Timber by EMSIEN-3 LTD
  • unigran vest 18
Redação Douranews

Redação Douranews

Olivia Nova, atriz pornô de 20 anos, morreu em Las Vegas, no domingo (7). A informação foi confirmada pela agência LA Direct Models.

“A LA Direct Models está profundamente triste por saber da morte de nossa modelo, Olivia Nova, aos 20 anos. Embora tenhamos a representado por um curto período de tempo, conhecemos Olivia como uma linda garota de personalidade doce e gentil”.

Olivia é a terceira atriz de filmes adultos a morrer nas últimas semanas. Em dezembro, August Ames foi encontrada morta após ser acusada de homofobia nas redes sociais. Dias depois, a atriz pornô Yurizan Beltran, conhecida como Yuri Luv, morreu aos 31 anos de idade. A causa da morte não foi revelada, segundo o site da revista "Newsweek".

Segundo a a Direct Models, a causa da morte de Olivia Nova é desconhecida e exames serão feitos. O resultado deve sair de seis a oito semanas.

Comentário

Os motoristas de dois veículos que se envolveram em um grave acidente na Rodovia dos Imigrantes, na altura de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, estão com as carteiras de habilitação cassadas. Na colisão, duas mulheres morreram e seis pessoas ficaram feridas.

A polícia informou que as CNHs (Carteira Nacional de Habilitação) de André Micheletti, que teria provocado o acidente, e André Gonçalves, que ficou ferido, estão cassadas por excesso de multas.

O acidente ocorreu na altura do Km 29, no sentido São Paulo, na noite desta terça-feira (9), e envolveu uma Mercedes, dirigida por Micheletti, e uma Ecosport, conduzida por Gonçalves.

Duas famílias, com um total de oito pessoas – dois casais e quatro crianças – estavam na Ecosport voltando de Praia Grande, onde passavam férias, e indo para Suzano. Segundo testemunhas, o veículo foi atingido pela Mercedes Benz, que estava em alta velocidade.

A polícia suspeita que Micheletti estava participando de um racha com um Camaro, que não parou após o acidente. Apesar de não ser considerado foragido, a polícia procura pelo motorista do Camaro.

O empresário André Micheletti foi preso e levado para o 3º DP de São Bernardo do Campo, onde passou a noite. Ele estava com duas pessoas no carro e ninguém se feriu. Por volta das 8h50, ele deixou a delegacia e seguiu para o Fórum de São Bernardo para participar de uma audiência de custódia na Justiça, que irá decidir se ele permanece ou não preso.

De acordo com a polícia, ele fez o teste do bafômetro, e o resultado foi negativo. O motorista da Mercedes vai responder por lesão corporal culposa, homicídio culposo e por dirigir sem carteira, conforme divulgou o Bom Dia SP, nesta manhã.

Comentário

O Procon divulgou nesta manhã de quarta-feira (10) o resultado de mais uma pesquisa de preços dos produtos que compõem a cesta básica em dez supermercados da cidade, realizada na terça (9) e constatou que em relação à pesquisa do mês anterior houve queda nos preços da ordem de 2,1%.

Nesta pesquisa foram coletados os preços de 28 itens, sendo considerados para levantamento produtos pré-definidos, que, ainda assim, apresentaram variação significativa de um estabelecimento para outro. O pacote de açúcar com 5kg, por exemplo, teve diferença de 57,45%; o alho (embalagem com 200 gramas), de 158,03%; já a dúzia de ovos teve diferença de 47,70%, enquanto que o quilo do sal apresentou diferença de 147,19%.

Veja o resultado da pesquisa do Procon

Foram encontrados 13 produtos com diferença superior a 100% entre os estabelecimentos com menor para o de maior preço, como, por exemplo, o extrato de tomate (lata de 350 ml) e o sabão em pó. A diferença entre estabelecimentos, do menor para o de maior preço, conforme a pesquisa, é de 48,7%.

O Procon alerta ao consumidor que fique atento às especificações contidas na embalagem, como prazo de validade, composição e peso líquido do produto. E disponibiliza os telefone do órgão, para informações, dúvidas, sugestões, ou reclamações: 3411-7754 e o 151.

Comentário

A Universidade Federal da Grande Dourados está com inscrições abertas para um processo seletivo simplificado em que serão contratados 22 professores visitantes para 19 programas de pós-graduação em nível de mestrado e doutorado. O edital com as primeiras informações a respeito da seleção já foi divulgado. Acesse aqui. Um novo edital será publicado em breve, com informações detalhadas do processo seletivo.

As inscrições podem ser feitas até o dia 25 e serão realizadas somente via online, acessando o endereço eletrônico https://cs.ufgd.edu.br/professor-visitante/. A taxa de inscrição é de R$ 93,70.

Estão sendo oferecidas 22 vagas: duas para o mestrado em Química, duas para o programa de pós-graduação em Agronomia, e duas para o programa de Biologia Geral-Bioprospecção. Os demais programas de pós-graduação oferecem uma vaga cada nas áreas de: Agronegócio, Antropologia, Biotecnologia e Biodiversidade, Ciência e Tecnologia Ambiental, Ciência e Tecnologia de Alimentos, Ciências da Saúde, Educação, Engenharia Agrícola, Entomologia e Conservação da Biodiversidade, Fronteiras e Direitos Humanos, Geografia, História, Letras, Psicologia, Sociologia e Zootecnia.

Comentário

O Ministério Público Federal e as Defensorias Públicas da União e do Estado de Mato Grosso do Sul ajuizaram ação civil pública para que os Governos Federal, Estadual e Municipal sejam obrigados a enfrentar os alarmantes níveis de ‘drogadição’ na Reserva Indígena de Dourados.

A ação considera os entes estatais “omissos quanto aos deveres constitucionais e legais de tutela à vida e à saúde da população indígena de Dourados” e pede decisão liminar que obrigue a implementação de política pública destinada à saúde mental dos indígenas, com indicadores a serem monitorados, ações e órgãos responsáveis por cada uma.

A Reserva Indígena de Dourados tem a maior concentração de população indígena do país, com cerca de 13 mil habitantes, segundo os números divulgados. Há em relação à população uma “indiferença hostil”, com um descaso não raramente fundado em motivos discriminatórios. “Tal descaso estatal reflete nos índices de violência. Com base nos dados oficiais, entre 2012 e 2014, o Brasil teve taxa média de 29,2 homicídios por 100 mil habitantes. Em Mato Grosso do Sul, a taxa foi de 26,1. Entre os indígenas de MS, este número sobe para 55,9. Já os indígenas da Reserva de Dourados enfrentam uma taxa de homicídios de 101,18 por cem mil habitantes”, diz o levantamento.

Os indígenas da região de Dourados morrem por homicídio a uma taxa quase 400% superior aos não indígenas de MS, segundo o processo 5000780-70.2017.4.03.6002 instaurado pela Justiça Federal do Município. Este fato se repete com relação a outros crimes, como a violência doméstica e sexual.

Relatório oficial do Distrito Sanitário especial Indígena (o DSEI/MS) revela que os determinantes sociais impactam diretamente na saúde: “A precariedade da segurança pública, educação deficitária, alimentação e habitação inadequadas, carência de projetos voltados para a geração de renda e emprego e a ausência de políticas públicas para os indígenas refletem no alto índice de violência, consumo de drogas e álcool, mortalidade infantil e os alarmantes índices de homicídio e suicídio”, segundo o relatório.

6,79% da população, 67% das internações de adolescentes

Em relação a crianças e adolescentes acolhidos em instituições estatais na região de Dourados, a disparidade é a mesma. Em 2016, foram internados 410 adolescentes não indígenas e 282 indígenas. Embora representem apenas 6,79% da população de Dourados, os indígenas responderam por 67% das internações, o que mostra que a violência atinge esta população de forma particularmente intensa.

Destaque também para a questão do suicídio entre os indígenas da etnia guarani-kaiowá da região de Dourados. Em 2015, enquanto a taxa brasileira foi de 9,6 suicídios por 100 mil habitantes, a mesma taxa entre os indígenas foi de 89,92, número que não encontra paralelo nem entre os países com maiores índices do mundo. A maioria das mortes ocorreu na faixa dos 15 aos 29 anos.

Em abril de 2011, a Justiça concedeu liminar, em ação civil pública ajuizada pelo MPF, determinando que a Funai e a União disponibilizassem um efetivo de 12 policiais para efetuar a segurança da Reserva Indígena de Dourados. Em março de 2012, União e Estado de Mato Grosso do Sul firmaram Acordo de Cooperação Técnica, que foi renovado três anos depois, sem nunca ter sido efetivado, mesmo com a doação de sete caminhonetes e 12 motocicletas pelo Governo federal.

Polícia não atende indígenas pelo 190

Outras duas ações foram ajuizadas pelo MPF em Dourados e Naviraí para que os indígenas pudessem ser atendidos emergencialmente pelas polícias estaduais, através do telefone 190. Isso porque o governo do estado havia editado um parecer impedindo as forças de segurança de atender emergências dentro das terras indígenas. Um flagrante caso de discriminação. Em novembro de 2012, duas liminares judiciais invalidaram o parecer e determinaram o atendimento dos indígenas de todo o Estado.

Descaso semelhante, segundo o processo instaurado, é verificado em relação à educação. Informe da Prefeitura de Dourados, de 2014, mostrava que 600 crianças estavam fora da escola por falta de vagas. Invariavelmente, as escolas indígenas apresentam superlotação e estrutura deficiente para promover a educação. Nova ação civil pública foi ajuizada, que resultou em acordo judicial do MPF com a Prefeitura de Dourados, que se comprometeu a criar novas vagas na rede básica de ensino.
Para o MPF, apesar dos números mostrarem a necessidade de políticas específicas voltadas para os indígenas, “os órgãos estatais participam de verdadeira disputa judicial para verem suas responsabilidades excluídas”.

Comentário

Estudos científicos apontam que doses acumulativas de radiação ionizante podem danificar os tecidos humanos, trazendo prejuízos à saúde, e que crianças são mais sensíveis pelo fato de seus tecidos estarem em desenvolvimento. No entanto, nos últimos anos, houve um aumento significativo na realização de exames com radiação ionizante: de acordo com a ONU (Organização das Nações Unidas), na década de 1990 a 2010, foi registrado um aumento de 40% no número de exames desse tipo no mundo.

Para conscientizar sobre os cuidados que devem ser tomados na solicitação e realização desses procedimentos, a Unimed do Brasil, representante institucional das cooperativas que atuam sob a marca Unimed, lançou em 2016 o Programa de Proteção Radiológica Infantil. No mês passado, a iniciativa foi apresentada na International Conference on Radiation Protection in Medicine, evento organizado pela Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA, na sigla em inglês) e considerado um dos principais do mundo na área, realizado de 11 a 15 de dezembro em Viena, na Áustria. O trabalho será ainda publicado no livro de contribuições do evento.

O paper "Disseminação do Programa de proteção radiológica infantil em um sistema brasileiro de cooperativas de saúde", apresentado na conferência internacional, foi produzido por Sérgio Rodrigues, enfermeiro e analista de Serviços e Recursos Próprios da Unimed do Brasil, e Mônica Bernardo, médica especialista em radiologia e diagnóstico por imagem e cooperada da Unimed Sorocaba. O Programa de Proteção Radiológica Infantil visa conscientizar profissionais da saúde e pacientes do Sistema Unimed sobre os riscos relacionados à exposição excessiva aos raios ionizantes, reduzir a indicação de exames desnecessários e criar condições para que os procedimentos sejam executados com a menor carga de radiação possível.

Atualmente, 43 Unimeds já aderiram ao Programa, destas 18 já estruturaram uma Comissão de Radioproteção e iniciaram as atividades. Para facilitar a implementação do Programa em toda a rede, a Unimed do Brasil fornece material de suporte completo, como cartilhas de orientações para médicos, profissionais de radiologia, e pais ou responsáveis; website voltado ao público leigo com informações sobre radioproteção; e outros materiais de comunicação; além de um guia de implementação do programa produzido com base na legislação brasileira e particularidades do Sistema Unimed.

A iniciativa ainda incentiva a utilização de uma carteirinha, cujo modelo também é disponibilizado pela Unimed do Brasil, que permite aos profissionais de saúde o conhecimento da frequência e da data de realização dos últimos exames, para então avaliar com segurança a necessidade da solicitação de um novo procedimento. A carteirinha também traz orientações de segurança aos pais e responsáveis, como uma escala comparativa da radiação recebida por exames e a radiação natural ou de fundo, proveniente do meio ambiente. "Um exame de raios-X frontal simples equivale a um dia inteiro de radiação natural; uma tomografia de crânio corresponde a mais de oito meses de radiação natural e uma tomografia de abdômen, a mais de vinte meses de exposição", são alguns dos alertas contidos no material.

"O programa de Proteção Radiológica Infantil possui ações efetivas tanto para o público médico quanto leigo e utiliza da disseminação de conhecimento baseado em evidências para fomentar o desenvolvimento da cultura de segurança. Essa iniciativa converge com a Atenção Integral à Saúde, modelo assistencial defendido pela Unimed do Brasil e que prevê a prestação de um cuidado global do paciente, atuando de maneira mais preventiva", ressalta o diretor de Gestão de Saúde da Unimed do Brasil, Orlando Fittipaldi Jr.

De acordo com levantamento da Unimed do Brasil realizado nas Unimeds aderentes ao programa, a maior demanda de assistência, considerando a faixa etária de 0 a 12 anos, é de crianças com até quatro anos de idade. "Esse público representa 62% dos atendimentos em prontos-socorros e 56% das consultas eletivas, o que reforça a necessidade de maior atenção para esta faixa etária", completa Fittipaldi.

Ações

A Unimed São José do Rio Preto (SP) iniciou o Programa de Proteção Radiológica Infantil em junho de 2016, com foco em crianças de 0 a 12 anos. Os médicos cooperados receberam treinamento, foram distribuídas cartilhas e outros materiais de comunicação sobre o tema aos profissionais de saúde e beneficiários, além da utilização da carteirinha de controle de realização de exames com radiação.

Segundo o responsável técnico de radiologia da Unimed São José do Rio Preto, Dreison Tiago Torres da Silva, com a ação ocorreu uma redução na realização de radiografias. "A partir de 2018, será colocado ainda no Pronto Atendimento Infantil um painel contendo informações para os pais que estiverem na sala de espera”, com o objetivo de disseminar todas as informações sobre a proteção radiológica infantil. “A adesão ao programa proporcionou o acompanhamento efetivo, com monitoramento de indicadores e plano de ação quando necessário", comenta.

A Unimed Pato Branco (PR) implantou o Programa em outubro de 2017, quando a operadora promoveu palestra com o físico Fernando Menezes e o médico radiologista Orlando Cláudio Hecke sobre proteção radiológica. O evento foi direcionado aos médicos cooperados nas especialidades de pediatria, clínico geral, ginecologia, obstetrícia e otorrinolaringologista.

"Para 2018, planejamos a estruturação da Comissão de Proteção Radiológica em todas as instituições hospitalares da rede credenciada da Unimed Pato Branco e também realizaremos ações de conscientização da população em geral", diz a enfermeira e analista de Regulação de Rede da Unimed Pato Branco, Fernanda Rodrigues Seibt.

Comentário

Criada em 2017, a CIHDOTT (Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes) tem colocado Dourados como referência nacional em captação de órgãos. Só no ano passado, foram 12 procedimentos, todos realizados no Hospital da Vida.

O mais recente caso foi registrado na madrugada do dia 30 de dezembro, quando ocorreu a captação do primeiro fígado transplantado no mundo e que ajudou a salvar a vida de uma paciente de 27 anos, em São Paulo. Além do fígado, também foram captados córnea, rins e coração de Franciely Ferreira de Freitas, de 16 anos, que teve morte encefálica no Hospital da Vida.

A equipe do CIHDOTT, criada por orientação da prefeita Délia Razuk e coordenada pelo médico Antônio Pedro Bitencourt, realizou a captação de múltiplos órgãos da adolescente. De acordo com o coordenador, o procedimento levou 36 horas para ser concluído.

A paciente que recebeu o fígado está entre os casos de febre amarela confirmados em São Paulo, o qual evoluiu para um quadro de hepatite fulminante. Naquele Estado ocorreram mortes por conta da doença. A jovem esteve em Mairiporã, uma das regiões com maior número de casos suspeitos na Grande São Paulo.

O médico Antônio Pedro Bittencourt afirma que a paciente transplantada teve evolução no quadro de saúde e que este procedimento marca uma nova forma de lidar com a doença.

O secretário de Saúde, Renato Vidigal, destacou o empenho da comissão, que já tem colocado Dourados como destaque na captação de órgãos. Ele citou ainda a importância da sensibilidade dos familiares para contribuir em salvar outras vidas e pontuou sobre as instituições parceiras que garantem o sucesso dos procedimentos.

“Podemos nos orgulhar mais uma vez da nossa cidade, dos nossos profissionais de saúde pública, dos familiares que apoiam a doação de órgãos em um momento delicado, de luto. Parabenizo nossos parceiros FAB, SAMU, PM, Guarda Municipal, Hospital da Vida, Hospital das Clínicas de São Paulo. Seguiremos em busca de evoluir em captações”, destacou Vidigal.

A coordenação do CIHDOTT diz que campanhas de conscientização sobre a importância da doação de órgãos junto à sociedade continuarão a acontecer. Além da coordenação do médico Antônio Pedro Bitencourt, a Comissão é composta pela enfermeira Clarinie Fortunatti como vice-coordenadora e, como membros efetivos, as enfermeiras Denise Reginato, Ludelça Dorneles, Daniele Ribeiro, Valdineia Pereira e a psicóloga Silviane Krokosz.

Comentário

A prefeita Délia Razuk reuniu na manhã desta terça-feira (9), no gabinete, o secretário de Obras Públicas e Planejamento, Tahan Sales Mustafa, e o núcleo técnico das Secretarias, além do secretário Joaquim Soares, de Serviços Urbanos, para deliberar sobre a execução de mais de R$ 156 milhões em obras no município. São obras fruto de parcerias conquistadas no primeiro ano da administração que priorizou uma gestão democrática e pautada pelo companheirismo, conforme divulga a assessoria de comunicação oficial.

“Anunciamos neste início do segundo ano de nossa administração uma lista de ações que vão impactar o município. A crise continua, mas conseguimos junto aos parceiros de Dourados os investimentos em obras e vamos iniciá-las. Passamos um primeiro ano difícil, mas conseguimos implantar uma maneira moderna de gestão e os frutos estão aí. Depois da construção de uma base administrativa, enfrentamos os desafios, sanamos, e agora temos boas notícias”, disse a prefeita Délia.

Entre as principais conquistas, estão a reforma e ampliação do Aeroporto Municipal Francisco de Matos Pereira, que totaliza investimento de mais de R$ 56 milhões. Este empreendimento conquistado graças à articulação da administração da prefeita junto à Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) culminou com a participação do Exército Brasileiro na execução das obras.

“É uma das maiores conquistas para Dourados. Com boa estrutura aeroportuária, qualquer cidade evolui melhor e angaria mais investimentos”, disse a prefeita.

O investimento de mais de R$ 30 milhões no contexto do programa Avança Brasil também vai permitir obras de drenagem e pavimentação em vários bairros e as estações de transbordo, entre outras.

Mais de R$ 20 milhões serão empregados no início das obras de 200 casas do conjunto habitacional Residencial Guassu, na região do Jardim Clímax.

A prefeita determinou também que seja elaborado o projeto para pavimentação do acesso à Perimetral Norte, via Rua dos Caiuás. A obra deve consumir em torno de R$ 2,5 milhões e terá pavimentação, alargamento da pista e pavimentação.

Outro destaque é a aplicação de recursos provenientes do Governo do Estado, principalmente na recuperação da malha asfáltica na cidade. Entre os projetos, o aporte para o tapa-buracos, que já acontece, e R$ 36 milhões para recuperação das principais avenidas no centro da cidade. “A parceria com o Governo do Estado tem sido fundamental”, disse a prefeita.

Délia destacou ainda a parceria de integrantes da bancada federal que trabalham juntos pelo Estado e não têm esquecido Dourados, encaminhando emendas que somam mais de R$ 9,4 milhões em investimentos. Entre eles os senadores Pedro Chaves, Waldemir Moka e Simone Tebet, que destinaram emendas para drenagem e pavimentação que vão beneficiar, entre outros, os bairros Jóquei Clube (R$ 1 mi – Pedro Chaves), Jardim Guaicurus (R$ 600 mil – Simone) e Jardim das Primaveras (R$ 2,05 mi – Moka), e os deputados federais Luiz Henrique Mandetta (R$ 750 mil), Carlos Marun (R$ 2,15 mi), Elizeu Dionizio (R$ 1,5 mi) e Geraldo Resende (R$ 1,42 mi). Estas emendas são para drenagem e pavimentação no Jardim Guaicurus, reforma do ginásio municipal, parte da drenagem e pavimentação no Estrela Verá e Jardim Caiman, drenagem e pavimentação no Laranja Doce, reforma do PAM, reforma do UBS Ouro Verde e drenagem e pavimentação de parte do Parque dos Jequitibas.

Mais investimentos

Além disso, segundo o secretário Tahan Sales Mustafa, a Sanesul (Empresa de Saneamento Básico de Mato Grosso do Sul) emprega investimentos na casa dos R$ 40 milhões no município.

Délia Razuk ressaltou ainda que empreendimentos privados, como a instalação da fábrica da Coamo, que vai investir mais de R$ 650 milhões no município, fazem parte desta “colheita dos frutos de uma gestão de responsabilidade”.

A efetivação do modal da Ferroeste passando por Dourados também se insere neste contexto de progresso do município. “Para falar em números de investimentos públicos e privados chegamos a R$ 1 bilhão. São investimentos que conquistamos com o trabalho e cooperação de muita gente junta. Que cidade no Brasil tem este privilégio?”, finalizou a prefeita.

Comentário

O novo secretário estadual de Saúde, Carlos Alberto Coimbra, visitou nesta terça-feira (9), em Dourados, as unidades do Hospital da Vida e do Hospital Evangélico, manteve encontros com a prefeita Délia Razuk e a equipe da Secretaria Municipal de Saúde e ainda participou de audiência no MPE (Ministério Público Estadual), como parte de agenda estabelecida para diagnosticar a realidade do setor em Mato Grosso do Sul.

Coimbra, que é advogado e foi diretor do Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian, em Campo Grande, antes de assumir a Secretaria, em substituição ao médico Nelson Tavares, foi a opção técnica que o governador Reinaldo Azambuja encontrou para dar maior dinamismo ao atendimento nas diferentes regiões do Estado. “Tivemos uma boa impressão dele e, com certeza, poderemos estabelecer boas parcerias”, definiu o secretário municipal de Saúde, Renato Vidigal, ao recepcionar a equipe do Estado.

A agenda de visitas de Carlos Coimbra e dos auxiliares da Secretaria faz parte do cronograma de levantamento de informações e demandas que o gestor tem feito em hospitais e instituições do Estado para definir o programa a ser executado neste último ano do atual Governo. “Dourados está sobrecarregada, em função da demanda que assumiu como macrorregião e as necessidades das pessoas de 32 municípios que procuram pelos nossos serviços”, disse a prefeita Délia Razuk ao cumprimentar o secretário. “Confiamos na sua experiência de gestor e na sensibilidade do governador Reinaldo Azambuja”, acrescentou Délia.

Depois do encontro no MPE, onde renovou um prazo para regularização de algumas ações reclamadas pela Promotoria em mais 90 dias e da visita aos hospitais públicos da cidade, o secretário disse que dentro de 60 dias deverão ser retomadas as atividades no Hospital de Cirurgias Eletivas [localizado na rua Coronel Ponciano, esquina com a avenida Weimar Torres], até que sejam concluídas as tratativas para início das obras do HRD (Hospital Regional de Dourados [na saída para Ponta Porã] e prometeu estudos para tratar da repactuação com municípios que tem a gestão plena de Saúde.

Comentário

A Prefeitura de Dourados vai depositar nesta quarta-feira (10) a folha salarial do mês de dezembro de parte do funcionalismo municipal. A exemplo de meses anteriores, por conta da insuficiência de recursos em caixa, a folha será paga de maneira escalonada, priorizando sempre aqueles servidores que recebem salários menores, informa a assessoria de comunicação do Município.

O secretário municipal de Fazenda, João fava Neto, informou na tarde desta terça-feira (9) que serão depositados nesta primeira etapa os salários de 3.617 servidores que recebem até R$ 2.250 líquidos, totalizando mais de R$ 5,1 milhões, em recursos próprios.

Serão disponibilizados os salários de 474 servidores administrativos, 2.293 servidores da Educação, 12 da Agehab, 39 da Agetran, oito da Funed, 785 da Saúde e seis do Imam. A Prefeitura conta hoje com pouco mais de 6 mil servidores.

João Fava Neto também disse que a expectativa da administração municipal é de que este seja o último mês que será preciso escalonar a folha salarial. Segundo ele, a partir de fevereiro o pagamento do funcionalismo deverá ser normalizado, sem a necessidade de escalonamento.

Comentário

Página 7 de 793
  • mistura
  • Unimed 38

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014
E-mail: douranews@douranews.com.br

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus