Timber by EMSIEN-3 LTD
  • Cassems vota
Redação Douranews

Redação Douranews

A operação de combate à corrupção em licitações na área de saúde, em Dourados, que a PF (Polícia Federal) cumpre desde às primeiras da manhã, visa oito mandados de busca e apreensão e um de prisão temporária. A Prefeitura ainda não se manifestou.

De acordo com a PF, o grupo envolvido teria se associado para possível direcionamento na licitação e execução de contrato de fornecimento de alimentação para pacientes e funcionários de hospitais públicos do município, o que teria causado prejuízo de milhões de reais.

Um dos locais alvos é a Secretaria municipal de Saúde, que funciona próximo do prédio principal da Prefeitura, na rua Coronel Ponciano, mas os policiais também realizaram buscas no prédio da Funsaud (Fundação de Saúde), na área central da cidade.

Os crimes investigados, segundo a Polícia, são: estelionato qualificado, uso de documento falso, associação criminosa e fraude à licitação. A operação leva o nome de Purificação, e refere-se a ‘depurar, expurgar, sanear’, os processos licitatórios na administração pública de Dourados.

Comentário

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (12), em Dourados, a Operação Purificação com o cumprimento de nove mandados de busca, apreensão e de prisão de envolvidos em denúncias de fraudes em licitações por meio de direcionamento e da execução de contratos com a administração pública.

Um dos alvos da operação nesta terça é a Secretaria Municipal de Saúde de Dourados. De acordo com as primeiras informações, são cumpridos nove mandados, oito de busca e apreensão e um de prisão temporária. 32 policiais participam da operação.

O nome da operação refere-se a depurar, expurgar, sanear, os processos licitatórios no âmbito da Administração Pública com verba federal. A Polícia deve se pronunciar, em nota oficial, nas próximas horas

Comentário

A Câmara de Dourados recebeu, na manhã desta segunda-feira (11), o presidente da Funsaud (Fundação de Serviços de Saúde de Dourados), Daniel Rosa, que apresentou um diagnóstico das condições financeiras do órgão. O presidente ainda apontou que a superlotação é um problema, devido à grande demanda de pacientes de outros municípios.

De acordo com o presidente da Funsaud, o órgão tem recebido dívidas de gestões anteriores, e vem acumulando um déficit de R$ 1,5 milhão mensais, sendo que é repassado mensalmente R$ 4 milhões para custear a Saúde no Município. “O problema da Fundação não é de hoje. Estamos nos desdobrando para colocar a conta em ordem”, comentou Daniel.

Ele ainda explicou que a UTI do Hospital da Vida, por exemplo, possui 60% dos pacientes de outros municípios. O mesmo ocorre com a Ala Vermelha do hospital onde, dos 20 leitos, 13 são ocupados por pessoas de cidades vizinhas. “Além de Dourados, atendemos mais 32 municípios, o que soma quase um milhão de habitantes. Com isso, estamos tomando as tratativas para regular essa situação”, comentou o dirigente.

O presidente da Câmara de Dourados, vereador Alan Guedes (DEM), observou, durante a reunião da pré-pauta com os vereadores da Casa e o presidente da Fundação é que “a receita não fecha”, fazendo com que o órgão acumule dívidas. O vereador ressaltou que o município tem arcado com a responsabilidade de todos os municípios da macrorregião de Dourados.

“Nós chegamos a um consenso de sugerir a realização de um seminário, para buscar soluções para o problema, ou, caso não ocorra, de liderar um movimento, junto à Secretária municipal de Saúde e outros órgãos competentes, para mudar esta situação”, comentou Alan.

Comentário

Conforme o Douranews antecipou na semana passada, a Comissão de Consulta Prévia publicou a relação das três chapas que apresentaram candidatos para disputar a Consulta Prévia de reitor e vice-reitor da UFGD para o quadriênio 2019-2023.

Estão inscritos, respectivamente, para reitor e vice-reitor, os candidatos Etienne Biasotto e Claudia Lima (Unidade UFGD); a professora Liane Calarge e o professor Caio (UFGD mais) e, por último, a chapa UFGD em ação com os professores Joelson e Nelson. As inscrições, entretanto, só serão homologadas na sexta-feira (15), quando vence o prazo de recursos.

De acordo com o Regimento da Consulta Prévia, são elegíveis os docentes da carreira de Magistério Superior da UFGD, em efetivo exercício, posicionados na classe de Professor Titular ou Associado nível IV, ou que possuam título de Doutor (conforme os dispositivos da Lei 9.192, de 20 de dezembro de 1995), neste caso, independente do nível ou da classe ocupada.

A campanha para escolher o próximo reitor, ainda dependendo da homologação das chapas, a partir dos resultados apresentados ao MEC, está liberada no âmbito das instalações da UFGD a parir deste sábado (16) até o dia 10 de março. As eleições acontecem no dia 19 do mês que vem.

Ainda de acordo com o cronograma, os eleitores vão participarão da Consulta Prévia em 12 de março e o resultado será entregue para o Colégio Eleitoral no dia 15 de março. Por sua vez, o Colégio Eleitoral se reunirá no máximo em até três dias úteis para apreciação e homologação dos resultados, bem como, a elaboração da lista tríplice, para o encaminhamento devido ao Ministério da Educação para nomeação.

Comentário

“Vocês acabam de escrever seus nomes na história da instituição”. Foi com essa saudação que o reitor do IFMS (Instituto Federal de Mato Grosso do Sul), Luiz Simão Staszczak, abriu a primeira diplomação de técnicos da história do Campus Dourados, em cerimônia realizada quinta-feira (7) no município, e presidida por ele. Foram diplomados 28 concluintes do curso técnico integrado em Informática para Internet.

“Aqui em Dourados, temos histórias de jovens que não acreditavam que poderiam ser programadores mesmo antes de ingressarem em um curso superior, e hoje têm projetos aceitos por diversas empresas, demonstrando como o conhecimento obtido no IFMS, aliado às suas potencialidades, os tornaram aptos para o mundo do trabalho”, afirmou o reitor.

Nos cursos técnicos integrados ao ensino médio, o estudante cursa as disciplinas regulares junto com as específicas da formação técnica. “Grande parte dos jovens que ingressam em um curso técnico vislumbra o vestibular, mas ao conhecer o IFMS percebe que ele pode ser o protagonista de sua formação desde o ensino médio, pois em nossa instituição são oferecidas oportunidades que passam pela iniciação científica, extensão tecnológica e, finalmente, o estágio, o que abre as portas para o primeiro emprego”, explicou Staszczak.

Esse é o caso da mais nova técnica em Informática para Internet, Júlia Lira. No IFMS, as dificuldades da jovem se transformaram em motivação, o que a levou a ser contratada pela empresa onde realizou o estágio. "Apesar de sempre ter gostado de temas relacionados à informática, tive dificuldades em algumas das disciplinas técnicas e, por isso, passei a me dedicar mais. Essa dedicação se transformou em um maior interesse pela área da programação”, explicou a técnica.

No último ano do curso, Júlia conseguiu um estágio em uma agência de publicidade. Ao final, foi contratada pela empresa que, segundo ela, se interessou em aspectos de sua formação desenvolvidos no Instituto Federal. “São habilidades que só foram aprimoradas graças ao IFMS, como o trabalho em equipe, minhas formas de me expressar em público, defender as ideias, de me portar no trabalho. Digo que estou formada não apenas em uma área técnica, mas recebi uma formação humana que vou levar para toda a vida”, afirmou Júlia.

A jovem não se acomoda e quer seguir os estudos. “Tenho planos de seguir me aperfeiçoando em design, que é uma das áreas do técnico em informática para internet, e também estudando programação, e principalmente, seguir desenvolvendo tudo o que aprendi neste curso”, finaliza.

Vocação

O coordenador dos cursos do Eixo Tecnológico Informação e Comunicação, Pesquisa e Extensão do Campus Dourados, professor Sérgio Sass, explica que o curso está cada vez mais inserido nos arranjos produtivos locais, sendo bem visto e recomendado pelas iniciativas pública e privada do município.

“As empresas têm nos procurado para ofertar empregos, estágios e oportunidades, pois nossos estudantes se destacam em feiras de tecnologia, desenvolvimento de projetos e na atuação em estágios”, disse o coordenador.

Se alguns dos estudantes formados já estão empregados na área, outros verticalizam a formação com o ingresso em cursos superiores na área. É o caso da técnica Isabela Batarce. “Não gostava da área, mas o interesse foi surgindo conforme eu fui cursando e descobrindo todas as possibilidades, principalmente pelas oportunidades de ter participado da iniciação e feiras científicas, que foram experiências maravilhosas, onde pude trocar conhecimentos, impressões, ideias com outros estudantes e professores”, afirmou.

A jovem passou em vestibulares nas áreas de Engenharia de Software e Sistemas de Informação, e ainda aguarda resultados de outras provas. Isabela relembra que sempre encontrou apoio nos familiares e servidores para conseguir concluir o curso. “Foram três anos muito proveitosos, mas também muito difíceis, e sempre que pensei em desistir tive professores que me incentivaram e também outros servidores que compõem o Instituto Federal”, agradeceu a profissional.

Inserção

O Campus Dourados do IFMS está localizado no bairro Canaã I, onde reside o agora técnico em Informática para Internet, Jean Ribeiro. Na visão dele, a presença da instituição no bairro abre possibilidades de crescimento para jovens que, muitas vezes, estão expostos a situações de vulnerabilidade social.

“Fui o primeiro estudante do bairro a entrar no IFMS e percebo diversos outros ingressando nos cursos. No Instituto Federal, os jovens têm a oportunidade de crescer, de sonhar”, destacou o técnico, que é também poeta e rapper. Jean não tem planos de seguir como técnico em Informática para Internet. Está focado em investir na carreira artística, o que segundo ele só se tornou possível graças ao IFMS.

“Nos Festivais de Arte e Cultura eu pude expressar minha arte, minhas músicas e poemas, as pessoas começaram a gostar, demonstrar interesse, e hoje já tenho até um CD lançado”, contou Jean.

Comentário

O contribuinte que não conseguiu pagar as taxas de IPTU (o Imposto Predial e Territorial Urbano) que venceram neste domingo (10), em Dourados, poderão fazê-lo sem acréscimos até nesta quarta-feira (13). É o que prevê comunicado distribuído na manhã desta segunda (11), prazo ainda permitido para quitar as parcelas, ou pagamento em parcela única, do tributo, pela Prefeitura.

De acordo com o comunicado, feito via assessoria de comunicação, a Secretaria municipal de Finanças decidiu prorrogar o vencimento da parcela para o dia 13 de fevereiro, próxima quarta-feira. “Uma nova guia já pode ser retirada nesta segunda-feira na Central do Cidadão, localizada na avenida Presidente Vargas em frente à Praça Antônio João, e a partir desta terça-feira (12) pelo site www.dourados.ms.gov.br, na aba IPTU 2019”, diz o comunicado.

A alteração nessas datas foi necessária, segundo a Prefeitura, depois que o sistema bancário apresentou problema para quem optou por pagar o boleto nesta segunda-feira (11), já que os documentos foram emitidos com data de vencimento original para 10 de fevereiro. Conforme garantido pelo artigo 1º da Lei 7089/83, o cidadão pode pagar o imposto no dia útil imediatamente posterior à data de vencimento, desde que o dia do vencimento coincida em sábados, domingos ou feriados.

“Decidimos prorrogar para que ninguém seja lesado de nenhuma forma”, disse Cláudio Matos Leite, auditor fiscal tributário da Secretaria. Ele garante que os descontos garantidos para quem paga a cota única ou a primeira parcela estão mantidos até a nova data de vencimento.

“Em cota única, o cidadão tem até 20% de desconto, se não tiver débitos anteriores, e esse valor pode ser de 30% se o contribuinte acumula 4 anos de pagamento à vista em dia. Para quem tem débito anterior, mas quer pagar a vista, o desconto é de 10% e para quem parcelou, mas está com o carnê em dia o desconto é de 15%”, diz o servidor.

Comentário

O Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) anunciou na semana passada a redução da dose da vacina contra aftosa que valerá a partir de maio. A medida dá continuidade ao Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA) e muda de 5ml para 2ml as aplicações, com a expectativa de que diminuam as ocorrências de reação nos animais.

Conforme explicou o diretor-presidente da Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal), Luciano Chiochetta, logo na primeira etapa da vacinação deste ano, ou seja, a partir de maio, a dose da vacina contra a febre aftosa será reduzida também em Mato Grosso do Sul e na maioria dos outros estados.

Segundo ele, a redução da dosagem pode resultar na diminuição das reações nos animais (caroços, inchaço). “E tem outra coisa, os frascos serão menores, vão ocupar menos espaço para transporte, armazenamento e é claro no gasto com a refrigeração”.

Com relação aos estoques, Luciano comentou ainda que o próprio Ministério já verificou e se certificou de que os laboratórios produtores possuem quantidade suficiente do novo produto para atender à demanda dos criadores em todo País.

Status sanitário

Sobre o trabalho em Mato Grosso do Sul para transição do status sanitário, – de livre da febre aftosa com vacinação para livre sem vacinação -, Luciano afirmou que os projetos que visam à reformulação de todo o serviço de defesa, como adequação do quadro de pessoal e capacitação dos servidores, está em fase de finalização e deve começar a ser colocado em pratica ainda este semestre. Outras ações, segundo ele, fazem parte da reformulação do serviço, como reestruturação das unidades regionais e locais, frota de veículos e a ampliação e melhoramento da eficácia do sistema de vigilância com maior presença de fiscais no campo.

O Governo do Estado publicou um decreto que regulamenta o grupo de emergência sanitária. Conforme o documento, a Reserva Financeira para as Ações de Defesa Sanitária Animal (Refasa) foi readequada para que, além das ações emergenciais, essa espécie de fundo possa ser utilizada em outras diversas ações de defesa sanitária.

O abastecimento da Refasa ocorre por duas principais fontes: 35% oriundo dos recursos arrecadados pela Iagro e outros 35% provenientes da contribuição de produtores que participam do Proape (Programa de Apoio à Pecuária).

No caso da Iagro, os valores são referentes à cobrança de taxas de autorizações concedidas para o abate de aves, bovinos, bubalinos e suínos, entre outros animais. Já os 35% da contribuição obtida dos produtores que participam do Proape, se estende aos seus subprogramas, sendo o principal deles o Precoce MS.

A vacina

Sobre as doses de vacina a orientação é que elas sejam adquiridas somente em lojas registradas. Que se verifique se estão na temperatura correta: entre 2°C e 8°C. Para transportá-las, deve ser utilizada uma caixa térmica, com três partes de gelo para uma de vacina, lacrando-a ao final. A vacina deve ser mantida no gelo até o momento da aplicação.

A aplicação, deve ser realizada no horário em que a temperatura esteja mais amena com agulhas novas, adequadas e limpas. Durante a vacinação, a seringa e as vacinas devem ser mantidas na caixa térmica. O lugar correto de aplicação é a tábua do pescoço, podendo ser no músculo ou embaixo da pele. A aplicação deve ser realizada com calma.

O preenchimento da declaração de vacinação e entrega no serviço veterinário oficial, juntamente com a nota fiscal de compra das vacinas, é obrigatório.

O Ministério preparou um manual para fiscalização do comércio de vacinas contra a febre aftosa, atualizando a publicação de 2005. A versão digital deste manual, contendo orientações aos Serviços Veterinários Estaduais e aos distribuidores sobre a qualidade exigida ao produto, deverá ser disponibilizada ainda esta semana.

Retirada da vacina até 2021

O Mapa dividiu o país em cinco blocos. Os primeiros estados a extinguirem a vacinação serão Acre e Rondônia em 2019 (bloco I). Em 2020 está prevista a retirada da vacina no Amazonas, Pará, Amapá e Roraima (bloco II) e de Alagoas, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte (bloco III). Em 2021 encerram a vacinação na Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Sergipe, São Paulo e o Tocantins (bloco IV), além de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina (Bloco V), esse último é o único estado considerado livre da febre aftosa sem vacinação.

Maiores informações e orientações podem ser obtidas nas unidades locais da Iagro nos municípios, na página da agencia na internet, ou pelo telefone 0800-679120.

Comentário

O deputado estadual reeleito Barbosinha (do DEM) abriu a corrida eleitoral pela Prefeitura de Dourados ao admitir, em entrevista concedida no dia 31 de janeiro ao programa Noticidade da rádio FM Cidade, que vem se preparando nesse sentido. Uma semana depois, em entrevista à rádio comunitária Javé, de Dourados, a prefeita Délia Razuk (PR) confirmou que não pretende disputar novo mandato daqui há menos de dois anos.

José Carlos Barbosa, o Barbosinha, já foi prefeito da pequena cidade de Angélica, no conesul do Estado, na década de 80 e, depois de aprovado em primeiro lugar no concurso público para professores da Faculdade de Direito da UFGD e de presidir a Sanesul no Estado por sete anos, na gestão do então governador André Puccinelli (MDB), foi eleito deputado estadual para o primeiro mandato em 2014, com pouco mais de 21 mil votos.

Quatro anos depois, em 2018 foi reeleito, com 7.000 votos a mais depois de exercer a primeira experiência parlamentar intercalada com quase dois anos à frente da poderosa Sejusp, a Secretaria estadual de Justiça e Segurança Pública no primeiro mandato do governador reeleito Reinaldo Azambuja (PSDB), de quem agora será líder no segundo mandato na Assembleia Legislativa.

“Mantenho meu nome para esta disputa. Vivenciei todas a experiências para poder pleitear este sonho que carrego de um dia administrar a cidade de Dourados. Acredito que este sonho está perto de se concretizar e estou dialogando com todas as forças políticas. Pretendo, obviamente, se encontrar respaldo e apoio político estar em Dourados em 2020 colocando meu nome à disposição daquela comunidade, dos meus queridos amigos, para poder alavancar um grande projeto de recuperação da cidade”, afirmou Barbosinha na entrevista à rádio de Campo Grande antes de iniciar o segundo mandato na Assembleia.

Trabalho coletivo

Simultaneamente, uma semana depois, em Dourados, a prefeita Délia Razuk disse que vai trabalhar nesse período de menos de dois anos que lhe resta de mandato “para poder cumprir o plano de 22 metas que lancei em 2016 e entregar a cidade arrumada para o próximo prefeito”. A prefeita disse que está cuidando da malha viária, da saúde e da educação e criando opções para as pessoas que vivem em Dourados.

Por sua vez, o deputado Barbosinha entende que Dourados “precisa de gestão, de um olhar diferenciado”. Segundo ele, a cidade “encontra-se muito judiada, precisando de um esforço coletivo e não é trabalho apenas para uma pessoa, é um trabalho gigantesco e me preparei durante toda minha vida para encabeçar esse projeto”.

Dependendo, é claro, das articulações que conseguir viabilizar, Barbosinha pode se tornar uma alternativa viável ao Democratas em Dourados. O partido conta, hoje, com o vice-governador do Estado, o secretário de Infraestrutura do Governo, Murilo Zauith, o primeiro secretário da Assembleia, deputado Zé Teixeira e o presidente da Câmara de Vereadores no Município, Alan Guedes. Além de estar representado no Governo Federal por dois ministros em áreas estratégicas: Tereza Cristina (Agricultura e Pecuária) e Luiz Henrique Mandetta (Saúde).

Comentário

Pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachussets (o MIT, na sigla em inglês) desenvolveram uma cápsula com insulina que, ao ser ingerida por via oral, libera a substância no estômago. Depois de anos de estudos, os diabéticos do tipo 1 estão mais perto de substituir as injeções diárias. Os resultados foram publicados pela revista "Science".

"Estamos realmente com esperança de que esse novo tipo de cápsula possa ajudar pacientes diabéticos e, talvez, qualquer pessoa que precise de terapias que só podem ser administradas por injeção", disse Robert Langer, professor do Instituto David H. Koch e membro do MIT.

O diabetes ocorre quando o pâncreas não produz insulina [hormônio que controla a glicose no sangue e fornece energia ao organismo], ou quando o corpo não consegue mais utilizar a insulina que produz. Para resolver isso, as injeções da substância são administradas na região do abdômen, explica reportagem do portal G1.

"O diabetes 1, diferente do tipo 2, tem uma deficiência absoluta de insulina", explica o endocrinologista Renato Zilli, do hospital Sírio Libanês, em São Paulo. "Então, a pessoa acaba tomando de 5 a 7 picadas de agulha por dia. O grande problema que temos no tratamento da doença é ter a certeza absoluta da dose. Precisamos ter a certeza que o produto vai ser absorvido pelo corpo", acrescenta.

Ter uma pílula de insulina era um desafio para os bioengenheiros. A inspiração para a criação foi encontrada na tartaruga-leopardo. O animal, encontrado na África, tem um casco alto e íngreme, que permite que se apoie e se reposicione ao "rolar de costas", observa a publicação.

Comentário

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico de Dourados já está atualizando os dados do município sobre lugares para hospedagem, alimentação, transporte, eventos, entre outros.

Os interessados em divulgar os estabelecimentos, como hotéis, restaurantes, bares, cafeterias, hamburguerias, pizzarias, organizadoras de eventos, locadoras de veículos, espaços para eventos, agências de viagens e transportadora turística, devem acessar o Link ‘Turista’ no site da Prefeitura e preencher um formulário contendo os principais dados do local, ou atividade.

Outro cadastro disponível no link é o de ‘Eventos’, onde podem ser inscritos os eventos realizados em Dourados, de caráter cultural, esportivo, técnico-científico, gastronômico e rural. No ano passado o calendário registrou 147 eventos, com maior incidência no mês setembro.

A secretária de Desenvolvimento Econômico, Rose Ane Vieira, explica que o intuito do calendário é divulgar os eventos para a população e visitantes, a fim de promover o fomento da economia local.

Comentário

Página 9 de 1219
  • mistura
  • unimed

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014
E-mail: douranews@douranews.com.br

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus