Timber by EMSIEN-3 LTD
Quarta, 09 Janeiro 2019 16:36

Bolsonaro defende que prisões devem ocorrer logo após condenação em segunda instância Destaque

Escrito por
Presidente Jair Bolsonaro com o deputado federal mais votado no Rio, Helio Negão, do PSL Presidente Jair Bolsonaro com o deputado federal mais votado no Rio, Helio Negão, do PSL Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (9), pela conta pessoal do Twitter, que o governo vai rever a posição da AGU (Advocacia-Geral da União), favorável à prisão somente depois de esgotados todos os recursos após decisão definida em segunda instância. Ele defendeu a prisão logo após a condenação em segunda instância.

“Na gestão anterior a AGU manifestou-se a favor da prisão somente após o esgotamento de todos os recursos. Esse posicionamento será revisto pelo nosso governo em sentido favorável ao cumprimento da pena após condenação em segunda instância. Vamos combater a impunidade”, escreveu.

Jair M. Bolsonaro

✔@jairbolsonaro

No gestão anterior a AGU manifestou-se a favor da prisão somente após o esgotamento de todos os recursos. Esse posicionamento será revisto pelo nosso governo em sentido favorável ao cumprimento da pena após condenação em segunda instância. Vamos combater a impunidade!

18,1 mil

15:59 - 9 de jan de 2019

Informações e privacidade no Twitter Ads

Em 2017, a então advogada-geral da União, Grace Mendonça, na gestão do ex-presidente Michel Temer, foi contra a prisão logo após a decisão em segunda instância. Segundo ela, só deve ocorrer após o trânsito em julgado. O STF (Supremo Tribunal Federal) deve julgar o assunto na volta aos trabalhos de 2019, quando os ministros analisarão o mérito da questão.

Pelo atual entendimento da Suprema Corte, deve ser executada a prisão após condenação em segunda instância, mesmo que ainda seja possível recorrer a instâncias superiores. Essa compreensão foi estabelecida em 2016 de modo provisório com apertado placar de 6 a 5. Na ocasião, foi modificada jurisprudência que vinha sendo adotada desde 2009.

O tema entrou em pauta em decorrência das ações envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele foi preso em 7 de abril do ano passado, após ter confirmada na segunda instância sua condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex em Guarujá, litoral paulista. Lula foi condenado a 12 anos e um mês e cumpre pena na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, detalha a Agência Brasil de notícias.

  • roze

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014
E-mail: douranews@douranews.com.br

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus