Imprimir esta página
Terça, 28 Setembro 2010 15:51

Comitê Popular apresenta denúncia pedindo cassação do prefeito, vice e vereadores

Escrito por Carlos Marinho

Documento protocolado na Câmara e entregue ao Ministério Público Estadual quer também afastamento imediato de todos os envolvidos na operação "Uragano"

O Comitê Regional de Defesa Popular – CRDP, protocolou na manhã de hoje, “Denúncia Escrita” pedindo a cassação do mandato do prefeito Ari Artuzi (sem partido), do vice-prefeito Carlinhos Cantor (PR) e dos vereadores Sidlei Alves (DEM), Humberto Teixeira Júnior (PDT), Paulo Henrique “Bambu” Amos Ferreira (DEM), José Carlos Cimatti (PSB), Aurélio Bonatto (PDT), Dirceu Longhi (PT), Edvaldo Moreira (suplente em exercício de mandato – PDT), Gino José Ferreira (DEM), Júlio Artuzi (PRB), Marcelo Barros (DEM), José Carlos de Souza-Zezinho da Farmácia (PSDB) e Cláudio Marcelo Hall-Marcelão (PR),.

Em visita ao Douranews, o coordenador do Fórum de Entidades, Ronaldo Ferreira, disse que é preciso a tomada de providências que afastem de seus cargos todos aqueles que estão envolvidos no esquema de propina apontado pela operação “Uragano” (furacão, em italiano). “É um sentimento que podemos perceber em cada cidadão que conversamos, querendo que nossa cidade seja realmente passada a limpo”, diz Ronaldo.

O argumento utilizado para pedir a cassação de Ari Artuzi e Carlinhos Cantor é a utilização “do mandato para a prática de atos de corrupção”, conforme amplamente divulgado na mídia.

Já a cassação dos mandatos dos vereadores deve acontecer “pela prática de atos de improbidade administrativa e atos incompatíveis com a dignidade e o decoro da Câmara Municipal, conforme amplamente divulgado pela mídia local e nacional, sendo que a maioria dos vereadores foram presos pela Polícia Federal”.

O documento pede ainda a “abertura de processo de cassação, o afastamento imediato dos vereadores e a convocação dos suplentes para a formação da comissão processante”.

Ronaldo explicou ainda que passada a primeira fase, de quando a população foi mobilizada para ir às ruas nesse movimento, o CRDP agora parte para um segundo passo – as denúncias legais e formais, “pois só assim conseguiremos atingir os objetivos, tirar todos os envolvidos de nosso meio, para que Dourados possa retomar vida normal”, finalizou.

O documento protocolado na Câmara de Vereadores também foi encaminhado ao promotor de Justiça, Paulo Cezar Zeni, do Ministério Público Estadual, para que as cópias sejam “anexadas aos autos do processo crime, como forma de somar esforços e argumentos para que a Justiça encontre solução rápida para esse impasse”.

Última modificação em Quarta, 29 Setembro 2010 11:31