Timber by EMSIEN-3 LTD
Douranews - Dourados
Redação Douranews

Redação Douranews

A rodada de pesquisas realizada pela empresa Ranking, especializada em medir os humores do eleitorado à medida que vão se delineando os nomes de eventuais pré-candidatos, aponta novo quadro de preferências para as eleições de 15 de novembro em Dourados.

Desta vez, confirmadas as desistências do deputado estadual Marçal Filho e do secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, dois nomes com forte densidade eleitoral pelo partido do governador Reinaldo Azambuja, o PSDB, o nome do deputado Barbosinha, aliado do Governo no DEM do vice-governador Murilo Zauith, assume a liderança das intenções de voto.

nova pesquisa

Barbosinha desponta na sondagem estimulada da Ranking, realizada com 500 pessoas entre os dias 1 e 4 deste mês, em Dourados, com 28,60% dos votos, superior à soma de todos os demais eventuais pré-candidatos. O segundo lugar na pesquisa ficou com o deputado do MDB, Renato Câmara, com pouco mais de um terço (9,40%) das manifestações recebidas pelo líder da pesquisa. Na sondagem espontânea, mesmo já fora da disputa, o nome de Marçal Filho aparece em segundo lugar, com 8,40%; Barbosinha se mantém na frente, com 14,20%.

A pesquisa foi registrada no TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) sob o número 06028/2020.

O nome da prefeita Délia Razuk (PTB), que já reafirmou em várias ocasiões que não pretende disputar um novo mandato, ainda assim é lembrado por 8,20% dos entrevistados. No quadro geral, há, no entanto, 43% dos eleitores alheios ao processo (não sabem, ou não responderam).

Confronto direto

Quando a empresa Ranking coloca os três nomes mais bem posicionados no quadro de confronto direto, o eleitor também faz a opção por Barbosinha, associado como a melhor alternativa diante do novo cenário político, com 31% das intenções de voto, seguido de Renato Câmara (14,20%) e de Délia Razuk (12,40%). Não sabem/não responderam representam 42,40%.

Rejeição

A prefeita Délia Razuk, embora bem avaliada no quesito de administração, com 22,40% entre bom/ótimo, é a menos preferida para continuar no comando da cidade; tem os mesmos 22,40% de rejeição. Atrás dela, os mais rejeitados são a vereadora Daniela Hall, com 9,20%; o farmacêutico Racib Harb, com 7,20%; Barbosinha, com 6% e Renato Câmara, com 5,20%, seguidos do professor Ênio Ribeiro, com 3,40%.

Comentário

Em meio à pandemia provocada pelo novo coronavírus, os dez campi do IFMS (o Instituto Federal de Mato Grosso do Sul) vão oferecer aos estudantes kits de alimentação escolar. O edital com as regras da concessão foi publicado nesta segunda-feira (6), pela Central de Seleção.

Podem se inscrever estudantes dos cursos técnicos integrados e da modalidade Educação de Jovens e Adultos (o Proeja) dos campi Aquidauana, Campo Grande, Corumbá, Coxim, Dourados, Jardim, Naviraí, Nova Andradina, Ponta Porã e Três Lagoas. Terão prioridade aqueles em situação de vulnerabilidade social, insegurança alimentar e nutricional.

As inscrições podem ser feitas até 6 de agosto, na Página do Candidato da Central de Seleção do IFMS. Caso o número de estudantes inscritos exceda a quantidade de kits disponíveis, terão prioridade na seguinte ordem:

- estudantes beneficiárias dos programas de Transferência de Renda Bolsa Família, Vale Renda, Auxílio Emergencial do governo federal, Benefício de Prestação Continuada (BPC) da Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS);
- estudantes que residam em comunidades quilombolas ou indígenas, mediante apresentação de declaração de liderança comunitária, comprovante de residência ou autodeclaração de pertencimento de comunidade quilombolas ou indígenas;
- contemplados nos auxílios Emergencial, Eventual e Instrução Normativa n° 04/2020.

Comentário

Segunda, 06 Julho 2020 16:43

Saúde contrata médico e epidemiologista

O Governo do Estado abriu nesta segunda-feira (6) as inscrições para o processo seletivo destinado à contratação de profissionais para atuarem na Secretaria de Saúde, em atividades relacionadas à vigilância em saúde, em Mato Grosso do Sul.

São duas vagas para médico – clínica médica e duas vagas para epidemiologista, com carga horária de 40 horas semanais e remuneração total bruta de R$ 6.639,23 e R$ 3.412,14, respectivamente. Este novo certame foi aberto para suprir as vagas que restaram em aberto devido ao número insuficiente de candidatos aprovados no processo seletivo simplificado anterior.

O período de inscrições e envio de documentos vai até às 17 horas de quinta-feira (9), através do site www.concurso.ms.gov.br, botão “CONCURSOS PÚBLICOS E PROCESSOS SELETIVOS” – “PROCESSO SELETIVO – SAD/SES/VS-NS-II/2020 – VIGILÂNCIA EM SAÚDE II”, onde estarão disponíveis o edital completo e o formulário de relação de documentos.

Comentário

Cozinhando pelo bem...foi com esse propósito que um grupo de voluntários resolveu arregaçar as mangas, num trabalho em benefício de famílias que estão precisando de auxílio, em tempos de pandemia. Neste domingo (12), cerca de mil marmitex com um quilo de pirão cada, serão entregues pelo grupo ao custo de R$ 10 a unidade. Toda a arrecadação será revertida na aquisição de agasalhos, para amenizar o inverno de centenas de pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade.

O pirão está sendo vendido pelo grupo e será entregue no domingo, das 11 às 13 horas em dois locais: no Complexo Maçônico à rua Eisei Fujinaka, 705 no Altos do Indaiá e na Sorveteria Fato a Mano, na rua Monte Alegre, 2375, esquina com a rua Camilo Hermelindo da Silva. Estão envolvidos nesta ação pessoas integrantes de várias entidades, como o MEFA (Movimento Espírita Francisco de Assis), Lojas Maçônicas, a Seleta e Igrejas.

Pontos de vendas:
Sorveteria Fato a Mano, Monte Alegre,2375 (3427-6282)
D’Zanett Casa Colonial, Rua Mato Grosso, 2830, BNH III Plano, Vila Planalto (3033-0555)
Contacentro Serviços Contábeis, rua Onofre Pereira de Matos,2540, Centro (3422-0963)
Advocacia e Consultoria José Paulo S. Teixeira, rua Bela Vista,297 – sala B, 1 andar no Jd São Pedro (3421-4332)

Comentário

Fernando Souza Gonçalves, o rapaz de 30 anos que confessou ter matado o geógrafo Alceu Junior Bitencourt, de 36 anos, que era o secretário de Agricultura Familiar do Município, com golpes de faca na tarde de sábado (4) e que foi preso por uma equipe da Guarda Municipal em barreira sanitária na tarde deste domingo (5), está sendo encaminhado nesta segunda-feira (6) para a PED (Penitenciária Estadual de Dourados). Antes, ele foi submetido a exame de corpo de delito no IML (Instituto Médico Legal) da cidade.

Na delegacia, Fernando confessou que matou o secretário com quem, segundo disse, teria negócios na barbearia. Ele chegou a dizer que foi sócio de Junior no Salão Zap e que tinha um ‘negócio de R$ 8 mil’ para resolver e, que, depois de ameaças de morte por telefone e do próprio Júnior, decidiu cometer o crime. Ele foi detido conduzindo um veículo Celta de cor vermelha, reconhecido na barreira sanitária da Guarda Municipal na entrada de Dourados, pela avenida Presidente Vargas, quando retornava de Itaporã.

Comentário

O artigo científico ‘Descarte de Podas Urbanas e Lixo Orgânico: Uma Análise sobre a Viabilidade de Implantação de um Pátio de Compostagem em Dourados – MS’, de autoria de Talita Paz Agueiro, publicado na revista ‘Arquitetura e Urbanismo: Competência e Sintonia com os Novos Paradigmas do Mercado 3’, organizada pela professora Jeanine Mafra Migliorini, da Atena Editora, de Ponta Grossa-PR, projeta ainda mais a Unigran como instituição de excelência no meio acadêmico.

O trabalho é resultado de uma pesquisa científica que Talita produziu recentemente, quando concluía o curso de Arquitetura e Urbanismo na Unigran, e contou com a orientação do professor e coordenador Márcio de Melo Carlos Santos. O projeto teve como objetivo principal implantar um espaço para coleta de podas urbana e lixo orgânico, para transformá-los em adubo e depois devolver à sociedade. Além do reaproveitamento do material orgânico, a ideia ajuda a evitar problemas como o entupimento dos sistemas de águas pluviais pelos galhos e restos de folhas, e evitaria o ajuntamento de insetos e animais que podem causar doenças, entre outros inconvenientes.

“A sociedade poderia trocar o material por adubo para utilizar em suas casas, suas hortas domiciliares, plantas ornamentais, jardim e paisagismo. E a própria cidade, pode fazer uso, em uma troca, uma permuta de serviços: eu levo o lixo para ser transformado e me devolvem o adubo para eu continuar fazendo a ornamentação da cidade, essa é a proposta”, disse Márcio de Melo. O professor orientou toda a pesquisa da acadêmica e acredita que a ideia seja muito proveitosa para a cidade.

O artigo está disponível AQUI

O artigo de Talita já havia sido apresentado no Salão de Pesquisa da Unigran em 2019, conquistando o 2º lugar e, com a premiação, veio o convite para a publicação na revista. “O estudo realizado foi voltado a Dourados, procurei potencialidades na cidade que poderiam ser adaptadas para realidades mais sustentáveis e, após muitas pesquisas e com o apoio do meu orientador, chegamos ao resultado final do trabalho. Como o Trabalho de Conclusão do Curso é complexo e envolve diferentes etapas, adaptei o embasamento teórico para o Salão de pesquisa e, posteriormente, para a revista”, conclui a autora, que pretende dar continuidade à pesquisa por meio de um futuro mestrado.

Comentário

A secretária municipal de Saúde da Prefeitura de Dourados, Berenice de Oliveira Machado, confirmou ao Douranews no começo da tarde desta segunda-feira (6) que “está muito difícil” de manter as atividades na pasta, nessa cruzada contra o coronavírus, diante das pressões que vem recebendo de todos os lados, mas, principalmente, segundo ela, por parte do secretário estadual Geraldo Resende.

Ao comentário que circula no começo desta semana em Dourados de que a secretária já estaria demissionária do cargo, Berenice nem confirmou, nem desmentiu. “Eu posso sair a qualquer momento, o cargo não é meu, é da prefeita, mas, por enquanto, não existe nada disso. É só o Geraldo deixar a gente trabalhar, não ficar incomodando a todo momento...”

A secretária de Saúde disse que ainda não foi informada, oficialmente, do inquérito civil instaurado pelas Promotorias do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) em Dourados, com prazo de cinco dias para que a Prefeitura “concretize os leitos de UTI adulto que foram habilitados e reclassificados para o atendimento da Covid-19”, entre outras medidas, como um novo contrato com o Hospital Santa Rita para a ocupação dos cinco leitos habilitados de UTI pela unidade particular de Dourados.

“O contrato com o Santa Rita já foi concluído, está tudo certo”, relatou Berenice, atribuindo o problema da taxa de ocupação hospitalar no limite em relação à microrregião de Dourados ao que chamou de ingerência do secretário estadual de Saúde.

“O Geraldo encheu o HU (Hospital Universitário) de respiradores, sendo que eles não tem profissionais para operar com esses equipamentos e não vão conseguir montar os 30 leitos que ganharam da JBS”. Enquanto isso, de acordo com Berenice, o Hospital Regional de Cirurgias, que o Estado montou em Dourados [na esquina da rua Coronel Ponciano com a avenida Weimar Torres], “virou um elefante branco, com 32 leitos clínicos, só de baixa complexidade, mas que poderia muito bem estar equipado para funcionar como hospital de campanha na emergência do combate ao coronavírus”.

Comentário

A nova diretoria da ABMCJ (Associação Brasileira de Mulheres da Carreira Jurídica) em Mato Grosso do Sul, empossada por videoconferência na sexta-feira (3), em razão da pandemia de Covid-19 que impede eventos e aglomerações, reconduziu a advogada douradense Rachel Magrini ao cargo. Ao reassumir a função, ela considera ter um importante desafio por mais três anos à frente da associação, em especial neste ano, quando serão eleitos prefeitos e vereadores: “fortalecer a presença feminina nos espaços de poder”, define.

“As mulheres são a maioria do eleitorado brasileiro e sul-mato-grossense, mas quando se mede a presença nos cargos de poder, os números são bem menores. Nosso papel é reforçar as ações de incentivo e promoção das candidaturas femininas e, assim, ampliar nossa representatividade na política”, afirma a advogada.

De acordo com as informações da Justiça Eleitoral, mais da metade do eleitorado sul-mato-grossense apta a votar neste ano, ou 52,1%, é do sexo feminino. “Mas na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, não existe sequer uma mulher nos representando nesta legislatura”, lembra Rachel Magrini, “e a Capital do nosso Estado, Campo Grande, teve apenas uma mulher prefeita e que não foi eleita democraticamente pelo povo”, sustenta, citando o curto mandato de Nelly Bacha, de março a maio de 1983.

Outra questão considerada urgente pela advogada é o aumento dos casos de violência contra a mulher durante o período de pandemia. O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul constatou diminuição de diversos crimes entre março e abril deste ano, enquanto a violência doméstica continuou ascendente, com acréscimo de duas medidas protetivas de urgência a mais do que quando comparado ao mesmo período em 2019. “Vamos continuar acompanhando os casos e fortalecendo nossa rede de apoio à mulher vítima de violência doméstica, nos colocando à disposição para amparar e orientar estas mulheres emocionalmente e juridicamente”, pontua.

À frente da ABMCJ/MS desde 2017, a advogada Rachel Magrini conduziu importantes discussões para a valorização das mulheres das carreiras jurídicas e redução das desigualdades de gêneros em diversas áreas, além de ser a primeira candidata mulher a disputar a presidência da OAB/MS em quase 30 anos, na eleição de 2018.

Rachel Magrini levantou um importante debate sobre machismo ao condenar publicamente a fala do vereador por Campo Grande, Wellington de Oliveira (PSDB), que, no início do último mês de abril, defendeu a flexibilização das regras de distanciamento social durante a pandemia argumentando que “não há marido que aguente mulher sem fazer a unha, sobrancelha e cabelo”. A discussão repercutiu nacionalmente graças à exposição do fato pela ABMCJ/MS, e resultou em ampla disseminação da importância da valorização e do papel da mulher na sociedade, além de uma retratação pública do vereador.

Outro episódio, desta vez uma agressão à vereadora Fabrizia Tinoco, do município de Bela Vista, em maio, fez a ABMCJ/MS promover mais uma discussão sobre violência de gênero: "Não é apenas um problema criminal. Em um ano eleitoral a forma de agressão é como uma limitação a qualquer mulher que pretenda ter espaço na política. A violência ameaça à democracia, os direitos humanos e a justiça de gênero”, ressaltou Rachel Magrini à época.

A ABMCJ faz parte de conselhos da ONU que debatem as políticas de igualdade aos direitos das mulheres e segue a plataforma de Ação de Pequim, carta que completa 25 anos em 2020 e seria tema de palestra proferida por Rachel na sede da ONU, em Nova York, em março deste ano. O evento foi adiado por conta da pandemia do coronavírus.

“A participação das mulheres na política aumenta, porém, os espaços diminuem. Em nosso Estado não temos deputada estadual e na Capital, de 29 vereadores, apenas duas vereadoras. Isso quando somos 52% do eleitorado”, aponta. Em MS, nos últimos 40 anos, apenas 11 mulheres ocuparam cadeiras na Assembleia Legislativa. A maioria por fazer parte de famílias tradicionais na política.

Enquanto a América Latina apresenta aumento de mulheres nos Parlamentos, com 53% na Bolívia e 48% no México, estudo da ONU Mulheres mostra que o Brasil tem apenas 15% das cadeiras com mulheres.

Segundo Rachel, o desafio continua todos os dias. Além do trabalho de conscientização e defesa do papel das mulheres na carreira jurídica, a entidade também está presente na defesa social da mulher. “A primeira vez que uma mulher entrou em um tribunal brasileiro foi 1899. Hoje, somos a maioria na advocacia e no serviço público. Contudo, quando se olha nos cargos de direção, vemos na imensa maioria apenas gravatas. É um longo caminho”, destaca.

Comentário

Com 25 casos novos registrados nas últimas 24 horas, Dourados amanheceu a segunda-feira (6) com 3.020 casos confirmados, e o óbito de mais um profissional da saúde. Há 42 pacientes internados, sendo 14 em leitos de enfermaria e 28 em UTIs, sendo apenas quatro da cidade e outros quatro de cidades vizinhas. Portanto, a rede pública de UTIs preenche 20 leitos da internação hospitalar.

No começo do mês, o  médico Miguel Yomeda, de 74 anos, residente em Ponta Porã, que faz fronteira com Pedro Juan Caballero, no Paraguai, e que atendia também na rede pública de Dourados, morreu com o coronavírus no HU (Hospital Universitário) da UFGD.  

De acordo com o boletim da Prefeitura, uma pessoa de 84 morreu no sábado (4) com o quadro de efisema pulmonar. Outro homem, de 56 anos, morreu no Hospital da Vida às 6 horas desta segunda e o médico. de 82 anos, hospitalizado desde o mês passado, passou por tomografia depois que teve o quadro agravado e colheu a amostra para o exame de PCR, que detectou a presença do vírus causador da Covid-19, morreu na madrugada desta segunda no Hospital Universitário. Agora, no quadro geral, Dourados tem 36 mortes, incluindo a do motorista que viajou para Tocantins.

1.601 pessoas que adquiriram o coronavírus já estão recuperados e outras 1.357 ocorrências envolvem pessoas que se recuperam com a quarentena, em tratamento domiciliar. Dos novos 25 casos, 15 foram diagnosticados após exames realizados no drive thru que funciona junto ao quartel do Corpo de Bombeiros.

Comentário

A Polícia Militar encerrou uma festa clandestina que reuniu mais de 200 convidados no bairro Jardim Paraíso, na noite de sábado (4), em Naviraí. Segundo o jornal Tá na Mídia Naviraí, depois de receberem denúncia pelo Serviço 190, policiais flagraram uma festa particular com a presença de várias pessoas promovendo aglomeração e sem o uso de máscaras.

Segundo boletim de ocorrência, o evento era organizado por homem, de 24 anos, que foi orientado a suspender a festa. Durante o encerramento, um jovem, de 19 anos, desacatou os militares e teve de ser detido. “Não vou pagar pau pra ninguém, vai embora seus manés, seus porcos do c...", reagiu o rapaz antes de ser encaminhado à 1ª DP (Delegacia de Polícia Civil) da cidade, onde vai responder por infração de medida sanitária preventiva e desacato.

Naviraí suspendeu em 24 de março, por tempo indeterminado, aglomerações de pessoas em locais públicos e privados, segundo decreto municipal. Além disso, moradores da cidade tem que obedecer ao ‘toque de recolher, que vigora das 22 horas até 5 da manhã do dia seguinte. O município tinha, até neste domingo (5), 131 casos de coronavírus e duas mortes por conta da Covid-19.

Página 1 de 1685
  • coronagov
  • disk corona
  • unigran 150
  • Editais

O Tempo Agora

  • mascaras
  • unigran novo

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis