Timber by EMSIEN-3 LTD
  • semeadura
  • Dnews Whats
Redação Douranews

Redação Douranews

O Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) está obrigado a investir mais de R$ 24,5 milhões em Três Lagoas para compensação ambiental. A verba milionária vendo sendo paga pela empresa de celulose Eldorado S.A, que está em processo de ampliação na cidade, com investimentos previstos de R$ 4 bilhões.

O Ministério Público Estadual denunciou, em dezembro de 2015, que o órgão estadual pretendia utilizar o recurso a partir de projetos ambientais e a compensação pela degradação ambiental seria investida na compra de veículos, contratação de funcionários e outras ações, entre elas algumas previstas para Três Lagoas.

A juíza Aline Beatriz de Oliveira Lacerda, da Vara de Fazenda Pública e Registros Públicos do município, decidiu que o instituto não pode aplicar a compensação com ações que não sejam na cidade. O valor total para investimento é de R$ 24.589.068,05, que vem sendo depositado em parcelas pela empresa ao instituto.

"Obrigação de fazer consistente na destinação integral da quantia para as unidades de conservação localizadas no município de Três Lagoas ou aquisição de áreas para criação de novas unidades de conservação nos limites territoriais deste município", escreveu a juíza em sua sentença, proferida na terça-feira (25).

Foi, ainda, determinado prazo de seis meses para que o Imasul cumpra a determinação judicial. O período só passa a valer depois que o órgão do governo do Estado for notificado, mas também cabe recurso.

"Considerando que o ambiente degradado merece compensação no mesmo local onde o dano fora causado, até porque o ecossistema local que deve ser compensado, e este reflete diretamente no bem estar da população desta urbe", alegou o promotor de Justiça Ambiental, Antonio Carlos Garcia de Oliveira.

O MPE alegou na ação que o Imasul estaria contrariando lei federal e que a lei estadual que trata sobre compensação conteria distorções que permitiriam o uso do dinheiro em outras localidades que não fossem onde está prevista a degradação ambiental.

A definição dos valores para compensação consta em relatório do Estudo de Impacto Ambiental (EIA/RIMA), que especifica diversos estudos demonstrando as obras a serem realizadas, os impactos no meio ambiente e detalhes das ações a serem realizadas para minimizar os danos.

PARQUE DO POMBO

A Promotoria do Meio Ambiente também solicitou na ação civil pública que o Parque do Pombo, área de 5 mil ha existente em Três Lagoas, recebesse os recursos como forma de melhorias e planejamento da preservação local.

A área teve expansão quando a Eldorado instalou sua unidade 1, mas ainda não tem plano de manejo. O MPE ainda indicou a necessidade de investimento no Parque das Capivaras e no Monumento das Lagoas.

OUTRO LADO

Em juízo, o governo do Estado informou que o próprio Imasul acertou com a Eldorado Brasil Celulose S.A que os recursos recebidos seriam destinados em unidade de conservação e não como gestão ambiental, ou seja, com aquisição de equipamentos, veículos, contratação de funcionários.

Também alegou que o investimento serviria para beneficiar unidade de conservação localizada dentro do bioma cerrado, onde está a planta da Eldorado, e na mesma bacia hidrográfica, sem necessariamente ser no município de Três Lagoas.

"Quem tem a competência legal para definir as unidades de conservação a serem beneficiadas é o órgão ambiental licenciador (Imasul), e não o empreendedor, que apenas sugere", informou a defesa do instituto.

O jurídico, por fim, fundamentou que o município de Três Lagoas já tinha recebido "inúmeros" recursos de compensação ambiental anteriores. Citou, entre eles, R$ 10.142.579,59 destinados em 2006 pela Chamflora Três Lagoas Agroflorestal Ltda.

Com relação à decisão judicial concedida nesta semana, o Imasul, por meio da assessoria de imprensa, informou que não se pronunciaria porque ainda não foi notificado.

O presidente da República, Michel Temer, homenageou, nesta quinta-feira (27), quatro juristas estrangeiros com a Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul, a mais alta condecoração concedida pelo governo brasileiro a cidadãos de outros países. Receberam a homenagem o sul-africano Albert Louis Sachs, o português Carlos Blanco de Morais, o alemão Gunther Teubner e o inglês Jeffrey Jowell.

A Cruzeiro do Sul nasceu da extinta Ordem Imperial do Cruzeiro, instituída por decreto do imperador Dom Pedro I. No discurso na cerimônia de entrega, Temer falou da simbologia da homenagem a juristas renomados no cenário internacional.

Na visão do presidente, a ideia básica do direito é buscar o equilíbrio, a harmonia e a tranquilidade social entre os países. Temer ressaltou que os juristas homenageados são todos dedicados à ciência jurídica e possuem papéis destacados em seus países.

“[O direito] tem esse caráter imperativo para que eu, quando praticar um ato no estado brasileiro, eu saiba as consequências deste ato. E, portanto, a simbologia aqui no Brasil hoje é muito forte por que os professores são dedicados à ciência jurídica e todos tiveram participação institucional, participação política, participação na cidadania muito intensa em seus países", afirmou.

No seu discurso, Temer ressaltou que o direito é um dos pilares da democracia em todos os países. E, quando ela é violada, é preciso “imediatamente contestar aquela violação”. “Eu tive a nítida sensação de que essas singelas palavras que estou a mencionar, refletindo um pouco o que acontece na área jurídica, têm neles [os juristas homenageados] exatamente a expressão maior de quem se dedicou à organização do estado e à democracia", disse.

Laços estreitos

Blanco de Morais, um dos homenageados na cerimônia, agradeceu a honra recebida pelo estado brasileiro em nome dos outros agraciados. Segundo o jurista português, a condecoração evidencia os laços estreitos que existem entre Brasil e a comunidade internacional jurídica e contribui para estreitar laços entre os países e entre as academias.

Ele lembrou ainda que nunca antes foi tão intensa a compreensão entre as academias portuguesa e brasileira e que existe hoje uma “academia comum”. Ele citou como exemplo o intercâmbio entre doutorados, mestres e projetos comuns de pesquisa entre Brasil e Portugal.

Comentário

Na tarde desta quinta-feira (27) a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - Unidade de Dourados, por meio do projeto #vempraUEMS, da Assessoria de Popularização da Ciência e Apoio ao Desenvolvimento Educacional (Acade), recebeu estudantes de Escolas Estaduais dos municípios de Anaurilândia, Bonito e Nova Andradina para acolhimento e divulgação institucional dos cursos ofertados na instituição.

A ação iniciou por volta das 14h no Auditório do Bloco G, com palestra do prof. Dr. Edmilson de Souza, docente da UEMS e responsável pela Acade, que apresentou a Universidade por meio de um vídeo institucional. Aproximadamente 120 alunos das Escolas Estaduais Maria José (Anaurilândia), Bonifácio Camargo Gomes (Bonito) e Fátima Gaiotto Sampaio (Nova Andradina) compareceram à apresentação e, em seguida, conheceram a infraestrutura da UEMS de Dourados, em roteiros subdivididos.

Para o prof. Edmilson Souza, assessor da Acade/UEMS, o projeto #vempraUEMS é primordial à medida em que quebra o chamado paradigma da sala de aula. "Quando os alunos deixam o tradicional espaço de sala de aula e visitam uma Universidade, tudo é novidade e coisa interessante. Fazemos questão de atendê-los da melhor maneira possível para incentivá-los a retornar, quem sabe como acadêmicos de nossa instituição”, explica Souza.

"Essa ação é fundamental para incentivar os alunos de ensino médio a seguirem para o ensino superior. Um município pequeno como o nosso, por exemplo, não oferece quase nenhuma opção aos jovens e este contato com a Universidade instiga muitos deles a prosseguirem com os estudos com a meta ingressarem numa instituição como a UEMS. Eles estão muito empolgados com essa visita", disse a diretora-adjunta da E.E. Maria José, Nucini Garcia.

Opinião semelhante é reforçada pelos professores da E.E Bonifácio Camargo Gomes, de Bonito, destacando a parceria com a Universidade nessas ações. "Essa integração, inclusive, já está prevista no PPP (Projeto Político-Pedagógico) de nossa escola, que prevê a visita dos alunos à UEMS num processo que possa ajudá-los a escolher a área que seguirão, dentro da formação superior", ressaltou o prof. Helton Teixeira.

A profa. Márcia Teixeira, autora do projeto que integra o PPP da unidade escolar de Bonito, destaca que a escola está localizada numa região carente e que muitos alunos são moradores de zona rural. "Assim, quando trazemos esses jovens para a Universidade, é algo que abre os horizontes de possibilidades de vida deles. Conhecendo esse ambiente acadêmico, eles percebem que existe um mundo muito interessante e que eles podem acessá-lo", informou Márcia.

 

Os alunos visitaram o espaço físico da Universidade e puderam conhecer diferentes laboratórios dos cursos de Física, Química, Biologia e Enfermagem. Durante a visitação, eles foram orientados por acadêmicos-monitores de diferentes cursos e tiveram o contato com observações por microscópios, experimentações práticas de física, e contato com diversos itens de exposição.

A estudante Patrícia Barbosa, 17 anos, de Anaurilândia, relata que a experiência foi muito válida e que conhecer a UEMS contribuiu com sua formação enquanto futura acadêmica. “Acho importante quando a escola nos traz para dentro da Universidade, pois no terceirão do ensino médio, existem muitos alunos que ainda tem dúvidas sobre qual carreira seguir. Então esse contato mais amplo com estes espaços auxilia muito nesse processo. Eu, por exemplo, já sei que irei seguir na área de Humanas, no curso de Direito”, disse a jovem.

Renan Novaes, 18 anos, de Bonito, relata que já havia conhecido outras instituições em projetos semelhantes, mas não uma instituição do porte da UEMS. “Foi uma experiência bem legal, pois podemos conhecer como funcionam os laboratórios e quais os experimentos que acontecem lá dentro. Em particular, gostei mais do laboratório de Química, pois é uma área que eu me identifico e, quem sabe, pretendo seguir”, opinou Novaes.

O projeto é uma iniciativa da Assessoria de Popularização da Ciência e Apoio ao Desenvolvimento Educacional (Acade/UEMS) com o objetivo de promover a integração de estudantes do ensino médio, em especial, dos terceiros anos, junto à Universidade. Desse modo, a UEMS realiza palestras e visitações programadas a diversos setores da instituição como forma de divulgar os cursos de graduação ofertados, bem como oportunizar aos jovens estudantes o esclarecimento de dúvidas sobre que carreiras seguir no ensino superior.

O projeto é realizado desde 2015 e têm recebido alunos de escolas do próprio município de Dourados e de outras cidades, por meio de acordos e parcerias com as diferentes escolas. Caso haja responsáveis por unidades escolares interessados em informações sobre como agendar a visita de seus alunos à UEMS, entrem em contato com o telefone (67) 3902-2369.

Comentário

A 3ª edição da Corrida e Caminhada do Servidor Público, realizada pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), reuniu mais de 60 pessoas na manhã desta sexta-feira (28), no campus de Dourados. O evento comemora o Dia do Servidor Público.

A largada foi no estacionamento da UEMS. Os participantes percorreram 2,5 Km ao redor da cidade universitária. Ao chegar ao fim da prova, cada participante recebeu água e frutas.

“Momentos como este são únicos. O mais importante é a integração, a diversão e o incentivo ao esporte. Tudo isso contribui para a qualidade de vida de cada servidor”, afirmou a Pró-reitora de Desenvolvimento Humano e Social da UEMS, Adriana Rochas Moreira.

Foram premiados os três vencedores da Corrida, e os três da Caminhada, nas categorias feminino e masculino.

Uems

As medalhistas da corrida na categoria feminina foram Patrícia Moscarelli, egressa da UEMS; Fernanda Lima, da Studio One Personal Trainer; e Ana Carolina Berguerand, também egressa da UEMS. Já na categoria masculina, os vencedores foram o servidor Daitler Rodrigo Ferreira Campos, da Pró-reitoria de Administração e Planejamento (Proap); Ericsson de Oliveira, egresso da UEMS e Gustavo Anami, do Studio One Personal Trainer.

Na caminhada, categoria feminina, as ganhadoras foram as servidoras Ana Lucia Souza Pires Fagundes, da Pró-reitoria de Extensão, Cultura e Assuntos Comunitários (Proec); Camila Barboza Panage, também da Proec; e Bruna Xavier de Azevedo, da Proap. Na categoria masculina, os medalhistas foram os servidores Itamar Gomes Riedo, da Pró-reitoria de Desenvolvimento Humano e Socia (Prodhs); Bruno Andrade, da Assessoria de Comunicação Social (ACS); e Antonio Valteir de Souza, da Proap.

O evento contou com a parceria da Studio One Personal Trainer. Os profissionais orientaram os participantes no alongamento, no aquecimento e durante a prova.

Uems

Comentário

Momentos antes da reunião com o chefe dos Três Poderes no Palácio do Itamaraty, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDF-AL), ligou para a presidente do Supremo, ministra Cármen Lúcia, para pedir desculpas pelo tom adotado por ele nos últimos dias.

Renan afirmou que agiu em defesa do Legislativo, assim como ela, Cármen Lúcia, ao se pronunciar à abetura da reunião do Conselho Nacional de Justiça, falou em defesa do Judiciário.

crise entre os dois começou após a deflagração da Operação Mete, quando a Polícia Federal prendeu quatro policiais do Legislativo no Senado Federal, acusados de obstruir as investigações da Operação Lava-Jato.

Renan criticou duramente o juiz que autorizou a operação, Vallisney de Souza, chamando-o de “juizeco”. Na reunião do CNJ, Carmen Lucia afirmou que quando o juiz é descatado, todos os demais juizes, assim como ela, também o são.

O presidente Michel Temer tentou marcar na quarta-feira (26/10) um encontro com Cármen Lúcia e Renan, mas a presidente do Supremo alegando dificuldades na agenda, não compareceu. Neste momento, todos eles, além do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e dos ministros da Defesa, Raul Jungmann e Alexandre de Morais, estão reunidos no Palácio do Itamary para discutir o Plano Nacional de Segurança.

Comentário

Já está disponível no site da Prefeitura de Dourados as receitas dos pratos do 4º Festival Gastronômico Sabores de Dourados. O endereço pode ser acessado a um clique no canal “Receitas” que irá abrir a revista. Com outro clique no canto superior direito, as páginas irão se abrindo e, sucessivamente, apresentando todas as receitas.

Acesse aqui

Atendendo um pedido especial do prefeito Murilo Zauith (PSB), a maioria dos bares, restaurantes, pizzarias e similares que participaram do festival encaminharam as receitas dos pratos. O concurso durou dois meses, entre julho e agosto, com 41 restaurantes oferecendo várias 39 opções de pratos nas modalidades ‘a la carte’, self service, lanche, pizza, porções e sobremesa, com ingredientes que vão de carnes a peixes, massas, molhos especiais e muitas outras variedades. Este ano teve até sobremesa, um prato de arroz doce.

O festival foi criado pelo prefeito Murilo em 2013 para apoiar e promover o desenvolvimento comercial e do turismo em Dourados. O evento também incentiva a criação de novas receitas e lançamento de novos pratos. Igualmente incentiva as pessoas a circular pelos restaurantes, experimentando os sabores de Dourados.

Este ano, mais uma vez, o festival foi encerrado com grande sucesso. Durante os dois meses foram consumidos 15.435 pratos, que resultou num acréscimo de faturamento para os 41 restaurantes superior a R$ 543,5 mil, com uma média de R$ 35 por prato. O acréscimo no número de pratos consumidos em relação ao ano passado foi de 11,5%.

O festival foi promovido pela Prefeitura de Dourados, através do Núcleo de Turismo da Semdes (Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável), com apoio do Governo do Estado/FundTur/MS, Abrasel/MS, Gales Park Hotel e Zann Turismo.

Comentário

Diante da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de validar o corte de ponto dos servidores públicos que decidirem entrar em greve, entidades que representam o funcionalismo estão se mobilizando para reagir contra a decisão. Segundo o Secretário Geral da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef), Sérgio Ronaldo da Silva, o tema ainda será discutido entre os representantes e há um planejamento de greve.

“Continuaremos com a nossa missão e isso não deixará a classe intimada. Ninguém deixará de lutar pelos direitos que temos, que apenas tentam garantir um serviço público de qualidade para a sociedade”, diz.

Silva lembra que esta sexta-feira (28/10), Dia do Servidor, seria uma data para comemorações. “Em vez de festa, temos um dia triste e estamos todos envergonhados. O conjunto do funcionalismo está muito decepcionado com a decisão do STF. Ganhamos um presente de grego.”
A decisão foi tomada na quinta-feira (27), e, por seis votos a quatro, o Supremo decidiu que os órgãos públicos podem fazer o corte dos dias parados antes de uma decisão da justiça que considere a greve ilegal.

Para ele, o Supremo deveria resguardar a Constituição, que legitima o direito de greve. “Deveria ser claro, que, em alguns momentos não temos alternativas que não a greve. Isso está sendo retirado de nossas mãos, do nosso legítimo direito de nos posicionarmos quando não concordamos com alguma situação. Portanto, estamos indignados com a decisão. Isso é um completo absurdo.”

Impasses

Votaram contra o desconto dos dias parados os ministros Edson Fachin, Rosa Weber, Marco Aurélio e Ricardo Lewandowski. No entanto o entendimento da maioria da Corte foi diferente. Para Luís Roberto Barroso a discussão atual sobre o direito de greve não é suficiente para a superação de impasses entre o poder público e os servidores, fazendo com que categorias que prestam serviços importantes permaneçam por tempo indeterminado sem trabalhar, causando prejuízos à população. Segundo ele, a medida não viola o direito constitucional do servidor de fazer greve.

José Matias Pereira, professor de administração pública da Universidade de Brasília (UnB), compartilha do entendimento fixado pelo Supremo. Segundo ele, é preciso que não se deixe a “mercê” uma situação de greve que prejudique produções ou serviços de determinado setor. "Nós estamos diante de uma decisão que cabe agora apenas o cumprimento e a determinação. Na soma de todos os problemas que as freqüentes greves acarretam, quem acaba perdendo é a sociedade como um todo."

Culpa

Porém, para o vice-presidente do Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado (FONACATE), Daro Piffer, o grande problema da questão é tratar o funcionário público como os da iniciativa privada. “O judiciário não é intermediário das relações dos servidores com o governo. Diferente do que acontece com a iniciativa privada”.

Ele lembra que, neste último caso, há dissídio regulamentado com data-base, as empresas fazem parte da intermediação em casos de paralisações e no caso de greve há discussões com juiz e para o caso do servidor público, isso não existe. “Os servidores não têm direito de negociação definidos, não temos as mesmas leis que regem a iniciativa privada. Ou seja, se é diferente, não pode ser tratado de forma igual.”

Piffer ainda argumenta que a extensão das greves de servidores públicos nunca é culpa do servidor. “A culpa é do governo, que não atende os funcionários para negociações, e é isto que estende a paralisação e prejudica a sociedade.”

O vice-presidente do Fórum informou também que, a partir de segunda-feira (31/10), serão intensificadas as reuniões sobre o assunto. "Nós precisamos urgentemente transformar as medidas que regulamentam os direitos dos servidores, a questão de liberdade sindical e faremos o que for preciso."

Com a decisão, os dias parados não poderão mais ser cortados, a não ser que paralisação seja motivada por alguma ilegalidade do Poder Público, como a falta de pagamento de salário. Para alguns especialistas, isso deixa a lei um tanto flexível. O entendimento da Corte não impede a negociação para a compensação dos dias não trabalhados. Os ministros também reafirmaram a tese de que as regras de greve para servidores devem ser aplicadas conforme as normas do setor privado, diante da falta de lei específica.

Comentário

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) apresentou variação de 0,16%, em outubro, taxa abaixo da registrada em setembro último (0,20%) e também menor que a de outubro de 2015 (1,89%).

No acumulado de janeiro a outubro, o índice teve alta de 6,63% ante 8,35%, em igual período de 2015. Já em 12 meses, o IGP-M atingiu 8,78%.

O índice é usado como parâmetro para correção de contratos de aluguel. Em outubro do ano passado, este índice acumulado chegou a 10,09%.

A pesquisa - feita pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) - indica que o resultado foi influenciado tanto pelos preços do atacado quanto na construção civil.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) passou de uma variação de 0,18% para 0,15%. Neste subcomponente do IGP-M, foram constatadas cotações em matérias-primas brutas na média de 0,36%, o que é inferior à taxa de setembro (1,27%).

Queda de preços

Houve redução na velocidade de elevação no caso da commoditie minério de ferro (de 8,56% para 2,16%), e recuos de preço do leite in natura (de 1,98% para -5,52%) e da soja em grão (de -0,02% para -1,46%).
No varejo, ocorreu pequena variação para cima com o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) em alta de 0,17% ante 0,16%, em setembro.

Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) passou de um aumento de 0,37% para 0,17%. Houve redução no ritmo de preços tanto dos materiais, equipamentos e serviços (de 0,16% para 0,03%) quanto da mão de obra (de 0,55% para 0,30%).

Comentário

Pesquisadores da Embrapa Agropecuária Oeste, Ivo de Sá Motta e Luís Antonio Aoki Inoue, participaram de atividades na fazenda da Esperança, em Rio Brilhante, ondei funciona uma casa de reabilitação que contribui com a recuperação de dependentes químicos. Atualmente, a Fazenda da Esperança conta com uma horta, sendo 50% manejada por sistema convencional e 50% por sistema orgânico, que tem a finalidade de contribuir com segurança alimentar e nutricional, servindo ainda como local para terapia ocupacional e contribuindo com a geração de renda na cidade. Cerca de 15 pessoas, entre acolhidos e voluntários, participaram do Módulo 1, do curso Produção Agroecológica de Hortaliças, com duração de 6 horas.

Ivo conta que foram enfocados alguns aspectos básicos relacionados ao sistema de produção de hortaliças em sistema agroecológicos ou orgânicos. O pesquisador explica que foram apresentadas orientações iniciais relacionadas aos passos da transição agroecológica, período em que ocorre a conversão de produção convencional para orgânica de hortaliças. Temas relacionados ao preparo do solo, escolha das sementes, adubação, tratos culturais, espaçamento, época do plantio e particularidades de algumas espécies foram abordados no curso. Também realizamos uma aula prática de compostagem e de elaboração de caldas bordalesa e sulfocálcica, que servem para o controle alternativo de pragas e doenças”, disse Ivo. O pesquisador Luís Inoue esclareceu dúvidas sobre a implantação da piscicultura.

Luís Felipe Campos, é voluntário e que trabalha há quase dois anos na Fazenda da Esperança, para ele o curso foi muito útil para os acolhidos. “A capacitação trouxe muitas informações relevantes e gerou uma nova motivação para os acolhidos que se dedicam aos cuidados com a horta. Eles já estão colocando em prática o que aprenderam”, salientou. Ele contou que o objetivo é qualificar a produção de hortaliças, além de ampliar a produção.

Ele explicou ainda que os 40 acolhidos produzem compotas, doces e montam cestas com verduras e hortaliças para que seus familiares possam revender e obter recursos que contribuam para apoiar os trabalhos desenvolvidos na comunidade terapêutica.

Ao tentar assaltar um bar na madrugada desta sexta-feira (28), na cidade de Itaquiraí distante 402 quilômetros de Campo Grande, um jovem, de 18 anos, autor do crime, identificado como Mateus Ramos, acabou sendo morto com três tiros.

De acordo com testemunhas que estavam no bar na hora do crime, o ladrão teria entrado no estabelecimento por volta das 5 horas anunciando o assalto. O autor teria exigido que todos deitassem no chão, momento em que um dos clientes se escondeu embaixo da mesa de bilhar.

Neste momento, o autor teria subtraído a carteira da vítima. Em seguida, o homem teria ouvido disparos e saiu correndo para sua residência não vendo o autor dos disparos. A polícia foi acionada e encontrou o corpo do autor caído no chão com três ferimentos. O caso foi registrado como homicídio simples.

Comentário

Página 791 de 1059
  • Unimed 38
  • kikao esquenta

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014
E-mail: douranews@douranews.com.br

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus