Timber by EMSIEN-3 LTD
  • unigran 2018
Redação Douranews

Redação Douranews

A  Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) realiza  nesta quarta-feira (17) um debate com o tema “Mobilidade Acadêmica Brasil/Cuba/Canadá: Diálogos de experiências futuras”. O objetivo é mostrar aos alunos e professores como funciona a mobilidade acadêmica através das experiências de quem já passou por isso. O evento é aberto ao público e faz parte do projeto Ciclo de Palestras sobre Internacionalização, realizado no auditório da UEMS, em Campo Grande.

Entre os debatedores estão o assessor de Relações Internacionais e Mobilidade Acadêmica da UEMS, professor doutor Ruberval Maciel, que recentemente esteve em Cuba para firmar convênios de mobilidade entre os dois países, e o professor doutor Paulo Fernando Jurado, docente de Geografia da UEMS.

Os acadêmicos também serão representados, com a experiência do aluno do Mestrado em Letras da UEMS de Campo Grande, Gustavo Henrique da Cunha Moura. Ele estudou Linguística Aplicada no Canadá pelo Emerging Leaders in the Americas Program (ELAP), com direito a passar um período em Cuba para por em prática as pesquisas do grupo de estudos.

A grande atração fica por conta do professor doutor Ian Martin que falará sobre o convênio UEMS e a Glendon College/York University e as implicações para ações de mobilidade entre Brasil e Canadá.

O auditório da UEMS fica na Rodovia MS 080, em frente ao Conjunto José Abrão. O evento inicia às 19h.

Comentário

“Não temos dúvida que estamos construindo algo para melhoria da nossa pecuária e vamos sair dessa mais fortalecidos do que a gente entrou”. A afirmação é do secretário de Governo e Gestão Estratégica (Segov), Eduardo Riedel, durante a posse do novo presidente da Associação Sul-mato-grossense dos Produtores de Novilho Precoce.

O evento que marcou o início da gestão do produtor Nedson Rodrigues Pereira à frente da entidade foi realizado na Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Famasul), na noite desta segunda-feira (15). Representando o Governador Reinaldo Azambuja, Riedel destacou que o gestor público precisa tomar decisões que são duras e muitas vezes criticadas, mas que as mudanças foram discutidas com um grupo de trabalho formado por várias lideranças do setor pecuário do Estado, entre eles integrantes da Novilho Precoce e da Famasul.

“Não é o fim do Novilho Precoce. Acho que é o começo de um momento novo, de um novo programa para elevar a pecuária a um patamar que atenda a dinâmica dos mercados cada vez mais agressivos”, destacou.

No último dia 29, o Governo do Estado publicou decreto oficializando a reestruturação do programa, que oferece isenção de até 67% no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) aos produtores que reduzem consideravelmente a idade de abate dos animais.

“Estamos hoje aqui numa conversa muito franca, muito aberta, assim como devem ser conduzidas as discussões quando na maior idade. São mais de 18 anos de aprendizado e de convivência da cadeia produtiva”, disse, referindo-se ao tempo de criação do programa.

Com a mudança, o programa terá ampliados os critérios de análise produção, os quais vão abranger não só os atributos do animal, mas também as condições das propriedades criadoras. Atualmente, 100% da avaliação dos animais classificados como ‘novilho precoce’ é feita no frigorífico. A partir de reformulação, a tipificação da carcaça terá peso de 70% e os 30% restantes serão decorrentes das condições do estabelecimento.

Com regras mais ajustadas, o programa que contribuiu para que a carne produzida em Mato Grosso do Sul fosse reconhecida pela qualidade dentro e fora do País passará por um exercício de maturidade que só fortalecerá a cadeia produtiva, acredita Riedel. “O programa está suspenso, mas tem data pra retornar, num modelo que vai trazer novos desafios”, finalizou.

Comentário

As provas do Vestibular 2017 da UFGD (PSV2017) estão marcadas para o dia 20 de novembro. Os candidatos interessados em participar da seleção poderão fazer suas inscrições entre os dias 08 de agosto e 07 de outubro. As inscrições deverão ser feitas exclusivamente pela internet, na página do Centro de Seleção, com taxa no valor de R$ 80.

Aqueles interessados em solicitar isenção na taxa de inscrição devem ficar atentos ao prazo: 26 de agosto. Terá direito à isenção o candidato que possuir renda familiar per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio e ter cursado o ensino médio completo em escola da rede pública ou como bolsista integral em escola da rede privada.

Para solicitar a isenção é preciso comprovar os documentos indicados na área restrita, a saber no ato da solicitação online da isenção, e enviar essa documentação ao Centro de Seleção da UFGD, das 8h às 11h e das 13h às 17h ou via SEDEX.

O endereço é o seguinte: Coordenadoria do Centro de Seleção, Sala 504, Unidade I da UFGD (Rua João Rosa Góes, 1.761 - Vila Progresso – Caixa Postal 322 – CEP: 79825-070 – Dourados/MS).

A relação dos candidatos contemplados com a isenção da taxa de inscrição será divulgada em 12 de setembro.

Reservas

No total, a UFGD está disponibilizando 962 vagas distribuídas em 33 cursos de graduação, com duas opções de ingresso: acesso universal e reserva de vagas. A reserva de vagas, também conhecida como cotas sociais, é um cumprimento à Lei 12.711/12, que orienta que 50% das vagas sejam reservadas para candidatos que cursaram integralmente o ensino médio em escolas públicas.

Desses 50%, metade das vagas é destinada a candidatos oriundos de famílias com renda igual ou inferior a um 1,5 salário-mínimo per capita.

 

As vagas reservadas serão destinadas a candidatos autodeclarados pretos, pardos e indígenas em proporção no mínimo igual à soma dessas populações em Mato Grosso do Sul, que é de 51,95%, apurado segundo o último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Mais especificamente, esses 51,95% são a soma de 44,13% para pardos, 4,88% para pretos e 2,94% para indígenas.

Se não houver candidatos aprovados com o perfil de cada grupo de reservas, as vagas remanescentes serão ocupadas por candidatos que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas. O candidato que não optar, no ato da inscrição, por participar do sistema de reserva, ainda que atenda às exigências, concorrerá apenas pelo sistema universal.

OBRAS

A lista de obras que serão cobradas no Vestibular 2017 contém 12 livros, 7 filmes, 3 contos, 2 poemas e 1 peça teatral. As obras foram divulgadas previamente, ainda em abril de 2016, com o intuito de ajudar na preparação do candidato e facilitar o planejamento e abordagem que os professores usam em sala de aula.

Dentre os títulos, há obras regionais, como Margem de Papel (Emmanuel Marinho); nacionais, como O Menino e o Mundo, filme indicado ao Oscar 2016; Em Nome da Lei, longa filmado em Dourados; e clássicos como Cem Anos de Solidão, de Gabriel García Marquez. Para conferir a lista completa, acesse o link:http://cs.ufgd.edu.br/download/Edital_obras_psv_2017_2018_2019.pdf.

ATENÇÃO

Todos os candidatos devem ler atentamente o edital do processo seletivo, onde constam informações importantes como prazos, número de vagas por curso, documentos exigidos, dentre outras. Acesse o edital clicando em:http://cs.ufgd.edu.br/download/Edital_de_Abertura_PSV_2017_01_08_2016.pdf.

Acompanhe as novidades pela página do Centro de Seleção: http://cs.ufgd.edu.br/vestibular/2017.

Comentário

Em um momento festivo, a Câmara de Vereadores de Dourados fez na noite desta segunda-feira (15) a entrega do Prêmio Ildefonso Ribeiro de Literatura aos vencedores das edições 2015 e 2016, respectivamente, a escritora e poetisa Odila Lange e o jornalista e escritor Luis Carlos Luciano.

Lisonjeados com a premiação, os vencedores destacaram a importância do prêmio no incentivo à produção literária em Dourados e região. Conforme Luis Carlos Luciano, além de representar um reconhecimento ao trabalho literário do município, o prêmio também exerce a função de estimular os agentes que se dedicam “a essa produção silenciosa”.

“Trabalhar com literatura não é uma atividade simples e nem fácil. Exige entrega e doação. Premiações como essas estimulam os produtores locais a continuarem trabalhando firme, além de valorizar a cultura do município e servir como uma espécie de termômetro para avaliar o resultado do nosso trabalho. É a verdadeira promoção dos pratas da casa”, descreveu o vencedor da edição 2016 do prêmio.

Em forma poética, Odila Lange agradeceu à Câmara de Dourados pela entrega do prêmio e também chamou a atenção dos vereadores e do público quanto às dificuldades enfrentadas pelos produtores literários em nível local e nacional. “Receber este troféu me dá honra e emoção, pois o confrade Ildefonso foi para mim um irmão e trago a sua família um beijo no coração. Infelizmente a leitura é um prato sofisticado. No país do futebol, o livro não tem mercado. Escrever é muito fácil, o difícil mesmo é vender. As dificuldades são tantas para editar uma obra, o pior ainda vem depois, pois tem gente que nos cobra, querem a doação do livro e nem migalha nos sobra”, exaltou a poetisa.

O Prêmio Ildefonso Ribeiro da Silva foi criado por meio de decreto legislativo com objetivo de agraciar escritores do município que tenham se destacado na produção literária regional sul-mato-grossense. Para o segmento artístico do município, a iniciativa da Câmara enaltece a qualidade da produção literária em Dourados.

Com a realização do Prêmio Ildefonso Ribeiro, a Câmara de Dourados cumpre seu papel de valorizar a cultura local e de estimular a produção literária, destacando e reconhecendo o trabalho realizado pelos literários locais.

Para a diretora de Comunicação da Câmara, Érika Batista, a entrega deste prêmio representa a valorização da cultura e da leitura em nosso município. “A produção literária precisa ser estimulada e difundida em todo o país e, através deste singelo ato, os vereadores de Dourados dão sua parcela de contribuição ao reconhecer o valor e a qualidade da produção literária local”, opinou.

Os trabalhos premiados foram escolhidos pela comissão julgadora indicada por entidades do segmento cultural e de comunicação. Os trabalhos foram avaliados de acordo com a abrangência e importância temática das obras dos indicados, cunho regionalista e comprovação dos currículos vitae.

Vencedora da edição 2015, Odila Lange foi indicada com os livros "Dourados – Cidade de Todos os Povos e de Todas as Corres" e "Folclore ou folclore?" e várias obras em forma de literatura de cordel.

Luis Carlos Luciano, vencedor deste ano, foi indicado com as obras "Aced 70 Anos", "Betânia", "Ribeiro: Arquitetura, Urbanismo e Meio Ambiente, Exercício da Cidadania", "Tereré, poeira e raízes douradenses" e "Legislativo de Dourados, 1935/2006".

Comentário

O juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba, decidiu hoje (16) continuar na relatoria dos inquéritos que envolvem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Operação Lava Jato.

Moro considerou inadmissível do ponto de vista processual o pedido feito pelos advogados de Lula para que a investigação fosse remetida a outro juiz. Segundo a defesa do ex-presidente, as acusações do Ministério Público Federal (MPF) contra Lula não têm relação com a operação, mas Moro discorda.

“Se o MPF trabalha com a hipótese de investigação de que o ex-presidente seria responsável por esses crimes, por deliberadamente ter autorizado que fossem pagas e divididas propinas em contratos da Petrobras com agentes da estatal, agentes políticos e partidos políticos, a competência para o processo e julgamento é deste juízo da 13ª Vara Federal de Curitiba, prevento para o caso”, decidiu Moro.

Depoimento

A mulher de Lula, Marisa Letícia, e um dos filhos do ex-presidente,Fábio Luis Lula da Silva, não compareceram ao depoimento marcado pela Polícia Federal para prestar esclarecimentos sobre o sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP).

Segundo os advogados da família Lula, os dois já prestaram esclarecimentos aos investigadores e não são obrigados a comparecer à oitiva.

Defesa

Em nota, a defesa de Lula reafirmou que Sérgio Moro “assumiu o papel de acusador” e perdeu a “necessária imparcialidade” para julgar o ex-presidente.

“O juiz Sérgio Moro mais uma vez assumiu o papel de acusador ao afirmar na decisão que ‘Não houve denúncia ainda’. A formulação de denúncia cabe exclusivamente ao Ministério Público Federal, a quem compete valorar os elementos da investigação. Ainda agindo como acusador, Moro afirma que a “hipótese acusatória” coloca o ex-presidente Lula como “arquiteto do esquema criminoso”. A acusação não é suportada por qualquer elemento concreto”, afirmam os advogados.

Comentário

Está publicada a relação dos projetos aprovados pelo Conselho Estadual de Cultura para o Fundo de Investimentos Culturais (FIC/MS). A informação consta no Diário Oficial desta segunda-feira (15) e traz 78 projetos que juntos irão receber cerca de R$ 5 milhões em financiamento público.

Os projetos estão divididos por áreas, sendo 16 projetos na área de música , um em pesquisa, dois em artesanato, dois em museu, quatro em folclore, 12 em literatura, cinco em teatro, três em artes visuais , três em dança, sete na área de audiovisual, três em patrimônio, quatro em formação, um em arquivo, um em biblioteca, e 14 dos municípios ( R$ 903.964,11).

O secretário de Estado de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação, Renato Roscoe, salienta que o FIC é um mecanismo importante de incentivo à cultura no Estado . “Mesmo com a retração econômica que tivemos e, com a redução de investimento na cultura no País como um todo, nós conseguimos manter os valores. Estamos agregando mais recursos à cultura do que a média dos últimos 15 anos. Isso é fundamental para manter o fomento, apoiando as diversas áreas que, muitas vezes, não possuem outra forma de incentivo”, destacou o secretário.

A presidente da Fundação de Cultura (FCMS), Andréa Freire, ressalta o número expressivo de propostas habilitadas, o que demonstra o amadurecimento dos agentes culturais proponentes. “Ao todo foram 261 projetos. Isso mostra que eles estão atentos ao aprimoramento da criação, da gestão e da promoção de suas ações culturais. Uma demanda crescente foi notada, salientando a necessidade de ampliarmos as fontes e os recursos para o financiamento da cultura em nosso Estado”.

O Fundo de Investimentos Culturais é gerido pela Superintendência do FIC, ligada à Secretaria de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação (Sectei). Foram selecionados por edital em junho de 2015, 77 técnicos consultores, especialistas em 15 áreas artísticas (artes visuais, artesanato, audiovisual, biblioteca, dança, folclore, formação, literatura, museu, música, patrimônio, teatro, circo, arquivo e pesquisa), de diversos Estados brasileiros, para a análise técnica meritória dos projetos apresentados ao Fundo de Investimentos Culturais de MS em 2015, com o intuito de qualificar o processo de seletivo e auxiliar o Conselho Estadual de Cultura – CEC/MS.

O Edital do FIC/MS foi lançado em 16 de dezembro de 2015; o período de inscrição foi de 16/12/2015 a 23/02/2016; foram inscritos 385 projetos; foram habilitados na fase documental 261 projetos. A Sectei e o Conselho de Cultura garantiram o acesso ao edital aos agentes culturais de todos os municípios. “Garante a paridade entre sociedades governamental e civil nas decisões durante o processo seletivo, transparência e o respeito aos direitos de acesso da população aos bens culturais”, ressalta Andréa.

A lista dos projetos aprovados por área, com valores e percentuais demonstrativos, consta na página 10 do Diário Oficial do Estado, de 15 de agosto de 2016: www.imprensaoficial.ms.gov.br.

 

Comentário

Nos primeiros sete meses deste ano, a Polícia Militar de Mato Grosso do Sul  (PMMS) apreendeu 84,6 toneladas de drogas, o que representa prejuízo de mais de R$ 187,4 milhões ao crime organizado. A apreensão é resultado, principalmente, da  intensificação de ações de prevenção a partir das metas do programa “MS Mais Seguro”, que tem como objetivo garantir a segurança e a ordem pública.

No mesmo período, também  foram apreendidas 605 armas de fogo e recuperados 1,5 mil veículos roubados/furtados. De janeiro a julho, a Polícia Militar também efetuou 2,3 mil prisões de foragidos da Justiça e outras 9,3 mil em flagrante delito.  As operações resultaram também que outras 11,9 mil pessoas fossem encaminhadas às delegacias para averiguação de crimes de menor potencial ofensivo.

O comandante-geral da PMMS, coronel Jorge Edgard Júdice Teixeira, afirma que as medidas de intensificação continuarão sendo executadas. “Nosso foco é a redução de crimes com ações planejadas, que sejam efetivas na proteção da vida e patrimônio dos cidadãos sul-mato-grossenses”, pontuou o comandante.

Em maio deste ano, o governador Reinaldo Azambuja, juntamente com o secretário de Justiça e Segurança Pública, José Carlos Barbosa, lançou o programa “MS Mais Seguro”, que prevê investimentos de R$ 96 milhões na segurança pública do Estado. Esses recursos estão sendo destinados para compras de novas viaturas, armamentos, munições, coletes, entre outros equipamentos de segurança que visam garantir a ordem pública.

CONFIRA O BALANÇO DAS OPERAÇÕES (janeiro a julho de 2016):

OPERAÇÕES POLICIAIS MILITARES – 5.151

PESSOAS ABORDADAS – 398.924

VEÍCULOS ABORDADOS – 303.281

EMBARCAÇÕES ABORDADAS – 2.261

VEÍCULOS RECUPERADOS – 1.547

VEÍCULOS REMOVIDOS AO PÁTIO DO DETRAN/CIRETRAN – 11.294

ARMAS DE FOGO APREENDIDAS – 605

PRISÕES DE FORAGIDOS DA JUSTIÇA – 2.374

QUANTIDADE DE ESCOLTAS DE PRESOS – 11.916

QUANTIDADE DE PRESOS ESCOLTADOS – 23.357

POLICIAMENTO ESCOLAR – RONDAS PREVENTIVAS – 11.445

POLICIAMENTO ESCOLAR – ATENDIMENTO DE OCORRÊNCIAS – 2.326

PESSOAS CONDUZIDAS PARA A DELEGACIA DE POLÍCIA CIVIL EM FLAGRANTE DELITO – 9.353

PESSOAS CONDUZIDAS PARA A DPC PARA AVERIGUAÇÃO DE CRIMES DE MENOR POTENCIAL OFENSIVO – 11.965

NOTIFICAÇÕES AMBIENTAIS – 403

NOTIFICAÇÕES DE TRÂNSITO – 53.101

PALESTRAS PREVENTIVAS – 688

DROGAS ILÍCITAS* APREENDIDAS: 84.606.232 quilos

VALOR ESTIMADO DAS APREENSÕES DAS DROGAS ILÍCITAS: R$ 187.443.752,10

PACOTES DE CIGARROS APREENDIDOS: 282.740

VALOR ESTIMADO DAS APREENSÕES DE CIGARRO: R$ 12.723.300,00

VALOR TOTAL ESTIMADO DAS APREENSÕES DE DROGAS E CIGARROS: R$ 200.167.052,10

Dados e Estatística: Estado Maior Geral – PM/2 – PMMS

Comentário

O governador Reinaldo Azambuja refuta qualquer tipo de uso da polícia do Estado em favor de interesses políticos. Reinaldo frisa que as recentes ações deflagradas nos municípios de Paranhos e Jaraguari – denominadas São Tomé e Meteoro – seguiram o rito normal e tem como foco investigar ações criminosas e atos de improbidade administrativa.

Segundo Reinaldo, as ações foram desencadeadas pela própria Polícia Civil e pelo Ministério Público Estadual (MPMS). “Não fazemos da polícia um instrumento de Governo, a polícia é um instrumento de Estado. E ela serve a todos. Havendo necessidade de investigação é preciso se aprofundar, ainda mais uma investigação que sinaliza desvio de recurso público”, disse, relembrando que já houve operações que investigaram candidaturas e gestões do PSDB – partido político do governador. “O que precisa é apurar as denúncias e, se for o caso, punir os envolvidos dentro do que prevê a lei”, destacou.

O delegado-geral da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, Marcelo Vargas, também falou sobre a operação da Deco. Vargas esclareceu que todo o procedimento investigatório desenvolvido pela Polícia Civil ocorre de forma técnica e imparcial, independente de quem seja investigado (a). “Toda ação investigatória tem por objetivo buscar a verdade real dos fatos, visando servir e proteger à sociedade. A Polícia Civil nunca é movida por interesses políticos por parte de nenhum partido. Nós somos uma polícia de Estado e não de Governo”, destacou o delegado-geral.

Segundo a delegada titular da Deco e responsável pelas investigações, Ana Claudia Medina, o número de efetivo utilizado na ação foi 44 policiais e oito delegados, que resultou no cumprimento de 20 mandados de busca e apreensão. “A utilização desse número de policiais foi necessário devido aos diversos locais, onde deveriam ser realizadas as buscas, que tinham que acontecer de forma coordenada e simultânea para que provas não fossem perdidas”, explicou Medina.

Medina revelou que a denúncia envolvendo o prefeito de Jaraguari chegou ao conhecimento da polícia em agosto de 2015. Logo depois, foram três meses de investigações, que em seguida foram encaminhadas para o Tribunal de Justiça do Estado que autorizou a instauração do inquérito policial. “A informação era de que o prefeito e quatro vereadores, além de 15 empresários, atuavam em desvio de recursos envolvendo direcionamento de licitação, fraudes específicas e enriquecimento ilícito. Essa é uma investigação complexa que estamos desenvolvendo, pois envolvem empresas das mais diversas áreas, como alimentação, obras, assistência social e transporte escolar”, relatou a delegada.

Em menos de um mês essa é a segunda operação que investiga ações criminosas e atos de improbidade administrativa, deflagrada pela Deco. Para Ana Claudia Medina, isso demonstra a confiança que a população tem nas polícias técnicas e especializadas. “O nosso objetivo é combater o crime organizado e de lavagem de dinheiro, comprovando assim a nossa imparcialidade”, frisou Medina ao Correio do Estado.

Comentário

A Ajuricaba Escritório Imobiliário foi fundada em setembro de 1976 e sempre se manteve fiel ao seu principal objetivo que é atender as necessidades de nossos clientes, temos investido em novas tecnologias e sistemas de controle de administração.
Somos uma empresa prestadora de serviços no mercado de Dourados e região que tem como objetivo, assessorar clientes nas seguintes áreas:
• Vendas de imóveis;
• Planejamento e vendas de lançamentos imobiliários;
• Vendas de fazendas em toda região e ou/ qualquer Estado do Território Nacional;
• Vendas de chácaras e sitiocas;
• Avaliação de imóveis.
Nossa equipe de trabalho está preparada para atender, para cada área de atuação contamos com suporte administrativo e jurídico, orientando nossos clientes sobre as melhores tendências do mercado imobiliário.
Somos filiados ao principal órgão. Nossa participação no mercado imobiliário é significativa, devido a isso adquirimos novos conhecimentos, que são repassados a nossos clientes, fazendo com que tenham uma visão global de mercado e possam fazer seus investimentos com segurança e confiabilidade. Mantemos cadastro de várias ofertas: casas, sobrados, apartamentos, salas, galpão, terrenos, chácaras, fazendas. Caso precise as consultas poderão ser feitas por telefone 3421 9888 ou pessoalmente. Avenida Joaquim Teixeira Alves, 1530, centro, podendo inclusive marcar visita.

Comentário

Uma câmera pesando mais de 100 quilos (kg), presa a um cabo de aço, despencou agora à tarde, pouco antes das 15h, de uma altura de mais de 20 metros entre as Arenas Carioca 1 e 2 no Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. Com a queda da câmera, o suporte do equipamento acabou ferindo quatro pessoas, sem gravidade. Três das vítimas foram encaminhados para o Hospital Municipal Lourenço Jorge.

A área já estava isolada por uma fita amarela, pois o Cômite Organizador foi informado que havia problemas no cabo que sustentava o equipamento e técnicos foram chamados para resolver a situação. Se a área não estivesse cercada, o acidente poderia fazer um número muito maior de vítimas, porque o local é passagem do público, equipes de competidores e técnicos das seleções que participam das competições olímpicas.

Ventania

Na hora da queda, fortes ventos atingiram a região da Barra da Tijuca, chegando a mais de 53,6 quilômetros por hora (km/h) na Marambaia. A ventania chegou a quebrar a porta de vidro da entrada do International Bradcasting Center (IBC) e jogar longe várias lixeiras instaladas na área do Parque Olímpico, além de lonas que ficam na parte externa das arenas também foram arrancadas

Em Santa Cruz, também na zona oeste, os ventos atingiram 66,6 quilômetros por hora (km/h) e, em outro extremo da cidade, no Forte de Copacabana, na zona sul, os ventos fortes atingiram 75,2 km/h, antecedendo a chegada de uma frente fria que deve atingir o Rio de Janeiro nas próximas horas.

O equipamento que se soltou do cabo de aço foi contratado pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) da empresa Olympic Broadcasting Services (OBS), responsável pelas imagens da área externa das arenas do parque.

Feridos

Os quatro feridos foram atendidos rapidamente no posto médico do Parque Olímpico e três deles, que exigiam mais cuidados, foram transferidas para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, que fica ali perto. Um delas sofreu um corte no nariz e estava sangrando muito. O outro teve um ferimento no tórax. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, as duas vítimas passam bem. A terceira vítima é uma meninda de 8 anos que sofreu queimaduras no pescoço. Ela está em observação e fora de perigo.

O Comitê Rio 2016 informou que vai distribuir uma nota sobre a queda da câmera no Parque Olímpico, apurou a Agência Brasil.

Comentário

Página 885 de 988
  • mistura

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014
E-mail: douranews@douranews.com.br

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus