Timber by EMSIEN-3 LTD
Sexta, 20 Agosto 2021 09:17

Amplavisão – ‘Voto de carona’ está perto do fim Destaque

Escrito por

PÉROLA: O ex-prefeito de Dourados Ari Artuzi e seu rico legado folclórico. Em meio às dificuldades para resolver o problema da residência médica dos acadêmicos da Universidade Federal junto aos hospitais, Artuzi falou na bucha à imprensa: “Só vou construir casa para pobre. Não vou dar casa para médicos - eles já ganham bem, podem comprar casa”

DE BRASÍLIA: Ricardo Noblat (Portal Metrópole) diz que o ex-prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) é quem dá corda as pretensões do ex-ministro Luiz H. Mandetta em concorrer ao Planalto. ACM já indicou um marqueteiro baiano para cuidar da imagem dele com recursos do fundo partidário. Se o projeto naufragar restaria a candidatura ao Senado. E tem espaço?

PROVISÓRIAS?: A cada eleição novas leis! Quem se beneficia destas mudanças? Não houve dois pleitos consecutivos, desde 1990, com as mesmas regras. Enfraquece as instituições e favorece a impunidade de políticos corruptos. A propósito: porque não copiar os americanos: Eles mudaram a Constituição só 27 vezes desde 1789. Mudamos as leis como se troca de roupas.

O DESAFIO: A volta das coligações passou fácil na Câmara, mas no Senado será difícil! Azar dos pequenos partidos (sem ideologia) tidos como de aluguel e dos políticos neles abrigados. Os reflexos serão vistos nas eleições estaduais. Assim deve diminuir a quantidade das siglas partidárias. Aqui no MS. não será diferente.

FIM DE FESTA: Antes o eleitor votava num candidato e sem saber acabava elegendo outro que não o representava. Era como atirar num passarinho e matar outro: votar num candidato a favor do aborto e eleger um contrário. Pelo visto teremos uma eleição nacional sem coligações. É o fim do voto de carona. Quem não tiver voto próprio suficiente – não levará!

DEPUTADOS & AÇÕES: Paulo Corrêa (PSDB): prestigiou a posse do novo presidente da Famassul e o lançamento de obras em Ribas do Rio Pardo. José Teixeira (DEM): pede recursos federais para reforma do Ginásio de Esportes do ‘Água Boa’; reitera pedido de ‘quebra molas’ na capital. Lucas de Lima (Sol): Presente com o governador Reinaldo e o Ministro da Justiça Anderson Torres na inauguração da Penitenciária Gameleira’; tem proposta de opções do consumidor inadimplente de água e luz antes do corte dos serviços. Marçal Filho (PSDB); projeto seu institui o Dia da Bíblia em MS; destaca importância das obras da rua Cel Ponciano em Dourados. Mara Caseiro (PSDB): pede reforma de escolas estaduais de Selvíria, Deodápolis, Camapuã e São Gabriel d’Oeste; asfaltamento da rodovia Inocência a Aparecida do Tabuado.

ELEIÇÕES 2018: A lei ajudou candidatos de partidos menores. Veja: Mara Caseiro (PSDB) obteve 23.813 votos e Dione Hashioka (PSDB) 21.754 votos, mas não se elegeram. A lei beneficiou João Henrique (PR) eleito com 11.010 votos; Lucas de Lima (SOL) (12.391 votos); Antônio Vaz (PRB) 16.224 votos, dentre outros vitoriosos; mas todos com méritos.

SAÍDAS: Claro, vários deputados eleitos - beneficiados pela lei que vigorava estão atentos e já planejam mudança partidária caso o Senado não aprove a lei. Eis a questão: Ir para qual partido? Nesta hora é preciso ter muita intimidade com o quadro partidário no Estado para não errar na avaliação e contar com a sorte. Aliás, na política o azarado não vai a lugar algum..

CALMA! Independentemente da votação do Senado, os candidatos a deputado irão esperar as definições na área federal. Aí sim terão a visão definitiva do cenário estadual, com as candidaturas majoritárias já postas. Mas os flertes já começaram nos bastidores, num ambiente de muitas dúvidas e poucas certezas. Isso é política!

FAZ PARTE: Nas eleições você sabe como entra, mas a saída é imprevisível. Na edição anterior falei de candidatos a vereança prejudicados pela lei. Claro que todos os eleitos (com poucos votos) não tinham certeza da vitória. Mas tiveram a coragem de enfrentar a disputa em condições estruturais e partidárias inferiores comparativamente as grandes siglas concorrentes.

DO CONTRA: Os grandes partidos não gostaram de ver seus candidatos à vereança bem votados, mas derrotados em 2020. Perderam os cabos eleitorais para 2022. Agora, temendo a repetição do desastre, também se posicionarão contra lá no Senado para as coligações não voltarem. É a reação natural em nome da sobrevivência política dos grupos e partidos.

DEPUTADOS EM AÇÃO: Antônio Vaz (Rep): presidente da Comissão de Saúde recebendo pedidos pela 3ª. dose da vacina contra o Covid-19; tramita seu projeto em pról da preservação do Cerrado. Amarildo Cruz (PT): presente (em memória do ex-deputado cabo Almi PT) ao evento de entrega de melhoramentos na sede da Colônia Paraguaia. Lídio Lopes ( Patri): prestigiou a inauguração da Penitenciária Gameleira com o governador Reinaldo e o ministro Anderson Torres, da Justiça; em sintonia com prefeitos do Cone Sul sobre a vacinação anti Covid-19. José C. Barbosa (DEM); enalteceu o bom padrão de serviços da Sec. de Segurança Pública; garante com emendas recursos para escolas de Dourados; após seu pedido, candidatos ao concurso Agepen são convocados. João H. Catan (PL): em tramite seu pedido de adoção do regime de urgência ao seu projeto pedindo a aplicação da 3ª. dose da vacina contra o Covid-19.

CARTA MARCADA: Ex-presidente Fernando Henrique (PSDB) suja a biografia: flertou com Lula, incentivou a candidatura do gaúcho Eduardo Leite a concorrer às previas do PSDB e agora diz que votará em João Dória. Mas FHC ignora a enorme rejeição de Dória em São Paulo, onde está boa parte dos delegados tucanos nas prévias de 28 de novembro.

É O CARA? Ele só disputou duas eleições: Câmara em 2014, Senado em 2018 e já chegou a presidência da Casa. Aliás, o último mineiro a ocupar o cargo foi Magalhães Pinto (1975). Diante dos obstáculos dos pretendentes para liderar a terceira via, aflora o nome de Rodrigo Pacheco (DEM) detentor de duas qualidades bem mineiras: astúcia e moderação. De repente...

MAIS UM 10: Referência nacional na vacinação contra o Covid-19 e no crescimento econômico em plena crise, nosso Estado é elogiado também por reduzir o ICMS nas faturas de energia elétrica de todos contribuintes durante a bandeira vermelha da Aneel. O Estado atravessa excepcional fase com investimentos em várias áreas, quer da iniciativa privada, dos cofres estaduais e do Governo Federal.

MISTÉRIO: O episódio da deputada Joice Hasseimann caminha para o esquecimento. Esperava-se reações de indignação de algumas bancadas parlamentares, especialmente de deputadas ativas nos casos dos direitos humanos e defesa das mulheres. Talvez um dia surja a verdade. Até aqui, pelas contradições dos relatos dela, não convenceu.

AÇÕES & DEPUTADOS: Evander Vendramini (PP): Questionando o atraso dos salários dos funcionários da Santa Casa de Corumbá; mantém-se em alerta sobre os incêndios no pantanal. Gerson Claro (PP):imprime rapidez na apreciação das matérias em pauta da CCJ e Redação; atento a vacinação dos municípios de sua região. Neno Razuk (PTB): aprovada sua lei do cadastro do 1º emprego aos estudantes; quer nominar trevo rodoviário próximo ao DOF de ‘Capitão Franco’; CCJR aprova sua proposta de inserção de aviso consciente nas contas de água e luz. Pedro Kemp (PT): cobra do Governo aplicação da 3ª. dose da vacina anti Covid-19 e a abertura de concurso para professores de Educação Especial. Capitão Contar (PSL: pede transparência nos critérios da fila de atendimento do SUS; aprovado seu projeto reconhecendo restaurante como atividade essencial.

ALERTA: Não há como separar a economia das urnas. Azar de Bolsonaro que perde a popularidade e terá problemas de caixa em 2022. Inflação alta, muita conta para pagar (precatórios), os gastos com seu novo programa social e as sequelas financeiras do Covid-19. Os analistas advertem, mas o turrão Bolsonaro insiste em não ouvir.

CONCORRENTES? Difícil dizer o que acontecerá no DEM de MS até abril do ano que vem. Se o ex-ministro Mandetta vai ocupando espaço na mídia nacional, a ministra Tereza Cristina vai se fortalecendo com presença efetiva na capital e interior. Essa vinda recente – por exemplo – do ministro Tarcísio G. de Freitas dos Transportes mostrou o quanto ela é prestigiada. Mas o desafio dela é popularizar sua imagem nas classes mais baixas. Que desafio!

SEM FIM? Realmente as redes sociais continuam sendo um campo de batalha para todos – de mau gosto. O pior é que a tendência é de piorar até as eleições de 2022, com fakes, agressões e uso de vocabulário chulo. O espaço chamado de democrático da internet infelizmente está sendo usado de forma errada e que só piora as coisas.

DROPS DIGITAIS

Aquele que não tiver pedra atire o primeiro pecado (Carlos Castelo)
Há em Minas uma disposição subliminar permanente para a conciliação subterrânea
Nem conservadores, nem humoristas acreditam que o homem é bom. Mas os esquerdistas acreditam (Patrick Jake O’Rourke)
A retrospectiva do SBT sobre os 40 anos da emissora deveria se chamar ‘Todos os presidentes do homem’.
Se todos quisessem poderíamos fazer do Brasil uma grande nação (Tiradentes)
Todos criticam esse governo, mas é preciso reconhecer: hoje estamos melhores do que semana que vem
Família é prato que, quando se acaba, nunca mais se repete. (Francisco Azevedo – em ‘Arroz de Palma’)
A vida não é Tyson bondoso.... (Roberto Prado)

O Tempo Agora

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis