Timber by EMSIEN-3 LTD
Quinta, 14 Setembro 2017 10:55

Policiais podem ser punidos por remover carro de esposa de procurados envolvido em acidente com morte

Escrito por Natalia Yahn/CE
No acidente, a aposentada Verônica Ricalde, 91 anos, foi atropelada e morta No acidente, a aposentada Verônica Ricalde, 91 anos, foi atropelada e morta Paulo Ribas/Correio do Estado

A delegada Célia Maria Bezerra investigará os motivos de os policiais militares do Batalhão de Trânsito (BPTran) terem removido o veículo de Cirlene Alves Lelis Robalinho, 48 anos, antes da chegada da Perícia Criminal, durante atendimento a acidente na Avenida José Nogueira Vieira, Bairro Tiradentes. No acidente, a aposentada Verônica Ricalde, 91 anos, foi atropelada e morta pelo carro conduzido por Cirlene.

Testemunhas informaram ontem que o carro de Cirlene atingiu Verônica no espaço público reservado à calçada da via. A vítima havia saído de casa para ir ao supermercado comprar ingredientes para fazer pamonha.

Conforme Célia Maria Bezerra, titular da 4ª Delegacia de Campo Grande, a alteração do local do crime pode resultar na prática de fraude processual. “As circunstâncias serão investigadas”, disse.

A ocorrência

Enquanto os policiais atendiam a ocorrência e os familiares da vítima procuravam explicações para o acidente, Cirlene, que é esposa do procurador de Justiça Gilberto Robalinho da Silva, ficou dentro de uma farmácia nas proximidades do local do atropelamento.

O marido dela foi ao local dar assistência à esposa juntamente com outros três homens, alguns aparentavam estar armados. Um major da Polícia Militar, que também não tinha envolvimento direto com a ocorrência, também atuou no local do possível crime de homicídio.

A delegada ainda vai decidir se tratará o caso como culposo, em que a autora não tem intenção, ou doloso, quando ela assume o risco. Há informações de que Cirlene estaria ao celular durante o ocorrido.

No momento que era colocada na ambulância, o major Claudemir - da Polícia Militar - ameaçou jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas que acompanhavam o caso.

O policial disse ter recebido ordens do procurador para que Cirlene não fosse filmada ou fotograda, com risco de apreensão dos equipamentos e prisão de quem desobedesse. O coronel Renato Tolentido, comandante metropolitano da PM informou que o oficial não era responsável pela ocorrência e que apenas passava no local quando viu o acidente a parou para auxiliar.

  • unimed nova
  • Benito hojr

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus