Timber by EMSIEN-3 LTD
  • unigran topo 1
  • Dnews Whats
Redação Douranews

Redação Douranews

A diarista, de 39 anos, que sumiu no dia 23 de novembro depois de  procurar emprego por um grupo de WhatsApp e desesperar a filha, de 20 anos, que registrou um boletim de ocorrência na 4º delegacia de polícia civil de Campo Grande, e que estava sendo investigado pela DEH (Delegacia Especializada de Repressão a Homicídios) apareceu.

A filha se limitou a dizer à equipe do Jornal Midiamax, que a mãe tinha aparecido e que estava bem, mas não informou onde ela estava e nem quando teria retornado para casa. “Muitas vezes o comunicante omite informações por vergonha ou por que pode desabonar a pessoa que estava desaparecida’, fala o delegado da DEH (Delegacia Especializada de Repressão a Homicídios), Márcio Shiro Obara”.

O delegado ainda faz um alerta para quem acaba aceitando empregos em grupos de WhatsApp ou acaba negociando veículos em site de vendas, “Sempre desconfiar de negócios muito vantajosos e procurar saber quem é o empregador e nunca ir marcar em locais ermos”, explica.

O desaparecimento

A diarista teria recebido a proposta por um grupo de WhatsApp, emprego MS, e saindo por volta das 6h50 de quarta-feira (23) para trabalhar. Durante o dia, a mulher teria entrado em contato com a filha, de 20 anos, para dizer que o serviço de doméstica tinha dado certo.

No final do dia, a filha da vítima recebeu uma nova ligação. Na conversa, a mãe estava chorando e pediu que fossem busca-la.  No fundo, a jovem ouviu outra voz dizendo, “desliga, se não eu te mato”. Ainda de acordo ela, várias mensagens foram enviadas a vítima, que visualizou e não respondeu.

Comentário

Apenas três ex-governadores de Mato Grosso do Sul recebem pensão vitalícia pelo tempo em que passaram no cargo. As remunerações, contando 13º salário do trio, custa mais de R$ 1 milhão por ano aos contribuintes. O Portal de Transparência do Governo do Estado revela que o ex-governador Marcelo Miranda, que ocupou o cargo em duas ocasiões, recebe por mês o teto do funcionalismo público estadual, ou seja R$ 30,4 mil.

Miranda governou o Estado pela primeira entre junho de 1979 a outubro de 1980, quando foi nomeado Chefe do Executivo Estadual pelo então presidente do regime militar, João Batista Figueiredo, e a segunda entre março 1987 a março de 1991, desta vez eleito pelo voto popular.

Pedro Pedrossian, também recebe o teto do funcionalismo público, R$ 30,4 mil, e é outro que governou Mato Grosso do Sul em duas ocasiões. Engenheiro de formação e conhecido por obras de grande porte, ele também foi governador de Mato Grosso, de onde recebe outros R$ 24,1 mil de pensão vitalícia, conforme informações do Portal de Transparência mato-grossense.

Somadas, as aposentadorias de Pedrossian custam R$ 54 mil por mês aos cofres públicos dos dois estados.

Pedrossian também foi nomeado por Figueiredo, e ficou no cargo pela primeira vez de novembro de 1980 a março de 1983, depois, eleito governador, ficou no poder de março de 1991 a janeiro de 1995.

O ex-senador Ramez Tebet (1936-2006) governou MS entre maio de 1986 e março de 1987, quando era vice-governador e assumiu com a saída de Wilson Barbosa Martins para o Senado. Pelo período no cargo, também teve direito ao benefício, transformada em pensão após sua morte. 

Wilson Martins, que foi eleito por duas vezes governador do Estado, abriu mão da pensão em 2011, quando o assunto foi alvo de críticas populares.

Já Zeca do PT, governador entre 1999 a 2006, chegou a receber a pensão, e só parou porque o benefício foi suspenso em 2007 por determinação do STF (Supremo Tribunal Federal), depois que a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) entrou com uma Adin (Ação Direta de Inconstitucionalidade) contra as pensões vitalícias a políticos.

André Puccinelli (PMDB), que deixou o cargo em 2014, após dois mandatos, não chegou a ter acesso à regalia devido à decisão dos ministros do Supremo.

Dados do portal do Sindicato Nacional dos Aposentados dão conta que a maioria dos brasileiros recebe cerca de R$ 1,3 mil de aposentadoria, o equivalente a cerca de um salário mínimo e meio.

Comentário

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) decretou luto oficial de sete dias pelo acidente aeronáutico na Colômbia que vitimou a delegação da Chapecoense, jornalistas e convidados. Com o luto, todas as partidas que seriam realizadas nesse período foram remarcadas.

A final da Copa do Brasil, entre Grêmio e Atlético Mineiro, que seria disputada amanhã (30), foi remarcada para 7 de dezembro, às 21h45. Já a rodada final da Série A do Campeonato Brasileiro será realizada no dia 11 daquele mês, domingo, às 17h.

A final da Copa do Brasil sub-20, entre Bahia e São Paulo, foi remarcada para 8 de dezembro, às 21h15.

O avião seguia da Bolívia para a Colômbia quando caiu na região da Antióquia, nas proximidades da cidade de Medellín. Pelo menos 75 pessoas morreram na queda do avião na Colômbia.

Comentário

Foi preso na noite de ontem (28) um idoso de 74 anos que tentava levar 128 gramas de maconha na cueca para dentro do presídio, onde cumpre pena no semiaberto, em Dourados.

Segundo a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), o flagrante aconteceu durante a revista pessoal de praxe para entrar no presídio.

O interno foi encaminhado à delegacia para registro de boletim de ocorrência, onde consta que o idoso teria pego a droga para levar a amigos dentro do estabelecimento penal.

Comentário

Equipes da Polícia Federal deflagram simultaneamente duas operações com distintos alvos, na manhã de hoje, no Mato Grosso do Sul. Uma das ações foi batizada pelo nome “Travessia” para desarticular organização criminosa envolvida com tráfico internacional de drogas. Outra operação leva nome de "Ixtab", e tem por objetivo reprimir extensa quadrilha voltada à prática do crime de contrabando de cigarros e lavagem de dinheiro.

No contexto da operação “Travessia”, cerca de 180 policiais federais cumprem 42 mandados de prisão preventiva – desses 11 já se encontram presos, 31 mandados de busca e apreensão e dois mandados de condução coercitiva, em 14 cidades dos estados do MS, Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina.

Segundo a Polícia Federal, investigações apontaram que a cidade de Guaíra, no Paraná, servia de porta de entrada para o ingresso da droga no Brasil e, dali, a distribuição era realizada principalmente para as cidades dos estados do PR, SP e SC. A droga saía do Paraguai.

Durante investigações, foram presas em flagrante 35 pessoas, entre as quais um advogado e servidores públicos. Também foram apreendidas grandes quantidades de maconha, cocaína e crack. O principal investigado lavava os recursos provenientes do tráfico por meio de loja e haras no interior do Paraná.

CIGARROS

Operação "Ixtab" também acontece na manhã desta terça-feira em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás. Cerca de 175 policiais cumprem 12 mandados de prisão preventiva, 46 mandados de busca e apreensão e 15 mandados de condução coercitiva nos três estados da federação.

Agentes cumprem, ainda, 28 cautelares pessoais diversas da prisão, como: proibição de efetuar qualquer viagem para o Paraguai ou para a cidade de Ponta Porã (MS); obrigação de requerer previamente autorização do juízo para viagens superiores a sete dias; obrigação de comparecerem em juízo ou perante à autoridade policial para os atos do processo ou inquérito sempre que intimados; advertência de que poderá ser decretada a prisão preventiva caso descumprida qualquer das condições mencionadas.

De acordo com a PF, as investigações tiveram início em 2015, a partir da prisão em flagrante de dois alvos da operação pela prática do crime de contrabando de cigarros, transportando 36 caixas de cigarros contrabandeados do Paraguai. Na ocasião, também foram apreendidas anotações financeiras que revelaram movimentação do grupo em torno de R$ 1 milhão, no período de um ano.

Ainda conforme a instituição federal, a organização criminosa tinha estrutura ordenada e caracterizada pela divisão de tarefas, tendo movimentado em torno de R$ 20 milhões em decorrência da elevadíssima quantidade de cigarros contrabandeados que foram comercializados (por volta de 20 mil caixas no período de novembro de 2015 a novembro de 2016).

O grupo agia de maneira organizada: parte dos integrantes adquiria cigarros no Paraguai para abastecimento dos grandes fornecedores, que, por sua vez, abasteciam outros fornecedores em Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. As investigações apontam que um dos investigados teria movimentado mais de R$ 1 milhão em depósitos bancários em apenas três meses.

Também faziam parte do esquema motoristas e ‘batedores’ que – a serviço dos grandes compradores – realizavam as viagens ao Paraguai para aquisição de cigarros.

A organização também mantinha imóvel que servia de base operacional no Distrito de Vila Vargas, município de Dourados, local onde os investigados passavam a noite para seguirem viagem no dia seguinte.

O nome da operação é uma alusão à deusa maia IXTAB (guardiã dos suicidas). Uma analogia ao fato de que os fumantes estariam cometendo uma forma lenta de suicídio ao consumirem os cigarros importados ilegalmente do Paraguai.

Comentário

Plano de segurança que tem por objetivo garantir tranquilidade a clientes e comerciantes neste período de fim de ano, começa no próximo sábado (3), em Campo Grande. A estratégia contará com 1,3 mil policiais militares e terá, ainda, apoio da Polícia Civil, Guarda Municipal, Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Polícia Federal (PF), até o dia 8 de janeiro do ano que vem.

De acordo com o coronel Waldir Ribeiro Acosta, comandante do Batalhão de Policiamento Metropolitano, desses 1,3 mil policiais, 300 deles serão remanejados do curso de graduação a cabo. Outros deixarão temporariamente de exercer atividades somente administrativas. “Nosso objetivo é reforçar o efetivo e garantir segurança ao comércio e boas compras à população”, enfatizou Acosta.

Ações policiais serão desenvolvidas em toda a área central, regiões de shoppings, centros comerciais, Feira Central e feiras livres, rede bancária e lotéricas, bares, restaurantes, lanchonetes e padarias de bairros da periferia da cidade. Estão no itinerário principais avenidas de bairros como: Júlio de Castilho, Manoel da Costa Lima, Raquel de Queiroz, Marquês de Pombal e Bom Pastor.

Os locais foram estrategicamente escolhidos em razão do aumento do fluxo de pessoas pelas áreas comercias por conta do 13º salário e festividades natalinas, segundo a polícia.

Especial atenção será dada à região do Aero Rancho, tendo em vista grande número de roubos e furtos vem ocorrendo. Durante o plano, estão previstas rondas ostensivas, ações educativas e preventivas. Entre elas, a distribuição de panfletos com dicas de defesa. Serão empenhadas bicicletas, motos, viaturas duas e quatro rodas e policiamento montado.

Confira abaixo dicas de segurança:

Imagem

Comentário

Bancários protestam nesta terça-feira contra o fechamento de agências do Banco do Brasil, previsto em Campo Grande e cidades do interior do Estado. O ato acontece em duas unidades que terão atendimento interrompido, na Capital. Uma delas na Avenida Afonso Pena (Parque das Nações) e outra na Avenida Ricardo Brandão (Cachoeira).

Para economizar R$ 3,7 bilhões por ano, no último dia 20, o banco anunciou reestruturação institucional. A medida vai reduzir 9.072 vagas no quadro de pessoal, desativar 402 agências e outras 379 serão transformadas em postos de atendimento. Também foi proposto Plano Extraordinário de Aposentadoria Incentivada (PEAI) com público-alvo de 18 mil funcionários.

De acordo com o sindicato da classe de trabalhadores, em Mato Grosso do Sul, duas agências serão fechadas em Campo Grande (Cachoeira e Parque das Nações) e uma em Corumbá. Outras quatro serão transformadas em postos de atendimento, em Campo Grande (UFMS), Rio Negro, Dourados e Ponta Porã.

Em protesto, dirigentes sindicais paralisam atividades das unidades do Parque das Nações e Cachoeira  o dia todo e se reúnem com bancários para debater a questão. Além disso, serão distribuídas panfletos aos clientes informando a importância do BB e da manutenção das agências abertas para a população. Em todo país, hoje é o Dia Nacional de Luta do BB contra os cortes de empregos e agências.

“Se os bancários já estavam sofrendo com a sobrecarga de trabalho, agora a situação tende a piorar com a falta de 18 mil bancários que poderão se aposentar. Isso representa a precarização de trabalho e exploração dos que vão continuar trabalhando. Sem falar que a população também será diretamente atingida, com o fechamento de agências e poucos bancários para realizar os atendimentos”, contestou o presidente do sindicato, Edvaldo Barros.

Comentário

Giovani Carra, de 31 anos, foi assassinado enforcado depois de propor programa sexual para autores do crime, na madrugada de domingo (27). O homem, que era homossexual e trabalhava como cabeleireiro, estava sumido desde a noite de sábado e foi encontrado morto nessa segunda-feira, em Maracaju. Maurício Ferreira Figueiredo, 23 anos, e Gilson Arguelho de Souza, 22, foram presos em flagrante e, segundo autoridade policial, fingiram interesse na relação para roubar o automóvel da vítima.

O delegado Amylcar Eduardo Romero explica que o caso começou a ser investigado somente na madrugada de ontem, que foi quando familiares denunciaram o desaparecimento de Giovani.

Cerca de quatro horas depois, dois envolvidos no latrocínio (roubo seguido de morte) estavam presos. “Apenas o Maurício confessou participação no assassinato e nos indicou o local onde o corpo estava. Em depoimento, ele declarou que estava junto com Gilson perto da rodoviária da cidade quando Giovani – que era homossexual, passou por eles e chamou para darem uma volta. Aceitaram ir, mas para roubar. Naquele momento planejaram o crime”, disse a autoridade policial.

O local deserto e sem iluminação onde o assassinato ocorreu foi sugerido pela própria vítima que pensou que teria relação sexual com a dupla, segundo o delegado. Giovani foi despido, amarrado com as roupas e assassinado enforcado com cinto do carro, modelo Clio, que pertencia a ele.

Depois do crime, a dupla fugiu levando o automóvel. Sem ninguém para vender, os criminosos esconderam o Clio na casa de um conhecido que não tinha conhecimento do crime, disse o delegado.

Ao contrário do amigo, Gilson nega ter assassinado o cabeleireiro e alega que desceu do veículo no meio do trajeto. No entanto, segundo Maurício, foi Gilson que cortou o cinto para enforcar a vítima, completou o delegado Amylcar.

Giovani havia sido visto pela família, pela última vez, na noite de sábado quando saiu da casa onde morava para ir a uma festa.

Comentário

A poucos dias de deixar a Casa Branca, o presidente norte-americano, Barack Obama, recebeu um retrato seu e da mulher, Michelle, feito pelo artista plástico pernambucano Romero Britto.
 
O presente foi entregue a Obama pelo filho de Romero, Brendan. Uma foto do encontro foi postada pelo artista em sua conta oficial no Instagram. "Sonho americano! O meu filho Brendan num momento histórico fazendo a entrega do retrato do presidente Obama e da primeira-dama", publicou Britto.
 
Ainda na publicação do Instagram, o artista deu a entender que não pôde comparecer ao encontro, pois estava expondo suas obras na Europa.
 
Obama não é a primeira celebridade norte-americana a receber um retrato pintado por Britto de presente. Recentemente, o ator Leonardo di Caprio e a candidata derrotada à Casa Branca, Hillary Clinton, foram homenageados pelo pernambucano.

Comentário

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) apresentou um recuo de 0,03%, em novembro ante uma alta de 0,16%, em outubro. A variação também foi menor que a registrada em novembro do ano passado (1,52%). Com o resultado, no acumulado do ano, a taxa alcançou 6,60% e, em 12 meses, 7,12%, que é o percentual utilizado na renovação em contratos de aluguel.

Calculado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV), o IGP-M indica a média de preços de bens do atacado, varejo e da construção civil no período entre os últimos dias 21 de outubro e 20 de novembro. Apesar de ter recuado, o índice de novembro reflete mais o comportamento de preços em um dos três componentes, o Índice de Preços ao Produtor Amplo, com queda de 0,16% ante uma alta de 0,15%.

Preços caem

Neste componente, o destaque foi o grupo dos alimentos processados. Eles ficaram 0,08% mais baratos depois de um aumento de 1,58% na apuração anterior. As matérias-primas brutas, que incluem as variações das commodities (produtos com cotação internacional), aceleraram com alta de 0,90% ante 0,36%. As elevações mais significativas foram do minério de ferro (de 2,16% para 9,04%); do café em grão (de 2,28% para 8,30%) e da cana-de-açúcar (de 1,48% para 2,80%). Em sentido oposto, estão o leite in natura (de -5,52% para -8,78%), o milho em grão (de -1,80% para -3,92%) e os bovinos (de 2,20% para 0,16%)

Em relação ao Índice de Preços ao Consumidor (IPC) ocorreu variação de 0,26%, taxa superior ao valor de outubro (0,17%) com acréscimos registrados em cinco dos oito grupos pesquisados e destaque para educação, leitura e recreação (de -0,24% para 0,32%).

Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) manteve-se estável em 0,17%. No período, o índice sobre materiais, equipamentos e serviços teve queda de 0,05%, enquanto a mão de obra subiu de 0,30% para 0,36%.

Comentário

Página 1307 de 1656
  • ms corona

O Tempo Agora

  • mascaras
  • unigran novo

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus