Imprimir esta página
Sexta, 18 Março 2011 08:58

Relato de um douradense que vive no Japão

Escrito por Redação Douranews

Essa correspondência foi enviada via email, por um douradense que reside atualmente nas regiões afetadas pelo tsunami que devastou parte do Japão, a um amigo residente em Dourados. Veja o relato que ele faz da situação, conforme constatou até quinta-feira (17):

"Onde estamos aqui na província de Aichi está localizado Nagoya, uma das maiores cidades  da região e, desde segunda-feira, a montadora Toyota está parada, então a maior parte das fábricas que prestam serviços e fazem peças também estão paradas, atá a data de hoje.

E isso fez com que boa parte das famílias, que ficam em casa, vendo tv e ouvindo rádio, fiquem preocupados com o terremoto e em seguida deu o terremoto na região de Shizuoka, onde está o Monte Fujii e foi bem mais perto.

Na terça estivemos na cidade de Kakamigahara, na província de Gifu e está normal, na quarta fomos pra cidade de Toyohashi, na província de Aichi e também notamos que está tudo normal. Falando com o pessoal da cidade de Toyama, e da província de Fukui, falaram que tá tudo normal.

Ontem fomos na cidade de Odaka, num dos maiores shopping, o Aeon - jusco (le-se jasco) e constatamos um movimento fora do comum, principalmente na parte do supermercados. Pela primeira vez, vi e constatei as prateleiras vazias, na parte de alimentos prontos. Nas cidades visitadas não tem mais água mineral para comprar e na maioria das lojas também não tem mais arroz, como as fábricas estão paradas e o pessoal fica vendo tv, e as cenas, automaticamente pensa em estocar e nunca vi os japas correndo pro mercado e levando muitas mercadorias, para serem estocados e na maioria das lojas tá tendo ponto de coleta de doação.

Desde terça feira tá caindo a temperatura e ontem e hoje caiu um pouco de neve e a temperatura variando de 2 a 5 graus. Andando nas lojas e nos shoppings, vejo que a preocupação das pessoas é comprar para guardar, e vejo tudo normal, só meio assustado com o movimento, todo dia, parecendo os movimentos de fim de semana.

Toyota vai ficar parada até dia 22, Honda, Nissan até dia 20 e já estão faltando peças de reposições e carros para enviar para exportação e hoje o dólar fechou em 78.98 yens. Perto das regiões afetadas como Ggunma, Chiba, Saitama, tá havendo racionamento de gasolina, e muitas regiões sem água potável. Nas prateleiras tá faltando leite, e uma fábrica de leite, a Shizuoka, aumentou em 50% o pedido, dessa forma tá trabalhando 24 horas, sem descanso.

Nas regiões não afetadas, as vendas aumentaram monstruosamente, que não estão tendo tempo e nem mercadorias para repor.

Como todo mundo tá vendo as imagens na tv, e automaticamente também notando que as prateleiras tão ficando vazias, o primeiro intuito é comprar, comprar, talvez mesmo sem necessidade de se usar de imediato, mas simplesmente como precaução, e isso fez a circulação do yens aumentar, de muitos yens que estava parados nas poupanças e nos bancos.

O pensamento geral é melhor ter mercadorias, água, gasolina, querosene estocado, do que os yens. Fico imaginando o que vai ter que produzir agora, para suprir essa demanda, as fábricas vão vir a todo vapor em turno de 24 horas sem parar e isso vai acontecer em todos os segmentos. Estive conversando com alguns construtores na área civil e já tem muita gente subindo, o  que vai faltar mão de obra ...

A região afetada é Kanto, estamos na região de Tokai, e a previsão era que até o dia 17/03 tava previsto um terremoto na ordem 7.0 na região de Tokai.

Abraços
Gerson Kaneta"

Última modificação em Sábado, 19 Março 2011 10:18