Timber by EMSIEN-3 LTD
Redação Douranews

Redação Douranews

“Em um dia de vento norte, em meio a uma seca, põem fogo no capim e esse fogo avança sobre áreas vizinhas”. Assim, o advogado Aquiles Paulus relata, na manhã desta sexta-feira (2), a irresponsabilidade do que classifica como a ação dos “nossos irmãos incendiários” sobre uma área de preservação às margens do córrego Laranja Doce, na região oeste da cidade.

“Sete anos de recuperação, com centenas de árvores por nós plantadas, centenas espontâneas que já admirávamos, bichos, pássaros, a APP do Rio Laranja Doce (há 950 metros da propriedade dele), mais a das áreas vizinhas, uns cerca de 18 a 20 hectares, em 20 minutos, viraram cinza”, relatou.

De acordo com a postagem feita no perfil que mantém no Facebook, Aquiles lembra que esse episódio se repete há sete anos de uma outra onda incendiária, que devastou toda a área plantada e de preservação no mesmo local. É dessa situação que se origina a maior parte da fuligem preta que toma conta das residências e prédios comerciais na manhã desta sexta-feira em Dourados.

“Muito investimento e dedicação, mas, se a vida é um eterno recomeçar, cá estamos!”, ainda conseguiu filosofar o pequeno produtor diante do sinistro.

Comentário

Os salários dos 70 mil servidores ativos, inativos e pensionistas da gestão estadual serão depositados nesta sexta-feira (2) e estarão disponíveis para saque no sábado (3), para aqueles que usam o Banco do Brasil, informa a SAD (Secretaria de Administração e Desburocratização) do Estado.

A folha salarial referente ao mês de julho tem valor aproximado de R$ 400 milhões e, apesar da crise financeira em todo o país, o Governo do Estado tem mantido os salários em dia, com pagamento até o 5° dia útil de cada mês, reitera a assessoria do governador Reinaldo Azambuja.

Comentário

Depois de muitos dias de tempo seco, o clima começa a mudar no Estado com o avanço de uma grande frente fria, anunciando o inverno na prática. Conforme o Cemtec (Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos), ao longo desta sexta-feira (2) os termômetros, ainda assim, podem registrar temperatura máxima de 32°C, mas em Dourados o final de semana poderá ter o registro de mínimas com 7ºC e sensação térmica de 4 graus em algumas áreas.

A meteorologia aponta condições para formação de geada nas madrugadas de sábado (3) e domingo (4), especialmente nos municípios da região sul e sudoeste de Mato Grosso do Sul, com temperaturas que podem variar entre 2°C a 27°C em alguns municípios do interior, e na capital entre 10°C a 24°C.

A coordenadora do Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima, Franciane Rodrigues, observa que, além da queda nas temperaturas, chuvas isoladas e de baixa intensidade podem ocorrer na parte sul do Estado. Já as demais áreas seguirão com céu nublado a parcialmente nublado e sem expectativa de chuva para o fim de semana.

Comentário

O promotor de eventos Caio Secco, da MS Promoções, Eventos e Produções, confirmou na tarde desta quinta-feira (1), a informação da nova data agendada para o show com o cantor Benito Di Paula em Dourados. Será mesmo no dia 13 de setembro, no Clube Indaiá, conforme entendimentos feitos com a 74 Entretenimento e Marketing Eireli, representante exclusiva do artista.

O show, que aconteceria no dia 7 de junho, foi adiado “por dificuldades na logística”, e com o objetivo de atender aos melhores interesses do público, conforme comunicado distribuído à época da alteração no calendário do evento.

Os ingressos já adquiridos poderão ser utilizados no show do dia 13 de setembro (sem necessidade de troca), e quem ainda não comprou poderá acessar os canais de vendas, na Banca do Jaime, ou pelo sistema online caiosecooeventos.com.br, e ainda por meio do telefone (67) 99971-6440.

Comentário

O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, assinaram nesta quinta-feira (1) a medida provisória que cria o programa Médicos pelo Brasil, que vai substituir o Mais Médicos. No total, o programa terá 18 mil vagas, das quais cerca de 13 mil em cidades com dificuldade de acesso a médico.

O governo informou que pretende ampliar em cerca de 7.000 vagas a oferta de médicos para municípios com "maiores vazios assistenciais". Segundo a pasta, 4.000 novas vagas serão prioritárias para as regiões Norte e Nordeste. A MP, assinada em cerimônia no Palácio do Planalto, entra em vigor assim que publicada no "Diário Oficial da União". Para se tornar lei, o texto precisará ser aprovado pelo Congresso Nacional em até 120 dias.

O programa deve substituir o Mais Médicos, criado em julho de 2013 pelo governo federal para fixar profissionais em regiões mal atendidas e admite médicos formados em universidades brasileiras ou com diploma do exterior e profissionais estrangeiros. De acordo com o ministro Luiz Henrique Mandetta, o Mais Médicos e o Médicos Pelo Brasil funcionarão de forma paralela, inclusive nos mesmos municípios, até os finais dos contratos do primeiro programa.

Contratações

Conforme o Ministério da Saúde, o processo seletivo para contratação de médicos será eliminatório e classificatório. Para ser contratado, o médico precisará ter registro no CRM (Conselho Regional de Medicina) e ser aprovado em um curso de formação supervisionado, com duração de dois anos. Durante este período o profissional receberá uma bolsa-formação. Ao fim do curso, será feita uma prova para obtenção do título de especialista em Medicina de Família e Comunidade.

Só quem conseguir o título é que poderá ser contratado pelo programa Médicos pelo Brasil, com vínculo empregatício pelo regime da CLT. Isso vai garantir, por exemplo, que os profissionais tenham 13º salário e mais estabilidade. Nos dois primeiros anos do programa, os profissionais que fizeram curso de especialização receberão uma bolsa no valor de R$ 12 mil mensais, com gratificação de R$ 3 mil para locais considerados remotos e de R$ 6 mil para atuação com indígenas e localidades ribeirinhas e fluviais.

Segundo o Ministério da Saúde, os médicos que farão o curso de especialização terão jornada semanal de 60 horas, das quais: 40 horas de atendimento direto à população e 20 horas de atividades teóricas. Os médicos serão supervisionados por seus tutores, que atuam no programa, durante uma semana a cada dois meses.

A contratação via CLT terá quatro níveis salariais com progressão a cada três anos de participação no programa. Também haverá gratificações, assim, o primeiro nível salarial poderá chegar a R$ 21 mil e a R$ 31 mil, conforme a localidade de atuação.

Co-existência

Na quarta-feira (31), o Ministério da Saúde renovou por mais três anos a participação de profissionais brasileiros e estrangeiros do Mais Médicos aprovados pelo programa em julho de 2016.

Os profissionais que atuam no momento no Mais Médicos poderão trabalhar até o final de seus contratos. Para ingressar no Médicos pelo Brasil, será preciso passar pelo processo seletivo. No caso dos médicos estrangeiros que trabalharam no Mais Médicos, Mandetta explicou que, neste momento, só trabalharão aqueles que revalidaram o diploma de medicina no Brasil.

O ministro acredita que até novembro será possível ter a lei sancionada e a seleção dos profissionais estruturada. Ele, contudo, não estabeleceu uma data para a primeira seleção. Mandetta estimou que ao final de 2020 será possível ter quase todas as 18 mil vagas do Médicos Pelo Brasil ocupadas.

"Vamos conviver com o programa anterior e o programa novo, porque eu não vou anular a lei anterior [do Mais Médicos] de uma vez. Eu poderia criar um vazio até se fazer todo o processo seletivo. Então, a gente vai coexistir", afirmou o ministro. Ele frisou que o novo vínculo de trabalho é mais atraente, já que haverá carteira assinada, salários mais altos, estabilidade e a possibilidade de escolha do local de trabalho conforme a classificação na seleção.

Comentário

O secretário estadual de Agricultura Familiar, Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente, Jaime Verruck, confirmou, durante o 2º Fórum Estadual do Plano Estratégico do PNEFA (Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa), realizado nesta quarta-feira (31), na sede da Casa Rural, em Campo Grande, o remanejamento de Mato Grosso do Sul, no grupo de Estados, deixando o bloco V, para fazer parte do bloco IV, nos esforços de combate à aftosa.

Para Jaime, a mudança é positiva já que agora o Estado faz parte de um bloco mais homogêneo, onde se consegue trabalhar as ações dentro do cronograma, fazendo referência ao bloco que compunha antes, onde Santa Catarina já não vacina e o Paraná também trabalha para antecipar a retirada da vacinação.

Ao recordar as discussões em torno de um acordo de sanidade animal e vegetal com o Paraguai realizado recentemente em encontro que participou junto com a ministra Tereza Cristina e o coordenador da SFA (Superintendência Federal de Agricultura) no Estado, Celso Martins, o secretario Jaime Verruck, que comanda a pasta da produção em Mato Grosso do Sul, destacou os avanços, reafirmou o cronograma e as ações em andamento e citou a criação do fundo de reserva, e a captação de recursos para a realização do programa de regularização que possibilita saber exatamente o tamanho do rebanho que o estado tem para controlar. “Sem dúvida alguma, qualquer dessas ações realizadas pelo Governo do Estado, parceiros do setor, não terão êxito, sem a participação dos produtores”, disse.

Jaime Verruck comentou ainda que iniciou conversações sobre o fundo privado, há uma semana, com representantes de alguns dos maiores frigoríficos do Estado, começando com o maior deles, do Grupo JBS. “O Mapa [Ministério da Agricultura e Pecuária] acabou de contratar uma auditoria para verificar todos os fundos públicos e privados no Brasil e isso nos ajudará a escolher a modelagem mais adequada”, completou.

Sobre o programa, Jaime afirmou que o Estado avança bem, lembrou que os desafios são enormes mas enfatizou que o pior cenário é ‘ficar para trás’, fazendo alusão a ideia de não participar das ações. “O empenho todo é para que não tenhamos nenhum problema de aftosa, mas se tivermos que sejamos tão ou mais eficientes do que o Estado vizinho, Paraná, onde o Daniel Ingold (diretor presidente da Iagro) realiza em poucas horas a constatação de uma doença e a aplicação das ações de contenção e ressarcimento do produtor. Para isso estamos trabalhando com acordos internacionais, parcerias com o Ministério [da Agricultura] encaminhamentos, reestruturações e programas, para passar com sucesso por essa fase e em 2021 parar de vacinar nosso rebanho, com tranquilidade”.

“Quando nos falamos em cadeia produtiva, não tratamos do benefício somente para o produtor, tratamos de toda economia, do mercado, dos frigoríficos e toda estrutura que envolve essa cadeia”, disse o secretário, lembrando que o grande desafio vem na etapa em que o Estado ficará 2 anos sem vacinar, para só então receber da OIE a confirmação da mudança de status para ‘livre de febre aftosa sem vacinação’. “Todas as ações que de alguma forma influenciavam no desenvolvimento das atividades para retirada da vacinação foram priorizadas pelo governador Reinaldo. Atualmente estamos focados na reformulação das ações da fronteira, redistribuição dos postos, e no estudo de novos sistemas de rastreabilidade”, informou.

“O país tomou uma decisão estratégica de erradicar a aftosa sem vacinação, visando novos mercados. Não temos opção de não participar, se queremos crescer e não perder espaço. E é nesse sentido que o Governo do Mato Grosso do Sul reafirma seu compromisso com essa tão importante conquista para toda nossa economia”, finalizou Verruck.

Comentário

A liberação do recurso de cerca de R$ 50 milhões para ampliação e restauração do aeroporto de Dourados, confirmada pelo secretário nacional de Aviação Civil do Ministério da Infraestrutura, Ronei Glanzmann durante visita a Mato Grosso do Sul em julho, é aguardada com certa preocupação pelo deputado estadual Barbosinha (DEM-MS).

De acordo com o parlamentar, o processo precisa ser mais célere e os estudos devem contemplar a construção do dispositivo de passageiros do aeroporto Francisco de Matos Pereira, que não consta no projeto atual.

No aeroporto serão realizadas obras de ampliação e restauração da pista de pouso e decolagem, nova pista de taxiway e pátio de aeronaves. Haverá implantação de estacionamento de veículos, vias de acesso e terraplenagem para construção futura de edificações. Em janeiro deste ano, houve a entrega de pórtico e equipamento de raio-x.

Recentemente, o parlamentar pediu ajuda da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, para interceder junto ao Governo Federal para que o processo ande mais rápido no Ministério e contemple também a construção do terminal de passageiros.

“Sabemos do empenho da ministra [Tereza] pelas pautas que beneficiam Mato Grosso do Sul e o bom trânsito que ela tem no governo pode acelerar a licitação e até mesmo o início desta obra”, disse o deputado.

O ministro da Infraestrutura Tarcísio Gomes de Freitas garantiu que as obras do aeroporto de Dourados têm sido tratadas com prioridade e que os recursos já estão garantidos para a reforma do aeroporto. “Vamos iniciar a licitação e já temos R$ 19 milhões para empenho imediato, recurso suficiente para tocar a obra em 2019. O Ministério vai contemplar recursos na lei orçamentária do ano que vem para concluir esta importante obra para a população de Dourados e região”, explicou Tarcísio.

Comentário

O vereador Alan Guedes (DEM), presidente da Câmara de Dourados, oficializou na manhã desta quinta-feira (1) ao vereador Braz Melo (PSC), afastado das funções desde o final do ano passado, que indeferiu a petição que pedia a recondução imediata ao cargo depois de que, julgamento do TRF3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região), em São Paulo, restabeleceu os direitos políticos do ex-prefeito, ex-vice-governador e vereador eleito em 2016 pela coligação que elegeu a prefeita Délia Razuk em Dourados.

Alan Guedes justificou, com base em parecer da Procuradoria Jurídica da Câmara, o “não conhecimento do voto do desembargador federal Nelton dos Santos, e de toda sua extensão, que gerou a divergência e foi acompanhado pelo desembargador federal Antonio Cedendo”, já que o Acórdão dessa decisão ainda não foi publicado oficialmente pelo Tribunal. “Somente a elaboração do voto condutor e do Acórdão pelo desembargador federal Nelton dos Santos clarificará a questão e permitirá nova análise”, disse o presidente da Câmara.

Braz Melo disse, ao sair da Câmara, onde tomou conhecimento e foi notificado do despacho do presidente da Casa, que vai ingressar com Mandado de Segurança contra o ato do vereador Alan Guedes, com pedido de liminar para posse imediata no cargo. Ele teme que a publicação do Acórdão pelo TRF3 venha a demorar mais ainda.

Lia continua

Enquanto isso, a suplente Lia Nogueira, que também ingressou na Justiça para que Braz não retome o cargo, continua na função. A diferença é que, mais uma vez, ela extrapolou do pedido, ao questionar certidão emitida pelo Tribunal paulista, e apresentada por Braz para exigir a cadeira na Câmara, como decidiu o juiz José Domingues Filho, da 6ª. Vara Cível: “No seio do princípio da legalidade estrita, os atos administrativos e judiciais gozam de presunção de legitimidade e veracidade que somente se afastam com prova robusta em sentido contrário, notadamente de falsidade da certidão, o que aqui não se tem”, enfatizou o magistrado ao negar a petição da suplente no exercício do cargo.

Comentário

A cantora e compositora douradense Dami Baz, atualmente residindo em São Paulo, vai participar, neste domingo (4), no Peru, com o grupo Babel (Mistura Porã), do III Festival de Música Latina que será realiza-do no Hacienda Paucartika – Vale Sagrado Los Incas, em Cusco.

Com ela estarão os companheiros de grupo Fernando Miranda (per-cussão), Mariana Brandão (violoncelo, rabeca e voz), e Fabio Miranda (viola caipira, viola de cocho, voz e direção cênica). Babel é um grupo musical que mescla três idiomas em suas canções: o português, es-panhol e o guarani, línguas que se entrelaçam à diversidade musical latino-americana. Une os talentos de artistas oriundos da fronteira e do interior.

Estão no repertório as canções do disco “Mistura Porã”, da cantora e compositora Dami Baz. Nessa mistura boa, a viola caipira, de cocho, rabeca, violoncelo, as percussões e o mosaico de línguas, imagens e de cantos trazidos pelo grupo proporcionam ao público um mergulho em suas próprias fronteiras, e um confronto acerca do desconheci-mento da língua mãe e de seu povo ancestral, como define o Blog do Alex Fraga.

Comentário

O governador Reinaldo Azambuja começa o mês percorrendo três municípios do interior lançando e entregando obras que somam R$ 64,7 milhões. São investimentos em infraestrutura, com pavimentação e restauração funcional de ruas, avenidas e rodovias e constru-ção de pontes, ampliação do sistema de abastecimento de água, e várias obras incluindo entrega de quadra de esporte, do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) e bases habitaci-onais.

Na tarde desta quinta-feira (1), Reinaldo Azambuja cumpre agenda em Anaurilândia, que recebe investimento de R$ 18,6 milhões, sendo R$ 17,3 milhões em asfalto. O destaque fica por conta da autorização da licitação da pavimentação dos 8,7 quilômetros da estrada de acesso ao Balneário Municipal.

Na sexta-feira (2), o governador viaja para a região Sul do Estado. Em Amambai, o inves-timento é de R$ 3,4 milhões, sem contar as obras em andamento como do Hospital Regio-nal, que está passando por reforma e ampliação, e a pavimentação da avenida Nicolau Otano. Depois, em Ponta Porã, ele entrega e autoriza R$ 42,6 milhões em ações e obras. E se for considerado os R$ 14 milhões em saneamento em execução, o investimento ultra-passa R$ 56 milhões no município fronteiriço.

Página 17 de 1403
  • unimed nova
  • cassems
  • governo raly

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014
E-mail: douranews@douranews.com.br

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus