Timber by EMSIEN-3 LTD
Redação Douranews

Redação Douranews

O juiz Vitor Dias Zampieri presidiu nesta terça-feira (26), sessão de julgamento realizada do Tribunal do Júri em Dourados, envolvendo um caso de feminicídio. Emblemático, porque gerou grande comoção social na população douradense, ao final da sessão o conselho de sentença julgou o réu E.A.O.R. culpado do crime e condenado a 27 anos, 9 meses e 10 dias por feminicídio de reclusão, em regime inicial fechado.

O réu foi condenado também a um ano de detenção e 10 dias-multa por posse irregular de arma de fogo e essa mesma pena foi aplicada ao cunhado do réu, A.M.S., que confessou ter guardado a arma do agressor em sua residência.

De acordo com a sentença condenatória, o réu foi ainda condenado a pagar um valor mínimo de reparação de danos aos filhos, considerando que a fixação de indenização mínima é efeito automático da condenação, nos termos do artigo 387, IV, do Código de Processo Penal, no valor de 100 salários mínimos atuais, o equivalente a R$ 99.800,00.

O juiz determinou na sentença a intimação do Estado para que o réu-agressor ressarça os valores gastos pelo SUS (Sistema Único de Saúde) no atendimento da vítima, como previsto na Lei 13.871/2019, além de determinar que o promotor da Infância e Juventude da comarca de Dourados seja oficiado para apurar se é caso de perda de poder familiar do réu em relação aos filhos, como consequência de uma inovação legislativa prevista no Código Civil.

Entenda o caso

De acordo com a denúncia, E.A.O.R. manteve um relacionamento conjugal por 15 anos com a vítima e da união nasceram quatro filhos. No dia 25 de junho de 2018, por volta das 15 horas, no Parque das Nações I, em Dourados, por motivo torpe e recurso que dificultou a defesa da vítima, além da condição de sexo feminino, o réu atirou na cabeça da mulher.

Consta do processo que o relacionamento do casal era conturbado, com agressões físicas e emocionais praticadas pelo réu contra a vítima. O marido era muito possessivo e, um mês antes do crime, o casal desentendeu-se porque ele descobriu que a companheira estaria se comunicando com um colega de trabalho por mensagens telefônicas.

Na ocasião, o réu agrediu a vítima com um cabo de vassoura, resultando em lesões corporais, além de ameaças e xingamentos. O marido então prometeu que compraria uma arma para matar o colega de trabalho da vítima. A mulher registrou um boletim de ocorrência e solicitou medida protetiva, em razão do grande temor que sentia do agressor.

A partir de então, a vítima passou a morar com a mãe, enquanto o agressor estava proibido judicialmente de se aproximar ou manter contato com a mulher. Ainda assim, como prometera, o réu comprou a arma, guardou-a na residência do cunhado e permanecia nos arredores da casa, esperando o momento em que a ex-mulher saísse do local para reatar o relacionamento. Além disso, ordenou aos filhos que, ao visitarem a mãe, pegassem seu celular para que monitorasse os contatos mantidos pela vítima.

No dia do crime, a vítima e o filho de 14 anos levavam a motocicleta da mulher até uma oficina mecânica, quando foram abordados pelo réu, que chegara de moto querendo que ela desbloqueasse o celular para que pudesse visualizar as mensagens. Ante a recusa dela, ele mostrou a arma na cintura e iniciou uma discussão com a vítima, interrompida pelo filho.

Com o fim da discussão, a vítima e o adolescente foram até a oficina para deixar o veículo, sempre seguidos pelo acusado. Antes de chegar ao local, foram abordados novamente pelo réu que puxou a mulher pelo braço e a levou para um canto afastado da rua, com pouca movimentação.

Ato contínuo, o réu desferiu diversos socos no rosto da mulher, tendo ela caído ao chão. O filho jogou um pedaço de madeira contra o pai, na tentativa de impedi-lo, entretanto, não acertou. O agressor tirou a arma de fogo da cintura, mirou na cabeça da vítima e disparou diretamente contra o crânio da ex-companheira.

E.A.O.R. foi pronunciado por homicídio qualificado, por motivo torpe, com recurso que dificultou a defesa e feminicídio, além de posse irregular de arma de fogo. No decorrer do processo, a defesa requereu exame de sanidade mental no réu, sugerindo que o crime pudesse ter sido motivado por influência de “forte paixão”. O pedido foi negado pelo juiz, em recurso ao TJMS e em novo recurso ao STJ (Superior Tribunal de Justiça).

Por envolver feminicídio, o processo tramitou em segredo de justiça, conforme divulga o portal do TJMS na internet.

Comentário

Projeto Vida Saudável encerra atividades de 2019 com balanço positivo
Atividade é uma parceria do curso de Nutrição da UNIGRAN com a ESF Vila Operária em Nova Andradina

Iniciado no mês de agosto, o Projeto Vida Saudável encerra as atividades do semestre cumprindo o objetivo de promover estratégias para a adoção de hábitos saudáveis em mulheres com sobrepeso e obesidade atendidas pela ESF (Estratégia de Saúde da Família) Vila Operária, em Nova Andradina. O relatório final aponta perda de peso totalizando 15kg. As acadêmicas de Nutrição da Unigran participaram do projeto com orientações e acompanhamentos sobre alimentação saudável em três encontros, sob a orientação e supervisão da professora Juliana Barros de Almeida.

No encerramento, as estudantes abordaram sobre as ‘Dietas da moda’ com a comunidade assistida. As alunas separaram um Top 5 com mitos e verdades sobre a dieta dos alimentos termogênicos, low carb, jejum intermitente, sucos detox e água com limão.

Conforme Juliana Barros, o projeto possibilitou o acesso a informações sobre alimentação saudável e ainda, a aproximação dos estudantes com a comunidade. “A realização de projetos de extensão como esse é gratificante, pois permite aos acadêmicos colocarem em prática os conhecimentos adquiridos em sala de aula, além de vivenciarem a dinâmica da realização de atividades na comunidade, por outro lado, colabora com a sociedade, buscando suprir uma necessidade demandada”, ressalta.

A médica clínica geral da ESF, Marina Lanzarini, uma das coordenadoras do Projeto local, menciona que a iniciativa partiu após a equipe perceber a grande porcentagem de pacientes com excesso de peso. “Contamos com diversos profissionais de saúde para nos apoiar, a nutricionista Juliana e suas acadêmicas foram de enorme benefício para o Projeto Vida Saudável, pois conseguiram orientar de forma dinâmica para o grupo a maneira ideal de se alimentar, a importância do consumo de frutas, vegetais e muita água”, garante.

“Tivemos o resultado esperado que foi a perda de peso de maneira saudável, com orientações adequadas”, enfatiza a médica. Lanzarini destaca ainda, o apoio em equipe, com auxílio na oferta de diversas ações, como atividades físicas, boxe e terapias tradicionais como auriculoterapia, ventosa terapia, apoio psicológico e fisioterápico.

Moradora do bairro, a estudante universitária Simoni Vitorino Quevedo participou do projeto desde o início. “Foi muito bom, tivemos o acompanhamento psicológico e muitos ensinamentos de como ter uma alimentação saudável. Nós todas estávamos acima do peso, mudamos nossa rotina, além das amizades que fizemos”, menciona.

Simoni relata que as participantes mudaram a rotina diária em suas vidas após os encontros. “Colocamos em nossa rotina a caminhada, aprendemos a fazer exercícios em casa, cortamos o refrigerante e trocamos pelo suco, fizemos adaptações na alimentação, como comer mais frutas e verduras, aprendemos receitas fit. Foi ótimo, vou continuar com a reeducação alimentar”, garante.

Ao todo foram 12 participantes. Das seis que concluíram o projeto, cinco tiveram perda de peso de 1,5kg à 5,400kg, totalizando 15kg eliminados. Houve ainda a diminuição da circunferência abdominal (CA) de 2 a 5cm e redução do Índice de Massa Corporal – IMC, conforme o relatório final do semestre.

Comentário

A Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa realiza nesta quarta-feira (27) reunião a partir das 14 horas, no Plenarinho Deputado Nelito Câmara e, entre as atividades, está prevista a apresentação do relatório do grupo de trabalho sobre o Fundo Estadual do Idoso. O evento foi proposto pelo coordenador da Frente Parlamentar, deputado Renato Câmara (MDB).

Também haverá a apresentação do relatório do projeto Idoso Contador de Histórias, além de debate sobre a audiência pública Passe Livre Interestadual para Pessoa Idosa, da Defensoria Pública do Estado, e sobre a Semana Municipal dos Direitos Humanos, da Subsecretaria Municipal do Idoso de Campo Grande.

O objetivo da Frente Parlamentar é propor, discutir e acompanhar a execução de políticas públicas e privadas relacionadas à promoção e à defesa dos direitos da pessoa idosa. Compõem o grupo os seguintes parlamentares: Barbosinha (DEM); Coronel David (PSL); Eduardo Rocha (MDB); Herculano Borges (Solidariedade); Jamilson Name (PDT); Lidio Lopes (Patriota); Marcio Fernandes (MDB); e Professor Rinaldo (PSDB).

Comentário

Chamada de ‘saudosa’ na maioria das raríssimas lembranças que restaram, a UDE (União Douradense de Estudantes) está completando 40 anos nesta quarta-feira (27), e o lamentável dessa ‘comemoração’ é que pouco, bem pouco, muito pouco, ou, quase nada, existe nos registros históricos da entidade que chegou a ser classificada uma das mais combativas do País nos anos 80.

“Infelizmente, o principal desafio ainda é o de preservar a história”, constata o jornalista Clóvis de Oliveira, um dos fundadores e o primeiro presidente da UDE, nascida oficialmente após agitada assembleia geral realizada no final da tarde de uma terça-feira, no dia 27 de novembro de 1979, em uma das salas da então Acid (a Associação comercial e Industrial de Dourados), hoje Aced. Mais tarde, já no começo da noite, prós e contras se juntaram para celebrar a data, no antigo ‘Mangueira Lanches’, no cruzamento da Marcelino Pires com a João Rosa Góes, no centro da cidade.

Mato Grosso do Sul ainda ensaiava os primeiros passos [o Estado foi criado em 11 de outubro de 1977 e devidamente instalado no ano seguinte], mas de Dourados, à época com pouco mais de 100 mil habitantes, já emergia forte movimentação estudantil que fez surgir, ao redor, as Uniões de Estudantes em Ponta Porã, Fátima do Sul, Ivinhema, Nova Andradina, entre outras, para a criação, em 1982, da Usmes (a União Sul-mato-grossense de Estudantes) e a contribuição para que o Governo redemocratizante de Wilson Barbosa Martins implantasse, em 1983, o passe-livre estudantil, principal bandeira da época das lideranças da Educação.

A ‘saudosa’ UDE chegou a confeccionar mais de 5.000 carteiras de estudante no primeiro ano da sua existência, no começo da década de 80, quando o documento praticamente “não valia pra nada”, como se dizia entre os próprios estudantes, já que os direitos de vantagens com o uso da carteirinha só viriam dois anos depois. “Mas, os estudantes queriam ser filiados à UDE, era sinal de valorização e força”, relembra Oliveira.

UDE HISTORIA

O começo do fim de uma bonita história, entretanto, depois das jornadas musicais eliminatórias nas escolas de toda a cidade e até de alguns distritos, e do grande encontro anual no também já extinto Ginásio do CAD, e do festival esportivo, integrador e massificador, no ainda resistente estádio da Leda, veio justamente quando diretorias seguintes adotaram políticas equivocadas e, a partir da ‘entrega’ do patrimônio central, começou o ‘desmanche’. Atualmente, nem o ‘doutor Google’ ou a ‘senhora Wikipedia’ podem socorrer os menos avisados...

Comentário

O deputado Felipe Orro (PSDB) foi eleito presidente da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) criada para investigar o aumento na conta de energia elétrica dos consumidores sul-mato-grossenses. A escolha foi feita nesta terça-feira (26) durante a primeira reunião do grupo, na qual também foram definidos o vice-presidente e o relator, respectivamente, os deputados Barbosinha (DEM) e Capitão Contar (PSL).

“Agradeço a missão de presidir esta Comissão, vou me esforçar nesta difícil tarefa. É importante ressaltar que essa é uma CPI da Casa de Leis. Todos os parlamentares têm sua responsabilidade e devem ajudar para que dê certo. Queremos um resultado justo para a população”, disse Orro, após a votação. O presidente também falou sobre o funcionamento da CPI. “Vamos atrás de toda a documentação, requerimentos, convocações e denúncias para apresentarmos nas reuniões e efetivarmos o esclarecimento que a população merece”, frisou.

Conforme acordado inicialmente, os integrantes da CPI se reunirão ordinariamente toda quarta-feira, às 14 horas, no plenarinho da Alems (Assembleia Legislativa de MS) e, caso seja necessário, os membros também podem convocar reuniões extraordinárias. “Vamos nos dedicar até o último dia dos trabalhos parlamentares deste ano e retomar no próximo ano após o recesso”, disse o presidente, que esclareceu ainda que a contagem do prazo para a conclusão da CPI pode ser interrompida durante recessos parlamentares.

Eleito vice-presidente, Barbosinha reforçou a importância da participação dos deputados nas reuniões da Comissão. “É fundamental que a gente conte com o apoio de todos os parlamentares, pois quanto mais apoio tivermos é melhor. Que outros deputados possam trazer contribuições”, afirmou Barbosinha. O relator do grupo também falou sobre as expectativas dos trabalhos. “Tenho interesse em compor essa relatoria para conseguirmos averiguar a situação. Quero fazer esse trabalho de uma forma muito séria e trazer para a população uma resposta”, avaliou Capitão Contar. Também estiveram presentes na reunião os deputados Renato Câmara (MDB) e Marçal Filho (PSDB).

Representante do movimento popular “Energia cara, não”, Venício Leite acompanhou a primeira reunião da CPI. “Nós entendemos que o parlamentar deve uma satisfação para o povo e nós, enquanto movimento de cidadania, mobilizamos a sociedade e mostramos a necessidade de esclarecer o que está acontecendo com as contas de energia aqui em Mato Grosso do Sul”.

Comentário

Ao participar, nesta segunda-feira (25), da inauguração da nova planta de processamento e refino de soja da Coamo, em Dourados, o presidente da Fiems, Sérgio Longen, destacou que a industrialização de Mato Grosso do Sul é um dos grandes desafios encabeçados pelo Sistema Fiems, buscando agregar valor aos produtos sul-mato-grossenses e gerando mais emprego e renda para a população.

“Precisamos transformar aquilo que é matéria prima em produto acabado. Esse é o grande desafio que temos tido nos últimos anos à frente da Fiems e uma prova clara disso é essa inauguração dessa nova planta de processamento e refino de soja. Para isso, é fundamental as diversas parcerias que realizamos com o Governo do Estado e com as prefeituras para qualificação profissional, além de oferecer serviços em tecnologia e inovação por meio do Sesi e do Senai para melhorar a competitividade das empresas”, afirmou Longen.

Ele ainda reforçou a necessidade de preparar a população para os novos investimentos que estão sendo feitos em Mato Grosso do Sul. “Entendemos que a indústria vem se fortalecendo a cada dia e, nós, do Sistema Fiems, precisamos avançar na qualificação das pessoas, preparar o nosso Estado para desenvolver cada vez mais o setor industrial. Mato Grosso do Sul vem diversificando os segmentos e Dourados está de parabéns, porque soma ao agronegócio essa grande empresa”, completou.

O diretor-presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini, detalhou que o novo polo recebeu investimentos na ordem de R$ 780 milhões e tem capacidade para processar 3 mil toneladas por dia de soja para produção de farelo e óleo, gerando 300 empregos diretos no município. “Paralelo a isso, estamos inaugurando também um centro de distribuição de insumos, máquinas e equipamentos agrícolas, que vai gerar mais 100 empregos diretos, totalizando 400 empregos diretos aqui na região, contribuindo para desenvolver a cidade de Dourados e fortalecendo o agronegócio brasileiro”, declarou.

Presente ao evento, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, considerou a inauguração da nova fábrica um sonho realizado. “Lembro que ainda quando titular da Seprotur (Secretaria estadual de Desenvolvimento Agrário, Produção, Indústria, Comércio e Turismo), conversei com o José Aroldo e falei da necessidade de se investir em Mato Grosso do Sul. Ver essa indústria, que é uma das maiores de esmagamento de soja da América Latina, ser inaugurada no meu Estado é uma satisfação muito grande”, afirmou.

Ainda conforme Tereza Cristina, é cada vez mais necessário investir em novas tecnologias e inovações para melhorar a produção de alimentos no Brasil. “Tenho viajado o mundo buscando abrir cada vez mais mercados para nossos produtos e o que tenho percebido é que países que costumavam comprar produtos nossos, estão conseguindo produzir e exportar seus próprios produtos, aumentando a concorrência com o que temos. Temos boas instituições de pesquisa e estamos avançados, mas não podemos nos descuidar. Pelo contrário, precisamos buscar melhorar ainda mais a cada dia”, acrescentou.

O governador Reinaldo Azambuja agradeceu a confiança da Coamo em instalar a unidade fabril em Mato Grosso do Sul. “Qualquer Estado gostaria de receber uma indústria como essa e me sinto muito honrado por estarmos realizando essa inauguração aqui hoje. Sabemos da importância do setor privado para movimentar a economia do País e aqui a Coamo está de parabéns por concluir essa construção em um tempo recorde de 27 meses”, salientou.

Para a prefeita de Dourados, Délia Razuk, a nova indústria consolida o município como a capital do agronegócio em Mato Grosso do Sul. “Esse complexo é fruto da união e da força do nosso Estado e com ele novos investimentos chegarão a Dourados, fortalecendo ainda mais a agroindústria da nossa região e contribuindo para o desenvolvimento do nosso Estado”, finalizou

Comentário

A semana começou com previsão de chuvas e a Prefeitura de Dourados, por intermédio da Semaf (Secretaria Municipal de Agricultura Familiar), iniciou o preparo do solo nas pequenas propriedades rurais.

O secretário Junior Bittencourt, atendendo ao pedido da prefeita Délia Razuk, disse que a Semaf está preparando o solo dos pequenos produtores rurais da região do Parque das Nações 2.

A Semaf, segundo o secretário, está atendendo aos agricultores familiares das chácaras na região do Grande Parque com visita técnica do agrônomo, projeto de produção e preparo do solo.

“Nessas áreas serão cultivadas ramas de mandiocas e feijão de corda. Produção agroecológica com o objetivo de fomentar a economia local e levar alimentos saudáveis a mesa da população”, disse Bittencourt.

O secretário afirmou que é sempre bom lembrar que mais de 80% do hortifrúti consumido em Dourados são produzidos em outros municípios e estados brasileiros. “Incentivar os pequenos produtores de Dourados é uma forma de inverter esta situação gerando empregos e renda no campo”, finalizou.

Comentário

Terça, 26 Novembro 2019 14:47

Gasolina sobre 2,4% em 15 dias

Pesquisa de preços do combustível realizada nesta terça-feira (26) pelo setor de fiscalização do Procon, em 36 estabelecimentos na cidade e distritos, apontou alta de 2,4% no preço do produto gasolina no intervalo de 15 dias. Foram pesquisados os preços do etanol, do diesel comum e S10 e da gasolina comum e aditivada.

O menor preço encontrado na gasolina comum foi de R$ 4,140; no diesel comum foi de R$ 3,590; e diesel S10 R$ 3,690; e no etanol o menor preço praticado é de R$ 3,290.

Veja os novos preços apurados

A diferença entre o menor preço encontrado na gasolina comum (R$ 4,140) e o maior preço (R$ 4,480) é de 8,4%. No etanol a diferença entre o menor e maior preço é de 15,5%; no diesel comum é de 10,7% e no diesel S 10, de 10%.

O preço médio da gasolina em Dourados é de R$ 4,260. Em 11 de novembro o preço médio da gasolina era R$ 4,170, ou seja, constatou-se aqui que só nesse item houve aumento de 2,4%, e que o menor preço encontrado na gasolina é 0,12 centavos mais barato que o preço médio praticado nos postos da cidade.

O Procon volta a defender a necessidade de que os consumidores acompanhem a qualidade do produto consumido, exigindo que a análise para descobrir o teor de álcool presente na gasolina seja feito pelo funcionário do posto de combustível na presença do consumidor. Os telefones do Procon, para dúvidas, sugestões ou reclamações, são o 151 ou o 3411 7754.

Comentário

A Semed (Secretaria municipal de Educação) realiza nesta quarta-feira (27), por meio do Nuedesp (Núcleo de Educação Especial), envolvendo ainda as professoras de AEE (Atendimento Educacional Especializado), a VII Noite Cultural Especial, a partir das 19 horas, no Salão de Eventos da Unigran, com o tema Show de Talentos. Participam os integrantes das salas de recursos multifuncionais das escolas e Ceims (os Centros de Educação Infantil) da Reme (Rede Municipal de Ensino), juntamente com as equipes escolares das unidades nas quais atuam.

A realização tem como objetivo promover um espaço de inclusão artística e cultural, estimulando a reunião de alunos com e sem deficiência, das escolas municipais e Ceims, para apresentações culturais de várias modalidades, como canto, dança, dramatização, entre outros. A Reme conta atualmente com 704 alunos com deficiência matriculados.

A proposta é incluir crianças com deficiência no universo de outras crianças de forma que saibam lidar umas com as outras, respeitando as limitações e diferenças, quebrando paradigmas e demonstrando que potencialidades podem ser desenvolvidas quando as oportunidades são oferecidas.

De acordo com a professora Wanda Regina Calabretta Staut, coordenadora do Núcleo de Educação Especial, o tema do evento deste ano - Show de Talentos – foi pensado e escolhido pelo grupo do AEE, com o “propósito de evidenciar nas apresentações os talentos de cada participante, oportunizando em um momento único, um espaço de expressão, onde as potencialidades dos alunos atendidos pela Educação Especial sejam valorizadas pela sociedade douradense”.

Serão 15 apresentações artísticas no palco, envolvendo 30 unidades escolares, escolas e Ceims. Haverá um elenco de 272 alunos nas apresentações no palco, mais professores AEE, professores AE e estagiários. Durante o evento também ocorrerá o lançamento de um livro, de autoria de um aluno autista. No ano passado cerca de 1.300 pessoas assistiram as apresentações.

Comentário

A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) criada pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul para investigar os aumentos nos valores das contas de energia terá a primeira reunião nesta terça-feira (26), às 15h30, na sala de reuniões I da Presidência. A convocação foi feita pelo proponente da CPI, deputado Felipe Orro (PSDB), e a pauta será a eleição do presidente, vice-presidente e do relator dos trabalhos da comissão.

Compõem a Comissão de Inquérito os deputados Capitão Contar (PSL) e João Henrique (PL), indicados pelo bloco G-10; Renato Câmara (MDB) e Barbosinha (DEM), com indicação do G-9; e Felipe Orro, pelo PSDB. Os suplentes são, respectivamente, Antônio Vaz (Republicanos) e Evander Vendramini (PP), do G-10; Marcio Fernandes (MDB) e Eduardo Rocha (MDB), do G-9; e Marçal Filho (PSDB).

Orro afirmou que recebeu muitas denúncias da precariedade de serviços e altas injustificadas nos valores cobrados sem que o consumidor tenha mudado os hábitos nem adquirido equipamentos novos. “Tem gente que estava com a casa fechada e a conta teve aumento, dobrou de valor. Isso tem coisa errada”. Além dessas suspeitas, o deputado adiantou que tem ao menos um caso concreto em que ficou comprovado por laudo técnico que há falha no medidor da empresa de energia elétrica, e isso pode estar acarretando essa problemática toda.

A CPI tem o prazo regimental de 120 dias para concluir as investigações e produzir um relatório com encaminhamento do que for apurado às autoridades e órgãos competentes. Mas esse prazo pode ser prorrogado, havendo necessidade.

Comentário

Página 13 de 1511

O Tempo Agora

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus