o PSL. O deputado respondeu sorrindo: “Não posso responder Manoel, porque minha especialidade médica não é a psiquiatria”.

Dilma Roussef: “Estive a ponto de cometer suicídio e em seguida matar o Sérgio Moro” (na internet)

R Á P I D A S...

Deputado Antonio Vaz (Republicanos) Presidente da Comissão da Saúde presidiu audiência pública para aferir ações/gastos; recebeu representantes de entidades diversas, participou das sessões ordinárias, visitou secretarias e órgãos públicos do Estado.
Deputado Evander Vendramini (PP) Criou e preside a Frente Parlamentar da Mineração; Requereu ao Ibama informações sobre disjunções vegetacionais no MS e com destaque para Bodoquena, Ladário e Corumbá. Participou das sessões na semana.
Deputado Lucas de Lima (Podemos) Presidente da Comissão de Meio Ambiente integra agora a Frente Parlamentar da Mineração; autor de projeto que visa proteger o consumidor quanto a aquisição de produtos vencidos, evitando prejuízos e problemas.
Deputado Marçal Filho (PSDB) Na tribuna falou dos desafios dos idosos; abordou o problema das taxas cartorárias e pediu sensibilidade dos poderes; participou da reunião da Comissão de Constituição Justiça e Redação exarando pareceres nos projetos.
Deputado Marcio Fernandes (MDB) Pediu reforço policial para o destacamento de Sidrolândia em atendimento a vários segmentos sociais daquela cidade; publicada a lei de sua autoria incluindo a Festa Mantenense de Camapuã no calendário de eventos.
Deputado Neno Razuk (PTB) registrou na tribuna sua indignação contra protesto na MS 158 que provocou a morte de uma criança à caminho do hospital; aprovada lei de sua autoria versando sobre a identificação de autismo nas unidades de saúde do Estado.
Deputado José C. Barbosa (DEM) Acompanhou as ações do Governo em várias cidades e fez relato do que presenciou; aprovada sua lei que identifica os prestadores de serviço a domicílio; presente a reunião da Comissão de Constituição Justiça e Redação.
Deputado Capitão Contar (PSL) Autor de Emenda ao Projeto do Executivo sobre aplicação de recursos na Segurança, foi elogiado pelos colegas; lamentou a derrota de seu projeto sobre criação de escola bilíngue benéfica para a comunidade.
Tribunal de Contas Mandou devolver a quantia de R$ 531 mil para Amambai e R$ 235 mil ao município de Água Clara – valores que tinham sido impugnados. Ato de justiça e sensibilidade da corte presidida pelo Conselheiro Iran Coelho das Neves.
Deputado Lídio Lopes (Patri) Prestigiou comemorações em Rio Brilhante, Dourados e Bonito, quando ouviu reclamos de vereadores, autoridades e dirigentes de entidades diversas. Participou da reunião da Comissão de Constituição Justiça/Redação.
Deputado Herculano Borges (Solidariedade) Visitou o Hospital Evangélico de Dourados, conversou com dirigentes e aferiu as necessidades. Prometeu recursos através de emendas parlamentares para ajudar o nosocômio. Atuante 2º secretário da Mesa.
Deputado João H. Catan (PR) Elogiado pelo projeto oportuno que consta a data de criação do Mato Grosso do Sul, suprimindo assim o termo divisão. Estudioso, procura atualizar-se da legislação interna para melhor desempenho das atividades parlamentares.
Deputado Gerson Claro (PP) Presente à reunião da Comissão de Constituição Justiça e Redação; acompanhou vereadores do interior à várias secretarias; ativo nas sessões ordinárias; confiante no projeto do ramal de gás para Sidrolândia, sua base eleitoral.

Comentário

‘FORTES EMOÇÕES’ Fundada em 1892, Aquidauana promete eleições municipais interessantes. O deputado Felipe Orro (PSDB) confirmando ao cronista a candidatura a prefeito de sua mulher – a médica Viviani Nogueira. Questionei: “ela não seria neófita em política?” Ele respondeu: “meu sogro é Odilson Nogueira, petebista histórico companheiro do ex-governador Pedro Pedrossian, e foi o vice prefeito de Raul Freixes entre 1977 a 2.000. Felipe adianta: sua mulher é antenada e tem discurso afinado nas áreas da saúde, educação e política indígena. Agora falta ouvir o prefeito Odilon Ribeiro (PSDB) sobre o cenário em formação. Terceira via? Sem chances!

A TRADIÇÃO na ‘Princesinha do Pantanal’ em matéria de política dispensa maiores apresentações. “É fogo torcida brasileira’ – como dizia o locutor Fiori Gigliotti. Aquela experiência desastrosa com o locutor Raul Freixes é uma lição constantemente citada nos meios políticos e até comparada com a hecatombe de Alcides Bernal (PP) em Campo Grande. Os forasteiros continuam bem-vindos, mas sem direito as poltronas da janela ocupadas pelo critério do DNA. Aliás, a médica Viviani nasceu em Aquidauana e jamais deixou de manter seus vínculos com a terra natal. Como diz aquele personagem no cassino: “senhoras e senhores – façam suas apostas!”

‘ESQUERDA CAVIAR’ Convivo com sua gente desde a faculdade, passando pelas rádios e jornais. Externam amargura e certa inveja pelo sucesso daqueles que tem a coragem de empreender ao longo da vida e que até acabam sendo seus patrões. Hoje esse pessoal se intitula esquerdista progressista em defesa das minorias e de causas diversas como meio ambiente, igualdade de gênero, reforma agrária e sindicalismo forte para emparedar e chantagear os patrões. O mais interessante é que esse pessoal de ‘esquerda’ adora se encostar nas paredes do poder público como vimos nos governos do PT. Claro, com essa desmama do novo governo o berro da petezada é geral. Bééééé.....

ROBERTO RACHEWSKY: “... (-)...Uma esquerda que veste branco, que veste verde, mas que tem no seu âmago a velha e encarnada cor da violência, do ressentimento, o vermelho da raiva e do sangue que caracterizaram o coletivismo estatista que buscava a utopia da igualdade apenas nos campos da morte da União Soviética, na China, na Coréia do Norte ou no Camboja. Jovens que sentam em confortáveis sofás, que acessam internet, que têm calorias garantidas por gerações à frente, querem que o mundo desacelere para que possam satisfazer suas teses, enquanto milhões de crianças elas esperam esfomeadas que o capitalismo cheque até elas...”

“A EUROPA e os Estados Unidos devastaram suas florestas, mas viver lá é melhor do que viver na selva amazônica sujeito a malária, febre amarela e à peste bubônica. Há 200 anos, quando a Revolução Industrial começava, os ingleses respiravam carvão, as crianças trabalhavam longas horas. Se tivessem ambientalistas malucos na época, talvez a Revolução Industrial não avançasse e as crianças, como todos os demais, tivessem que voltar ao campo para continuar vivendo até os 39 anos em média, na miséria. Mas não; persistiram e superaram os problemas com o uso da razão, da ciência, da engenharia, da medicina e com um apego incomum à liberdade...” (Roberto Rachewsky)

DO LEITOR: “...( - )...A temperatura da terra é controla pelos 360 milhões de km² da superfície amazônica. A Amazônia tem só 5 milhões de km² = 1,4% da área oceânica. Por que a França não se preocupa com a conservação da ‘Taiga’ Siberiana ou a ‘Tundra’ canadense? Com o Canadá a França tem vínculos históricos; com a Rússia o ‘buraco é mais embaixo’. Quanto ao Brasil, a França ousou invadi-lo três vezes. Ora, nenhuma nação colonizada pela França evoluiu! A África francesa na miséria e o Haiti abandonado a própria‘sorte’. Por que a França não se preocupa com a Guiana Francesa? Na Polinésia Francesa nada se destaca. A França tem sido uma nação exploradora...”

REFLEXÃO: “Há uma esquerda moderna, civilizada, que não cospe no capitalismo, no mercado. Ela tenta se vender como liberal, mas na verdade é “progressista”, abraça bandeiras “descoladas” no campo dos costumes, leva a sério paranoia ambiental, ideologia de gênero e outras coisas do tipo... Mas há, também, a esquerda jurássica, petista, socialista, que vive aprisionada nos tempos da Guerra Fria, e não suporta o fato de que lado perdeu. É uma turma radical que ainda abraça baboseiras como “luta de classes” e outras ideias marxistas. Às vezes esses dinossauros se pintam com cores modernas também, mas a essência ultrapassada permanece visível... “cheira a naftalina” (Rodrigo Constantino)

CORAGEM Apesar da Globo, Folha e UOL tentarem convencer de que o discurso do presidente Bolsonaro (PSL) na ONU fora um desastre, a opinião pública entende ao contrário. Bolsonaro não foi agressivo; foi firme e incisivo para demonstrar a convicção do Governo quanto a soberania da Amazônia. Sempre é bom lembrar: a ex-presidente Dilma Roussef (PT) ao ocupar a mesma tribuna na ONU só falou asneiras. Chegou a pedir o diálogo com o grupo terrorista ISIS que atuava no Iraque e África. A questão do meio ambiente é menos grave que a fome na África e as guerras ignoradas pela ONU. O meio ambiente é mera desculpa! É bazófia pura! Querem ‘outras cositas mas’.

GOL OLÍMPICO É menos usual do que o gol de placa. Ao seu estilo discreto, mas, de importância fundamental para o ‘time Brasil’, a ministra Tereza Cristina da Agricultura se destaca mais uma vez. Após o bem sucedido giro internacional de negócios ela acaba de recepcionar em Bonito (MS) os ministros da agricultura dos países (África do Sul, China, Índia e Rússia) integrantes do bloco denominado Brics. O tema atual: a inovação tecnológica na agropecuária face a demanda de alimentos devido ao aumento da população mundial. Vale destacar a escala comercial espetacular que o Brasil atingiu na venda de seus produtos agropecuários para esses países nos últimos anos. Valeu!

PODER & DESGASTES Nem bem o PSL vai se encorpando e afloram divergências também por aqui. Essa polêmica sobre ‘hacker’ entre a senadora Soraya Thronicke (PSL) e o deputado coronel David (PSL) mostra a guerra pelo poder. Sem ir ao mérito da questão há que se registrar: o deputado abraçou a candidatura de Bolsonaro (PSL), mas isso não lhe garantiu a liderança do grupo. Zebra ou não, a candidata Soraya se elegeu e pela relevância do cargo está mais próxima da Presidência da República. No contexto político ela é mais importante que o parlamentar militar. Para o deputado capitão Contar (PSL) o episódio é lamentável e desgastante. Agora? É esperar.

A GUERRA! A TV Globo bombardeou o governador Reinaldo Azambuja (PSD) com chamadas sensacionalistas para o Fantástico no domingo. Aliás, quando o pessoal do ‘plim plim’ pega alguém pela crista, ficam no ar indagações/suspeitas. Numa entrevista Reinaldo lembrou que na reportagem não foi feita referência a decisão do STJ - em 24 de outubro de 2018 - que o absolveu por 11 votos a zero, atendendo ao parecer do Ministério Público Federal. No pleito estadual de 2018 o episódio foi explorado pelos adversários de Reinaldo, mas ele foi convincente na sua exposição e acabou reeleito. Vida que segue.

TÔ NEM AÍ... Episódio recente em Águas Claras mostra a ‘sensibilidade zero’ da vereança. Alvo de críticas pelos escândalos que ganharam manchetes na mídia, a Câmara Municipal foi super ágil para aumentar de 9 membros para 11 vereadores a partir do pleito de 2020. Serão mais duas ‘boquinhas’ que motivarão o aumento do número de candidatos, mas que não garantem a melhora do nível da representação. Nas redes sociais só críticas; mas o argumento da vereança é simples: a população é de 15.522 habitantes. Com mais de 15 mil ‘almas’ a Constituição prevê 11 ‘legisladores’. Uma amostra do ‘bom senso’ da classe política.

PESQUISAS do Instituto Brasileiro de Pesquisas, para prefeito de Campo Grande; nos 3 cenários apresentados mostram o prefeito Marcos Trad (PSD) à frente dos outros postulantes. Devido ao cenário complexo – de muitos partidos e candidatos – uma coisa é certa: haverá 2º turno. Em se tratando de eleições paroquiais – onde os debates ficam restritos praticamente as questões locais – o cenário nacional não influencia na escolha do eleitor. Memória: o PT jamais elegeu o prefeito da nossa capital durante as gestões presidenciais do partido, na época bem avaliadas nas pesquisas. Conclusão: o eleitor separa as situações. Aliás, Zeca do PT (14,21%) é o mais rejeitado nestas pesquisas.

DOCE ILUSÃO: A mesma mídia (esquerdista) que ironizava as chances de vitória de Trump nas eleições, agora fala no afastamento dele. Sem chances. O processo será aprovado na Câmara onde os Democratas têm 235 deputados e os Republicanos 197. Para ser aprovado lá precisam de apenas 218 votos (50%). Mas o impeachment só ocorrerá se o Senado aprovar – onde dos 100 senadores, 53 são Republicanos e 47 Democratas. Mas é preciso 2/3 dos votos: 67 senadores. Os Democratas precisariam de 20 votos de Republicanos para aprovar a deposição de Trump. Impossível! Lembro: em 1998 o ex- presidente Bill Clinton perdeu na Câmara, mas foi salvo no Senado.

PREVISÃO Caso o STF entenda pela anulação de dezenas de sentenças do rol da Lava Jato a impunidade estará oficialmente institucionalizada no país. Nunca – em tempo algum – o crime terá compensado tanto. Apenas aquele que roubou sabonete ou galinha mofará nas prisões e com chances de efetivamente se profissionalizar no crime. Os ministros do STF vivem em outra galáxia, indiferentes aos reclamos da sociedade brasileira. Quanto ao glorioso Congresso Nacional (de picaretas?) limita-se a fazer o jogo onde é um dos beneficiados. Tudo isso irá apressar a CPI da Lava Toga!

RÁPIDAS
Deputado Antônio Vaz (Republicanos) Pede melhorias no atendimento em Centro Psicossocial AD; solução no abastecimento de água na escola da aldeia Cachoeirinha em Miranda; pede aparelho de exame de ressonância magnética para Ladário.
Deputado Paulo Correia (PSDB) Voto de pesar pela morte do artista plástico Isac Oliveira que o parlamentar homenageara em 2014 com título de cidadania; comandou ações de incentivo a sustentabilidade do meio ambiente na casa de leis.
Deputado Evander Vendramini (PP) Pede a criação da Frente Parlamentar da Mineração; inclui as comemorações dos padroeiros de Corumba e Campo Grande no calendário oficial de eventos; aprovou ementa na homenagem ao Homem Pantaneiro.
Deputado Neno Razuk (PTB) Homenagem aos 25 anos da UEMS; presidiu audiência pública sobre agricultura sustentável nas terras indígenas: pede identificação dos bombeiros e policiais especialistas em Libras para facilitar atendimento.
Deputado Lucas de Lima (Podemos) Propõe normatizar o comercio de cães e gatos para evitar maus tratos nestes animais; monitora junto as autoridades as ações de combate de incêndio na capital e nas regiões do Pantanal e Serra da Bodoquena.
Dia da Oportunidade em Bataguassu encheu os olhos do presidente Sergio Longen da Fiems. Palestras, eventos diversos reuniram mais de 200 pessoas e 50 empresas no Centro de Eventos. Longen quer repetir a promoção em outras cidades. Sinal Verde.
Deputado Marçal Filho (PSDB) Registrou o fim da edição impressa do jornal O Progresso; alertou sobre o mosquito aedes aegypti; falou do trânsito de Dourados; Cria a Semana de conscientização/tratamento da Dermatite Atópica no calendário de eventos.
Deputado Jamilson Name (PDT) Insiste na adesão ao programa do CNH social para pessoas de baixa renda; pede asfalto nas rodovias MS 166 e MS 270 beneficiando o distrito de Cabeceira do Apa em ação junto com o vereador Farid Afif de Ponta Porã.
Deputado Marcio Fernandes (MDB) Comemorando a conquista de novos mercados par nossos produtos agropecuários; aprovada a inserção da Festa Rural de São Gabriel no calendário oficial de eventos; preparando início das atividades do Castramóvel.
Deputado José C. Barbosa (DEM) Pede ações para melhora da infraestrutura de Dourados e distrito de Ithaum; registrou o fim da edição impressa do jornal ‘O Progresso’; defendeu o papel da Funpema como braço direito da saúde.
Deputado Capitão Contar (PSL) Quer resgatar o espírito cívico nas escolas estaduais; visitou a secretária de educação Maria Cecília Mota com quem tratou dessa questão inclusive; comemorou o Dia do Surdo e falou da sua inserção na sociedade atual.
Deputado Zé Teixeira (DEM) Pede melhorias para a telefonia móvel de Santa Rita; recebeu em seu gabinete vereadores da região da Grande Dourados; visitou duas secretarias estaduais para tratar de assuntos de interesse de cidades do interior.
Deputado João Henrique (PR) Estudioso do regimento interno e da legislação que normatiza a atuação do parlamentar; tem visitado órgãos oficiais para tratativas diversas e participou como membro da sessão da Comissão de Constituição/Justiça/Redação.
Deputado Gerson Claro (PDT) Investe na viabilidade do ramal do gás para sua Sidrolândia; presente as sessões ordinárias e da Comissão de Constituição/Justiça e Redação; focado nas soluções dos problemas fundiários dos assentos principalmente.
Deputado Lídio Lopes (Patri) Preside a Comissão de Constituição/Justiça/Redação; recebeu visita de lideranças do Cone Sul; viu aprovada sua lei criando o Dia do Jiu Jitsu, incorporando-o ao calendário de eventos para incentivar sua pratica no Estado.

Comentário

FRANCAMENTE... Até aqui ‘empate técnico’ entre o pessoal do PT e MDB investigado, denunciado, condenado e preso por corrupção, principalmente na laboriosa operação Lava Jato tão aplaudida pela opinião pública, mas ‘vista com ressalvas’ pela classe política. Ulysses Guimarães (presidente da Comissão Constituinte) não contava com a esperteza de companheiros de seu partido e patrioticamente (ou ingenuamente?) sentenciou em memorável discurso: “não roubar, não deixar roubar”. Não sabia que a ‘alcateia’ de seu partido era tão numerosa – de ‘velhos lobos a lobinhos’.

ENCENAÇÃO A entrevista do ex-presidente Michel Temer (MDB) ao ´Roda Viva’ da TV Cultura na última segunda feira primou pela desfaçatez do entrevistado e pela alienação dos jornalistas entrevistadores que evitaram temas comprometedores ao convidado. A pérola da noite ficou por conta de Temer que alegou desconhecer e não ter participado do impeachment da ex-presidente Dilma, com a justificativa de que seguia os ensinamentos do Direito Constitucional. Temer, junto com o governador João Dória (PSDB) e outras lideranças estariam tramando a formação da frente anti-Bolsonaro já apelidada de ‘Turma do Rabo Preso’. É o Brasil que temos!

EM COMUM Michel Temer e o ex-governador André Puccinelli, além das suas prisões, e serem do MDB, tem algo mais em comum. Ocupando cargo executivo, não foram capazes para perceber ou fiscalizar as ações ‘administrativas’ de pessoas do governo com quem tinham estreitas e notórias relações pessoais inclusive. Se Temer não atentou para as ‘peraltices’ do coronel Lima e do ex-deputado Rocha Loures (MDB), o dos R$ 500 mil na mala, Puccinelli não soube – nem por ouvi dizer - que o seu poderoso ex-secretário Edson Girotto comprou fazendas e tinha padrão de vida acima de seus ganhos. Os dois casos lembram a frase do “não roubar, não deixar roubar” do discurso de U. Guimarães.

POLÍTICOS São figuras expostas e sujeitas aos olhos da opinião pública, justa, exagerada ou irônica. Eles têm que aprender a lidar com essa situação. Recentemente tivemos dois casos envolvendo políticos ‘guaicurus’. O primeiro envolveu o deputado Pedro Kemp (PT) que num restaurante com sua turma de gabinete gastou mais de R$ 1.500,00 e já ganhou apelido de ‘Deputado Open Bar’. O segundo caso teve como personagem o deputado federal Beto Pereira (PSDB) que numa refeição em restaurante de Brasília gastou mais de R$ 300,00. Legais ou não as gastanças causam comentários. Os dois protagonistas de partidos opostos primam pela ‘boa mesa’. Quanto a conta...

CONVICTO Questionei ao deputado federal Fábio Trad (PSD) eventuais desgastes ao assinar a CPI da Lava Jato. Ele justificou ao seu estílo: “Assinei convicto. Sinceramente não penso nas próximas eleições. Sou contra a prática de corrupção pelos que combatem a corrupção. As suspeitas que recaem sobre as autoridades da Lavajato devem ser investigadas pelo parlamento, já que a Polícia Federal e o Ministério Público Federal não querem investigar. Não pode haver crime perfeito em uma democracia. A quem interessa não fazer a CPI que poderá fortalecer a Lavajato expurgando o estrelismo de algumas autoridades?”

XICO GRAZIANO: “Como conviver sem os agrotóxicos? A pergunta, formulada nesta 2ª.feira (16/09/22019), em reunião na Câmara dos Deputados, suscitou outra dúvida: será possível produzir alimentos, em larga escala, sem utilizar produtos químicos para combater pragas?... Claramente, a condenação dos pesticidas se mistura com a crítica política do capitalismo. Denomino isso de “esquerdismo verde”, uma ideologia retrógada que pretende derrubar o atual sistema econômico substituindo-o por um modelo agroecológico e familiar, desvinculado do lucrado na produção. Sabe-se lá como funcionaria...” (Xico Graziano é agrônomo e ex-ministro da Agricultura)

FRANCISCANO? “...Eu tinha crescido tamanhamente na república que eu não tinha mais noção daquilo que era o verdadeiro da vida...aprendi muito...calcei as sandálias da humildade. Hoje sou outro homem...” Essas frases pinçadas na entrevista do ex-senador Delcídio do Amaral (PTB) ao colega Carlos Voges mostram a soberba nos corredores do poder – ao contrário do clima da anti sala da UTI hospitalar, onde a dor restaura a humildade e nivela classes sociais. Acostumado ao ‘prato feito’ na mesa, Delcídio terá que começar lá de baixo para formar um grupo seu. No PTB terá ambiente para isso.

DELCÍDIO Sempre é bom lembrar de sua experiência de sair diretamente do poder para a cadeia com as cenas mostradas na mídia. Tem o mérito de não ter envolvido ninguém de sua família naquele episódio. Mas o que eu pergunto é se a opinião pública deletou ou irá deletar do seu imaginário todo o ocorrido. Nem sempre o veredito judicial faz eco positivo no subconsciente. À favor de Delcídio há um fator: é unânime o entendimento de que ele nunca foi PT e jamais teve a postura petista na vida pública partidária. Em consequência, para renascer politicamente terá que caminhar com pernas próprias: ouvir mais, falar menos! Vida que segue, que seja longa e proveitosa.

LEMBRETES do deputado Luiz Ovando (PSL) na tribuna da Câmara Federal: “O Governo demitiu 20 mil funcionários fantasmas do MEC com economia de R$ 194 milhões/mês.....Vendeu em leilão 23 portos, aeroportos e ferrovias.....suspendeu verba de R$ 50 milhões para financiar criptomoeda aos índios (pode isso?) através da Funai.....Em 2018 tivemos 43 invasões indígenas de terras e em 2019 apenas uma (Aquidauana).....em 2019 tivemos 5 mil desistências de benefícios do Bolsa Família.....A Bolsa de Valores atingiu o recorde de 100 mil pontos, maior que os 43 pontos em 2018..... extinguiu a indústria da multa que penalizava a classe produtora”.

‘LARANJAS’ No passado ouvi casos interessantes onde ‘testas de ferro’ se negaram – apesar das ameaças – a devolverem bens imóveis aos legítimos donos ou a quem eles ( políticos) indicaram. Há casos em que laranjas morreram e as viúvas e herdeiros se negaram a devolver fortunas em bens. Mas os casos que já fazem parte até do nosso folclore político, não intimidam poderosos do cenário atual que aderem a essa pratica. Político que nada entende das lides rurais (a exemplo dos herdeiros) comprando fazendas. Mas há uma dúvida cruel: quem morrerá primeiro? O político ou o laranja?

CONFIRA: “...O buraco é mais embaixo. No caso da reforma previdenciária houve grande apoio popular, a mídia martelando a favor explicando a importância, e os próprios deputados desenvolveram um senso de sobrevivência ali; se votassem contra, estariam liquidados politicamente, e faltaria recurso público amanhã. No caso da minirreforma partidária e eleitoral, houve alguma pressão também, mas tudo foi feito mais às pressas, e talvez não tenha dado tempo de uma forte reação. Os deputados julgaram que valia a pena o risco, de olho nos recursos. O que deve ficar claro agora é que estavam errados, que o custo será muito alto...” (jornalista Rodrigo Constantino)

ESSA MÍDIA... A grande mídia não perde a chance de atacar o Governo Federal dando uma versão manipulada dos fatos. Esse caso envolvendo o senador Fernando Bezerra (MDB) que exerce a liderança do Governo no Senado é mais um exemplo. As notícias destacaram eventuais vantagens financeiras reveladas em delações de empreiteiras. Mas o fato causador do bloqueio dos bens do senador teria ocorrido quando ele era o Ministro da Integração Nacional em 2010/20111 durante gestão petista em parceria com o MDB. A notícia como foi posta visa atingir a atual administração.

BOLA CHEIA A dor de cotovelo já é notória. Mesmo alguns setores críticos admitem que a atual administração municipal transformou Campo Grande num imenso canteiro de obras. Ao seu estilo – sem utopias e loucuras – o prefeito Marcos Trad recupera a cidade que encontrou depredada. E o mais interessante é que ele consegue capitalizar politicamente esses dividendos, o que nem todos gestores conseguem. Talvez seja esse o diferencial de Marquinhos – pronto para o pleito de 2020. Tudo pode ocorrer é claro, mas as pesquisas comprovam isso. Um Marquinhos com jeito de ‘Marcão’.

‘TCHAU QUERIDA’ Diabetes vigiada; ócio angustiante; utopia do novo amor; mesmice nas declarações rançosas e entrevistas a determinados jornalistas e órgãos de imprensa. Esse é o ex-presidente Lula (PT) que vai perdendo a relevância no atual cenário político onde o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) vai tentando capitalizar apoios ao seu projeto presidencial. Contra Lula há um outro fato gravíssimo: a possibilidade oceânica dele ver confirmada a segunda condenação. Aliás, as últimas delações homologadas estão tirando literalmente a máscara e o sono do ex-presidente que tenta passar a imagem de ‘Superman’, imune a tudo e ao tempo implacável.

BOA TACADA A iniciativa de tornar o governo estadual itinerante através do programa ‘Governo Presente’ vem rendendo elogios. Possibilita que os governantes municipais e representantes dos mais diferentes segmentos sociais, inclusive entidades filantrópicas, tenham maior facilidade de expor seus problemas e reivindicar a mão amiga do Governo. Às vezes, a distância entre as cidades e a capital acaba sendo empecilho na solução de um problema aparentemente difícil e que pode ser resolvido sem grandes demandas.

R Á P I D A S...

Deputado Antonio Vaz (Podemos) Pede obras de drenagem e recuperação de avenida em Porto Murtinho; apresentou projeto de concessão de título de cidadania a Alexandre S. Martins; acompanha seu projeto de Farmácia Solidária.
Deputado Capitão Contar (PSL) Fez reivindicações beneficiando 18 bairros da capital; pediu a construção de duas pontes de cimento em Amambai. Sua equipe monitora o andamento das reivindicações nos órgãos competentes.
Deputado João Henrique (PR) Pediu obediência ao Regimento Interno da Casa; usou da tribuna na sessão solene na Assembleia Legislativa homenageando educadores; no seu gabinete tratou de assuntos administrativos com vereadores e líderes do interior.
Deputado Evander Vendramini (PP) Pediu isenção do GTA dos produtores rurais do Pantanal na época das queimadas; cobrou informações do projeto que qualifica a fibrose cística no rol de doenças graves; pediu notícias do projeto sobre concurso de juiz de paz.
Deputado Marçal Filho (PSDB) Propõe Comenda do Mérito Legislativo a Valdemir de Souza Messias; pede maior divulgação do telefone 188 do CVV; publicada lei de sua autoria sobre Prevenção do Suicídio denominada “Setembro Amarelo”.
Deputado Paulo Correia (PSDB) Apresentou projeto de lei concedendo título de cidadania a Jaime Verruck; presidiu as sessões ordinárias e a sessão solene que homenageou os educadores.
Senador Nelson Trad Filho (PSD) Presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado voltando aos Estados Unidos – desta vez para participar da sessão de abertura da ONU junto com o presidente Jair Bolsonaro (PSL).
Deputado Marcio Fernandes (MDB) Ultima preparativos para lançamento do seus projeto “castramóvel” na capital e interior objetivando castrar gatos e cachorros para evitar endemias que ameaçam também os seres humanos. Conhece da matéria!
Deputado José C. Barbosa (DEM) Comemora as obras de recuperação da Avenida Presidente Vargas em Dourados e o sucesso do projeto ‘Escola segura – Família Segura’ que implantou na Secretaria de Segurança com rondas militares nas escolas.
Presidente Iran Coelho das Neves destacando o sucesso do 1º Simpósio da Bacia Hidrográfica do Rio Miranda que promoveu no Tribunal de Contas do Estado com a participação de mais de 300 pessoas.
Deputado Zé Teixeira (DEM) pediu substituição da ponte de madeira por outra de concreto no local denominado “Travessão”, entre Dourados e Douradina; pediu maior conservação nas estradas vicinais em Caracól.
Deputado Lucas de Lima (Podemos) Usa das redes sociais para maior conscientização sobre os perigos também na zona urbana tanto da capital como do interior e acompanha o combate pelo Governo das queimadas no Pantanal e Serra da Bodoquena inclusive.
Deputado Gerson Claro (PP) Presente as sessões; recebeu lideranças comunitárias de Sidrolândia em seu gabinete; visitou secretárias e órgãos do Governo Federal e Estadual para solucionar problemas de correlegionários.

Comentário

EXEMPLAR’ A ‘garra’ pelo poder e a sede com que os iniciantes nos legislativos municipais ‘vão ao pote’ são reflexos negativos do que se passa no Congresso. Menos vontade de servir e mais de usufruir. Eles também sonham em chegar lá! “Por que não”? – diria qualquer um deles - ressaltando os seus ‘talentos’ pessoais. A título de ilustração: os R$ 19,8 mil que Siqueira Campos e tantos outros ex-deputados federais recebem da Previdência deles é quase 3 vezes e meia o teto do INSS. Pena que o eleitor no final da fila social não tenha acesso aos dados ‘pornográficos’ da gestão pública.

‘PORNOGRAFIA’ Vez ou outra notícias escapam ao controle corporativista, como ocorreu há pouco sobre os ganhos mensais daquele Procurador de Justiça de Minas Gerais. Coitadinho dele! Mas, esse caso é apenas uma pontinha do iceberg gigante e horroroso que existe em todos os níveis dos 3 poderes do país. Aliás, foi graças a uma delação premiada que ficamos sabendo que o ex-vice-governador Pezão (RJ) recebia (pasmem!) 13º salário, mesada e bônus das empreiteiras corruptoras. Enfim, há um submundo – juridicamente perfeito – mas moralmente podre nos poderes. A lama (inclusive a ‘asfáltica’) tomou conta literalmente da gestão pública.

‘ANGELUS’ Há no ar um movimento para beneficiar o ex-deputado federal Eduardo Cunha (MDB) aproveitando-se a campanha contra a Lava Jato. Seu mensageiro e amigo Carlos Marum (MDB) com assento no Conselho Administrativo da Itaipu Binacional já vem abordando o assunto. Há de se reconhecer a postura fiel de Marum ao ex-presidente Michel Temer (MDB) e ao ex-deputado Eduardo Cunha preso. Faz parte da política. Mas as notícias decorrentes das gravações do pessoal da Lava Jato não influenciam no mérito das acusações comprovadas contra Cunha. A opinião pública não avaliza a pretensão de canonizá-lo ou minimamente de vitimá-lo. Menos, please!

DESCONFIADOS Papo agradável com um vereador de Bodoquena na Assembleia Legislativa. O cenário igual das centenas das cidades interioranas: sem infraestrutura e pouco a oferecer. Muita gente saindo em busca de oportunidades. A internet mudou hábitos e a cabeça das pessoas. Difícil encontrar alguém sem um celular. Na política, admitiu: a juventude em desacordo com o pensamento das lideranças tradicionais da cidade. O salário líquido de um vereador é de R$ 3.500,00, muito superior ao ganho dos trabalhadores das indústrias locais de calcário e da fábrica de cimento. As comparações alimentam o debate nas redes sociais. Surpresas eleitorais continuarão acontecendo.

AMÉM, JESU$ A cada dia a gente se convence de que é preciso vigiar melhor as entidades filantrópicas no Brasil. Aliás, o tema é objeto de debates na PEC Paralela da Reforma da Previdência no Senado, onde está prevista a extinção dos benefícios da isenção tributária. Segundo números da Receita Federal temos hoje 48.379 igrejas com CNPJ devidamente cadastrados naquele órgão. Outras 32.654 ‘igrejas’ tiveram atividades suspensas ou foram consideradas inaptas por motivos diversos. Dessa forma elas gozam de isenção de impostos e tributos. Quanto ao final é previsível; pois a bancada evangélica é forte no Planalto. O jogo é bruto! O país não é sério!

A OBSESSÃO: “...Sofremos demais pelo pouco que nos falta e alegramo-nos pouco pelo muito que temos... hoje só queremos saber do “melhor”... A casa que é pequena, mas nos acolhe... A TV que está velha, mas nunca deu defeito... O ideal é ter o top de linha... nos faz sentir importantes... E o que era melhor, de repente, nos parece superado... Novas marcas surgem... Quando só queremos o melhor, é que passamos a viver inquietos, numa espécie de insatisfação permanente... Não desfrutamos do que temos ou conquistamos, porque estamos de olho no que falta conquistar... Será que a gente precisa mesmo de mais do que isso?” (do texto “A obsessão pelo melhor”, de Leila Ferreira)

A POLÍTICA é interessante, cruel, irônica e às vezes de fácil entendimento. Nesta semana na Assembleia Legislativa fui questionado sobre as chances da ministra Tereza Cristina numa eventual candidatura ao Governo do Estado. Respondi: Ela é excelente no cargo, suas ações limitadas e não rendem politicamente. Embora de família política, não capitalizou prestígio para alçar esse voo. Seu grupo político ainda incipiente e até dividido. O partido tem a imagem de elitista – presa ao estigma que perseguiu o extinto Partido da Frente Liberal (PFL). Ela é sabida e experiente para reconhecer o cenário, tendências e o peso da concorrência. Vai bem – deve ficar onde está e com carta branca.

SÓ AGORA? Os advogados - seres estranhos. Lutam por direitos de outras classes, mas ignoram as suas próprias causas. É a questão da discriminação contra o advogado nas audiências, onde ele não recebe o mesmo tratamento do Juiz (e nem o cafezinho) dispensado ao Promotor de Justiça. Coube ao senador Nelsinho Trad (PSD) relatar favoravelmente o projeto do deputado federal Carlos Bezerra (MDB-MT) prevendo normas sobre a posição topográfica dos advogados nas audiências. Aprovado, vai alterar o artigo 6º da Lei 8.906 (Estatuto da Advocacia, de 1994) e o advogado ficará no mesmo plano topográfico do Juiz de Direito e do Ministério Público. Todos iguais.

CORREÇÃO: Na edição anterior dissemos que o ex-deputado Edson Giroto (PR) fora considerado culpado na Ação Indenizatória promovida pelo ex-deputado Semy Ferraz (PT) decorrente do episódio “Operação Vintém” da Polícia Federal e que poderia figurar no polo passivo em futura execução da ‘Indenizatória’. Não procede a notícia publicada, pois os acusados André Puccinelli Junior, Edmilson Rosa, Edson Giroto e Michel Jafar – após 10 anos dos fatos - foram absolvidos por falta de provas. Os CDs juntados ao processo com diálogos entre acusados - essenciais ao caso - simplesmente ‘desapareceram’ dos autos no cartório da Justiça Federal. ‘Mistérios da meia noite’.

ESTRATÉGIA O deputado federal Loester Truts (PSL) e o empresário da capital Ciro Fidelis aparecem no vídeo na internet oferecendo R$ 100 mil de recompensa a quem oferecer informações que levem a eventuais mandantes da tentativa de homicídio praticada por Adélio Bispo contra o então candidato Jair Bolsonaro (PSL). Eles questionam: como Adélio era titular de cartão de crédito internacional? Como possuía 4 aparelhos celulares? Como arcou com gastos em viagens seguindo os filhos do atual presidente? O deputado Truts lembra que a Polícia Federal pediu 90 dias para concluir as investigações e ele quer ter novidades neste prazo. Tudo é possível.

VARREDURA Para os cientistas políticos os fenômenos eleitorais devem continuar ancorados na crescente influência das mídias digitais que fazem abordagem livre dos fatos e personagens do cenário político. Os cientistas entendem que o eleitor está mais exigente, de mero expectador virou protagonista ao se descolar das tradicionais fontes informativas. Apesar das promessas de se combater o ‘fake news’, a tendência é que a morosidade da justiça perca a batalha para esse exército invisível, mas eficiente. As eleições não serão mais as mesmas! Boca de urna, santinhos, promessas, barganhas e ‘outras práticas’ decididamente não influenciarão mais na escolha pelo eleitor.

PARTIDOS Os maiores deles terão dinheiro oficial para gastar. Mas alguns deles terão dificuldades de repetir o poder de influência como em outros tempos. O MDB é um exemplo; em outros tempos mandou no país explorando a figura do dr. Ulysses Guimarães no combate ao regime militar. Mas depois para sobreviver juntou-se ao PT fazendo estragos irreparáveis à nação. Perdeu-se o discurso da dignidade patriótica e caiu na vala da corrupção com prisões e escândalos envolvendo suas lideranças em todos os níveis. O estigma está gravado no imaginário popular e tentar desmistificá-lo as vésperas das eleições será ruim, perigoso. Valerá a tese “rouba - mas faz”?

LEI KANDIR Vigora desde O1/11/1996. Entenda: Isenta do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) os produtos primários exportados. A União previu recursos para compensar os Estados das perdas até 2002. Mas a partir de 2004 os repasses viraram brigas entre Estados e União. Em 2016 o STF deu ao Congresso o prazo de 1 ano para fixar critérios da compensação. Mas a novela continuou e a União posterga pagamentos e a solução. Hoje nosso Estado é credor de R$ 13 bilhões junto a União e agora os Estados se uniram através de seus presidentes de Assembleias Legislativas na busca da solução - que ainda é uma incógnita. Iniciativa válida.

‘PADRINHOS’ Alguns personagens sem mandatos planejam atuar indiretamente nas eleições de 2020. Dois exemplos: do ex-senador Delcídio do Amaral (PTB) e do ex-governador André Puccinelli (MDB). Ambos sabedores de riscos que correm pelos desgastes que sofreram em episódios do conhecimento público. Evidente que já fizeram a leitura do novo cenário influenciado por vários fatores. Posto isso - a tendência é que atuem como articuladores de candidaturas. Um amigo atento na Assembleia Legislativa já vaticinou: “ a presença deles e de outros veteranos pode fortalecer o discurso moralista do PSL do presidente Bolsonaro na capital e em algumas cidades do interior.

RÁPIDAS

Deputado Antônio Vaz ( PRTB) Presidiu a sessão da Assembleia Legislativa no dia 11; Presidente da Comissão de Saúde requereu ao Governo Estadual destinação de Aparelho Raio X para Nova A. do Sul e de ressonância magnética para Corumbá.
Deputado Paulo Correia (PSDB) Foi a Brasília liderar comitiva de presidentes de Assembleias Legislativas na tratativa da Lei Khandir e manifestou apoio a PEC Paralela da Previdência dos Estados e Municípios. Voltou animado com as perspectivas.
Deputado Evander Vendramini (PP) Quer a inclusão de 24 de Outubro ( Dia da Padroeira) em Ladário no calendário oficial de eventos; felicitou a empresa Granel Química de Ladário; pediu melhor atendimento da empresa Canarinho em Ladário.
Deputado Lucas de Lima ( Podemos) Publicada lei ‘Dezembro Verde’ de sua autoria sobre a proteção aos animais abandonados nas vias públicas; presente a sessão solene que homenageou bombeiros com a medalha Jair da Crruz Abreu Holsbach.
Deputado Marçal Filho (PSDB) Quer a identificação do portador autista na carteira de identidade; manifestou-se contra a superlotação do UPA de Douradoss; quer a criação da Comenda Professora Maria E. de Lima Pedra homenageando os mestres do ensino.
Município de Inocência (MS) receberá de volta do Tribunal de Contas do Estado cerca de R$156.000,00 de acordo com decisão unânime da corte presidida pelo Conselheiro Iran das Neves.
Deputado Jamilson Name (PDT) Recebeu no gabinete lideres comunitários; o vereador Marquinhos Lino (Bela Vista); pediram recuperação da MS 384 (Bela vista – Antônio João) entregando ofícios ao diretor da Agesul e ao Secretário de Infra estrutura.
Sergio Longen, presidente da FIEMS, manifestou ao colunista a preocupação do setor produtivo com as notícias da volta do imposto do cheque. O empresário tem uma visão positiva da recuperação econômica, mas acha que a sociedade está no limite.
Deputado Neno Razuk (PTB) Pediu construção de passarelas na rodovia 267 em Bataguassu e em Anaurilândia perto do Terminal Rodoviário e sinalização na BR 163/Km 327 ( Rio Brilhante); restauração da pista de caminhada na Av. Afonso Pena.
Deputado Marcio Fernandes (MDB) Planeja o itinerário inicial da clínica veterinária móvel para castrar cães e gatos nas cidades do interior para a solução deste problema de saúde que aflige a população. O ‘castramóvel’ já é sucesso em Curitiba (PR).
Deputado José C. Barbosa (DEM) Recebeu lideranças do interior; visitou órgãos públicos; reiterou pedido para agilização no projeto habitacional nos bairros Ibiza e Ouro Fino em Dourados através da contrapartida do Governo Estadual.
Deputado Gerson Claro (PP) Quer titularizar os assentados de projetos fundiários no Estado: pede a MS gás a implantação do ramal para Sidrolândia; requer estudos para implantação do contorno rodoviário na BR 060, entre os kms 422/432 (Sidrolândia).
Deputado Capitão Contar (PSL) Autor de proposição contra a exposição precoce e erotização infantil em eventos culturais; recebeu moradores pedindo mais segurança em face do aumento da criminalidade na região; comemora o sucesso da Semana da Pátria.
Deputado João H. Catan (PR) Manifestou sobre vários projetos na Comissão de Constituição e Justiça; usou da tribuna para abordagens de assuntos diversos; visitou secretárias e órgãos públicos acompanhando vereadores e lideranças do interior.
Deputado Lídio Lopes ( Patriotas) Sempre envolvido nas questões sociais da capital e interior; visitou entidades de bairros periféricos de Campo Grande; ouviu os reclamos; recebeu no gabinete prefeitos e vereadores; participou das sessões da Casa.

Comentário

CONFIRMADO Na vida pública há bônus e ônus por ocupar cargos. Repercute a notícia de que o ex-Secretário de Habitação e Infra Estrutura Pedro Teruel (Governo Zeca do PT) foi condenado pelo Tribunal de Contas da União a devolver R$ 21.638.586,95 por firmar convênios (julgados irregulares) junto ao Ministério da Integração Nacional num projeto de irrigação para cultivo de frutas em Itaporã. Decisão dura; o prazo para recolhimento da quantia é de 15 dias. Pergunto: valeu a pena a ‘glória do poder’ para ter esse estresse cruel? Mais uma advertência aos ambiciosos por cargos públicos e poder.

O CASO de Teruel não foi o primeiro e nem será o último. A fila dos casos é longa tanto nos Tribunais de Contas dos Estados como no Tribunal de Contas da União, Tribunais Estaduais, Tribunais Regionais Federais e no STF. Em muitos casos os réus usufruem do foro privilegiado e escapam pela prescrição. Mas (esse pronome é o xis da questão) de vez em quando pinta uma condenação de arrepiar os cabelos como essa. Os casos da Lava Jato tem mostrado que a impunidade não é geral como se imagina. Os casos locais como da ‘Lama Asfáltica’ é um sinal vermelho contra as mazelas públicas.

PELO VOTO: “...Os cientistas políticos têm ao menos três diferentes explicações. Uns afirmam que o eleitor se decide de olho no retrovisor, avaliando o desempenho passado dos concorrentes; outros sustentam que o que conta são as expectativas de desempenho futuro dos que lhes pedem o voto; e outros, enfim, pensam que as pessoas pouco informadas ou desinteressadas pelo poder se orientam por sua simpatia prévia por partidos, ideologias ou símbolos políticos....( - ) Atribuir, por exemplo, a vitória de Bolsonaro ao bombardeio de mentiras criadas para semear medos e alimentar preconceitos no eleitorado – e elas existiram e circularam – é cômodo por eximir os perdedores de avaliar seus erros”. (Maria H. Tavares de Almeida – da USP)

COM SEDE! Conta-nos Ben Hur Ferreira (diretor da Assembleia Legislativa) que já foi gravado o programa com entrevista concedida pelo ex-governador André Puccinelli (MDB) ao canal “TV Assembleia” e que será exibido na próxima semana. Ben Hur confessou ter ficado impressionado com a fala de Puccinelli revelando disposição de concorrer a sucessão estadual. Evidente que o fator tempo há de ser levado em conta, bem como outros aspectos junto a opinião pública, mais atenta e exigente. Mas como a internet tem transformado sonhos em pesadelos é de bom alvitre esperar.

SEMY FERRAZ O ex-parlamentar (ex-PT) reside em Manaus prestando serviço a uma empresa do setor de água e saneamento. Um amigo revela que Semy prepara-se para promover a execução de ação de indenização contra Edson Giroto (ex-deputado federal (PR) e Edmilson Rosa no valor de R$ 500 mil corrigidos desde 29/09/2006 como consta da sentença em 2013. Semy sustentou na ação que fora vítima de armação conhecida por ‘Operação Vintém’ e que impediu sua eleição a deputado estadual em 2006. Aliás, Puccinelli fora apontado como coparticipe da trama, mas acabou absolvido já que dois CDs registrando um possível diálogo entre ele e Giroto ‘sumiram’ do processo.

A PERGUNTA ouvida no saguão da Assembleia Legislativa: Até quando Edson Giroto suportará a prisão já que outros envolvidos na ‘Lama Asfáltica’ já ganharam a liberdade? Para minorar suas esperanças o STF negou seu pedido de habeas corpus na última 4ª. feira. Essa tese de que Giroto optaria pela delação premiada ganha corpo, levando-se em conta que ele estaria se sentindo abandonado por Puccinelli, que além de não fazer qualquer referência ao ex-secretário de obras em suas entrevistas – já ensaia projetos políticos. Aliás, fala-se que a conduta (vetada quando de sua libertação) de Puccinelli no cenário político poderia inclusive levá-lo de volta à prisão.

‘PATRIOTISMO’ Qual o percentual de vereadores, prefeitos e deputados que sabem cantar – sem errar – o Hino Nacional Brasileiro? Quanto aos jogadores da seleção de futebol é vexatório. Apenas mexem os lábios. Se o americano ostenta sua bandeira na casa e no comércio; se no Paraguai as crianças cantam perfilados o hino antes das aulas, aqui o desapego ao patriotismo é geral. Precisamos imitar os americanos no ‘4 de julho’ e os franceses no ‘14 de julho’. Nos últimos governos não houve a preocupação em cultivar os valores patrióticos através de campanhas na mídia. Agora, a esperança fica com as Forças Armadas – pois a sociedade civil perdeu a noção de muita coisa.

DA POLÍTICA Aparecida do Tabuado sempre foi cidade efervescente na política de embates e líderes polêmicos dos tempos da UDN e PSD. Conheci muitos deles. Conta-nos o amigo Helio Queiroga (assessor na Assembleia Legislativa) que seu pai Izaias Queiroga de Assis, (técnico agrimensor) conhecido por ‘Chaptum’ disputou 5 eleições para a Câmara e foi eleito 4 vezes na cidade. Quando estreou na política (década de 80) era proprietário de 41 terrenos urbanos na cidade e ao dar adeus a vida pública não tinha um só lote. Enfim: a política tem dessas coisas mesmo.

INTACTO As derrotas no Congresso, as alfinetadas do STF, as ‘frituras’ de Bolsonaro e a divulgação de conversas com o pessoal da Lava Jato não abalaram o prestígio do Ministro da Justiça Sergio Moro. Aliás ele supera em 25 pontos o próprio Presidente da República nas avaliações recentes do ‘DataFolha’. Ora, 54% acham ele ótimo e bom e 24% regular! Até os jovens e os nordestinos apoiam suas ações. Em julho a violência era citada por 18% dos entrevistados, agora caiu para 11% em pesquisa do DataFolha. À oposição – que faliu o país, após ‘incendiar a Amazônia’, restar gritar “Lula Livre”.

BOM PAPO “Estou no terceiro mandato de vereador em Dourados e nunca fui preso”. Esse o bordão simpático ou surpreendente do vereador Aparecido Medeiros da Silva (DEM) que conheci no saguão da Assembleia Legislativa. Extrovertido - lembra que a referencia a sua vida pregressa (eleitoral/judicial) é justificável diante dos escândalos envolvendo a Câmara de sua cidade. Perguntado – respondeu sem hesitar: “Meu salário é de R$ 9.500,00, dos quais são descontados R$ 4.000,00 do empréstimo de R$ 110 mil que fiz na Caixa para gastar na campanha”. Uma figura pública agradável.

CIRO GOMES (PDT): “...O PT tem a natureza do escorpião. Sabe como é: o escorpião vendo a grande enchente e o sapo sobrevivente - pede que ele lhe dê uma carona nas costas. O sapo disse não - alegando que se desse carona seria ferroado nas costas e morreria. Mas o escorpião disse que não ferroaria o sapo para não morrer junto. O sapo então achou razoável o argumento e deu carona. Mas no meio da enchente o escorpião ferrou a cabeça do sapo que antes de morrer perguntou: “como você faz isso?” – o escorpião respondeu: “desculpe, é a minha natureza”. A natureza do PT não é amar o Brasil nem o povo. É o poder pelo poder a qualquer preço sem escrúpulo...”

MAIS EMBAIXO: Dois papos sobre o mesmo assunto. Primeiro conversei com o deputado Evander Vendramini sobre o sonho dele em ter a deputada federal Rose Modesto (PSDB) em seu partido e candidata a prefeita da capital. Depois falei lá mesmo na Assembleia Legislativa com Sérgio de Paula, ‘cap’ do diretório estadual do PSDB. Ele – que também havia conversado minutos antes com Vendramini – argumentou: “as regras são claras sobre o papel e força dos partidos em relação aos mandatos de seus filiados. Isso não pode ser ignorado”. Enfim, o mandato é do partido!

ENCONTROS Papo agradável em evento na OAB-MS com João Batista, que foi Secretário de Segurança no Governo de Pedro Pedrossian. Ele fora prestigiar a neta que recebeu a carteira de advogada das mãos do presidente Mansour Karmouche, que aliás integrou-se ao papo de lembranças saudáveis de ‘outros tempos’, sem internet e celular. Nesta semana também estive com o dr. Antonio Cruz (PSDB) – médico e vereador. Ele que já disputou 13 eleições desde 1988, exerce a vereança pela 5ª. vez. Sobre a política insiste na tese de que essa relação com o eleitor é um eterno aprendizado. Bom papo!

‘NOVOS TEMPOS’ Política era machista, depois as mulheres conquistaram seu espaço e agora é a vez das ‘trans’. Aqui a nova classe da política já tem representantes assumidas na tradicional Câmara de Paranaíba e Amambai. Quando da visita delas à Assembleia Legislativa vem o dilema: qual banheiro usar? Uma das vereadoras ‘trans’ tem exigido seus direitos pelo uso do banheiro feminino. Segundo relato de um assessor da Casa, a ida ao banheiro é precedida de uma operação limpeza de funcionários e de vigilância para evitar surpresas ou outros problemas. Dependendo das eleições de novas ‘trans’, um banheiro exclusivo terá que ser construído no Legislativo Estadual.

BOLSONARO “...Seja o que for, é decididamente o primeiro presidente, em longos anos de desgraças, que deu um basta à orgia comandada por empreiteiras, banqueiros, escroques da pior espécie e partidos que existem para assaltar a República. Se for só isso, já terá prestado um inestimável serviço. Embora não se possam relegar a segundo plano as críticas oceânicas ao seu “modus”, ainda possui crédito que os eleitores lhe deram. Muitos entendem que, se ele afundar, reemergirá com toda a força a podre política, o mecanismo perverso de arrombar o pais...” (Vittório Meddioli)

RÁPIDAS
Deputado Antonio Vaz (Republicanos): Pede escola na região das Vilas Vacilio Dias e Nilton Nogueira em Nova A. do Sul e conservação das ruas do assentamento rural na mesma cidade; quer instituir o Dia do Jornalista do Serviço Público.
Deputado Herculano Lopes (Solidariedade): No dia 2 presidiu audiência para tratar da prevenção ao suicídio na sociedade: presidiu sessão solene no dia 3 para comemorar o Dia do Profissional de Educação Física e homenageou vários integrantes desta classe.
Deputado Lídio Lopes (Patri): Propõe ampliar o ICMS ecológico a municípios com áreas indígenas demarcadas; pediu mais recursos aos programas de assistência social e saúde; presidiu sessão semanal da Comissão de Constituição Justiça Redação.
Deputado Neno Razuk (PTB): Sancionada lei de sua autoria criando a Farmácia Veterinária Popular; pediu a criação do Dia da Escola Bíblica; esteve em secretarias estaduais acompanhando prefeitos e vereadores da região de Dourados.
Deputado Jamilson Name (PDT): Procurado por grupo de mães pediu expedição de ofício à Prefeitura Municipal e a Delegacia Especializada de Infância e Juventude para coibir excessos devido ao uso de bebidas alcoólicas em eventos particulares.
Deputado José C. Barbosa (DEM): Autor de projeto criando nova denominação ao programa “Casa de Saúde”, na av. Afonso Pena (capital); manteve contato com lideres comunitários e vereadores de cidades da região de Dourados; ativo nas sessões.
Deputado Evander Vendramini (PP): Quer instituir o ‘Dia do Homem Pantaneiro’; foi a Brasília tratar de recursos para sua região através de emendas parlamentares; reuniu-se com a cúpula do Partido Progressista com vistas as eleições de 2020.
Deputado João Henrique (PR): Na Comissão de Constituição Justiça Redação votou pela instituição da Semana do Economista; viu sancionada lei de sua autoria protegendo o consumidor desempregado nas suas relações com empresas de telefonia/televisão.
Zé Teixeira (DEM): é de sua autoria projeto que beneficia na inscrição de concursos os candidatos que prestam serviço a Justiça Eleitoral nas eleições; recebeu em gabinete o vereador douradense Aparecido Medeiros da Silva e visitou vários órgãos públicos.
Deputado Gerson Claro (PP): Foi a Brasília alinhar ações para garantir inclusão de emendas parlamentares em benefício de vários municípios; participou de reunião da direção nacional de seu partido tratando de assuntos referentes as eleições de 2020.
Deputado Marçal Filho (PSDB): Na tribuna falou a proteção ao meio ambiente; autor de projeto obrigando escolas e estabelecimentos de saúde a notificarem o atendimento a tentativas de suicídio/automutilação; pediu solução do transporte escolar de Dourados.
Marcio Fernandes (MDB): Imprimindo ações políticas para atender produtores do campo e fortalecer entidades do agronegócio. Tem mantido contatos com a ministra Tereza Cristina – da Agricultura para agilizar providencias referentes a financiamentos.
Londres Machado (PSD): Íntimo da problemática relação índios e produtores do Cone Sul e da Grande Dourados, quer ampliar benefícios do ICMS ecológico aos municípios com áreas indígenas demarcadas; recebeu lideranças do interior em seu gabinete.
Deputado Lucas de Lima (Solidariedade): Presidente da Comissão de Meio Ambiente apresentou projeto voltado ao problema das queimadas urbanas instituindo a ‘Semana de Prevenção a Queimadas Urbanas’; recebeu lideranças comunitárias no gabinete.

Comentário

1-DO LEITOR: “Por que não internacionalizar a preservação da Amazônia com uma remuneração de aporte internacional em benefício dos fazendeiros e Estados que mantivessem intocáveis suas florestas? Dados da Nasa mostram: o Brasil tem 66% da sua vegetação nativa preservada e cultiva só 7,6% de suas terras. Já a Alemanha cultiva 56,9% - a Dinamarca 76,8% - a Irlanda 74,7%; o Reino Unido 63,9%. A área cultivada na França (31.795,512 hectares) junto com a área plantada da Espanha (31.786.945 hectares) equivale a área cultivada (63.994.709 hectares) no Brasil”.

2-DO LEITOR “Falso o bordão “Amazônia – pulmão do mundo”. Suas florestas consomem quase todo o oxigênio que produzem. As algas marinhas jogam na atmosfera 55% do oxigênio produzido no planeta. Angola e Congo queimando igual no Brasil. Os militantes digitais profissionais e a grande imprensa sem verbas oficiais destilam asneiras como aquela fala da cantora Anita. Num passe de mágica as florestas da região amazônica abrigando girafas, rinocerontes e outros animais africanos esturricados como mostra a mídia. A festa midiática com o fogo é grande”.

CONCLUSÃO Tudo não passa de ‘cortina de fumaça’, marketing das potencias europeias e ONGs que faturam sob o pretexto de cuidar das florestas e índios. Aliás, as reservas indígenas afrontam a nossa soberania, de onde são retirados minerais preciosos e proporciona o contrabando de mogno e outras madeiras valiosas. “Curiosamente” não existem ONGs no Nordeste, região que nada tem a oferecer financeiramente. Por que esses países não declaram ‘patrimônio da humanidade’ as reservas de gás da Rússia? Enfim; é a esquerda mundial – oportunista - contra o atual Governo brasileiro que destronou o PT do poder. Nem mais – nem menos!

DESABAFO do general Luiz Gonzaga Schoeder Lessa: “...Pode a Alemanha nos ensinar alguma coisa, quando foi uma empresa sua que deu o laudo comprometedor que permitiu a catástrofe de Brumadinho? Ou a Noruega nos criticar quando sua empresa de celulose Hidro Alunorte polui a cidade de Barcarena e os rios amazônicos que a circundam? E quanto a França, que está capitaneando toda essa pressão sobre o Brasil, pode ela nos ditar alguma regra de proteção ao meio ambiente ao devastar a Polinésia Francesa e comprometer a vida no Taiti com altos índices de radiação, fruto dos seus testes atômicos na área?....”

SEGUNDO ATO A candidatura do ex-juiz Odilon de Oliveira ao Governo Estadual ainda rende ‘bate boca’ nos círculos políticos. Primeiro - o presidente do PDT Leite Schimidt ironizou em recente entrevista: “Quando a gente mexe com política, tem de mexer com política. Eu fui pegar uma pessoa que não era político. Ele (Odilon), com alguns meses já estava apoiando o Bolsonaro, embora o PDT dava dinheiro para ele apoiar o Ciro Gomes... ( - ) nós não vamos errar duas vezes... ( - ) O PDT terá candidato a prefeito com pessoas que fazem política e não é o Odilon de Oliveira. Pode ser o Dagoberto Nogueira...”

A RESPOSTA do ex-juiz Odilon veio dias depois em nota distribuída à imprensa, embasada nos elogios feitos pelo ex-senador Ciro Gomes (PDT) e do próprio presidente estadual Leite Schmidt quando do lançamento de sua candidatura ao Governo. Lembrou que Ciro e Schimidt enalteceram as condições morais do candidato dizendo inclusive que ele “não tinha experiência para roubar”. Na nota Odilon reagiu ao argumento de Schimidt - confessando que não pretende mudar de postura na tentativa de se eleger para qualquer cargo eletivo. A previsão é que tenhamos o terceiro capítulo nesta novela de lamúrias e acusações. Mas esse embate não leva a nada. Ninguém ganha com ele.

A ESPERTEZA come a mão do esperto. O ditado antigo se aplica também na política quando o resultado das urnas castiga experientes políticos, vistos como proeminências na arte de arquitetar candidaturas e costurar alianças tidas como insuperáveis. Schimidt não foi o primeiro ‘esperto’ a perder. Lá atrás Pedro Pedrossian apostou em José Elias Moreira ao Governo e perdeu. Wilson B. Martins (MDB) investiu em Ricardo Bacha (PSDB) e dançou. André Puccinelli (MDB) não ouviu ninguém e impôs Edson Giroto (PR) como candidato a prefeito de Campo Grande e foi um vexame. Imagine agora com a internet e as redes sociais denunciando fatos e personagens na campanha. A fritura será em óleo fervendo.

OPINIÃO de Eliseu Auth (promotor de justiça aposentado no Paraná): “...Agora, saibam os que atacam a nova lei do abuso - que é o Ministério Público quem vai iniciar a ação e é o juiz ou o tribunal quem vai julgar. Onde está a o perigo? A lei precisa dizer o que as autoridades podem fazer e o que não devem fazer. Elas têm que ter limites! Democracia é assim. Ditador é que gosta do abuso. O que me preocupa é o vezo autoritário de quem pede o veto total à lei. Por isso tudo e por muito mais dou boas vindas à lei do Abuso de Autoridade...”

ENTRAVE? Tido como possível candidato a prefeito de Dourados, o deputado estadual Marçal Filho (PSDB) é notícia com a denúncia contra ele oferecida pelo Ministério Público Federal com a acusação de corrupção passiva em 2010. O parlamentar reagiu taxando a notícia como ‘estranha’ visto que a denúncia já teria ocorrido havia mais de um ano e que já fez sua defesa no Supremo Tribunal Federal. Para evitar maior exploração política o parlamentar preferiu não entrar em detalhes sobre o caso e a estratégia adotada na defesa. Claro, o caso não acabará agora e seu final não deixará de ser um fato político. Ignorar isso seria ingenuidade.

COMPARANDO Após 40 anos da divisão, Mato Grosso tem a população de 3.484.466 habitantes contra 2.748.023 habitantes de Mato Grosso do Sul. Cuiabá - 612 mil habitantes e Campo Grande 885 mil habitantes. Várzea Grande – 285 mil habitantes e Rondonópolis 232 mil habitantes contra 220.965 habitantes de Dourados. Outras cidades do MT: Sinop 143 mil – Tangará da Serra 103 mil – Cáceres 94 mil – Sorriso 90 mil – Lucas do Rio Verde 65 mil – Primavera do Leste 62 mil – Barra do Garças 61 mil – Alta Floresta 51 mil. Detalhe: Cuiabá e Várzea Grande juntas somam 897.500 habitantes, praticamente a mesma população de Campo Grande.

AGRONEGÓCIO e Indústria são as molas propulsoras do progresso nas cidades do Mato Grosso. Os números acima proporcionam essa leitura. Aqui em nosso Estado não é diferente. Dourados (220.965 mil habitantes), Três Lagoas (119.465), Ponta Porã (91 mil), Sidrolândia (56 mil), Naviraí (54 mil), Nova Alvorada (53 mil), Aquidauana (47 mil), Maracaju (46 mil), Paranaíba (42 mil), Amambai (39 mil), Rio Brilhante (37 mil).Vale destacar: município de Mato Grosso com menor população é Araguainha, 935 habitantes e no Mato Grosso do Sul é Figueirão, com 3.044 habitantes.

AVISANDO Já estará valendo para as eleições de 2020 a lei sobre ‘fake news’. Ela prevê pena de prisão de 1 a 8 anos, além de multa, para quem acusar falsamente um candidato a cargo político com objetivo de afetar sua candidatura. Essa pena aumenta se o caluniador agir no anonimato ou com nome falso. E mais: incorrerá nas mesmas penas quem – ciente da inocência do denunciado e com finalidade eleitoral de divulgar ou propalar, por qualquer meio ou forma, o ato ou fato que lhe foi falsamente atribuído. O pessoal precisa se conscientizar que essa mania de achincalhar a honra de terceiros pode sair muito caro aos culpados. Juízo e caldo de galinha...

A DÚVIDA A Rumo Logística ganhou de mão beijada a concessão (no Governo FHC) da antiga Ferrovia Noroeste e faltando 7 anos para findar a concessão apenas usufruiu da velha estrutura. Praticamente não investiu nada e todo o acervo mais parece sucata. Agora ela quer prorrogação por mais 30 anos da concessão no trecho que passa pelo nosso Estado, prometendo investir R$ 1,2 bilhão na aquisição de locomotivas, vagões e troca dos trilhos e dormentes. Tudo isso porque há previsão da demanda do trem no transporte da ureia boliviana. Duas perguntas: o dinheiro deste investimento virá do BNDES? Quem garante que a empresa cumprirá essa promessa?

O EMBATE Quando o assunto é referente ao meio rural não tem para ninguém na Assembleia Legislativa. Os deputados Pedro Kemp (PT) e Zé Teixeira (DEM) monopolizam as atenções – cada qual com seus argumentos e estilos. O primeiro tem um olhar teórico da esquerda sob o viés social; o segundo tem a experiência pessoal como homem ligado diretamente a terra, o que aliás faz questão de ressaltar. Nesta semana ambos protagonizaram um embate que arrancou aplausos e risos sobre os incêndios na Amazônia. Essa é a função do parlamento que justifica assim a própria origem ou significado etimológico de ‘parlar’ – falar.

UM PERIGO! Nosso Estado é uma das portas de entrada de agrotóxicos oriundos de outros países. Aliás, 20% deste produto consumido no Brasil vem do contrabando. O pior: eles são adquiridos sem orientação técnica e aumenta os riscos de intoxicação humana e contaminação ambiental através de embalagens abandonadas e descartadas em lixões e aterros. O problema é que visando lucro maior - agricultores acabam sendo coniventes fomentando o contrabando através da aquisição destes produtos. Os preços deles aqui são caros por dois motivos: carga tributária e a falta de concorrência; apenas 4 empresas comandam esse cartel. Resolver esse problema não é nada fácil.

RÁPIDAS
Deputado Antônio Vaz (PRB) Requer a criação do Dia do Economista e a instituição da medalha Adam Smith: presidiu audiência pública referente ao Hospital Regional e comandou a ‘Marcha para Jesus’ no aniversário de Campo Grande.
Deputado Lídio Lopes (Patriota) Presidiu reunião da Comissão de Constituição Justiça e Redação analisando 19 proposições; representou a Assembleia Legislativa na reunião do Codesul (Conselho de Desenvolvimento do Sul) em Porto Alegre.
Deputado Marçal Filho (PSDB) Pede a instituição da campanha “Agosto – Mês Cinza” visando debater propostas de prevenção e combate a incêndios. Representou a Assembleia Legislativa na reunião da UNALE na cidade de Florianópolis (SC).
Deputado Gerson Claro (PP) Requer que o Assentamento Itamarati com 17 mil pessoas seja declarado de utilidade pública para facilitar suas relações com Governo e órgãos públicos; recepcionou líderes políticos do interior e da capital no gabinete.
Deputado João H. Catan (PR) Quer valorizar nossa história, identidade e cultura com mudanças no calendário de eventos referente a 11 de outubro como data da criação e não como da ‘divisão’ como consta atualmente. Visitou vários órgãos públicos.
Deputado capitão Contar (PSL) Falou sobre os aspectos positivos que envolvem a campanha “Semana do Brasil” no mês de setembro para aquecer o comércio. Ativo nas sessões, recebeu visitas diversas no gabinete e visitou 3 Secretárias de Estado.
Deputado Lucas de Lima (Solidariedade) Viu aprovado seu projeto de lei instituindo o ‘Dezembro Verde’ que objetiva conscientizar a população a cuidar dos animais domésticos, evitando que sejam abandonados nas ruas da capital e cidades do interior.
Deputado José C. Barbosa (DEM) Pede a instituição da Medalha do Mérito Ruy Barbosa para homenagear os escrivães de polícia no dia 5 de novembro “Dia do Escrivão”. Questionou a aplicação da verba estadual ao Hospital Regional.
DeputadoEvander Vendramini (PP) Viu aprovado seu projeto regulamentando o teste de aptidão físico de candidatas gestantes; apresentou projeto dispondo sobre o uso de produtos inflamáveis em móveis que adornam locais residenciais.
Deputado Marcio Fernandes (MDB) Atendeu acompanhando produtores rurais da região Norte do Estado junto ao Governo; visitou vários órgãos públicos para agilizar o atendimento de suas reivindicações. Atento as questões envolvendo o agronegócio.
Deputado Jamilson Name (PDT) Apresentou proposição para promover a inclusão de ex-atletas de todas as modalidades em eventos esportivos promovidos no Estado. Preocupado com a situação das famílias menos favorecidos nas periferias da capital.

Comentário

SEM MEMÓRIA Café amigo com o Secretário da Saúde de MS Geraldo Resende. Contou sua vida e trajetória política. Tem leitura sem retoques do cenário político. Comunga com a tese de que o eleitor não faz sua parte na urna. Ao invés de rejeitar os desqualificados vira cúmplice, vincula o voto às vantagens pessoais. No pleito municipal de Dourados em 2016, ele vivenciou situação típica. Uma eleitora que se beneficiava da escola, posto de saúde e asfalto - frutos de emendas do candidato no exercício do mandato na Câmara Federal, simplesmente ignorou os benefícios e exigiu uma ‘oncinha’ (nota de R$ 50) pelo voto. Geraldo simplesmente dispensou o voto.

REFLITA: “Desde que o Congresso aprovou o projeto de lei que criminaliza o abuso de autoridade, tem havido uma saraivada de críticas afirmando que a nova lei seria revanchista, desequilibrada e perigosa para o bom funcionamento da justiça. Tal oposição não apenas ignora o conteúdo do projeto de lei. As críticas ignoram o fato insofismável de que a nova lei tem uma característica única. É simplesmente impossível que ela seja interpretada enviesadamente, de forma a dificultar a ação dos juízes e procuradores, pela simples razão de que os intérpretes da nova lei serão os próprios juízes e os membros do Ministério Público...) (Editorial/Estadão)

A COMEMORAR A lucidez e conhecimento, coadjuvados pela simplicidade no trato com pessoas de todas as classes sociais fazem do desembargador Claudionor A. Duarte referência como julgador sem jamais abusar da autoridade. Representante estimado dos advogados no Tribunal de Justiça - há 32 anos completados recentemente, é o mais antigo dos desembargadores do país eleitos pelo ‘Quinto Constitucional’. Ao seu estilo atende a todos no gabinete, o mais frequentado da Casa. Como disse o mestre Evandro Lins e Silva: “Uma vida longa dá para tudo, expõe sua percepção do tempo decorrido e de sua trajetória dentro dele”. Merecidamente, na sessão da Câmara no próximo dia 28, o deputado Fabio Trad ocupará a tribuna para homenagear o nosso desembargador.

EM ALTA Apesar das blasfêmias petistas, principalmente, a Operação Lava Jato tem a confiança da grande maioria dos brasileiros. Um levantamento recente mostra os números justiceiros nestes últimos 5 anos desta força tarefa. Foram oferecidas nada menos que 101 denúncias contra 445 pessoas e registradas a condenação de 159 réus que chegam a impressionante marca de 2.249 anos, 4 meses e 25 dias de pena – até o mês de julho de 2019. Se você é contra a prisão do ex-deputado Eduardo Cunha (MDB), do ex-governador do ‘Rio’ Sérgio Cabral (MDB), do ex-presidente Lula (PT) e do ex-ministro José Dirceu (PT), estará justificada sua posição crítica à Lava Jato.

POLÊMICA Passado chic pode! Impressionante como a ideia de se aproveitar o prédio do antigo Hotel Campo Grande mexeu com toda a capital. Na internet a discussão ganhou contornos saudosistas até. O fotógrafo Roberto Higa está publicando fotos em seu facebook de eventos memoráveis naquele que era considerado o ‘point’ da cidade. Profissionais liberais, intelectuais e gente nova metendo sua colher e dando seus pitacos pertinentes ou não. Aliás, há quem já sugeriu o aproveitamento do prédio para abrigar um hospital (que loucura!). Mas o prefeito Marcos Trad (PSD) se mantém firme, sem radicalismo, no projeto de aproveitar o prédio para moradores de baixa renda. Se vai dar certo só o tempo dirá. Até lá curtiremos o material na mídia.

DE FOICE... A luta pela sobrevivência nas mais diferentes atividades comerciais e profissionais (médicos, dentistas, advogados, etc) requer cacife e criatividade para não ser levado pela ‘correnteza’. Aliás, tem muita gente segurando no barranco para não ir água abaixo. A competição no ramo farmacêutico, por exemplo, vai se acirrando. Não se sabe qual a ‘poção mágica’, mas a variação de preços assusta. Um amigo conta: uma caixa de um remédio em determinada farmácia custa R$ 27 e na outra, R$ 130.

JUNTINHOS? Por conta da bronca contra o PSL do presidente Bolsonaro que apoia a Lava Jato, que mandou pra cadeia figuras dos dois partidos, inclusive aqui no Estado, o ex-governador Zeca do PT já admite aliança com o ex-governador André Puccinelli (MDB) no pleito de 2020. Aliás, sobre essa possibilidade, um filósofo no saguão da Assembleia Legislativa ironicamente disparou: “será que convidarão o Giroto (ex-deputado preso) para o mesmo palanque?” Outro observador alfinetou: “mas antes é preciso ver se até lá o André continuará ou não em liberdade”. Enfim, essa hilária união anunciada já provocou arrepios no eleitor de bom senso e boa memória – é claro!

O MESMO Na vida vamos aprendendo e fazendo a releitura de tudo. A propósito, continua imutável o estilo do ex-ministro Ciro Gomes (PDT) desde a eleição em 2002 perdida pelas suas opiniões sobre o papel da mulher na campanha. Em Campo Grande usou termos chulos contra o atual Governo e ignorou números positivos: a taxa Selic de 6% anual é a menor da história; contas públicas: o menor índice em 4 anos; desemprego: 12% - a menor taxa nos últimos 5 anos; turismo: aumento de 15% no 1º semestre; assassinatos: caíram 22% nos últimos 5 meses. O melhor: ninguém deste governo está roubando. Encaixado, hoje Ciro não avança no centro e nem na esquerda.

MEIA SOLA Na impossibilidade de lavar e polir o carro opta-se pela econômica ‘meia sola’. Após a ‘Reforma da Previdência’, o resultado deve se repetir na Reforma Tributária. Nela já se vislumbra a grande novidade: a volta do famoso ‘imposto do cheque’ com outra denominação. A tendência é que apenas se facilite o pagamento dos tributos reunindo-os em menos boletos, passando a falsa impressão de que o contribuinte será menos penalizado. Alguém já comparou essa situação à reforma de uma casa, onde perde-se tempo discutindo as cores das paredes e ignora-se o estado dos alicerces e do telhado cheio de goteiras. É mais ou menos por aí mesmo.

NÚMEROS da Ranking Pesquisas em 20 cidades, ouvindo 2.400 pessoas entre 11 a 21 de Agosto, de acordo com a Justiça Eleitoral; artigo 33 da Lei 9.504/1997 e TSE – 23.546/2017. Governo Estadual: bom/ótimo 37,12% - regular 30,04% - ruim/péssimo 20,25% - não sabem/não responderam 12,59%. Governo Federal: bom/ótimo 44,37% - regular 27,16%; não sabem/não responderam 11,43%. Senadores: Nelsinho Trad (PSD) 32,04% - Simone Tebet (MDB) 23,16% - Soraya Thonicke 20,80 (PSL). Câmara Federal: Fábio Trad (PSD) 21,20% - Rose Modesto (PSDB) 10,04% - Bia Cavassa (PSDB) 5,50% - Luiz Ovando (PSL) 3,62% - Vander Loubet (PT) 3,08% - Tio Truts (PSL) 2,25% - Dagoberto Nogueira (PDT) 1,16%. Não responderam 49,03%.

ANÁLISE Primeiro é preciso levar em conta que dos 2.400 entrevistados nesta amostra, cerca de 44,10% são residentes em Campo Grande, o que dá uma visão bem alargada do cenário. Evidente que existem imprevistos, terremotos, etc. Neste ‘tsunami financeiro’ que atingiu a maioria dos Estados, estamos ainda a salvos, apesar das dificuldades. A população absorveu bem as comparações e a situação nacional. Quanto a projeção de Nelsinho Trad se deve a sua capacidade de articulação e prestígio no Planalto. Em relação aos nossos representantes na Câmara, não há dúvida que devido a vários fatores – incontestáveis – o deputado Fabio Trad vem se destacando mais.

A SAÍDA? De um lado o PT – de outro o PSL. Ambos vistos como partidos que representam os extremos. No meio desta batalha sobraram as siglas desgastadas que perderam espaço nas últimas eleições. E aí cresce o movimento para fundir PSDB com DEM, MDB, PP, PTB e PSD inclusive. Saladão? Seria uma sigla nova com cara de centro oxigenado em sintonia com a nova realidade nacional e as aspirações do povo brasileiro. Evidente que há divergências, interesses conflitantes e gente com ficha suja e imagem estigmatizada por denúncias e suspeitas de corrupção. E mais: como acomodar os interesses regionais onde há disputas ferozes?

A TÁTICA do governador João Dória Jr (PSDB) é emparedar o ‘bolsonarismo’ na direita e atrair o deputado Rodrigo Maia (DEM) como seu companheiro de chapa em 2022 (cedo demais!). A fusão só do PSD, DEM e PSDB daria uma bancada de 92 deputados e no Senado teria 22 senadores, superando o MDB com 12 atualmente. E não se pode esquecer do dinheiro do fundo eleitoral que seria a maior fatia do país, ou seja: R$ 386 milhões – bem mais do que os R$ 234 milhões do MDB e dos R$ 212 milhões do PT. O novo partido teria 7 governadores, número superior do PT com apenas 4.

ESPERTO O governador João Dória parece ignorar o velho ditado: “a esperteza come a mão do esperto”. Mas ele continua ávido pelo poder ocupando espaços com discurso anti PT querendo ser o protagonista maior contra o partido da estrela vermelha e Lula. Lembrando: no 2º turno das eleições estaduais em São Paulo Dória fez declarações de amor a Bolsonaro e agora começa a fazer críticas ao Chefe da Nação. Como o eleitor liberal ou radical acatará a proposta dele para tentar chegar ao Palácio do Planalto? Se Bolsonaro fizer um bom mandato Dória terá que dar adeus às ilusões. Se o desempenho do atual presidente for negativo Dória conseguirá se impor como seu herdeiro eleitoral?

SENADOR Nelsinho Trad (PSD): “...Assim que a rota bioceânica estiver em operação, a carga de Mato Grosso do Sul será levada à Antofagasta (Chile) em dois ou três dias. Depois o produto poderá ter como destino a Ásia. Evita-se o congestionamento dos portos de Santos e Paranaguá e passagem pelo Estreito de Magalhães, que é perigoso, ou o Canal do Panamá, que é caro. A viagem entre Antofagasta e Xangai consome 49 dias; economizam-se 14 dias... Os produtos chilenos, argentinos e paraguaios passarão a ingressar no Brasil por Porto Murtinho, Corumbá e Ponta Porã. Os produtos da região chegarão aos mercados mais distantes a preços mais competitivos...”.

ALTA COSTURA O presidente regional do PSDB – Sergio de Paula – vem demonstrando excelentes dotes na alfaiataria política. Ao seu estilo já admitiu que o partido tem duas candidaturas postas: em Corumbá com o atual prefeito Marcelo Yunes e em Dourados com o deputado estadual Marçal Filho. marçal apresenta1O presidente admite alguns entraves em Dourados – onde o deputado José Carlos Barbosa (DEM) não esconde suas pretensões. Mineiramente Sergio está conclamando as lideranças douradenses a adotarem o diálogo. Sobre isso consultei o deputado Marçal que apenas exclamou sorrindo: “Alô, você!!!”.

SURPRESA! Depois do PT e PTC, agora o ex-senador Delcídio do Amaral chegando ao Partido Trabalhista Brasileiro graças as articulações do presidente regional da sigla, deputado Neno Razuk. Ao seu estilo, Delcídio faz planos e projeta novos embates no cenário político. Mas é claro que antes ele precisa solucionar pendências jurídicas sobre sua condição eleitoral. Cá entre nós – um desafio e tanto nesta altura do campeonato (ou da vida como queira). Mas valem os sonhos e os desejos do homem.

RÁPIDAS

Deputado Antonio Vaz (PRB) Pediu um Centro Comunitário na Vila Taveiro (rua da Pátria); Requereu a criação da Semana do Economista; quer audiência para debater a situação do Hospital Regional e Semana de Prevenção a Violência auto-proclamada.
Deputado Capitão Contar (PSL) Recepcionou simpatizantes e lideranças no gabinete, participou ativamente das sessões e apresentou proposição pedindo que os recursos do Fundersul sejam aplicados exclusivamente em prol deste segmento econômico.
Deputado Evander Vendramini (PP) A seu pedido 3 leis de 2009 foram revogadas; autor da proposição da criação da Frente Parlamentar Pró Fronteira; pediu instalação de redutor de velocidade na rua D. Aquino, na capital. Presente em todas as sessões.
Deputado Marçal Filho (PSDB) Quer a obrigatoriedade do uso de placas locais pelos veículos das locadoras atuantes no MS; representará a Casa no Codesul: coordenou a reunião da Frente Parlamentar em Defesa da Saúde Mental. Ativo nas sessões semanais.
Deputado João Henrique (PL) Viu aprovada a lei de sua autoria sobre Criação do Cadastro Único para pessoas deficientes; conseguiu retirada de pauta de projeto que limita o uso da tribuna; atento e combativo na tribuna e nos apartes.
Deputado Lídio Lopes (Patriota) Representará a Casa nas reuniões do Codesul; prestigiou a posse do vereador Edson Moraes de Souza (de seu partido) como prefeito interino de Miranda. Despachou na Comissão de Constituição Justiça e Redação.
Deputado Paulo Corrêa (PSDB) Além de presidir as sessões apresentou projeto visando homenagear integrantes do CREA (Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura) pela atuação nestes 40 anos da criação do Mato Grosso do Sul.
Deputado Lucas de Lima ( Solidariedade) Recebeu título de ‘Cidadão Honorário’ na Câmara Municipal da capital. Presidente da Comissão do Meio Ambiente expandirá sua ação a cidades do interior. Homenageou os influenciadores digitais em sessão solene.
Deputado Marcio Fernandes (MDB) Foca sua atuação nas causas voltadas ao homem do campo; criou e preside a Frente Parlamentar de Defesa do Agronegócio; preside a Secretaria Nacional da Agricultura da UNALE.
Deputado José C.Barbosa (DEM) Cobrou repasse dos R$ 89 milhões prometidos pelo Governo Federal à Segurança do MS; na tribuna analisou a queda do índice do ICMS de Dourados; ativo nas sessões com conhecimento jurídico sobre as causas em pauta.
Deputado Jamilson Name (PDT) Viu aprovado seu projeto sobre o usado de bórax na fabricação de slimes; autor de proposta para incluir a Festa do Costelão Pantaneiro em Rio Negro ( em benefício da APAE) no calendário oficial de eventos do Estado.
Deputado Herculano Borges (Solidariedade) Atento e competente nas funções que exerce na mesa diretora; viu aprovada sua proposta concedendo voto de louvor ao atleta do Box Popó pelas suas conquistas representando o esporte brasileiro.
Deputado Neno Razuk (PTB) Como presidente do PTB Regional comemorando a filiação do ex-senador Delcídio do Amaral; recebeu dezenas de filiados e lideranças de bairros da capital em seu gabinete; despachou com vários secretários estaduais.
Deputado Londres Machado (PSD) No seu movimentado gabinete recebeu visitas de vereadores, ex-prefeitos e lideranças comunitárias. Nas sessões – ao seu estilo tranquilo faz valer sua experiência em determinadas situações conflitantes. Continua ‘Chinês’!

Na Internet: “Os últimos serão os primeiros, mas a porta já estará fechada” (Solda)

Comentário

SALTO ALTO A soberba abrevia a vida dos políticos. Sobre eles Santo Agostinho dizia que eles fingem condenar a soberba, mas agem de modo soberbo. Na relação com a imprensa os políticos precisam parar de imaginar que representam a si próprios. Ora! Não interessa a posição de cada um; o poder que exercemos é transitório. Ao final todos nós iremos para o ‘mesmo lugar’. A imprensa é o elo dos políticos com sociedade cética de seus propósitos . Se a sociedade desconhece o caráter dos políticos, cabe à imprensa desnudá-los. Nem todos são o que parecem ser. Acho muito fria a relação de ‘políticos nariz empinado’ com imprensa. Mas podia ser bem melhor neste Estado provinciano.

DE LEVE... A soberba é um rico manancial de reflexões em todos os segmentos de atividades. Para Cervantes a soberba era a mãe da ingratidão. Lutero incluiu a soberba no trio de cães perigosos ao lado da ingratidão e a inveja. Aliás, vale citar a suposta postagem atribuída ao ex-senador Delcídio do Amaral (PTC) no seu perfil do twitter em 2015; “Vale a máxima do filme Advogado do Diabo com Al Pacino – soberba, meu pecado predileto.” Mas o ex-presidente Lula (PT) e o ex-ministro Zé Dirceu (PT) – pela empáfia – também são vistos ao lado de outros homens públicos, como soberbos de alto quilate. Mas... “ a vida é como o mar; um dia acaba devolvendo tudo”.

ARQUIVO Após a prisão de Delcídio os internautas resgataram antigas mensagens de sua suposta autoria. Algumas: “...Se malandro soubesse como é bom ser honesto, seria honesto só por malandragem! Bom final de semana pra todos”... “Bom dia! O Efésios pra hoje é o 6:16 “Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno”... “Notícia boa pro nosso judiciário: o professor Fachin vai compor e abrilhantar ainda mais o STF”...De tanto ouvir minhas filhas tocando Lady Gaga, vou acabar gostando. Vale assistir o DVD “Telephone” com a...Beyoncé. Boa noite”... “Pra mim, os maiores pecados são aqueles que vão na estrada da mentira: desinformação, calunia e a difamação.” (12/07/2015)

EMOÇÃO Contra a imagem plantada na mídia contra ele, sempre defendi que o ex-governador Marcelo Miranda fora um bom gestor, embora politicamente tenha saído desgastado por vários fatores – inclusive do ex-governador Pedro Pedrossian que articulava sua volta ao poder. Com os pedidos de empréstimos ‘barrados’, Marcelo não pagou o funcionalismo e veio a crise. Mas nesta semana, ainda sob tratamento médico Marcelo foi à Assembleia Legislativa para ser homenageado junto a outros ex-governadores. Por essas voltas que a vida proporciona, coube ao seu neto – deputado João Henrique ( PR) acolhê-lo naquele momento mágico e emblemático. É a vida.

XICO GRAZIANO: “...os agricultores não abrem terras, nem plantam ou criam, baseados em decisões individuais. Fatores coletivos, sinalizados pelos mercados, os induzem a investir e trabalhar no campo....Ainda por muito tempo a satisfação alimentar dos seres humanos irá pressionar recursos naturais da Terra....Os chineses começaram agora a experimentar o gosto delicioso de um churrasco. E sem o farelo da nossa soja eles não conseguem engordar o porco nem o frango que tanto adoram. Vale na África, Indonésia, Turquia. Alhures. O agro brasileiro exporta alimentos e matérias primas para 162 países...” ( Ex- deputado federal;1998/2002 e ex-presidente do INCRA;1995)

‘OS ARGENTINOS’: “ ...O primeiro país do mundo que acabou com o analfabetismo não foi os Estados Unidos, nem a França. Foi a Argentina. Como poderia ser o país empobrecido, caótico e subdesenvolvido que é hoje? O que aconteceu? Alguém invadiu? Não, os argentinos fizeram isso eles mesmos. Escolheram as piores opções ao longo de meio século. Por que eles não tem o mesmo padrão de vida que a Suécia, como a Suiça? Porque não quiseram. Eles queriam ser pobres. Siga “caudilhos” de pancotilia, “salvadores” de porcaria....Há uma responsabilidade do povo argentino nisso...” ( artigo ‘Sim, eu choro por você Argentina”, de Mario Vargas LIosa, Nobel de Literatura)

A PROPÓSITO: “Macri merece ser punido nas urnas. Venceu com uma plataforma liberal e reformista, não teve coragem, convicção ou condição para implementar essa agenda, e governou como uma espécie de tucano, de esquerdista envergonhado... Mas Macri fracassou nessa missão, porque não foi direita de fato, não foi um liberal...Macri falhou e o argentino está irritado, com razão. Mas a reação não é racional; é com o fígado, e ele não costuma ser bom conselheiro nessas horas. O argentino vai punir Macri dando um tiro na própria cara, soltando o pino da granada cometendo suicídio coletivo...”. (Jornalista Rodrigo Constantino)

REFERÊNCIA O tempo vai passando e alguns personagens da nossa vida pública continuam lembrados na memória da população. Uns são motivos de elogios e arrancam expressões calorosas. Outros entretanto - não são esquecidos devido ao modo como se conduziram no exercício de cargos eletivos. Não corresponderam aos anseios daqueles que depositaram neles a esperança de dias melhores. Neste rol se encaixa o ex-prefeito Alcides Bernal (PP) que não conseguiu dar sequência ao ritmo de ações administrativas em Campo Grande e provocou a maior crise desde sua fundação. Bernal é hoje um motivo que inspira o eleitor para pensar mais e melhor nas eleições de 2020.

CONFIRA: “... O Brasil possui a terceira mais extensa Constituição do mundo, perdendo apenas para a Nigéria e a Índia. Todos os três países possuem grandes diferenças sociais e alta concentração de renda e, portanto, socialmente injustos . Por sua vez, a nossa Constituição possui 80 mil palavras. Em resumo, o Brasil possui muitas leis, mas pouco direito - corruptíssima republica, plurimae leges ( de Tácito) ou seja Estado Corrupto – Múltiplas Leis. ( Claudio Henrique de Castro – jurista em Curitiba)

NA TERRA O patrimônio político do PDT no Estado é de 1 deputado federal, 1 deputado estadual, 2 vereadores, 3 prefeitos e 71 vereadores. O ex-Juiz Odilon de Oliveira não passou de um meteoro ou cometa pelo partido. Mas qual será o sexo do PDT – também aqui ? Continuará prensado no estreito corredor entre a esquerda radical e os partidos liberais de centro? Será realmente protagonista das eleições em Campo Grande ou um mero coadjuvante? A votação do candidato do PDT em 2018 não conta, é passado, foi conjuntural e com apoio do MDB e Cia. A visita que o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) faz hoje à Campo Grande é a arrancada eleitoral do partido para 2020.

‘O TRÔCO” ou a revanche da classe política ao Ministério Público e Judiciário que foi aprovado na Câmara Federal sob o cognome de ‘combate aos abusos de poder’ ainda vai dar muito o que falar. Mas lembro: quem plantou a sementinha do projeto lá atrás foi o ex-deputado Paulo Maluf (PP) que na sua volta à Câmara Federal queixava-se da ‘injusta’ perseguição que fora alvo das autoridades no Governo de São Paulo e na prefeitura paulista. A ideia do ‘brimo’ germinou e já se pergunta por aí: nossas autoridades deixarão de ser intocáveis e sem limites?Só benesses? Tudo podem?

ALELUIA... Finalmente temos um Ministro da Justiça com real conhecimento das peculiaridades do Mato Grosso do Sul em matéria de segurança pública. No passado ficamos apenas nas promessas. Prova disso é que vamos receber nossa cota do Fundo Nacional de Segurança Pública no valor de R$ 89 milhões, equivalente a 5,24% do chamado ‘bolo nacional’. Apenas São Paulo receberá quantia superior a nossa. Com esse dinheiro será possível equipar e treinar nossos policiais e bombeiros inclusive, dando-lhes assim condições de combater os bandidos em igualdade de condições .

ATRASO Esquerdistas contra as reformas do atual Governo. Mas um dos fatores que impulsionaram os Estados Unidos foi a Lei criada em 1935 por Franklin Roosevelt que estabeleceu regras trabalhistas liberais: o salário mínimo, ganho por horas extras acima das 40 horas semanais, regulação dos contratos por hora trabalhada, todas as formas e funções, locais e o trabalho dos jovens. Lá a empresa não é obrigada a pagar 13º salário, não há FGTS, férias remuneradas, Imposto Sindical, Aviso Prévio e a multa de 40% na recisão. A empresa paga o Seguro Social (INSS) e o empregado paga o Medicare ( Seguro Saúde do Governo). As férias vão de 10 a 30 dias, dependendo do tempo de emprego. Se lá é ruim, porque então todos querem trabalhar na Terra do Tio Sam?

SEM PRESSA Quando o assunto é eleição, quem precisa e toma a iniciativa é a oposição. Sempre foi assim. Nestas eleições de Campo Grande a regra sábia se mantém: o prefeito Marcos Trad (PSD) adota a mineirice da aparente falta de preocupação sempre com um argumento na ponta da língua. Os adversários ( quais?) admitem que a tática do prefeito focar só na administração esvazia o discurso eleitoral e prejudica a oposição que tenta sem êxito o debate crítico. O jogo vai sendo jogado e Marquinhos dissimula bem, minimiza a importância de declarações e fatos . No seu ‘paíol’ ele vai armazenando munição para a batalha onde será o principal protagonista.

HILÁRIO Agora, Antonio Palocci o ex-todo poderoso homem forte da cúpula do PT que mandou de cabo a rabo neste país , é visto pela deputada federal Gleise Hoffmann (PT) como “sem qualquer resquício de credibilidade”. Esse acordo de delação premiada do ex-ministro – homologado pelo ministro Edson Fachin, do STF promete! Os petistas podem continuar negando as propinas, mas as empreiteiras citadas devem ter nas suas planilhas fortes indicativos da rota do dinheiro surrupiado. Nestas hora lembro aquela frase sem igual do então Ministro da Casa Civil José Dirceu (PT) pregando a moralidade nos primeiros dias de Governo Lula: “Acabou a roubalheira no Brasil”.

RÁPIDAS
Deputado Antonio Vaz (Republicanos) Presente nas homenagens às mulheres em Anastácio no último dia 1; presidente da Comissão de Saúde pediu da tribuna mais investimentos nesta área na capital e interior.
Deputado José C. Barbosa (DEM) Propõe a criação da Frente Parlamentar Pró Dourados; pede investimentos na infra estrutura e malha asfáltica daquela cidade; visitou secretárias e órgãos públicos na semana.
Deputado Capitão Contar (PSL) Cobrou do Governo definição sobre o resultado do concurso de bombeiros; autor de projeto protegendo funcionárias vítimas de violência doméstica: deu parecer contra a livre concorrência na venda de combustíveis.
Deputado João Henrique(PR) Aprovado seu projeto sobre relações das empresas de internet/telefonia/TV com assinantes desempregados; presente na sessão de homenagem aos ex-governadores; recebeu lideranças de bairros da capital no gabinete.
Incrível Vista antes como insignificante, a quantia de R$500,00 do FGTS virá em boa hora para milhões de brasileiros. Impressiona: de cada 100 devedores, 37 deles devem até R$500,00. Aonde chegamos!
Deputado Lucas de Lima(Solidariedade) Empossado na Frente Parlamentar de Recursos Hídricos; acompanha a tramitação de vários projetos seus e da demanda versando sobre a Reserva do Parque da Bodoquena, entre proprietários e o Governo Federal.
Deputado Gerson Claro (PP) Acompanhou vereadores do interior à vários órgãos públicos e Secretárias, ativo nas sessões da semana e participou da sessão solene homenageando advogados na Assembleia Legislativa.
Deputado José Teixeira (DEM) Aprovado seu projeto da licença paternidade na Assembleia Legislativa; viu atendido seu pedido de revitalização do prédio antigo do Castelinho de Ponta Porã; recebeu empresários da capital no gabinete.
Deputado Londres Machado( PSD) Recebeu lideranças do interior; acompanhou visita de vereadores a vários órgãos públicos; participou das sessões e exercendo o papel de moderador em algumas situações. Motivado.
Deputado Evander Vendramini (PP) Pediu uma ambulância para atender o distrito de Arapuá (Três Lagoas); autor de projeto proporcionando educação aos alunos internados e requereu a aquisição de drones para uso da Polícia Militar Ambiental.
Deputado Marçal Filho (PSD) Sugere a criação de uma força tarefa para cuidar da saúde em Dourados; insiste na construção do túnel na BR 163 (DOF) para melhorar o trânsito naquela região e recebeu lideres comunitários da capital em seu gabinete.
Deputado Lídio Lopes (Patriota) Proponente da homenagem aos advogados esteve no evento ocorrido na Al; recebeu lideres comunitários da capital e do Cone Sul; analisou processos da Comissão de Constituição Justiça e Redação.
Deputado Neno Razuk (PTB) Reforçou pessoalmente seus pedidos junto a Secretarias de Governo; recepcionou lideranças de Dourados e apresentou projeto dispondo sobre a correção de provas de candidatos surdos por profissionais formados em Libras.
Deputado Jamilson Name (PDT) Autor do projeto de concessão de título de cidadania a Sylvio Wagih Abdala; insistiu no pedido da Patrulha Mecanizada junto ao Ministério da Agricultura e visitou órgãos públicos em prol de entidades diversas.

.
.

Comentário

O DESAFIO No Brasil há leis que não pegam devido ao ambiente cultural, tradição, costume e falta de sintonia com a realidade. Sobre a questão, recorro ao memorável escritor Machado de Assis - jornalista cobrindo os trabalhos do Senado e que assim definiu: “A lei escrita pode ser obra de uma ilusão, de um capricho, de um momento de pressa, ou qualquer outra coisa menos ponderável, o uso, por isso mesmo que tem o consenso diuturno de todos, exprime a alma universal dos homens e das coisas.”

HIPÓTESE Imagine se fosse aprovada uma lei estadual obrigando os feirantes a venderem suas bananas a quilo, e não por dúzia como é usual nas feiras deste imenso Brasil. Ora! Como mudar a tradição de centenas de anos desde que as bananeiras chegaram da Índia com um ‘canetaço’ de quem certamente jamais frequentou esse admirável comércio de rua? Evidente; em muitos casos existem os interesses políticos em busca da notoriedade, ainda que transitória, para render dividendos eleitorais.

LEIS & LEIS O problema nosso não é falta de leis. Dados mostram que 18 delas são criadas por dia no país. Sem vergonha, temos que admitir também a nossa culpa neste festival de proposições. Infelizmente reina em nossa cultura o consenso de que o melhor indicador da capacidade do legislador ( em todos os níveis) é baseado no número de suas propostas, independentemente de sua eficácia. Portanto, o vereador, deputado e senador, apenas atendem ao pleito de seu eleitorado, como se não tivessem outras funções no parlamento, como por exemplo, de fiscalizar o Executivo.

FOGUETES X CÃES Lei aprovada nesta semana pela vereança de Campo Grande proibiu o uso de fogos de artifícios com o objetivo de preservar a saúde dos animais domésticos . A medida, simpática num aspecto, enseja questionamentos: É legal? Como fiscalizar o uso deles numa cidade grande? Como multar os cidadãos na virada do ano? Como ficariam os comerciantes que vivem do comércio destes produtos? Mas aviso os nobres edis: o STF suspendeu em abril último a lei similar da capital paulista que proibia a soltura de fogos de artifício com ruído. Advogado, o prefeito concordará?

NADA PODE? Até aqui quem tem passe livre e tudo pode na capital são as capivaras, infestadas com carrapato estrela que transmite a perigosa febre maculosa. A comparação com a alegre Cuiabá é velha, mas atual. Festas e manifestações culturais passam por severa fiscalização do Ministério Público Estadual. Som alto nem pensar! Há algum tempo ‘sobrou’ até para as cadeiras dos bares nas calçadas, sob o pretexto de atrapalhar os pedestres. Neste ritmo de proibições deve sobrar apenas a ‘Marcha para Jesus’. É a cidade que temos, mas não é a cidade festiva que queremos.

‘VAPT VUPT’ Não se pode reclamar da morosidade do Supremo Tribunal Federal que tem em suas gavetas processos iniciados há dezenas de anos. Pelo menos a julgar pela presteza no julgamento do caso do ex-presidente Lula (PT) aquela corte mostra que não trata todos iguais, ao contrário do que se prega. Aquele cidadão comum, parte ou não de um processo qualquer que adormece há anos naquela corte, tem motivos de sobra para questionar ou duvidar dos critérios dos vaidosos ‘imperadores da justiça’.

MODESTO CARVALHOSA: “...A decepção e o espanto tomam conta da Cidadania diante das condutas dos ministros “garantistas da impunidade” que dominam o STF. Agora, despudoradamente , prorrogaram por 180 dias a vigência da investigação ilegal e infame número 69 da dupla sinistra Toffoli-Alexandre de Moraes. Não contentes de censurar a imprensa e invadir domicílios, determinaram a “suspeição imediata de todos os procedimentos investigatórios instaurados pela Receita Federal e outros órgãos em relação a 133 contribuintes”. Ocorre que esses contribuintes estão ligados diretamente a movimentações financeiras relacionadas com os ministros Gilmar Mendes e Dias Toffoli e seus familiares...” ( O autor é conceituado jurista)

HORA CERTA Ainda sem novo partido político o ex-juiz Odilon de Oliveira segue como advogado e escrevendo artigos sobre assuntos de interesse público. Escreve bem por sinal. Mas politicamente ele estaria em descompasso com o cenário atual e o roteiro das eleições da capital. Para muitos ‘filósofos’ do saguão da Assembleia Legislativa - o ex-juiz teria deixado passar a sua grande chance no pleito de 2018, quando perdera para ele mesmo no partido errado. Seu perfil não se adequaria na sucessão em 2020. O mais prudente seria se preparar para tentar a Câmara Federal ou Senado em 2022.

WILLIAM WAACK: (jornalista) “...Vamos entrar nos grandes grupos de comunicação. E qual é o papel destes grupos – especialmente da TV Globo - em todos esses caminhos? Foi muito ruim pra ela (Globo) desde 2013. Porque ela não foi capaz de entender que enquanto ela buscava aplausos da esquerda pagos com dinheiro público para destruí-la, uma parcela crescente da população passava a ver a TV. Globo como mais uma ferramenta de perpetuação da miséria e da ignorância intelectual e política do Brasil- porque é assim que ela ganha dinheiro...”

‘BOCÃO’ O ex-ministro de Estado Carlos Marum vai exercendo os dons da paciência como pode – ‘ao seu estilo’. O Tribunal Regional Federal – 4ª. Região só julgará seu recurso no próximo dia 20. Afastado do cargo de Conselheiro da Itaipu Binacional desde 25 de março último, longe dos holofotes habituais, ele qualifica sem fundamento os motivos elencados pelo ministro Rogério Favreto para aquela decisão. Em tempo: o salário de Conselheiro seria por volta de R$ 27 mil reais, acrescidos de penduricalhos legais. Aliás, MDB e PT - sócios - se equivalem na volúpia por cargos públicos.

A TÁTICA A esquerda anda perdendo terreno no mundo. Não se conforma e quer detonar a política liberal que as ‘viúvas do comunismo’ chamam de reacionários. Analisando a guerra ( inclusive na internet) do meio ambiente ( desmatamento uso de agrotóxicos) percebe-se a presença ativa de Organizações Não Governamentais (ONGS) comandadas por esquerdistas para criar embaraços aos nossos produtos no exterior. Mas como adverte a ministra Tereza Cristina da Agricultura – o Brasil tem que reagir fortemente lá fora – sob pena de sermos vistos como inimigos da natureza e por consequência – os vilões da saúde devido ao uso de pesticidas.

‘FURA FILA’ As pegadinhas na televisão mostram o quanto as pessoas detestam serem vítimas das ações de espertos furando filas em supermercados e bancos por exemplo. Nesta semana o deputado Capitão Contar (PSL) dizia ao colunista dos absurdos que ocorrem na fila de atendimento do Sistema Único de Saúde aqui na capital, onde 42 mil pacientes estão cadastrados. Mas muitos usam de subterfúgios para serem atendidos antes da vez. Daí nasceu a iniciativa de projeto do parlamentar em tornar obrigatório a transparência desta fila em ordem cronológica – com sua divulgação inclusive – para acabar com essas ações.

SEM RENOVAÇÃO Às vezes mudam apenas os pontos e virgulas. Não é de hoje que quando se discute as eleições para Campo Grande - o Partido dos Trabalhadores repete o discurso e aponta os mesmos nomes de possíveis postulantes ao Executivo. Essa visita à capital do ex-candidato presidencial Fernando Haddad – no próximo dia 23 deve ser marcada pela mesmice. No fundo, o eleitorado daqui não tem motivos para acreditar no ‘beabá’ petista. Os números pífios dos candidatos do PT à vereança nos últimos pleitos atestam a falta de credibilidade deles. Sempre os mesmos ‘caciques’ liderando.

CONFIRA: “...Nossos partidos políticos ficaram aquém das expectativas. Sem falar na desilusão que foi o PT, mesmo o PSDB e o PMDB, um ‘social democrata’, outro ‘democrático popular’, se enredaram na tela das corrupções, magnetizados pelo estatismo, fiador do patrimonialismo. A social-democracia envelheceu sem responder aos desafios das ‘sociedades em redes’: os contatos diretos voltaram a valorizar as pessoas, as novas formas de produção estagnaram a renda das classes medias e aumentaram as desigualdades...” ( trecho do artigo “Falta fazer” do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) publicado nesta semana na mídia nacional.

EXPECTATIVA Reinaldo Azambuja (PSDB) jamais poderá ser acusado de dormir na cadeira de governador. Inimigo da preguiça - persegue as eventuais oportunidades de trazer benefícios ao Estado. Após o episódio da ponte em Porto Murtinho que faz parte da Rota Bioceânica, o governador volta suas atenções para o renascimento da esperança de se concretizar a inclusão do MS na rota da Ferroeste, ligando Maracajú ao Porto de Paranaguá (PR). Mas ele tem noção das barreiras nestes pleitos, pelo nosso tamanho e momento turbulento da nossa economia atrelada ao cenário externo.

EM BAIXA Enquanto o Corpo de Bombeiros lideram na pesquisa Ibope em termos de confiabilidade com 88%, os partidos políticos aparecem em último lugar com apenas 27% a favor. Quem melhorou em relação a amostra de 2018 foi o presidente Jair Bolsonaro (PSL), saindo de 13% e chegando a 48%. A Polícia Federal é vice líder na pesquisa - seguida da Polícia Federal, Igrejas, Forças Armadas, Entidades Públicas, Polícia, Meios de Comunicação, Ministério Público, Judiciário, Governo e Presidente da República.

RÁPIDAS...
Deputado Antônio Vaz (PRB) apresentou proposição para reformar das quadras de esportes e do campo de futebol do Centro Comunitário do bairro Nova Lima. Esteve em várias secretarias estaduais para agilizar pedidos de entidades e cidades.
Deputado José C. Barbosa ( DEM) Pediu investimentos na infra estrutura e malha viária de Dourados; autor de projeto dispondo sobre a presença de doulas nos partos em hospitais,; pediu recuperação da MS 274 entre Indápolis e Macaúba; pediu liberação de recursos junto ao Ministério da Infra Estrutura.
Filiação do PSL-MS será no dia 17 próximo - na capital, Dourados, Ponta Porã, Corumbá, Bonito, Coxim, Itaporã, Nova Andradina, Mundo Novo e Jardim.
Deputado Gerson Claro (PP) pediu a readequação da MS 162 (Sidrolândia/Maracaju) e prestigiou a abertura do Salão Lilás em Sidrolândia. Visitou secretarias de governo.
Deputado Fabio Trad (PSD) é autor de projeto de lei que obriga as empresas a oferecerem maior percentual de vagas a trabalhadores transplantados.
Deputado Marçal Filho (PSDB) Pediu parceria com o Estado para reformar o Estádio Douradão; requereu construção do túnel no trevo do DOF através de parceria; pediu mais policiamento em Coronel Sapucaia e Paranhos.
Deputado Evander Vendramini (PP) requereu a inclusão da BR 262 e BR 267 no Plano Plurianual do Governo incluindo-as no pacote de privatizações nos trechos Campo Grande/Três Lagoas e Nova Alvorada-Bataguassu.
Senador Nelson Trad Filho (PSD) liberou junto a Sudeco verba de R$1, 9 milhão para Figueirão, Miranda, Nioaque, Paranaíba, Tacuru, Sete Quedas e Sonora.
Deputado João Henrique (PR) Manteve contatos com entidades na capital, além de secretarias diversas. Manifestou nos processos sob sua responsabilidade na Comissão de Constituição Justiça e Redação, além de participar das sessões semanais.
Deputado Lucas de Lima (Solidariedade) Aprovou o projeto ‘Ronda Maria da Penha’ e aprovou na CCJ e Redação o projeto dispondo sobre a Doação de Sangue Itinerante.
Deputado Lídio Lopes (Patriota) Entregou carro 0/KM na aldeia Panambi-Lagôa Rica, promoveu ação social na aldeia de Douradina; prestigiou a abertura da Sala ‘Lilás’ em Sidrolândia.
Deputado Neno Razuk (PTB) No 1º semestre apresentou 69 proposições. Requereu melhoria na infraestrutura e educação para Caarapó, Laguna Caarapã, Bocajá e aldeias indígenas da região; visitou 4 secretarias e órgãos administrativos.
Deputado Jamilson Name (PDT) Recebeu lideranças políticas da capital e interior em seu gabinete e apresentou projeto dispondo sobre o ensino de Robótica nas escolas públicas. Presente as sessões semanais do legislativo estadual.

Comentário

Página 1 de 22

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus