Timber by EMSIEN-3 LTD
  • ms dengue
  • Dnews Whats
Redação Douranews

Redação Douranews

Um, homem identificado como Tiago Augusto Soares, que se dizia empresário em Dourados, foi preso nesta segunda-feira (28), em barreira da PRF (Polícia Rodoviária Federal) na altura do Km 51 da BR 463, a caminho de Ponta Porã. Ele conduzia um carro onde levava, além da esposa, 64 quilos de cocaína pura, armazenados em compartimento secreto.

Durante vistoria no veículo, Tiago se irritou com a fiscalização e alegou ser proprietário de inúmeras fazendas na região, além de ser dono de uma garagem de veículos em Dourados. Depois, ele confessou que receberia R$ 6 mil para conduzir a droga que custa, segundo entendidos do negócio, em torno de 4 mil dólares o quilo no Paraguai.

Convertendo para a moeda brasileira, o contrabando estaria avaliado em aproximadamente R$ 1.3 milhão, e poderia chegar a R$ 8 milhões no mercado do tráfico. A delegacia da PRF em Dourados já contabiliza, de janeiro até agora, mais de 1.300 quilos de apreensões só de cocaína.

Comentário

A JBS está com 200 vagas de emprego em aberto para operador de produção na unidade da Seara Alimentos em Dourados. Os interessados em participar do processo seletivo precisam ter o Ensino Médio completo e não é obrigatório ter experiência prévia na função.

A seleção acontecerá nesta terça-feira (29) e também na próxima semana, entre os dias 4 e 6 de janeiro de 2021, às 7h30, na sede da Associação ADCS, dos colaboradores da empresa, localizada no Km 6 da Rodovia BR 163, no Distrito Industrial, Dourados. É necessário levar caneta, Carteira de Trabalho e documentos pessoais.

Desde o início da pandemia até agora, a JBS já contratou mais de 12 mil colaboradores em todo o país, informa a companhia em nota

Comentário

Em mais uma tentativa de diminuir o avanço do coronavírus em Mato Grosso do Sul, o Governo do Estado decidiu prorrogar por mais 15 dias o toque de recolher, das 22 até às 5 da manhã do dia seguinte, conforme Decreto Decreto 15.574, publicado em edição extra do Diário Oficial do Estado na tarde desta segunda-feira (28), que só continua permitindo a circulação de pessoas nesse horário apenas para os serviços essenciais, ou por motivos de trabalho.

O governador Reinaldo Azambuja decidiu pela prorrogação diante do atual cenário da pandemia, quando casos confirmados e óbitos têm aumentado consideravelmente. “O momento exige medidas mais restritas, estamos operando no limite da capacidade do Sistema Único de Saúde. O foco é evitar mais mortes”, afirmou o governador.

Reinaldo Azambuja reforça a importância de que a população faça sua parte e evite aglomerações. “Assim como o Natal, a comemoração do Ano Novo é uma data muito esperada pela população, mas faço um apelo para que comemoremos em casa, com nossos familiares, em um número restrito de pessoas e com todos os cuidados necessários. O autocuidado e o cuidado com o próximo são fundamentais”.

“Nosso primeiro objetivo é orientar. Quem insistir (em quebrar o toque de recolher) será autuado e encaminhado à delegacia por crime de desobediência. Inclusive, a Polícia Civil já está com reforço para receber esses casos”, avisou o secretário de Justiça e Segurança Pública, Antonio Carlos Videira. Quem desrespeitar o Decreto do Toque de Recolher pode ser autuado pelo crime de desobediência, que prevê detenção de 15 dias a seis meses, além da aplicação de multa.

Do mesmo modo, para quem vai viajar, ou precisa ir ao comércio, supermercados, entre outros, o governador ressalta que é essencial observar as medidas de biossegurança, como o uso de máscaras, distanciamento social e higienização das mãos com o álcool em gel 70º. A prorrogação do toque de recolher no Estado vai até o dia 9 de janeiro do ano que vem.

De acordo com o boletim epidemiológico desta segunda-feira (28), divulgado pela Secretaria estadual de Saúde, na 52ª semana foram contabilizados 7.769 casos novos da doença, o dobro do registrado na semana 46, quando o Estado apontou 2.882 exames positivos no período. Nesse intervalo, 175 sul-mato-grossenses morreram por Covid-19, o triplo em relação a sete semanas anteriores.

Em apenas 24 horas, foram registradas 16 mortes e, com isso, desde o início da pandemia até hoje 2.245 pessoas morreram por Covid-19. O Estado soma 129.484 casos confirmados da doença desde o começo da pandemia. Para o secretário de Saúde, Geraldo Resende, a medida do Governo do Estado poderá contribuir para achatar a curva pandêmica.

Comentário

Presidente da Câmara de Vereadores até o dia 31 deste mês, o prefeito eleito Alan Guedes (PP) deixou escapar a primeira e oportuna chance de, ao assumir o mandato executivo, já encontrar uma situação definida em relação ao necessário enxugamento da máquina administrativa, condição imperiosa para que possa fazer frente aos compromissos que terá de imediato, como a contenção de gastos com pessoal e de custeio.

Nesse quesito, aliás, a prefeita que está entregando o mandato também mostrou a mesma dificuldade. Délia Razuk deixou a Câmara como a primeira mulher eleita para a Prefeitura, mas só depois de quase um mês de mandato é que manifestou, em encontro com a então presidente da Casa, vereadora Daniela Hall (PSD), a vontade de promover reforma administrativa, com desmembramento de algumas secretarias.

Mas, também igualmente por falta de melhor assessoramento político, o PLC (Projeto de Lei Complementar) que enviou à Câmara três meses depois de iniciar o mandato, ao invés de reduzir o peso da máquina, trouxe inchaço e onerou mais os cofres públicos. A estrutura de 646 cargos de confiança, de livre nomeação da prefeita, que herdou do antecessor Murilo Zauih, passou para 652, com a justificativa de que estava aproveitando a grande maioria dos cargos já existentes.

Em 2018, com dois anos de mandato, ela fez nova tentativa de ajuste da máquina, igualmente sem sucesso. Délia anunciou que havia necessidade de reforma, chegando a pedir que todos os secretários e ocupantes de cargos do alto escalão pedissem exoneração, para deixa-la a vontade na reestruturação do grupo. “A ideia é ajustar a máquina administrativa, adequando-a à realidade financeira e política do município. Temos dois anos ainda pela frente precisamos preparar o município para o futuro”, discursou na época.

O que se viu, passos quatro anos, é que as poucas substituições promovidas se deram por conta de resultados de operações policiais, onde a prisão ou determinação para o afastamento dos titulares contribuiu para a ‘improvisação’ em cargos estratégicos. Bom para servidores de carreira, que acabaram contemplados em posições chaves, como as atuais secretárias de Obras e de Planejamento, Marise Bianchi Maciel e Adriana Benício, que assumiram as respectivas pastas e vão concluir a gestão junto com Délia Razuk.

Membros da equipe de transição da atual e da futura gestão chegaram a discutir o tema reforma administrativa no mês passado, quando Alan Gueades rsecebeu do ainda assessor especial e homem-forte da prefeita, Alexandre Mantovani, para conferir estdrutura da máquina pública, mas pouco se avançou nesse sentido, e a decisão deve ficar para depois da posse, porque nem os resultados dessa transição foram anunciados ainda.. Alan Guedes decidiu, como fez em outras ações que poderia ter tomado como presidente da Câmara, “deixar o tempo passar”, para sentir a real necessidade de mudanças. Terá quatro anos pela frente.

Comentário

Uma mulher, identificada como Antônia Martins Cabreira, foi encontrada morta próximo da casa onde morava, na aldeia Jaguapiru, em Dourados. O caso ocorreu na tarde deste domingo (27) e uma testemunha relatou que ela reclamava ser vítima de abusos sexuais, cometido por membro da família.

Conforme consta no boletim de ocorrência, o corpo da indígena foi encontrado em meio a uma plantação de soja, e foi localizado pelo neto dela. A filha de Antônia disse que a mãe fazia uso contínuo de medicamentos para pressão alta, diabetes e tinha saído sozinha até uma mercearia para comprar pinga.

O neto da mulher, que ajudava na construção de uma igreja, viu a vó caída, tentou falar com ela, e ao perceber que não respondia, correu até a residência de Antônia, avisou os familiares que acionaram a Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena) e a Polícia Civil.

Comentário

Uma nova modalidade de “guerra” pode estar surgindo na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero, na fronteira com o Brasil, alerta o site Ponta Porã News. No começo da madrugada desta segunda-feira (28), duas casas de câmbio foram atacadas a tiros, aparentemente de fuzil.

O primeiro ataque ocorreu aos 20 minutos desta segunda, quando ocupantes de uma caminhonete branca, conforme identificação de testemunhas, dispararam dezenas de tiros contra o prédio da Casa de Câmbio Panorama S/A, localizada na rua Carlos Antônio Lopez, esquina com a avenida Carlos Dominguez, no bairro Perpetuo Socorro, em Pedro Juan Caballero.

Cerca de 10 minutos depois foi atacada a filial 03 da mesma empresa, na rua Mariscal Lopez com Choferes del Chaco y Elisa A. Lynch. Muitos tiros foram disparados contra a fachada do prédio. Os autores da fuzilaria eram os mesmos e não houve registro de vítimas. A Polícia investiga a relação entre os dois ataques.

Comentário

O Mato Grosso do Sul já tem pronto o planejamento para a vacinação contra o coronavírus, “seja pelo Governo Federal ou pelo plano B do Governo do Estado, os sul-mato-grossenses têm assegurado imunização para a Covid-19, doença que matou milhares de pessoas ao redor do mundo”. A informação é do secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, que diz estar está confiante que a vacina chegará ao Mato Grosso do Sul no final de janeiro. "Seja da Pfizer, da Moderna ou do Butantan, estamos totalmente preparados para receber a vacina mais segura", afirma.

Resende espera que o planejamento do Governo Federal adquira a vacina de acordo com o PNI (o Programa Nacional de Vacinação), do SUS, considerado um dos melhores programas do mundo. Mas caso ocorra qualquer eventualidade, o Estado, segundo ele, está preparado para colocar em ação o plano B. “Vamos conseguir vacinar os sul-mato-grossenses”, declarou, confiante.

Mesmo com a vacina, Resende deixa claro que nos primeiros meses de 2021 as pessoas deverão continuar com os cuidados e restrições. “Precisamos imunizar 80% da população para ficar mais tranquilos”, conclui.

Em onze meses convivendo com a crise sanitária e um vírus desconhecido e implacável, todo este esforço, ao que tudo indica, valeu muito a pena. “Muitos servidores nem tiraram as férias para nos ajudar, são todos heróis”, afirma, ressaltando que o Governo do Estado atendeu todas as necessidades da pasta. Resende diz que nunca perdeu a fé. “Acredito que Deus prepara as pessoas para enfrentar as crises. E ele me preparou”, afirma.

Tempo de tempestade

No início da 52ª semana da pandemia no Estado, com números de contágio nos altíssimos patamares de 1,15% e taxa de mortalidade em 1,7%, o secretário faz um desabafo: “As pessoas não valorizam a vida. Nem a delas nem a dos outros”, e ainda soltou um palavrão imitando o que ele diz ser a reação dos jovens diante desta crise sem precedentes.

Indignado com o que ele chama de “desobediência e descompromisso” de quem não segue as regras de distanciamento, máscaras e cuidados essenciais, o secretário diz que está faltando empatia às pessoas. “O Governo do Estado está cumprindo o seu papel mas a população não ajuda”, reclama. A pandemia, segundo ele, ainda é muito desconhecida e pegou o mundo inteiro sem saber claramente como lidar com ela. O avanço exponencial da segunda onda, por exemplo, de acordo com Geraldo, é algo atípico, para o verão onde as doenças respiratórias costumam desaparecer. “Essa é uma época onde os casos de Dengue e Chikungunya aumentam’, explica.

Com a mudança de cenário e o agravamento do número de casos da Covid-19, o secretário teme o colapso da rede de hospitais. “Não temos leitos, não temos fisioterapeutas suficientes, precisamos contar com a consciência da população”, apela.

Comentário

A ainda prefeita de Dourados, Délia Razuk (PL), que deveria decidir pela exoneração do subinspetor da Guarda Municipal do município, Atoapes Dias Martins, condenado em Segunda Instância por tráfico de drogas, após ter sido preso em operação da Polícia de São Paulo em agosto de 2018, aparentemente deverá deixar ‘mais uma herança maldita’ para o sucessor, o vereador Alan Guedes (PP), prefeito eleito no mês passado.

Atoapes e outros quatro membros de suposta quadrilha ligada ao tráfico de drogas, foi preso no dia 3 de agosto de 2018, quando policiais civis do estado de São Paulo prenderam cinco pessoas com quase 1.500 quilos de maconha na zona rural da cidade de Cabreúva (SP). O delegado que atuou no caso, Nicolau Santarém, declarou à época acreditar que o guarda municipal de Dourados teria atuado como batedor do carregamento. “Acreditamos que esse guarda municipal veio na frente desse caminhão para avisar se havia algum comando, tanto é que ele pernoitou num hotel de Itu”, disse. A droga estava escondida em uma carga de adubo doe caminhão que saiu de Dourados.

gmd preso

Além do subinspetor Dias, foram presos Guilherme Spitzer de Andrade, Lucas Favoretto Lima de Souza, Leandro Roberto de Oliveira e Flávio Martins de Lima

A única decisão da atual administração até o momento foi proferida no PAD (Processo Administrativo Disciplinar) 02/2018, que aplicou penalidade de suspensão por 30 dias e determinou remessa dos autos à prefeita Délia Razuk para julgamento da aplicação da penalidade de demissão.

Penalidade Administrativa

De acordo com a Resolução 07/GMD/2020, o comandante da Guarda Municipal de Dourados, Divaldo Machado de Menezes – que diga-se de passagem parece também ter recebido essa ‘herança’ do ex-comandante Silvio Reginaldo Peres, determinou a mudança de comportamento do subinspetor condenado por tráfico, que deverá sair de “Excepcional” para ingressar no comportamento “Bom”, conforme os termos do artigo 120, inciso III da Lei Complementar 121/2007 que dispõe sobre o Plano de Cargo e Carreira e Remuneração dos Guardas Municipais.

Condenado e promoção

No dia 26 de agosto de 2020 foi publicado no Diário Oficial de 5.237, expedido pela prefeita Délia Razuk e pelo Procurador Geral do Município Jonathan Alves Pagnoncelli, o Decreto 2.828, de 18 de agosto do corrente ano, com a promoção do então preso e condenado em segunda instância subinspetor Atoapes Dias Martins.

De acordo com o Portal da Transparência da Prefeitura de Dourados, o GM Dias, recluso a dois anos em uma penitenciária no Estado de São Paulo, obteve no mês de novembro remuneração básica de R$ 11.382,54, valor este pago pelo contribuinte douradense. A administração Délia Razuk continua inerte mesmo após confirmar que Dias seria exonerado.

Dias teve o nome listado no anexo I do Decreto 2.831, datado do dia 19 de agosto de 2020, sendo promovido por merecimento, passando da categoria F para a G, mesmo sendo decidido no Processo Administrativo Disciplinar 02/2018, de 15 de maio, pela aplicação da pena de suspensão por 30 dias e remetido os autos à prefeita Délia Godoy Razuk para julgamento da aplicação da penalidade de demissão.

Somente após inúmeras manifestações de repúdio nas redes sociais e divulgado por diversos veículos de imprensa, o ato foi revogado, conforme consta no Diário Oficial 5.239, datado do dia 28 de agosto de 2020.

Repercussão

O DOURANEWS entrou em contato com diversos guardas municipais que, perguntados sobre o posicionamento da tropa e qual seria o pensamento deles a respeito do caso, por questões de segurança sob sigilo de privacidade dos agentes, têm as identidades preservadas no texto.

Um dos integrantes da corporação disse que “é inadmissível manter na corporação um sujeito que escolheu o caminho do crime e ainda recebendo salário pago com imposto de pessoas honestas, quando já deveria ter sido excluído do quadro de efetivos”.

Pessoa próxima ao condenado disse que, “Dias era contra a instituição Guarda Municipal de Dourados fazer apreensões de drogas, e sempre dizia que esse não era o papel da GM, hoje dá pra imaginar por que ele era contra esse tipo de abordagem da Guarda”.

Condenação

No dia 3 de abril de 2019, o juiz Hélio Villaça Furukawa, da 2ª Vara Criminal de Itu, sentenciou o subinspetor Dias e outros três réus denunciados a cumprirem pena de 8 anos e 2 meses de reclusão para o tráfico de drogas e mais 3 anos e 6 meses de reclusão para a associação criminosa. A soma das condenações totalizaram 11 anos e 8 meses de reclusão em regime inicial fechado e no pagamento de 1.632 dias-multa, no menor valor, corrigidos desde a data do crime.

“Nego aos réus o direito de recorrer em liberdade, por ser o tráfico crime gravíssimo, equiparado a hediondo, envolver enorme quantidade de droga e por terem os réus se associado para a prática do crime, indicando que a manutenção da prisão é necessária para garantia da ordem pública e futura aplicação da lei penal. Recomende-se os réus nas prisões em que se encontram”, sentenciou o magistrado.

Hélio Villaça Furukawa, o juiz da ação, considerou ainda ter restado “caracterizado o tráfico entre Estados da Federação, em razão da droga ter sido trazida do Estado de Mato Grosso do Sul para São Paulo”. O magistrado avaliou que “a versão de que foram até o local para ver cachorros contraria toda a prova produzida e carece de credibilidade”.

“Não há a menor lógica na versão de Atoapes de que saiu de São Paulo em direção à Cabreúva, veio até Itu e depois se dirigiu até a chácara. Cabreúva fica mais próxima de São Paulo e não haveria razão para Atoapes vir até Itu, retornar até a chácara, ir novamente a Itu e depois voltar para São Paulo. Não há sentido nesta logística. Também não se justifica a presença de Leandro e Flávio no sítio, pois Atoapes era quem tinha interesse no cachorro. Não há plausibilidade no fato de duas pessoas que estão a trabalho em outro Estado, saírem dos respectivos hotéis para acompanharem um terceiro que nem cliente da empresa era, eis que nunca havia contratado sequer uma viagem. O fato de existirem cachorros na chácara, como demonstram os documentos e o próprio depoimento dos policiais, não afasta a responsabilidade dos três”, disse o magistrado.

No dia 24 de junho do corrente ano foi realizado um julgamento virtual, na 6ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo onde foi rejeitado o recurso dos réus condenados pelo tráfico e associação criminosa. De acordo com o desembargador Machado de Andrade, relator da ação, a decisão da condenação foi unânime, tendo em vista que seu voto foi acompanhado pelos desembargadores Farto Salles e pelo presidente Zorzi Rocha.

Segundo o acordão, nos embargos de declaração a defesa de Dias pediu a absolvição, sustentando haver fragilidade nas provas acusatórias. Pleiteou o afastamento da causa de aumento de pena do artigo 40, inciso V, da Lei de Drogas, já sobre as penas, sustentou pela diminuição da pena-base, pelo reconhecimento do tráfico privilegiado, e pugnou pela substituição da pena privativa de liberdade por restritivas de direitos, pediu a fixação de regime mais brando para início de cumprimento de pena e a diminuição da multa imposta e por final pediu a concessão do benefício da justiça gratuita, mesmo comprovando o réu perceber salário de R$ 11.382,54 e dispor de bens no município de Dourados.

Ressalta-se que no dia 20 de fevereiro de 2020 no julgamento da apelação criminal, um pedido semelhante já havia sido negado pela Corte do Estado de São Paulo.

Defesa

No dia 25 de outubro de 2019, o advogado Felipe Torquato Melo entrou com ação na 6ª Vara Cível de Dourados cobrando do município de Dourados um valor de R$ 180.124,00 sob a alegação que Dias é servidor estável do município, sendo admitido em concurso público no dia 18 de agosto de 2000, e ocupa cargo de guarda subinspetor tendo como remuneração básica mensal de R$ 10.117,48 (à época).

De acordo com o advogado, “o autor recebeu normalmente sua remuneração até julho de 2018. Entretanto, em agosto de 2018, ante a informação da sua prisão cautelar, ele recebeu apenas R$ 1.989,81. A suspensão da remuneração foi realizada de ofício e de forma arbitrária pela administração municipal, sem que fosse publicada qualquer decisão nesse sentido em Diário Oficial, muito menos foi o autor [Dias] comunicado pessoalmente dessa decisão”.

O juiz da 6ª Vara Cível José Domingues Filho negou a liminar pedida pela defesa do subinspetor da Guarda Municipal de Dourados, Atoapes Dias Martins. “Ainda que não houvesse esse afastamento, o simples fato do servidor não comparecer ao trabalho em razão da prisão já autoriza o desconto dos seus vencimentos de acordo com as faltas apuradas. Mesmo porque, é ilógico e fere os princípios da administração pública o autor pretender receber remuneração sem trabalhar”, disse o magistrado.

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul concedeu a liminar no dia 17 de dezembro de 2019, onde o desembargador Amaury da Silva Kuklinski concedeu tutela antecipada determinando ao Município o restabelecimento do pagamento dos vencimentos e depósito do salário de dezembro de 2018, do 13º salário e dos meses subsequentes, dando prazo pra o município realizá-los em cinco dias.

Inação administrativa

Mesmo estando preso a mais de 1000 km de Dourados, e condenado em Segunda Instância, o inspetor da Guarda Municipal de Dourados, Atoapes Dias Martins continua recebendo salário de R$ 11.382,54 pago pelos contribuintes, como se estivesse exercendo função de proteger a sociedade de bem dos crimes e de tráfico.

Como é se se supor que a prefeita Délia Godoy Razuk não vá mais cumprir com seu dever cívico de proteger o cidadão, excluindo a presença de pessoas condenados pela Justiça de cargos públicos, especialmente funções que lidam diretamente com a vida das pessoas, caberá ao prefeito eleito Alan Guedes essa tarefa.

Os Processos da Condenação do inspetor da Guarda Municipal de Dourados e envolvidos nesse crime podem ser consultados através do site www.tjsp.jus.br, sob o nº 1500107-82.2018.8.26.0569. A Guarda Municipal de Dourados apreendeu, apenas entre 2019 e 2020, mais de 6 toneladas de drogas em operações na cidade, além de ter apreendido centenas de envolvidos nessa modalidade de crime, foragidos da Justiça.

Comentário

Aleizio Casemiro dos Reis, de 71 anos, foi assassinado pelo próprio filho em Coxim, na noite deste sábado (26), publica o site Coxim Agora. O suspeito foi preso em flagrante quando tentava fugir do local.

De acordo com os primeiros levantamentos realizados junto a testemunhas do crime, pai e filho tiveram um desentendimento na frente da casa da família, no Jardim das Estrelas. Neste momento, o autor do crime pegou uma tesoura e deu um golpe no peito do idoso, que morreu na hora.

Logo após o crime, o autor ainda tentou fugir. Segundo o site local, ele foi encontrado a aproximadamente 200 metros do local por uma equipe da Polícia Civil, preso em flagrante e encaminhado para a delegacia da cidade, onde será autuado por crime de homicídio. A arma do crime também foi apreendida.

Comentário

O vereador reeleito Elias Ishy, que ocupa assento na Câmara desde os anos 2000 como representante do Partido dos Trabalhadores, e o mais idoso entre os futuros 19 ocupantes do Legislativo municipal, vai conduzir a sessão de posse dos novos vereadores para a legislatura 2021-24 durante evento agendado para às 8 horas da manhã do dia 1º. de janeiro do ano que vem, no plenário da Casa.

Ishy, atual vice-presidente da Mesa Diretora, cujo mandato, junto com os dos atuais vereadores, se extingue na quinta-feira (31), último dia do ano, vai completar 62 anos de idade na quarta-feira (30).

De acordo com o protocolo de posse, seguindo as normas estabelecidas no Regimento Interno da Câmara, Elias Ishy vai presidir a sessão de posse dos seis vereadores reeleitos, ele inclusive, e dos 13 novatos da futura legislatura. Em seguida, também conduzirá o processo de eleição dos membros da nova Mesa Diretora e dará posse ao próximo presidente da Câmara, que substitui o atual, vereador Alan Guedes, eleito prefeito da cidade para os próximos quatro anos.

Será o novo presidente da Câmara, a ser eleito como primeiro ato do Legislativo em 2021, após a posse, quem vai empossar o prefeito eleito e o vice-prefeito Dr. Guto Moreira. Após os pronunciamentos de praxe, Guedes e o vice devem se dirigir ao prédio do CAM (Centro Administrativo Municipal) para a investidura no cargo de prefeito, e onde também anunciar o secretariado e as primeiras medidas administrativas da futura gestão.

Comentário

Página 18 de 1811
  • Douranews Anúncio
  • Editais

O Tempo Agora

  • fetems abigail

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis