Imprimir esta página
Terça, 28 Setembro 2010 15:05

Defesa Civil reclama maior estrutura para atender população desabrigada

Escrito por Redação Douranews

Os guardas municipais de Dourados reivindicaram ontem (27 de setembro) durante encontro com o prefeito interino Eduardo Machado Rocha melhorias para a Defesa Civil do Município que, segundo eles, é praticamente inexistente. O órgão municipal deve agir em situações de emergência e de calamidade pública como, por exemplo, nas regiões atingidas pelo forte temporal que abalou a cidade no último final de semana e que já contabiliza mais de 190 famílias desabrigadas.

“A segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul precisa pedir lona para municípios pequenos, como Deodápolis. Isso é vergonhoso. A Defesa Civil é um órgão voluntariado, precisa da sociedade, das empresas e não tem nada disso. Faltam veículo, material, pessoas, botas, tudo”, disse Marcos de Castro, um dos membros da comissão de guardas que esteve com Eduardo Rocha.

O prefeito interino se comprometeu em fazer o possível pela reestruturação do órgão. “Farei pedidos de reserva de recursos e também de materiais permanentes para essas situações de emergência. Vou dar nceaminhamento às ações”, afirmou Rocha, acrescentando que entende a falta de condições de trabalho da Guarda, mas pediu para que eles continuem com o compromisso de bem servir a população.

Entre os locais mais atingidos estão as sitiocas Ouro Fino, Alvorada, Bela Vista e Abaeté. No perímetro urbano foram atingidas famílias que residem em vários bairros e em locais impróprios, entre elas as que moram em barracos às margens do Córrego Rego D’Água, nas imediações da Vila Brasil 500. O coordenador da Defesa Civil, João Vicente Chencarek, disse que a maior dificuldade é o acesso a esses moradores, já que são locais impróprios para moradia.