Timber by EMSIEN-3 LTD
Douranews - Dourados
Redação Douranews

Redação Douranews

O sonho de construir o Hospital da Mulher e da Criança para atender a população de Dourados e região deu mais um passo para se tornar realidade. É que o Ministério da Educação empenhou, quinta-feira (23), todas as emendas individuais da bancada do Estado em Brasília para essa finalidade, como informa a assessoria do deputado federal Geraldo Resende (PSDB).

Um dos idealizadores, entusiastas e o grande responsável por buscar recursos junto à bancada com esse objetivo, o deputado Geraldo foi o campeão ao repassar R$ 3 milhões. O senador Waldemir Moka (PMDB) e o deputado Carlos Marun (PMDB) viabilizaram R$ 1 milhão cada, enquanto a deputada Tereza Cristina (PSB) alocou R$ 850 mil, seguido pelo deputado Henrique Mandetta (DEM), com R$ 750 mil e a senadora Simone Tebet com R$ 613 mil.

No total, o IMC já conta com R$ 7,2 milhões de emendas individuais empenhadas, que serão somados aos R$ 9,1 milhões, referentes a uma emenda de bancada apresentada ao OGU (Orçamento Geral da União) 2016. A estimativa é de que o IMC fique orçado em R$ 41 milhões, segundo o deputado.
Para 2017, estão previstos recursos de R$ 25 milhões para as obras e compra de equipamentos, por meio do Ministério da Educação, via Ebserh (a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares). “Até lá, vou continuar me debruçando para conseguir outras fontes do governo federal para garantir as mães e seus filhos um hospital melhor e decente. É disso que Dourados precisa”, afirma Geraldo Resende.

“A notícia dos empenhos representa uma vitória de todos nós, sobretudo, quando conseguimos convencer parte da bancada do Mato Grosso do Sul da importância e necessidade de construir um hospital da dimensão da demanda que Dourados e região tem. Mais do que isso, temos o compromisso do governador em dobrar os valores investidos por nós. Ou seja, teremos mais R$ 6,6 milhões para o IMC”, disse Geraldo Resende.

Repercussão

Para a reitora da Universidade Federal da Grande Dourados, Liane Calarge, o empenho dos recursos é um passo importante para a realização deste sonho de toda a comunidade acadêmica. “A Unidade da Mulher e da Criança vai suprir a necessidade que temos de aumentar as vagas de atendimento na maternidade. Além disso, vai possibilitar a formação de alunos na residência em pediatria e obstetrícia. Essa emenda do deputado Geraldo Resende é fundamental”, destaca.

A médica Mariana Croda, superintendente do Hospital Universitário da UFGD afirma que a concretização desse projeto tão esperado pela comunidade da macrorregião possibilitará a modernização e ampliação dos serviços de atendimento na área e se consolidará, ainda mais, como o hospital de referência para o atendimento materno-infantil.

Comentário

Como forma de reforçar as ações de humanização do ambiente hospitalar, respeitando as diferenças culturais da região, o HU (Hospital Universitário) da Universidade Federal da Grande Dourados iniciou quinta-feira (23) a primeira capacitação em língua guarani voltada especificamente para o atendimento ao público indígena.

Em parceria com a UFGD, por meio da Progesp (a Pró-reitoria de Gestão de Pessoas), o curso, inédito no âmbito do HU, tem como objetivo trabalhar a oralidade de palavras e expressões usualmente empregadas na área da saúde e no dia a dia da etnia Guarani-Kaoiwá, de forma que o colaborador que atua diretamente com o paciente indígena possa melhor compreendê-lo e, também, ser entendido.

A aula inaugural, realizada na manhã de quinta-feira, contou com a participação especial do cacique Getúlio de Oliveira, da aldeia Jaguapiru, que fica localizada na reserva indígena de Dourados. Liderança entre seu povo, ele expôs aos colaboradores que, dentro da cultura indígena, muitas doenças são tratáveis com os medicamentos existentes na natureza e com as rezas. No entanto, reconhece a importância das instituições de saúde e seus procedimentos.

“Dentro da nossa cultura temos nossos remédios e nossa reza, mas, hoje, nós precisamos da ajuda de vocês da saúde, pois é difícil perder uma pessoa. Muitos ainda têm medo do tratamento dos brancos. Alguns já conhecem e sabem que é bom. Mas quando tem alguém que fala e explica na língua, nós ficamos felizes e entendemos”, relatou o cacique.

Os participantes também tiveram a oportunidade de iniciar os conhecimentos sobre a cultura indígena com uma pequena palestra proferida pela antropóloga e professora da UFGD, Graciela Chamorro. Conhecida pelo trabalho de pesquisa em religião, língua e história dos povos guarani, a docente falou sobre como as palavras podem ter significados diversos para os indígenas, inclusive, com representações poéticas calcadas nas crenças ancestrais deles.

“Espero que essa iniciativa seja uma abertura para o conhecimento, não só da língua indígena, mas da cultura dos povos indígenas, com suas noções de saúde, de corpo e de cura, de sua cosmologia como um todo”, afirmou a pesquisadora.

Barreira cultural x atendimento humanizado

A macrorregião da Grande Dourados é conhecida nacionalmente por ser território de grandes aldeias indígenas, tanto urbanas quanto rurais, cabendo ao HU o atendimento de boa parte dessa população. Em setores como a Pediatria, por exemplo, mais de 60% da assistência é dada a pacientes indígenas.

A maior dificuldade para colaboradores de todos os setores, mas principalmente os da assistência à saúde, é a comunicação efetiva com esses pacientes que, muitas vezes, não falam qualquer palavra em português ou, por questões culturais, não se sentem à vontade se expressando em outro idioma.

“Isso dificulta o atendimento, que em muitas situações precisa ser rápido para ter eficácia, pois o profissional de saúde não consegue obter um histórico do paciente, não consegue ao menos saber onde está o problema e como aquele quadro se deu”, explicou a colaboradora Deise Vieira, chefe da Unidade de Apoio Corporativo, uma das participantes do curso.

A capacitação formará 40 profissionais, sendo 32 do hospital e oito da universidade, que terão uma aula por semana até o final do mês de outubro. O conteúdo será ministrado pelos professores Andérbio Martins e Hemerson Catão, da Faind (Faculdade Intercultural Indígena) da UFGD, e pelo intérprete de língua guarani do HU, Silvio Ortiz que desde 2004 auxilia os profissionais de saúde no acolhimento e na comunicação com os pacientes indígenas e seus familiares. Ele é enfermeiro, pós-graduado em Saúde Pública e morador da aldeia Jaguapiru.

Com o trabalho desenvolvido por Silvio, indígena da etnia Guarani-Kaoiwá, os índices de fuga do hospital se tornaram menores. “Estamos falando de um povo que se sente estrangeiro dentro de seu próprio país. Eles têm sua especificidade, que precisa ser levada em consideração”, avaliou o intérprete, que agregará a experiência de mais de dez anos como porta-voz do hospital junto à comunidade indígena no conteúdo do curso.

Comentário

O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, anunciou nesta sexta-feira (24) a intenção de renunciar em outubro depois que os britânicos votaram a favor da saída da EU (União Europeia). Em declaração na porta da residência oficial de Downing Street, Cameron disse que o povo britânico se manifestou e essa vontade deve ser respeitada.

O político comunicou a intenção de renunciar depois que o "brexit" - saída britânica da UE - ganhou com 52% de apoio no referendo realizado quinta-feira (23), cujo resultado foi conhecido na madrugada desta sexta. Também informou que as negociações com Bruxelas para estabelecer o processo de ruptura do Reino Unido da UE deverão acontecer com outro líder, que deverá ser eleito no próximo mês de outubro, quando será realizado o congresso do partido.

Cameron afirmou que o próximo primeiro-ministro deverá decidir se ativará o artigo 50 do Tratado de Lisboa, que estabelece o processo sobre a retirada de um Estado-membro da UE. "Agora que a decisão de sair foi tomada, precisamos encontrar a melhor maneira (para fazer isso)", disse Cameron, informando que o governo se reunirá na segunda-feira (27) para tratar do assunto.

Além disso, ele tranquilizou o Reino Unido, disse que não haverá "mudanças imediatas" no livre movimento de cidadãos, mercadorias e serviços. "O Reino Unido é um país especial, temos tão grandes vantagens, uma democracia parlamentar na qual resolvemos os grandes problemas sobre nosso futuro através de um debate pacífico, uma grande nação comercial com nossa ciência e as artes", disse.

O Reino Unido deixará a União Europeia após 52% dos britânicos optarem pela ruptura, contra 48% que defendiam a permanência no bloco comunitário. Os eleitores que deram o "sim" para a saída da UE chegaram a 17.410.742 votos enquanto os que defendiam a permanência somaram 16.141.241, conforme repercutiu o portal Terra à reportagem da agência Efe.

Comentário

A Comissão de Educação da Câmara dos Deputados aprovou proposta que autoriza saque da conta do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para a compra de lote popular de uso residencial. A medida está prevista no Projeto de Lei 465/99, do ex-deputado Geraldo Magela (PT-DF). O projeto recebeu parecer favorável de todas as comissões de mérito da Câmara e foi enviado ao Senado Federal em 2002. Aquela Casa aprovou o texto original, mas sugeriu alterações na forma de substitutivo.

A versão aprovada no Senado estabelece requisito de três anos de trabalho, sob o regime do FGTS, para que o empregado possa movimentar o dinheiro. O texto também limita a área do lote popular até 250 m², o que já constava em emenda feita pela Comissão de Finanças e Tributação da Câmara. No projeto original, não havia tal limitação.

Financiamento educacional

Além disso, a nova versão permite que o FGTS seja movimentado para quitar financiamento educacional e habitacional. No caso do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) a amortização seria limitada a 70% do valor de cada parcela e ao saque total de no máximo 30% do saldo da conta.

O relator da matéria no colegiado, deputado Glauber Braga (PSOL–RJ) foi favorável à aprovação do texto do Senado. Entretanto, retirou a possibilidade de uso do FGTS para quitação de financiamento educacional.

Segundo o deputado, é preciso ter cautela no aumento de saques do FGTS. Ele menciona parecer da Caixa Econômica Federal sobre o assunto, que alerta que os saques podem prejudicar o atendimento a 161 milhões de trabalhadores, que representam mais de 80% da população brasileira.

Comentário

A advogada Rosalina de Souza Santos, defensora da causa de proteção aos animais, encontrou na manhã desta sexta-feira (24) o corpo de um tatu, de pequeno porte, embalado em uma sacola de plástico, jogado às margens da rua Onofre Pereira de Matos, no centro da cidade.

Preocupada com o desprezo pelos animais, e a falta de cuidados com os bichos, Rosalina disse que Dourados precisa, mais do que nunca, de um Cras (o Centro de Reabiltação de Animais Silvestres), unidade que só funciona em Campo Grande. “Aqui, a gente pode contar com a ajuda da PMA (Polícia Militar Ambiental), mas eles não dispõem de um perito para analisar situações como a desse animal encontrado morto”, afirmou.

Pelas características apontadas, o tatu pode ter sido morto por atropelamento, ou mesmo foi abatido por alguma pessoa, porque o corpo foi depositado em uma sacola plástica de supermercado antes de ser ‘desovado’ na via pública.

A reforma do Código Penal, em discussão no Congresso, prevê, por exemplo, nos artigos 393 e 394, no conjunto do projeto de lei 236/2012, que a prática de abandonar animal em espaço público, e deixar de prestar assistência ou socorro, a animal em situação de perigo, pode resultar em prisão por até quatro anos.

“Mais do que punir, essa é uma forma de conscientizar as pessoas sobre o direito à vida dos animais. Por isso, enquanto não dispomos de um Cras para esse atendimento, as pessoas que encontrarem animais desassistidos devem entrar em contato com a PMA para que seja devolvido ao seu habitat natural”, observou a advogada.

Quando alguém encontrar um animal silvestre, baseado no princípio de igual consideração aos seres vivos, deve encaminhar para a PMA, para ser devolvido à natureza, mas, segundo a advogada, "se por um infortúnio a pessoa atropelar, deve prestar socorro e não descartar o animal como 'coisa'", conclui Rosalina de Souza Santos.

Comentário

O vereador Mauricio Lemes (PSB) quer modernizar a lei que dispõe sobre o zoneamento, uso e ocupação do solo e o sistema viário, tendo por base os graus de impacto e de interferência na qualidade de vida dos cidadãos douradenses. A princípio, segundo ele, o projeto pretende a criação de uma Câmara Setorial deliberativa, para que as ações, por exemplo, tenham menos influências políticas e, consequentemente, deem mais agilidade aos processos.

A Câmara Setorial seria organizada por técnicos de várias entidades representativas dos elos do setor. Seria capaz de propor, apoiar e acompanhar ações para o desenvolvimento, além de servir como órgão deliberativo, ou seja, que pode aprovar ou não um plano. Para Mauricio, por uma função mais de Estado e menos de Governo. “Planos de administrações em curto prazo na questão do desenvolvimento geramum crescimento desordenado”, completa.

Para o vereador, além da melhor estruturação da área, também aumenta o diálogo entre os setores público e privado. De acordo com Mauricio, essa ação desperta ainda segmentos adormecidos, como o caso da construção civil. Evitaria também, em um segundo momento, as chamadas “esquisitices urbanísticas”. “Como exemplo de uma quadra cheia de prédios e um único terreno ou casa no meio desse lugar”, explica.

O vereador visitou profissionais para tratar do assunto, além de se aconselhar e ouvir órgãos como o Ministério Público Estadual. É o caso do promotor de Justiça Amílcar Araújo Carneiro Júnior, por se referir a procedimentos referentes à proteção do meio ambiente, da habitação, urbanismo e patrimônio histórico e cultural dos douradenses. “Todos os meus projetos são apresentados após um grande estudo e uma longa consulta pública”, lembra Mauricio.

O vereador explica que quer atualizar a legislação pensando nas oportunidades que podem ser geradas a partir de tal atividade, como na geração de ocupações e renda. Ele lembra que tem trabalhado para fomentar o setor econômico e tem compromisso social com o município, por isso está sempre em busca de alternativas.

Propostas ou contribuições para o mandato do vereador, assim como para o Projeto de Lei, também são aceitas pelos endereços das redes sociais, como na página (mauriciolemesvereador) no Facebook, através do e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou ainda pelo telefone 67 3410 0104.

Comentário

Com o objetivo de reduzir o tempo para a universalização do esgotamento sanitário nos 68 municípios operados pela Sanesul, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) lançou nesta quinta-feira (23), juntamente com o secretário de Infraestrutura Marcelo Miglioli e o diretor-presidente da Sanesul, Luiz Rocha, o edital de chamamento público do PMI (o Procedimento de Manifestação de Interesse) para elaboração de estudos técnicos destinados à universalização do sistema de esgotamento sanitário nas cidades atendidas pela Sanesul.

O PMI visa estabelecer as diretrizes de participação dos interessados na elaboração e apresentação dos estudos técnicos que poderão ser utilizados para a estruturação do projeto destinado à implantação, expansão, reabilitação, operação e manutenção dos sistemas de esgotamento sanitário da área urbana da sede dos municípios atendidos pela Sanesul, por meio de PPP (Parceria-Público-Privada) de forma a garantir a universalização da oferta de serviço público adequado à população e à sustentabilidade do modelo.

Fazer com que Mato Grosso do Sul seja o primeiro estado a ter esgotamento sanitário universalizado, garantindo a melhoria da saúde e qualidade de vida da população, a expansão da infraestrutura com qualidade, tarifas e preços adequados, níveis elevados de sustentabilidade ambiental, além da atração de novos investimentos em todas as regiões, forma equânime e descentralizada, são algumas das motivações do projeto.
“Vamos nos valer do mecanismo de PPP para melhorar a saúde e a qualidade de vida de quase dois milhões de sul-mato-grossenses”, afirmou o governador Reinaldo Azambuja durante o lançamento.

"O saneamento sem dúvida está vinculado à saúde, daí a grande importância da universalização dos serviços. De acordo com a Organização da Saúde, com saneamento se consegue prevenir mais de uma dezena de doenças. Além disso, também segundo a própria OMS, a cada um real investido em saneamento, são economizados quatro reais nos gastos com tratamentos de saúde. Na prática, vamos buscar um parceiro privado para fazer os investimentos em construção, engenharia e operação, a partir dos estudos da PMI, para que no prazo de dez anos o esgotamento sanitário seja universalizado. O prazo do contrato seria de 30 anos, mas a gestão desse contrato continua sendo feita pela Sanesul, e a empresa que fará os investimentos será ressarcida por meio das tarifas de esgoto", explicou o diretor-presidente da Sanesul, Luiz Rocha.

Para a secretária especial do Escritório de Parcerias Estratégicas do Governo, Eliane Detoni, que apresentou o PMI, não há nenhum projeto com esta abrangência no país. Segundo ela, O prazo estimado para finalização do PMI é de oito meses até a análise e publicação do estudo selecionado. Após este período, o prazo entre preparação do projeto, procedimento licitatório até o início da execução será de aproximadamente 16 meses. "Não é um projeto de governo, mas um programa de Estado”, completou.

De acordo com as diretrizes estabelecidas no projeto, a universalização dos serviços de esgotamento sanitário deverá ser realizada em dez anos e o valor estimado do projeto é de R$ 3,9 bilhões, entre obras de infraestrutura e operação e manutenção dos sistemas.

A Sanesul é uma empresa pública, com autonomia administrativa e financeira, que compõe a administração indireta vinculada ao Executivo estadual. Atualmente, o índice de coleta e tratamento de esgoto nos municípios atendidos pela Sanesul é de 34%, e o índice de cobertura nestes municípios é de cerca de 49%. Ao todo, o sistema de esgotamento sanitário da Sanesul abrange 45 sistemas e uma rede de coleta de 2,2 mil quilômetros de extensão.

Comentário

A Tocha Olímpica chega a Dourados neste domingo (26), onde irá pernoitar para seguir o roteiro do Revezamento nacional até o Rio de Janeiro, via Presidente Prudente para São Paulo. O trajeto tem o início previsto para as 16 horas e entre os 81 condutores, selecionados pelo Comitê Olímpico e patrocinadores, despontam acadêmicos e professores da Unigran. Cada condutor vai conduzir a tocha por um percurso de cerca de 200 metros.

A Unigran estará representada pelos professores Rogério Montes, de Educação Física [e coordenador do grupo Ginasloucos, que também terá participação especial durante a Rio 2016]; Noemi Mendes Siqueira Ferrigolo e Robson Moraes dos Santos, do Direito; Amélia Leite de Almeida, cursos de pós-graduação a distância; além do professor aposentado pela instituição, Luiz Valdomiro Ferrigolo.

Dentre os acadêmicos, Maristela Owergoor, que cursa o 5º semestre de Psicologia e foi atleta profissional de basquete, será uma das condutoras. Para ela, é um momento único. “É uma recompensa por ter sido atleta de alto nível durante 21 anos, por isso fui convidada. A tocha lembra a paz entre os povos e hoje é o que necessitamos. Se pudermos refletir sobre isso, seremos melhores”, considera.

Camila Gebara Nogueira está no 7º semestre de Educação Física e é a judoca mais premiada de Mato Grosso do Sul. Com o sonho de representar a cidade em uma Olimpíada, Camila afirma que participar do revezamento da tocha “será muito emocionante e uma inspiração para treinar mais e chegar a uma Olímpiada. Rumo a Tóquio 2020”, ressalta.

Outro estudante indicado para conduzir a Tocha Olímpica é Rocleiton Ribeiro Flores, do 5º semestre de Enfermagem. Indígena, o aluno se destaca no atletismo, conquistou medalha de prata nos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas. “É uma honra, um momento de orgulho e satisfação”, declara.

Já o acadêmico do 7º semestre de Direito, Diego Morales da Silva, se inscreveu pela internet, passou pelas etapas solicitadas e foi selecionado. “Este é um momento inigualável para mim. Não somente pelo momento, mas também a simbologia, é uma emoção diferente, uma felicidade grande e me sinto orgulhoso de representar o fogo olímpico para a sociedade”, comemora.

A Tocha Olímpica também irá passar por outros municípios do estado. A acadêmica de Pedagogia, Viviane da Silva Barbosa Cesário, participará da condução em Rio Brilhante. Prestes a se formar, a estudante pratica ciclismo e, ao contar a história de vida aos patrocinadores, foi selecionada. Para ela, “é um privilégio muito grande, um momento único, pois estarei fazendo parte da história, levando a paz”.

Comentário

O secretário Junta do Serviço Militar de Dourados, Cláudio Caldeira Barbosa, informa que o Exército Brasileiro, por intermédio das Regiões Militares, está disponibilizando desde o início do ano, em nove estados da federação [Amapá, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Pará, Santa Catarina, Sergipe e Paraná], o sistema de alistamento online.

Nessa nova modalidade de alistamento, o jovem poderá ter a comodidade de realizar o procedimento de Alistamento Militar utilizando o mais moderno meio de acesso (computadores, tablets e aparelhos de telefonia móvel com acesso à internet), no conforto da própria residência, evitando a permanência indesejável em eventuais filas na Junta de Serviço Militar.

Veja como clicando aqui

Para realizar o Alistamento Online será necessário já possuir o número de CPF e também um endereço de e-mail particular. Não possuindo o CPF, favor procurar a Junta de Serviço Militar, localizada na avenida Joaquim Teixeira Alves, 1453, no prédio onde funcionou a Prefeitura), no centro da cidade, das 7h30 às 13h30.

Após o Alistamento Online, o jovem receberá um número de protocolo e poderá, por intermédio do site, saber se prossegue na seleção para o Serviço Militar nas Forças Armadas (Marinha, Exército, Aeronáutica) ou se será dispensado recebendo o CDI (Certificado de Dispensa de Incorporação).

Segundo a Junta, todos os jovens que completam 18 anos em 2016, tem até quinta-feira (30) para realizarem o Alistamento Militar. Após essa data, será considerado período fora do prazo e acarretará em multa conforme previsto no Regulamento da Lei do Serviço Militar.

Somente se estiver em dia com as obrigações militares é que os jovens poderão obter, por exemplo, o Título de Eleitor, a Carteira de Trabalho, passaporte, matrícula em instituições de ensino, ingresso no mercado de trabalho, admissão em concurso público e participação de licitações e contratos nas esferas municipal, estadual e federal.

Comentário

O servidor da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), Franz Maciel Mendes, de 40 anos, acredita que a cidade idealizada pelas pessoas deve também partir das ações práticas. “Nós somos os agentes condutores da mudança, se eu amo a cidade, eu também cuido”, afirma.

Franz foi escolhido como condutor da Tocha Olímpica após uma promoção de um patrocinador oficial do evento, onde deveria descrever uma experiência de vida que demonstrasse superação. E ele tem muito o que contar. Graduado em Administração, Direito e especialista em Gestão Pública, trabalha na Universidade há dez anos. Nesse período, já foi presidente do Sindicato dos Técnicos Administrativos e atualmente exerce o segundo mandato como presidente da Assufgd (a Associação dos Servidores da UFGD).

O profissional sempre foi incentivador do esporte. Colaborou em diversos campeonatos, como de futebol de salão e areia, vôlei, handebol, desde os 12 anos. Além disso, competiu nas modalidades de arremesso de peso e de disco. Organizou passeios ciclísticos de cunho social agregando o esporte às demandas de mobilidade urbana. Também esteve à frente do movimento pela duplicação da Avenida Guaicurus (via que liga o centro à cidade universitária e ao aeroporto) e do plantio de ipês em parceria com diversas entidades.

Para Franz Mendes, é uma honra ser um dos condutores do fogo olímpico. “Fico muito emocionado e me sinto um privilegiado por fazer parte desse momento, pela importância que a chama tem, por tudo que ela representa. A missão combina orgulho, amizade, respeito, união, paz, ética e fair play (jogo limpo)”, afirma.

Dourados não foi escolhida à toa como “Cidade Celebração”, pelos relatos de Franz Mendes. Segundo ele, será uma das mais lindas passagens da tocha entre os municípios brasileiros. Ele explica que isso se deve também ao fato da população participar mesmo dos eventos. “Prova disso foi a apresentação da esquadrilha da fumaça”, lembra.

Comentário

Página 1650 de 1688
  • disk corona
  • full house
  • unigran 150
  • Editais
  • Alems respeito

O Tempo Agora

  • mascaras
  • unigran novo

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis