Timber by EMSIEN-3 LTD
Redação Douranews

Redação Douranews

Durante bloqueio policial na rodovia BR 262, próximo ao pedágio de Porto Morrinho, no município de Corumbá, policiais do DOF apreenderam 5 quilos de cocaína que estavam “camuflados” nas paredes de um ônibus.

O fato ocorreu por volta das 17 horas desta terça-feira (18), durante abordagem de rotina a um ônibus que fazia o itinerário Corumbá x Campo Grande, e em vistoria ao banheiro do ônibus, foi localizado nas paredes junto a janela, cinco tabletes de cocaína que totalizaram 5 quilos da droga, não sendo possível identificar se a pessoa que portava a droga estaria no ônibus.

Comentário

Pedro Henrique Viana Gonzaga, de 19 anos, morador em Goiânia, foi preso por uma das equipes operacionais do DOF, transportando um veículo que havia sido roubado na capital de Goiás. O flagrante foi registrado durante bloqueio policial na rodovia MS 289, entre Coronel Sapucaia e Amambai, na fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai.

Ao ser abordado para fiscalização de rotina, conduzindo um veículo Ford Ranger de cor prata, com placas de Goiânia/GO, os policiais verificaram pelos números de chassis e motor que a caminhonete era produto de roubo, conforme registro de segunda-feira (10) em Goiânia.

Pedro relatou que foi contratado em Goiânia para levar o veículo até Capitan Bado, no Paraguai, e que receberia mil reais pelo transporte.

Foragido

Charlie Alves Ferreira, de 26 anos, morador no estado de São Paulo, foi capturado por uma das equipes do DOF, por ser foragido da justiça de Pará de Minas/MG. O fato ocorreu na tarde desta terça-feira (18), durante patrulhamento na rodovia MS 289, entre Amambai e Coronel Sapucaia, quando Charles caminhava às margens da pista. Em checagem aos antecedentes criminais dele, policiais constaram que havia mandado de prisão aberto; o preso foi encaminhado para a delegacia de Amambai.

Comentário

Quarta, 19 Outubro 2016 13:14

Sergio Moro manda prender Eduardo Cunha

O ex-presidente da Câmara e deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) foi preso nesta quarta-feira (19), em Brasília. A prisão dele é preventiva, ou seja, por tempo indeterminado. A decisão foi do juiz Sérgio Moro no processo em que Cunha é acusado de receber propina de contrato de exploração de Petróleo no Benin, na África, e de usar contas na Suíça para lavar o dinheiro.

O ex-deputado embarcou em um avião da PF (Polícia Federal) no aeroporto de Brasília com destino a Curitiba, onde ficará preso. No despacho, Moro autorizou que a PF entrasse na casa de Cunha no Rio de Janeiro para prendê-lo. O juiz é o responsável pelas ações da operação Lava Jato na 1ª instância.

Após Cunha perder o foro privilegiado com a cassação do mandato, ocorrida em setembro, o juiz retomou na quinta-feira (13) o processo que corria no STF (Supremo Tribunal Federal). Nesta segunda (17), Moro intimou Cunha e deu 10 dias para que os advogados protocolassem defesa prévia. A defesa do ex-presidente da Câmara ainda não se manifestou, segundo publica o G1.

Comentário

“Às 9h03min, Oziel Gabriel, que portava, exclusivamente, uma faca embainhada, arco e flecha e se posicionava atrás de uma árvore foi atingido por munição 9 mm marca CBC com encamisamento tipo Gold, de uso exclusivo da Polícia Federal”.

Assim começa trecho do Procedimento Administrativo 1.21.000.000913/2013-73, instaurado pelo MPF (Ministério Público Federal) em Mato Grosso do Sul para apurar a atuação e observância aos limites legais pela Polícia Federal e Polícia Militar que, em 30 de maio de 2013 cumpriam ordem judicial de reintegração de posse na fazenda Buriti, em Sidrolândia.

O texto segue, observando que “não se sustente que, naquela situação, portando faca, arco e flecha, a cerca de 100 metros de distância do pelotão, o indivíduo apresentava imediato risco de morte, pois, fosse assim, mais da metade dos indígenas seria alvo de ação letal da Polícia. Apesar da conclusão de que o tiro que matou o indígena partiu de uma arma usada pela Polícia Federal, não se obteve sucesso em localizar a munição para identificar o policial autor do tiro, de forma que não restou alternativa que não o arquivamento do inquérito policial 0240/2013”, diz o Procedimento.

A investigação do MPF baseou-se em três procedimentos sobre a desocupação da fazenda Buriti adotados pela Polícia Federal: O inquérito policial 0240/2013, que apurou o homicídio de Oziel Gabriel e as tentativas de homicídio de agentes policiais, além do incêndio em edificações e veículos; o Termo Circunstanciado 029/2013, que apura suposto crime de resistência por parte de indígenas durante a desocupação da fazenda Buriti; e a Sindicância Investigativa 002/2013 (da Corregedoria da PF), que apurou eventuais irregularidades cometidas pelos policiais federais durante a operação de desocupação.

O MPF concluiu que aquela foi uma operação policial fracassada, com graves erros, que resultaram, em, pelo menos, uma morte (a do indígena terena Oziel Gabriel), além de sete feridos com arma de fogo (4 policiais, 2 indígenas e um cão militar), 9 policiais feridos por pedras e 19 indígenas feridos por munição de elastômero, totalizando 36 vítimas. “E todo esse prejuízo com eficácia zero, já que duas horas após finalizada a operação, a fazenda foi reocupada”, segundo o relatório do MPF.

Mesmo assim, sindicância interna da PF chegou à conclusão de que não houve irregularidade na operação. O Parecer 108/2013, da delegada Juliana Resende Silva de Lima, é explícito neste sentido: “Em que pese as consequências indesejáveis da ação - ferimentos e morte de uma pessoa - a operação obedeceu integralmente o detalhado planejamento elaborado”. O parecer pelo arquivamento da investigação foi acatado pela Superintendência da PF, conclui o texto distribuído pela assessoria de comunicação do MPF no Estado.

Dourados tem atraído muitos investimentos imobiliários, principalmente na área de loteamentos, depois que o prefeito Murilo Zauith (PSB) organizou a gestão pública, facilitando a abertura de novos empreendimentos, de diferentes padrões. Somente neste ano de 2016 a Secretaria de Infraestrutura e Desenvolvimento já aprovou 13 projetos de loteamentos, de acordo com Rosmari Covatti, diretora do Departamento de Parcelamento do Solo. São empreendimentos que estão à venda ou em lançamento.

Dourados enfrenta um ‘boom’ de crescimento na gestão do prefeito Murilo. Esses 13 projetos colocam à disposição do mercado imobiliário mais 8 mil terrenos, segundo Rosmari, com uma gama variada de tamanhos e localização, que garante a expansão da cidade em todas as regiões. O secretário de Infraestrutura e Desenvolvimento é o engenheiro Jorge de Lúcia.

Já consta na infraestrutura do loteamento os serviços de implantação de galerias de águas pluviais, asfalto e rede de água e energia. Em alguns casos a incorporadora oferece inclusive a rede de esgoto. É um grande avanço na legislação, que evita que a Prefeitura precise fazer a infraestrutura desses bairros no futuro.

Outro grande avanço foi a instituição, pelo prefeito Murilo, de legislação municipal que garante o fracionamento menor do solo. Assim, as incorporadoras podem colocar hoje a venda terrenos a partir de 200 m² (10x20 metros), os chamados loteamentos sociais, que garantem a famílias de menor renda a possibilidade de adquirir o terreno e construir a própria casa.

O Green Ville, localizado na região do Grande Guaicurus e com 1.500 lotes aproximadamente, é um dos loteamentos sociais recém aprovados pela Prefeitura. O Delta Parque, na região da Embrapa e com aproximadamente 1.300 lotes, está em tramitação na Prefeitura para aprovação.

Está em fase final de aprovação também na região do Clube Indaiá, pela VGM Incorporadora, o loteamento Flor de Lotus, com 500 terrenos. Acaba de ser aprovado também o Cidade Jardim 4, da São Bento Incorporadora, também na região do Clube Indaiá. O Cidade Jardim II, na mesma área, está em tramitação.

Uma novidade na cidade é um loteamento rural, localizado à margem do Rio Dourados, na BR 463, que já está aprovado. Executado pela JPC Incorporadora, será um condomínio fechado, com foco no lazer e na pesca.
Organizada administrativamente pelo prefeito Murilo, polo regional forte, com população da região estimada em 1 milhão de habitantes, Dourados se consolidou como um centro de comércio, serviços e negócios, atraindo a atenção de empreendedores de várias partes do Brasil justamente por ser uma das cidades que mais crescem e se desenvolvem no Cento Oeste.

Comentário

Quarta, 19 Outubro 2016 10:05

Cineclube UFGD exibe o 'Olmo e a Gaivota'

O documentário “Olmo e a Gaivota” (2015), escrito e dirigido pela brasileira Petra Costa em parceria com a dinamarquesa Lea Glob, será exibido gratuitamente neste sábado (22) pelo projeto de extensão Cineclube UFGD. A sessão começa às 17 horas, no cineauditório da Unidade 1 (Rua João Rosa Góes, 1761, Vila Progresso). Todos os interessados podem participar.

O filme foi premiado no 68º Festival de Locarno, onde estreiou no dia 10 de agosto de 2015, além de ter sido escolhido como melhor documentário no Festival do Rio.

Na obra, os atores do Théâtre du Soleil Olivia Corsini e Serge Nicolaï representam a si mesmos na experiência da gravidez real da atriz, enquanto é encenada a peça A Gaivota, do russo Tchekhov. Os meses de gravidez se desdobram como um rito de passagem, forçando a atriz a confrontar seus sentimentos e medos mais obscuros. O desejo de Olivia por liberdade e sucesso profissional bate de frente com os limites impostos pelo seu próprio corpo. Ao se olhar no espelho, ela vê as duas personagens femininas de A Gaivota como reflexos de si mesma.

Também da diretora Petra Costa, o Cineclube UFGD exibiu o documentário Elena (2012), em abril de 2016.

Comentário

As medidas fiscais mais duras tomadas pelo Governo do Estado, no ano passado, como a taxação de produtos supérfluos (cigarro, fumo, bebidas, cosméticos e outros), e o rigor da administração na redução drástica do custeio da máquina, foram fundamentais para garantir o equilíbrio financeiro, pagamento em dia dos salários dos servidores e cumprimento de entregas (obras e serviços) à população.

A avaliação foi feita nesta terça-feira (18) pelo governador Reinaldo Azambuja, durante entrevista ao programa Tribuna Livre da Rádio Capital, em Campo Grande, quando desmentiu especulações em relação ao parcelamento do 13º salário do funcionalismo (ativo e inativo), que será pago integralmente no prazo previsto em lei em dezembro. Serão R$ 400 milhões em parcela única injetados na economia dos 79 municípios, garantiu.

Azambuja falou das dificuldades financeiras da maioria dos estados, em razão da crise econômica e redução de repasses constitucionais, onde Mato Grosso do Sul se sobressai ao cumprir as obrigações, como pagamento em dia dos salários, fornecedores e obras contratadas. Também ressaltou que contou com o apoio de todos os deputados estaduais para preparar o Estado para o atual cenário ante a falta de recursos com a economia em retração.

“Avançamos muito, mas não somos perfeitos e aceitamos as críticas construtivas, contudo, não podemos admitir aquelas com cunho eleitoreiro, nas quais quem hoje nos critica ajudou a aprovar todos os projetos de revisão de algumas alíquotas de tributos e impostos e também a contratação das OS (Organizações Sociais), parcerias do governo na administração de algumas unidades hospitalares”, afirmou o governador.

Prioridades

Reinaldo Azambuja fez um balanço dos 22 meses de governo e ressaltou que o Estado, no período, não apenas saneou as finanças e cumpriu obrigações, como aumentou os investimentos em setores prioritários da população, como saúde, segurança e educação. Citou que o governo trabalha em várias frentes e vem sustentando o fortalecimento do setor produtivo e atração de capital privado, colocando Mato Grosso do Sul como o quinto estado mais competitivo.

“Os meios de comunicação, como a Revista Veja e o jornal Estadão, divulgaram o resultado de uma consultoria britânica, onde nosso Estado subiu de 9º para a 5º posição no ranking da competitividade. Isso é resultado das políticas arrojadas que implementamos e potencializam nossas vocações no campo da produção, seja por meio de incentivos, busca da parceria privada e, sobretudo, confiança no governo”, frisou.

A posição privilegiada hoje de Mato Grosso do Sul em relação às finanças, segundo o governador, se deve ao planejamento e responsabilidade da gestão do PSDB. “Gastamos menos com o governo e mais com as pessoas”, disse. “Não estou administrando aquilo que é meu, do Reinaldo, mas aquilo que é nosso, do povo, que contribui com seu imposto esperando um retorno de qualidade de serviços”, acrescentou.

Menos violência

Na entrevista, Azambuja falou dos avanços conquistamos nestes 22 meses na saúde, segurança e educação, cujos investimentos foram destinados, em grande parte, a Campo Grande, que absorve as grandes demandas do interior e detém 34% da população do Estado. Também citou a habitação, onde, no período, entregou 10.166 novas moradias – média de 15 casas por dia – e dobrará os investimentos em 2017 com os programas Lote Urbanizado e Cheque Moradia.

Na segurança, mencionou, nunca se investiu tanto na formação e reaparelhamento das unidades policiais com nestes quase dois anos. Somente o programa MS Mais Seguro terá R$ 96 milhões, com previsão de entrega, nesta sexta-feira (21), da segunda etapa de equipamentos – 170 viaturas, armamentos modernos e coletes à prova de bala. “400 novas viaturas vamos entregar até o fim do ano”, garantiu, apontando os indicadores que comprovam a redução da criminalidade no Estado.

Mais leitos

No setor da saúde, Azambuja disse que as demandas supridas pela Caravana da Saúde em exames e consultas, na Capital, são decorrentes da má gestão dos últimos prefeitos, “os quais tornaram o sistema deficiente, à beira do caos”. Disse que as 48 mil consultas e os 13.100 exames realizados em Campo Grande exprimem a realidade daqueles que não conseguem realizar um procedimento no posto de saúde ou numa UPA por falta de aparelhos, médicos e medicamentos.

“Nada funciona na saúde pública da nossa Capital e se a prefeitura não faz a sua parte, sobrecarrega os hospitais”, observou. “Muitos que hoje nos criticam ficaram 16 anos na prefeitura e entregaram uma saúde debilitada, deixando a população totalmente desprovida de assistência. Não aumentaram um leito de UTI, ao contrário do nosso governo, que ampliou em 50%, e até 2017, com a conclusão dos hospitais do Trauma e de Câncer, disponibilizará mais 400 leitos”, completou.

Comentário

Ninguém esconde que o principal objetivo do Palmeiras nos últimos meses de 2016 é a conquista do Brasileirão. Mas nesta quarta-feira (19) o Verdão entra em campo na arena para tentar se manter vivo na Copa do Brasil, competição na qual defende o título e tenta a quarta conquista. Para isso, basta uma vitória por 1 a 0 diante do Grêmio, em duelo válido pelo confronto de volta das quartas de final do torneio mata-mata e que terá início às 20h45 (horário de MS), conforme relata o Globoesporte.

Por causa de uma sequência intensa de viagens, Cuca não escondeu a intenção de poupar as principais peças da equipe se houver necessidade. Sem atuar em casa desde o dia 24 de setembro, o Verdão, que passou por Porto Alegre, Recife, Londrina, Araraquara e Florianópolis nas últimas semanas, mostra preocupação com a recuperação física dos jogadores na reta final. O que pode animar mais os palmeirenses é a presença do artilheiro em campo. Suspenso com três cartões amarelos e desfalque contra o Sport, no próximo domingo (23), Gabriel Jesus não deve ser problema diante do Tricolor Gaúcho. Nas outras posições, porém, a tendência é que Cuca busque uma formação alternativa, dando espaço a atletas que não vinham aparecendo entre os titulares nas últimas partidas.

Nos demais jogos pela Copa do Brasil, o Juventude enfrenta o Atlético-MG, o Santos vai a Porto Alegre no jogo de volta contra o Internacional e o Cruzeiro recebe o Corinthians no Mineirão. Juventude precisa vencer por um gol, pelo menos, para levar a decisão para os pênaltis e os demais, Santos e Corinthians, precisam de vitória mínima para seguir na competição.

Comentário

Com os avanços de pesquisas científicas, a fisioterapia neurofuncional tem se tornado uma grande aliada no tratamento de indivíduos com disfunções neurológicas, como Doença de Parkinson, Mal de Alzheimer, Microcefalia, entre outras. Pensando em debater a temática, o curso de Fisioterapia da Unigran realizou palestras e minicursos para acadêmicos e profissionais da área na XVI Jornada Acadêmica.

O fisioterapeuta Gustavo Christofoletti abordou “Evidências e Tomada de Decisão Clínica em Fisioterapia nas Doenças neurodegenerativas”. O palestrante mostrou, especificamente, da Doença de Parkinson e o Mal de Alzheimer, que são doenças neurodegenerativas que causam declínio físico e cognitivo.

Conforme Gustavo, a ação da fisioterapia é fundamental nestes casos, pois há estudos que comprovam o beneficio do exercício na parte motora cognitiva. “A fisioterapia atenua o declínio físico cognitivo que a doença apresenta, melhorando e postergando a qualidade de vida. Estudos apresentam a eficácia da fisioterapia e a ação do profissional para o paciente e para o familiar”, menciona.

Essas doenças demandam o exercício que ao mesmo tempo haja a estimulação da parte motora e da parte cognitiva, porém o tipo de exercício vai depender da avaliação do paciente. O palestrante ressalta os avanços dos estudos, porém aponta que “a perspectiva é que mais estudos sejam produzidos para que se encontre o exercício ideal para essa população, aquele que potencializa a parte de equilíbrio, de força, de coordenação motora e também a parte cognitiva”.

A microcefalia, condição neurológica que tem sido vinculada ao Zica Vírus, também foi trabalhada em palestra e minicurso durante o evento. Paola Janeiro Valenciano falou sobre “Estimulação precoce em crianças com Atraso no Desenvolvimento Neuropsicomotor decorrente de Microcefalia”.

A fisioterapeuta garante que a microcefalia não é um agravo novo, os profissionais já têm experiência com crianças que tem a microcefalia e outras alterações do sistema nervoso. “A prática da fisioterapia nesta área se destaca em relação à estimulação precoce, criando oportunidades para que a criança se desenvolva com todas as suas capacidades e maior independência na atividade de sua vida diária”, ressalta.

Dentre as atividades práticas do fisioterapeuta, a palestrante cita a organização da criança, o posicionamento dos braços, pernas e cabeça, como a mãe vai carregá-la no colo, e ainda, a estimulação sensorial e motora.
Após um ano do surto de microcefalia, Paola Valenciano afirma que as pesquisas têm indicado mais em relação ao atraso no desenvolvimento crianças. “Contudo, o importante é o fisioterapeuta saber avaliar essas crianças, detectar se está dentro do desenvolvimento normal ou se tem algum atraso, se está cursando com alguma anormalidade, alteração de tonos, reflexos que ainda persistem, além de orientar os pais e encaminhar a uma equipe multiprofissional”, considera.

Comentário

O secretário estadual de Produção e Agricultura Familiar, Fernando Mendes Lamas, representa o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) em evento promovido com a Superintendência Estadual do Banco do Brasil, nesta quarta-feira (19), no Sindicato Rural em Dourados, onde acontece o seminário sobre o Programa Estadual de recuperação de pastagens degradadas, o “Terra Boa”.

Na quinta-feira (20), o seminário acontece em Ponta Porã, no Parque de Exposições Alcindo Pereira, com programação similar ao evento de Dourados, encerrando as atividades às 17 horas. Evaldo Emiliano de Souza, superintendente estadual do Banco do Brasil, acompanha Fernando Lamas nessas agendas.

O Terra Boa

Criado para promover o aumento da produção e da produtividade, ampliar a competitividade do agronegócio, fortalecendo as cadeias produtivas, além de reduzir os eventuais passivos ambientais e mitigar a emissão de GEEs (Gases de Efeito Estufa), o Programa tem como meta recuperar, em cinco anos, dois milhões de hectares de pastagens degradadas por meio da integração pecuária-lavoura, pecuária-lavoura-floresta, pecuária-floresta e pela renovação da pastagem pela pastagem.

O Governo do Estado, como indutor do processo de desenvolvimento sustentável, atua em um conjunto de iniciativas que constituem os componentes do programa: mobilização e capacitação, assistência técnica, financiamento, infraestrutura e logística e incentivos fiscais da ordem de R$ 250 milhões. Para isso serão aportados recursos financeiros da ordem de R$ 12,46 milhões ao longo dos cinco anos de execução do programa, estando previsto somente para 2016 recursos da ordem de R$ 3,23 milhões.

Os impactos econômicos esperados, entre outros, são: aumento da capacidade de suporte das pastagens de 0,8UA para até 2,4UA/ha, incremento da produção de 7,6 milhões de toneladas de grãos e 768 mil toneladas de carne, resultando em um incremento do valor bruto da produção da ordem de 12 bilhões.

Como impactos sociais espera-se a geração de 9 mil empregos e qualificação de mão de obra e aumento da renda nas propriedades rurais, além da melhoria da qualidade de vida e do IDH nas regiões de economia deprimida.

Comentário

Página 1314 de 1547

O Tempo Agora

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus